Página 1 dos resultados de 88 itens digitais encontrados em 0.011 segundos

Diques clásticos da Formação Corumbataí, Bacia do Paraná, no contexto da tectônica permotriássica do Gondwana Ocidental; Clastic dikes of the Corumbataí Formation, Paraná Basin, in the permotriassic tectonic context of Western Gondwana

Turra, Bruno Boito
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
48.807207%
A presente dissertação estuda os enxames de diques clásticos presentes na porção superior da Formação Corumbataí, Permotriássico da Bacia do Paraná, no interior do Estado de São Paulo. Foram analisadas três seções estratigráficas, levantadas em cortes de rodovias e ferrovia nos municípios de Limeira, Batovi e Santa Luzia. No total foram obtidas 273 medidas de atitudes de diques, distribuídos em quatro níveis estratigráficos em Santa Luzia e Limeira, e três em Batovi. Os diques estão intrudidos em siltitos, são compostos por arenito muito fino a siltoso, em sua maioria são subverticais, e possuem geometrias tabulares e ptigmáticas, essas devido a efeitos de compactação posterior. O processo de formação dos diques foi injeção forçada ascendente de sedimento fluidificado. As feições observadas que sustentam essa conclusão são: ramificações rumo ao topo, deformação na laminação da camada encaixante, diques alimentadores de extrusão de sedimento, intraclastos da encaixante, e orientação vertical da petrotrama paralela à parede dos diques. A fluidificação foi induzida provavelmente por atividade sísmica, os diques clásticos estudados podem ser intepretados como sismitos. As características em favor dessa hipótese são: a associação com outras estruturas de liquefação cronocorrelatas da Formação Corumbataí e Pirambóia...

Hidrotermalismo evidenciado por minerais autigênicos e inclusões fluidas da Formação Teresina, Bacia do Paraná

Nomura, Sara Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
49.02059%
A Formação Teresina na borda leste da Bacia do Paraná inclui fácies terrígenas e carbonáticas, as quais se destacam pela diversidade e quantidade de produtos autigênicos. Isto inclui calcedônia pervasiva e cimentos e veios de quartzo e calcita.Os componentes de ocorrência mais restrita abrangem barita, celestita, analcima, dolomita, interestratificados de esmectita-ilita, saponita e betume sólido. Os veios de calcita e quartzo são predominantemente verticais. Porém, salienta-se a ocorrência de veios horizontais de calcita paralelos ao acamamento (veios beef). Análises petrográficas foram utilizadas para caracterização dos componentes autigênicos e de suas relações texturais. Análises de inclusões fluidas foram realizadas em calcita e quartzo autigênicos para estimar paleotemperaturas e caracterizar a composição dos paleofluidos aquosos e hidrocarbonetos identificados. A silicificação por calcedônia afeta principalmente as fácies de calcários e teria ocorrido durante a eodiagênese possivelmente influenciada por eventos hidrotermais permo-triássicos. As paragêneses minerais formadas por barita, dolomita e calcita blocosa em cavidade de dissolução em chert nodular brechado e calcita espática, barita...

Taxionomia de dentes e espinhos isolados de xenacanthodii (chondrichthyes, elasmobranchii) da formação Corumbataí: considerações cronológicas e paleoambientais; not available

Ragonha, Evaldo Wehmuth
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/11/1984 PT
Relevância na Pesquisa
48.966216%
A formação Corumbataí da Bacia do Paraná abriga uma rica e diversificada paleoictiofauna até então muito pouco conhecida. Vários representantes das Classes Osteichthyes e Chondrichtyes acham-se dispersos nos seus sedimentos. No que concerne aos condrictes, a ordem Xenacanthodii - tida como um primitivo ramo lateral da linha principal de evolução dos elasmobrânquios; cujos representantes foram dulciaquícolas - tão bem conhecida no Hemisfério Norte, também aqui se faz presente por meio de diferentes formas de dentes e espinhos cefálicos. Levando-se em conta o caráter cartilaginoso do esqueleto, raríssimas são as formas conhecidas no mundo cuja descrição tenha se baseado neste particular. Assim é, que a maior parte das espécies que integram essa ordem são conhecidas com base na morfologia de dentes e/ou espinhos cefálicos. Quatro espécies são aqui descritas levando-se em conta dentes isolados. Destas, três são espécies novas: Xenacanthus angatubensis; X. camaquensis e X. ferrazensis e a quarta, Xenacanthus moorei (Woodward, 1889), anteriormente só conhecida no Hemisfério Norte, é agora, pela primeira vez, registrada no Hemisfério Sul, demonstrando, com efeito, que nem toda a fauna da Formação Corumbataí fora endêmica. No que concerne a espinhos cefálicos isolados...

Estudo do comportamento reológico de barbotinas preparadas com argilas da Formação Corumbataí utilizadas no pólo cerâmico de Santa Gertrudes (SP)

Rocha, R. R.; Zanardo, A.; Moreno, M. M. T.
Fonte: Associação Brasileira de Cerâmica Publicador: Associação Brasileira de Cerâmica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 332-337
POR
Relevância na Pesquisa
68.727046%
Este estudo surgiu da necessidade das indústrias cerâmicas do pólo de Santa Gertrudes (SP) se adaptarem às mudanças do comportamento do mercado e às exigências dos órgãos ambientais em relação aos riscos causados pela geração de poeira na fase de preparação da massa. Assim, o processo de preparação de massa via úmida pode ser uma alternativa para esta substituição, sendo necessária a obtenção de uma barbotina que apresente um comportamento reológico adequado ao processo e ao consumo de energia. Foram feitas medidas de viscosidade, tensão de cisalhamento e taxa de cisalhamento com viscosímetro rotacional, tendo como parâmetros de controle, o teor de sólidos da barbotina e a granulometria. Desta forma, foram verificadas variações das suspensões, como o comportamento pseudoplástico e a tixotropia. Também foi analisada a dependência do comportamento reológico com a mineralogia das argilas, obtida por difração de raios X. Os resultados das curvas reológicas mostraram-se muito coerentes com a mineralogia determinada, indicando uma piora do comportamento reológico no sentido da base para o topo da Formação Corumbataí, devido à alteração supérgena e presença de esmectitas.; The study of rheological behavior of clay slips at Corumbataí Formation arose from the need for the ceramic industries of Santa Gertrudes pole (SP) to adapt to the changes of the market behavior and to the demands of the environmental organs regarding the risks caused by the generation of dust in the mass preparation process. The wet grinding process can be an alternative for this substitution...

Matéria-prima da formação Corumbataí na região do pólo cerâmico de Santa Gertrudes, SP, com características naturais para fabricação de argila expandida

Moreno, M. M. T.; Zanardo, A.; Rocha, R. R.; Roveri, C. D.
Fonte: Associação Brasileira de Cerâmica Publicador: Associação Brasileira de Cerâmica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 342-348
POR
Relevância na Pesquisa
68.720596%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Estudou-se um material da base da Formação Corumbataí, proveniente de uma mineração de argila, que apresenta restrições de uso em cerâmica devido à sua dureza e, principalmente, ao alto conteúdo de matéria orgânica. Verificou-se que o material apresenta características naturais ótimas para a fabricação de argila expandida diretamente a partir de fragmentos de rocha, mostrando comportamento piroplástico com expansão significativa se submetido à queima rápida. A caracterização da matéria-prima e do produto foi realizada mediante análise de carbono orgânico, difração de raios X, microscopia ótica e testes de queima. Foram determinadas as condições de queima para obter argila expandida utilizando forno de queima rápida e forno a rolos, ambos de laboratório, obtendo corpos com densidade variável (que podem chegar a valores menores que 0,5 g.cm-3) até o limite de expansão. Esta densidade é obtida devido à formação de poros fechados e uma película externa vítrea, que proporcionam uma resistência mecânica alta aos fragmentos expandidos.; This paper refers to the study of the material of the base of the Corumbataí formation (Parana Basin...

Diques clásticos na formação corumbataí (p) no nordeste da bacia do paraná, SP: Análise sistemática e significações estratigráficas, sedimentológicas e tectônicas

Perinotto, José Alexandre de Jesus; Etchebehere, Mario Lincoln de Carlos; Simões, Luiz Sérgio Amarante; Zanardo, Antenor
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 469-491
POR
Relevância na Pesquisa
59.09251%
This paper aims to present the results of systematic survey on clastic dykes in the Corumbataí Formation (Permian), in the northeast region of the State of São Paulo. Besides this, the paper analyses genetic aspects of those features as well as their stratigraphic and sedimentologic implications in terms of geologic evolution of the northeastern Paraná Sedimentary Basin during Permian times. The field works had been developed in 3 main Corumbataí Formation outcrops (2 road cuts and a quarry) supposed to show the most important clastic dikes occurrences in the studied area. Basically, the sedimentary intrusions are formed by fine sand or silt size particles and had penetrated host rocks as near-vertical, centimeter thick, dykes (most common form) or as horizontal sheets, forming clastic sills (subsidiary form), both with variable geometric forms and dimensions. A lot of dyke walls show undulations suggesting pre-diagenetic clastic intrusions, probably near the ancient depositional surface. Almost all intrusions occur in the superior third portion of the Corumbataí Formation and some similar features seem to appear in the adjoining superposed Pirambóia Formation base. In this article the authors defend a seismic origin hypothesis for the clastic intrusions. It is important to mention that clastic intrusions tend to occur linked to expressive seismic events...

Estudo do comportamento reológico de suspensões argilosas da Formação Corumbataí

Rocha, Rogers Raphael da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 172 f. : il., gráfs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
58.520513%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; O estudo do comportamento reológico de barbotinas com argilas da Formação Corumbataí, surgiu da necessidade das indústrias cerâmicas do Pólo de Santa Gertrudes se adaptarem às mudanças do comportamento mercadológico e ao aumento das exigências dos órgãos ambientais em relação aos riscos causados pela geração de poeira pelo processo de moagem via seca. Foram selecionadas três áreas geograficamente distantes, mas dentro do pólo, e foram feitas caracterizações mineralógicas e reológicas. Para o estudo reológico foram feitas medidas de viscosidade, tensão de cisalhamento e taxa de cisalhamento com viscosímetro rotacional, tendo como parâmetros de controle, o teor de sólidos da barbotina e a granulometria. Desta forma, foram obtidas curvas de defloculação e foram medidas variações nas suspensões, tais como o comportamento pseudoplástico e a tixotropia. Também foi analisada a dependência do comportamento reológico com a mineralogia das argilas, obtida por difração de raios X. Os resultados das curvas de fluxo e de viscosidade mostraram-se muito coerentes com a mineralogia determinada...

Argilas da formação Corumbataí como base para obtenção de grés porcelanato por via seca

Prado, Ana Candida de Almeida
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 155 f. : il., fots.
POR
Relevância na Pesquisa
48.520513%
Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; Este trabalho apresenta os resultados, acompanhado das discussões apropriadas, referentes à pesquisa que objetivou viabilizar a utilização das argilas da Formação Corumbataí da região de Rio Claro (São Paulo - Brasil) como principal matéria-prima em formulações de massa cerâmica, para obtenção de um produto com as principais características do grés porcelanato. As matérias-primas utilizadas nas misturas são argilas da Formação Corumbataí provenientes das minas Sartori e Cruzeiro, um material de granulometria mais grossa rejeito de exploração de diabásio, basalto padrão do laboratório de Geoquímica e minério de manganês. Foram estudadas as possíveis adequações do processo, a fim de se obter produtos com propriedades do grés porcelanato, usando argilas de queima vermelha. Os corpos-de-prova foram produzidos em escala laboratorial, utilizando metodologia de produção de grés porcelanato tradicional, combinada com a usada em placas de revestimento cerâmico da classe BIIb, sendo a principal inovação a utilização da moagem via seca no preparo da massa cerâmica. Os ensaios laboratoriais visam a classificação das matérias-primas e caracterização física e química dos corpos-de-prova. A avaliação consiste em verificar a adequação dos resultados às exigências da norma NBR 13818/1997 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para produtos da classe BIa. O objetivo foi alcançado em algumas destas misturas...

Petrologia aplicada da formação Corumbataí (região de Rio Claro - SP) e produtos cerâmicos

Roveri, Carolina Del
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 200 f. : il., mapas, gráfs., tabs. + anexo 3 mapas + 1 DVD
POR
Relevância na Pesquisa
58.727046%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; As indústrias cerâmicas do Pólo de Santa Gertrudes (São Paulo, Brasil) são responsáveis por cerca de 50% da produção nacional de pisos e revestimentos e utilizam, em sua grande maioria, materiais da Formação Corumbataí como base para as massas de revestimentos cerâmicos produzidos na região. Com o objetivo de caracterizar a unidade quanto à petrologia e propriedades tecnológicas na região da atividade mineira, foram realizados levantamentos das frentes de lavras e afloramentos, distribuídas desde a porção basal até o topo da Formação. Para isso, além das atividades cartográficas normais, foram executadas atividades de compilação bibliográfica, caracterização das fácies sedimentares e cerâmicas nas frentes de lavras e afloramentos e correlação entre estas, além de análises mineralógicas, químicas e petrográficas e ensaios tecnológicos. As atividades demonstraram que, praticamente, toda a coluna estratigráfica dessa unidade pode ser utilizada na fabricação de produtos cerâmicos...

Argilominerais da porção basal da formação Corumbataí (Bacia do Paraná) na região de Rio Claro/SP

Ibrahim, Liliane
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 136 f. : il., quadros
POR
Relevância na Pesquisa
48.807207%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; As rochas sedimentares da Formação Corumbataí (Neopermiano) afloram próximas à borda leste da Bacia do Paraná e na região de Rio Claro (SP) constituem importante fonte de matéria-prima para a indústria cerâmica regional. O objetivo deste trabalho foi estudar a gênese e a evolução dos argilominerais presentes nos litotipos de dois perfis posicionados estratigraficamente na porção basal da Formação Corumbataí. As amostras foram coletadas nas frentes de lavra das minerações Pieroni e Estrela Dalva, localizadas no Distrito de Assistência, município de Rio Claro (SP) e analisadas através de difração de raios X, espectrometria de fluorescência de raios X, microscopia ótica e granulometria por absorção de raios X. A aplicação de técnicas complementares na interpretação dos difratogramas, como decomposição de picos e elaboração de difratogramas calculados, permititu a identificação dos argilominerais individualizados e interestratificados e associá-los aos processos deposicional, diagenético, hidrotermal e intempérico que atuaram ao longo da evolução geológica da Bacia do Paraná. A assembléia dos argilominerais é constituída por illita 2M1...

Estudo de defeitos causados por carbonatos em revestimentos cerâmicos fabricados por via seca no pólo cerâmico de Santa Gertrudes

Coutinho Junior, Tercilio de Almeida
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 141 f. : il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
48.872695%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; Nos últimos anos, a perda de produção promovida por contaminações nas massas na indústria tem sido um dos desafios para a indústria Cerâmica de Revestimentos. Estas perdas influenciam diretamente os custos e consequentemente o desempenho da competitividade das indústrias frente ao mercado. A região de Santa Gertrudes é considerada atualmente, no Brasil, o maior pólo cerâmico na fabricação de pisos e revestimentos cerâmicos e com tendência ao crescimento. O Pólo situa-se sobre a formação geológica do Corumbataí que é fonte rica de matérias-primas para a produção de revestimentos cerâmicos. Este estudo avalia o comportamento das argilas carbonáticas da Formação Corumbataí e também o comportamento de vários carbonatos aditivados em massas cerâmicas utilizadas no processo de fabricação de pisos e revestimentos do Pólo. Comprova-se que as argilas carbonáticas da Formação Corumbataí podem produzir produtos de alta porosidade e que as reações do calcário podem provocar furos, depressões, rompimento tardio da camada do esmalte e elevação na absorção de água nos revestimentos cerâmicos. Os defeitos produzidos por calcários podem ser reduzidos e eliminados através da racionalização do processo de escolha e beneficiamento das matérias-primas que compõe as massas...

Um Modelo de classificação geológico-tecnológica das argilas da formação Corumbataí utilizadas nas indústrias do pólo cerâmico de Santa Gertrudes

Christofoletti, Sérgio Ricardo
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: xiv, 187 f. : il., gráfs. + 1 mapa
POR
Relevância na Pesquisa
68.807207%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Geologia Regional - IGCE; O Pólo Cerâmico da cidade de Santa Gertrudes localizado na faixa de afloramentos da Formação Corumbataí (NeoPermiano da Bacia do Paraná) é considerado atualmente o maior do país no segmento de revestimento cerâmico. Por ocupar posição de destaque no cenário nacional e internacional, o Pólo necessita de trabalhos específicos que direcionem as empresas instaladas na região na busca da matéria-prima adequada ao seu processo cerâmico. Com este intuito a presente tese teve como objetivo principal identificar as principais litofácies da Formação Corumbataí visando sua aplicação cerâmica. As litofácies reconhecidas na área estudada foram classificadas em duas associações: Associação Siltito Argiloso e Associação Siltito Arenoso. A Associação Siltito Argiloso é constituída pelas litofácies Maciça, Laminada e Alterada e a Associação Siltito Arenoso pelas litofácies Intercalada I e Intercalada II. Estas duas associações foram cartografadas na escala 1:50.000. A Análise Estatística Multivariada de Agrupamento e a Análise Estatística Univariada (Análise de Superfície de Tendência) demonstraram ser ferramentas importantíssimas no tratamento de dados de caracterização cerâmica. A aplicação da Análise de Agrupamento permitiu tecer uma relação entre as características cerâmicas com as faciológicas. Os mapas resultantes da aplicação da Análise Estatística Univariada revelaram importantes resultados na distribuição das médias da composição química e cerâmica nas jazidas ao longo da área de estudo.; Santa Gertrudes Ceramic Cluster...

CARACTERÍSTICAS DAS ROCHAS DA FORMAÇÃO CORUMBATAÍ UTILIZADAS NA INDÚSTRIA DE REVESTIMENTO CERÂMICO.

Christofoletti, Sérgio Ricardo; Moreno, Maria Margarita Torres
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
68.720596%
A Formação Corumbataí é atualmente utilizada com sucesso pela indústria de revestimento cerâmico no pólo de cerâmica de Santa Gertrudes. Este engloba os municípios de Santa Gertrudes, Rio Claro, Cordeirópolis, Limeira, Piracicaba e Araras. De acordo com os estudos geológicos realizados, as argilas da Formação Corumbataí foram divididas em cinco litofácies cerâmicas, sendo elas: maciça, laminada, intercalada I, intercalada II e alterada. De acordo com suas características químicas, são consideradas como argilas com teores médios de elementos fundentes, com os valores da soma dos óxidos alcalinos (Na2O + K2O) variando de 2,9% na litofácies alterada até valores de 4,3% na litofácies intercalada I. Os argilominerais predominantes são a illita e a caulinita (presentes em todas as litofácies), além da montmorillonita que ocorre com freqüência nas litofácies intercalada I e II e laminada. Outros minerais importantes são: quartzo, feldspato do tipo albita, hematita e calcita. Os resultados cerâmicos possibilitaram enquadrar as litofácies cerâmicas dentro do Grupo BIIb na Classificação de Revestimentos Cerâmicos (BII – valores de resistência à flexão da ordem de 180-300 Kgf/cm2; b – valores de absorção de água (Abs) de 6 a 10%)...

A formação Corumbataí na porção norte da Bacia do Paraná : litofácies e composição mineral para correlação regional e base para interpretação do contexto deposicional

Santos, Ana Paula Martins Ribeiro
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
49.01907%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, 2011.; A Formação Corumbataí de idade Permiana, no Estado de São Paulo, é descrita como predominantemente síltica, de coloração cinza a avermelhada com fratura conchoidal. A contribuição arenosa aumenta em direção ao topo, contendo localmente fácies carbonáticas representadas por coquinas, calcários oolíticos e micritos; além de níveis esporádicos de tempestitos e arenitos verdes com glauconita. Nos estados de Goiás e Mato Grosso a Formação Corumbataí, pouco conhecida, é constituída por rochas psamo=pelíticas também marcadas pela fratura conchoidal. Este trabalho apresenta as características litofaciológica s e mineralógicas das rochas da Formação Corumbataí nos estados de Goiás e Mato Grosso. Foram descritos seis perfis, dispostos de leste, próximo à localidade de Estância, até o município de Guiratinga a oeste: BR 158, Pedreira Sucal, córregos Jacaré e Cuiabano (GO) e pedreiras Império e Guiracal (MT). Nesses perfis de coloração muito variável, de avermelhado ao cinza, predominam litofácies sílticas e rítmicas compreendendo também litofácies arenosas...

Estudo do comportamento reológico de barbotinas preparadas com argilas da Formação Corumbataí utilizadas no pólo cerâmico de Santa Gertrudes (SP)

Rocha,R. R.; Zanardo,A.; Moreno,M. M. T.
Fonte: Associação Brasileira de Cerâmica Publicador: Associação Brasileira de Cerâmica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
68.34348%
Este estudo surgiu da necessidade das indústrias cerâmicas do pólo de Santa Gertrudes (SP) se adaptarem às mudanças do comportamento do mercado e às exigências dos órgãos ambientais em relação aos riscos causados pela geração de poeira na fase de preparação da massa. Assim, o processo de preparação de massa via úmida pode ser uma alternativa para esta substituição, sendo necessária a obtenção de uma barbotina que apresente um comportamento reológico adequado ao processo e ao consumo de energia. Foram feitas medidas de viscosidade, tensão de cisalhamento e taxa de cisalhamento com viscosímetro rotacional, tendo como parâmetros de controle, o teor de sólidos da barbotina e a granulometria. Desta forma, foram verificadas variações das suspensões, como o comportamento pseudoplástico e a tixotropia. Também foi analisada a dependência do comportamento reológico com a mineralogia das argilas, obtida por difração de raios X. Os resultados das curvas reológicas mostraram-se muito coerentes com a mineralogia determinada, indicando uma piora do comportamento reológico no sentido da base para o topo da Formação Corumbataí, devido à alteração supérgena e presença de esmectitas.

Matéria-prima da formação Corumbataí na região do pólo cerâmico de Santa Gertrudes, SP, com características naturais para fabricação de argila expandida

Moreno,M. M. T.; Zanardo,A.; Rocha,R. R.; Roveri,C. D.
Fonte: Associação Brasileira de Cerâmica Publicador: Associação Brasileira de Cerâmica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
68.423643%
Estudou-se um material da base da Formação Corumbataí, proveniente de uma mineração de argila, que apresenta restrições de uso em cerâmica devido à sua dureza e, principalmente, ao alto conteúdo de matéria orgânica. Verificou-se que o material apresenta características naturais ótimas para a fabricação de argila expandida diretamente a partir de fragmentos de rocha, mostrando comportamento piroplástico com expansão significativa se submetido à queima rápida. A caracterização da matéria-prima e do produto foi realizada mediante análise de carbono orgânico, difração de raios X, microscopia ótica e testes de queima. Foram determinadas as condições de queima para obter argila expandida utilizando forno de queima rápida e forno a rolos, ambos de laboratório, obtendo corpos com densidade variável (que podem chegar a valores menores que 0,5 g.cm-3) até o limite de expansão. Esta densidade é obtida devido à formação de poros fechados e uma película externa vítrea, que proporcionam uma resistência mecânica alta aos fragmentos expandidos.

Propriedades reológicas de matérias-primas do Pólo Cerâmico de Santa Gertrudes provenientes da Formação Corumbataí (região de Rio Claro, SP)

Prado,Ana Candida de Almeida; Del Roveri,Carolina; Rocha,Rogers Raphael; Zanardo,Antenor; Moreno,Maria Margarita Torres; Motta,José Francisco Marciano; Menegazzo,Ana Paula Margarido
Fonte: Escola de Minas Publicador: Escola de Minas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
68.517163%
Siltitos e argilitos da Formação Corumbataí são fontes de matéria-prima para a indústria cerâmica do Pólo de Santa Gertrudes. Litotipos provenientes de três minas (Tute, Granusso e Cruzeiro), localizadas na região de Rio Claro - SP, foram caracterizados quanto à curva de defloculação, conteúdo crítico de sólidos e tempo de envelhecimento (propriedades reológicas). Os litotipos representam desde a base até o topo da coluna estratigráfica dessa formação. Os resultados reológicos foram correlacionados com a composição mineralógica. Os representantes da base estratigráfica apresentaram boa defloculação, quase não necessitando adicionar defloculante, e, de forma geral, continham illita, feldspato, quartzo, hematita, clorita e interestraficados de clorita - argilomineral expansivo ou de illita - argilomineral expansivo. A maioria dos litotipos do topo defloculou, porém a quantidade ideal de defloculante foi superior aos adicionados às amostras da base. Os litotipos do topo continham carbonatos, além dos minerais supracitados. Uma amostra coletada no topo da mina Tute, com sinais evidentes de intemperismo, não defloculou. Os carbonatos presentes nos estratos superiores da formação e a alteração supérgena prejudicaram a defloculação. A quantidade máxima de sólidos na barbotina foi 66% em peso para os litotipos do topo da formação. Os litotipos testados apresentaram o fenômeno de envelhecimento da suspensão...

Bioestratinomia de concentrações fossilíferas da assembléia de pinzonella neotropica (reed), Formação Corumbataí (Permiano), Tambaú, SP; Not available.

Torello, Fernanda de Freitas
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/1999 PT
Relevância na Pesquisa
48.923945%
Quatro novas ocorrências de concentrações fossilíferas de bivalves da formação Corumbataí (Grupo Passa Dois, Neopermiano), na região de Tambaú, NE do Estado de São Paulo, são descritas e interpretadas bioestratinomicamente na presente dissertação. As concentrações (A-D) contém bivalves característicos da assembléia de Pinzonella neotropica, incluindo: Pinzonella neotropica, Cowperesia anceps, Jacquesia brasiliensis, Holdhausiella elongata, Naiadopsis lamellosus e Terraiopsis aequilateralis, correspondente à parte superior da Formação Corumbataí. A localização das concentrações na estratigrafia local envolveu o levantamento de três seções estratigráficas de detalhe (1-3), acompanhado da análise sumária de facies sedimentares. A análise bioestratinômica baseou-se em observações e medidas de campo, no estudo de blocos orientados, coletados no campo e analisados em laboratório, e no exame de coleções adicionais de bivalves e de amostras de concentrações pertencentes a várias institutições brasileiras. Este estudo e o exame da maior parte da bibliografia tafonômica disponível permitiu a elaboração de um banco de dados tafonômicos, de grande valia para a análise realizada. A dissertação inclui ainda revisões críticas da evolução histórica dos estudos tafonômicos e das classificações das associações fossilíferas. As concentrações A e B situam-se na seção 1 e as C e D...

Taxonomia, tafonomia e paleoecologia de ostracodes (Crustacea) da formação Corumbataí, Permiano da bacia do Paraná, Estado de Goiás, Brasil

Tomassi, Henrique Zimmermann
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
68.807207%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, 2009.; Este trabalho apresenta a taxonomia, tafonomia, paleoecologia e bioestratigrafía de ostracodes da Formação Corumbataí, Permiano da porção setentrional da bacia do Paraná. O material de estudo é proveniente de afloramentos no sudoeste do Estado de Goiás, próximo à divisa com o Estado do Mato Grosso. Os afloramentos estudados situam-se a nordeste do Município de Santa Rita do Araguaia. Onze espécies de ostracodes marinhos foram identificadas nas seções estudadas. São elas: Silenites sp. 1, Silenites? sp. 2, Basslerella sp. 1 Basslerella sp. 2, Saumella sp. 1, Bairdiacypris sp. 1, Bairdiacypris sp. 2, Langdaiá? sp. 1, Gen. 1 sp. 1, Gen. 2 sp. 2 e Gen. 3 sp. 3. Nas amostras estudadas, apenas a ocorrência de Bairdiacypris sp. 2, em uma amostra, pode ser considerada autóctone. A assemblagem de ostracodes indica a idade da Formação Corumbataí, na localidade estudada, como Kunguriano (Neocisuraliano). Com base na ocorrência de espécies exclusivamente marinhas, o paleoambiente pode ser interpretado como nerítico, com salinidade normal e substrato terrígeno pelítico a arenoso, provavelmente em paleoclima quente. A baixa diversidade da fauna sugere ambiente deposicional marinho restrito...

Othonella araguaiana Mendes (Bivalvia, Megadesmidae), formação Corumbataí (Permiano Superior) da margem leste da Bacia do Paraná: significado sistemático, evolutivo e bioestratigráfico; Othonella araguaiana (Bivalvia, Megadesmidae) from the Corumbataí Formation (Midlle Permian), Eastern Margin of the Paraná Basin: systematic, evolutionary and biostratigraphic significances

Simões, Marcello Guimarães; Anelli, Luiz Eduardo; David, Juliana Machado
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2010 ENG
Relevância na Pesquisa
69.28445%
Nesse estudo, é reportada, pela primeira vez, a ocorrência de Othonella araguaiana Mendes, no Estado de São Paulo, intervalo da biozona de Pinzonella illusa, Formação Corumbataí, Permiano médio. Trata-se de bivalve de ocorrência rara, originalmente descrito para a Formação Estrada Nova (= Formação Corumbataí), do Alto Araguaia e Alto Garças, Estado do Mato Grosso. Novos espécimes de O. araguaiana foram encontrados em arenito bioclástico (tempestito proximal), na parte média da Formação Corumbataí, em Rio Claro, SP. As conchas silicificadas e os moldes internos estão bem conservados, preservando a impressão da musculatura e de outros caracteres internos (e.g., charneira) nunca antes ilustrados. Em sua descrição original, Mendes (1963) chamou a atenção para a semelhança entre O. araguaiana e Terraia aequilateralis, um Veneroida comum na Formação Corumbataí. Contrariamente, Runnegar e Newell (1971), notaram que O. araguaiana pertence aos Megadesmidae, se tratando provavelmente de um sinônimo-júnior de Plesiocyprinella carinata (o megadesmídeo mais comum do Grupo Passa Dois). Conforme nossos dados mostram, O. araguaiana pode ser atribuída aos Megadesmidae, sendo, porém, distinta de P. carinata. A nova ocorrência de O. araguaiana é importante para esclarecer as relações de parentesco entre os Megadesmidae da Bacia do Paraná e por demonstrar que: a) a distribuição paleobiogeográfica da espécie não está restrita à porção setentrional da Bacia do Paraná...