Página 1 dos resultados de 1902 itens digitais encontrados em 0.066 segundos

Envelhecimento bem-sucedido e vulnerabilidade em saúde: aproximações e perspectivas; Successful aging and health vulnerability: approaches and perspectives; Envejecimiento feliz y vulnerabilidad en salud: aproximaciones y perspectivas

SILVA, Henrique Salmazo da; LIMA, Ângela Maria Machado de; GALHARDONI, Ricardo
Fonte: Revista Interface - Comunicação, Saúde, Educação Publicador: Revista Interface - Comunicação, Saúde, Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
86.12%
Tomando como referência a natureza multidimensional e dinâmica do conceito de vulnerabilidade em saúde, o objetivo deste artigo foi promover uma discussão sobre o que vem a ser envelhecer de forma bem-sucedida mesmo na presença de vulnerabilidades. Foram selecionados estudos que discutiram dimensões da vulnerabilidade no contexto da velhice, problematizando os recursos pessoais, sociais, programáticos e comunitários que poderiam tornar as pessoas idosas menos vulneráveis em face das situações de dependência e capacidade funcional reduzida. Embora pouco aplicada no campo da Gerontologia, a articulação entre o conceito de vulnerabilidade em saúde e o envelhecimento saudável e bem-sucedido parece ser produtiva e precisa ser melhor explorada.; Considering the multidimensional and dynamic nature of the concept of health vulnerability, this article aimed to promote a discussion about the meaning of aging successfully even in the presence of vulnerabilities. We have selected studies which discussed dimensions of vulnerability in the context of old age, exploring personal, social, programmatic and community resources that could make older adults be less vulnerable in situations of dependence and reduced functional capacity. The articulation of the concept of health vulnerability and successful and healthy aging seems to be productive and should be further explored.; Tomando como referencia la naturaleza multi-dimensional y dinámica del concepto de vulnerabilidad en salud...

Expressão da vulnerabilidade das mulheres às DST/AIDS: análise de oficinas de arte/educação em saúde; Expressions of women's vulnerability to STD/Aids: analytical research of Education workshops

Ferraz, Noemi Bileski de Abreu
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
76.17%
Este estudo objetivou analisar os contextos de vulnerabilidade ao HIV/Aids de mulheres cadastradas no Serviço de Assistência Social à Família e Proteção Social Básica no Domicilio (SASF) da Casa de Assistência Filadélfia; descrever a aplicação da Proposta Triangular do Ensino da Arte; e analisar a efetividade de oficinas de Arte/Educação, no sentido de que estas possam problematizar contextos de vulnerabilidade das mulheres ao HIV/Aids. Como metodologia foi utilizada a pesquisa-ação - pesquisa social onde o pesquisador e/ou os participantes estão diretamente envolvidos de forma participativa na situação. Este estudo foi delineado como uma pesquisa analítica, com desenho experimental, pois inclui uma intervenção (oficinas de Arte/Educação). Foram realizadas três oficinas e atendidas 67 mulheres. As duas primeiras oficinas foram realizadas na forma de intervenção educativa em saúde com a utilização da Proposta Triangular do Ensino da Arte de Ana Mae Barbosa e de materiais técnicos. A terceira oficina foi realizada na forma avaliativa e no molde das primeiras, com o objetivo de discutir e avaliar o aprendizado durante as duas primeiras oficinas, com a utilização de questões norteadoras baseadas em aspectos de diminuição de vulnerabilidade. As oficinas mostraram seu potencial na medida em que permitiram analisar os contextos de vulnerabilidade das mulheres e criaram espaços seguros de interação...

A permanência de adolescentes em CAPS AD: um olhar para a vulnerabilidade; The permanence of adolescents at CAPS AD A look at the vulnerability.

Mancilha, Grasiella Bueno
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
76.13%
As investigações sobre a adolescência nas últimas décadas trazem contribuições para além dos recortes da puberdade e desenvolvimento socioafetivo, ampliando a compreensão da adolescência como um fenômeno de construção histórica, social, cultural e relacional na contemporaneidade. A adesão ao tratamento por adolescentes usuários de álcool e outras drogas é apresentada pela literatura como um desafio. Entendemos que a permanência do adolescente no tratamento está relacionada ao entendimento deste enquanto sujeito que pode exercer sua autonomia no contexto individual, social e político e onde os profissionais são corresponsáveis pelo processo terapêutico. Consideramos o conceito de vulnerabilidade e de redução de danos como importantes na compreensão deste tema. Objetivo: Traçar o perfil sociodemográfico em relação com o uso de drogas dos adolescentes em atendimento no CAPS AD e analisar suas percepções sobre o tratamento recebido, identificando quais fatores eles apontam como os que facilitam a sua permanência nesse serviço. Método: Pesquisa descritiva exploratória. Foram realizadas entrevistas individuais com 12 adolescentes que frequentaram, no período da coleta de dados, o grupo de adolescentes do serviço especializado. Os dados foram analisados utilizando a técnica de análise de conteúdo segundo Bardin e categorizados de acordo com os componentes da vulnerabilidade preconizados por Ayres. A análise foi realizada mediante o diálogo com o referencial teórico da vulnerabilidade em saúde...

Vulnerabilidade em saúde no contexto de mudanças ambientais : o caso das doenças de transmissão hídrica em Caraguatatuba, Litoral Norte - SP; Health vulnerability in the context of environmental changes : the case of waterborne diseases in Caraguatatuba, North Coast - SP

Gabriela Farias Asmus
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/10/2014 PT
Relevância na Pesquisa
76.14%
Na modernidade tardia, a sociedade enfrenta as consequências de profundas mudanças socioambientais que se evidenciaram a partir da segunda metade do século XX: urbanização acelerada, degradação e poluição dos recursos naturais, depleção da biodiversidade e aquecimento global. Ao mesmo tempo, fortes desigualdades sociais caracterizam este ambiente, onde grupos populacionais são excluídos de bens e serviços essenciais à saúde e bem estar humano como acesso à infraestrutura urbana, à informação, à moradia, aos serviços de saúde, dentre muitos outros capitais. O aquecimento global e as mudanças nos padrões de pluviosidade preconizados para as próximas décadas são as mudanças ambientais mais discutidas da atualidade. Elas representam novos riscos e incertezas para o futuro de questões de saúde já preexistentes na sociedade, especialmente àqueles associados às doenças de transmissão hídrica (DTH). Este trabalho buscou identificar a vulnerabilidade em saúde associada às mudanças ambientais no litoral norte do estado de São Paulo, utilizando as doenças de transmissão hídrica como objeto de análise ¿ em especial, as diarreias agudas - e o município de Caraguatatuba como local de estudo. O saneamento ambiental...

Transição e vulnerabilidade em saúde: a supervisão clinica como fator facilitador/dificultador da saúde e bem-estar do estudante de enfermagem,

Calado, Maria Gabriela
Fonte: Universidade do Minho, Escola Superior de Enfermagem, Centro de investigação em Educação Publicador: Universidade do Minho, Escola Superior de Enfermagem, Centro de investigação em Educação
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
86.07%
Este estudo descritivo e de abordagem qualitativa, foi realizado através de entrevistas semiestruturadas a doze estudantes de Enfermagem do curso de Licenciatura, e centra-se no pressuposto de que a entrada no Ensino Superior e a frequência de um curso com as características da Licenciatura de Enfermagem, são eventos transitivos geradores de vulnerabilidade em saúde. Constatamos que durante a transição educativa (situacional) do estudante, os ensinos clínicos se constituem como situações que lhe podem provocar receio e ansiedade, tornando mais vulnerável a sua condição de saúde e bem-estar. Definimos como objetivos do estudo: identificar no processo de Supervisão Clínica elementos facilitadores/dificultadores que interferem na condição de saúde e bem-estar do estudante e compreender o significado por eles atribuído ao processo de Supervisão e de como este se transversaliza com a sua condição de saúde e bem-estar. Os resultados obtidos do discurso dos estudantes, revelam a Supervisão Clínica como sendo um elemento fundamental à sua aprendizagem em contexto de prática, referindo a figura/perfil do supervisor como fator facilitador ou dificultador do seu desenvolvimento profissional e pessoal, e reportam-no como elemento corresponsável à sua condição de saúde e bem-estar.

Mulheres negras e não-negras e vulnerabilidade ao HIV/Aids no estado de São Paulo, Brasil

Lopes,Fernanda; Buchalla,Cassia Maria; Ayres,José Ricardo de Carvalho Mesquita
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
76.08%
OBJETIVO: Analisar características relacionadas à vulnerabilidade individual de mulheres com sorologia positiva para o HIV segundo cor da pele. MÉTODOS: Pesquisa multicêntrica realizada em 1999-2000, em serviços de saúde especializados em DST/Aids no Estado de São Paulo, envolvendo 1.068 mulheres maiores de 18 anos, vivendo com HIV. Informações sociodemográficas e características relacionadas à infecção e aos cuidados em saúde foram obtidas em entrevistas individuais com questionário padronizado. A variável raça/cor foi auto-referida, tendo sido agrupadas como negras as mulheres pretas e pardas. A descrição das variáveis segundo raça/cor foi feita por medidas de tendência central e proporções, e o estudo de associação pelo teste chi2 Pearson. RESULTADOS: As diferenças entre negras e não-negras foram estatisticamente significantivas em relação a: escolaridade; renda mensal, individual e familiar per capita; número de dependentes diretos; oportunidades de ser atendida por nutricionista, ginecologista ou outro profissional médico; de compreender o que o infectologista diz; de falar com o infectologista ou com o ginecologista sobre sua vida sexual; de ter conhecimento correto sobre os exames de CD4 e carga viral; a via sexual de exposição. CONCLUSÕES: O uso de raça/cor como categoria analítica indica caminhos para melhor compreender como as interações sociais...

Diferenciais intra-urbanos de vulnerabilidade da população idosa

Braga,Luciana de Souza; Macinko,James; Proietti,Fernando Augusto; César,Cibele Comini; Lima-Costa,Maria Fernanda
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.12%
Foi examinada a adequação de um Índice de Vulnerabilidade à Saúde (IVS) para identificar diferenciais intra-urbanos de vulnerabilidade da população idosa. Os participantes do estudo (n = 1.055) foram selecionados por meio de amostra probabilística de residentes no Município de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, com mais de 60 anos de idade (média = 70,1 anos). O IVS é composto por medidas das condições socioeconômicas e por indicadores da mortalidade precoce do setor censitário. Com base no escore do IVS, o local de residência dos participantes foi classificado em estrato de riscos baixo, médio e alto. Os resultados da regressão logística ordinal multivariada mostraram associações graduadas e estatisticamente significantes entre o estrato de risco da área de residência e o ambiente físico e social, condições de saúde, comportamentos em saúde e necessidades de serviços de saúde (razões de prevalência variando entre 1,17; IC95%: 1,02-1,34 e 1,65; IC95%: 1,45-1,88). O IVS parece ser um instrumento útil para a identificação de áreas com maior necessidade de serviços sociais e de saúde entre os idosos.

Processo de viver humano e a enfermagem sob a perspectiva da vulnerabilidade

Barra,Daniela Couto Carvalho; Lanzoni,Gabriela Marcellino de Melo; Maliska,Isabel Cristina Alves; Sebold,Luciara Fabiane; Meirelles,Betina Hörner Schlindwein
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.16%
OBJETIVO: Trata-se de um estudo de revisão integrativa objetivando analisar os artigos que abordam o tema vulnerabilidade em saúde e enfermagem, divulgados em periódicos nacionais e internacionais. MÉTODOS: A pesquisa foi realizada nas bases de dados MEDLINE, CINAHL e SciELO, abrangendo o período de 2004 a 2008, utilizando os descritores Vulnerabilidade, Vulnerabilidade em saúde, Populações vulneráveis associados ao descritor Enfermagem, sendo selecionados 24 artigos para análise. RESULTADOS: A caracterização dos estudos permitiu descrever um breve histórico do conceito de vulnerabilidade e extrair suas contribuições para a prática de enfermagem. CONCLUSÃO: A partir das diversas abordagens e perspectivas do conceito de vulnerabilidade, considera-se importante que a enfermagem aproprie-se desse conceito para contribuir com a renovação das práticas de cuidado, podendo conferir maior integralidade e equidade às ações de saúde.

Vulnerabilidade e problemas de saúde em viagem: a visão do turista na cidade do Rio de Janeiro

Matos,Vanina; Barcellos,Christovam; Camargo,Luiz Octávio de Lima
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
76.18%
Este artigo analisa como um grupo de turistas compreende a questão da saúde em viagem segundo aspectos de segurança, prevenção e busca de atendimento de saúde. Foram entrevistados turistas brasileiros visitando a cidade do Rio de Janeiro e cariocas saindo de viagem. Os depoimentos foram analisados segundo as dimensões de vulnerabilidade; informação; prevenção e assistência em saúde, das quais a vulnerabilidade emergiu como categoria de análise. O relato das trajetórias dos turistas permitiu identificar nós e percursos que poderiam ser utilizados pelo setor saúde para ações de prevenção e promoção. O meio de transporte condiciona o trajeto dos turistas e suas alternativas de atenção. A viagem em grupo e para locais conhecidos foram destacadas como fatores de proteção, o que reforça o papel da informação e de redes de apoio social como recursos utilizados pelos turistas na ausência de políticas específicas voltadas para estes grupos populacionais de grande mobilidade e vulnerabilidade.

Vulnerabilidade na saúde do adolescente: questões contemporâneas

Silva,Marta Angélica Iossi; Mello,Flávia Carvalho Malta de; Mello,Débora Falleiros de; Ferriani,Maria das Graças Carvalho; Sampaio,Julliane Messias Cordeiro; Oliveira,Wanderlei Abadio de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
86.12%
Este estudo exploratório de natureza qualitativa objetivou analisar como adolescentes percebem a realidade em termos da vulnerabilidade na saúde. Foram realizadas 17 entrevistas semiestruturadas com adolescentes de duas escolas de educação fundamental de um município do interior do estado de São Paulo. A interpretação dos dados, orientada pela análise de conteúdo, fez emergir três núcleos temáticos. Os resultados indicaram que os adolescentes compreendem a complexa interação entre a predisposição individual à vulnerabilidade para a saúde, bem como as questões relacionadas à estrutura social, o que contribui para o fortalecendo da concepção de vulnerabilidade a partir das lógicas individual, social e programática. Identificou-se que as políticas públicas, a prevenção e a assistência na adolescência não devem ser orientadas por um único referencial, mas sim pelo reconhecimento da pluralidade do ser adolescente quanto à vulnerabilidade em suas dimensões, rompendo, dessa forma, com a ideia de universalidade do processo de adolescer.

Envelhecimento bem-sucedido e vulnerabilidade em saúde: aproximações e perspectivas

Silva,Henrique Salmazo da; Lima,Ângela Maria Machado de; Galhardoni,Ricardo
Fonte: UNESP Publicador: UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.11%
Tomando como referência a natureza multidimensional e dinâmica do conceito de vulnerabilidade em saúde, o objetivo deste artigo foi promover uma discussão sobre o que vem a ser envelhecer de forma bem-sucedida mesmo na presença de vulnerabilidades. Foram selecionados estudos que discutiram dimensões da vulnerabilidade no contexto da velhice, problematizando os recursos pessoais, sociais, programáticos e comunitários que poderiam tornar as pessoas idosas menos vulneráveis em face das situações de dependência e capacidade funcional reduzida. Embora pouco aplicada no campo da Gerontologia, a articulação entre o conceito de vulnerabilidade em saúde e o envelhecimento saudável e bem-sucedido parece ser produtiva e precisa ser melhor explorada.

Instrumentos para avaliação de risco e vulnerabilidade em saúde da mulher

dos Santos, Evanguelia Kotzias Atherino; Zampieri, Maria de Fátima Mota; de Oliveira, Maria Conceição; Carcereri, Daniela Lemos; Correa, Ana Patrícia; Tognoli, Heitor
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.02%
Este objeto inicia explicando a importância de instrumentos para o planejamento do trabalho da equipe, dentre os quais o genograma, que através de coleta e registro de dados que integram a história biomédica e psicossocial do usuário e sua família, por meio de um gráfico facilita a visualização rápida do contexto familiar, sendo importante sua utilização pelas equipes da ESF. Mostra que o profissional necessita ter acesso a informações em tempo real, o que poderá ser obtido nos endereços eletrônicos que contêm dados sobre a Saúde da Mulher. Lembra que através dos Cadernos de Informação de Saúde é possível acompanhar uma planilha com indicadores de diversas bases de dados do Ministério da Saúde, atualizados periodicamente. Finaliza convocando para fazer uma análise na prática, consultando as informações coletadas no município e identificando os principais problemas relacionados à Saúde da Mulher, propondo questionamentos sobre o tema. Unidade 2 do módulo 6 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

Vulnerabilidade ao papiloma vírus humano em universitários de Bogotá – Colômbia

Sepulveda-Carrillo, Gloria Judith
Fonte: Pontifícia Universidade Javeriana Publicador: Pontifícia Universidade Javeriana
Formato: PDF
Relevância na Pesquisa
76.14%
Introdução: O Papiloma Vírus Humano (HPV), seja pela magnitude da sua extensão, seja pelas implicações no desencadeamento de várias formas de câncer, dentre elas o câncer de colo de útero, constitui um serio problema de saúde pública. Objetivo: Identificar conhecimentos e práticas preventivas relativas à infecção pelo HPV, na perspectiva da vulnerabilidade entre universitários de Bogotá - Colômbia. Método: O trabalho comportou três movimentos encadeados entre si. No primeiro foi realizada uma revisão sistemática de literatura sobre o tema de investigação, tendo em vista subsidiar a elaboração de um questionário a ser aplicado numa amostra de universitários. No segundo movimento procedeu-se à construção e validação do questionário. Finalmente, o terceiro movimento envolveu a aplicação do questionário entre universitários da cidade de Bogotá– Colômbia em 2012. Resultados: A revisão da literatura acentuou a questão das limitações de conhecimento por parte da população de adultos jovens e para a urgência da realização de diagnósticos capazes de subsidiar a adoção de medidas específicas de enfrentamento do HPV. No segundo movimento foi validado o “questionário de vulnerabilidade ao Papillomavirus Humano”...

Literacia em saúde: um desafio na e para a terceira idade - Manual de Boas Práticas

Serrão, Carla; Veiga, Sofia; Vieira, Isabel; Almeida, Vera; Marques, António
Fonte: Projeto Literacia em Saúde - FCG Publicador: Projeto Literacia em Saúde - FCG
Tipo: Livro
Publicado em 28/01/2015 POR
Relevância na Pesquisa
85.9%
Este Manual inclui um primeiro capítulo, onde é explorado e aprofundado o conceito de literacia em saúde e onde se espelham os benefícios e prejuízos associados à (in)adequada literacia em saúde. Há, como seria de esperar, uma atenção centrada na velhice, fase do ciclo de vida que tanta atenção exige, dadas as múltiplas situações de vulnerabilidade que necessitam de ser cuidadosamente suportadas e sistematicamente analisadas, atendendo à sua elevada complexidade. O segundo capítulo apresenta os estudos desenvolvidos: um relativo a uma amostra de 433 pessoas idosas, onde fica patente o preocupante nível de literacia em saúde deste grupo específico, e outro relativo às representações e práticas de profissionais no âmbito da literacia em saúde. Neste último estudo, são levantadas recomendações e inventariadas boas práticas, que permitiram consolidar orientações que se pretende que sejam inspiradoras para quem cuida de pessoas idosas. No último capítulo, e à luz da literatura e dos resultados obtidos nos estudos levados a cabo, são apresentados três eixos prioritários, tendo como plataforma o modelo deliberativo de intervenção.

Instrumentos para avaliação de risco e vulnerabilidade em saúde da mulher

dos Santos, Evanguelia Kotzias Atherino; Zampieri, Maria de Fátima Mota; de Oliveira, Maria Conceição; Carcereri, Daniela Lemos; Correa, Ana Patrícia; Tognoli, Heitor
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Unidade 2 do módulo 6 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo página html com recursos de texto, imagens e animações em flash.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.03%
Este objeto inicia explicando a importância de instrumentos para o planejamento do trabalho da equipe, dentre os quais o genograma, que através de coleta e registro de dados que integram a história biomédica e psicossocial do usuário e sua família, por meio de um gráfico facilita a visualização rápida do contexto familiar, sendo importante sua utilização pelas equipes da ESF. Mostra que o profissional necessita ter acesso a informações em tempo real, o que poderá ser obtido nos endereços eletrônicos que contêm dados sobre a Saúde da Mulher. Lembra que através dos Cadernos de Informação de Saúde é possível acompanhar uma planilha com indicadores de diversas bases de dados do Ministério da Saúde, atualizados periodicamente. Finaliza convocando para fazer uma análise na prática, consultando as informações coletadas no município e identificando os principais problemas relacionados à Saúde da Mulher, propondo questionamentos sobre o tema. Unidade 2 do módulo 6 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.; 1.0; Ministério da Saúdes/OPAS/OMS

Vulnerabilidade ao HIV em mulheres em risco social; Vulnerabilidad al VIH en mujeres en riesgo social; HIV vulnerability in women at social risk

Urzúa Morales, Alfonso; Barreda, Patricia Zúñiga
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2008 SPA
Relevância na Pesquisa
76.19%
OBJETIVO: Avaliar a vulnerabilidade por fatores de risco ao HIV/Aids em mulheres em risco social. MÉTODOS: Estudo realizado com 178 mulheres donas de casa (n=101) e trabalhadoras do setor de saúde (n=77) de Antofagasta, no Chile, em 2006-2007. As donas de casa foram consideradas em risco social. A vulnerabilidade ao HIV foi calculada por meio de uma escala que reuniu 21 itens em três dimensões: papéis de gênero, comunicação com o parceiro e atitude frente ao preservativo. Para determinar o peso relativo de cada uma das dimensões na vulnerabilidade total realizou-se análise de regressão múltipla, utilizando a pontuação total da escala como variável dependente e cada uma das três dimensões como variável independente. RESULTADOS: Em geral, a dimensão com maior peso relativo foi a dimensão atitude frente ao uso de preservativo (0,542), seguida da relação com o parceiro (0,453) e papéis de gênero (0,379). Para mulheres donas de casa, observou-se uma variação: relação com o parceiro (0,597), atitude frente ao uso do preservativo (0,508) e papéis de gênero (0,403). Para as trabalhadoras em saúde o peso das dimensões foi: atitude frente ao uso de preservativo (0,638), relação com o parceiro (0,397), e papéis de gênero (0...

Vulnerabilidade na saude do adolescente: questoes contemporaneas

Silva,Marta Angelica Iossi; Mello,Flavia Carvalho Malta de; Mello,Debora Falleiros de; Ferriani,Maria das Gracas Carvalho; Sampaio,Julliane Messias Cordeiro; Oliveira,Wanderlei Abadio de
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
86.12%
Este estudo exploratório de natureza qualitativa objetivou analisar como adolescentes percebem a realidade em termos da vulnerabilidade na saúde. Foram realizadas 17 entrevistas semiestruturadas com adolescentes de duas escolas de educação fundamental de um município do interior do estado de São Paulo. A interpretação dos dados, orientada pela análise de conteúdo, fez emergir três núcleos temáticos. Os resultados indicaram que os adolescentes compreendem a complexa interação entre a predisposição individual à vulnerabilidade para a saúde, bem como as questões relacionadas à estrutura social, o que contribui para o fortalecendo da concepção de vulnerabilidade a partir das lógicas individual, social e programática. Identificou-se que as políticas públicas, a prevenção e a assistência na adolescência não devem ser orientadas por um único referencial, mas sim pelo reconhecimento da pluralidade do ser adolescente quanto à vulnerabilidade em suas dimensões, rompendo, dessa forma, com a ideia de universalidade do processo de adolescer.

Vulnerabilidade e problemas de saúde em viagem: a visão do turista na cidade do Rio de Janeiro

Matos,Vanina; Barcellos,Christovam; Camargo,Luiz Octávio de Lima
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
76.18%
Este artigo analisa como um grupo de turistas compreende a questão da saúde em viagem segundo aspectos de segurança, prevenção e busca de atendimento de saúde. Foram entrevistados turistas brasileiros visitando a cidade do Rio de Janeiro e cariocas saindo de viagem. Os depoimentos foram analisados segundo as dimensões de vulnerabilidade; informação; prevenção e assistência em saúde, das quais a vulnerabilidade emergiu como categoria de análise. O relato das trajetórias dos turistas permitiu identificar nós e percursos que poderiam ser utilizados pelo setor saúde para ações de prevenção e promoção. O meio de transporte condiciona o trajeto dos turistas e suas alternativas de atenção. A viagem em grupo e para locais conhecidos foram destacadas como fatores de proteção, o que reforça o papel da informação e de redes de apoio social como recursos utilizados pelos turistas na ausência de políticas específicas voltadas para estes grupos populacionais de grande mobilidade e vulnerabilidade.

Diferenciais intra-urbanos de vulnerabilidade da população idosa

Braga,Luciana de Souza; Macinko,James; Proietti,Fernando Augusto; César,Cibele Comini; Lima-Costa,Maria Fernanda
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.12%
Foi examinada a adequação de um Índice de Vulnerabilidade à Saúde (IVS) para identificar diferenciais intra-urbanos de vulnerabilidade da população idosa. Os participantes do estudo (n = 1.055) foram selecionados por meio de amostra probabilística de residentes no Município de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, com mais de 60 anos de idade (média = 70,1 anos). O IVS é composto por medidas das condições socioeconômicas e por indicadores da mortalidade precoce do setor censitário. Com base no escore do IVS, o local de residência dos participantes foi classificado em estrato de riscos baixo, médio e alto. Os resultados da regressão logística ordinal multivariada mostraram associações graduadas e estatisticamente significantes entre o estrato de risco da área de residência e o ambiente físico e social, condições de saúde, comportamentos em saúde e necessidades de serviços de saúde (razões de prevalência variando entre 1,17; IC95%: 1,02-1,34 e 1,65; IC95%: 1,45-1,88). O IVS parece ser um instrumento útil para a identificação de áreas com maior necessidade de serviços sociais e de saúde entre os idosos.

Envelhecimento bem-sucedido e vulnerabilidade em saúde: aproximações e perspectivas

Silva,Henrique Salmazo da; Lima,Ângela Maria Machado de; Galhardoni,Ricardo
Fonte: UNESP Publicador: UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.11%
Tomando como referência a natureza multidimensional e dinâmica do conceito de vulnerabilidade em saúde, o objetivo deste artigo foi promover uma discussão sobre o que vem a ser envelhecer de forma bem-sucedida mesmo na presença de vulnerabilidades. Foram selecionados estudos que discutiram dimensões da vulnerabilidade no contexto da velhice, problematizando os recursos pessoais, sociais, programáticos e comunitários que poderiam tornar as pessoas idosas menos vulneráveis em face das situações de dependência e capacidade funcional reduzida. Embora pouco aplicada no campo da Gerontologia, a articulação entre o conceito de vulnerabilidade em saúde e o envelhecimento saudável e bem-sucedido parece ser produtiva e precisa ser melhor explorada.