Página 2 dos resultados de 10572 itens digitais encontrados em 0.248 segundos
Resultados filtrados por Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense

A relação entre o uso de álcool e drogas para os afastamentos do trabalho

Nesi, Fernanda
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Monografia de Curso de Pós-graduação Lato Sensu
PT_BR
Relevância na Pesquisa
75.86%
Monografia apresentada ao Setor de Pós-graduação da Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC, para obtenção do título de especialista em Saúde Mental.; Os prejuízos causados nas empresas relacionados a acidentes de trabalho e queda da produtividade estão, na maioria das vezes, vinculados a problemas com a dependência química. O Brasil já é o segundo maior consumidor de drogas do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Estudos epidemiológicos indicam que o alcoolismo afetará 10% da população em algum momento das suas vidas. Só nos EUA os prejuízos diretos e indiretos relacionados ao uso de drogas em 1992, foram estimados em U$ 246 bilhões de dólares. Este custo está relacionado à perda de produtividade por doenças relacionadas ao consumo de drogas ou mortes prematuras, além de custos de tratamento da própria dependência e comorbidades, perda de bens (imóveis), custos administrativos por acidentes automobilísticos e a crimes relacionados ao consumo de drogas. No Brasil, os custos econômicos identificáveis do abuso de drogas chegam a 4,2% do PIB, fora o imensurável, porém evidente ônus pessoal, familiar e social relacionado ao uso/abuso de drogas. Segundo o GREA, da USP, a intoxicação pela ingestão de álcool provoca 25% dos acidentes de trabalho e responde por 45% das faltas e licenças dos trabalhadores. Outros dados afirmam que os funcionários com problemas de alcoolismo e outras dependências químicas apresentam um índice 8 vezes maior em atrasos que os demais trabalhadores; produtividade em torno de 30% abaixo da média e...