Página 1 dos resultados de 309 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Sexualidade e envelhecimento: uma análise da relação atividade e satisfação sexual; Sexuality and aging: an analysis of relationship between sexual activity and satisfaction

Rodrigues, Carlos Lima
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.68%
O objetivo desta tese é analisar se há associação entre atividade sexual e satisfação sexual, e as condições demográficas, socioeconômicas e de saúde, e também a importância dada à vida sexual no passado e no presente, para a população idosa residente no município de São Paulo. Foram considerados os dados do Estudo SABE - Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento, relativos à amostra de 2006, composta por 1.078 sujeitos, correspondendo após ponderação a uma população de 854.724 idosos do município de São Paulo. Homens e mulheres foram analisados separadamente, e os dados comparados posteriormente. Os resultados mostraram que frente ao aumento da idade e determinadas condições socioeconômicas e de saúde, a satisfação sexual é cada vez menos associada à atividade sexual, sendo isso mais verificado entre as mulheres do que os homens. Em relação às condições de saúde, a ocorrência de doenças entre as mulheres mostrou mais interferência negativa para a satisfação sexual do que entre os homens. Entre os casados verificou-se maior relação entre a atividade sexual e a satisfação sexual. Como conclusão observou-se que, com o avanço da idade, a satisfação sexual está menos associada à realização de atividade sexual...

Relacionamento conjugal no início da gravidez e aos três meses pós-parto : frequência e satisfação sexual

Rodrigues, Joana Carneiro
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.69%
Dissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia Clínica e da Saúde); Este estudo tem como objetivo identificar diferenças na frequência e satisfação sexual, entre o primeiro trimestre de gravidez e três meses pós-parto. Outro objetivo é avaliar o efeito da relação conjugal, da frequência e da satisfação sexual, no primeiro trimestre de gravidez, nas mesmas variáveis, três meses pós-parto. Participaram 97 indivíduos, com idades compreendidas entre os 17 e 46 anos, utentes da Consulta Externa de Ginecologia/Obstetrícia da Maternidade Júlio Dinis. Os instrumentos utilizados foram um questionário sociodemográfico e o Relationship Questionnaire (RQ). Os resultados revelaram que não existem diferenças na frequência e satisfação sexual, entre o primeiro trimestre de gravidez e três meses pós-parto. A relação conjugal positiva e negativa, no primeiro trimestre de gravidez, predizem a relação conjugal positiva e negativa, três meses pós-parto. A frequência sexual, no primeiro trimestre de gravidez, prediz a frequência sexual, três meses pós-parto. A satisfação sexual e a relação conjugal positiva, no primeiro trimestre de gravidez, predizem a satisfação sexual...

Satisfação sexual de homens com lesão vertebro-medular; Sexual satisfaction of men with spinal cord injury

Pereira, Teresa Adelaide Ribeiro; Vilaça, Teresa
Fonte: Publicações CIEd Publicador: Publicações CIEd
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.61%
A satisfação sexual de pessoas com lesão vertebro-medular (LVM) é influenciada por fatores relacionais, físicos e psicossociais. Para compreender a satisfação sexual de homens com LVM em Portugal realizou-se esta investigação que, entre outros objetivos, procurou: i) descrever as mudanças ocorridas na vida quotidiana após a LVM; ii) caracterizar a satisfação sexual dos homens depois da LVM. Com essa intenção, fez-se um estudo de natureza qualitativa, com recurso a uma entrevista semiestruturada, realizada numa amostra de conveniência de homens com LVM de origem traumática (N=12), que estiveram internados num serviço de reabilitação. Verificou-se neste estudo que todos os relacionamentos permaneceram bons e a parte afetiva ficou mais forte em detrimento da parte sexual. Uma parte destes homens continuou a ter projetos para o futuro, nomeadamente a manifestar o desejo de poderem concretizar o papel da paternidade. O amor, o carinho, o beijo, o toque e certas atitudes que costumavam ter antes da lesão continuaram a dar prazer após a lesão, exceto nas zonas do corpo que não tinham sensibilidade, ou que tinham a sensibilidade diminuída. O desejo sexual continuou a existir, mas alguns referiram estar alterado ou diminuído. A ejaculação estava ausente na maioria destes homens e mais de metade da amostra tomava medicação para ter ereção suficientemente firme e duradoura. Estes resultados mostram como é importante desenvolver no futuro mais investigação a nível da sexualidade e educação em sexualidade de homens com LVM.; Sexual satisfaction of individuals with spinal cord injury (SCI) is influenced by relational...

Determinantes da satisfação conjugal : felicidade, bem-estar subjetivo, personalidade e satisfação sexual

Carvalho, Tânia Alexandra Martins
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 15/10/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.66%
Sendo uma necessidade fundamental do Homem na vida adulta, o casamento é considerado um investimento afetivo e emocional entre duas pessoas. Este estudo teve como objetivo verificar a associação existente entre a satisfação conjugal e alguns determinantes da mesma, como a felicidade, o bem-estar subjetivo, a personalidade e a satisfação sexual. Trata-se de um estudo quantitativo correlacional a uma amostra constituída por 136 adultos. Foram utilizados como instrumentos de avaliação o Questionário Sociodemográfico, a Escala de Avaliação da Satisfação em Áreas da Vida Conjugal (EASAVIC), o Índice de Bem-estar Pessoal (IBP), a Escala Sobre a Felicidade e o Inventário da Personalidade NEO-FFI. Os principais resultados revelam que os indivíduos mais felizes apresentam-se mais satisfeitos em áreas da vida conjugal, como nas relações extrafamiliares, continuidade da relação, comunicação e gestão de conflitos, sentimentos e expressão dos mesmos, sexualidade e intimidade emocional. Verificamos, também, que o bem-estar subjetivo está associado ao modo como os indivíduos geram os conflitos, a uma melhor comunicação e uma maior intimidade emocional. Porém, não se encontra associado às funções familiares e aos tempos livres. A satisfação sexual encontra-se fortemente associada à satisfação conjugal...

Satisfação sexual feminina: Relação com funcionamento sexual e comportamentos sexuais

Pechorro, Pedro Fernandes dos Santos; Diniz, António Augusto Pinto Moreira; Vieira, Rui Xavier
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
66.64%
O objectivo da presente investigação foi o estudo em mulheres da relação entre satisfação sexual e funcionamento sexual, e entre satisfação sexual e comportamentos sexuais. Recorreu-se ao Índice de Satisfação Sexual (ISS; Hudson, Harrison, & Crosscup, 1981) e ao Índice de Funcionamento Sexual Feminino (FSFI; Rosen et al., 2000). Utilizou-se uma amostra de conveniência recrutada da população feminina geral com N=152 (leque etário=26-70 anos; M=41 anos). Os resultados obtidos não demonstraram qualquer relação significativa entre a satisfação sexual e as fases do ciclo de resposta sexual, mas demonstraram uma relação significativa entre a satisfação sexual e o comportamento sexual carícias e preliminares.

Imagem corporal da mulher com cancro de mama: Impacto na qualidade do relacionamento conjugal e na satisfação sexual

Ramos, Ana Sofia; Patrão, Ivone Alexandra Martins
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.53%
Este trabalho teve como objectivo o estudo da imagem corporal, da qualidade do relacionamento conjugal e da satisfação sexual de mulheres com cancro de mama. Neste estudo participaram trinta mulheres com cancro de mama, submetidas a uma cirurgia (radical ou parcial) e posterior tratamento (quimioterapia, radioterapia e/ou hormonoterapia). Todas as participantes eram casadas ou viviam em união de facto e mantinham uma actividade sexual com o companheiro. Para a avaliação das variáveis em estudo utilizou-se: a Escala de Imagem Corporal “Como me relaciono com o meu corpo”, a Escala de Relacionamento Conjugal e o Índice de Satisfação Sexual. Os resultados obtidos apontaram para a inexistência de problemas ao nível da imagem corporal e da qualidade do relacionamento conjugal. Constatou-se, no entanto, a existência de problemática ao nível da satisfação sexual das participantes.

Satisfação sexual e percepção de saúde em mulheres com incontinência urinária

Ribeiro, José Luís Pais; Raimundo, Alexandra Chaves Ribeiro Assis
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.55%
A incontinência urinária (IU) é um problema comum entre as mulheres de quase todas as idades. O problema de higiene associado ao conceito de IU tem impacto na vida do dia a dia das mulheres, na sua percepção de saúde e qualidade de vida e na vida sexual, nomeadamente na satisfação sexual. O objectivo do presente estudo era descrever as relações entre variáveis demográficas, variáveis clínicas relacionadas com a IU, percepção de saúde e satisfação sexual. Participaram 93 mulheres com diagnóstico de IU. Responderam a um conjunto de questionários que incluíam variáveis demográficas, variáveis relacionadas com a IU (duração da IU, frequência da perda de urina, percepção da gravidade da IU), à versão portuguesa do Urogenital Distress Inventory, de Dugan et al. (1998), do Self-Esteem and Relationship Questionnaire, de Cappeleri et al. (2002), e o SF-8, uma forma reduzida do SF-36 desenvolvido por Ware et al. (1993). Os resultados mostram que a idade, a escolaridade, o tempo de existência de sintomas, sintomas de IU segundo o UDI, frequência de relações sexuais e percepção de saúde mental são as variáveis que descrevem melhor a satisfação com as relações sexuais. A análise de regressão linear mostra que as variáveis que permanecem na equação e que explicam a variância da satisfação sexual são a escolaridade...

Qualidade de vida, suporte social e satisfação sexual em mulheres com incontinência urinária

Raimundo, Alexandra Chaves Ribeiro Assis
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2003 POR
Relevância na Pesquisa
66.68%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Saúde; O presente estudo foi concebido com o objectivo de, junto da população feminina com Incontinência Urinária, averiguar quais as relações entre níveis de Qualidade de Vida, Suporte Social, Satisfação Sexual e Grau de Incómodo com a IU, bem como identificar Variáveis de Doença e Variáveis Demográficas que possam influenciar estas relações, e de que forma. Trata-se, portanto de um estudo de carácter exploratório e correlacionai. Pareceu-nos pertinente apresentar uma introdução acerca de cada um dos temas em estudo (Qualidade de Vida, Suporte Social, Satisfação Sexual e Incontinência Urinária) tentando abordá-los quer individualmente, quer na sua vertente de relação uns com os outros, sempre que possível. A amostra é composta por participantes do sexo feminino que sofrem de Incontinência Urinária, e cuja média de idades é de 60,15 anos, às quais foi solicitado o preenchimento de um protocolo constituído por um "Questionário Demográfico", uma escala de Qualidade de Vida (SF-8), uma escala de Suporte Social (ESSS), uma escala de Satisfação Sexual (SEAR Questionnaire) e uma escala específica para a Incontinência Urinária (Grau de Incómodo com a Incontinência Urinária - UDI-6). Registaram-se bons níveis de correlação entre a Qualidade de Vida e todas as outras Variáveis Principais...

Um olhar sobre as relações amorosas : Satisfação conjugal, intimidade e satisfação sexual

Lopes, Bruna Sofia Nogueira
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.73%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA- Instituto Universitário; Este estudo tem como objectivo estudar a relação entre satisfação conjugal, intimidade e satisfação sexual; e verificar como estas variáveis se comportam em função do tipo de relacionamento (namoro, união de facto/casamento) e do sexo (masculino, feminino) dos sujeitos. Participaram neste estudo 193 sujeitos sem filhos, residentes no Distrito de Lisboa com idades compreendidas entre 20 e 51 anos, sendo que a maioria dos sujeitos tinha idades entre 20 e 30 anos. Em relação ao sexo dos participantes, 43.5% eram do sexo masculino e 56,5% eram do sexo feminino. Encontra-se em relação de namoro 52.8% dos participantes, em união de facto 24.4% dos participantes e em casamento 22.8% dos participantes. Este estudo utilizou uma metodologia quantitativa. O instrumento utilizado é composto por: Escala de Avaliação da Satisfação em Áreas da Vida Conjugal (EASAVIC), (Narciso & Costa, 1996); Escala de Avaliação Pessoal da Intimidade em Relacionamentos (PAIR), (Schaefer & Olson, 1981, versão Portuguesa: Moreira & Canavarro, 2007); e Índice de Satisfação Sexual (ISS), (Hudson, Harrison & Crosscup, 1981, versão Portuguesa: Pechorro, Diniz...

Satisfação sexual feminina: Relação com funcionamento sexual e comportamentos sexuais

Pechorro, Pedro; Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa; Diniz, António; ISPA-IU; Vieira, Rui; Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.64%
O objectivo da presente investigação foi o estudo em mulheres da relação entre satisfação sexual e funcionamento sexual, e entre satisfação sexual e comportamentos sexuais. Recorreu-se ao Índice de Satisfação Sexual (ISS; Hudson, Harrison, & Crosscup, 1981) e ao Índice de Funcionamento Sexual Feminino (FSFI; Rosen et al., 2000). Utilizou-se uma amostra de conveniência recrutada da população feminina geral com N=152 (leque etário=26-70 anos; M=41 anos). Os resultados obtidos não demonstraram qualquer relação significativa entre a satisfação sexual e as fases do ciclo de resposta sexual, mas demonstraram uma relação significativa entre a satisfação sexual e o comportamento sexual carícias e preliminares.

Imagem corporal da mulher com cancro de mama: Impacto na qualidade do relacionamento conjugal e na satisfação sexual

Ramos, Ana Sofia; ISPA; Patrão, Ivone; ISPA
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.53%
Este trabalho teve como objectivo o estudo da imagem corporal, da qualidade do relacionamento conjugal e da satisfação sexual de mulheres com cancro de mama. Neste estudo participaram trinta mulheres com cancro de mama, submetidas a uma cirurgia (radical ou parcial) e posterior tratamento (quimioterapia, radioterapia e/ou hormonoterapia). Todas as participantes eram casadas ou viviam em união de facto e mantinham uma actividade sexual com o companheiro. Para a avaliação das variáveis em estudo utilizou-se: a Escala de Imagem Corporal “Como me relaciono com o meu corpo”, a Escala de Relacionamento Conjugal e o Índice de Satisfação Sexual. Os resultados obtidos apontaram para a inexistência de problemas ao nível da imagem corporal e da qualidade do relacionamento conjugal. Constatou-se, no entanto, a existência de problemática ao nível da satisfação sexual das participantes.

Satisfação sexual e percepção de saúde em mulheres com incontinência urinária

Ribeiro, J. Pais; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto; Raimundo, A.; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.55%
A incontinência urinária (IU) é um problema comum entre as mulheres de quase todas as idades. O problema de higiene associado ao conceito de IU tem impacto na vida do dia a dia das mulheres, na sua percepção de saúde e qualidade de vida e na vida sexual, nomeadamente na satisfação sexual. O objectivo do presente estudo era descrever as relações entre variáveis demográficas, variáveis clínicas relacionadas com a IU, percepção de saúde e satisfação sexual. Participaram 93 mulheres com diagnóstico de IU. Responderam a um conjunto de questionários que incluíam variáveis demográficas, variáveis relacionadas com a IU (duração da IU, frequência da perda de urina, percepção da gravidade da IU), à versão portuguesa do Urogenital Distress Inventory, de Dugan et al. (1998), do Self-Esteem and Relationship Questionnaire, de Cappeleri et al. (2002), e o SF-8, uma forma reduzida do SF-36 desenvolvido por Ware et al. (1993). Os resultados mostram que a idade, a escolaridade, o tempo de existência de sintomas, sintomas de IU segundo o UDI, frequência de relações sexuais e percepção de saúde mental são as variáveis que descrevem melhor a satisfação com as relações sexuais. A análise de regressão linear mostra que as variáveis que permanecem na equação e que explicam a variância da satisfação sexual são a escolaridade...

Satisfação sexual na demência

Nogueira,Marcela Moreira Lima; Brasil,Denise; Sousa,Maria Fernanda Barroso de; Santos,Raquel Luiza; Dourado,Marcia Cristina Nascimento
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.54%
CONTEXTO: A demência pode resultar em comprometimento da intimidade e sexualidade de casais idosos. OBJETIVOS: Avaliar alterações na atividade sexual, bem como os fatores de satisfação e/ou insatisfação sexual de casais nos quais um dos parceiros possua demência. MÉTODO: Busca nas bases de dados ISI, PubMed/Medline e SciELO de artigos sobre sexualidade na demência, entre janeiro de 1990 e março de 2012, utilizando as palavras-chave: "demência", "satisfação sexual", "intimidade" e "sexualidade". RESULTADOS: Foram encontrados 12 artigos. A sobrecarga de cuidados e a alteração de papéis na relação conjugal foram consideradas as principais causas para o declínio da atividade sexual. A disfunção erétil em pacientes e cônjuges, a capacidade decisória para o consentimento da relação sexual por parte do paciente demenciado e os problemas referentes à idade e à saúde (física e emocional) do cônjuge e/ou paciente foram os fatores associados à insatisfação sexual. CONCLUSÃO: A intimidade e a atividade sexual dos casais em que um dos parceiros é portador de demência são influenciadas negativamente pela relação de cuidados decorrente da doença e pela sobrecarga dos cônjuges. Por outro lado, a atividade sexual pode ser positivamente substituída por demonstrações de carinho e empatia entre os cônjuges.

Comunicação com o/a parceiro/a sexual, auto-eficácia contracetiva e satisfação sexual

Pereira, Alice; ISMAI- Instituto Universitário da Maia; Fávero, Marisalva; ISMAI- Instituto Universitário da Maia; Barbosa-Ducharne, Maria Adelina; Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.; Almeida, Ana Isabel; ISMAI-
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.6%
A satisfação sexual tem sido relacionada com a comunicação com o/a parceiro/a e com o sentido de auto-eficácia. Este estudo pretende explorar diferenças entre homens e mulheres a nível da satisfação sexual, comunicação com um/a novo/a parceiro/a e autoeficácia contracetiva, e as relações evidenciadas entre elas. Participaram 537 universitários (271 homens e 266 mulheres), dos 18 aos 25 anos e sexualmente ativos. Utilizou-se as versões portuguesas das escalas Golombok Rust Inventory of Sexual Satisfaction - GRISS, Health Protective Sexual Comunication Scale, e Contaceptive Self-Efficacy. Verificou-se que as mulheres apresentam maior capacidade de comunicação com um/a novo/a parceiro/a e maior auto-eficácia contracetiva, sem diferenças entre os sexos na satisfação sexual. A auto-eficácia associa-se positivamente à satisfação sexual, mas de modo diferencial nos dois sexos. A eficácia contracetiva e a capacidade de comunicação com um/a novo/a parceiro/a estão também positivamente associadas, mas apenas nas mulheres.

Satisfação Sexual e Qualidade de Vida da Mulher no Climatério

Sousa, Inês Margarida Nogueira de
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.7%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, ramo de Psicologia Clínica e da Saúde; O aumento da esperança de vida possibilitou que um número cada vez maior de mulheres, possa vivenciar a meia-idade e, por consequência, surja um maior número de queixas relacionadas com o climatério. O principal objetivo da presente investigação foi verificar se existe relação entre a QDV e a satisfação sexual em mulheres no climatério. Os objetivos específicos foram: caracterizar a QDV e a satisfação sexual das participantes; analisar a relação entre a satisfação sexual e as variáveis sociodemográficas (e.g., idade, estado civil, escolaridade) e variáveis clinicas (fase do climatério e medicação). Foram também analisadas as diferenças entre as mulheres nas diferentes fases do climatério quanto à QDV. A amostra deste estudo é constituída por 100 senhoras entre os 40 e os 64 anos (M= 49,6), (DP= 6,1), que compareceram às Consultas de Psicologia e Consultas Externas de Ginecologia, do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, E.P.E. e que responderam a um Questionário sociodemográfico e clínico; World’s Health Organization Quality of Life – versão abreviada (WHOQOL-Bref) e ao Inventário de Satisfação Sexual de Golombok Rust. Globalmente...

(Des)construindo o puzzle da satisfação sexual : significações de indivíduos heterossexuais em coabitação

Nunes, Inês Vigário
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.66%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; No presente estudo exploratório, pretende-se explorar as significações associadas à definição de satisfação sexual para indivíduos com relação de conjugalidade em coabitação. Com isto, espera-se contribuir para a investigação em sexualidade através da criação de uma base de conhecimento sobre as significações mais salientes na compreensão da satisfação sexual. A sexualidade e conjugalidade são conceitos associados, consequentemente, o seu estudo pressupõe a exploração de dimensões complexas através duma perspectiva sistémica e ecológica, considerando aspectos individuais, relacionais, sexuais e contextuais. A investigação é assim, organizada no sentido de mapear as peças relevantes no puzzle da satisfação sexual, partindo da voz dos participantes. Para tal, esta investigação recorre a uma metodologia qualitativa, baseada num paradigma construcionista de recolha e análise interpretativa de dados. A amostra consiste em 681 indivíduos, tendo sido objecto de estudo as suas significações atribuídas à satisfação sexual. Estas foram analisadas quanto à sua saliência no universo de respostas e...

Sexual satisfaction in dementia; Satisfação sexual na demência

Nogueira, Marcela Moreira Lima; Brasil, Denise; Sousa, Maria Fernanda Barroso de; Santos, Raquel Luiza; Dourado, Marcia Cristina Nascimento
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Instituto de Psiquiatria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.58%
BACKGROUND: Dementia may result on impairment in intimacy and sexuality of elderly couples. OBJECTIVES: Evaluate changes in sexual activity, as well as the factors which cause sexual satisfaction and/or dissatisfaction in couples in which one of the partners has dementia. METHOD: A search at ISI, PubMed/Medline and SciELO was made for articles about sexuality in dementia, from January 1990 to March 2012, using the keywords: "dementia", "sexual satisfaction", "intimacy" and "sexuality". RESULTS: Twelve articles were selected. The burden of care and the change of roles in couples' relationship were the main reasons for decrease of sexual activity. Erectile dysfunction in patients and spouses, the decision-making capacity for sexual relationship from the patient who has dementia and the problems related to age and health (physical and emotional) of spouses and/or patients were considered as reasons associated with sexual dissatisfaction. DISCUSSION: When one partner has dementia, the couples' intimacy and sexual activity are negatively influenced by the relationship of care related to the disease and by the spouse's burden. On the other hand, sexual activity may be positively replaced by displays of affection and empathy between the couple.; CONTEXTO: A demência pode resultar em comprometimento da intimidade e sexualidade de casais idosos. OBJETIVOS: Avaliar alterações na atividade sexual...

Satisfação sexual feminina: Relação com funcionamento sexual e comportamentos sexuais

Pechorro,Pedro; Diniz,António; Vieira,Rui
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.64%
O objectivo da presente investigação foi o estudo em mulheres da relação entre satisfação sexual e funcionamento sexual, e entre satisfação sexual e comportamentos sexuais. Recorreu-se ao Índice de Satisfação Sexual (ISS; Hudson, Harrison, & Crosscup, 1981) e ao Índice de Funcionamento Sexual Feminino (FSFI; Rosen et al., 2000). Utilizou-se uma amostra de conveniência recrutada da população feminina geral com N=152 (leque etário=26-70 anos; M=41 anos). Os resultados obtidos não demonstraram qualquer relação significativa entre a satisfação sexual e as fases do ciclo de resposta sexual, mas demonstraram uma relação significativa entre a satisfação sexual e o comportamento sexual carícias e preliminares.

Comunicação com o/a parceiro/a sexual acerca de preocupações preventivas, auto-eficácia contracetiva e (in)satisfação sexual

Pereira,Alice; Fávero,Marisalva; Barbosa-Ducharne,Maria Adelina; Almeida,Ana Isabel; Figueiredo,Catarina
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.6%
A satisfação sexual tem sido relacionada com a comunicação com o/a parceiro/a e com o sentido de auto-eficácia contracetiva. Este estudo pretende explorar diferenças entre homens e mulheres a nível da satisfação sexual, comunicação com um/a novo/a parceiro/a e autoeficácia contracetiva, e as relações evidenciadas entre elas. Participaram 537 universitários (271 homens e 266 mulheres), dos 18 aos 25 anos e sexualmente ativos. Utilizaram-se as versões portuguesas das escalas Golombok Rust Inventory of Sexual Satisfaction - GRISS, Health Protective Sexual Comunication Scale, e Contaceptive Self-Efficacy. Verificou-se que as mulheres apresentam maior capacidade de comunicação com um/a novo/a parceiro/a e maior auto-eficácia contracetiva, sem diferenças entre sexos na satisfação sexual. A auto-eficácia contracetiva associa-se positivamente à satisfação sexual sendo, no entanto, essa associação mais elevada nos participantes do sexo masculino do que nos do sexo feminino. A eficácia contracetiva e a capacidade de comunicação com um/a novo/a parceiro/a estão também positivamente associadas, mas apenas nas mulheres

Satisfação sexual e percepção de saúde em mulheres com incontinência urinária

Ribeiro,J. Pais; Raimundo,A.
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.55%
A incontinência urinária (IU) é um problema comum entre as mulheres de quase todas as idades. O problema de higiene associado ao conceito de IU tem impacto na vida do dia a dia das mulheres, na sua percepção de saúde e qualidade de vida e na vida sexual, nomeadamente na satisfação sexual. O objectivo do presente estudo era descrever as relações entre variáveis demográficas, variáveis clínicas relacionadas com a IU, percepção de saúde e satisfação sexual. Participaram 93 mulheres com diagnóstico de IU. Responderam a um conjunto de questionários que incluíam variáveis demográficas, variáveis relacionadas com a IU (duração da IU, frequência da perda de urina, percepção da gravidade da IU), à versão portuguesa do Urogenital Distress Inventory, de Dugan et al. (1998), do Self-Esteem and Relationship Questionnaire, de Cappeleri et al. (2002), e o SF-8, uma forma reduzida do SF-36 desenvolvido por Ware et al. (1993). Os resultados mostram que a idade, a escolaridade, o tempo de existência de sintomas, sintomas de IU segundo o UDI, frequência de relações sexuais e percepção de saúde mental são as variáveis que descrevem melhor a satisfação com as relações sexuais. A análise de regressão linear mostra que as variáveis que permanecem na equação e que explicam a variância da satisfação sexual são a escolaridade...