Página 1 dos resultados de 93 itens digitais encontrados em 0.022 segundos

Relação da pressão intra-ocular e paquimetria corneal com os diferentes estágios de desenvolvimento das cataratas diabéticas e não diabéticas em cães da raça Poodle; Relationship of intraocular pressure and corneal thickness to diabetic and nondiabetic cataracts in Poodles

Helzel, Milena Sefrin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
38.224253%
A diabetes mellitus (DM) causa alterações em todas as camadas da córnea. Córneas de pacientes diabéticos têm controle de sua hidratação prejudicado e são mais propensas à descompensação após injúria. A uveíte faco-induzida (UFI) ocorre em grandes proporções associada à catarata hipermatura em cães. A UFI também acarreta danos ao endotélio da córnea e pode levar ao edema estromal, usualmente transitório. Cães diabéticos são particularmente predispostos ao desenvolvimento de catarata e UFI associada. Os efeitos da DM e UFI podem potencialmente vir a se somar em córneas de cães com catarata diabética. A pressão intra-ocular (PIO) e paquimetria podem ser ferramentas úteis na determinação dessas alterações. O objetivo deste estudo foi determinar a relação entre pressão intra-ocular e paquimetria nos diferentes estágios de desenvolvimento das cataratas diabéticas e não diabéticas em cães da raça Poodle. Cento e vinte e dois cães adultos da raça Poodle, 134 fêmeas e 99 machos, com idades de 2 a 16 anos, foram admitidos no Serviço de Oftalmologia do Hospital Veterinário da Universidade de São Paulo e incluídos no trabalho. Afecções oculares concomitantes, ou doenças sistêmicas com manifestação ocular...

Avaliação biomecânica de córneas de suínos por meio da microscopia de força atômica; Biomechanical analysis of porcine corneas using atomic force microscopy

Leandro, Daniela de Castro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
27.750762%
Atualmente, a avaliação das propriedades biomecânicas da córnea vem sendo considerada um parâmetro importante a ser determinado, uma vez que está relacionado a diversos procedimentos (diagnósticos e cirúrgicos) e oftalmopatias. Devido à complexa disposição de suas lamelas, o estroma corneal é considerado a camada que exerce maior influência sobre as propriedades elásticas da córnea. A busca por modelos experimentais no estudo das propriedades biomecânicas da córnea têm aumentado ultimamente, devido à dificuldade em se obter amostras de córnea humana para fins científicos. Logo, estudos comparativos entre a córnea humana e a suína vêm sendo desenvolvidos, e algumas similaridades foram identificadas entre estas duas espécies. O presente estudo tem como objetivo avaliar as propriedades biomecânicas de diferentes regiões da córnea suína por meio da microscopia da força atômica. Dezesseis bulbos oculares não escaldados, de oito animais da espécie suína, foram adquiridos em frigorífico local. Animais de diferentes raças, faixas de peso e idade foram utilizados neste estudo. Bulbos oculares frescos foram submetidos ao debridamento da camada epitelial da córnea, sendo posteriormente imersos em solução de dextran a 25%. Mensurações da paquimetria corneal em regiões central...

Comparação dos valores da pressão intraocular obtidos com diferentes tonômetros e suas correlações com dados biométricos oculares no glaucoma congênito; Comparison between intraocular pressure obtained with different tonometers and their correlations with biometric parameters in congenital glaucoma

Mendes, Marcio Henrique
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/11/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.750762%
OBJETIVOS: Comparar os valores da pressão intraocular (PIO), obtidos por intermédio do tonômetro de Perkins (TPK), tonômetro de contorno dinâmico Pascal (TCD) e Tono-Pen (TNP), confrontando-os com o tonômetro de aplanação de Goldmann (TAG), e correlacionar seus valores tonométricos com parâmetros biométricos oculares em pacientes portadores de glaucoma congênito primário. MÉTODOS: Estudo prospectivo, transversal, com inclusão de 46 pacientes (46 olhos) com diagnóstico de glaucoma congênito primário, com idades entre 12 e 40 anos, após obtenção do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Todos os olhos estudados foram submetidos à tonometria ocular usando os tonômetros de Goldmann, de Perkins, o Tono-Pen e o tonômetro de contorno dinâmico Pascal. A ordem das tonometrias foi aleatória e o tonômetro de Goldmann foi adotado como padrão ouro. Os parâmetros biométricos estudados foram a curvatura (medida pela ceratometria), a espessura central da córnea (paquimetria), o diâmetro corneal (medido por meio de compasso cirúrgico) e o comprimento axial do olho foi obtido pela biometria ultrassônica. As distribuições dos parâmetros biométricos, assim como das tonometrias foram plotadas e analisadas conforme teste de Kolmogorov-Smirnov para aceitação de normalidade. O teste t de Student pareado para amostras independentes foi empregado para comparar as médias tonométricas de cada tonômetro com o padrão ouro. As correlações entre os parâmetros biométricos e as tonometrias foram realizadas através do coeficiente de correlação de Pearson e gráficos de regressão linear. O mesmo procedimento foi feito entre os parâmetros biométricos e as diferenças entre as três distintas tonometrias e a TAG. A concordância entre os tonômetros Perkins...

Tonometria, paquimetria e comprimento axial ocular em cães glaucomatosos submetidos à ablação uveal intravítrea

Brandão, C.V.S.; Chiurciu, J.L.V.; Ranzani, J.J.T.; Mamprim, M.J.; Zanini, M.; Crocci, J.A.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 914-919
POR
Relevância na Pesquisa
27.234993%
Estudaram-se as alterações tonométricas, paquimétricas e de comprimento axial em cães com glaucoma submetidos à ablação uveal intravítrea. Foram avaliados 13 olhos irreversivelmente cegos de cães que apresentavam glaucoma crônico unilateral, nos quais realizou-se a ablação uveal intra-vítrea, por meio de injeção na câmara vítrea de 0,5ml de sulfato de gentamicina (40mg/ml) associado a 0,3ml de fosfato de dexametasona (4mg/ml). As mensurações da pressão intra-ocular (Po), espessura corneana e eixo axial com tonometria de aplanação, paquimetria ultra-sônica e ultra-sonografias modos A e B foram realizadas no dia da ablação (M0) e após uma (M1), quatro (M4), oito (M8), 12 (M12), 24 (M24) e 48 semanas (M48). A Po diminuiu significativamente em todos os momentos em relação ao M0, com aumento da espessura corneana ao longo do experimento. Nas avaliações ultra-sonográficas notou-se diminuição significativa do bulbo ocular a partir de M4, com medidas ultra-sonográficas modo A significativamente maiores que as do modo B. O procedimento foi efetivo na redução da Po e na diminuição do eixo axial, demonstrando ser viável no controle do glaucoma crônico em olhos irreversivelmente cegos, e ser uma alternativa à enucleação e inserção de prótese ocular.; Changes in tonometry...

Uso da pesagem e da paquimetria na monitoração da ileíte suína em abatedouros

Ibrahim, Ibrahim Nabil Abdel Fattah
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: xi, 51 f. : il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
27.234993%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Medicina Veterinária - FCAV; O complexo enteropatia proliferativa dos suínos (EPS), causado pela bactéria Lawsonia intracellularis, é doença infecciosa de grande importância para suínos nas fases de crescimento e terminação e para adultos jovens. Caracteriza-se por determinar alterações proliferativas, hemorrágicas e necróticas da porção final do intestino delgado (íleo). É doença de ocorrência mundial e afeta especialmente animais de alto valor genético, oriundos de programas sanitários tipo SPF (Specific Pathogen Free), sendo responsabilizada por importantes perdas econômicas, seja devido à morte ou queda no desempenho produtivo dos animais. Com o objetivo de desenvolver metodologia rápida e barata para monitoramento padronizado das lesões na linha de abate foi realizado este estudo. Durante o processo de abate, em frigoríficos localizados em Ipuã-SP e Tupã-SP, foram colhidas ao acaso, amostras da porção final do íleo de 156 suínos, todos castrados, de linhagens comerciais, aproximadamente com 150 dias de idade e peso médio de 110 kg. Após padronizadas no comprimento, para exatos 10 centímetros, as amostras foram submetidas à paquimetria...

Estudo caso-controle de paquimetria corneana central em indivíduos com catarata congênita e afacia pós-cirúrgica; Central corneal thickness in individuals with congenital cataract and surgical aphakia : a case-control study

Alvaro Pedroso de Carvalho Lupinacci
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.234993%
O presente estudo teve como objetivo medir a espessura corneana central (ECC) de indivíduos com catarata congênita e afacia cirúrgica após extração de catarata congênita. Indivíduos com catarata congênita ou afacia cirúrgica após cirurgia de catarata congênita foram recrutados prospectivamente e divididos em quatro grupos: catarata unilateral (n=14), catarata bilateral (n=18), afacia unilateral (n=32) e afacia bilateral (n=44). Um grupo controle foi selecionado a partir de indivíduos normais pareados por idade, gênero e etnia. Paquimetria ultrassônica foi realizada pelo mesmo observador com o aparelho Micropach 200P+ (Sonomed, Lake Success, Nova Iorque, EUA), após anestesia tópica com uma gota de oxibuprocaína 0,4%. Registrou-se a média de cinco medidas para cada olho. A ECC média do grupo controle (513,57±23,32µm) não foi significativamente diferente da média dos olhos contralaterais normais (526,36±38,52µm) (p=0,747) e dos olhos com catarata (527,00±36,03µm) (p=0,252) do grupo catarata unilateral. A ECC média de ambos os olhos do grupo catarata bilateral (olho direito: 547,69±34,17µm; olho esquerdo: 545,88±36,69µm) foi maior que a observada no grupo controle (olho direito: 516,06±18,66µm; olho esquerdo: 515...

Central corneal thickness and intraocular pressure in children undergoing congenital cataract surgery : a prospective, longitudinal study = Estudo longitudinal da paquimetria corneana central e da pressão intraocular de crianças submetidas à extração de catarata congênita; Estudo longitudinal da paquimetria corneana central e da pressão intraocular de crianças submetidas à extração de catarata congênita

Graziela Massa Resende
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.554277%
O presente estudo tem como objetivos investigar a variação da espessura corneana central (ECC) e da pressão intraocular (PIO) em crianças após cirurgia de catarata congênita, bem como fatores de risco associados com essas mudanças. Vinte e seis crianças com catarata congênita foram recrutadas prospectivamente antes da cirurgia para remoção da mesma. Trinta e sete olhos foram analisados. Todos pacientes foram submetidos a exame oftalmológico completo com avaliação da PIO e da ECC antes da cirurgia e 6, 12, 18, 24 e 36 meses após o procedimento cirúrgico, pelo mesmo observador. A paquimetria ultrassônica foi realizada com o aparelho Ocuscan RXP (Alcon Laboratories Inc, USA), e a tonometria foi realizada com o tonômetro de aplanação de Goldmann modelo R900 (Haag-Streit, Koeniz, Suíça) ou tonômetro de aplanação de Perkins (Clement Clark International ltd, Londres, Inglaterra). Dos 37 olhos, 15 tornaram-se afácicos e 22, pseudofácicos. A ECC média aumentou significativamente de 556,24 ± 44,19 μm para 585,07 ± 56,45 μm (p = 0,025) ao final de três anos, enquanto a PIO média aumentou significativamente de 12,05 ± 2,3 mmHg para 13,96 ± 2,99 mmHg (p = 0,005). Olhos afácicos foram submetidos à cirurgia em uma idade mais precoce (15...

Estudo comparativo entre o tonómetro de aplanação de Goldmann e o tonómetro de não contacto em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto

Estrada, Inês Isabel Esteves
Fonte: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Publicador: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
27.234993%
Mestrado em Gestão e Avaliação de Tecnologias em Saúde; Objetivo: Avaliar se o Tonómetro de Não Contacto (TNC) é uma alternativa apropriada ao Tonómetro de Aplanação de Goldmann (TAG) para medir a Pressão Intraocular (PIO). Métodos: A Pressão intraocular (PIO) foi medida através do TNC Topcon CT-80A e pelo TAG AT 900 Haag-Streit, em 106 olhos de 53 pacientes normotensionais e em 82 olhos de 41 pacientes com Glaucoma Primário de Ângulo Aberto (GPAA). Resultados: Os grupos são homogéneos relativamente à idade, ao género, à paquimetria, à queratometria. O TNC dá valores médios superiores aos do TAG, em ambos os olhos e em ambos os grupos. No grupo controlo para ambos os olhos e no grupo em estudo no OE existem diferenças significativas entre a medida dos dois tonómetros (p<0.005). Através da análise de Bland e Altman verificou-se que no grupo controlo no OD, 81.145% da diferença das medidas entre ambos os tonómetros estavam entre ± 3mmHg, no OE 86.792% estavam entre ± 3mmHg. No grupo em estudo no OD, 80.487% das diferenças das medidas medições estiveram entre os ± 3mmHg e no OE 75.609% estavam entre ± 3mmHg. Observou-se uma correlação linear fraca positiva não significativa entre a PIO e a ECC e uma correlação fraca negativa não significativa entre a curvatura da córnea e a PIO. Conclusões: Em indivíduos normotensionais é recomendável a comprovação através do TAG em valores elevados de ECC (ECC>580 μm). Em doentes com diagnóstico de GPAA...

Espessura central da córnea: estudo comparativo entre valores obtidos com paquimetria ultrassónica e pentacam HR

Azevedo, A; Vaz, F; Gonçalves, A; Pina, S; Alves, S; Kaku, P; Esperancinha, F
Fonte: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
27.554277%
Introdução: A espessura central da córnea (ECC) é um dado biométrico importante na avaliação clínica de doentes com hipertensão ocular e glaucoma, na medida em que influencia a medição da pressão intra-ocular (PIO) pelo método de aplanação de Goldman e é um factor de risco independente para o desenvolvimento de glaucoma primário de ângulo aberto. Neste trabalho, os autores pretendem comparar o resultado da ECC medida pela Paquimetria Ultrassónica clássica (PU) e pelo Pentacam HR. Material e Métodos: Mediu-se a ECC em 33 doentes utilizando Pentacam HR (Oculus, Inc.) e Paquimetria Ultrassónica (Humphrey 850). Fizeram-se 3 medições consecutivas com Pentacam e com PU. Utilizou-se o Teste t Pares de Student para comparar a média das medições obtidas com PU e Pentacam. Resultados: Os valores encontrados para a média e desvio-padrão da ECC foram de 528 ± 39 μm para a PU e de 544 ± 39 μm para o Pentacam. A diferença entre as médias das medições obtidas com os dois instrumentos foi de 16 μm com um intervalo de confiança de 9-22 μm (nível de confiança de 95%). Esta diferença foi estatisticamente significativa (P < 0,0001). O coeficiente de correlação obtido para as medições feitas com os dois aparelhos foi de 0...

Paquimetria esperada X obtida após LASIK para miopia

Paranhos,Juliane de Freitas Santos; Toledo Netto,Leonardo; Nassaralla,Belquiz R. Amaral
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
27.750762%
Objetivo: Comparar a paquimetria corneana encontrada (PEn) com a esperada (PEs) 3 meses após a cirurgia de LASIK para correção de miopia. Métodos: 77 olhos de 39 pacientes míopes foram incluídos neste estudo. A cirurgia foi realizada utilizando-se o excimer laser Technolas 217 e o microcerátomo automático da Chiron. Paquimetria foi realizada em todos os olhos antes e 3 meses após o LASIK. PEs foi obtida subtraindo-se a profundidade de ablação realizada pelo laser, da paquimetria pré-operatória. Os pacientes foram divididos em 3 grupos: grupo A (55 olhos) com miopia variando de -1,00D a -5,75D; grupo B (14 olhos), de -6,00D a -10,00D e grupo C (8 olhos) acima de -10,00D. Resultados: Houve uma diminuição da média do equivalente esférico de -2,71D para 0,00 no grupo A, -8,18D para 0,00 no grupo B e de -11,4D para -1,06D no grupo C. As médias das PEs foram 468 mim, 370 mim e 382 mim para os grupos A,B e C, respectivamente. As médias das PEn foram de 491 mim, 431 mim e 427 mim nos grupos A, B e C, respectivamente. Em 70 olhos (90,9 %) a PEn foi superior a PEs, sendo esta diferença estatisticamente significativa (p=0,001). Conclusão: Apesar dos resultados mostrarem que a córnea encontrava-se mais espessa do que o esperado após a cirurgia de LASIK...

Comparação entre as medidas da espessura central corneana usando a paquimetria óptica e a ultra-sônica

Maimone,Aline Leonel; Maimone,Nelson; Rossi,Robson Marcelo
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
27.234993%
OBJETIVOS: Comparar a medida da espessura corneana central (ECC) obtida pelo paquímetro óptico Haag-Streit e a paquimetria ultrassônica DGH 500 (PachetteTM). MÉTODOS: Foram avaliados, 200 olhos de 100 pacientes utilizando-se o paquímetro óptico (PO) e o ultrassônico (PU). As medidas foram realizadas na área central da córnea, respeitando a área dos 3 mm, em pacientes com córneas normais, em olhos hipermétropes, emétropes e míopes, excluindo doenças oculares, usuários de lentes de contato ou submetidos às cirurgias. RESULTADOS: A média geral da ECC medida pelo PO foi 603,8± 32,6µm, e 568,2±40,5 µm pelo PU. As comparações entre as medidas dos dois aparelhos foram realizadas ao nível de 5% de significância e a diferença entre os dois aparelhos foi 35,7±26,4 µm (p=0,0000), indicando diferença significativa entre os métodos utilizados. Não houve diferença estatística entre olhos hipermétropes, emétropes e míopes usando o PU. CONCLUSÃO: A medida da ECC é superestimada pelo PO quando comparada com o PU.

Tonometria, paquimetria e comprimento axial ocular em cães glaucomatosos submetidos à ablação uveal intravítrea

Brandão,C.V.S.; Chiurciu,J.L.V.; Ranzani,J.J.T.; Mamprim,M.J.; Zanini,M.; Crocci,J.A.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
27.234993%
Estudaram-se as alterações tonométricas, paquimétricas e de comprimento axial em cães com glaucoma submetidos à ablação uveal intravítrea. Foram avaliados 13 olhos irreversivelmente cegos de cães que apresentavam glaucoma crônico unilateral, nos quais realizou-se a ablação uveal intra-vítrea, por meio de injeção na câmara vítrea de 0,5ml de sulfato de gentamicina (40mg/ml) associado a 0,3ml de fosfato de dexametasona (4mg/ml). As mensurações da pressão intra-ocular (Po), espessura corneana e eixo axial com tonometria de aplanação, paquimetria ultra-sônica e ultra-sonografias modos A e B foram realizadas no dia da ablação (M0) e após uma (M1), quatro (M4), oito (M8), 12 (M12), 24 (M24) e 48 semanas (M48). A Po diminuiu significativamente em todos os momentos em relação ao M0, com aumento da espessura corneana ao longo do experimento. Nas avaliações ultra-sonográficas notou-se diminuição significativa do bulbo ocular a partir de M4, com medidas ultra-sonográficas modo A significativamente maiores que as do modo B. O procedimento foi efetivo na redução da Po e na diminuição do eixo axial, demonstrando ser viável no controle do glaucoma crônico em olhos irreversivelmente cegos, e ser uma alternativa à enucleação e inserção de prótese ocular.

Tonometria de contorno dinâmico e tonometria de aplanação de goldman em olhos com ceratocone; Dynamic contour tonometry and goldman applanation tonometry in eyes with keratoconus

Barreto Jr, Jackson; Babic, Mirko; Vessani, Roberto Murad; Susanna Jr., Remo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2006 ENG
Relevância na Pesquisa
27.234993%
OBJETIVO: O tonômetro de contorno dinâmico é um aparelho de contato e não-aplanação projetado para ser independente das propriedades estruturais da córnea. Teoricamente, ele mede de forma mais precisa a pressão intra-ocular em córneas muito finas. Este estudo compara as medidas de pressão intra-ocular pelo tonômetro de contorno dinâmico com a tonometria de aplanação de Goldman em olhos normais e em olhos com ceratocone avançado. MÉTODOS: uma série comparativa de casos. Pacientes foram submetidos às medidas de pressão intra-ocular por ambos os métodos mencionados, paquimetria ultrassônica e topografia corneana de varredura. Critérios de exclusão: qualquer patologia ocular exceto ceratocone, cirurgia ceratorrefrativa prévia, opacidade estromal resultante de hidropsia aguda ou qualquer outra opacidade corneana. RESULTADOS: Dez pacientes com ceratocone foram incluídos no grupo A e 12 pacientes com córneas normais no grupo B conforme os critérios pré-estabelecidos. A média das medidas da tonometria de Goldman no grupo A foi de 10.3±1.8 mmHg e no grupo B de 14.3±0.75 mmHg. (p = 0,024). No grupo A, a média das medidas com o tonômetro de contorno dinâmico foi de 14.6±2,09 mmHg e, no grupo B,17,4±3,1 mmHg (p = 0...

MENSURAÇÃO DA ESPESSURA CORNEANA EM OVINOS COM PAQUIMETRIA ULTRA-SÔNICA E MICROSCOPIA ESPECULAR DE NÃO CONTATO; Corneal thickness measurements in ovines with ultrasonic pachymetry and noncontact specular microscopy

BRANDÃO,, C.V.S.; RANZANI, J.J.T.; RODRIGUES, G.N.; MARINHO, L.F.L.P.; PEIXOTO, T.P.; TEIXEIRA, C.R.; CREMONINI, D.N.; LIMA, L.S.A.
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 11/12/2006 POR
Relevância na Pesquisa
27.234993%
O propósito do presente trabalho foi avaliar os valores da espessura corneana central em córneas de ovinos sadios com o microscópio especular de não-contato e paquímetro ultra-sônico. A espessura corneana central foi determinada em 22 olhos de 11 ovinos, inicialmente com microscópio especular de não-contato (Topcon SP-2000P), seguido pelo paquímetro ultra-sônico (Nidek UP-1000). Os valores médios das medidas corneanas centrais foram 654mm e 665mm com o microscópio especular de não contato e o paquímetro ultra-sônico, respectivamente. As medidas da espessura corneana demonstraram que ambos os instrumentos são confiáveis.; The purpose of this study was to evaluate the central corneal thickness values in normal ovine with Topcon SP-2000P noncontact specular microscope and ultrasonic pachymeter. Central corneal thickness was detemined in 22 eyes of 11 ovines, first with a noncontact specular microscopy (Topcon SP-2000P), then using an ultrasonic pachgmeter (Nidek UP-1000). The central corneal measurements were 654mm e 665mm with Topcon and ultrasonic pachymeter, respectively. The instruments were reliable in their measurements.

Variación del espesor corneal central en pacientes diabéticos mediante paquimetría ultrasónica

Claramonte,P.J.; Ruiz-Moreno,J.M.; Sánchez-Pérez,S.P.; León,M.; Griñó,C.; Cerviño,V.D.; Alió,J.L.
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/09/2006 SPA
Relevância na Pesquisa
37.750762%
Objetivo: Demostrar la existencia de una relación entre el espesor corneal central y los pacientes diabéticos. Métodos: Se utilizó un paquímetro ultrasónico para medir el espesor corneal en 1000 pacientes. Dividimos los pacientes en dos grupos: 953 no diabéticos y 47 pacientes diabéticos. Resultados: La paquimetría central media encontrada en los pacientes diabéticos fue 571,96 ± 26,81 micras con un rango comprendido entre 514 y 626. La paquimetría central media hallada en el grupo de no diabéticos fue 544,89 ± 35,36 micras con un rango desde 448 hasta 649. Encontramos un aumento del espesor corneal central estadísticamente significativo (p<0,001, test «t» student) en el grupo de pacientes diabéticos al compararlos con los no diabéticos. Conclusiones: Hemos encontrado que los pacientes diabéticos presentan un espesor corneal central medio mayor frente a los pacientes no diabéticos.

Correlación entre presión intraocular, paquimetría y queratometría en una población normal

Sánchez-Tocino,H.; Bringas-Calvo,R.; Iglesias-Cortiñas,D.
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/05/2007 SPA
Relevância na Pesquisa
38.155283%
Objetivo: Estudiar la distribución de la presión intraocular (PIO), paquimetría y queratometría en una población normal. Establecer las relaciones existentes entre estas variables y conocer la influencia de la edad y el estado refractivo. Métodos: En una muestra de 545 ojos de 273 sujetos, sin patología ocular previa, se ha evaluado el estado refractivo, curvatura corneal, grosor corneal central, PIO mediante tonometría de no contacto (TNC) y tonometría Goldman (TG). Resultados: La media de edad de la población fue de 49,34 DE 7,23 años (27-68). La paquimetría media fue de 544,3 DE 33 Ìm en mujeres y de 543,1 DE 29 Ìm en hombres. No se ha encontrado una asociación relevante entre paquimetría y edad. Se ha obtenido una correlación leve, pero significativa entre la paquimetría y la cifra de PIO para ambos métodos r = 0,316 (p < 0,001) y r = 0,264 (p < 0,001), con TNC Y TG respectivamente. No encontramos relación de la paquimetría ni con el estado refractivo ni con la K media. En nuestro modelo de regresión múltiple la paquimetría y la K media aparecieron como variables predictoras del cálculo de la PIO: R = 0,341 (p < 0,001). Conclusiones: La medida de espesor corneal central fue similar a la obtenida por otros estudios sobre población latina. Existe una paquimetría significativamente menor en el grupo de mayores de 54 años. Se ha definido la relación del grosor y la curvatura corneal con la PIO mediante un análisis de regresión lineal.

Tonometría de rebote en la práctica clínica: Comparación con tonometría de aplanación

López-Caballero,C.; Contreras,I.; Muñoz-Negrete,F.J.; Rebolleda,G.; Cabrejas,L.; Marcelo,P.
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/05/2007 SPA
Relevância na Pesquisa
27.554277%
Objetivo: La tonometría de rebote ha sido recientemente adaptada para su utilización en humanos. El objetivo de nuestro estudio es determinar la precisión del tonómetro de rebote (TRB) ICare® en comparación con el tonómetro de aplanación Goldmann (TAG). Métodos: Se reclutaron pacientes de la Unidad de Glaucoma de nuestro centro. En cada paciente se midió la presión intraocular (PIO) con el TRB sin anestésico y tras diez minutos con el TAG. Se empleó la paquimetría para determinar el grosor corneal central (ECC). Resultados: Se reclutaron 68 pacientes (132 ojos). La media de PIO obtenida con el TRB fue de 18,9 [Desviación estándar (DE) 7,2 mmHg] y de 15,5 (DE 5,7 mmHg) con el TAG (p<0,001). Existe una buena correlación entre los dos aparatos (r = 0,87, p<0,001). En la mayoría de los casos (84,6%) la PIO obtenida con el TRB fue mayor que la obtenida con el TAG. La diferencia media entre los dos instrumentos fue de 3,4 (DE 3,6 mmHg). Se aprecia una tendencia a la sobreestimación de la PIO con el TRB, siendo ésta mayor para valores de PIO más elevados medidos con TAG. Se encontró una correlación estadísticamente significativa de la PIO obtenida con ambos tonómetros y el ECC, con mayor sobreestimación con TRB cuanto mayor es la paquimetría. Conclusiones: El TRB puede ser aplicado en la práctica clínica teniendo en cuenta que habitualmente sobreestima la PIO con respecto al TAG. Podría ser especialmente útil en campañas de screening de glaucoma al poder ser manejado por técnicos entrenados.

Importancia del espesor corneal central en el estudio de hipertensos oculares, sospechosos de glaucoma y glaucomas preperimétricos

Alías,E.G.; Ferreras,A.; Polo,V.; Larrosa,J.M.; Pueyo,V.; Honrubia,F.M.
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/10/2007 SPA
Relevância na Pesquisa
27.750762%
Objetivo: Comparar los resultados obtenidos con la paquimetría ultrasónica en sujetos normales, hipertensos oculares, sospechosos de glaucoma y glaucomas preperimétricos. Material y métodos: Se seleccionaron de forma prospectiva y consecutiva 61 ojos normales (grupo control), 131 ojos con hipertensión intraocular, 62 sospechosos de glaucoma por la morfología papilar y 36 glaucomas preperimétricos (perimetría automatizada de longitud de onda corta alterada). Se trazaron los diagramas de dispersión para el espesor corneal central y la presión intraocular para los grupos del estudio y se compararon los resultados de la paquimetría ultrasónica entre el grupo control y los otros 3 grupos. Resultados: Los hipertensos oculares presentaron en la paquimetría valores más altos que el grupo control (p=0,009). No se encontraron diferencias del espesor corneal central entre los normales y los sospechosos de glaucoma, ni entre los normales y los glaucomas preperimétricos. Se evidenció una débil relación logarítmica directa entre el espesor corneal central y la tonometría Goldmann en el grupo de hipertensos oculares. Conclusiones: Los hipertensos oculares presentaron córneas más gruesas que el resto de los grupos. Los sospechosos de glaucoma y los glaucomas preperimétricos tuvieron espesores corneales similares al grupo control.

Estudio comparativo de los efectos de dos drogas antiglaucomatosas sobre el espesor corneal en conejos con autoinjerto de córnea

Chiaradia,P.A.; Casiraghi,J.F.; Fischbarg,J.; Lavena,P.I.
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/04/2008 SPA
Relevância na Pesquisa
27.554277%
Objetivo: Determinar las variaciones del espesor centrocorneal tras la administración de dos drogas antiglaucomatosas: latanoprost 0,005% o dorzolamida 2% en conejos con auto injerto de cornea de espesor total. Métodos: Diez conejos recibieron un autoinjerto de córnea de espesor total bilateralmente. Un animal fue excluido del estudio. En los nueve restantes, a los dos meses de la intervención se instauró tratamiento con un fármaco antiglaucomatoso tópico. El ojo derecho recibió latanoprost al 0,005%, una vez al día, y el ojo izquierdo recibió dorzolamida al 2% cada 12 horas. Los ojos fueron examinados 0, 4, 10, 17 y 27 semanas después del inicio del tratamiento con fármacos mediante biomicroscopia y paquimetría ultrasónica. En cada tiempo examinado, se realizaron 3 medidas del espesor central corneal en cada ojo. Al final del estudio se analizó la influencia del tiempo y del tratamiento sobre el espesor corneal utilizando un modelo lineal generalizado de medidas repetidas. Todas las queratoplastias penetrantes fueron efectuadas por el mismo cirujano (CHP). Resultados: El tratamiento con dorzolamida produjo edema corneal y un aumento significativo del espesor corneal central mientras que el tratamiento con latanoprost no produjo edema corneal ni modificó el espesor corneal. Conclusión: La dorzolamida...

Paquimetría Orbscan: Diferencias entre observadores al realizar mediciones del espesor corneal

Sanchís-Gimeno,JA; Lleó-Pérez,A; Alonso,L; Rahhal,MS
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/05/2005 SPA
Relevância na Pesquisa
37.750762%
Objetivo: Estudiar el espesor corneal y la variabilidad entre observadores de las mediciones del espesor corneal empleando paquimetría Orbscan. Métodos: Analizamos el espesor corneal central y paracentral de 30 sujetos (n=30) cuya edad oscilaba entre 19 y 38 años (media 27,27 D.E. 5,25) con el Sistema Topográfico Orbscan II (Orbscan, Inc., Salt Lake City, UT, USA). La media de cinco mediciones consecutivas del espesor corneal fue obtenida por dos diferentes observadores. Los resultados obtenidos por los dos observadores se compararon. Resultados: No se encontraron diferencias significativas entre los valores medios del espesor corneal de los observadores en la córnea central (p=0,749), nasal (p= 0,931), superonasal (p=0,847), inferonasal (p=0,930), temporal (p=0,918), superotemporal (p=0,912) e inferotemporal (p=0,760). El máximo espesor corneal se encontró frecuentemente en la córnea superonasal (14 de 30 ojos para el observador 1, y 16 de 30 ojos para el observador 2). La diferencia entre el espesor central y el máximo paracentral fue de 117 D.E. 22 y 117 D.E. 23 micras para el observador 1 y 2 respectivamente (p=0,974). La diferencia entre el espesor central y el mínimo paracentral fue 40 D.E. 20 y 39 D.E. 19 micras para el observador 1 y 2 respectivamente (p=0...