Página 1 dos resultados de 12522 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Avaliação do efeito de aplicação foliar de soluções contendo ácidos humicos sobre a produtividade e a absorção de nutrientes pela soja.

BENITES, V. M.; BETTA, M.; ROJAS, E. P.; SOARES, L. C. S.; FRANCHINI, J. C.; HERNANI, L. C.; TAVARES, S.; ESCALEIRA, V.
Fonte: In: REUNIÃO DE PESQUISA DE SOJA DA REGIÃO CENTRAL DO BRASIL, 30., 2008, Rio Verde. Resumos... Londrina: Embrapa Soja, 2008. Publicador: In: REUNIÃO DE PESQUISA DE SOJA DA REGIÃO CENTRAL DO BRASIL, 30., 2008, Rio Verde. Resumos... Londrina: Embrapa Soja, 2008.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Formato: p. 290-2
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.76%
O uso produtos a base de ácidos húmicos como fertilizantes orgânicos tem crescido bastante no Brasil. Existe hoje no mercado nacional uma série de produtos que contêm ácidos húmicos, extraídos de diferentes fontes, que estão sendo comercializados para aplicação foliar em soja. O MAPA ainda na possui metodologia adequada para a caracterização e avaliação agronômica desse tipo de produtos o que tem dificultado os processos de registro e fiscalização do mesmos. Na última safra, experimentos conduzidos em Rio Verde-GO mostraram um efeito positivo da aplicação foliar de soluções de ácidos húmicos sobre a produtividade da soja (Benites et al., 2006). Contudo uma avaliação mais abrangente é necessária, envolvendo outras regiões, variedades e épocas de cultivo, visando a obtenção de resultados mais conclusivos. Nesse intuito, durante a XXIX RPSRCB, foi sugerida a montagem de uma pequena rede para avaliação dessa tecnologia. O objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito da aplicação foliar de soluções contendo ácidos húmicos sobre a produtividade e absorção de nutrientes pela soja em um ensaio em rede em 4 diferentes localidades.; 2008; Organizado por Odilon Ferreira Saraiva, César de Castro, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite...

Insetos desfolhadores de soja x cultivares precoces: o que muda em relação à proteção de plantas?

BUENO, A. de F.
Fonte: In: REUNIÃO DE PESQUISA DE SOJA DA REGIÃO CENTRAL DO BRASIL, 32., 2011, São Pedro, SP. Ata... Londrina: Embrapa Soja, 2011. p. 50-51. Editada por Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Rafael Moreira Soares, Adilson de Oliveira Junior. Versão on-line. Publicador: In: REUNIÃO DE PESQUISA DE SOJA DA REGIÃO CENTRAL DO BRASIL, 32., 2011, São Pedro, SP. Ata... Londrina: Embrapa Soja, 2011. p. 50-51. Editada por Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Rafael Moreira Soares, Adilson de Oliveira Junior. Versão on-line.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.87%
O manejo integrado de pragas da soja (MIP-Soja) preconiza que a soja tem uma tolerância natural ao ataque de pragas antes de ter sua produtividade ameaçada. Assim, infestações de insetos são toleráveis até um determinado nível (nível de dano econômico) sem que haja qualquer redução econômica da produtividade. Portanto, para evitar que população ultrapasse o nível de dano econômico a aplicação de inseticidas é realizada quando a população de pragas for igual ou superior aos níveis de ação (NA), que representa a hora certa do controle ser realizado. Para desfolhadores na soja, esse NA é de 30% de desfolha no período vegetativo ou 15% se a cultura estiver no estágio reprodutivo. Entretanto, nos últimos anos, esses níveis de ação vêm tendo sua confiabilidade questionada, devido principalmente às grandes mudanças que ocorreram no sistema produtivo da soja. Entre essas mudanças estão novas cultivares que foram lançadas no mercado com diferentes características como, por exemplo, tipo de crescimento indeterminado e ciclo precoce. Ainda, nos últimos 40 anos dobrouAta da XXXII Reunião de Pesquisa de Soja da Região Central do Brasil 51 se a média de produtividade da cultura no país. Passou-se de uma produtividade média de menos de 1500 kg/ha na década de 70 para cerca de 3000 kg/ha nos dias atuais. Neste contexto...

Cultivares de soja BRS 278RR e BRS 279RR: descrição, comportamento e indicação para cultivo para os estados do Tocantins, Maranhão e Piauí.

PEREIRA, M. J. Z.; MOREIRA, J. U. V.; MEYER, M. C.; KLEPKER, D.; MONTALVAN, A. R.; PÍPOLO, A. E.; TOLEDO, J. F. F.; KASTER, M.; ARIAS, C. A. A.; CARNEIRO, G. E. S.; OLIVEIRA, M. F.; SOARES, R. M.; ALMEIDA, A. M. R.; DIAS, W. P.; CARRÃO-PANIZZI, M. C.; A
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 5., 2009; MERCOSOJA, 2009, Goiânia. Resumos... Londrina: Embrapa Soja, 2009. p. 230, trab. 421. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Odilon Ferreira Saraiva, Clara Beatriz Hoffmann Campo, César de Castro Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 5., 2009; MERCOSOJA, 2009, Goiânia. Resumos... Londrina: Embrapa Soja, 2009. p. 230, trab. 421. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Odilon Ferreira Saraiva, Clara Beatriz Hoffmann Campo, César de Castro
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.81%
2009; Trabalho publicado também em 1 CD-ROM em Resumos Expandidos do CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 5., 2009; MERCOSOJA, 2009, Goiânia. Autoria: MONTALVÁN, A. R.[i.e. AGUILA, R. M. D.].

Caracterização da qualidade comercial da soja colhida na safra 2011-2012 no Estado do Paraná e Mato Grosso do Sul.

OLIVEIRA, M. A. de; LORINI, I.; HENNING, A. A.; MANDARINO, J. M. G.; CHIODELLI, A.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 5 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.83%
A soja tem se consolidado como um dos principais produtos de exportação do Brasil e uma das principais commodities do mundo. A produção brasileira atingiu 75 milhões de toneladas na safra 2010/11. A qualidade da soja colhida e comercializada é fundamental para garantir mercados interno e externo, por isto a necessidade de se conhecer os detalhes que afetam a qualidade da soja colhida a cada safra é vital. O objetivo deste trabalho foi de caracterizar a qualidade comercial da soja colhida na safra 2011/2012, no estado do Paraná e do Mato Grosso do Sul, considerando a classificação comercial, o teor de óleo e proteína, e a presença de fungos contaminantes. Amostras de soja colhidas nestas regiões foram coletadas de diversos pontos representados por coleta direto do produtor no momento da colheita, bem como na recepção de unidades armazenadoras de grãos. Após acondicionadas, as mesmas foram encaminhadas a Embrapa Soja, onde foi realizada a classificação comercial, determinação do teor de óleo, de proteína, e da sanidade pela presença de fungos contaminantes. Os resultados mostraram que houve amostras com teor de impurezas, grãos esverdeados e grãos avariados acima dos limites tolerados pela legislação brasileira. O teor de óleo e proteína não sofreram alterações significativas nestas amostras em função dos defeitos de campo. A presença de fungos importantes como Aspergilus sp e Fusarium sp encontrados nas amostras...

Aceitabilidade de extratos de soja obtidos a partir de 13 cultivares desenvolvidas pela embrapa soja.

BENASSI, V. de T.; BENASSI, M. T.; MANDARINO, J. M. G.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 5 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.81%
O extrato de soja está presente em grande parte das bebidas à base de soja, cujo mercado vem crescendo a taxas elevadas em todo o mundo, devido a características de conveniência (pronto para beber), saudabilidade (sem lactose e gorduras saturadas) e diversificação (multiplicidade de sabores) do produto. Os fabricantes de extrato de soja necessitam de cultivares cujos grãos resultem em bebidas de boa aceitação sensorial. Neste trabalho, 13 cultivares desenvolvidas pela Embrapa Soja foram avaliadas quanto à aceitação sensorial de seus extratos, por meio de uma equipe de 60 consumidores. As cultivares BRS 212, 215, 230 e 231, seja por sua nota média de aceitação e/ou por preferência, distinguiram se das demais cultivares testadas em relação ao potencial para a produção de extrato de soja. Assim, constituem-se em boas opções de matéria prima para os fabricantes de extrato, podendo atender diferentes segmentos de consumidores.; 2012

BRS 8990RR: cultivar de soja indicada para o Maranhão, Piauí e Tocantins.

PEREIRA, M. J. Z.; MOREIRA, J. U. V.; KLEPKER, D.; MEYER, M. C.; MONTALVAN, R.; PIPOLO, A. E.; KASTER, M.; ARIAS, C. A. A.; CARNEIRO, G. E. S.; OLIVEIRA, M. F.; SOARES, R. M.; ALMEIDA, A. M. R.; DIAS, W. P.; ABDELNOOR, R. V.; MELO, C. L. P.; MELLO FILHO,
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.85%
A soja é uma das principais culturas do agronegócio brasileiro. A cada ano são demandadas cultivares com potencial produtivo superior às cultivares do mercado. A Embrapa Soja vem desenvolvendo cultivares de soja produtivas e adaptadas às diferentes regiões edafoclimáticas do Brasil. O objetivo deste trabalho é apresentar a cultivar BRS 8990RR, desenvolvida pela Embrapa Soja em convênio com a Fapcen, indicada para o cultivo nos estados do Maranhão, norte do Tocantins e sudoeste do Piauí. A BRS 8990RR é uma cultivar de soja transgênica tolerante ao herbicida glifosato, do grupo de maturidade relativo 8.9, tipo de crescimento determinado, flor branca, pubescência marrom clara e cor de hilo preta. Nas safras 2007/08, 2008/09, 2009/10 e 2010/11 ela foi avaliada em experimentos de Valor de Cultivo e Uso em diferentes locais no MA, PI, TO, decidindo-se então pelo seu lançamento. A cultivar apresenta elevado potencial produtivo, sendo superior às quatro cultivares testemunhas utilizadas nos experimentos (BRS 279RR, BRS 270RR, P99R01 e M9144RR), com rendimento médio de 3.691 kg/ha, ao passo que a média das testemunhas foi de 3.466 kg/ha, apresentando ainda resistência às principais doenças da soja e estabilidade na altura de plantas...

BRS Pérola: cultivar de soja indicada para o Maranhão, Piauí e Tocantins.

PEREIRA, M. J. Z.; MOREIRA, J. U. V.; KLEPKER, D.; MEYER, M. C.; MONTALVAN, R.; PIPOLO, A. E.; KASTER, M.; ARIAS, C. A. A.; CARNEIRO, G. E. de S.; OLIVEIRA, M. F. de; SOARES, R. M.; ALMEIDA, A. M. R.; DIAS, W. P.; ABDELNOOR, R. V.; MELO, C. L. P.; MELLO F
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.85%
Cultivares de soja com elevado potencial produtivo são requeridas todos os anos pelos agricultores. A Embrapa Soja vem desenvolvendo cultivares de soja produtivas e adaptadas às diferentes regiões edafoclimáticas do Brasil. O objetivo deste trabalho é apresentar a cultivar BRS Pérola, desenvolvida pela Embrapa Soja em convênio com a Fapcen, indicada para o cultivo nos estados do Maranhão, norte do Tocantins e sudoeste do Piauí. A BRS Pérola é uma cultivar de soja convencional, do grupo de maturidade relativo 8.8, tipo de crescimento determinado, flor branca, pubescência marrom médio e cor de hilo marrom. Nas safras 2007/08, 2008/09, 2009/10 e 2010/11 ela foi avaliada em experimentos de Valor de Cultivo e Uso em diferentes locais no MA, PI, TO, decidindo-se então pelo seu lançamento. A cultivar apresenta elevado potencial produtivo, ficando acima das três cultivares testemunhas utilizadas nos experimentos (BRS Tracajá, M-Soy 8866 e P98C81), com rendimento médio de 3.652 kg/ha, ao passo que a média das testemunhas foi de 3.436 kg/ha, indicando ainda resistência às principais doenças da soja e estabilidade na altura de plantas, proporcionando a sua semeadura em áreas de baixas altitudes. A BRS Pérola é uma excelente opção de cultivar de soja convencional para o mercado.; 2012; Trabalho publicado também nos Resumos do CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA...

Produtividade da soja em sistema arborizado no noroeste do Paraná.

ANTONIO, S. F.; FRANCHINI, J. C.; SICHIERI, F.; PADULLA, R.; PORFIRIO-DA-SILVA, V.; DEBIASI, H.; BALBINOT JUNIOR, A. A.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.86%
Devido a maior complexidade dos sistemas integrados a interação entre os seus componentes ainda precisa ser mais bem entendida para que a sinergia entre eles possa ser maximizada. Nesse sentido, em uma área de iLPF implantada em 2009 no município de Santo Inácio, Noroeste do Paraná, foi avaliada a influência do componente arbóreo sobre a produtividade da soja no terceiro ano de condução. O sistema iLPF, composto por renques simples de Corymbia maculata, espaçados em 14 m entre renques e 4,2 m entre arvores, foi cultivado com soja no verão e Urochloa ruziziensis no inverno. A produtividade da soja no sistema iLPF foi comparada com a produtividade da soja cultivada em área próxima, sem arborização. O componente arbóreo proporcionou uma redução média de 4,3% na produtividade da soja. A produtividade da soja dentro dos renques variou de acordo com a posição em relação às árvores e em relação à orientação geográfica. As linhas de soja, próximas às arvores, tiveram a produtividade reduzida, sendo o efeito mais intenso para as posições com incidência direta do sol da tarde. As linhas de soja localizadas na porção central do entre renque tiveram a produtividade aumentada. A configuração do sistema iLPF com baixa densidade arbórea e as características da espécie de eucalipto utilizado...

Perdas de produtividade da soja em area infestada por nematoide das lesões radiculares em Vera, MT.

ANTONIO, S. F.; MENDES, F. L.; FRANCHINI, J. C.; DEBIASI, H.; DIAS, W. P.; RAMOS JUNIOR, E. U.; GOULART, A. M. C.; SILVA, J. F. V.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.81%
O nematoide das lesões radiculares atualmente é um dos principais problemas do sistema de produção e tem gerado grande preocupação aos produtores de grãos no Mato Grosso. Até o momento não existem estimativas precisas das perdas potenciais causadas por esse nematoide na produtividade da soja no estado. O presente trabalho teve por objetivo avaliar a produtividade da soja e a população de nematoides das lesões radiculares nas raízes da soja visando determinar a relação entre esses parâmetros para estimar as perdas de produtividade na cultura. O estudo foi realizado na safra 2011/2012 em Vera-MT visando o mapeamento da variabilidade espacial da produtividade da soja e da população de nematoides das lesões radiculares usando conceitos de geoestatística. Os resultados indicam alta correlação entre a produtividade da soja e a população do nematoide das lesões radiculares. Com base na equação ajustada foi possível determinar que a cada 82 individuos/g de raiz da soja ocorre a perda de 1 saca na produtividade. As perdas de produtividade, estimadas na área do estudo, variaram de 1 a 28 sacas/ha com valor médio de 12 sacas/ha ou 21% da produtividade.; 2012

Cobertura do solo e área foliar de uma cultivar de soja de hábito determinado cultivada no sistema de plantio cruzado.

BALBINOT JUNIOR, A. A.; PROCOPIO, S. O.; FRANCHINI, J. C.; DEBIASI, H.; NEUMAIER, N.; PANISON, F.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.81%
O sistema denominado Plantio Cruzado surgiu no Brasil com o objetivo de aumentar a densidade de plantas de soja sem concentrar demasiadamente as plantas na linha, o que acarretaria em competição intraespecífica muito intensa. Com essa técnica, alguns produtores de diversas regiões do Brasil têm conseguido superar a marca de 6 t ha-1 de grãos de soja. A partir desse contexto, objetivou-se com o presente trabalho avaliar a cobertura do solo e a área foliar da cultivar de soja de hábito determinado, BRS 294 RR, cultivada nos sistemas de plantio cruzado e não cruzado. O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental da Embrapa Soja, Londrina, PR, durante o período de outubro de 2011 a março de 2012. Utilizou-se o delineamento de blocos ao acaso em esquema fatorial 2 x 2 x 2, com três repetições. Os tratamentos foram formados pela combinação de dois espaçamentos entre fileiras (0,4 e 0,6 m), duas densidades de semeadura (375.000 e 562.500 sementes por hectare) e dois sistemas de plantio (plantio cruzado e não cruzado). Em geral, o plantio cruzado, o aumento da densidade de plantas e a redução do espaçamento entre fileiras proporcionaram incrementos na cobertura do solo pelas plantas de soja da cultivar BRS 294 RR. O plantio cruzado não afetou a área foliar por planta...

Cobertura do solo e área foliar de uma cultivar de soja de hábito indeterminado cultivada no sistema de plantio cruzado.

PROCOPIO, S. O.; BALBINOT JUNIOR, A. A.; FRANCHINI, J. C.; DEBIASI, H.; NEUMAIER, N.; PANISON, F.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.81%
A modificação do arranjo espacial das plantas de soja pode ser a forma mais rápida de aumento da média de rendimento de grãos de soja, sem alterações na sustentabilidade dos sistemas de produção. A partir desse cenário, objetivou-se com o presente trabalho avaliar a cobertura do solo e a área foliar de uma cultivar de soja de hábito indeterminado, BRS 359 RR, cultivada no sistema de plantio cruzado e não cruzado. O experimento foi realizado a campo localizado na Fazenda Experimental da Embrapa Soja em Londrina-PR, durante o período de outubro de 2011 a março de 2012. Utilizou-se o delineamento de blocos ao acaso em esquema fatorial 2 x 2 x 2, com três repetições. Os tratamentos foram formados pela combinação de dois espaçamentos (0,4 e 0,6 m), duas densidades de semeadura (375.000 e 562.500 sementes por hectare) e dois sistemas de plantio (plantio cruzado e não cruzado). No plantio cruzado, o aumento da densidade de plantas e a redução do espaçamento entre fileiras proporcionaram incrementos na cobertura do solo pelas plantas de soja da cultivar BRS 359 RR. O plantio cruzado aumentou a porcentagem de solo descoberto por palha e plantas de soja no início do ciclo de desenvolvimento da cultura.; 2012

Inferência sobre a estrutura populacional da soja comercializada no Brasil, usando dados genotípicos, para uso no mapeamento associativo de alto teor de proteína e maior eficiência na fixação biológica de nitrogênio.

TORRES, A. R.; GRUNVALD, A. K.; MARTINS, T. B.; SANTOS, M. A.; LEMOS, N. G.; SILVA, L. A. S.; HUNGRIA, M.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.81%
Uma dificuldade encontrada nos programas de melhoramento de soja é a de aumentar o teor de proteína sem reduzir a produtividade de grãos. Para contornar essa dificuldade, uma alternativa seria melhorar a eficiência da fixação biológica de nitrogênio (FBN). A associação simbiótica entre a soja e bactérias das espécies Bradyrhizobium japonicum e B. elkanii tem importância mundial para a cultura. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a estrutura populacional das principais cultivares de soja comercializadas no Brasil, usando dados genotípicos, para uso no mapeamento associativo de alto teor de proteína e maior eficiência na FBN. O experimento foi realizado no Laboratório de Biotecnologia do Solo da Embrapa Soja. Um total de 192 cultivares de soja foram genotipadas com 21 marcadores SSR relacionados a QTLs que controlam teor de proteína em soja. A genotipagem foi feita em geis de poliacrilamida a 10% e oito marcadores não ligados foram selecionados para análise de estrutura populacional com o software Structure. Foi testada a hipótese de 1 a 10 subpopulações, com mistura e frequências alélicas correlacionadas. O número de alelos na população variou entre 2 e 11, com uma média de 4,3 alelos por lócus. Somente dois marcadores não revelaram polimorfismo. Os resultados mostraram que a população está estruturada...

Análise econômica da produção de soja no cerrado: três formas de financiamento do custeio - safra 2011-2012

SILVA NETO, S. P. da; VELOSO, R. F.; MALAQUIAS, J. V.; SOUSA, T. R.; ABUD, S.; MOREIRA, C. T.; MELO, R. A. C.; CORTE, J. D.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa; Londrina: Embrapa Soja, 2012. 1 CD-ROM. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Clara Beatriz Hoffmann-Campo, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Ricardo Vilela Abdelnoor. VI CBSoja. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa; Londrina: Embrapa Soja, 2012. 1 CD-ROM. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Clara Beatriz Hoffmann-Campo, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Ricardo Vilela Abdelnoor. VI CBSoja.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.86%
Com o objetivo de avaliar o impacto da forma de financiamento do custeio sobre a rentabilidade da sojicultura, os custos e receitas de um sojicultor do Sudeste de Goiás foram avaliados por meio de um estudo de caso em uma analise sintética ex ante. Os dados de custo foram cotados em cooperativas, revendas e empresas compradoras de soja que atuam na região, comparando três modalidades de financiamento: crédito rural, compra dos insumos para pagamento na safra e financiamento via troca (soja verde), com a modalidade pagamento a vista. A receita foi estimada com base na produtividade média de 53 sacas de soja por hectare, em uma área de 620 hectares. Verificou-se que ao preço de venda da soja a R$ 42,00 por saca de 60 kg seria possível obter um lucro operacional de R$ 202.588,15, se o custeio fosse feito com recurso próprio; R$ 136.248,15, se o custeio fosse financiado pelo crédito rural; R$ 108.348,15, se o custeio fosse financiado por revenda de insumos; e R$ 79.208,15, se o custeio fosse financiado por meio de operações de troca (soja verde). O impacto das modalidades de financiamento sobre a rentabilidade da atividade de produção de soja foi de (-) 33%, (-) 47% e (-) 61%, respectivamente: financiando pelo credito rural...

Avaliação da sucessão soja superprecoce trigo no planalto central do Brasil.

RIBEIRO JUNIOR, W. Q.; SILVA NETO, S. P. da; DIANESE, A. de C.; RAMPAZZO, L. S.; SANDRI, G. F.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa; Londrina: Embrapa Soja, 2012. 1 CD-ROM. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Clara Beatriz Hoffmann-Campo, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Ricardo Vilela Abdelnoor. VI CBSoja. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa; Londrina: Embrapa Soja, 2012. 1 CD-ROM. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Clara Beatriz Hoffmann-Campo, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Ricardo Vilela Abdelnoor. VI CBSoja.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.89%
Com o plantio de soja superprecoce, abre-se a possibilidade de sucessão de culturas, e neste caso além de possibilitar uma rotação de culturas tem-se a possibilidade com a antecipação da colheita da soja obter melhor preço de venda. Com o objetivo de estudar a viabilidade do plantio de trigo safrinha após soja no Cerrado do Planalto Central, montou-se um experimento para avaliar o plantio de soja superprecoce seguido do plantio de trigo safrinha, produzindo assim duas safras no período. O plantio de soja foi realizado em 08 de outubro de 2010, com linhagens de soja superprecoce provenientes do programa de melhoramento de soja da Embrapa. A colheita foi realizada dia 25 de janeiro de 2011 com colhedora de parcela Winterstiger. Para a cultura do trigo, oito genótipos desenvolvidos para ambas as épocas, (safrinha e inverno), sendo eles, Aliança, Brilhante, BR18, BRS254, BRS264, PF020037 e PF020062, foram plantados, sem irrigação, no dia 31 de janeiro de 2011, logo após a colheita da soja superprecoce, utilizando-se apenas a adubação residual da soja. A unidade experimental foi de 15m2 com 3 repetições em blocos ao acaso. Como ocorreu alta incidência de brusone (Pyricularia grisea) na cultura do trigo, demarcou-se em cada parcela uma área de 1m2 para avaliação da porcentagem de impacto da doença. A colheita mecânica das parcelas foi finalizada em 09 de maio de 2011. O rendimento de grãos das culturas foi obtido por meio da pesagem das parcelas...

BRS 8990RR: cultivar de soja indicada para o Maranhão, Piauí e Tocantins.

PEREIRA, M. J. Z.; MOREIRA, J. U. V.; KLEPKER, D.; MEYER, M. C.; MONTÁLVAN, R.; PIPOLO, A. E.; KASTER, M.; ARIAS, C. A. A.; CARNEIRO, G. E. S.; OLIVEIRA, M. F.; SOARES, R. M.; ALMEIDA, A. M. R.; DIAS, W. P.; ABDELNOOR, R. V.; MELO, C. L. P.; MELLO FILHO,
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.83%
A soja é uma das principais culturas do agronegócio brasileiro. A cada ano são demandadas cultivares com potencial produtivo superior às cultivares do mercado. A Embrapa Soja vem desenvolvendo cultivares de soja produtivas e adaptadas às diferentes regiões edafoclimáticas do Brasil. O objetivo deste trabalho é apresentar a cultivar BRS 8990RR, desenvolvida pela Embrapa Soja em convênio com a Fapcen, indicada para o cultivo nos estados do Maranhão, norte do Tocantins e sudoeste do Piauí. A BRS 8990RR é uma cultivar de soja transgênica tolerante ao herbicida glifosato, do grupo de maturidade relativo 8.9, tipo de crescimento determinado, flor branca, pubescência marrom clara e cor de hilo preta. Nas safras 2007/08, 2008/09, 2009/10 e 2010/11 ela foi avaliada em experimentos de Valor de Cultivo e Uso em diferentes locais no MA, PI, TO, decidindo-se então pelo seu lançamento. A cultivar apresenta elevado potencial produtivo, sendo superior às quatro cultivares testemunhas utilizadas nos experimentos (BRS 279RR, BRS 270RR, P99R01 e M9144RR), com rendimento médio de 3.691 kg/ha, ao passo que a média das testemunhas foi de 3.466 kg/ha, apresentando ainda resistência às principais doenças da soja e estabilidade na altura de plantas...

BRS Pérola: cultivar de soja indicada para o Maranhão, Piauí e Tocantins.

PEREIRA, M. J. Z.; MOREIRA, J. U. V.; KLEPKER, D.; MEYER, M. C.; MONTALVÁN, R.; PIPOLO, A. E.; KASTER, M.; ARIAS, C. A. A.; CARNEIRO, G. E. S.; OLIVEIRA, M. F.; SOARES, R. M.; ALMEIDA, A. M. R.; DIAS, W. P.; ABDELNOOR, R. V.; MELO, C. L. P.; MELLO FILHO,
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.83%
Cultivares de soja com elevado potencial produtivo são requeridas todos os anos pelos agricultores. A Embrapa Soja vem desenvolvendo cultivares de soja produtivas e adaptadas às diferentes regiões edafoclimáticas do Brasil. O objetivo deste trabalho é apresentar a cultivar BRS Pérola, desenvolvida pela Embrapa Soja em convênio com a Fapcen, indicada para o cultivo nos estados do Maranhão, norte do Tocantins e sudoeste do Piauí. A BRS Pérola é uma cultivar de soja convencional, do grupo de maturidade relativo 8.8, tipo de crescimento determinado, flor branca, pubescência marrom médio e cor de hilo marrom. Nas safras 2007/08, 2008/09, 2009/10 e 2010/11 ela foi avaliada em experimentos de Valor de Cultivo e Uso em diferentes locais no MA, PI, TO, decidindo-se então pelo seu lançamento. A cultivar apresenta elevado potencial produtivo, ficando acima das três cultivares testemunhas utilizadas nos experimentos (BRS Tracajá, M-Soy 8866 e P98C81), com rendimento médio de 3.652 kg/ha, ao passo que a média das testemunhas foi de 3.436 kg/ha, indicando ainda resistência às principais doenças da soja e estabilidade na altura de plantas, proporcionando a sua semeadura em áreas de baixas altitudes. A BRS Pérola é uma excelente opção de cultivar de soja convencional para o mercado.; 2012

BRS 8990RR: cultivar de soja indicada para o Maranhão, Piauí e Tocantins.

PEREIRA, M. J. Z.; MOREIRA, J. U. V.; KLEPKER, D.; MEYER, M. C.; MONTALVÁN, R.; PIPOLO, A. E.; KASTER, M.; ARIAS, C. A. A.; CARNEIRO, G. E. S.; OLIVEIRA, M. F.; SOARES, R. M.; ALMEIDA, A. M. R.; DIAS, W. P.; ABDELNOOR, R. V.; MELO, C. L. P.; MELLO FILHO,
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa; Londrina: Embrapa Soja, 2012. 1 CD-ROM. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Clara Beatriz Hoffmann-Campo, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Ricardo Vilela Abdelnoor. VI CBSoja. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa; Londrina: Embrapa Soja, 2012. 1 CD-ROM. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Clara Beatriz Hoffmann-Campo, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Ricardo Vilela Abdelnoor. VI CBSoja.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.85%
A soja é uma das principais culturas do agronegócio brasileiro. A cada ano são demandadas cultivares com potencial produtivo superior às cultivares do mercado. A Embrapa Soja vem desenvolvendo cultivares de soja produtivas e adaptadas às diferentes regiões edafoclimáticas do Brasil. O objetivo deste trabalho é apresentar a cultivar BRS 8990RR, desenvolvida pela Embrapa Soja em convênio com a Fapcen, indicada para o cultivo nos estados do Maranhão, norte do Tocantins e sudoeste do Piauí. A BRS 8990RR é uma cultivar de soja transgênica tolerante ao herbicida glifosato, do grupo de maturidade relativo 8.9, tipo de crescimento determinado, flor branca, pubescência marrom clara e cor de hilo preta. Nas safras 2007/08, 2008/09, 2009/10 e 2010/11 ela foi avaliada em experimentos de Valor de Cultivo e Uso em diferentes locais no MA, PI, TO, decidindo-se então pelo seu lançamento. A cultivar apresenta elevado potencial produtivo, sendo superior às quatro cultivares testemunhas utilizadas nos experimentos (BRS 279RR, BRS 270RR, P99R01 e M9144RR), com rendimento médio de 3.691 kg/ha, ao passo que a média das testemunhas foi de 3.466 kg/ha, apresentando ainda resistência às principais doenças da soja e estabilidade na altura de plantas...

BRS Pérola: cultivar de soja indicada para o Maranhão, Piauí e Tocantins.

PEREIRA, M. J. Z.; MOREIRA, J. U. V.; KLEPKER, D.; MEYER, M. C.; MONTALVÁN, R.; PIPOLO, A. E.; KASTER, M.; ARIAS, C. A. A.; CARNEIRO, G. E. S.; OLIVEIRA, M. F.; SOARES, R. M.; ALMEIDA, A. M. R.; DIAS, W. P.; ABDELNOOR, R. V.; MELO, C. L. P.; MELLO FILHO,
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa; Londrina: Embrapa Soja, 2012. 1 CD-ROM. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Clara Beatriz Hoffmann-Campo, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Ricardo Vilela Abdelnoor. VI CBSoja. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa; Londrina: Embrapa Soja, 2012. 1 CD-ROM. Editado por Adilson de Oliveira Júnior, Clara Beatriz Hoffmann-Campo, Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite, Ricardo Vilela Abdelnoor. VI CBSoja.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.85%
Cultivares de soja com elevado potencial produtivo são requeridas todos os anos pelos agricultores. A Embrapa Soja vem desenvolvendo cultivares de soja produtivas e adaptadas às diferentes regiões edafoclimáticas do Brasil. O objetivo deste trabalho é apresentar a cultivar BRS Pérola, desenvolvida pela Embrapa Soja em convênio com a Fapcen, indicada para o cultivo nos estados do Maranhão, norte do Tocantins e sudoeste do Piauí. A BRS Pérola é uma cultivar de soja convencional, do grupo de maturidade relativo 8.8, tipo de crescimento determinado, flor branca, pubescência marrom médio e cor de hilo marrom. Nas safras 2007/08, 2008/09, 2009/10 e 2010/11 ela foi avaliada em experimentos de Valor de Cultivo e Uso em diferentes locais no MA, PI, TO, decidindo-se então pelo seu lançamento. A cultivar apresenta elevado potencial produtivo, ficando acima das três cultivares testemunhas utilizadas nos experimentos (BRS Tracajá, M-Soy 8866 e P98C81), com rendimento médio de 3.652 kg/ha, ao passo que a média das testemunhas foi de 3.436 kg/ha, indicando ainda resistência às principais doenças da soja e estabilidade na altura de plantas, proporcionando a sua semeadura em áreas de baixas altitudes. A BRS Pérola é uma excelente opção de cultivar de soja convencional para o mercado.; 2012

Produção de soja em resposta ao efeito residual da adubação nitrogenada, da inoculação com azospirillum Brasilense e do manejo com braquiária no milho safrinha.

JORDÃO, L. T.; LIMA, F. F.; MORETTI, P. A. E.; LIMA, R. S.; MELO, C. V. C. B.; GOMES, C. C. E.; GIMENEZ, M. H. Z.; BALDO, A.; OLIVEIRA JUNIOR, A. de; MUNIZ, A. S.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.; 4 p.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.83%
Aproveitou-se um experimento de manejo da adubação nitrogenada na cultura do milho, conduzido no norte do Paraná, onde se avalia fatores como doses de N em cobertura, inoculação com Azospirillum e consórcio milho safrinha/braquiária para verificar a resposta da cultura da soja à estes fatores. Os tratamentos foram arranjados em esquema fatorial, adotando o delineamento de blocos ao acaso, com parcelas subdivididas em faixas. Assim, nas parcelas foram alocados as doses de nitrogênio x presença e ausência de Azospirillum brasilense e, em faixa nas subparcelas o milho safrinha solteiro ou consorciado com braquiária. O experimento foi conduzido com quatro repetições, totalizando 64 parcelas. Na cultura da soja, utilizou-se a mesma adubação em todos os tratamentos de soja, contendo 52 kg ha-1 de P2O5 e 52 kg ha-1 de K2O, ambos na semeadura. Também foi realizada a inoculação das sementes com estirpes de Bradyrhizobium japonicum. No primeiro ano de cultivo da sucessão soja-milho safrinha, os teores totais de N nas folhas, na parte aérea das plantas e nos grãos, bem como a massa de 100 sementes e o rendimento de grãos de soja, não diferiram significativamente em função dos níveis de N aplicados no solo no desenvolvimento da cultura do milho safrinha. Também não foi observado resultado positivo nas mesmas variáveis em resposta à inoculação do milho com Azospirillum brasilense...

Caracterização sensorial e rendimento de extrato hidrossolúvel em cultivares de soja especiais para a alimentação humana.

ALVES, F. P.; OLIVEIRA, M. A.; LEITE, R. S.; SEIBEL, N. F.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. 4 p. 1 CD-ROM. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOJA, 6., 2012, Cuiabá. Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: anais. Brasília, DF: Embrapa, 2012. 4 p. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.81%
Estudos realizados a partir dos anos 90, evidenciando a funcionalidade da soja, vêm despertando o interesse aumentar o consumo, tanto do grão in natura como de seus derivados. O extrato hidrossolúvel de soja (EHS) ou leite de soja é um dos derivados da soja mais conhecidos pelos brasileiros. O presente trabalho teve por objetivo diferenciar sensorialmente os EHS das cultivares de sojas especiais para a alimentação humana: Embrapa 48, BRS 213, BRS 216, BRS 257, BRS 258, BRS 267 e BRS 282; e da cultivar convencional BRS 232, todas desenvolvidas pela Embrapa Soja e cultivadas na safra 2009/10, comparando seus rendimentos durante o processamento. Com os extratos padronizados a 3,4% de proteína, os maiores rendimentos foram obtidos pelas cultivares BRS 232, BRS 257 e BRS 282, diferenciando-se das demais cultivares testadas em relação ao potencial para a produção de extrato de soja. Todos os EHS foram muito semelhantes em relação à análise sensorial, entretanto a BRS 213 se destacou por apresentar o menor gosto residual. Amostras com características sensoriais mais próximas às características habituais de consumo (extrato com adição de açúcar e de aromatizante), possivelmente teriam resultado em maior discriminação sensorial entre as cultivares.; 2012