Página 1 dos resultados de 278 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Análise da qualidade de vida e sintomas depressivos em idosos com queixa de tontura

Ludwig, Camila Rosseto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.88%
Objetivo: analisar a qualidade de vida e a presença de sintomas depressivos em idosos com queixa de tontura. Método: estudo transversal, individual, observacional e contemporâneo. Foram analisadas as respostas da Anamnese, Questionário SF-36 e Escala de Depressão Geriátrica (GDS) de 153 idosos com queixa de tontura. Resultados: 64,1% dos idosos pontuaram acima do ponto de corte na Escala de Depressão Geriátrica, sendo que os percentuais foram semelhantes entre homens e mulheres (p=0,723). Houve associação inversa entre a pontuação na GDS e todos os domínios do SF-36, ou seja, quanto maior a pontuação na GDS, menor a qualidade de vida em todos os domínios. A frequência da tontura se associou inversamente com os domínios do SF-36, exceto no de Dor, ou seja, quanto mais freqüente a tontura, menor a qualidade de vida. Houve associação direta entre a pontuação na GDS com a idade e com a frequência da tontura, ou seja, quanto maior a idade e a freqüência da tontura maior o grau de depressão (p<0,001). Conclusão: Idosos com queixa de tontura apresentam prejuízos significativos na qualidade de vida A prevalência de sintomas depressivos foi significativa na amostra estudada. Houve associação entre a presença de sintomas depressivos e prejuízos na qualidade de vida. Estes achados corroboram com dados prévios da literatura que destacam os prejuízos da tontura na qualidade de vida de idosos bem como a presença de sintomas depressivos concomitantes a essa queixa nesses sujeitos...

Associação entre tontura, atividade física, equilíbrio e sintomatologia depressiva em idosos não institucionalizados

Wender, Mariane Heckmann
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.85%
Este estudo objetivou verificar a existência de associação entre tontura, prática de atividade física, equilíbrio e sintomatologia depressiva em um grupo de idosos não institucionalizados. A amostra foi constituída por sujeitos com idade igual ou superior a 60 anos, de ambos os gêneros, não institucionalizados, sem histórico de alterações neurológicas ou cognitivas, que aceitaram participar voluntariamente da pesquisa e assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Os procedimentos de avaliação incluíram uma anamnese elaborada para este estudo, a aplicação da escala de depressão geriátrica (GDS) e o teste do Alcance Funcional Anterior. Os sujeitos foram divididos em dois grupos, de acordo com a prática ou não de atividades físicas. A média de idade dos sujeitos foi de 69,3 ± 6,8 anos. Constatou-se que 37,8% da amostra praticava algum tipo de atividade física, especialmente caminhada (58,8%) e hidroginástica (38,2%). Em 65,8% da amostra verificou-se ausência de depressão. Baixa probabilidade de queda foi verificada em 70,7% dos investigados (índice superior a 25cm no teste do alcance funcional). A análise dos dados evidenciou associação estatisticamente significativa entre idade e tontura...

Análise da eficácia da reabilitação vestibular em indivíduos idosos com queixa de tontura

Macedo, Luciana Baú
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Objetivo: verificar a efetividade dos exercícios de reabilitação vestibular (RV) dos protocolos de reabilitação de Cawthorne e Cooksey por meio dos escores obtidos na Escala de Equilíbrio Berg (BERG) e no questionário Dizziness Handicap Inventory (DHI) aplicados antes e depois da reabilitação vestibular. Metodologia: realizada anamnese, avaliação do equilíbrio através da escala (BERG) e aplicação do questionário (DHI). Os exercícios realizados de RV através do protocolo proposto por Cawthorne e Cooksey, tiveram como objetivo promover o retorno dinâmico e de restaurar a orientação espacial. Após 90 dias da realização de RV, o DHI e BERG foram novamente reaplicados para comparação dos escores. Resultados: a amostra foi de 36 idosos, sendo 20 mulheres (55,6%) e 16 homens (44,4%), com média de idade de 67,9 anos. Comparando os escores pré e pós-RV, observamos um aumento das pontuações de DHI e BERG pós-RV. Esse aumento está relacionado com o gênero do idoso (p<0,001), já que as mulheres apresentaram escores aumentados do DHI e BERG pós-RV quando comparadas com os homens, porém não está relacionado com a faixa etária (p>0,10). Conclusão: O aumento significativo do DHI e BERG pós-RV, mostrou que a RV é um procedimento terapêutico eficaz nos idosos com queixa de tontura.; Objective: Verify the effectiveness of the RV exercises taken from the rehabilitation protocols of Cawthorne and Cooksey by means of the scores obtained in the Escala de Equilibrio Berg (BERG) and the Dizziness Handicap Inventory Questionnaire (DHI) applied before and after the vestibular rehabilitation. Methodoly: We carried out detailed anamnesis...

Auto-rotação cefálica ativa em pacientes com tontura/ vertigem

Assunção,Aída R.M. de; Albertino,Sergio; Lima,Marco A. M. T.
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.69%
Introdução: A auto-rotação cefálica ativa é um teste rápido, de simples realização, não invasivo, que não causa desconforto ao paciente, pode ser realizado com facilidade em crianças e avalia o reflexo vestíbulo-ocular nas freqüências fisiológicas de movimentação da cabeça, utilizadas na vida cotidiana (de 1 a 4 Hz). Forma de estudo: clínico retrospectivo não randomizado. Objetivo: Avaliar pacientes com queixas de tontura/vertigem através da auto-rotação cefálica ativa comparando os sintomas com as alterações encontradas. Material e método: Um grupo de 1281 pacientes com queixa de tontura/vertigem foi submetido ao teste de auto-rotação cefálica ativa horizontal com alvo fixo, como uma etapa da avaliação otoneurológica. Resultados: As idades variaram de três a 93 anos com média de 49,6 anos, sendo 946 (73,8%) do sexo feminino e 335 (26,2%) do sexo masculino. A queixa de vertigem foi relatada por 896 (69,9%) dos pacientes e a tontura por 385 (30,1%). A faixa de freqüência de resposta à prova de auto-rotação cefálica variou de 1,5 a 7,5Hz com média de 3,5Hz. A prova de auto-rotação cefálica ativa foi normal em 937 (73,1%) e alterada em 344 (26,9%) dos pacientes. As alterações mais freqüentes foram as relacionadas ao ganho (aumento...

Interferência da tontura na qualidade de vida de pacientes com síndrome vestibular periférica

Ganança,Fernando F.; Castro,Ana Silvia O.; Branco,Fátima C.; Natour,Jamil
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.69%
A tontura é considerada um dos sintomas mais comuns entre adultos, podendo interferir na qualidade de vida dos pacientes que apresentam este sintoma. OBJETIVOS: Descrever os resultados obtidos à aplicação do DHI brasileiro na população estudada e compará-los com a conclusão do exame vestibular dos respectivos pacientes. FORMA DE ESTUDO: Clínico randomizado. MATERIAL E MÉTODO: Vinte e cinco pacientes consecutivos que procuraram o Ambulatório da Disciplina de Otoneurologia da UNIFESP/EPM com queixa de tontura e hipótese diagnóstica de síndrome vestibular periférica submeteram-se ao questionário DHI brasileiro. Estes pacientes, adultos de ambos os sexos apresentaram idade variando entre 44 e 88 anos. Os resultados obtidos à aplicação do DHI foram comparados aos resultados do exame vestibular dos respectivos sujeitos. RESULTADOS: Os pacientes avaliados apresentaram prejuízo na qualidade de vida devido à tontura, principalmente nos aspectos funcionais avaliados pelo DHI brasileiro. Os aspectos funcionais apresentaram-se mais comprometidos nos pacientes com Síndrome Vestibular Periférica Deficitária (SVPD), independente do acometimento vestibular uni ou bilateral, e estas diferenças foram estatisticamente significantes. CONCLUSÕES: Os pacientes com tontura crônica apresentam prejuízo na qualidade de vida...

Avaliação de pacientes com queixa de tontura e eletronistagmografia normal por meio da estabilometria

Bastos,Adriana Georgia Davim; Lima,Marco Antonio de Melo Tavares de; Oliveira,Liliam Fernandes de
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.6%
As causas de tontura são de difícil diagnóstico. Atualmente dispomos de uma variedade de exames complementares, contudo, nenhum avalia bem a função vestibular. Os testes mais utilizados para este fim são as provas eletronistagmográficas e posturográficas. OBJETIVO: O objetivo do trabalho foi o de analisar os resultados da estabilometria de pacientes com queixa de tontura que apresentaram eletronistagmografia normal e compará-los aos de um grupo controle. FORMA DE ESTUDO: Prospectivo, do tipo seccional transversal. MATERIAL E MÉTODO: Realizou-se no SME do Serviço de Otorrinolaringologia do HUCFF/UFRJ. No total foram avaliados 22 pacientes (15 mulheres e sete homens) com idade média de 47,6±9 anos. O grupo controle foi de 25 sujeitos saudáveis (18 mulheres e sete homens) com idade média de 46,8±7 anos. Todos os indivíduos foram submetidos à estabilometria com os olhos abertos, em seguida por olhos fechados, durante 30 segundos cada. RESULTADOS: O grupo de pacientes apresentou resultados estatisticamente significativos em todos os parâmetros estabilimétricos avaliados quando comparados ao grupo controle. Na comparação dos resultados com os olhos fechados e abertos, apenas a velocidade média ântero-posterior no grupo controle foi significativa. CONCLUSÃO: Conclui-se que o grupo de pacientes apresentou resultados estatisticamente significativos em relação ao grupo controle em todos os parâmetros estabilométricos analisados...

Tontura associada a distúrbio do pânico e agorafobia: relato de caso e revisão da literatura

Gurgel,João Daniel Caliman e; Costa,Klinger Vagner Teixeira da; Cutini,Flavia Nepel; Sarmento Júnior,Krishnamurti Matos de Araújo; Mezzasalma,Marco André; Cavalcanti,Heráclio Villar Ramalho
Fonte: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial Publicador: ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.75%
Tontura é uma das queixas mais freqüentes no consultório médico tanto primário quanto especializado. Muitos dos pacientes que se apresentam com tontura sem causa orgânica aparente, portanto considerados como portadores de tontura idiopática, podem ter um distúrbio psiquiátrico. Além disso, mesmo a tontura de causa orgânica pode desencadear ou exacerbar alterações psiquiátricas "latentes". Um dos distúrbios mais comumente associados à tontura é o Distúrbio do Pânico, com ou sem Agorafobia. O objetivo deste estudo é relatar o caso de uma paciente com essa associação e realizar uma revisão da literatura relacionada ao assunto.

Presbivertigem como causa de tontura no idoso

Felipe,Lilian; Cunha,Luciana Cristina Matos; Cunha,Fabiana Carla Matos; Cintra,Marco Túlio Gualberto; Gonçalves,Denise Utsch
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.85%
INTRODUÇÃO: tontura é queixa freqüente na população geriátrica e interfere na qualidade de vida desses indivíduos. OBJETIVO: descrever as causas de tontura, correlacionar sintomas e alterações na prova calórica e verificar o impacto da presbivertigem como fator primário de tontura em população de idosos. MÉTODO: revisão do prontuário de 132 pacientes com mais de 60 anos e distúrbio do equilíbrio corporal, atendidos no ambulatório de Otoneurologia do Hospital das Clínicas da UFMG, no período de 1998 a 2007. As variáveis analisadas foram: dados epidemiológicos, história clínica, doenças associadas e resultado da prova calórica. Casos de vertigem de posição e suspeita de lesão central foram excluídos da análise. RESULTADOS: A amostra constou de 120 pacientes. A idade média foi de 70 anos, sendo 87 (71%) mulheres. Dentre os tipos de tontura, vertigem de alguns minutos de duração e freqüência diária foi mais freqüente. Em relação ao resultado da prova calórica, exame normal foi observado em 73% e, dentre os resultados alterados, hiporreflexia bilateral (presbivertigem) foi observada em 8%. Correlacionando-se com o tipo de tontura, hiporreflexia bilateral associou-se com instabilidade postural (p = 0...

Impacto da tontura na qualidade de vida de idosos com vestibulopatia crônica

Santos,Erika Maria dos; Gazzola,Juliana Maria; Ganança,Cristina Freitas; Caovilla,Heloisa Helena; Ganança,Fernando Freitas
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.75%
TEMA: impacto da tontura na qualidade de vida (QV) em idosos vestibulopatas crônicos. OBJETIVO: avaliar a associação entre o impacto da tontura na QV de idosos com disfunção vestibular crônica e variáveis demográficas e clínicas. MÉTODO: estudo prospectivo em que 120 idosos com disfunção vestibular crônica submeteram-se à versão brasileira do Dizziness Handicap Inventory (DHI). Foram utilizados os testes de Mann-Whitney, Kruskal-Wallis e Coeficiente de Correlação de Spearman para verificar a associação de QV e as variáveis demográficas e clínicas. RESULTADOS: ocorreram associações significantes entre a presença de tontura rotatória e não rotatória com o escore total do DHI (p = 0,010) e subescala física (p = 0,049) e funcional (p = 0,009); entre quedas recorrentes com o DHI total (p = 0,004) e subescalas física (p = 0,045), funcional (p = 0,010) e emocional (p = 0,011). Correlações significantes foram encontradas entre incapacidade funcional e o DHI total (ρ = + 0,557; p < 0,001) e subescalas física (ρ = + 0,326; p < 0,001), funcional (ρ = + 0,570; p < 0,001) e emocional (ρ = + 0,521; p(0,001). CONCLUSÕES: o impacto da tontura na QV é maior nos idosos com tontura rotatória e não rotatória...

A influência dos sistemas sensoriais na plataforma de força: estudo do equilíbrio corporal em idosas com e sem queixa de tontura

Teixeira,Clarissa Stefani; Lemos,Luiz Fernando Cuozzo; Lopes,Luis Felipe Dias; Mota,Carlos Bolli
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
OBJETIVO: analisar as respostas de dois grupos de idosas (com e sem queixa de tontura) submetidas a diferentes condições sensoriais em uma plataforma de força. MÉTODOS: para a realização desse estudo utilizou-se uma plataforma de força AMTI OR6-5 com uma frequência de aquisição de 100 Hz. Foram realizadas coletas em quatro condições distintas: olhos abertos (OA), olhos fechados (OF) sobre apenas a plataforma de força, olhos abertos (OAA) e olhos fechados (OFA) sobre uma almofada de 20 cm de espessura. As variáveis analisadas foram o centro de força ântero-posterior (COPap), centro de força médio-lateral (COPml), 95% da elipse da área, velocidade de oscilação e comprimento da oscilação.Comparações entre os grupos e entre as condições dentro dos grupos, foram realizadas por meio do teste de Duncan. RESULTADOS: os resultados mostraram não haver diferenças entre os grupos em nenhuma variável, porém a condição OFA causou maiores perturbações no equilíbrio corporal das idosas. CONCLUSÃO: conclui-se que o aumento da dificuldade imposta pelas quatro condições de testes, alterou a oscilação corporal das idosas avaliadas.

Prevalência de tontura na terceira idade

Ferreira,Lidiane Maria de Brito Macedo; Ribeiro,Karyna Mirelly Oliveira Bezerra de Figueiredo; Pestana,André Luiz da Silva; Lima,Kenio Costa de
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.91%
Objetivo aferir a prevalência de tontura em idosos participantes de um grupo de convivência do Sistema Único de Saúde localizado em centro de especialidades e assistência à saúde do idoso no município de Natal-RN. Métodos estudo prospectivo. Para estatística, utilizou-se análise descritiva dos dados. Resultados foram entrevistados 50 idosos, com idades entre 60 e 88 anos. A prevalência de tontura nesta população foi de 74%. Destes, 35,1% apresentavam apenas vertigem; 13,5% apresentavam vertigem associada a outro tipo de tontura; 24,3% apresentavam desequilíbrio; 8,1% flutuação; 16,2% pré-síncope; e 2,7% flutuação e pré-síncope. Em relação à duração da tontura, 48,6% tinham duração de segundos. Quanto à presença de sintomas otoneurológicos associados, 48,64% referiram sintomas neurovegetativos, 56,8% tinham zumbido, 56,8% apresentavam hipoacusia e 43,2% apresentavam plenitude aural. Referente a outras alterações, 10,8% não usava óculos; 2,7% usavam aparelho auditivo e 8,1% usavam bengalas, 48% tinham 2 ou mais doenças associadas e 40% faziam uso de 3 ou mais medicamentos ao dia. Comparando-se os pacientes com tontura e os sem tontura...

Reabilitação vestibular no tratamento da tontura e do zumbido

Zeigelboim,Bianca Simone; Rosa,Marine Raquel Diniz da; Klagenberg,Karlin Fabianne; Jurkiewicz,Ari Leon
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
OBJETIVO: Verificar a efetividade dos exercícios de reabilitação vestibular na melhora do zumbido e da tontura por meio de avaliação pré e pós-aplicação do questionário Dizziness Handicap Inventory (DHI) e Tinnitus Handicap Inventory (THI), ambos adaptados à população brasileira. MÉTODOS: Avaliaram-se seis pacientes (dois do sexo masculino e quatro do sexo feminino), na faixa etária de 43 a 70 anos. Os pacientes foram submetidos aos seguintes procedimentos: anamnese, inspeção otológica, avaliação vestibular por meio da vectoeletronistagmografia e aplicação dos questionários pré e pós-reabilitação vestibular, utilizando-se o protocolo de Cawthorne e Cooksey. RESULTADOS: a) com relação às queixas mais referidas, observou-se desequilíbrio à marcha (83,3%), dor de cabeça (66,6%) e depressão (66,6%); b) no exame vestibular todos os pacientes apresentaram alteração na prova calórica, sendo a maior freqüência das síndromes vestibulares periféricas irritativas (83,3%); c) constataram-se no exame vestibular dois casos de síndrome vestibular periférica irritativa, dois casos de síndrome vestibular periférica irritativa unilateral; um caso de síndrome vestibular periférica irritativa bilateral e um caso de síndrome vestibular periférica deficitária unilateral; d) na aplicação do DHI...

O impacto da tontura na qualidade de vida de indivíduos com migrânea

Fortes,Richelle Corrêa Sá; Vicente,Joice Souza; Lanzetta,Bianca Pinheiro
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.69%
OBJETIVO: Caracterizar a interferência da tontura na qualidade de vida de adultos com migrânea qualificando seus efeitos impostos no cotidiano destes indivíduos nos aspectos físico, emocional e funcional, por meio do questionário DHI (Dizziness Handicap Inventory) Versão Brasileira. MÉTODOS: Foram avaliados 25 pacientes adultos com diagnóstico de migrânea, de ambos os gêneros, com idades variando entre 20 e 80 anos. Os pacientes que apresentaram queixa de tontura responderam ao questionário DHI Versão Brasileira, que avalia a interferência da tontura na qualidade de vida dos pacientes, abordando os aspectos emocional, físico e funcional. RESULTADOS: Dos 25 pacientes com migrânea entrevistados, 80% apresentaram queixa de tontura, dos quais 90% eram do gênero feminino. Os aspectos funcionais e físicos tiveram frequências de respostas semelhantes, comparadas entre si, diferenciando-se do emocional, que gerou mais inconsistências de respostas, além de ter apresentado um menor índice das mesmas, sendo este o aspecto que menos afeta a vida desses pacientes. CONCLUSÃO: O aspecto funcional foi o mais prejudicado na qualidade de vida dos pacientes pesquisados, seguido do aspectos físico e emocional, respectivamente. O DHI mostrou-se um instrumento fundamental como complemento na avaliação e no acompanhamento da evolução clínica desses indivíduos.

Tontura em idosos: diagnóstico otoneurológico e interferência na qualidade de vida

Scherer,Sabrina; Lisboa,Hugo Roberto Kurtz; Pasqualotti,Adriano
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.81%
OBJETIVO: Verificar o diagnóstico otoneurológico de idosos com tontura e a interferência deste sintoma na qualidade de vida. MÉTODOS: Trata-se de um estudo transversal, realizado com 56 idosos com tontura, com média de idade de 71,2 anos, submetidos à avaliação otoneurológica que envolveu: audiometria tonal, audiometria vocal, imitanciometria, provas de equilíbrio, pesquisa do nistagmo e vertigem de posição e posicionamento e vectoeletronistagmografia. Para avaliar a qualidade de vida, utilizou-se um questionário específico para tontura, o Dizziness Handicap Inventory (DHI), que verifica os efeitos incapacitantes provocados por este distúrbio. RESULTADOS: A tontura rotatória foi referida por 29 pacientes (51,8%), 75% apresentaram alguma queixa auditiva e 69,6% apresentaram audiometria alterada. Os pacientes com queixas vestibulares de tontura posicional apresentaram diferença significativa para o aspecto físico do DHI. Já os pacientes com queixas vestibulares de desequilíbrio apresentaram diferença significativa para os aspectos funcional e emocional. A vectoeletronistagmografia computadorizada esteve alterada em 47 pacientes (83,9%), indicando comprometimento vestibular periférico em todos os casos. No exame pós-calórico...

Qualidade de vida de idosos com tontura

Takano,Nancy Akemi; Cavalli,Silvia Sper; Ganança,Maurício Malavasi; Caovilla,Heloísa Helena; Santos,Mônica Alcantara de Oliveira; Peluso,Érica de Toledo Piza; Ganança,Fernando Freitas
Fonte: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial Publicador: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
Tontura é muito frequente em idosos. OBJETIVOS: Avaliar a qualidade de vida (QV) em idosos vestibulopatas e relacioná-la com o gênero e a faixa etária. MATERIAL E MÉTODO: Estudo prospectivo que incluiu série de 120 casos de idosos com tontura que foram avaliados por meio das versões brasileiras dos questionários Whoqol-bref e Dizziness Handicap Inventory (DHI). Os resultados obtidos foram submetidos à Análise Fatorial (AF) e aos testes de Mann Whitney, Kruskal Wallis e correlação de Spearman. RESULTADOS: O domínio físico avaliado pelo DHI, e o físico e o ambiental do Whoqol-bref foram os mais comprometidos. A AF resultou em 3 fatores no DHI e 5 no Whoqol-bref: Houve moderada correlação (-0,596) entre o escore total de ambos os instrumentos. Os homens apresentaram melhor QV nos fatores "percepção ambiental e introspectividade" e "percepção da saúde" do Whoqol-bref. As idosas obtiveram melhor QV no fator "percepção da funcionalidade" do Whoqol-bref. Não houve diferenças significantes entre os fatores dos dois instrumentos por faixa etária. CONCLUSÕES: Idosos vestibulopatas apresentam QV prejudicada. As idosas vestibulopatas apresentam pior QV em relação aos fatores "percepção ambiental e introspectividade" e "percepção da saúde" e melhor QV em relação ao fator "percepção da funcionalidade" que os homens.

Tontura em idosos da comunidade: estudo de base populacional

Moraes,Suzana Albuquerque de; Soares,Wuber Jefferson de Souza; Rodrigues,Rosilene Andrade Silva; Fett,Waléria Christiane Rezende; Ferriolli,Eduardo; Perracini,Monica Rodrigues
Fonte: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial Publicador: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.85%
A queixa de tontura é comum em idosos. OBJETIVO: Identificar a prevalência de tontura e os fatores associados em uma amostra de idosos que vivem na comunidade. MATERIAL E MÉTODO: Estudo de coorte histórica prospectivo, com idosos de 65 anos ou mais. Foi utilizado um inquérito multidimensional e uma bateria de testes físico-funcionais. RESULTADOS: A prevalência de tontura foi de 45%. A tontura giratória foi relatada por 70,4% dos idosos e 43,8% disseram já ter tido crises vertiginosas em algum momento da vida. Houve associação significativa entre queixa de tontura e gênero feminino (p=0,004), relato de dificuldade de memória (p=0,015), má percepção de saúde (p=0,001), depressão (p<0,0001), cinco ou mais comorbidades (p=0,021), fadiga autorreferida (p<0,0001), história de quedas recorrentes (p=0,001), sonolência excessiva (p=0,003), medo de cair (p<0,0001), tempo de apoio unipodal esquerdo (p=0,002) e escore do Short Performance Physical Battery (p=0,009). CONCLUSÃO: A tontura é uma queixa comum em idosos e está associada a condições clínicas limitantes, como depressão, fadiga, sonolência excessiva e dificuldade de memória. Ressalta-se a associação com quedas recorrentes, medo de cair e pior desempenho em testes de função motora...

Estudo epidemiologico populacional da prevalencia de tontura na cidade de Sao Paulo

Bittar,Roseli Saraiva Moreira; Oiticica,Jeanne; Bottino,Marco Aurelio; Gananca,Fernando Freitas; Dimitrov,Riva
Fonte: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial Publicador: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.81%
A epidemiologia da tontura é fundamental na prática clínica. OBJETIVO: Determinar a prevalência de tontura na população adulta de São Paulo; suas características clínicas e seu grau de incômodo. MÉTODO: Estudo prospectivo transversal de abril e outubro de 2012 por questionário de campo, totalizando 1.960 entrevistas. Variáveis preditoras avaliadas foram, sexo, idade, tipo de tontura e índice de incapacidade provocado pela tontura. As ferramentas estatísticas para avaliar a significância entre as variáveis foram os testes do qui-quadrado, t de Student e regressão logística. Intervalo de confiança de 95% para as estimativas produzidas. RESULTADOS: A prevalência da tontura na cidade de São Paulo foi estabelecida em 42%. Foram encontrados dois picos da queixa, 49% na faixa de 46 a 55 anos e 44% nos idosos. As tonturas vestibulares foram estimadas em 8,3% da população e afetam preferencialmente as mulheres (p < 0,001). O sintoma causa incapacidade em 27% dos entrevistados sintomáticos e incomoda mais frequentemente o sexo feminino (p < 0,001), que procura atendimento médico com maior frequência (p < 0...

Tontura em idosos institucionalizados da cidade do NATAL/RN: Um estudo caso-controle em vestibulopatas e não-vestibulopatas

Ferreira, Lidiane Maria de Brito Macedo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva; Saúde Pública Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva; Saúde Pública
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.93%
the institutionalized elderly presents for being more fragile a lot of body balance s changes, which can induce falls and health frailty. One of the consequences of it is the appearance of dizziness, vestibular or not. This study aims to identify the risk factors related to dizziness in institutionalized elderly, with and without vestibular disorders, in the city of Natal-RN. Method: a case-control study realized in 12 regulated by Health Surveillance Long Term Care Institutions for the elderly in Natal-RN. Elected seniors with good cognitive level and able to walk, totaling 115 individuals, and of these, 102 were selected according to the presence of dizziness in the last year (n = 51) and their controls (n = 51), paired by sex and age. The 51 elderly patients with dizziness were divided into 3 groups case: case one, for elderly with dizziness and without vestibulopathy (n=38); case two, for elderly with dizziness and vestibulopathy (n=13) and case three, for all the seniors with dizziness, or added to the case 1 case 2 (n=51). The 51 seniors who served as controls were also divided into three groups, according to the number of individuals of each case: control 1, n = 38, control 2, n = 13 control and 3 (sum of 1 control with control 2)...

Influência do tratamento com fármacos antivertiginosos sobre o equilíbrio postural e qualidade de vida de indivíduos com queixas de tontura

Tsukamoto,Heloísa Freiria; Costa,Viviane de Souza Pinho; Silva Júnior,Rubens Alexandre da; Pelosi,Gislaine Garcia; Marchiori,Luciana Lozza de Moraes; Fernandes,Karen Barros Parron
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.85%
Resumo:OBJETIVO:avaliar a influência do tratamento com fármacos antivertiginosos sobre a qualidade de vida e o equilíbrio postural de adultos e idosos com queixas de tontura.MÉTODOS:estudo transversal, com amostra de 51 indivíduos portadores de queixas de tontura, divididos em dois grupos, de acordo com o uso (grupo medicado, n=25) ou não (grupo não medicado, n=26) de fármacos antivertiginosos. Foram coletadas informações sobre: caracterização dos sintomas (ficha elaborada pelos pesquisadores), autopercepção de qualidade de vida (Dizziness Handicap Inventory),intensidade de tontura (escala visual analógica de tontura) e equilíbrio postural (plataforma de força).RESULTADOS:verificou-se intensidade moderada de tontura (Média: 4,6 ± 2,8) e impacto negativo das vestibulopatias sobre a qualidade de vida (Média: 47,3 ± 22,4) na amostra total. Quando comparados os dois grupos, não houve diferença estatisticamente significante na intensidade da tontura (p=0,74) ou qualidade de vida (p=0,79), e também, nos parâmetros da estabilometria, em quatro tarefas (teste t independente, p>0,05). Contudo, após a inclusão do tempo de utilização de fármacos antivertiginosos como uma covariável do estudo, foi verificado pior desempenho nas diferentes tarefas da estabilometria no grupo medicado (ANCOVA...

Associação de tontura e desequilíbrio com síndrome metabólica em idosos atendidos em um ambulatório geriátrico universitário

Bastos, Carina Corrêa
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.75%
Introdução : o envelhecimento favorece o aparecimento de diversas doenças como as cardiovasculares, metabólicas, sensoriais e vestibulares. Entre as doenças metabólicas, será abordada neste estudo a síndrome metabólica que se caracteriza por um complexo transtorno que engloba um conjunto de fatores de risco cardiovascular.Objetivo : verificar a ocorrência de tontura e desequilíbrio e sua associação com síndrome metabólica (SM) em idosos atendidos no ambulatório do Serviço de Geriatria do Hospital São Lucas da PUCRS.Métodos : estudo transversal, descritivo analítico com 80 idosos com idade igual ou superior a 60 anos, os quais estiveram em primeira consulta ou retorno no ambulatório de Geriatria de novembro de 2009 a agosto de 2010. Os instrumentos utilizados foram um questionário geral, um protocolo clínico funcional, as escalas de equilíbrio de Berg e o teste funcional de TUGT, avaliação otoneurológica, a realização de vectoeletronistagmografia, audiometria tonal e vocal e imitanciometria. Na análise estatística, foram utilizadas frequências, médias e desvios- padrões, teste exato de Fisher, teste t de Student, teste do qui-quadrado e o coeficiente de correlação de Pearson. Os dados foram digitados em um banco desenvolvido em ACCESS e analisados através do pacote estatístico SPSS versão 17.Resultados : no presente estudo...