Página 1 dos resultados de 1323 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Análise da fisiologia da deglutição por meio da ultra-sonografia; Physiology analysis of deglutition via ultrasonography

Lynch, Cinthya da Silva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.97%
INTRODUÇÃO: O mecanismo de proteção das vias aéreas consiste na inibição reflexa da respiração, fechamento do esfíncter glótico, elevação e anteriorização laríngea. Na fase faríngea da deglutição, o deslocamento do complexo hio-laríngeo pode trazer dados importantes para a observação da proteção funcional de vias aéreas. O exame de ultra-sonografia é um método que pode revelar informações sobre a avaliação, diagnóstico e prognóstico das disfagias, além de ser utilizado como recurso de retroalimentação. Por outro lado, apresenta limitações, quando comparada à videofluoroscopia, método tradicionalmente utilizado, pois não fornece a visualização panorâmica do processo de deglutição e dá acesso restrito a algumas estruturas faríngeas. OBJETIVO: Quantificar, por meio da ultra-sonografia, os parâmetros espaciais do complexo hio-laríngeo na dinâmica da deglutição e a associação entre idade e efeitos decorrentes do processo fisiológico do envelhecimento. MÉTODOS: Neste estudo quantitativo e prospectivo foram incluídos 39 indivíduos sadios, de ambos os gêneros, na faixa etária de 50 a 90 anos (média 45,56; DP 14,53). Todos os indivíduos preencheram os critérios de normalidade para a função de deglutição. Foram excluídos indivíduos com histórico de doenças neurológicas...

Utilização da ultra-sonografia modo B e da tomografia computadorizada no estudo do encéfalo de cães adultos; B-mode ultrasonography and computed tomography in evaluation of mature dog's brain

Lorigados, Carla Aparecida Batista
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
A ultra-sonografia foi o primeiro meio diagnóstico por imagem utilizado na investigação do encéfalo, mas foi substituído pela tomografia computadorizada na década de 70 e atualmente por outros métodos como a ressonância magnética. O exame ultra-sonográfico continua sendo empregado em pacientes pediátricos e em animais jovens, cujas fontanelas permanecem abertas, servindo como janela acústica. Contudo, sua utilização em animais adultos fica restrita, em parte pela barreira proporcionada pelos ossos do crânio. Este trabalho objetivou: avaliar a possibilidade da utilização da ultra-sonografia transcraniana em cães adultos; estabelecer um paralelo com as imagens tomográficas; correlacionar as imagens sonográficas e tomográficas com a anatomia e comparar as imagens ultrasonográficas do encéfalo obtidas com e sem a interposição dos ossos do crânio. Foram utilizados dez cadáveres de cães adultos. As imagens tomográficas foram adquiridas em cortes transversais e dorsais com espessura de 5 mm e igual incremento. As imagens ultra-sonográficas foram obtidas através dos ossos temporal e porção lateral do parietal, da região frontoparietal dorsal íntegra e após craniotomia e do forame magno, em cortes transversais...

Precisão da ultra-sonografia bidimensional convencional e da ultra-sonografia tridimensional na avaliação do nível da lesão em fetos com espinha bífida aberta; Precision of conventional two-dimensional and threedimensional sonography in the evaluation of the lesion level in fetuses with open spina bifida

Requeijo, Márcio José Rosa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
67.01%
Introdução: A espinha bífida tem incidência de 0,5 a 0,8 / 1.000 nascimentos, com mortalidade neonatal ao redor de 33% e sequelas em torno de 65% nos sobreviventes. Em relação ao diagnóstico, a ultrasonografia é capaz de diagnosticar cerca de 80% a 100% dos casos de espinha bífida. Objetivo: Avaliar comparativamente a precisão da ultrasonografia bidimensional e da ultra-sonografia tridimensional em determinar o nível da lesão vertebral (primeira vértebra aberta ) em casos espinha bífida aberta fetal comparada à avaliação pós-natal realizada por exame radiológico da coluna vertebral do recém-nascido. Método: Estudo prospectivo longitudinal analisou fetos com espinha bífida aberta atendidos no Setor de Medicina Fetal da Clínica Obstétrica do HCFMUSP, durante o período compreendido entre os anos de 2004 a 2008. Foi estabelecido o nível da lesão vertebral em 45 fetos por meio de exames ultra-sonográficos bidimensionais e tridimensionais ( dois examinadores em cada método). O nível da lesão no pós-natal foi estabelecido por exame radiológico (radiografia simples) da coluna do recém-nascido, considerado o padrão ouro para sua definição, sendo então comparado ao nível encontrado nos exames ultra-sonográficos bidimensionais e tridimensionais pré-natais. As gestações foram seguidas no ambulatório de pré-natal e o parto programado para correção cirúrgica pós-natal imediata. Resultado: Precisão diagnóstica do nível de lesão da espinha bífida pela ultra-sonografia bidimensional de 47...

Avaliação de dois métodos de diagnóstico precoce de gestação em ovelhas: ultra-sonografia transretal e detector de prenhez para pequenos ruminantes (DPPR-80 ®); Evaluation of two methods for early pregnancy diagnosis in ewe: transrectal ultrasonography and pregnancy detector for small ruminant (DPPR-80®)

Calamari, Claudia Veronica Calamari
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.97%
No período de março a maio de 2001, foram realizados os exames ultra-sonográficos em 88 ovelhas do Núcleo de Pesquisas Zootécnicas Sudoeste - Instituto de Zootecnia. Os animais foram examinados entre o 19°. e 33°. dia de gestação pela ultra-sonografia transretal com exames executados em dias alternados, e do 25°. ao 45°. dia pelo detector de prenhez para pequenos ruminantes (DPPR-80®). O diagnóstico foi considerado positivo pela ultra-sonografia transretal através da visualização do saco gestacional e embrião. Após o 25°. dia de gestação foi observado também o batimento cardíaco. Pelo detector de prenhez, a auscultação do batimento cardíaco embrionário, cuja freqüência é de 160 a 200 batimentos por minuto, foi dado como diagnóstico de gestação positivo. Dentre 88 fêmeas acasaladas, 3 abortaram durante o experimento e foram retiradas do grupo. Das 85 fêmeas restantes, 64 pariram. O diagnóstico de prenhez através da ultra-sonografia transretal apresentou 35,29% de acurácia no 19°.dia de gestação, culminando em 82,35% no 31°. dia de gestação. Pelo detector de prenhez, a acurácia foi de 24,71% no 25°.dia de gestação e 34,12% no 45°. dia. Foi possível visualizar os batimentos cardíacos do embrião pela ultra-sonografia transretal à partir do 21°. dia de gestação e os primeiros placentomas foram observados ao redor do 25°. dia de gestação. A ultra-sonografia transretal mostrou-se um método superior ao detector de prenhez para pequenos ruminantes...

Quantificação dos volumes do líquido amniótico e do embrião obtidos pela ultra-sonografia bidimensional e tridimensional no primeio trimestre da gestação; Quantitation of amniotic fluid and embryo volumes by two-dimensional and three-dimensional ultrasonography in the first trimester of pregnancy.

Spara, Patricia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.93%
O objetivo desse estudo foi determinar os valores do volume do líquido amniótico e do embrião, pela ultra-sonografia bidimensional e tridimensional em gestantes normais da 8ª a 11ª semana de gestação. Realizamos estudo prospectivo longitudinal em 25 fetos normais. Os critérios de inclusão foram gestações únicas, avaliação clínica e laboratorial normal e os de exclusão, gestantes portadoras de patologias maternas e/ou próprias da gestação, como também as usuárias de fumo, álcool ou drogas. Todas as pacientes assinaram o termo de consentimento esclarecido pós-informado. Os exames foram realizados por dois observadores que utilizaram aparelho ultra-songráfico modelo SA-9900 (MEDISON), transdutor endovaginal volumétrico, banda larga, de 5- 6,5 MHz, com 120 0 de campo visual. Cada gestante foi avaliadana 8ª, 9ª, 10ª e 11ª semana de gestação. O estudo bidimensional consistiu da determinação das medidas volumétricas por cálculo matemático baseado na forma do elipsóide, averiguando-se o volume do saco amniótico total e do embrião. No estudo tridimensional o volume do líquido amniótico foi feito pela técnica VOCAL. Em ambos o volume do líquido amniótico foi obtido da subtração da medida do volume do saco amniótico pela medida volumétrica do embrião. Os dados foram analisados pela análise de variância (ANOVA)...

Ultra-sonografia do figado e das vias biliares em pacientes com fibrose cistica

Roberto Massao Yamada
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/09/2000 PT
Relevância na Pesquisa
66.93%
O objetivo deste trabalho foi estudar por ultra-sonografia as alterações hepáticas e das vias biliares em pacientes com fibrose cística (FC). Foram estudados 38 pacientes com FC (grupo A) na faixa etária de 01 a 18 anos e seus respectivos controles (grupo B). Os pacientes do grupo A foram pesados e classificados em eutróficos e desnutridos de acordo com o critério de Gomez. A função pancreática foi determinada pelo método de VAN-DE KAMER e os pacientes classificados no subgrupo AI (com esteatorréia) e subgrupo A2 (sem esteatorréia). A ultra-sonografia foi realizada estando os pacientes emjejum e decúbito dorsal. A hepatometria foi efetuada em sentido longitudinal na linha axilar anterior. Obteve-se, também, as características de superfície, borda, ecogenicidade e textura hepática. Os pacientes com alteração do parênquima foram submetidos à biópsia hepática percutânea. Para a vesícula biliar (VB) foram obtidas as seguintes medidas: 1. Maior dimensão longitudinal, 2. Maior dimensão ântero-posterior e 3. Área. Essas medidas foram obtidas em jejum, 30 e 60 minutos após a ingestão de alimento e a partir dos resultados foi calculado o índice de contração. No grupo A, os pacientes receberam a quantidade habitual de enzimas pancreáticas. Além da obtenção das medidas...

Acurácia da ultra-sonografia ocular na detecção de alterações vitreorretinianas em candidatos à vitrectomia

Moura,Nely Maria de Oliveira; Vlainich,Ana Regina Cruz; Neustein,Isaac
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.97%
OBJETIVO: Avaliar a correlação entre os achados da ultra-sonografia ocular no pré-operatório e os achados intra-operatórios na vitrectomia via pars plana. MÉTODOS: Em estudo prospectivo 21 olhos, que tinham indicação prévia de vitrectomia via pars plana, foram submetidos ao exame por um ultra-sonografista experiente e classificados em grupos de acordo com os achados. O valor preditivo positivo foi determinado a partir da correlação entre os achados de exame no pré-operatório e aqueles observados durante a cirurgia. RESULTADOS: A indicação mais freqüente das vitrectomias foi a hemorragia secundária à retinopatia diabética proliferativa (16 olhos). O valor preditivo positivo da ultra-sonografia ocular foi de 80%. A melhor correlação entre os achados dos exames e os cirúrgicos foi para os casos de opacidade vítrea isolada e de descolamento total de retina. O melhor prognóstico visual foi observado no grupo que tinha apenas hemorragia vítrea sem descolamento de hialóide ou de retina. CONCLUSÕES: A ultra-sonografia ocular tem boa acurácia para detectar as alterações provenientes da inter-relação entre retina e vítreo.

Impacto da ultra-sonografia intra-operatória nas cirurgias para ressecção de metástases hepáticas

Cohen,Marcela Pecora; Machado,Marcel Autran Cesar; Herman,Paulo
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
67.1%
RACIONAL: Vinte e cinco a 50% dos pacientes com metástases hepáticas são potenciais candidatos à cirurgia curativa. A ultra-sonografia intra-operatória tem sido usada com grande acurácia para orientar a ressecção das lesões hepáticas. OBJETIVO: Avaliar em nosso meio a importância desse método nas cirurgias hepáticas e comparar seus achados com os dos métodos de imagem pré-operatórios. PACIENTES E MÉTODOS: Estudou-se prospectivamente 35 pacientes com metástases hepáticas e indicação cirúrgica, com os seguintes tumores primários: cólon (24), tumor neuroendócrino (3), carcinoma de células renais e melanoma (2) e outros (4). A idade mediana foi de 56 anos, sendo 20 pacientes do sexo feminino. Os pacientes foram submetidos a pelo menos um exame entre tomografia computadorizada (30), ultra-sonografia (14) e ressonância magnética (8). RESULTADOS: A ultra-sonografia intra-operatória foi útil em 23 (65,6%) das 35 cirurgias, e mudou o plano cirúrgico em 9 (25,7%) pacientes. Houve correlação estatisticamente significativa entre o número de nódulos identificados por ultra-sonografia percutânea do abdome, tomografia computadorizada e ressonância magnética, e a ultra-sonografia intra-operatória, sendo que a média de nódulos por paciente encontrados pela ressonância magnética (2...

História da ultra-sonografia intra-operatória

Machado,Márcio Martins; Rosa,Ana Cláudia Ferreira; Barros,Nestor de; Pugliese,Vincenzo; Herman,Paulo; Saad,William Abrão; Machado,Marcel C.C.; Cerri,Luciana Mendes de Oliveira; Gama-Rodrigues,Joaquim J.; Habr-Gama,Angelita; Cerri,Giovanni Guido
Fonte: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Publicador: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2002 PT
Relevância na Pesquisa
67%
A ultra-sonografia intra-operatória foi realizada especialmente a partir de 1960, com alguns relatos de experiências iniciais nos anos 50. Inicialmente foram avaliados tumores cerebrais, posteriormente estudando-se também cálculos de vias biliares e cálculos renais. Entretanto, a ultra-sonografia intra-operatória em modo A ou modo B estático não adquiriu grande aceitação no meio médico. Não obstante, os primeiros estudos forneceram as bases para o desenvolvimento da moderna ultra-sonografia intra-operatória, com a utilização dos equipamentos ultra-sonográficos em modo B em tempo real. Os autores discorrem sobre a utilização da ultra-sonografia intra-operatória desde o seu início até os dias atuais.

O valor da ultra-sonografia e da ressonância magnética fetal na avaliação das hérnias diafragmáticas

Amim,Bruno; Werner Jr.,Heron; Daltro,Pedro Augusto; Antunes,Erika; Fazecas,Tatiana; Rodrigues,Leise; Guerra,Fernando; Marchiori,Edson; Gasparetto,Emerson Leandro; Domingues,Romeu Côrtes
Fonte: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Publicador: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.99%
OBJETIVO: Demonstrar a significância dos achados da ressonância magnética e da ultra-sonografia na caracterização pré-natal e avaliação do prognóstico de pacientes com hérnia diafragmática congênita. MATERIAIS E MÉTODOS: Catorze gestantes (idade gestacional média de 28,7 semanas) examinadas com ultra-sonografia e apresentando fetos com suspeita de hérnia diafragmática congênita foram avaliadas por meio da ressonância magnética. Os exames foram realizados em aparelho de 1,5 tesla usando seqüências-padrão. Dois radiologistas avaliaram as imagens e estabeleceram os achados por consenso. RESULTADOS: Doze fetos tinham hérnia diafragmática à esquerda e dois, à direita. O fígado fetal foi localizado no interior do tórax de cinco fetos pela ultra-sonografia (três com hérnia diafragmática esquerda e dois com hérnia diafragmática direita) e de oito pela ressonância magnética (seis com hérnia diafragmática esquerda e dois com hérnia diafragmática direita). Herniação do estômago e alças de intestino delgado foi observada em todos os fetos com hérnia diafragmática esquerda (n = 12), tanto pela ultra-sonografia quanto pela ressonância magnética. Oito fetos sobreviveram após cirurgia (sete com hérnia diafragmática esquerda e um com hérnia diafragmática direita). CONCLUSÃO: A ultra-sonografia e a ressonância magnética são métodos de imagens complementares na avaliação das hérnias diafragmáticas congênitas. A ressonância magnética pode auxiliar a ultra-sonografia na avaliação da posição do fígado...

Rastreamento Pré-natal de Anormalidades Cardíacas: Papel da Ultra–sonografia Obstétrica de Rotina

Bacaltchuk,Tzvi; Antunes,Paula; Zielinsky,Paulo
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2001 PT
Relevância na Pesquisa
67.08%
Objetivo: avaliar o papel da ultra-sonografia obstétrica de rotina no rastreamento pré-natal de cardiopatias congênitas ou arritmias graves e os fatores envolvidos na sua acurácia. Métodos: a amostra foi constituída de 77 neonatos ou lactentes internados no Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul no período de maio a outubro de 2000, com diagnóstico pós-natal confirmado de cardiopatia estrutural ou arritmia grave, que tinham sido submetidos, durante a vida fetal, a pelo menos uma ultra-sonografia obstétrica após a 18ª semana de gestação. Após consentimento informado, um questionário padronizado foi aplicado. As variáveis categóricas (tipo de cardiopatia e a acessibilidade ecográfica para o diagnóstico, alteração do ritmo cardíaco, número de gestações, paridade, abortamentos prévios, estado civil das gestantes, tipo de parto, área de internação hospitalar, sexo, tipo de serviço onde foi realizado o pré-natal, indicação da ultra-sonografia obstétrica, número de ultra-sonografias realizadas, tipo de serviço onde foi realizada a ultra-sonografia obstétrica, local onde foi realizada a ultra-sonografia obstétrica, renda familiar, escolaridade materna e escolaridade paterna) foram comparadas pelo teste do chi² ou pelo teste exato de Fisher e um modelo de regressão logística foi utilizado para determinar variáveis independentes eventualmente envolvidas na suspeita pré-natal de cardiopatia. Resultados: em 19 pacientes (24...

Desempenho da Ultra-sonografia Pré-natal no Diagnóstico de Cromossomopatias Fetais em Serviço Terciário

Barini,Ricardo; Stella,Juliana Horschutz; Ribeiro,Sara Toseti; Luiz,Fátima Botcher; Isfer,Eduardo Valente; Sanchez,Rita de Cassia; Faúndes,Aníbal; Silva,João Luiz Pinto e
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
67%
Objetivo: determinar o desempenho da ultra-sonografia para detecção de gestações que apresentem risco de anomalia cromossômica fetal. Método: estudamos 436 pacientes submetidas a cariótipo fetal entre março de 1993 e março de 1998. Destas, 277 gestantes foram submetidas à coleta de material fetal para estudo citogenético por ultra-sonografia alterada e 159 por ansiedade parental, apresentando ultra-sonografia morfológica normal. Foram avaliadas a sensibilidade e a especificidade da ultra-sonografia utilizando o cariótipo fetal como padrão-ouro. Foi calculado o risco relativo de anomalia cromossômica apresentado segundo o sistema acometido à ultra-sonografia e os riscos de acordo com a presença de uma ou mais malformações, utilizando-se o pacote de análise estatística Epi-Info 6.0. Resultados: observamos que o risco relativo para cromossomopatia fetal foi de 89 para as malformações de face, 53 para malformações de parede abdominal e aparelho cardiovascular, 49,6 para malformações de pescoço, 44,6 para malformações de membros, 42,4 para malformações de pulmão, 32,7 para malformações de trato gastrointestinal, 27,4 para malformações de sistema nervoso central e 23,0 para malformações de trato urinário. Não foi possível o cálculo de risco para malformações de genitais...

Comprimento do colo uterino e dilatação do orifício interno avaliados pela ultra-sonografia bidimensional e tridimensional

Brandão,Rosieny Souza; Murta,Carlos Geraldo Viana; Moron,Antonio Fernandes; Mattar,Rosiane; Pires,Claudio Rodrigues; Guerzet,Eduardo Almeida
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2006 PT
Relevância na Pesquisa
67.09%
OBJETIVO: comparar as medidas do comprimento da cérvice e afunilamento, obtidas por ultra-sonografia transvaginal bidimensional e tridimensional na gestação. MÉTODOS: estudo descritivo, prospectivo, com comparação de grupos realizado no período de abril de 2004 a fevereiro de 2005. Foram incluídas 74 gestantes com idade gestacional entre a 19ª e a 24ª semana, independente da presença ou não de fatores de risco para parto prematuro. O exame ultra-sonográfico da cérvice foi efetuado uma única vez na mesma paciente e por único observador. As medidas aferidas por ultra-sonografia bidimensional foram feitas no momento da realização dos exames, e pela tridimensional, com intervalo de 7 a 15 dias do exame bidimensional. A medição do comprimento da cérvice, diâmetro e comprimento do funil cervical foi realizada por ultra-sonografia bidimensional no plano sagital e tridimensional nos planos sagital e coronal. Para testar a diferença estatística entre os resultados médios das medidas do comprimento cervical obtidas nos exames bi e tridimensional, foi utilizado o teste t pareado. Também foi calculado para essas medidas o coeficiente de correlação de Pearson. RESULTADOS: objetivando-se determinar associação linear entre elas encontramos diferença significante entre as medidas aferidas no plano sagital por meio da ultra-sonografia bidimensional e plano coronal da USG 3D (p=0...

Medida da espessura do segmento uterino inferior em gestantes com cesárea prévia: análise da reprodutibilidade intra- e interobservador por ultra-sonografia bi- e tridimensional

Barra,Daniela de Abreu; Martins,Wellington de Paula; Gallarretta,Francisco Maximilliano; Nastri,Carolina Oliveira; Nicolau,Luis Guilherme; Mauad Filho,Francisco
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
OBJETIVO: comparar a reprodutibilidade intra- e interobservador da medida da espessura total do segmento uterino inferior (SUI), por via abdominal, e da medida da camada muscular, por via vaginal, usando ultra-sonografia bi- e tridimensional. MÉTODOS: foi estudada a medida da espessura do SUI de 30 gestantes com cesárea anterior, entre a 36ª e a 39ª semanas, por dois observadores. Foi efetuada abordagem ultra-sonográfica abdominal com a paciente em posição supina e vaginal em posição de litotomia. No corte sagital, foi identificado SUI e foram coletadas quatro imagens bidimensionais e dois blocos tridimensionais da espessura total por via abdominal e o mesmo da camada muscular por via vaginal. As aquisições tridimensionais foram manipuladas no modo multiplanar. O tempo foi cronometrado. A reprodutibilidade foi avaliada pelo cálculo da diferença absoluta entre todas as medidas, proporção de diferenças menores que 1 mm, coeficiente de correlação intraclasse (ICC) e limites de concordância de Bland e Altman. RESULTADOS: a medida da espessura média do SUI por via abdominal bidimensional foi de 7,4 mm e, por via vaginal, de 2,7 mm; a tridimensional foi 6,9 mm abdominal e 5,1 mm vaginal. Reprodutibilidade intra- e interobservador da via vaginal versus abdominal: menor diferença absoluta (0...

Avaliação de dois métodos de diagnóstico precoce de gestação em ovelhas: ultra-sonografia transretal e detector de prenhez para pequenos ruminantes (DPPR-80®)

Calamari,Claudia Veronica; Ferrari,Sílvia; Leinz,Frederico Fontoura; Rodrigues,Carlos Frederico de Carvalho; Bianchini,Diorandi; Ferreira,Fernando; Dias,Ricardo Augusto
Fonte: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.97%
No período de março a maio de 2001, foram realizados os exames ultra-sonográficos em 88 ovelhas do Núcleo de Pesquisas Zootécnicas Sudoeste - Instituto de Zootecnia. Os animais foram examinados entre o 19º e 33º dia de gestação pela ultra-sonografia transretal com exames executados em dias alternados, e do 25º ao 45º dia pelo detector de prenhez para pequenos ruminantes (DPPR-80Ò). O diagnóstico foi considerado positivo pela ultra-sonografia transretal por meio da visualização do saco gestacional e embrião. Após o 25º dia de gestação foi observado também o batimento cardíaco embrionário, cuja freqüência é de 160 a 200 batimentos por minuto. Esta observação foi dada como diagnóstico de gestação. Os nascimentos confirmaram os resultados dos exames. Dentre 88 fêmeas acasaladas, 3 abortaram durante o experimento e foram retiradas do grupo. Das 85 fêmeas restantes, 64 pariram. O diagnóstico de prenhez por meio da ultra-sonografia transretal apresentou 35,29% de acurácia no 19º dia de gestação, culminando em 82,35.00% no 31º dia de gestação. Pelo detector de prenhez, a acurácia foi de 24,71% no 25º dia de gestação e 34,12.00% no 45º dia. Foi possível visualizar os batimentos cardíacos do embrião pela ultra-sonografia transretal à partir do 21º dia de gestação e os primeiros placentomas foram observados ao redor do 25º dia de gestação. A ultra-sonografia transretal mostrou-se um método superior ao detector de prenhez para pequenos ruminantes...

Obtenção de uma matriz de quantização otimizada para imagens de ultra-sonografia e ressonância magnética

Coelho, Júlio Cézar
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.95%
A quantidade de imagens médicas está crescendo, e em hospitais e clínicas onde o número de pacientes é grande, o espaço requerido para todas essas informações é muito grande, o que torna-se um problema. Uma das formas de diminuir esse problema é comprimir essas imagens. O objetivo deste trabalho é obter uma matriz de quantização para imagens de ultra-sonografia e ressonância magnética utilizando o método da média aritmética. Essa matriz deverá fornecer uma taxa de bits/pixel pequena e uma qualidade satisfatória para o diagnóstico médico dessas imagens. Para obter essa matriz de quantização foram encontradas quatro matrizes de quantização de Q2 a Q5, obtidas utilizando-se cinco imagens de ultra-sonografia e 454 imagens de ressonância magnética. Os resultados obtidos nos testes realizados neste trabalho mostraram que das matrizes de quantização de Q2 a Q5 obtidas nesta dissertação a que apresentou a menor taxa de bits/pixel foi a matriz Q5 com valor igual a 0,38081. Esta taxa é 29% menor do que a taxa de bits/pixel da matriz Q6 (matriz obtida por Hamamoto para imagens de ultra-sonografia) cujo valor é igual a 0,53638 e 37,55% menor do que a taxa de bits/pixel da matriz Q1 (matriz de quantização do padrão JPEG) cujo valor é igual a 0...

Medida da espessura do segmento uterino inferior em gestantes com cesárea prévia: análise da reprodutibilidade intra- e interobservador por ultra-sonografia bi- e tridimensional; Lower uterine segment thickness measurement in pregnant women with previous caesarean section: intra- and interobserver reliability analysis using bi- and tridimensional ultrasonography

BARRA, Daniela de Abreu; MARTINS, Wellington de Paula; GALLARRETTA, Francisco Maximilliano; NASTRI, Carolina Oliveira; NICOLAU, Luis Guilherme; MAUAD FILHO, Francisco
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
OBJETIVO: comparar a reprodutibilidade intra- e interobservador da medida da espessura total do segmento uterino inferior (SUI), por via abdominal, e da medida da camada muscular, por via vaginal, usando ultra-sonografia bi- e tridimensional. MÉTODOS: foi estudada a medida da espessura do SUI de 30 gestantes com cesárea anterior, entre a 36ª e a 39ª semanas, por dois observadores. Foi efetuada abordagem ultra-sonográfica abdominal com a paciente em posição supina e vaginal em posição de litotomia. No corte sagital, foi identificado SUI e foram coletadas quatro imagens bidimensionais e dois blocos tridimensionais da espessura total por via abdominal e o mesmo da camada muscular por via vaginal. As aquisições tridimensionais foram manipuladas no modo multiplanar. O tempo foi cronometrado. A reprodutibilidade foi avaliada pelo cálculo da diferença absoluta entre todas as medidas, proporção de diferenças menores que 1 mm, coeficiente de correlação intraclasse (ICC) e limites de concordância de Bland e Altman. RESULTADOS: a medida da espessura média do SUI por via abdominal bidimensional foi de 7,4 mm e, por via vaginal, de 2,7 mm; a tridimensional foi 6,9 mm abdominal e 5,1 mm vaginal. Reprodutibilidade intra- e interobservador da via vaginal versus abdominal: menor diferença absoluta (0...

Estudo do refluxo gastro-esofagico na infancia por meio da ultra-sonografia

Margarida Maria de Castro Antunes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/1998 PT
Relevância na Pesquisa
66.99%
O objetivo desse trabalho foi determinar a acurácia da ultra-sonografia em identificar episódios de refluxo gastro-esofágico (RGE) e o valor da medida ultra -sonográfica do esôfago intra -abdominal em crianças portadoras da doença do refluxo gastro-esofágico (DRGE). Participaram do estudo 20 pacientes que foram submetidos a exames simultâneos de ultra-sonografia e registro do pH esofágico no período de 15 minutos após ingestão de suco de laranja. Foi observada a presença de episódios de RGE e efetuada a medida do esôfago intra abdominal. Os episódios de RGE visualizados à ultra-sonografia foram comparados com os episódios registrados à pHmetria quanto à presença e número por paciente, além de coincidência temporal. para essas comparações foram empregados os testes de Wilcoxon e de McNemar. As medidas do esôfago intra-abdominal foram comparadas com o índice de refluxo da pHmetria prolongada e com os resultados da avaliação endoscópica e histopatológica da mucosa esofágica. Para essas variáveis foi utilizado o teste de Fisher. episódios de RGE foram visualizados ao ultra-som e 24 episódios registrados pela pHmetria. Um paciente apresentou 23 episódios de RGE visualizados pelo ultra-som e apenas 4 na pHmetria e foi excluído da análise estatística global e estudado em separado. Foi encontrada coincidência temporal dos episódios de refluxo .em 100% do tempo de observação do ultra-som com o registro da pHmetria em 15 pacientes...

Avaliação da concordância entre ressonância magnética de ultra-sonografia na classificação de fibrose periportal em esquitossomóticos, segundo a classificação de Niamey

Scortegagna Junior,Eduardo; Leão,Alberto Ribeiro de Souza; Santos,José Eduardo Mourão; Sales,Danilo Moulin; Shigueoka,David Carlos; Aguiar,Luciane Aparecida Kopke de; Brant,Paulo Eugênio; Colleoni Neto,Ramiro; Borges,Durval Rosa; D'Ippolito,Giuseppe
Fonte: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Publicador: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.95%
OBJETIVO: Avaliar a reprodutibilidade da ressonância magnética e a concordância entre a ultra-sonografia e a ressonância magnética na classificação da fibrose periportal em pacientes esquistossomóticos, segundo os critérios qualitativos de Niamey. MATERIAIS E MÉTODOS: Foi realizado estudo prospectivo e duplo-cego, entre fevereiro de 2005 e junho de 2006, em 20 pacientes (10 homens e 10 mulheres, idades entre 24 e 60 anos, média de 42,75 anos) com diagnóstico de esquistossomose mansônica. As imagens de ultra-sonografia e de ressonância magnética foram avaliadas por dois examinadores experientes de forma independente. Foi medida a concordância interobservador para a ressonância magnética e entre a ressonância magnética e a ultra-sonografia. RESULTADOS: A ressonância magnética apresentou resultados concordantes entre os observadores em 14 pacientes (70%). Quando comparamos a ressonância magnética com a ultra-sonografia, obtivemos concordância em apenas seis pacientes pelo observador 1 (30%) e em oito pacientes pelo observador 2 (40%). CONCLUSÃO: A ressonância magnética tem boa reprodutibilidade na avaliação de fibrose periportal em pacientes com esquistossomose avançada, porém sua concordância com a ultra-sonografia é fraca.

Avaliação de dois métodos de diagnóstico precoce de gestação em ovelhas: ultra-sonografia transretal e detector de prenhez para pequenos ruminantes (DPPR-80®); Evaluation of two methods for early pregnancy diagnosis in ewes: transrectal ultrasonography and pregnancy detector for small ruminant (DPPR-80®)

Calamari, Claudia Veronica; Ferrari, Sílvia; Leinz, Frederico Fontoura; Rodrigues, Carlos Frederico de Carvalho; Bianchini, Diorandi; Ferreira, Fernando; Dias, Ricardo Augusto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2003 POR
Relevância na Pesquisa
66.97%
No período de março a maio de 2001, foram realizados os exames ultra-sonográficos em 88 ovelhas do Núcleo de Pesquisas Zootécnicas Sudoeste - Instituto de Zootecnia. Os animais foram examinados entre o 19º e 33º dia de gestação pela ultra-sonografia transretal com exames executados em dias alternados, e do 25º ao 45º dia pelo detector de prenhez para pequenos ruminantes (DPPR-80Ò). O diagnóstico foi considerado positivo pela ultra-sonografia transretal por meio da visualização do saco gestacional e embrião. Após o 25º dia de gestação foi observado também o batimento cardíaco embrionário, cuja freqüência é de 160 a 200 batimentos por minuto. Esta observação foi dada como diagnóstico de gestação. Os nascimentos confirmaram os resultados dos exames. Dentre 88 fêmeas acasaladas, 3 abortaram durante o experimento e foram retiradas do grupo. Das 85 fêmeas restantes, 64 pariram. O diagnóstico de prenhez por meio da ultra-sonografia transretal apresentou 35,29% de acurácia no 19º dia de gestação, culminando em 82,35.00% no 31º dia de gestação. Pelo detector de prenhez, a acurácia foi de 24,71% no 25º dia de gestação e 34,12.00% no 45º dia. Foi possível visualizar os batimentos cardíacos do embrião pela ultra-sonografia transretal à partir do 21º dia de gestação e os primeiros placentomas foram observados ao redor do 25º dia de gestação. A ultra-sonografia transretal mostrou-se um método superior ao detector de prenhez para pequenos ruminantes...