Página 1 dos resultados de 5349 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Subjetividade & dominação :a crítica de Max Stirmer à alienação como elemento constitutivo da subjetividade moderna; Subjectivity & domination: the Max Stirmer' s criticism to the alienation as a element of the process of constitution of modern subjectivity

Otenio, Erinson Cardoso
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.96%
Este trabalho tem por propósito analisar os textos de Max Stirner - em particular a primeira parte de seu livro intitulado O Único e a sua Propriedade -, assumindo a perspectiva de que neles é elaborado um diagnóstico de como a subjetividade moderna, no processo de sua constituição, forma-se comprometida com a dominação. Para isso, é preciso refazer com o filósofo o caminho dialético do eu, da Antiguidade até a sua manifestação moderna, identificando nesse percurso as razões que o fizeram alienar-se de si, sem se esquecer do papel da arte e da religião na criação, no rejuvenescimento e na manutenção da alienação. Além disso, encontrará também tratamento neste trabalho a forma de racionalidade, de moral e de educação modernas, elementos importantes da subjetividade, uma vez que esses elementos perfazem com ela um todo sistemático onde o que só encontra espaço são as exigências do "espírito", e isso em detrimento do que quer que seja da ordem da individualidade. Portanto, para uma abordagem apropriada desse tema, requer-se a compreensão do processo de formação da Modernidade e da sua subjetividade correlata, identificando a maneira pela qual, nesse processo, a dominação inscreve-se de forma imanente no eu. Isso significa dizer que...

Subjetividade e devir à luz da filosofia de Deleuze e Guattari: contribuições para uma psicologia; Subjectivity and becoming enlightened by Deleuze and Guattaris Philosophy: contributions to the Psychology

Savazzoni, César Augusto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/04/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.13%
O presente trabalho teve como objetivo inicial abordar a questão da subjetividade considerando de um lado, este problema em relação à psicologia, e num segundo momento a discussão sobre a (produção de) subjetividade e devir desenvolvida na obra Deleuze e Guattari (Mil Platôs). Trata-se de entender como é possível articular a crítica dos processos de subjetivação, tal como a realizada pelos autores, com uma idéia de subjetividade, sem com isso desembocar numa psicologia do sujeito. Isto é, que subjetividade é essa, que não se confunde com suas estratificações, e que parece antes a possibilidade de uma vida, sem ser por isso uma subjetividade transcendental, mas um campo de imanência como afirmam os autores? Para respondermos esta questão, consideramos inicialmente o problema da subjetividade tal como ele emerge na psicologia, em razão de seus percursos teórico metodológicos, para num segundo momento - sob o viés dos agenciamentos e dos devires - discutirmos a questão da produção de subjetividade e os processos de singularização. De um lado, temos os agenciamentos maquínicos de corpos e os agenciamentos coletivos de enunciação, que articulando formal e substancialmente conteúdo e expressão atuam dimensionando o campo da experiência: os dispositivos. Por outro lado...

A representação da subjetividade no longa-metragem Joana; The representation of subjectivity in the feature film Joana

Magnoli, Mirella Martinelli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.96%
O argumento cinematográfico para um filme de longa-metragem ficcional é tema central da presente dissertação. Para tal, foi realizada uma pesquisa baseada em dois eixos. O primeiro, o tema do filme (a relação entre os universos feminino e masculino na faixa de meia-idade no Brasil urbano contemporâneo); o segundo, a abordagem cinematográfica (representações da subjetividade no cinema). No século XX, enormes transformações colocaram a mulher em um novo lugar no tecido social. O homem contemporâneo viu seu lugar histórico ser abalado por essas transformações e ainda não se reposicionou. O descompasso entre feminino e masculino colocou num terreno de imensa dificuldade o relacionamento de casal, hoje pouco normatizado por regras sociais. Este tema é tratado em Joana do ponto de vista subjetivo da personagem principal. Na linguagem cinematográfica, a subjetividade, concebida como um nível específico da narração, compartilha com o espectador os olhos e ouvidos do personagem, e/ou o mergulho em sua mente. Algo para além do formal é necessário para que um filme expresse alto grau de subjetividade do personagem. Esta pesquisa examina alguns longa-metragens contemporâneos, localizando como é representada a subjetividade: o ponto de vista ótico...

Diário de um bebê : governo da subjetividade infantil

Uberti, Luciane
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.96%
Nesta Dissertação, problematizo a política de subjetividade da infância na atualidade, a partir da análise do discurso especializado ratificado no programa Diário de um bebê – veiculado pela Rede Brasil Sul de Telecomunicações, entre janeiro de 1999 e janeiro de 2000. Para tal empreendimento, fiz uso de ferramentas analíticas da produção de Michel Foucault, as quais possibilitaram que eu procedesse à analítica do discurso especializado como prática que produz, corporifica, significa, objetiva e subjetiva os sujeitos de que fala. Descrevi a maneira pela qual a materialidade discursiva do programa monta um determinado tipo de subjetividade infantil através de objetivações específicas e normalizadoras. Tais objetivações procedem ao governo da infância, mas não apontam para uma subjetividade infantil reprimida, verdadeira, natural ou definitiva. Demonstrei como os mais diversos sujeitos adultos são instados a garantirem a sobrevivência, a conservação e a evolução dos infantis por meio de atividades cotidianas, num convívio pontual e condutor. Essas prescrições conduzem as ações adultas na relação com os infantis, embora em meio a formas de saber e forças de poder instáveis e não ditatoriais. Indiquei...

Da natureza da vida à natureza do vídeo : um estudo cartográfico de vlogs que operam sobre a subjetividade publicizada

Ferreira, Lorena de Risse
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37%
Esta pesquisa tem como foco problematizar os vlogs como práticas de publicização da vida e pensar sobre como eles tornaram-se superfícies nas quais podemos ver os movimentos e ações de uma subjetividade fabricável. As reflexões trazidas pelo filósofo francês Félix Guattari deram base para pensar na subjetividade como algo que se fabrica no atravessamento de esferas diversas, como a social, a cultural, a econômica e também a comunicacional e a tecnológica. Estas duas últimas, em especial, iluminaram o entendimento de que a Comunicação e a tecnologia imagética, aliadas ao contexto digital, operam como fontes de incitamentos e estímulos de uma subjetividade que não se realiza apenas no exibicionismo e sim na cristalização do desejo do compartilhamento, da publicização. Assim, construímos a definição de subjetividade publicizada a partir da observação de vlogs, gênero audiovisual de internet que adquire contornos próprios nessa investigação: um tipo de vídeo que tem como objetivo explorar acontecimentos do cotidiano, da natureza da vida, e construí-los por meio da natureza do vídeo. A cartografia foi o procedimento metodológico que inspirou o tratamento do objeto empírico e da proposta teórica. Entre os resultados...

A subjetividade na teoria e gestão organizacionais no contexto da contemporaneidade

Heerdt, Mauri Luiz
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 1 v.| il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
36.96%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduaçào em Engenharia de Produção; A pesquisa faz uma análise da contemporaneidade e suas implicações para a teoria/epistemologia e gestão organizacionais, pautada especificamente na compreensão de subjetividade e sua relação com a organização e o entorno (condições sociais, econômicas, políticas e culturais). A contemporaneidade diz respeito a um conjunto próprio de idéias da história recente e da atualidade que se diferenciam da modernidade clássica. Os conteúdos teóricos são analisados de forma mais concreta pelo estudo dos Mini-Projetos Alternativos (MPAs), empreendimentos autogestionários que existem desde 1989 em Santa Catarina e que atualmente estão integrados num movimento mais amplo: a economia solidária. Estes projetos valorizam a subjetividade e demonstram como a subjetividade, a intersubjetividade, a gestão e o entorno em que estão inseridos impactam-se reciprocamente, sendo todas estas dimensões capazes de transformações. As temáticas principais - contemporaneidade e subjetividade - se relacionam porque, embora não como tendência predominante, há sinais de valorização da subjetividade no contexto da epistemologia e da gestão organizacionais. Os procedimentos metodológicos seguem uma abordagem multidisciplinar de pesquisa qualitativa e estudo de caso...

Trabajo infantil y subjetividad : una perspectiva necesaria; Trabalho infantil e subjetividade : uma perspectiva necessária; Child work and subjectivity : A necessary approach

Mitjáns Martínez, Albertina
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
ESP
Relevância na Pesquisa
36.96%
RESUMEN; A partir de la línea teórica que, dentro del enfoque histórico-cultural ha desarrollado el concepto de subjetividad, se discute la pertinencia y la necesidad del estudio de la constitución y del desarrollo de la subjetividad de los niños y adolescentes trabajadores. También se fundamenta el valor heurístico de las categorías subjetividad, personalidad y sujeto para la compreensión del impacto del trabajo precoz en el desarrollo psicológico. Se presentan los resultados de un estudio exploratório realizado com adolescentes trabajadores que muestran cuatro formas diferenciadas de subjetivación de la situación de trabajo, hecho que puede condicionar trayectorias diferenciadas en el desarrollo de la subjetividad. A partir de estos resultados se cuestiona el significado de algunas afirmaciones generales que aparecen con frecuencia en la literatura especializada sobre las consecuencias del trabajo infantil en el desarrollo psicológico. Por último se muestra que la posiblidad de profundizar en la compreensión de la constitución de la subjetividad puede contribuir a la elaboración de estratégias educativas diferenciadas y potencialmente, más efectivas en el trabajo con esta población. ____________________________________________________________________________________ RESUMO; A partir da linha teórica...

Inovação educativa e subjetividade : a configuração da dimensão histórico-subjetiva implicada em um projeto inovador

Campolina, Luciana de Oliveira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
37%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2012.; A presente pesquisa tem como tema a inovação educativa entendida como a introdução de novidades nos processos educacionais que visam gerar transformações e melhorias na instituição escolar. Busca-se compreender a inovação educativa a partir de uma visão complexa articulando diferentes aspectos bem como, a partir da perspectiva da subjetividade, tal como concebida na teoria histórico-cultural da subjetividade de González Rey. Nessa perspectiva teórica, a subjetividade se expressa e se constitui na sua dupla condição, social e individual. Desta forma, a pesquisa tem como objetivo compreender a configuração de elementos que possibilitam a inovação educativa, investigando a articulação de elementos históricos, contextuais e subjetivos. Realizou-se, portanto, um estudo de caso analisando-se um projeto educativo inovador implementado em uma instituição pública de Ensino Fundamental na cidade de São Paulo/SP. A pesquisa empírica foi empreendida baseada nos princípios da Epistemologia Qualitativa que norteia o processo de construção de informações, como também, as elaborações de hipóteses visando a produção do conhecimento sobre o objeto de estudo definido. Tendo em vista um conhecimento aprofundado do contexto...

O vídeo game como diagrama de controle e de produção de subjetividade capitalística

Feitoza, Frederico Antonio Cordeiro; Silva Junior, José Afonso da (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.09%
O presente estudo teve como objetivo analisar o processo comunicativo entre jogadores e video games sob o enfoque da produção de subjetividade. Para tanto, realizou-se uma intercessão entre dois campos de conhecimento. O primeiro, baseado nos modelos circular e interativo de comunicação entre homem e tecnologia e o segundo baseado na teoria da subjetividade do pós-estruturalista francês Felix Guattari. Partindo da idéia de que tecnologias semióticas como os video games e os computadores atuam no núcleo da subjetividade de seus usuários, realizou-se um estudo sobre como estas tecnologias participam de suas experiências de pensamento, como os influenciam na forma de se posicionarem junto à sociedade e principalmente, como esse processo comunicativo direciona esta produção subjetiva. O corpus resulta da entrevista e do contato realizado com cinco jogadores qualificados como tipos ideais (no sentido weberiano) e da experiência do pesquisador junto aos jogos eletrônicos. As experiências desses sujeitos podem ser, portanto, entendidas como o objeto de investigação central dessa pesquisa. Nesse sentido, traçou-se os seguintes objetivos: a) evidenciar que elementos contribuem para a concepção dos video games como vetores de produção de subjetividade; b) realizar uma modelização do ato de jogar video games a partir do ponto de vista da produção de subjetividade do usuário junto a esta tecnologia; c) perceber que estratégias da indústria dos video games contribuem para que se configure uma subjetividade do tipo capitalística...

Produção de subjetividade na reflexão da prática docente através de grupo operativo sob a ótica sistêmica complexa

Jotz, Claudia Beatriz
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37%
O tema da presente tese é a produção de subjetividade em grupo, posta em discussão a partir da ótica sistêmica complexa e da estratégia de grupo operativo. Defendemos que através do pensar coletivo propiciado pela reflexão em grupo sobre o seu fazer, o docente produz saúde. Para chegar a este entendimento trabalhamos com a produção de subjetividade a partir da noção de sujeito complexo de Morin, que entrelaça o físico, o biológico, o social, o espiritual e a intersubjetividade. O trabalho é apresentado na forma de seções, sendo que a primeira é um ensaio temático, seguido de duas seções empíricas. No ensaio temático, propomos o desenvolvimento da noção de sujeito e subjetividade, a partir da modernidade, procurando destacar os movimentos históricos e sociais que influenciaram as mudanças destes conceitos, bem como apresentamos uma revisão sistemática, na qual é assinalado o estado da questão na academia, e o utilizamos como contraponto de nossa proposta de entendimento, a partir do paradigma sistêmico complexo. O objetivo da primeira seção empírica é compreender, sob a ótica sistêmica complexa, como a reflexão em grupo da prática docente pode se constituir em uma estratégia para a produção de subjetividade. O estudo foi realizado por meio da intervenção no campo observado...

Nas veredas do outro: subjetividade e educação em Emmanuel Lévinas; Par le biais de l autre: subjectivité et éducation selon Emmanuel Lévinas

BARBOSA, Flávio Alves
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Educação; Ciências Humanas Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Educação; Ciências Humanas
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37%
Cette recherche se trouve dans l axe de la Culture et Procedés Educationels ayant pour but l étude de la subjectivité et l éducation selon l oeuvre Totalité et l Infinit, d Émmanuel Lévinas. En s approchant de l idée de Lévinas, j interroge sur le sens de la subjetivité et de l éducation dans un monde remplie par la violence, indiférence, par des éxpériences d un videment détruisant des enfants, femmes et hommes, placés dans une situation limite, c est à dire, de défiguration de leur condition humaine. L archéologie des idées fondamentales de l oeuvre citée comme celles de l Ontologie, la Réprésentation, le Même, l Autre, le Visage, la Séparation, la Demeure et l Extériorité a démontré que la raison dans l Occident a soubi un procés d enchantement dans lequel, elle qui avant métait le monde mitique en question est devenue universelle par l auto-suffisance du Je pense en lui trasnformant en vérité en Je peux . Et encore, la raison a tellement insisté pour la liberté qu elle a fini pour construire une subjectivité que n a pas réussi aller au déla de soi même ; elle n a pas prévue dans son essence la responsabilité vis à vis de l autre. Les idées dévélopées par Lévinas, en Totalité et l Infinit rendent possible mettre en question l Éducation que met les idées à la place des personnes...

Subjetividade e finitude em ser e tempo; Subjectivity and finitute in being and time

Martins Filho, José Reinaldo Felipe
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Filosofia (FAFIL); Faculdade de Filosofia - FAFIL (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Filosofia (FAFIL); Faculdade de Filosofia - FAFIL (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37%
A presente pesquisa visa analisar a questão da subjetividade e sua articulação com o tema da finitude no pensamento de Martin Heidegger. Tomaremos para isso, como referência privilegiada, a obra Ser e Tempo, de 1927, na qual buscaremos os elementos que justifiquem a critica heideggeriana ao conceito moderno de subjectum e a via alternativa que se abre com a analítica da existenciaridade da existência. Em primeiro lugar, nos esforçaremos cm resgatar a o de subjetividade fundamentada pela fenomenologia. tal como é exposta por seu fundador, Edmund Husserl, a fim de aferir em que medida sua influencia determina a constituição de uma investigação sobre o sentido do ser. Em seguida, destacaremos a eleição do ente por excelência, dotado do privilégio ôntico-ontológico, e o seu papel na elaboração de uma nova perspectiva para se considerar o modo de ser do homem no mundo, distinto de abordagens como as da psicologia, biologia ou da antropologia. Descartes e Husserl serão constantes interlocutores nesse itinerário. Encerra o presente estudo o exame propriamente dito da relação entre os conceitos subjetividade e finitude, fundamentais, segundo nossa percepção, para a compreensão da importância, do alcance e da posteridade da filosofia heideggeriana.; Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES; A presente pesquisa visa analisar a questão da subjetividade e sua articulação com o tema da finitude no pensamento de Martin Heidegger. Tomaremos para isso...

Félix Guattari : subjetividade, capitalismo e educação; Félix Guattari : subjectivity, capitalism and education

André Campos de Camargo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
A obra conceitual de Félix Guattari - formada por livros, cursos, artigos, entrevistas, etc.- pode ser descrita como o resultado de sua intensa militância política misturada à prática clínica e às leituras filosóficas, científicas e artísticas. Nela encontramos ecos de um antigo e grande projeto geral que permeou as pesquisas de inúmeros intelectuais desde Kant e que em sua época constituía uma pergunta da qual se ocupavam vários pensadores franceses. Tal projeto pode ser resumido pela questão: como nos tornamos o que somos? Nessa (im) possível filiação, Guattari parece ter respondido: tornamo-nos o que somos pela produção de subjetividade. Mas antes de respondê-la, ele formulou inúmeras perguntas, como por exemplo: Qual a relação do capitalismo com a produção de subjetividade? A produção de subjetividade é estritamente humana? Como os processos de subjetivação organizam a subjetividade na atualidade? Por que uma determinada produção de subjetividade se faz presente e não outra? Os equipamentos coletivos funcionam como produtores de subjetividade? É possível resistir aos processos de produção de subjetividade? Analisar a obra de Guattari, tendo em vista esse provável projeto geral em que ela se insere e os questionamentos que ela suscita frente ao presente...

Subjetividade e objetividade no debate entre socratismo e cristianismo em Kierkegaard : uma analise a partir do Post-Scriptum

Marcio Gimenes de Paula
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37%
Em que consiste o pensamento objetivo? Qual é a base do pensamento subjetivo? Há uma cisão irrecuperável entre essas duas formas de pensar? Poderiam ambas ajudar-se mutuamente? A objetividade não foi, ao longo dos anos, confundida com objetivismo? Subjetividade não foi confundida com subjetivismo, arbitrariedade ou mera vontade individual? Pensando nessas questões- e no conflito entre subjetividade e objetividade desenvolvo nessa dissertação um estudo de tal temática baseando-me na obra de Kierkegaard (1813-1855). Para a realização de tal tarefa, analiso especialmente o Post-Scriptum, relacionando-o com algumas outras obras suas e pseudônimos do pensador dinamarquês. A relação entre subjetividade e objetividade em Kierkegaard se esclarece através da sua concepção das figuras de Sócrates e Cristo. O pensador grego e Cristo- a suma imagem do mistério- são tomados como exemplos de subjetividade, a despeito de suas diferenças. Nessa pesquisa, três outros autores são de importância capital para Kierkegaard: Hegel, Lessing e Feuerbach. Hegel não figura apenas como oponente de Kierkegaard. Tal oposição kierkegaardiana foi tratada como uma estratégia no contexto geral de suas obras. O pensador dinamarquês também não defende uma subjetividade que pode ser confundida com qualquer espécie de subjetivismo...

A criatividade no trabalho pedagógico do Professor e o movimento em sua subjetividade

Arruda, Tatiana Santos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
37.05%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, 2014.; Esta pesquisa possui como tema a criatividade no trabalho pedagógico do professor e os movimentos na subjetividade dos docentes, a partir das produções subjetivas que se formam no curso dessa expressão criativa. Tivemos como objetivo geral: compreender processos subjetivos que configuram a criatividade no trabalho pedagógico do professor e suas inter-relações com o movimento em sua subjetividade. Assumimos, neste estudo, a definição de criatividade como processo complexo da subjetividade humana, na simultânea condição de subjetividade individual e subjetividade social, a qual se expressa no trabalho pedagógico por meio de novidades com valor para o processo de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes, conforme a abordagem teórica de Mitjáns Martínez. E a subjetividade que se define segundo a perspectiva Histórico-Cultural desenvolvida por González Rey. Para a investigação empreendida, pautamo-nos na Epistemologia Qualitativa e na realização de três estudos de casos com professores da rede pública de ensino do Distrito Federal. Para a construção das informações, utilizamos como instrumentos: observação; análise documental; entrevistas; túnel do tempo; redações; completamento de frases; resolução de situações do cotidiano educativo; conversas informais; dentre outros. O processo construtivo-interpretativo nos permitiu formular a tese de que os processos subjetivos que configuram a criatividade no trabalho pedagógico do professor são singulares...

O movimento da subjetividade no processo de superação as dificuldades de aprendizagem escolar

Rossato, Maristela
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2009.; O tema desta pesquisa envolve a superação das dificuldades de aprendizagem escolar na dinâmica da subjetividade. Fundamentados na Teoria da Subjetividade de González Rey, que buscou na Teoria Histórico-Cultural e na Teoria da Complexidade elementos para a compreensão do funcionamento da subjetividade como sistema, partimos do pressuposto de que o movimento da subjetividade é contínuo. O objetivo central da pesquisa foi compreender como se dá o movimento da subjetividade no processo de superação das dificuldades de aprendizagem escolar. Realizamos a pesquisa empírica orientados pelos princípios da Epistemologia Qualitativa, que pressupõem a produção do conhecimento por meio da análise construtivo-interpretativa. Nos três casos analisados, identificamos o movimento contínuo da subjetividade, mas registramos a superação das dificuldades de aprendizagem somente nos dois casos em que as mudanças subjetivas adquiriram certa estabilidade, originando outras mudanças e gerando novos níveis qualitativos de organização subjetiva, o que qualificamos como desenvolvimento da subjetividade. A análise desses casos permitiu fundamentar a tese de que a superação das dificuldades de aprendizagem escolar requer o desenvolvimento da subjetividade. Com base nas informações produzidas...

Teoria constitucional-democrática e subjetividade : problematizando o sujeito de direito

Rocha, Eduardo Gonçalves
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
37.05%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Direito, Pós-Graduação em Direito, 2013.; Este trabalho nasce da inquietação sobre como o constitucionalismo-democrático tem ignorado a realidade como sistema subjetivamente produzido, estando suas reflexões adstritas ao campo instituído, excluindo a complexidade do sentido; busca interpretar o constitucionalismo como um sistema de verdades subjetivamente criado. Para isso, formula-se o seguinte problema: quais as consequências jurídico-constitucionais de se pensar complexamente o sujeito de direito tendo como embasamento a categoria subjetividade? Para se chegar à resposta, define-se o que se entende por subjetividade e por constitucionalismo, apresenta-se o sujeito de direito como categoria-chave para pensar essa relação, concluindo que o constitucionalismo deve se abrir para o micropolítico, a democracia de sentidos. No primeiro capítulo, dedica-se ao conceito de subjetividade, estruturando o referencial teórico. Inicialmente, enfrenta-se o senso comum que envolve essa categoria, para, então, apresentar a definição dela. Com fundamento em Gonzalez Rey...

Os impactos dos alunos com desenvolvimento atípico na subjetividade do professor e a configuração do trabalho pedagógico

Santos, Geandra Cláudia Silva
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2010.; O objetivo central da pesquisa foi compreender como o trabalho com alunos que têm desenvolvimento atípico, impacta a subjetividade dos professores, e como essa subjetividade individual, articulada à subjetividade social da escola, participa na configuração do trabalho pedagógico realizado. O estudo respaldou-se teoricamente, na Teoria da Subjetividade de González Rey e, dialogou com outros autores voltados para reflexões direcionadas à educação de pessoas com desenvolvimento atípico e à prática educativa. Para a concretização do trabalho, realizamos o estudo de três casos, considerando os fundamentos da Epistemologia Qualitativa, que orienta a produção do conhecimento, por meio da análise construtivo-interpretativa. O estudo ocorreu com a participação de professores de escolas públicas, iniciantes na experiência de ensinar alunos com desenvolvimento atípico, por meio de instrumentos escritos e não-escritos. A análise das informações conduziu a constatação de que houve movimentação na subjetividade dos professores, configurando-se como mudança significativa, apenas em um deles. As mudanças na subjetividade dos professores mobilizaram uma configuração congruente do trabalho pedagógico...

A construção da subjetividade de adolescentes: a relação do indivíduo com o grupo

Soares, Cláudia Jeane de Freitas
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37%
Os estudos sobre adolescência são marcados por concepções polissêmicas, perspectiva organicista, naturalizante e universal caracterizada por crises e tormenta, mas na concepção histórico-social, o sujeito é visto numa dialética entre ele e contexto social. O desenvolvimento do ser humano se dá nas inter-relações, as quais também são relações sociais que possibilitam a este ser humano vivenciar seu processo de construção da subjetividade. A subjetividade é um sistema complexo, construída pela dinâmica da sociedade e das pessoas que a constituem. A formação de grupos sociais entre adolescentes se torna um espaço importante que possibilita diversas experiências: o contato com o outro, a troca, entre outros sentimentos, pois é na dinâmica relacional que a subjetividade se constitui. O presente artigo buscará realizar uma análise das relações entre pares na construção da subjetividade dos adolescentes. Investigando e identificando de que forma os grupos se formam e como se dá a interação dos mesmos e de que maneira esta colabora no processo de construção da subjetividade do sujeito. Para isso, este estudo foi realizado com 12 adolescentes do 9°ano do ensino fundamental, utilizou-se a abordagem qualitativa e como instrumento o grupo focal...

Paradoxo do motorista de ônibus como passageiro: subjetividade, atividade, videografia

Zamboni, Jésio; Universidade Federal do Espírito Santo (UFES); Barros, Maria Elizabeth Barros de; Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
Fonte: ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade; ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade Publicador: ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade; ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade
Tipo: ; Formato: application/pdf
Publicado em 21/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.91%
Esse ensaio teórico configura-se como uma experimentação analítica dos processos de trabalho do motorista de ônibus coletivo urbano pela produção videográfica. Trata-se de uma abordagem em que as dimensões da subjetividade e da atividade revelam-se intrínsecas uma à outra pela situação produtiva concreta, perspectivada como paradoxo a viver. O paradoxo que se toma como mote para esse estudo é o do motorista como primeiro passageiro, que nos indica que o transporte se constrói pela relação de trabalho essencial entre motorista e passageiro. A análise videográfica desde o olhar de passageiro desenha o espectador como expectante ativo de outras maneiras de fazer pesquisa sobre subjetividade e atividade, pelo paradigma transdisciplinar, e de outros modos de construir políticas públicas de transporte coletivo urbano, considerando como crucial os problemas da atividade produtiva concreta nessa construção.