Página 4 dos resultados de 4560 itens digitais encontrados em 0.054 segundos

Contribuições da antropologia para uma abordagem das questões relativas à saúde do idoso

Uchôa,Elizabeth
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
105.99%
Discute-se a especificidade da abordagem antropológica para a investigação de questões relativas à saúde do idoso. Alguns estudos sobre o envelhecimento realizados em diferentes culturas são utilizados como exemplos da variedade de formas de envelhecer e de experiências relativas ao envelhecimento, levando à distinção de dois tipos de elementos que influenciam este processo: aqueles intrínsecos ao envelhecimento biológico e os relacionados às características do indivíduo, à dinâmica social e às políticas públicas vigentes na sociedade em questão. Uma abordagem antropológica leva em conta a articulação entre estes dois tipos de elementos e o papel específico de cada um deles na construção de maneiras típicas de envelhecer, na identificação de problemas de saúde e no desenvolvimento de estratégias para enfrentá-los. Ressalta-se a potencialidade da abordagem antropológica no campo da Saúde Pública contemporânea.

Programas de promoção da saúde do idoso: uma revisão da literatura científica no período de 1990 a 2002

Assis,Mônica de; Hartz,Zulmira M. A.; Valla,Victor Vincent
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
106.03%
O artigo mostra as experiências de avaliação em promoção da saúde do idoso a partir da revisão de programas na área. Fez-se busca bibliográfica em bases de dados, sites e periódicos especializados, no período 1990-2002. O critério de inclusão foi ser programa com foco multitemático com atividades educativas e/ou preventivas. Os estudos revisados revelam um campo multifacetado quanto às tendências teórico-metodológicas e às estratégias de pesquisa. Na experiência internacional predomina o estudo quase-experimental, enquanto no Brasil são comuns os relatos de experiências. As principais dimensões avaliadas nos estudos são a receptividade dos idosos, a melhoria de indicadores psicossociais, a aderência a recomendações comportamentais e o processo educativo. Nos resultados destacam-se a boa receptividade dos idosos e certa discrepância de efeitos na aferição quantitativa de indicadores. Os estudos qualitativos apontam caminhos para apreensão dos processos. Conclui-se que a avaliação em promoção da saúde do idoso é pouco desenvolvida no Brasil e a pesquisa de síntese dos programas pode ser parâmetro para o desenvolvimento das experiências em nosso contexto.

Perspectivas da participação do fisioterapeuta no Programa Saúde da Família na atenção à saúde do idoso

Aveiro,Mariana Chaves; Aciole,Giovanni Gurgel; Driusso,Patricia; Oishi,Jorge
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
106.01%
Mobilizados pela problemática em torno das mudanças sociodemográficas, particularmente com o aumento da população de idosos, pela consolidação de uma política nacional de saúde calcada na noção de direitos de cidadania e a partir das reflexões suscitadas pela experiência de São Carlos (SP), na qual há a inserção do fisioterapeuta no PSF sob a forma de apoio matricial, os autores propõem, neste artigo, uma configuração do campo e núcleo das práticas de fisioterapia, na atenção à saúde do idoso, sob a perspectiva de sua inserção qualificada no Programa de Saúde da Família.

Determinantes sociais da saúde do idoso

Geib,Lorena Teresinha Consalter
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
106.05%
A saúde é afetada ao longo da vida pelas características do contexto social, que geram desigualdades nas exposições e vulnerabilidades. Esses determinantes sociais interferem no bem-estar, independência funcional e qualidade de vida dos idosos, mas geralmente são desconsiderados nas intervenções e políticas. Diante disso, objetivou-se sistematizar os conhecimentos acerca dos determinantes sociais da saúde do idoso, adotando-se como marco conceitual o modelo de Dahlgren e Whitehead. No nível estrutural, abordaram-se os efeitos das mudanças demográficas no processo de envelhecimento e perfil de morbidade; no nível intermediário, as condições de vida e trabalho com impacto na saúde atual e futura e o papel da coesão social; no nível proximal, os comportamentos e estilos de vida de maior risco. Evidenciou-se que a equidade em saúde requer ação sobre os determinantes sociais no curso da vida para minimizar as doenças crônicas e deficiências do idoso que refletem as suas posições sociais no passado.

Saúde do idoso

Chaimowicz, Flávio
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.05%
O módulo Saúde do Idoso contém textos complementares cuidadosamente selecionados para permitir que o profissional de saúde aprofunde seus conhecimentos, na medida em que os problemas forem surgindo. Descreve as principais características da transição demográfica brasileira, seus determinantes e consequências, e discuti as características da transição epidemiológica, suas peculiaridades no Brasil e sua relação com o envelhecimento da população. Os fóruns deste módulo abordam temas inquietantes da Saúde do Idoso e têm como objetivo abrir o espaço para a discussão e troca de experiências entre alunos e tutores.

Educação Física: atenção à saúde do idoso

Zazá, Daniela Coelho; Chagas, Mauro Heleno
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.01%
Nos países desenvolvidos, o envelhecimento da população ocorreu e foi acompanhado por melhorias nas condições gerais de vida, enquanto nos países em desenvolvimento, o processo do envelhecimento populacional acontece de forma rápida, sem tempo para uma reorganização social e da área de saúde adequada para atender às novas demandas emergentes (seguridade social, saúde, etc). No Brasil, é possível observar a busca por avanços no sentido de assegurar aos idosos condições adequadas para promover sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade. O objeto de estudo deste módulo é a atenção à saúde do idoso e a participação do Profissional de Educação Física como agente atuante na promoção da saúde e da qualidade de vida para os idosos

Principais indicadores de morbi-mortalidade em saúde do idoso no Brasil e em Santa Catarina

dos Santos, Evanguelia Kotzias Atherino; Reibnitz Júnior, Calvino; Tognoli, Heitor
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.02%
Este objeto inicia apresentando o DATASUS, o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde, que tem a responsabilidade de coletar, processar e disseminar informações sobre saúde. Segue comentando os indicativos disponíveis no órgão e como conseguir as informações necessárias para o conhecimento da situação de saúde do idoso, incluindo a morbidade e mortalidade e que a ênfase está nas doenças crônico-degenerativas,além da comorbidade, geralmente a média é de 4 a 5 patologias por indivíduo acima de 60 anos. Termina detalhando ainda os indicadores do IDB: demográficos, socioeconômicos, de mortalidade e de morbidade e fatores de risco. Unidade 1 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

Papel do profissional de saúde da família na saúde do idoso

Reibnitz Júnior, Calvino; Tognoli, Heitor; Santos, Evanguelia Kotzias Atherino
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.01%
Este vídeo aborda a dinâmica da transição demográfica no Brasil, os aspectos relacionados ao envelhecimento e as responsabilidades e desafios do cuidado à saúde do idoso apresentada aos profissionais da Estratégia Saúde da Família, na busca de promover um envelhecimento saudável. Vídeo 1 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

Rede de atenção : saúde do idoso

Chaimowicz, Flávio
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.05%
Este material compõe a disciplina optativa " Rede de atenção: saúde do idoso" do Curso de Especialização Estratégia Saúde da Família (2014). Esta disciplina descreve as principais características da transição demográfica brasileira, seus determinantes e consequências, e discuti as características da transição epidemiológica, suas peculiaridades no Brasil e sua relação com o envelhecimento da população. Os fóruns desta disciplina abordam temas inquietantes da Saúde do Idoso e têm como objetivo abrir o espaço para a discussão e troca de experiências entre alunos e tutores. Este módulo esta dividido em 2 seções: 1 - Envelhecimento populacional e saúde dos idosos; 2- Abordagem dos problemas clínicos dos idosos

Atividade: avaliação do Idoso

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Ceará - UNA-SUS/UFC
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Material textual interativo de múltipla escolha.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.99%
Apresenta os conhecimentos clínicos sobre avaliação da saúde do idoso. O recurso faz parte do Curso de especialização em Saúde da Pessoa Idosa - SPI; 1.0; Ministério da Saúde

Saúde do idoso: a terminalidade no domicílio

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: Recurso textual no formato PDF contendo 13 páginas.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.01%
Módulo 9 do Curso de Capacitação em Saúde da Pessoa Idosa, produzido pela UNA-SUS/UFMA. Aborda a terminalidade de vida do idoso, a evolução, definição e princípios dos cuidados paliativos, a morte do paciente no domicílio e os estágios do luto.; Ministério da Saúde

Principais indicadores de morbi-mortalidade em saúde do idoso no Brasil e em Santa Catarina

dos Santos, Evanguelia Kotzias Atherino; Reibnitz Júnior, Calvino; Tognoli, Heitor
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Unidade 1 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo página html com recursos de texto, imagens e animações em flash.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.07%
Este objeto inicia apresentando o DATASUS, o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde, que tem a responsabilidade de coletar, processar e disseminar informações sobre saúde. Segue comentando os indicativos disponíveis no órgão e como conseguir as informações necessárias para o conhecimento da situação de saúde do idoso, incluindo a morbidade e mortalidade e que a ênfase está nas doenças crônico-degenerativas,além da comorbidade, geralmente a média é de 4 a 5 patologias por indivíduo acima de 60 anos. Termina detalhando ainda os indicadores do IDB: demográficos, socioeconômicos, de mortalidade e de morbidade e fatores de risco. Unidade 1 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.; 1.0; Ministério da Saúdes/OPAS/OMS

Ações do cuidado à saúde bucal do idoso

Martini, Jussara Gue; Mello, Ana Lúcia Schaefer Ferreira de; Xavier, André Junqueira; Botelho, Lúcio José; Massignam, Fernando Mendes
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Conteúdo Online do módulo de Atenção integral à saúde do idoso: Ações do cuidado à saúde bucal do idoso. Unidade 2 do módulo 14 para dentista que compõe o Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.19%
Tópico 1 – Abordagem inicial ao idoso, à família e ao contexto de vida O tópico aborda a necessidade de comunicação qualificada entre equipes de AB e as famílias com diferentes enfoques profissionais, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida. Apresenta as atitudes a serem evitadas na atenção qualificada, as mudanças esperadas com o envelhecimento, as possíveis ações preventivas e as de promoção de saúde e os princípios a serem observados pelo profissionais de saúde. Tópico 2 – Orientações sobre o cuidado à saúde bucal aos cuidadores de idos e membros da equipe de saúde O tópico ressalta a importância do trabalho interdisciplinar e apresenta: os pontos básicos dos procedimentos e os materiais necessários para a execução da escovação dental; cremes dentais fluoretados e outras substâncias, proteção labial, higiene de próteses removíveis, limpeza mecânica e química. Tópico 3 – Cuidados com a saúde bucal do idoso com a capacidade funcional comprometida O tópico apresenta as orientações a serem dadas ao cuidador/familiar sobre os cuidados com saúde bucal do idoso com comprometimento da capacidade funcional: problemas mais frequentes, próteses, frequência da higiene, normas de biossegurança...

Ações da clínica aos principais agravos à saúde bucal do idoso

Martini, Jussara Gue; Mello, Ana Lúcia Schaefer Ferreira de; Xavier, André Junqueira; Botelho, Lúcio José; Massignam, Fernando Mendes
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Conteúdo Online do módulo de Atenção integral à saúde do idoso: Ações da clínica aos principais agravos à saúde bucal do idoso. Unidade 3 do módulo 14 para dentista que compõe o Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde da Famíli
PT_BR
Relevância na Pesquisa
96.18%
Tópico 1 – Avaliação das condições bucais do idoso O tópico ressalta a importância da atenção de toda a equipe de saúde para sinais, sintomas e alterações bucais em geral, verificando problemas próprios ao processo de envelhecimento, problemas provenientes do uso de medicação, reações adversas, xerostomia, hipossalivação, relação entre problemas bucais e sistêmicos, edentulismo, exame clínico bucal regular, manejo da boca seca. Tópico 2 – Odontologia de mínima intervenção, tratamento restaurador atraumático e arcada dental reduzida O tópico informa que a Política Nacional de Saúde Bucal (PNSB)recomenda uso de tecnologia simplificada para a assistência odontológica ao idoso, com vistas a ampliar o acesso e incluir processos de alta resolubilidade na AB, por meio de plano de tratamento individual do idoso. Apresenta as três filosofias de tratamento, em consonância com as diretrizes da PNSB na área do idoso, que possuem maior impacto e cobertura: odontologia de mínima intervenção, arcada dentária reduzida e restauração ataraumática, mostrando características e vantagens da aplicação dos mesmos. Conclui com um caso para reflexão. Conteúdo Online do módulo de Atenção integral à saúde do idoso: Ações da clínica aos principais agravos à saúde bucal do idoso. Unidade 3 do módulo 14 para dentista que compõe o Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde da Família.; 2.0; Ministério da Saúde/OPAS/OMS

Papel do profissional de saúde da família na saúde do idoso

Reibnitz Júnior, Calvino; Tognoli, Heitor; Santos, Evanguelia Kotzias Atherino
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Vídeo em cores com áudio. Vídeo 1 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106.06%
Este vídeo aborda a dinâmica da transição demográfica no Brasil, os aspectos relacionados ao envelhecimento e as responsabilidades e desafios do cuidado à saúde do idoso apresentada aos profissionais da Estratégia Saúde da Família, na busca de promover um envelhecimento saudável. Vídeo 1 do módulo 8 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.; 1.0; Ministério da Saúdes/OPAS/OMS

Consumo de cálcio por idosos atendidos no programa de atendimento multidisciplinar à saúde do idoso

Fernandes, Mariana Vaterkemper
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.96%
Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao curso de Nutrição da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; O interesse pelo envelhecimento vem crescendo consideravelmente nos últimos anos. Sabe-se que as alterações fisiológicas e psicossociais influenciam no consumo alimentar e no estado nutricional dos idosos. Este estudo teve por objetivo avaliar o consumo de cálcio de idosos que participam de um projeto de extensão intitulado “Programa de Atendimento Multidisciplinar à Saúde do Idoso”. O estudo se caracterizou como do tipo descritivo, documental e com abordagem quantitativa. A população do estudo diz respeito a idosos de ambos os sexos com 60 anos ou mais que participaram do Programa entre março de 2009 a junho de 2010. Participaram do estudo 43 mulheres (89,6%) e cinco homens (10,4%) de 60,1 a 75,4 anos de idade. As informações sobre o consumo alimentar foram obtidas por um Recordatório Alimentar de 24 horas. A quantificação do consumo de energia, de macronutrientes e de cálcio foram feitas com o programa DietWin, sendo comparados aos valores de Dietary Reference Intake (DRI). O estado nutricional foi avaliado pelo Índice de Massa Corporal (IMC). Foram efetuados procedimentos de estatística descritiva (média...

Programas de promoção da saúde do idoso: uma revisão da literatura científica no período de 1990 a 2002

Assis,Mônica de; Hartz,Zulmira M. A.; Valla,Victor Vincent
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
106.03%
O artigo mostra as experiências de avaliação em promoção da saúde do idoso a partir da revisão de programas na área. Fez-se busca bibliográfica em bases de dados, sites e periódicos especializados, no período 1990-2002. O critério de inclusão foi ser programa com foco multitemático com atividades educativas e/ou preventivas. Os estudos revisados revelam um campo multifacetado quanto às tendências teórico-metodológicas e às estratégias de pesquisa. Na experiência internacional predomina o estudo quase-experimental, enquanto no Brasil são comuns os relatos de experiências. As principais dimensões avaliadas nos estudos são a receptividade dos idosos, a melhoria de indicadores psicossociais, a aderência a recomendações comportamentais e o processo educativo. Nos resultados destacam-se a boa receptividade dos idosos e certa discrepância de efeitos na aferição quantitativa de indicadores. Os estudos qualitativos apontam caminhos para apreensão dos processos. Conclui-se que a avaliação em promoção da saúde do idoso é pouco desenvolvida no Brasil e a pesquisa de síntese dos programas pode ser parâmetro para o desenvolvimento das experiências em nosso contexto.

Perspectivas da participação do fisioterapeuta no Programa Saúde da Família na atenção à saúde do idoso

Aveiro,Mariana Chaves; Aciole,Giovanni Gurgel; Driusso,Patricia; Oishi,Jorge
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
106.01%
Mobilizados pela problemática em torno das mudanças sociodemográficas, particularmente com o aumento da população de idosos, pela consolidação de uma política nacional de saúde calcada na noção de direitos de cidadania e a partir das reflexões suscitadas pela experiência de São Carlos (SP), na qual há a inserção do fisioterapeuta no PSF sob a forma de apoio matricial, os autores propõem, neste artigo, uma configuração do campo e núcleo das práticas de fisioterapia, na atenção à saúde do idoso, sob a perspectiva de sua inserção qualificada no Programa de Saúde da Família.

Contribuições da antropologia para uma abordagem das questões relativas à saúde do idoso

Uchôa,Elizabeth
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2003 PT
Relevância na Pesquisa
105.99%
Discute-se a especificidade da abordagem antropológica para a investigação de questões relativas à saúde do idoso. Alguns estudos sobre o envelhecimento realizados em diferentes culturas são utilizados como exemplos da variedade de formas de envelhecer e de experiências relativas ao envelhecimento, levando à distinção de dois tipos de elementos que influenciam este processo: aqueles intrínsecos ao envelhecimento biológico e os relacionados às características do indivíduo, à dinâmica social e às políticas públicas vigentes na sociedade em questão. Uma abordagem antropológica leva em conta a articulação entre estes dois tipos de elementos e o papel específico de cada um deles na construção de maneiras típicas de envelhecer, na identificação de problemas de saúde e no desenvolvimento de estratégias para enfrentá-los. Ressalta-se a potencialidade da abordagem antropológica no campo da Saúde Pública contemporânea.

Determinantes sociais da saúde do idoso

Geib,Lorena Teresinha Consalter
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
106.05%
A saúde é afetada ao longo da vida pelas características do contexto social, que geram desigualdades nas exposições e vulnerabilidades. Esses determinantes sociais interferem no bem-estar, independência funcional e qualidade de vida dos idosos, mas geralmente são desconsiderados nas intervenções e políticas. Diante disso, objetivou-se sistematizar os conhecimentos acerca dos determinantes sociais da saúde do idoso, adotando-se como marco conceitual o modelo de Dahlgren e Whitehead. No nível estrutural, abordaram-se os efeitos das mudanças demográficas no processo de envelhecimento e perfil de morbidade; no nível intermediário, as condições de vida e trabalho com impacto na saúde atual e futura e o papel da coesão social; no nível proximal, os comportamentos e estilos de vida de maior risco. Evidenciou-se que a equidade em saúde requer ação sobre os determinantes sociais no curso da vida para minimizar as doenças crônicas e deficiências do idoso que refletem as suas posições sociais no passado.