Página 1 dos resultados de 1467 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Influência do glifosato na sorção de manganês em diferentes solos; Glyphosate influence on the manganese adsorption by different soils

Pereira, Ester Lambert
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
373.61312%
As reações de adsorção e dessorção afetam a disponibilização de nutrientes para plantas, bem como a mobilidade de íons metálicos, pesticidas e outros solutos no solo. O presente trabalho objetivou avaliar a adsorção de manganês em amostras de um Latossolo Vermelho (LV) e de um Neossolo Quartzarênico (RQ) na ausência e presença dos agentes complexantes glifosato e etilenodiaminotetraacetato (EDTA). Para tanto, foram realizados ensaios de adsorção com o método batch utilizando-se soluções de MnSO4 que apresentaram as seguintes concentrações de Mn2+: 0; 10,5; 21; 31,5; 42; 59,5 e 70 mg L-1 em CaCl2 0,01 mol L-1, na presença de glifosato e na presença conjunta de glifosato e EDTA. Os resultados mostraram que a adsorção de manganês foi maior no LV em relação ao RQ, possivelmente em decorrência dos maiores teores de argila e de matéria orgânica do primeiro solo. Cálculos de especiação iônica realizados com o software Visual MINTEQ indicaram predomínio da forma livre de manganês em todas as soluções utilizadas nos ensaios de adsorção. Simulações realizadas com o referido programa computacional indicaram que o baixo grau de complexação do íon Mn2+ pelo glifosato deveu-se ao caráter ácido das soluções preparadas com esse complexante. Desse modo...

Determinação de manganês em amostras de cimento e clínquer por voltametria de redissolução catódica empregando eletrodos de ouro; Manganese determination in cement and clinker samples by cathodic stripping voltammetry using gold electrodes

Joca, Jhonny Frank Sousa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
371.86043%
Este trabalho apresenta o desenvolvimento e a aplicação de um método alternativo para determinação de manganês em amostras de cimento e clínquer por voltametria de redissolução catódica por onda quadrada empregando eletrodos de ouro. Após estudos exploratórios acerca do comportamento eletroquímico do manganês no eletrólito suporte H3BO3 0,20 mol L-1 / KCl 0,10 mol L-1 com pH 6,5 e a otimização dos parâmetros operacionais para a voltametria de onda quadrada, foram obtidos excelentes resultados na determinação de manganês nas amostras analisadas. Destacam-se a ótima linearidade, verificada em duas faixas distintas de concentração, e os baixos limites de detecção e quantificação obtidos (3,1 x 10-8 mol L-1 e 9,8 x 10-8 mol L-1, respectivamente), além da concordância entre os resultados obtidos pela técnica eletroanalítica quando comparados aos resultados fornecidos pela espectrometria de absorção atômica de chama (FAAS). Para o tratamento das amostras foi avaliada a eficiência da extração ácida assistida por ultrassom. Foram avaliados ácidos minerais individualmente (HCl, H2SO4 e HClO4 em diferentes concentrações), em mistura ou ainda associados a H2O2. Os melhores resultados foram obtidos utilizando uma solução de HCl 3 mol L-1...

Caracterização eletroquímica de filmes nanoestruturados de óxido de manganês e de vanádio em líquidos iônicos: aplicação em baterias de lítio e supercapacitores; Electrochemical characterization of nanostructured films of manganese and vanadium oxide in ionic liquids: lithium batteries and supercapacitors application.

Benedetti, Tânia Machado
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/05/2011 PT
Relevância na Pesquisa
371.86043%
Este trabalho apresenta a preparação de filmes nanoestruturados de óxido de manganês e de vanádio por diferentes técnicas e a sua caracterização eletroquímica utilizando diferentes líquidos iônicos como eletrólito. Os filmes de óxido de manganês foram preparados por automontagem camada-por-camada e por eletrodeposição assistida por molde de nanoesferas de poliestireno. Os filmes de óxido de vanádio foram preparados também por automontagem camada-por-camada e por deposição eletroforética. Diversos aspectos relacionados ao uso dos líquidos iônicos como eletrólitos foram discutidos: os resultados obtidos para os filmes de óxido de manganês por automontagem camada-por-camada mostraram que os íons do líquido iônico participam do processo de compensação de carga superficialmente e que o cátion do líquido iônico, apesar de mais volumoso, apresenta coeficiente de difusão maior que o Li+, formando uma barreira à intercalação dos mesmos na estrutura do material. A partir dos resultados obtidos para os filmes de óxido de manganês por eletrodeposição assistida por nanoesferas de poliestireno, foi possível verificar que o desempenho do sistema depende da natureza do líquido iônico utilizado, sendo possível obter desempenho superior aos solventes orgânicos convencionais com um dos líquidos iônicos utilizados do ponto de vista da ciclabilidade. Desempenho superior aos eletrólitos convencionais também foi observado para os filmes de óxido de vanádio obtidos por automontagem camada-por-camada. Por fim...

Preparação de óxidos de zinco e manganês, via precipitação em solução homogênea, para utilização na agricultura como adubo foliar; Preparing of Zinc oxide and manganese, by precipitation in homogenuous solution, for agriculture usage as leaf fertilizer

Ferreira, Joaquim Matheus Freire
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
371.86043%
A agricultura no Brasil vem se destacando ao longo dos anos como uma das principais atividades econômicas do país. A grande extensão em área, o clima favorável, os investimentos em pesquisa e o aumento da população mundial, vem auxiliando o Brasil a se destacar como celeiro mundial. O grande desafio, portanto, para uma agricultura sustentável é produzir mais sem desmatar os fragmentos ainda existentes de mata original. Para isso, uma das linhas de pesquisa que apresenta grande perspectiva de desenvolvimento é a de pesquisa do uso de fertilizantes que possam promover um suprimento eficiente das exigências nutricionais das plantas respeitando a atual exigência de proteção ao meio-ambiente. Este trabalho apresenta uma metodologia de preparação de óxidos de zinco e manganês hidratados para serem utilizados em formulações de adubos foliares. Utilizou-se para isto o método de precipitação em solução homogênea utilizando o experimento fatorial fracionado saturado Placket - Burman como ferramenta de trabalho. Inicialmente estudou-se a influência de fatores como: tipo de agente precipitante, rotação do agitador mecânico, excesso do agente precipitante e ordem de adição dos reagentes, pois influenciam diretamente na precipitação dos compostos. Estudou-se a distribuição do tamanho das partículas geradas...

Remoção de sulfeto de hidrogênio, ferro e manganês de águas de abastecimento através dos processos de dessorção gasosa, nanofiltração e oxidação com permanganato de potássio

Agudelo Castañeda, Dayana Milena
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
376.0875%
Inúmeras regiões brasileiras apresentam problemas qualitativos em seus mananciais de abastecimento, originando dificuldades para a potabilização da água distribuída nas cidades. Geralmente, os consumidores julgam a segurança da água potável que bebem através de seus sentidos organolépticos. Os processos convencionais utilizados nas estações de tratamento de água não são efetivos na remoção de muitos compostos que causam cor, gosto e odor na água. Devido a isto, é comum que as companhias de saneamento recebam reclamações por parte dos consumidores sobre a qualidade da água distribuída. Dentre os compostos que causam gosto, odor e cor na água encontram-se o sulfeto de hidrogênio, o ferro e o manganês. O sulfeto gera um odor de “ovo podre”, perceptível a concentrações que variam entre 0,05 e 0,1 mg·L-1. Manganês e ferro estão associados principalmente a produção de cor e precipitados na água. Desta forma, o objetivo da pesquisa proposta foi estudar técnicas de tratamento alternativas as convencionais para controlar gosto, cor e odor na água potável pela presença de sulfeto de hidrogênio, ferro e manganês. Os processos investigados foram aeração em torre de dessorção, nanofiltração em membrana e oxidação com permanganato de potássio. Os testes foram realizados com água bruta oriunda do reservatório da Lomba do Sabão...

Efeitos da exposição sub-aguda de manganês sobre a marcha em ratos; Effects of sub-acute manganese exposure on gait in the rats

Samantha Faim Ferreira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
376.99332%
A neurotoxicidade por manganês (Manganismo) leva a uma disfunção neurológica caracterizada pelo desenvolvimento de ataxia, hipocinesia, rigidez e tremores. Evidências sugerem que os astrócitos desempenham um papel importante na disfunção cerebral nesta desordem, pois acumulam manganês e sequestram o metal na mitocôndria, o que inibe a oxidação fosforilativa. A exposição aguda ao manganês leva ao acúmulo focal do metal e perda neuronal no cerebelo. No entanto, a relação entre esta deposição localizada de manganês e as manifestações neurológicas não são claras. Neste estudo, foram caracterizados os efeitos do manganês na marcha e no equilíbrio após um tratamento subagudo em ratos adultos da linhagem Sprague-Dawley (CEMIB ¿ UNICAMP). Os animais foram divididos em três grupos: Controle; tratado com Mn e tratado com Mn + NAC (N - acetilcisteína), um anti-oxidante. Os ratos do grupo Mn receberam cloreto de manganês (II) (50 mg/kg de peso corporal, i.p.) diariamente durante 4 dias, enquanto os ratos do grupo Mn + NAC foram co-tratados diariamente com o cloreto de manganês (II) e NAC (163 mg/kg, i.p.). Na análise da marcha o grupo tratado com Mn demonstrou alteração na marcha, vizualizados pela diminuição da área da impressão plantar (comprimento x largura)...

Remoção de matéria húmica aquática, ferro e manganês de águas para abastecimento por meio de coagulação, floculação, sedimentação e filtração com membranas

Chéry Leal, Marie José
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 159 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
373.61312%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, Florianópolis, 2013.; A água destinada ao abastecimento pode ser obtida de fontes superficiais ou subterrâneas, sendo necessário o seu tratamento para remover substâncias que possam causar rejeição por parte das pessoas ou problemas de saúde para a população. Dentre as substâncias que devem ser removidas das águas destinadas ao consumo humano, se encontram as substâncias húmicas aquáticas, o ferro e o manganês. A matéria húmica aquática, além de produzir cor, odor e sabor na água, pode ocasionar a formação de trialometanos que apresentam riscos para a saúde. O ferro e o manganês também podem alterar as propriedades organolépticas da água e, em concentrações elevadas, causar problemas de saúde. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência de remoção de ferro, manganês e substâncias húmicas em água superficial e água subterrânea, por meio de um sistema que inclui etapas de coagulação, floculação e sedimentação, seguidas de filtração com membranas de ultrafiltração ou nanofiltração. O coagulante, escolhido mediante ensaios em jar test...

VARIABILIDADE GENÉTICA NA TOLERÂNCIA AO MANGANÊS EM TREVO SUBTERRÂNEO (SENSO LATO).: I – ENTRE VARIEDADES DE TRIFOLIUM SUBTERRANEUM L. E UMA VARIEDADE DE TRIFOLIUM YANNINICUM (KATZAN e MORLEY)

Carvalho, Ricardo; Carvalho, Mário
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens Publicador: Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 21504 bytes; application/msword
ENG
Relevância na Pesquisa
371.86043%
São analisados os dados referentes a um ensaio em vasos, com os objectivops de se estudarem diferenças genéticas na tolerância ao manganês entre as principais variedades de trevo subterrâneo cultivadas em Portugal e de se investigarem os mecanismos possíveis dessa tolerância. As variedades testadas foram as seguintes: Seaton Park, Mount barker, kalidal. Rosedale, Nungarin, Howard, Woogenellup, Daliak, Nuba e Trikala. Os resultados permitem afirmar que existem diferenças significativas entre variedades quanto à sua tolerância a situações de toxicidade de manganês. O recrescimento das plantas após o primeiro corte é mais afectado que o crescimento inicial, devido à diminuição da razão Mg/Mn da concentração interna dos dois iões na planta. Os mecanismos envolvidos na tolerância ao manganês parecem ser de duas naturezas. Por um lado diferenças na capacidade de manter razões Mg/Mn elevadas e por outro lado, diferenças na sensibilidade das plantas a razões Mg/Mn baixas. Os dois mecanismos parecem estar envolvidos no crescimento inicial, enquanto que o segundo parece ser o responsável pelas diferenças relativas de crescimento verificadas após o corte. Entre as variedades testadas a Nungarin e a Howard revelaram se como as mais tolerantes ao manganês.

Métodos de determinação de magnésio e manganês no sistema solo-água-planta para a previsão de toxicidade de Mn num solo ácido

Teixeira, Dora Maria Fonseca Ginja
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
378.3932%
Foram testadas várias soluções aquosas extractantes (CaC12, KCI, H3PO4, NH4CH3000, H20 com e sem adição de ácido e DTPA) com variação da concentração ou pH e do tempo de agitação, na determinação de magnésio e manganês num solo ácido com toxicidade de manganês com o objectivo de tentar encontrar um método de extracção, que permitisse prever a quantidade dos dois nutrientes absorvida por uma variedade de trigo (Triticum aestivum var. Almansor) para, posteriormente, ser utilizado na previsão do aparecimento de toxicidade de manganês. Para tal, compararam-se os valores de concentração de magnésio e manganês, obtidos com cada condição de extracção, com os valores das mesmas concentrações na planta crescida no mesmo solo. Os valores obtidos, para os coeficientes de determinação (r2) das regressões linares correspondentes, não foram muito elevados o que prova, mais uma vez, a dificuldade de aferição de métodos de determinação de nutrientes no solo, que permitam prever as quantidades absorvidas pela planta. Através de um ensaio em vasos, utilizando o mesmo solo e a mesma variedade de planta, verificou-se qual a variação das quantidades de magnésio, manganês e da sua razão na solução do solo ao longo do tempo...

Avaliação das concentrações de zinco, manganês e ferro no fígado de bovinos e ovinos de várias regiões do Brasil

Moraes,Sheila da Silva
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1998 PT
Relevância na Pesquisa
371.86043%
Complementando estudos realizados sobre doenças de bovinos e ovinos possivelmente causadas por deficiências minerais, as amostras de fígado coletadas em diversas regiões do Brasil, que tinham sido analisadas somente para cobre e cobalto, foram agora analisadas para zinco, manganês e ferro. Na maioria das regiões, os valores de zinco só esporadicamente estiveram abaixo do nível considerado normal. Somente dos Estados do Ceará e do Piauí, número maior de amostras apresentou teores baixos para este mineral, sugerindo a ocorrência de deficiência de zinco, mas sob a forma sub-clínica, pois os históricos e estudos clínico-patológicos não indicavam a ocorrência desta deficiência. Os valores de manganês também só esporadicamente estiveram abaixo do nível considerado normal. Somente nas amostras dos Estados do Rio de Janeiro (Sul), do Espírito Santo (Norte), do Ceará (Serra da Ibiapaba) e do Amapá, havia uma incidência maior de valores baixos de manganês; os mesmos motivos apontados acima para o zinco, indicam que a deficiência de manganês nestas regiões deve ocorrer sob forma sub-clínica.

GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE MILHO TRATADAS COM MANGANÊS E COBRE

Ribeiro,Nerinéia Dalfollo; Santos,Osmar Souza dos
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1993 PT
Relevância na Pesquisa
377.75062%
Com o objetivo de avaliar os efeitos da aplicação de doses de manganês e cobre sobre a germinação de sementes de milho, foram conduzidos dois experimentos no Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria, RS, em 1989. Adotou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro repetições de 50 sementes, sendo a avaliação de plântulas feita aos seis dias após a semeadura em rolo de papel. No primeiro experimento foram utilizadas sementes dos híbridos Cargill e Braskalb tratadas com doses de manganês (1,25; 2,50 e 5,00g/kg de sementes), de cobre (1,25; 2,50 e 5,00g/kg de sementes), de manganês + cobre (2,50g Mn + 2,50g Cu/kg de sementes) e uma testemunha sem manganês e cobre. No segundo experimento, usou-se sementes de híbrido Pioneer tratadas com doses de manganês (1,00 e 2,00g/kg de sementes), de cobre (0,25; 0,50 e 1,00g/kg de sementes), de manganês + cobre (2,00g Mn + 0,25g Cu/kg de sementes; 2,00g Mn + 0,50g Cu/kg de sementes) e uma testemunha sem manganês e sem cobre. Os resultados obtidos mostraram que a aplicação de manganês, até a dose de 2,50g/kg de sementes, não prejudicou a germinação. Por sua vez, a aplicação de cobre causou fitotoxicidade, reduzindo significativamente a germinação em todas as doses testadas. Os híbridos de milho apresentaram comportamento similar...

Aplicação foliar de manganês em soja transgênica tolerante ao glyphosate

Basso,Claudir José; Santi,Antônio Luis; Lamego,Fabiane Pinto; Girotto,Eduardo
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
380.54684%
O amarelecimento da soja Roundup Ready após aplicação do glyphosate pode estar associado à deficiência momentânea de manganês. Por isso, com a hipótese de que soja tolerante ao glyphosate necessitaria de uma adição suplementar de manganês, o objetivo deste trabalho foi avaliar diferentes manejos na aplicação foliar de manganês sobre alguns parâmetros da soja. Foram desenvolvidos dois experimentos, um no município de Taquaruçú do Sul e outro em Boa Vista das Missões, RS, no ano agrícola 2009/2010. Foram testados os seguintes tratamentos: 1) sem aplicação de glyphosate, com controle manual das plantas daninhas e sem aplicação foliar de manganês (testemunha); 2) sem aplicação de glyphosate, com controle manual das plantas daninhas e uma aplicação foliar de manganês sete dias após esse controle manual das plantas daninhas; 3) com aplicação de glyphosate e sem aplicação foliar de manganês; 4) aplicação de glyphosate em mistura com manganês; 5) aplicação de glyphosate mais uma aplicação foliar de manganês sete dias após aplicação do glyphosate; 6) aplicação de glyphosate mais aplicação foliar de manganês parcelada em duas épocas, aos 7 e 14 dias após aplicação do glyphosate; 7) aplicação de glyphosate e uma aplicação foliar de manganês aos 14 dias após aplicação de glyphosate. A aplicação de glyphosate foi realizada no estádio V5 da soja...

Influência do manganês sobre a nutrição mineral e crescimento da pimenteira do reino (Piper nigrum, L.)

Veloso,C.A.C.; Muraoka,T.; Malavolta,E.; Carvalho,J.G. de
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1995 PT
Relevância na Pesquisa
373.61312%
A pimenteira do reino (Piper nigrum, L.) vem sendo cultivada em sua maior parte em solos com acidez elevada e balia saturação por bases. O manganês em condições de alta acidez pode provocar toxidez às plantas. Visando estudar os efeitos do manganês nessa cultura foi conduzido um experimento com a cultivar Guajarina em solução nutritiva, O manganês foi fornecido nas concentrações de 0; 10; 20; 30; 40 e 50 mg/L. Na ausência do elemento foram observados sintomas de deficiência e redução no crescimento. O excesso de manganês (30 mg/L) na solução nutritiva reduziu o desenvolvimento das plantas e a absorção de P, K, Ca, Mg, Cu, Fe e ZN. Observaram-se sintomas de toxidez de manganês a partir da concentração de 20 mg/L, caracterizados por cloróse e pontos necróticos nas folhas.

Extração por solventes aplicada à remoção de metais pesados presentes no licor de lixiviação do minério de manganês da Mina do Azul (PA)

Carvalhido,Carlos Augusto; Pedrosa,Marcelo Ferreira; Martins,Afonso Henriques
Fonte: Escola de Minas Publicador: Escola de Minas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2001 PT
Relevância na Pesquisa
373.61312%
O objetivo desse trabalho foi promover o tratamento hidrometalúrgico do licor de sulfato de manganês proveniente da lixiviação do minério de manganês da Mina do Azul (PA), através da remoção de cobre, níquel, cobalto e ferro presentes em solução, via extração por solventes. Foi empregado o CYANEX302® como extratante orgânico solubilizado em Exxsol D-100®. Os resultados obtidos para o sistema CYANEX302® em Exxsol D-100® foram satisfatórios, alcançando percentuais individuais de extração de 98% de zinco, 92% de níquel e 77% para o ferro, enquanto mais de 90% de manganês permaneceu em solução. Nas condições de máxima extração conjunta de impurezas metálicas e mínima extração de manganês, isto é, porcentagem de CYANEX302® na fase orgânica igual a 6,0%, tempo de contato entre as fases igual a 3 minutos e relação fase orgânica e fase aquosa igual a 5,5, os resultados experimentais obtidos mostraram que 3,7% de manganês foram extraídos conjuntamente com 77,1% de ferro, 89,7% de zinco e 31,3% de níquel.

Caracterização de uma tipologia de minério de manganês do Brasil

Reis,Érica Linhares; Faria,Geraldo Lúcio; Araújo,Fernando Gabriel da Silva; Tenório,Jorge Alberto Soares; Vieira,Claúdio Batista; Jannotti Júnior,Nelson
Fonte: Escola de Minas Publicador: Escola de Minas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
371.86043%
Visando a melhorias no beneficiamento e no processo de fabricação de ferroligas de manganês, foi realizada a caracterização de uma tipologia predominante de minério de manganês, de ocorrência na região de Carajás, PA, BR. Obteve-se uma amostra representativa da tipologia e foram realizadas análise granulométrica por peneiramento e análise química, por ICP-AES. Foram identificadas por difratometria de raios X as fases minerais majoritárias. Um estudo termogravimétrico foi desenvolvido para verificar a estabilidade térmica, ao ar, das fases minerais majoritárias. Observou-se que 19,3% da amostra encontram-se abaixo de 6,3mm. O teor de manganês no minério foi de 52,63% em peso, com 1,92% de sílica, 0,17% de fósforo e 3,13% de ferro. Foram identificados, na amostra, os óxidos de manganês criptomelana, todorokita e pirolusita, com goethita, quartzo, gibbisita e caolinita compondo a ganga. Para a amostra estudada, observou-se a decomposição térmica dos óxidos criptomelana e pirolusita, em torno de 600ºC, ao ar. Em torno de 950ºC, teve início a transformação de Mn2O3 em Mn3O4.

Exigências de manganês para frangos de corte nas fases de crescimento e terminação

Cupertino,Edwiney Sebastião; Gomes,Paulo Cezar; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Rostagno,Horacio Santiago; Cecon,Paulo Roberto; Schimidt,Marlene
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
379.4247%
Com os objetivos de determinar a exigência de manganês nas fases de crescimento (22 a 42 dias) e terminação (43 a 54 dias), foram realizados dois experimentos utilizando-se 480 frangos de corte, distribuídos em um esquema fatorial 6 x 2 (seis níveis de manganês e dois sexos - macho e fêmea), em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Utilizaram-se seis e quatro aves por unidade experimental, no primeiro e segundo experimentos, respectivamente. Em ambos os ensaios, os tratamentos consistiram de uma dieta basal deficiente em manganês (6,5 ppm) ou suplementada com 0, 30, 60, 90, 120 e 150 ppm de manganês, proveniente do sulfato de manganês comercial. As variáveis avaliadas foram ganho de peso, consumo de ração, conversão alimentar, comprimento de tíbia, resistência do osso à quebra e concentração de manganês no fígado e nos ossos. Os níveis de manganês, na fase de crescimento, influenciaram as concentrações de manganês no fígado e no osso e, na fase de terminação, alteraram a concentração de manganês no fígado. As exigências de manganês foram estimadas pelos modelos de regressão polinomial e LRP (Linear Response Plateau). A exigência de manganês para frangos de corte, machos e fêmeas...

Influência do manganês sobre a nutrição mineral e crescimento da pimenteira do reino (Piper nigrum, L.).

VELOSO, C. A. da C.; MURAOKA, T.; MALAVOLTA, E.; CARVALHO, J. G. de.
Fonte: Scientra Agricola, Piracicaba, v. 52, n. 2, p. 376-383, 1995. Publicador: Scientra Agricola, Piracicaba, v. 52, n. 2, p. 376-383, 1995.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
373.61312%
A pimenteira do reino (Piper nigrum, L.) vem sendo cultivada em sua maior parte em solos com acidez elevada e balia saturação por bases. O manganês em condições de alta acidez pode provocar toxidez às plantas. Visando estudar os efeitos do manganês nessa cultura foi conduzido um experimento com a cultivar Guajarina em solução nutritiva, O manganês foi fornecido nas concentrações de 0; 10; 20; 30; 40 e 50 mg/L. Na ausência do elemento foram observados sintomas de deficiência e redução no crescimento. O excesso de manganês (30 mg/L) na solução nutritiva reduziu o desenvolvimento das plantas e a absorção de P, K, Ca, Mg, Cu, Fe e ZN. Observaram-se sintomas de toxidez de manganês a partir da concentração de 20 mg/L, caracterizados por cloróse e pontos necróticos nas folhas.; 1995

Estudo de composto de coordenaçao de manganes como modelos para metaloproteínas

Guilherme, Luciana Rebelo
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
376.0875%
Resumo: O manganês apresenta funções estruturais e catalíticas essenciais em muitas proteínas. Neste trabalho sintetizamos uma série de complexos de manganês com os ligantes bis(2-metilpiridil)amina, bmpa; ácido (N-(2-hidroxibenzil)) aminoacético, H2bac e ácido[(2-hidroxifenilmetil)2-amino]-3-(1H-imidazol-4il)] propanóico, H2bhis. Os complexos de manganês foram caracterizados através de análise elementar; condutividade; técnicas de espectroscopia eletrônica (UV-VIS), infravermelho (IV) e RPE. Os complexos formados são monômeros nos estados de oxidação (II), (III) e (IV). A análise do complexo obtido com o ligante bmpa apresenta a fórmula [Mn(bmpa)2](CI04)2 (bmpal), a qual foi confirmada por estrutura de raios-X. Os dados obtidos para a estrutura cristalina são: monoclínica, grupo espacial C2/c, a=23,936(5) A , b= 9,064(2) Á, c= 23,936(5) Á, p = 91,25(3)°, V = 5671(2) A3 , Z = 8. A estrutura apresenta dois confôrmeros diferentes com geometria pseudo-octaédrica. As caracterizações dos compostos obtidos com os ligantes H2bac (bac1, bac2 e bac3) e H2bhis (bhisl, bhis2, bhis3 e bhis4) indicam a formação de complexos mononucleares de Mn(lll) (bhisl) ou Mn(IV). Foram acompanhadas também as propriedades dos complexos sintetizados em desproporcionar peróxido de hidrogênio...

Processo de obtenção do sulfato de manganês a partir do minério de manganês

Rebelo, Carolini Machado
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 65 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
379.84492%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química, Florianópolis, 2013.; O manganês foi descoberto em 1774 pelo sueco Johan GottliebGahn, através da redução com dióxido de carbono. Sua principal aplicação é na fabricação de ligas metálicas, na qual é um agente removedor de enxofre e oxigênio e outros usos de seus principais compostos incluem o dióxido de manganês na confecção de pilhas secas e o permanganato de potássio em laboratório como agente oxidante em várias reações químicas. É o 12° elemento mais abundante da crosta terrestre e seus principais minérios são a pirolusita e a rodocrosita. As maiores jazidas estão localizadas na África do Sul, Brasil, Austrália, Índia, China e Gabão. No território brasileiro os estados do Pará, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul são as principais regiões de mineração. O sulfato de manganês é o composto inorgânico com fórmula MnSO4. Este sólido incolor e deliquescente é um sal de manganês comercialmente significativo. Aproximadamente 260 milhões de kg/ano foram produzidos mundialmente em 2005. Ele é percursor para o metal manganês e muitos compostos químicos. Solos deficientes de Mn são remediados com este sal. Desta forma...

Influência do manganês sobre a nutrição mineral e crescimento da pimenteira do reino (Piper nigrum, L.); Effect of manganese on mineral nutrition and growth of black pepper (Piper nigrum, L.)

Veloso, C.A.C.; Muraoka, T.; Malavolta, E.; Carvalho, J.G. de
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/1995 POR
Relevância na Pesquisa
373.61312%
A pimenteira do reino (Piper nigrum, L.) vem sendo cultivada em sua maior parte em solos com acidez elevada e balia saturação por bases. O manganês em condições de alta acidez pode provocar toxidez às plantas. Visando estudar os efeitos do manganês nessa cultura foi conduzido um experimento com a cultivar Guajarina em solução nutritiva, O manganês foi fornecido nas concentrações de 0; 10; 20; 30; 40 e 50 mg/L. Na ausência do elemento foram observados sintomas de deficiência e redução no crescimento. O excesso de manganês (30 mg/L) na solução nutritiva reduziu o desenvolvimento das plantas e a absorção de P, K, Ca, Mg, Cu, Fe e ZN. Observaram-se sintomas de toxidez de manganês a partir da concentração de 20 mg/L, caracterizados por cloróse e pontos necróticos nas folhas.; Black pepper (Piper nigrum, L.) is usually grown in soils of low natural fertility and high acidity. Under such conditions manganese can cause toxicity to plants. An experiment using young plants of the cultivar Guajarina grown in nutrient solution was carried out in order to verify the effects of rates of manganese on this crop. The manganese was supplied at the concentrations of 0, 10, 20, 30, 40 and 50 mg/L. Excess of manganese (30 mg/L) in the nutrient solution caused a reduction in growth and in the uptake of P...