Página 1 dos resultados de 62 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Avaliação quimiométrica de mapas peptídicos urinários obtidos por CE-MS visando o diagnóstico clínico; Chemometric evaluation of CE-MS urinary peptidic maps aiming at clinical diagnostics

Moraes, Edgar Perin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
67.06%
A presente tese de doutorado propõe investigar mapas peptídicos urinários via eletroforese capilar acoplada ao espectrômetro de massas e avaliar se existe correlação entre estes e a presença de refluxo vésico-ureteral (RVU), visando desenvolver um novo método não invasivo para diagnosticar RVU em crianças, e ainda averiguar a existência de possíveis biomarcadores para a doença. Vinte e quatro amostras de urina de crianças positivas para RVU e quinze saudáveis, anteriormente submetidas à uretrocistografia miccional, foram disponibilizadas ao nosso grupo. Estas foram filtradas para eliminar proteínas de alta massa molar e pré-concentradas em coluna de fase reversa C2. Os mapas peptídicos foram obtidos via CE-MS em um eletrólito composto por 0,8% de ácido metanóico e 20% de metanol; já o líquido auxiliar consistia em 0,8% de ácido metanóico e 60% de metanol. Diversos métodos de classificação de aglomerados foram experimentados com os mapas peptídicos. Todos indicaram que as variáveis mais importantes para este discernimento eram os picos mais intensos ordenados em blocos de tempo. Entre os métodos de classificação não supervisionada, PCA (Principal Component Analysis) foi o mais perceptível na tarefa de distribuir os conjuntos de amostras. Para este...

Determinação de aminoácidos por eletroforese capilar com detecção UV/vis para o estudo do perfil metabólico urinário do refluxo vésico-ureteral; Amino acids determination by capillary electrophoresis with UV/vis detection to vesicoureteral reflux urinary metabolic profiling

Vitor, Aline de Paula
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
97.06%
Uma avaliação da concentração dos aminoácidos primários em amostras de urina de crianças com refluxo vésico-ureteral (VUR) em busca de caminhos para o diagnóstico não invasivo desta doença. Dois métodos analíticos por eletroforese capilar com detecção UV/vis foram desenvolvidos para a quantificação dos analitos. No método 1 empregou-se a detecção UV/vis direta em 200 e 214 nm com as condições eletroforéticas eletrólito tampão fosfato 90 mmol L-1 pH 2,1; tensão de +15 kV; injeção de 7 s a 0,5 psi; capilar de 75 µm de diâmetro interno; 40,2 cm de comprimento total e 30,0 cm de comprimento efetivo. No método 2, fez-se uso da detecção indireta em 254 nm, com as condições eletroforéticas eletrólito tampão TEA 20 mmol L-1 e DNB 10 mmol L-1 pH 10,84; modificador de fluxo DDAB a 4 mmol L-1; tensão de -15 kV; injeção de 7 s a 0,5 psi; capilar de 75 µm de diâmetro interno; 50,2 cm de comprimento total e 40,0 cm de comprimento efetivo. O método 1 apresentou parâmetros de validação linearidade, precisão intra-dia e inter-dia, seletividade, robustez e recuperação satisfatórios. A quantificação de creatinina, fenilalanina (Phe), histidina (His), triptofano (Trp), tirosina (Tyr) nas amostras de urina foi possível pelo método 1...

Diagnóstico e tratamento do refluxo vesicoureteral na infância: experiência de 30 anos em instituição brasileira não universitária

Zerati Filho, Miguel
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 62 f.
POR
Relevância na Pesquisa
56.64%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Bases Gerais da Cirurgia - FMB; Propósito Nosso objetivo foi avaliar crianças com refluxo vesico-ureteral em três diferentes décadas. Material e Métodos No período de janeiro de 1970 à dezembro de 2000, foram avaliados retrospectivamente 417 meninas e 94 meninos portadores de refluxo vesicoureteral primário. Os pacientes foram divididos em 3 décadas: grupo A (1970 a 1980) (n = 80); grupo B (1981 a 1990) (n = 205) e grupo C (1991 a 2000) (n = 226) . Foram analisadas as manifestações clínicas, resolução espontânea, cicatrizes renais e indicações cirúrgicas. Utilizamos a Curva de Kaplan-Meier para definir a probabilidade de resolução espontânea. Resultados A manifestação clínica mais freqüente foi infecção do trato urinário em 85% dos casos. Em 48,9% o refluxo era unilateral e bilateral em 51,1%, sendo 48 (9,4%), 192 (37,6%), 174 (34%), 74 (14,5%) e 23 (4,5%) graus I, II, III, IV e V respectivamente. Observou-se cicatrizes renais em 31%, 20,5% e 13,7% nos grupos A, B, C respectivamente. Em 125 crianças foram realizadas correções cirúrgicas do RVU, sendo 24 (30%), 62 (30,2%) e 39 (17,2%) nos grupos A, B, e C; com diminuição significativa no grupo C. Obtivemos 293 (57...

Prevalência do refluxo vésico-ureteral em pacientes com hidronefrose grave.

Silva, Sabrina Nau da
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 31 f.| grafs., tabs.
Relevância na Pesquisa
66.8%
Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Federal de Santa Catarina. Curso de Medicina. Departamento de Pediatria.

Tratamento endoscópico do refluxo vésico-ureteral

Sicka, Jefferson
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Relevância na Pesquisa
66.8%
Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Federal de Santa Catarina. Curso de Medicina. Departamento de Pediatria.

Nefropatia de refluxo

Carmo, C.; Mota, C.; Pereira, E.
Fonte: Nascer e Crescer Publicador: Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2009 POR
Relevância na Pesquisa
56.94%
A nefropatia de refluxo caracteriza-se pela presença de cicatrizes renais, focais ou difusas, secundárias a lesões irreversíveis do parênquima renal. É uma causa importante de insuficiência renal crónica em idade pediátrica e tem uma evolução clínica insidiosa. Pretende-se fazer uma abordagem teórica da etiologia, patogenia, estudo complementar de diagnóstico e complicações da doença. Serão também debatidos os aspectos controversos que rodeiam a prevenção e o tratamento das complicações que continuam a ser um desafio permanente e actual. ABSTRACT The reflux nefropathy is characterized by the presence of focal or diffuse renal scars, associated to irreversible injuries of the renal parenchyma. It is a cause of chronic kidney disease in paediatric age and has an insidious clinical evolution. The authors present a review of the aetiology, pathogeny, complementary diagnosis studies, disease complications and principal preventive measures, in order to delay the progression to chronic kidney disease.

Disfunção Vesical, Infecção Urinária e Refluxo Vesico-Ureteral na Criança

Castro, I; Soares, E; Casimiro, A; Nogueira, G
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1998 POR
Relevância na Pesquisa
97.38%
Tem sido descrita uma correlação estreita entre infecção urinária, refluxo vesico-ureteral e disfunção miccional na criança. A obstrução funcional causada pela disfunção vesical/uretral representa um elevado risco de recorrência de infecção urinária, indução e perpetuação do refluxo (mesmo após correcção cirúrgica) é de lesão renal permanente. A normalização da alteração da micção como problema primário, é crítica na resolução de problemas secundários tais como a infecção urinária e o refluxo vesico-ureteral. Trinta e sete crianças com refluxo vesicoureteral secundário a disfunção miccional foram detectadas, avaliadas e tratadas entre 1990 e 1995 (5 anos). Foram estudados 49 ureteres. A infecção urinária foi o sintoma revelador em todas as crianças, ocorrendo entre 1 mês e os 13 anos de idade (mediana de 3,5 anos). Todas as crianças eram neurologicamente e estruturalmenle normais, detectando-se sintomatologia sugestiva de instabilidade ou imaturidade vesical em 34 (91,9%) e sugestiva de obstrução esfiocteriana funcional em três (8,1 %). Os estudos ecográfico e cistográfico efectuado em todas as crianças, com o apoio do estudo urodinâmico em 17 (45,9%) confirmaram o diagnóstico clínico. Em 29 (78...

Disfunção Vesical, Infecção Urinária e Refluxo Vesico-Ureteral na Criança

Castro, I; Soares, E; Casimiro, A; Nogueira, G
Fonte: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1998 POR
Relevância na Pesquisa
97.38%
Tem sido descrita uma correlação estreita entre infecção urinária, refluxo vesico-ureteral e disfunção miccional na criança. A obstrução funcional causada pela disfunção vesical/uretral representa um elevado risco de recorrência de infecção urinária, indução e perpetuação do refluxo (mesmo após correcção cirúrgica) é de lesão renal permanente. A normalização da alteração da micção como problema primário, é crítica na resolução de problemas secundários tais como a infecção urinária e o refluxo vesico-ureteral. Trinta e sete crianças com refluxo vesicoureteral secundário a disfunção miccional foram detectadas, avaliadas e tratadas entre 1990 e 1995 (5 anos). Foram estudados 49 ureteres. A infecção urinária foi o sintoma revelador em todas as crianças, ocorrendo entre 1 mês e os 13 anos de idade (mediana de 3,5 anos). Todas as crianças eram neurologicamente e estruturalmenle normais, detectando-se sintomatologia sugestiva de instabilidade ou imaturidade vesical em 34 (91,9%) e sugestiva de obstrução esfiocteriana funcional em três (8,1 %). Os estudos ecográfico e cistográfico efectuado em todas as crianças, com o apoio do estudo urodinâmico em 17 (45,9%) confirmaram o diagnóstico clínico. Em 29 (78...

A evolução do refluxo vesico-ureteral com diagnóstico perinatal

Leitão, H; Correia, AJ; Gomes, C; Simões, O; Rolo, V; Mimoso, G; Ramos, C
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
66.8%

Características clínicas e laboratoriais à admissão de 483 crianças e adolescentes com refluxo vésico-ureteral primário: estudo retrospectivo

Silva,José Maria Penido; Diniz,José Silvério S.; Oliveira,Eduardo A.; Marino,Viviane S. P.; Pimenta,Mariana R.; Matos,Carolina C.; Vieira,Samana B.
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
97.15%
OBJETIVOS: Avaliar retrospectivamente as características clínicas/radiológicas dos pacientes admitidos com refluxo vésico-ureteral primário (RVU) entre 1969-1999. MÉTODOS: Pacientes com RVU primário foram submetidos a um protocolo de avaliação clínica, laboratorial e radiológica e acompanhados longitudinalmente. Na admissão, após controle da bacteriúria e do início da quimioprofilaxia, foram realizados avaliação laboratorial e estudo de imagens do trato urinário. Esta consistiu de uretrocistografia miccional, urografia excretora, cintilografia renal (DMSA) e ultra-sonografia. Para o presente estudo foram utilizados os dados obtidos na admissão. RESULTADOS: Foram admitidos nesse período 483 pacientes. Houve predomínio do sexo feminino (70%) e da cor branca (70%). A média de idade ao diagnóstico foi de 26 meses, sendo que 92,5% das crianças já haviam apresentado infecção urinária. Um grupo de 710 unidades renais foi analisado. A distribuição do grau de refluxo foi a seguinte: grau I (49; 7%); II (254; 36%); III (190; 26%); IV (161; 23%) e V (56; 8%). Um total de 249 unidades renais apresentaram dano renal à admissão. A distribuição quanto à intensidade da lesão foi a seguinte: leve (36%), moderada (34%) e grave (30%). Houve um risco significativo maior de lesão renal grave no sexo masculino (OR = 1...

Freqüência de desaparecimento do refluxo vésico-ureteral de graus I a III em pacientes pediátricos

Macedo,Célia S.; Riyuzo,Márcia C.; Bastos,Herculano D
Fonte: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira Publicador: Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
97.06%
OBJETIVOS: avaliar a freqüência do desaparecimento do refluxo vésico-ureteral (RVU) primário de graus I a III em crianças e correlacionar com idade no diagnóstico, sexo, grau e lateralidade. MÉTODOS: estudo retrospectivo de 34 crianças com RVU diagnosticado por uretrocistografia miccional (UCM). Cinco pacientes eram meninos (mediana: um ano e seis meses) e 29 meninas (mediana: três anos) O exame controle pela UCM ou cistografia foi realizado em intervalos de 12 a 24 meses. Na análise das variáveis utilizou-se a curva de sobrevida de Kaplan-Meier. RESULTADOS: o desaparecimento do RVU ocorreu em 52,9% dos pacientes. Comparando faixas etárias não houve diferença estatística. Nos meninos o desaparecimento do RVU ocorreu na mediana de 24 meses e nas meninas, de 60 meses. Houve diferença estatística entre os sexos (p = 0,02). Houve desaparecimento do RVU em 80% dos pacientes com RVU de grau I (mediana: 25,5 meses), 66,6% de grau II (mediana: 48 meses) 40% de grau III (mediana: 60 meses); em 21% no bilateral (mediana: 48 meses) e 75% no unilateral (mediana: 28,5 meses). Houve diferença estatística entre os graus de RVU (0,02) e lateralidade (p = 0,05). CONCLUSÕES: o desaparecimento do RVU ocorreu no sexo masculino, nos graus I ou II e unilateral.

Tratamento cirúrgico do refluxo vesico-ureteral na população pediátrica

Aguiar, Ana; Cardoso, André; Prisco, Rui; Cruz, Maria Eduarda
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 07/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
67.25%
Introdução: O diagnóstico precoce e a vigilância atenta são princípios fundamentais no tratamento das crianças com refluxo vesico-ureteral. A escolha da abordagem terapêutica desta patologia é individual e assenta em factores diversos. Objectivo: determinar e comparar a efectividade de duas técnicas cirúrgicas (endoscópica e convencional) utilizadas no tratamento do refluxo vesico-ureteral. Metodologia: Estudo de coortes históricas, baseado na revisão casuística dos processos clínicos das crianças e adolescentes que realizaram tratamento cirúrgico de refluxo vesico-ureteral entre 1 de Janeiro de 2000 e 30 de Abril de 2006. Analisados diversos parâmetros com influência provável na aborda gem terapêutica escolhida. Nos casos com tratamento cirúrgico foram determinadas a efectividade e a segurança da técnica utilizada, detectadas durante um ano de acompanhamento. Resultados: Foram incluídas 46 crianças e adolescentes, perfazendo um total de 68 unidades refluxivas. Vinte e nove doentes foram submetidas a tratamento endoscópico de refluxo, num total de 37 ureteres refluxivos. A taxa de sucesso para o tratamento endoscópico com uma única injecção de Deflux® foi de 62% (IC 95% [0,46; 0,78]), aumentando para 78% (IC 95% [0...

Diagnóstico Ecográfico de Refluxo Vesico-Ureteral

Santos, José Fonseca
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 21/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
97.48%
Objectivo: Comparação de Ecocistografia e da Cistografia Radiológica no diagnóstico do refluxo vesico-ureteral.Material e Métodos: De Abril a Agosto de 1999, foram examinadas 25 crianças (8 raparigas e 17 rapazes, com idades compreendidas entre os 8 dias e os 14 anos), com 50 unidades renoureterais, para o diagnóstico de refluxo vesico-ureteral, realizando Ecocistografia e Cistografia Radiológica na mesma sessão. As indicações para o exame foram infecção do tracto urinário, diagnóstico pré-natal de hidronefrose, antecedentes de refluxo e malformações.A avaliação ecográfica do tracto urinário foi seguida de cateterização vesical com administração de solução salina e meio de contraste ecográfico. O exame ecográfico foi repetido e seguiu-se a Cistografia Radiológica.Resultados: O refluxo vesico-ureteral foi encontrado em três casos (bilateral) e excluído nos outros 22 casos, nas duas modalidades, revelando boa sensibilidade da Ecocistografia, quando comparada com a Cistografia radiológica, tida como o «gold standard» no diagnóstico do refluxo vesico-ureteral.Conclusão: A Ecocistografia parece ser um método fiável para o diagnóstico ou exclusão de refluxo vesico-ureteral. As indicações para Ecocistografia podem incluir muitos exames de seguimento...

Valor do Estudo Urodinâmico no Refluxo Vesico-Ureteral Primário

Ramalho, Helena; Rocha, Alberto; Reis, Armando; Pereira, Eloi
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 22/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
97.54%
Em 1979, após introdução do estudo urodinâmico na prática clínica foi referida pela primeira vez a associação entre o refluxo vesico-ureteral primário e a instabilidade vesical. Com o objectivo de analisar o valor deste exame no seguimento da criança com refluxo vesico-ureteral primário, foi efectuado um estudo retrospectivo de 61 crianças com refluxo vesico-ureteral primário, nas quais foi realizado estudo urodinâmico.A população estudada foi dividida num grupo com estudo urodinâmico normal e noutro grupo com alterações do estudo urodinâmico. Neste último foram analisadas as alterações urodinâmicas, sintomatologia de disfunção vesical, refluxo vesico-ureteral e nefropatia de refluxo. Posteriormente, após exclusão das crianças submetidas a cirurgia de reimplantação foi efectuada uma análise comparativa da evolução entre o Grupo I, com estudo urodinâmico normal e Grupo II, com alteraçõês no estudo urodinâmico e que iniciou terapêutica farmacológica para a sua disfunção vesical.O estudo urodinâmico apresentou alterações em 57% dos doentes, sendo a alteração mais frequente as contracções vesicais não inibidas (57%). Nestes doentes, a sintomatologia de disfunção vesical esteve presente em 60% dos doentes com um predomínio da enurese e incontinência diurna isoladas ou em associação. Na análise comparativa entre os grupos verificou-se um predomínio do sexo feminino em ambos os grupos. A idade média de realização do estudo urodinâmico foi de 7 anos em ambos os grupos. O tempo médio de seguimento foi de 4...

Refluxo Vesico-Ureteral no 1.2 Ano de Vida — Diagnóstico Pré-Natal Versus Diagnóstico Após Infecção Urinária

Madalena, Célia; Teixeira, Paulo; Matos, Paula
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 22/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
97.15%
Com a finalidade de comparar a evolução do refluxo vesico-ureteral (RVU) detectado após estudo de malformação renal fetal e após infecção urinária (ITU) no 1.2 ano de vida, procedeu-se à revisão dos processos clínicos das crianças seguidas na Consulta de Nefrologia Pediátrica do Hospital Geral de Santo António (HGSA) com aquele diagnóstico, entre Janeiro de 1991 e Dezembro de 1998.O RVU de diagnóstico pré-natal foi detectado em 13 crianças (12 do sexo masculino e 1 do sexo feminino); correspondendo a 19 unidades refluxivas (UR), 10 (53%) com RVU ligeiro (grau I-III) e 9 (47%) com RVU grave (grau IV-V).O RVU foi diagnosticado após ITU no 1.9 ano de vida em 65 crianças (31 do sexo masculino e 34 do sexo feminino), totalizando 95 UR. Em 87 UR (92%) o RVU era ligeiro (grau I-III) e em 8 (8%) grave (graus IV-V).Verificou-se que, nos casos com diagnóstico pré-natal apenas nos graus graves (IV-V) existia lesão renal associada, contrariamente aos casos diagnosticados após ITU, em que 19% das crianças com RVU ligeiro (I-III) apresentavam lesões renais, na altura do diagnóstico.Os autores concluem que o diagnóstico pré-natal do RVU pode ter um papel importante na prevenção da nefropatia de refluxo.

Diagnóstico Pré-Natal das Anomalias do Tracto Urinário e Valor da Cistografia Miccional no Estudo Evolutivo Pós-Natal

Batista, J.; Abranches, M.; Silva, A.; Tavares, M. N.; Sousa, J. Ferra de; Amaral, J. M. Videira
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 24/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.94%
A utilização sistemática da cistouretrografia miccional, no âmbito da investigação pós-natal das anomalias fetais do aparelho urinário, é controversa. A possibilidade de diagnosticar refluxo vesico-ureteral (RVU) antes de surgir infecção urinária é aliciante pela influência que pode ter na história natural da nefropatia do refluxo. Neste artigo, partindo de uma série de 116 casos de anomalia fetal do aparelho urinário num período de 5 anos, apresentam-se as características e evolução de 19 casos de RVU.A cistouretrografia miccional (CUM) efectuada em 109 casos (94%) identificou RVU em 19 (17.4%). Predominou o sexo masculino (5:1). Em 13 casos (19 unidades renais refluentes) o RVU era a única anomalia urinária detectada (grupo I); em 6 casos (8 unidades refluentes) o RVU estava associado a outras anomalias do tracto urinário (grupo II).Em 10 unidades refluentes do grupo I (55%) a avaliação ecográfica pós-natal foi considerada normal.Uma ecografia pós-natal normal não exclui a existência de RVU e, de acordo com os nossos resultados, todos os casos de dilatação da pélvis renal fetal beneficiam, no período pós-natal, de controlos ecográficos seriados e da realização de CUM. A confirmação precoce de RVU e a consequente instituição de quimioprofilaxia podem contribuir para a redução da morbilidade associada à infecção urinária e à nefropatia de refluxo.

A evolução do refluxo vesico-ureteral com diagnóstico perinatal

Leitão, Henrique; Correia, António Jorge; Gomes, Clara; Simões, Oliveira; Rolo, Vitor; Mimoso, Gabriela; Ramos, Conceição
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pediatria Publicador: Sociedade Portuguesa de Pediatria
Formato: application/pdf
Publicado em 12/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
67.11%
Objectivo: Avaliar a evolução e tratamento do refluxo vesico-ureteral congénito (RVU) em recém-nascido ou lactente com diagnóstico pré-natal de anomalia nefro-urológica.Métodos: Estudo de coortes históricas de crianças com o diagnóstico perinatal de RVU, nascidas numa maternidade de apoio perinatal diferenciado da Região Centro do País, entre 1993 e 2002, e posteriormente acompanhadas no hospital pediátrico de referência da mesma Região. Dividimos as crianças em duas coortes, aquelas que efectuaram tratamento cirúrgico e aquelas em que foi decidido manter vigilância. Para cada coorte (se aplicável) avaliámos: sexo, o tipo e grau de RVU, tipo de cirurgia, complicações, frequência e tempo de evolução até à cura espontânea. Na coorte das crianças em vigilância comparámos a proporção de crianças que mantiveram RVU com aquelas em que se verificou cura espontânea, relativamente ao sexo e ao grau de RVU.Resultados: Oitenta e duas crianças cumpriam os critérios de inclusão. O RVU congénito foi mais frequente no sexo masculino (77%) e era maioritariamente unilateral (65%). O tratamento cirúrgico foi efectuado em 35% dos casos, sobretudo nas crianças com RVU bilateral, com unidades refluxivas (UR) de grau elevado – IV ou V - (80% vs. 12% na coorte de crianças em vigilância) e em crianças com lesão/malformação renal (ipsilateral ou contralateral) e/ou assimetria funcional renal (58% vs 24% na coorte de crianças em vigilância). Neste último grupo...

Refluxo vésico-ureteral em crianças com diagnóstico pré-natal de hidronefrose - Características e evolução; VESICO-URETERIC REFLUX IN CHILDREN WITH PRENATALLY DIAGNOSED HYDRONEPHROSIS: CHARACTERISTICS AND EVOLUTION

Hernandez, T.; Madalena, C.; Teixeira, P.; Matos, P.
Fonte: Revista Nascer e Crescer Publicador: Revista Nascer e Crescer
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
77.04%
Objectivo: conhecer as características e evolução do Refluxo vésicoureteral ( RVU) de diagnóstico pré-natal, nas crianças vigiadas numa na Consulta de Nefrologia Pediátrica nos último 10 anos. Material e Métodos: entre Janeiro de 1992 e Dezembro de 2002 foram enviados à consulta 322 crianças com diagnóstico pré-natal de uropatia malformativa. Destas, 216 tinham critérios para realizar Cistouretrografia miccional seriada (CUMS) e 29 apresentaram RVU primário (foram excluídos os casos de RVU associados a duplicação do pieloureteral, síndrome de junção ou válvulas da uretra posterior). Os parâmetros analisados neste grupo de doentes foram: sexo, frequência de infecção urinária, evolução ecográfica, avaliação das lesões renais através da gamagrafia renal com DMSA e CUMS seriada. Resultados: verificámos um predomínio do sexo masculino, numa relação de 4:1, e do RVU unilateral, num total de 41 Unidades refluxivas ( UR). A ecografia pós-natal do rim homolateral foi normal em 14/41 UR. A gravidade do RVU foi maior no sexo masculino relativamente ao feminino ( dos RVU graus IV e V, 13/ 15 eram rapazes); a lesão renal difusa predominou também nos rapazes: 10/11 casos. Na maioria dos casos o RVU revelou-se uma situação benigna: 26/41 das UR apresentavam RVU moderado...

Avaliação radiológica do refluxo vesico – ureteral em crianças

Nogueira, Luísa; Caldeira, J. P.; Adubeiro, Nuno
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia Saúde - Politema Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia Saúde - Politema
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.8%
O Refluxo Vesico – Ureteral (RVU) é uma patologia frequente na idade pediátrica. A detecção precoce de RVU é fundamental na orientação terapêutica, de modo a permitir um crescimento renal adequado e prevenir infecções urinárias recorrentes. A investigação radiológica de RVU baseia-se na ecografia e cistouretrografia miccional seriada (CUMS), sendo este último procedimento, o método de eleição, efectuado sob controlo fluoroscópico. Este trabalho tem como objectivo dar a conhecer o papel CUMS na avaliação de RVU e abordar os parâmetros técnicos de aquisição, posicionamento e critérios de qualidade de imagem.; Vesicoureteral reflux (VUR) is a common disease in childhood. Early diagnosis of VUR is fundamental in establishing therapeutic orientations which allow an adequate renal growth and prevent recurrent urinary tract infections. VUR radiologic investigation relies on ultrasound and voiding cystourethrogram (VCUG) procedures, being this last the preferred method, performed under fluoroscopy. The aim of this paper is to show the importance of VCUG in VUR assessment and to discuss technical aspects of this procedure as to acquisition, positioning and image quality criteria.

VESICOURETERAL REFLUX IN CHILDREN: A REVIEW; REFLUXO VESICOURETERAL EM CRIANÇAS: ARTIGO DE REVISÃO

Nery, Juliane; Universidade Federal do Paraná; Nascimento, Fabio Augusto; Universidade Federal do Paraná; Tambara Filho, Renato; Universidade Federal do Paraná
Fonte: Setor de Ciência da Saúde - Universidade Federal do Paraná Publicador: Setor de Ciência da Saúde - Universidade Federal do Paraná
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Revisão bibliográfica; Review Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2014 POR
Relevância na Pesquisa
57.22%
Vesicoureteral reflux (VUR) is the abnormal retrograde flow of urine from the bladder into the upper urinary tract – ureters and kidneys. According to the extent of the abnormal flow through the urinary tract and the severity of the lesions in the renal collecting system (caused by the reflux), both assessed by voiding cystourethrogram, this pathology may be classified in 5 different grades (I to V).VUR can be suspected prenatally by ultrasound findings of fetal hydronephrosis. Postnatally, on the other hand, this condition is usually diagnosed either after an investigation in an infant presenting with recurrent urinary tract infections (UTIs) or during screening of infants with a positive family history for significant VUR. The majority of infant patients who suffer from VUR will be cured without any intervention as they grow old. However, some of them will experience recurrent UTIs, which may result in kidney scarring. In terms of how to treat children with VUR, it is far from being a consensus among the experts. Some advocate a prophylactic antibiotic therapy only, whereas others believe that a surgical procedure is usually necessary. Our goal is to review the main aspects related to classification, clinical features, diagnosis...