Página 1 dos resultados de 993 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Germination of Ocotea pulchella (Nees) Mez (Lauraceae) seeds in laboratory and natural restinga environment conditions; Germinação de sementes de Ocotea pulchella (Nees) Mez (Lauraceae) em laboratório e em ambiente natural de Restinga

PIRES, LA.; CARDOSO, VJM.; JOLY, CA.; RODRIGUES, RR.
Fonte: Instituto Internacional de Ecologia Publicador: Instituto Internacional de Ecologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
37.46%
The germination response of Ocotea pulchella (Nees) Mez seeds to light, temperature, water level and pulp presence is introduced. The laboratory assays were carried out in germination chambers and thermal-gradient apparatus, whereas the field assays were performed in environments with distinct light, temperature and soil moisture conditions within a permanent parcel of Restinga forest of the Parque Estadual da Ilha do Cardoso, Cananéia, São Paulo. The seeds do not exhibit dormancy, they are non photoblastic, and a loss of viability in dry stored seeds can be related to a decrease in water content of the seed. The presence of the pulp and the flooded substratum influenced negatively the germination of O. pulchella seeds tested in the laboratory. Otherwise, light and temperature probably are not limiting factors of the germination of O. pulchella seeds in the natural environment of Restinga. The optimum temperature range for germination of Ocotea pulchella seeds was 20 to 32 ºC, the minimum or base temperature estimated was 11 ºC and the maximum ranged between 33 and 42 ºC. The isotherms exhibited a sigmoidal pattern well described by the Weibull model in the sub-optimal temperature range. The germinability of O. pulchella seeds in the understorey...

Gênese e classificação de solos sob vegetação de restinga na Ilha do Cardoso - SP; Genesis and classification of soils under restinga vegetation at Ilha do Cardoso-SP

Gomes, Felipe Haenel
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.46%
A vegetação de restinga é uma formação típica que ocorre na costa brasileira em materiais de origem quartzosos e pobres em nutrientes. O principal processo pedogenético que ocorre nos solos sob essa vegetação é a podzolização, sendo os Espodossolos e os Neossolos com podzolização incipiente os solos mais comumente encontrados. A podzolização é freqüentemente estudada em regiões de clima frio, sendo escassos os estudos dos mesmos em clima tropical e desenvolvidos sobre sedimentos marinhos quartzosos. Foram coletados e descritos morfologicamente nove perfis de solos sob vegetação de restinga na Ilha do Cardoso-SP com o objetivo de caracterizá-los em sua química, física, morfologia, mineralogia e estudar a dinâmica do Fe e do Al nestes solos com o intuito não só de se compreender melhor a gênese dos mesmos como para contribuir com o aprimoramento do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS). Os resultados mostraram solos hidromórficos, arenosos, muito ácidos, com teores variáveis de matéria orgânica e fases não cristalinas Al e Fe, sendo que o Al é o metal que participa mais efetivamente do processo de podzolização, o qual é altamente dependente da hidromorfia. Este fato é evidenciado pela microtopografia...

Espécies Arbustivo-arbóreas em clareiras e micro-sítios de luz em 5,12ha de Floresta de Restinga na Ilha do Cardoso, São Paulo; Trees and treelets species in gaps and light micro-sites in 5,12ha of Restinga Forest in Ilha do Cardoso, Sao Paulo State

Pardi, Mariana Meireles
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/04/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
Estudos da dinâmica de florestas tropicais evidenciam a importância do conhecimento da relação existente entre a luz e a distribuição das espécies para o entendimento da regeneração e manutenção da diversidade dessas comunidades. Para contribuir com este conhecimento para as espécies que ocorrem nas Restingas o presente estudo descreveu a distribuição dos indivíduos arbustivo-arbóreos com DAP maior que 4,8cm em treze categorias indiretas de regime de luz em 5,12 hectares de uma Floresta de Restinga situada na Ilha do Cardoso, Município de Cananéia, SP. Estas categorias correspondem aos diferentes microsítios de luz do mosaico florestal, e são oriundas da combinação entre condições quanto ao tipo ou ausência de cobertura (cobertura decídua, cobertura perenifólia ou a pleno sol) e situações de localização dos indivíduos arbustivoarbóreos na floresta (clareira, sub-bosque, dossel). As espécies amostradas foram classificadas em grupos ecológicos de acordo com a literatura disponível em pioneiras, secundárias iniciais, sub-bosque, clímax e não classificadas para correlação com a distribuição de seus indivíduos nas categorias de luz. Foram amostrados 7.277 indivíduos arbustivo-arbóreos sendo 381 pioneiros distribuídos em 12 espécies...

Relações florísticas, estruturais e ecológicas entre as florestas do topo da Serra do Mar e as florestas de restinga no Estado de São Paulo; Floristic, structural and ecological relationships between restinga florest and upper montane rain florest in Serra do Mar, SP, Brazil

Micheletti Neto, Joao Carlos Miguel Tomaz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.55%
As comunidades florestais periféricas às florestas que recobrem o sopé e as médias encostas da Serra do Mar apresentam uma convergência de fisionomias e aspectos xeromórficos, sustentada por floras que estão relacionadas quanto às suas origens. Como estas semelhanças podem indicar condições ecológicas similares, o trabalho investigou qualitativa e quantitativamente se as semelhanças fisionômicas, entre a Floresta do Topo dos Morros da Serra do Mar e a Floresta Seca de Restinga no Estado de São Paulo, são acompanhadas por semelhanças florísticas e estruturais. Esta investigação teve como objetivos: caracterizar e comparar, em termos fitossociológicos, as florestas secas de restinga e as florestas do topo das escarpas atlânticas; e analisar as relações entre possíveis padrões florísticos e estruturais do componente arbóreo destas florestas e condições edáficas e climáticas de seus ambientes. A amostragem foi realizada a partir de 10 parcelas de 10 m X 10 m em cada uma das seis áreas de estudo. Para o topo da Serra do Mar considerou-se a floresta nas seguintes Unidades de Conservação: Estação Biológica de Boracéia; Núcleo Curucutu do PESM e Parque Estadual Intervales. Para a floresta seca de restinga...

Diversidade e regeneração natural de árvores em florestas de restinga na ilha do Cardoso, Cananéia, SP, Brasil; Diversity and natural regeneration of trees in Restinga Forests in Ilha do Cardoso, Cananéia, SP, Brazil

Faria, Mariana Brando Balazs da Costa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/11/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.64%
Esta dissertação teve como objetivo analisar a dinâmica de regeneração natural de três formações florestais de restinga (uma Floresta de Restinga Alta Seca - RAS; uma Floresta de Restinga Alta Alagada - RAA; e uma Floresta de Restinga Baixa - RB) com diferentes condições edáficas, composições florísticas e estruturas, da Ilha do Cardoso, Cananéia, SP. Ao longo de um ano, procuramos entender os mecanismos que promovem as variações na composição e estrutura arbórea desses três sistemas. Para isso, entre fevereiro de 2007 e janeiro de 2008 nós acompanhamos a chuva de sementes das três florestas através 90 coletores de sementes de 0,5 m² (30 em cada floresta; Capítulo 1) e a comunidade de plântulas 50 cm de espécies arbóreas, através de 270 parcelas de 1 m² (90 em cada floresta; Capítulo 2). A dinâmica de regeneração natural das florestas foi analisada a partir dos dados de chuva de sementes, da dinâmica de plântulas (três censos em 12 meses), dos dados pré-coletados dos indivíduos arbóreos com DAP 5 cm das três florestas mais os dados ambientais de abertura de dossel (disponibilidade de luz) e teor de matéria orgânica (MO) no solo (Capítulo 3). Em relação à chuva de sementes, a RB apresentou quase o dobro de sementes do que as outras florestas. Por outro lado...

Ciclagem de carbono e nitrogênio no solo sob restinga do Estado de São Paulo; Carbon and nitrogen cycling in soil under Restinga of São Paulo State

Almeida, Diego Queiroz Alegria de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.6%
A Mata Atlântica é a segunda maior floresta brasileira, restando apenas 7,6% de sua extensão original. Porém, ainda são observadas manchas da floresta na Serra do Mar e na Serra da Mantiqueira, no sudeste do Brasil, sendo a Restinga o bioma mais susceptível a degradação. O objetivo principal desse trabalho foi estudar a ciclagem do carbono e do nitrogênio em solos arenosos sob diferentes vegetações (Ante-Duna, Duna Escrube e Restinga) do Litoral Norte e Sul do Estado se São Paulo. Foram analisadas amostras de solos nas seguintes áreas: Parque Estadual da Serra do Mar - Núcleo de Picinguaba, Parque Estadual da Ilha Anchieta, Estação Ecológica Juréia-Itatins, Vila de Pedrinhas no município de Ilha Comprida e Parque Estadual da Ilha do Cardoso. Foram coletadas 5 amostras de solo (0-5, 5-10, 10-15, 15-20 cm de profundidade) em cada local. Os resultados obtidos mostraram que os solos sob esses diferentes tipos de vegetações, apresentaram teores de carbono e nitrogênio muito baixo em comparação a solos sob outras vegetações da Mata Atlântica. As vegetações de Restinga (Alta e Baixa) foram as que apresentaram os maiores teores de carbono, principalmente a Restinga Alta na Ilha Anchieta, que obteve valores de 43...

Diversidade de aves em um fragmento de restinga no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, Brasil; Bird diversity of a Restinga area in northern coast of Rio Grande do Sul, Brazil

Sanabria, José Antônio Fazio
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
O litoral norte do Estado do Rio Grande do Sul vem sofrendo um aumento em sua urbanização nos últimos 30 anos, com significativas perdas de áreas naturais. As comunidades de aves dessas áreas são pouco conhecidas e seus hábitats têm sido rapidamente destruídos. Apenas alguns fragmentos preservam a vegetação de restinga original da costa do Rio Grande do Sul. O objetivo desse estudo foi realizar um inventário da avifauna em um desses fragmentos. A área de estudo é localizada no município de Capão da Canoa e apresenta a cobertura vegetal e hábitats originais, sendo composta por praia arenosa, dunas primárias, campos psamófilos e mata de restinga. Um total de 24 amostragens foi realizado entre junho de 2008 e junho de 2009. Em cada amostragem, todas as aves foram registradas através da visualização ou vocalização em seis transectos perpendiculares à costa. A composição de cada hábitat foi comparada usando o Índice de Jaccard. Foram registradas 111 espécies na área e a riqueza estimada (ICE) foi 127. Considerando freqüência e sazonalidade, 23% das espécies registradas foram consideradas residentes, 20% prováveis residentes, 9% sazonais e 48% esporádicas. A riqueza de espécies foi maior nos campos psamófilos (75 sp.) do que na mata de restinga (46 sp.)...

Ecologia do Alouatta fusca em floresta de encosta e de restinga no Sul do Brasil

Marcos de Souza Fialho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 13/09/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.55%
Neste estudo comparei a ecologia do A. fusca em mata de encosta e de restinga no município de Porto Alegre, próximo ao limite sul de distribuição da espécie. A mata de encosta diferencia-se da mata de restinga por se assentar sobre um escudo cristalino, apresentando maior riqueza, eqüidade, e conseqüente diversidade, e altura média das árvores superior. A mata de restinga ocupa os cordões arenosos às margens do Lago Guaíba, apresentando muitas epífitas e figueiras. Ficus organensis e Coussapoa microcarpa compreendem 55,3% de sua Dominância relativa. Em 1998 e 1999 acompanhamos dois bandos, um em cada fisionomia, utilizando o método scan samp/ing. No verão foram realizados 483 horas de observação (1448 scans) dos bandos, e no inverno, 386 horas (1160 scans). O bando da restinga, em números absolutos, se alimentou de menos espécies em ambas estações (contudo a diferença não foi significativa), mas consumiu mais frutos durante o verão (59% dos registros de alimentação vs. 39%, P=0,016), em sua maioria frutos de Moraceae. Além de diversas lianas não identificadas, as espécies mais utilizadas pelo bando da encosta no verão foram F. organensis e Lonchocarpus sp. (46, 7%). Na mata de restinga destacaram-se F. organensis e C. microcarpa (66...

Invasão biológica em restinga – o estudo de caso de Terminalia catappa l. (Combretaceae).

Plucenio, Renata Martins
Fonte: Florianópolis, SC. Publicador: Florianópolis, SC.
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 62
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.62%
TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências Biológicas. Biologia.; Áreas costeiras, em particular as dunas, são ecossistemas fortemente afetados pela invasão de plantas exóticas. Terminalia catappa L. é nativa da Malásia, invasora em regiões costeiras, comum na orla marítima brasileira desde a chegada dos europeus. A dispersão de sementes ocorre através de correntes aquáticas e morcegos. O estudo teve como objetivo principal identificar o grau de invasão da espécie em áreas de restinga de Florianópolis e analisar a suscetibilidade destes ambientes ao processo de invasão. As áreas estudadas foram dois arcos praiais de 4 km de comprimento, no norte da ilha de Santa Catarina (praias da Daniela e de Jurerê). Nas áreas, em até 30 m para o interior da vegetação de restinga, os indivíduos de T. catappa foram georreferenciados, mensurados quanto ao tamanho e aos sinais de reprodução, sendo analisada a estrutura da vegetação dos locais ocupados pela espécie e a presença de plantas de restinga abaixo e acima da copa destas plantas. Foram estabelecidas duas parcelas para avaliar a vegetação adjacente aos sítios ocupados por estas plantas e mais distantes a estas. Os dados mostram o estabelecimento da espécie na restinga...

Invasão biológica em restinga – o estudo de caso de Terminalia catappa l. (Combretaceae).

Plucenio, Renata Martins
Fonte: Florianópolis, SC. Publicador: Florianópolis, SC.
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 62
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.62%
TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências Biológicas. Biologia.; Áreas costeiras, em particular as dunas, são ecossistemas fortemente afetados pela invasão de plantas exóticas. Terminalia catappa L. é nativa da Malásia, invasora em regiões costeiras, comum na orla marítima brasileira desde a chegada dos europeus. A dispersão de sementes ocorre através de correntes aquáticas e morcegos. O estudo teve como objetivo principal identificar o grau de invasão da espécie em áreas de restinga de Florianópolis e analisar a suscetibilidade destes ambientes ao processo de invasão. As áreas estudadas foram dois arcos praiais de 4 km de comprimento, no norte da ilha de Santa Catarina (praias da Daniela e de Jurerê). Nas áreas, em até 30 m para o interior da vegetação de restinga, os indivíduos de T. catappa foram georreferenciados, mensurados quanto ao tamanho e aos sinais de reprodução, sendo analisada a estrutura da vegetação dos locais ocupados pela espécie e a presença de plantas de restinga abaixo e acima da copa destas plantas. Foram estabelecidas duas parcelas para avaliar a vegetação adjacente aos sítios ocupados por estas plantas e mais distantes a estas. Os dados mostram o estabelecimento da espécie na restinga...

Relative efficiency of anuran sampling methods in a restinga habitat (Jurubatiba, Rio de Janeiro, Brazil)

Rocha,C. F. D.; Van Sluys,M.; Hatano,F. H.; Boquimpani-Freitas,L.; Marra,R. V.; Marques,R. V.
Fonte: Instituto Internacional de Ecologia Publicador: Instituto Internacional de Ecologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2004 EN
Relevância na Pesquisa
37.55%
Studies on anurans in restinga habitats are few and, as a result, there is little information on which methods are more efficient for sampling them in this environment. Ten methods are usually used for sampling anuran communities in tropical and sub-tropical areas. In this study we evaluate which methods are more appropriate for this purpose in the restinga environment of Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. We analyzed six methods among those usually used for anuran samplings. For each method, we recorded the total amount of time spent (in min.), the number of researchers involved, and the number of species captured. We calculated a capture efficiency index (time necessary for a researcher to capture an individual frog) in order to make comparable the data obtained. Of the methods analyzed, the species inventory (9.7 min/searcher /ind.- MSI; richness = 6; abundance = 23) and the breeding site survey (9.5 MSI; richness = 4; abundance = 22) were the most efficient. The visual encounter inventory (45.0 MSI) and patch sampling (65.0 MSI) methods were of comparatively lower efficiency restinga, whereas the plot sampling and the pit-fall traps with drift-fence methods resulted in no frog capture. We conclude that there is a considerable difference in efficiency of methods used in the restinga environment and that the complete species inventory method is highly efficient for sampling frogs in the restinga studied and may be so in other restinga environments. Methods that are usually efficient in forested areas seem to be of little value in open restinga habitats.

Species composition, richness and nestedness of lizard assemblages from Restinga habitats along the brazilian coast

Rocha,CFD.; Vrcibradic,D.; Kiefer,MC.; Menezes,VA.; Fontes,AF.; Hatano,FH.; Galdino,CAB.; Bergallo,HG.; Van Sluys,M.
Fonte: Instituto Internacional de Ecologia Publicador: Instituto Internacional de Ecologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2014 EN
Relevância na Pesquisa
37.52%
Habitat fragmentation is well known to adversely affect species living in the remaining, relatively isolated, habitat patches, especially for those having small range size and low density. This negative effect has been critical in coastal resting habitats. We analysed the lizard composition and richness of restinga habitats in 16 restinga habitats encompassing three Brazilian states (Rio de Janeiro, Espírito Santo and Bahia) and more than 1500km of the Brazilian coast in order to evaluate if the loss of lizard species following habitat reduction occur in a nested pattern or at random, using the “Nestedness Temperature Calculator” to analyse the distribution pattern of lizard species among the restingas studied. We also estimated the potential capacity that each restinga has to maintain lizard species. Eleven lizard species were recorded in the restingas, although not all species occurred in all areas. The restinga with the richest lizard fauna was Guriri (eight species) whereas the restinga with the lowest richness was Praia do Sul (located at Ilha Grande, a large coastal island). Among the restingas analysed, Jurubatiba, Guriri, Maricá and Praia das Neves, were the most hospitable for lizards. The matrix community temperature of the lizard assemblages was 20.49° (= P <0.00001; 5000 randomisations; randomisation temperature = 51.45° ± 7.18° SD)...

Evolução morfodinâmica e antropogênica da unidade geomorfológica restinga no bairro do Recife Antigo-PE

Santos, Leandro Diomério João dos; Silva, Osvaldo Girão da (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
37.55%
A evolução da restinga do bairro do Recife Antigo pode ser divida em dois momentos um onde a dinâmica dos processos de âmbito natural ocorreu de maneira plena. Isto é, não houve a interferência humana de maneira a modificar a morfodinâmica natural da restinga. A posteriori ocorreu à ocupação e povoamento da capitania de Pernambuco, iniciando na cidade do Recife no século XVI, desta forma inicia a intervenção do novo agente geológico, o antrópico. Este conseguiu moldar a morfologia da restinga a partir da necessidade humana em obter mais espaço para o crescimento urbano. Partindo deste contexto, o objetivo norteador da pesquisa é analisar a evolução morfodinâmica da unidade geomorfológica restinga do bairro do Recife Antigo e correlacionar com as modificações antrópicas que levaram a mudanças na configuração natural da restinga. Foi realizado para alcançar este fim a reconstrução da evolução geomorfológica da restinga e as alterações sofridas pelos processos formativos. A pesquisa teve seu desenvolvimento contíguo à teoria dos sistemas, na qual, a mesma busca compreender o funcionamento da superfície terrestre como um todo, ou seja, explicar a dinâmica da perda, ganho e trocas de matéria e energia no planeta. Isso implica na análise complexa e integrada dos elementos naturais e antrópicos para um melhor entendimento da relação homem e natureza. E através dos sistemas pode inferir o processo de evolução da morfodinâmica da unidade geomorfológica restinga do Recife no progresso da paisagem. Christofoletti (1979 e 1999) assevera que os sistemas são estabelecidos por: elementos ou unidades...

Análise geoecológica do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba e sua zona de amortecimento terrestre utilizando geoprocessamento; Geoecological analysis of National Park Restinga of Jurubatiba and its buffer zone land using geoprocessing

Saulo de Oliveira Folharini
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
O ambiente sedimentar, onde se localiza o Parque Nacional (PARNA) da Restinga de Jurubatiba, foi durante os séculos XVIII, XIX e até a década de 1990 do século XX, muito alterado pelo homem, com atividades agropecuárias, como a criação de bovinos e plantações de cana de açúcar e coco, além de modificações na rede de drenagem e assoreamento de canais e lagoas costeiras. A partir da década de 1980, o município de Macaé passa a ser um polo petroquímico, atraindo grande contingente de mão de obra para trabalhar na extração de petróleo intensificando alterações de uso e ocupação do território. Com objetivo de minimizar as intervenções humanas no ecossistema de restinga, foi instituído em 29 de abril de 1998 o Parque Nacional (PARNA) da Restinga de Jurubatiba, localizado na faixa costeira de parte dos municípios de Macaé e Quissamã, e toda faixa costeira do município de Carapebus. Neste cenário, o estudo da paisagem fundamentado na análise sistêmica e na metodologia de geoecologia das paisagens proposta por Rodriguez, Silva e Cavalcanti (2004) mostra-se um importante instrumento de análise, embasando estudos de ordenamento territorial e planejamento ambiental. No presente estudo foi utilizada a proposta de Rodriguez...

Anurofauna da floresta de restinga do Parque Estadual da Ilha do Cardoso, Sudeste do Brasil: composição de espécies e uso de sítios reprodutivos; Anuran fauna of the restinga forest of the Parque Estadual da Ilha do Cardoso, Southeastern Brazil: species composition and breeding site utilization

VILELA, Vívian Maria de Faria Nasser; BRASSALOTI, Ricardo Augusto; BERTOLUCI, Jaime
Fonte: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Publicador: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.55%
O Parque Estadual da Ilha do Cardoso é uma área de grande importância para a conservação, pois abriga diferentes ecossistemas costeiros, como manguezais, dunas, restingas e mata atlântica de encosta, que, historicamente, estiveram sob forte pressão antrópica. A identificação duvidosa e a descoberta de novas espécies da anurofauna em ambientes costeiros, evidencia a escassez de estudos nessas regiões. Inventariamos a anurofauna da floresta de restinga do Parque Estadual da Ilha do Cardoso entre outubro de 2005 e outubro de 2007, por meio de 25 viagens mensais de dois dias de duração. Foram utilizados dois métodos: procura visual ativa em uma parcela permanente de 10 ha e procura visual e auditiva em nove sítios de reprodução. A anurofauna da área de estudo é composta por 17 espécies pertencentes às famílias Bufonidae (2 espécies), Craugastoridae (1), Hylidae (10), Leiuperidae (1), Leptodactylidae (2) e Microhylidae (1). A riqueza estimada foi de 17,77-17,96, o que mostra que nosso esforço amostral foi suficiente para registrar praticamente toda a anurofauna presente nessa formação de restinga. Essa riqueza pode ser considerada elevada quando comparada à de outras áreas de restinga, principalmente aquelas dotadas de vegetação menos estruturada. O predomínio da família Hylidae é característico de todas as localidades da região neotropical. Nenhuma espécie acha-se incluída nas listas de espécies ameaçadas de extinção do estado de São Paulo e do Brasil...

Levantamento floristico da restinga de Maraú, Sul do Estado da Bahia : chave interativa de entradas multiplas para identificação das plantas aquaticas e palustres; Floristic inventory of Marau's "restinga", south of Bahia : interactive multiple-entry key to identification of aquatic and swamp plants

Clara Sampaio Dias de Souza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.62%
As restingas são áreas com vegetação bem estudada nas regiões sudeste e sul do Brasil, mas ainda faltam dados publicados sobre esses ambientes no norte e nordeste do país. Esses ecossistemas fazem parte do bioma da Mata Atlântica, e muito dessa vegetação já foi perdida durante todos os anos de degradação (da cobertura original restam apenas 7% da Mata Atlântica). Esse cenário é ainda pior no nordeste do país onde não há áreas de preservação que compreendam restingas em suas delimitações. Uma feição das restingas, que são as áreas palustres e lagoas, são ainda menos estudadas. As áreas palustres são caracterizadas por passarem por uma fase de alagamento durante o período chuvoso. Para facilitar o acesso ao conhecimento das plantas presentes nas restingas são necessárias publicações de listas de espécies e chaves de identificação, estas últimas tão escassas para o ambiente palustre. Durante a realização desse trabalho uma chave interativa de identificação foi elaborada para todas as espécies aquáticas e palustres encontradas na restinga da Península de Maraú, Costa do Dendê, sul do estado da Bahia. Essa chave foi elaborada com o programa de computador Lucid v.3.4, que possibilita a inserção dos caracteres e seus estados de forma hierárquica e relacionados aos taxa. Existem muitas vantagens dessas chaves sobre as dicotômicas: uso irrestrito de caracteres...

Estrutura e aspectos fitogeográficos de remanescentes florestais na Restinga Sulbrasileira

Scherer, Adriano
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
As restingas constituem um mosaico de ambientes presentes nas planícies costeiras brasileiras. Sua vegetação se desenvolve em areias quartzosas e engloba variadas formações, de comunidades herbáceas de dunas até florestas. A restinga sulbrasileira se estende entre as latitudes 28°30'S, no estado de Santa Catarina, e 33°45'S, no extremo sul do Rio Grande do Sul. Esta tese visou compreender, em escala geográfica mais ampla, a influência de variáveis ambientais sobre a estrutura e composição dos componentes arbóreo e herbáceo-subarbustivo nas florestas da restinga sulbrasileira. Em 15 remanescentes florestais distribuídos nessa região, realizou-se a caracterização florística e fitossociológica do componente arbóreo e verificou-se a relação entre diversidade, latitude e variáveis climáticas. O levantamento do componente arbóreo foi feito em áreas de 0,1 ha em cada remanescente, subdivididas em 10 parcelas de 10 x 10 m. Todas as árvores com DAP>= 3,0 cm foram registradas. Com os parâmetros estruturais usuais em fitossociologia foi feita uma análise da variância, comparando-se os remanescentes. Também foi avaliada a composição do solo superficial (20 cm de profundidade) dos remanescentes. Os dados de riqueza e informações sobre temperatura atmosférica e precipitação foram empregados em análises de regressão para verificar sua relação com a latitude. Realizou-se ainda uma Análise de Agrupamento para avaliar a similaridade florística entre as áreas. A composição e estrutura do componente herbáceo-subarbustivo sob diferentes níveis de uso por gado bovino nos remanescentes também foi estudada. A fitossociologia da sinúsia herbácea-subarbustiva foi feita em 10 parcelas de 1...

Sustentabilidade da urbanização em áreas de restinga: uma proposta de avaliação pós-ocupação

Holzer, Werther; Crichyno, Jorge; Pires, Alice Cabanelas
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/12/2004 POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
O objetivo deste trabalho é, segundo um contexto de avaliação pós-ocupação, propor a implementação de ações relativas ao projeto urbano e paisagístico que viabilizem uma compatibilização entre unidades de conservação de vegetação de restinga e as áreas urbanizadas de seu entorno, visando à sua utilização enquanto pólo de ecoturismo e de pesquisa científica. A proposta deste texto é apresentar uma avaliação preliminar do impacto causado pelo parcelamento e urbanização sobre a vegetação de restinga, utilizando-se da própria vegetação como marcador deste impacto. Para isso foi selecionada uma área do estado do Rio de Janeiro - a Restinga de Maricá, originalmente ocupada por vegetação de restinga que se encontra hoje em estágios bastante diversificados de urbanização e, conseqüentemente, de degradação. Essa área tem a particularidade de conter, e de ser limítrofe, à unidade de conservação denominada Área de Proteção Ambiental Estadual da Restinga de Maricá, o que permite a utilização das áreas ainda preservadas como marcadores para a análise das áreas urbanizadas. A partir dessa avaliação se pretende aferir o potencial paisagístico dos conjuntos vegetacionais e as medidas de conservação...

Ecology and conservation of the endemic lizard Tropidurus hygomi in “restinga” habitats of the north coast of Bahia state, Brazil doi: 10.5007/2175-7925.2010v23n4p71; Ecologia e conservação do lagarto endêmico Tropidurus hygomi (Sauria: Tropiduridae) nas restingas do Litoral Norte da Bahia, Brasil

Martins, Karina Vieira; PPG em Diversidade Animal (UFBA); Dias, Eduardo José dos Reis; Universidade Federal de Sergipe; da Rocha, Carlos Frederico Duarte; UERJ
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
"Restingas" are herbaceous/ shrubby coastal sand-dune habitats that cover great areas of Brazil, particularly along the Bahia state coast. The restingas are disturbed and are under strong pressure, mainly in northeastern Brazil. Fragmentation of the landscape and habitat loss within natural ecosystems are the factors which are mainly responsible for reduction of species diversity by extinction events. The goal of the present study was elucidate whether the conservation status of restinga habitats on the northern coast of Bahia state was interfering with microhabitat use by the endemic lizard Tropidurus hygomi. The results showed that the use of microhabitat resources by T. hygomi did not have any signifi cant differences in the four areas we chose for study. However, diverse factors of degradation were found to contribute indirectly to its habitat loss. The T. hygomi lizard is a generalist in its use of restinga microhabitats, and probably due the endemic condition, its conservation status is linked directly to conservation of the restinga habitats on the northern coast of Bahia state.; http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n4p71As restingas são habitats herbáceos/arbustivos de dunas de areia cobrindo grande parte do litoral do Estado da Bahia. O nível de fragmentação do ecossistema de restinga...

Araneofauna de serapilheira de duas áreas de uma mata de restinga no município de Capão do Leão, Rio Grande do Sul, Brasil; .

Rodrigues, Everton Nei Lopes; PPG – Biologia Animal – Departamento de Zoologia – Instituto de Biociências – UFRGS
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2005 POR
Relevância na Pesquisa
37.52%
Foi realizado um inventário da araneofauna de solo numa mata de restinga no município de Capão do Leão, Rio Grande do Sul, Brasil. As coletas foram realizadas na mata de restinga arenosa e no ecótono, mensalmente, sobre transectos de 30 metros, um em cada local. O material foi coletado com quadrados de 30x30 cm, quatro em cada transecto e oito por coleta, recolhendo toda a serapilheira inclusa nestes quadrados. Nas 12 coletas, a quantidade de folhiço seco foi de 11,88 Kg. Num total de 96 quadrados obteve-se uma média anual de 130,1 aranhas/m2. Foram coletados 1124 indivíduos, dos quais 336 adultos e 788 imaturos, distribuídos em 26 famílias com maior representatividade de Oonopidae (19,57%), Lycosidae (18,06%), Theridiidae (17,08%) e Salticidae (10,68%). Determinou-se 44 morfoespécies, as mais abundantes foram: Euryopis sp. (13,26%) e Guaraniella sp. (12,8%). O mês com maior número de indivíduos coletados foi fevereiro/2001 (170 aranhas) e com menos julho/2001 (37 espécimes). Entre os transectos, foi encontrada uma maior quantidade de aranhas na mata de restinga arenosa (629 aranhas), comparado ao ecótono (495 indivíduos). O índice de riqueza de espécies ficou em 7,39 e o estimado da riqueza de espécies em 53,87 morfoespécies.; Araneofauna of the leaf litter in two areas of restinga forest in Capão do Leão...