Página 1 dos resultados de 132 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Correlação entre grau de psicopatia, nível de julgamento moral e resposta psicofisiológica em jovens infratores; Correlation between psychopathy, moral judgment level and psychophysiological response in juvenile offenders

Barros, Daniel Martins de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/05/2011 PT
Relevância na Pesquisa
38.12%
Introdução: A psicopatia sempre foi associada a comportamentos imorais e frieza emocional, além de risco de reincidência criminal. Embora a frieza dos psicopatas seja bem estabelecida, não há consenso sobre o nível de discernimento moral desses indivíduos, existindo teorias propondo que eles não apresentam desenvolvimento moral adequado enquanto outras propõem que o que lhes falta é querer agir, não saber discernir o certo do errado. Já quando analisamos a relação entre essas três variáveis, psicopatia, imoralidade e frieza, os dados são ainda mais díspares, não existindo consenso sobre a necessidade ou não da presença de emoções para o amadurecimento moral. O estudo de sujeitos infratores encarcerados é interessante nesse contexto, uma vez que permite o controle de variáveis de confusão envolvidas nessa inter-relação, como influências ambientais, vivência criminal, grau de psicopatia, uso de drogas e QI. Em se tratando de jovens infratores, há ainda a vantagem de se estudar uma amostra homogênea quanto à idade. Objetivos: Verificar se existe correlação entre os níveis de maturidade moral e os graus de frieza emocional e de psicopatia, tomando por base uma população de jovens em medida sócio-educativa de internação na Fundação Casa. Adicionalmente...

O desenvolvimento moral em jovens com traços de psicopatia

Santos, Raquel Filipa Varandas dos
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.95%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; O presente estudo procura investigar a existência de uma relação entre desenvolvimento moral e traços de psicopatia. Ao longo da literatura observa-se que vários autores explicam a psicopatia em termos de défices ao nível das faculdades morais, pelo que se pretende verificar se adolescentes com traços psicopáticos apresentam um comprometimento no desenvolvimento moral. Procuramos ainda investigar se este comprometimento poderá estar relacionado com défices no domínio da empatia, aspeto característico da psicopatia, e a qual é vista como tendo um papel fundamental no desenvolvimento moral. De modo a analisar as variáveis em questão, recorreu-se aos seguintes instrumentos de avaliação: Youth Psychopathic Traits Inventory, Tarefa de Distinção entre Moral e Convencional, Basic Empathy Scale. O estudo foi realizado numa amostra constituída por 428 adolescentes, com idades compreendidas entre os 12 e os 17 anos de idade (M=14,68), os quais frequentavam escolas do ensino regular (n=342) e escolas do ensino profissional (n=86). Os resultados da investigação demonstraram, e de acordo com o esperado, que jovens com pontuações altas na avaliação dos traços de psicopatia...

Bullying: estudo de prevalências e relação com traços de psicopatia

Rodrigues, Sandra Isabel Pinto
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.88%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; O objetivo da presente investigação foi realizado com o pressuposto de determinar a relação entre comportamentos violentos (bullying), e traços de psicopatia em adolescentes. Através das prevalências pretendeu-se também verificar a percentagem de vítimas e agressores (bullers) de acordo com os quatro fatores (física, social, verbal e ataque à propriedade, relativamente à amostra global, faixa etária, género, tipo de ensino, escolaridade, rendimento escolar, reprovações e classificação do seu comportamento. A amostra da presente investigação foi constituída por 428 adolescentes com idades compreendidas entre os 12 e os 17 anos de idade (M= 14,68; SD= 1,438). Estes jovens frequentavam escolas do ensino regular (n=342) e escolas de ensino profissional (n=86). Do total, 230 pertencem ao género feminino e 192 ao género masculino. Para avaliar a vitimização e agressão foi utilizada a escala Multidimensional Peer Victimization Scale, na sua adaptação para Portugal (Veiga, 2007). Para avaliação dos traços de psicopatia em adolescentes recorremos à versão adaptada do inventário de psicopatia para a adolescência –o YPI, de Andershed, Kerr, Satin, e Levander (2002). A análise dos resultados permitiu verificar que as vítimas sistemáticas são atingidas maioritariamente por bullying de âmbito verbal (36...

Diferenças nos indicadores de psicopatia, narcisismo, maquiavelismo, ativação e inibição comportamental e frieza emocional: população geral VS população prisional

Magalhães, Joana Isabel Teixeira
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.79%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; O objetivo do presente trabalho é verificar se existem diferenças significativas entre indivíduos reclusos e não reclusos, e entre reclusos reincidentes e primários, relativamente às variáveis psicopatia, narcisismo, maquiavelismo, ativação e inibição comportamental, e frieza emocional, sendo estas as hipóteses de trabalho apresentadas e as variáveis a estudar. Para avaliar as variáveis em questão, foram utilizadas as escalas YPI, NPI-16, MACH IV, BIS/BAS e ICU, respetivamente. O estudo foi realizado numa amostra constituída por dois grupos: um grupo, designado “população geral”, constituído pelos 88 sujeitos (50%) da população geral, e outro grupo, designado “população prisional”, constituído por população prisional, também com 88 sujeitos (50%), perfazendo uma amostra total de 176 elementos. Os 88 sujeitos da população prisional foram divididos em dois grupos, sendo que 42 (48%) fizeram parte do grupo de reincidentes e 46 (52%) do grupo de primários. As hipóteses de trabalho estabeleceram que existiriam diferenças significativas entre indivíduos reclusos e não reclusos, e entre reclusos primários e reincidentes nos níveis de psicopatia...

Da vinculação à psicopatia

Fernandez, Inês da Silva
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.95%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; A presente dissertação tem como objetivo analisar a possibilidade de identificar traços psicopáticos em jovens adolescentes, em oposição daquilo que as correntes teóricas expõem, afirmando que se trata de um transtorno de personalidade do individuo adulto. Por outro lado, a parte principal desta investigação baseia-se na teoria da vinculação, pelo que se pretende sustentar que os padrões de vinculação criados com os pais podem levar ao desenvolvimento de traços de psicopatia na fase da adolescência. Assim, os padrões de vinculação avaliados foram a confiança, a comunicação e a atenção/alienação, através do inventário de vinculação aos pais e amigos – IPPA3. Por sua vez, os traços de psicopatia foram analisados pela versão adaptada do inventário de psicopatia para adolescentes – YPI. O estudo foi efetuado numa amostra de 428 adolescentes, com idades compreendidas entre os 12 e 17 anos (M= 14, 68), que frequentam duas escolas de ensino regular e duas escolas de ensino profissional. As hipóteses determinaram que uma má qualidade dos padrões de vinculação pode leva ao desenvolvimento de traços psicopáticos, havendo contributos distintos de acordo com a vinculação à mãe e ao pai. Os principais resultados confirmaram que os padrões confiança e atenção contribuem de forma negativa e o padrão comunicação contribui de forma positiva para o desenvolvimento de traços psicopáticos. Portanto...

O estado de arte do conceito de Psicopatia

Soeiro, Cristina; Escola de Polícia Judiciária; Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz; Gonçalves, Rui Abrunhosa; Escola de Psicologia, Universidade do Minho, Braga
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.79%
Este artigo tem como objectivo efectuar uma análise do conceito de psicopatia, tendo presente a sua evolução e as principais questões que se colocam na sua relação com o estudo do comportamento criminal. São analisados os principais indicadores que caracterizam as perspectivas clínica, categorial, tipológica e dimensional do conceito de psicopatia, assim como os principais aspectos que as diferenciam. No final do artigo é discutido o impacto, quer em termos teóricos quer empíricos, dos aspectos que são defendidos como centrais, na definição de psicopatia, para cada uma das abordagens apresentadas.

Psicopatia e Reconhecimento de Expressões Faciais de Emoções: Uma Revisão Sistemática

Vasconcellos,Silvio José Lemos; Salvador-Silva,Roberta; Dias,Ana Cristina; Davóglio,Tárcia Rita; Gauer,Gabriel
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.79%
A psicopatia é um transtorno de personalidade caracterizado por comportamentos antissociais, capacidade de julgamento comprometida e déficits no processamento emocional. Pesquisadores têm investigado a habilidade de psicopatas e indivíduos com traços de psicopatia reconhecer emoções expressas pela face. Este estudo teve como objetivo realizar uma revisão sistemática nas principais bases de dados internacionais de artigos publicados entre 1975 e 2013, sobre essa temática. Dezessete artigos preencheram os critérios de inclusão desta revisão. Os resultados evidenciam o uso de métodos não convergentes e sugerem que a psicopatia está relacionada a déficits no reconhecimento de emoções negativas. Dados confirmatórios só poderão ser alcançados a partir de uma padronização metodológica. Sugere-se a utilização de tempos distintos de exposição dos estímulos para estudos futuros.

Personalidade e psicopatia: implicações diagnósticas na infância e adolescência

Davoglio,Tárcia Rita; Gauer,Gabriel José Chittó; Jaeger,João Vitor Haeberle; Tolotti,Marina Davoglio
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.79%
Este artigo de revisão de literatura examinou o construto da psicopatia associado ao desenvolvimento da personalidade em crianças e adolescentes, privilegiando as questões diagnósticas incipientes. Observou-se que a busca de uma terminologia mais apropriada para descrever as manifestações desviantes precoces, a construção e utilização de instrumentos de avaliação dirigidos à psicopatia em jovens, bem como a estabilidade dos sintomas ao longo do desenvolvimento, têm sido preocupações recorrentes nas pesquisas atuais. Pode-se afirmar que a presença de traços de psicopatia na infância e adolescência ainda suscita questionamentos, demandando por estudos empíricos que explorem aspectos evolutivos e a etiologia multifatorial do construto, preferencialmente, dentro da concepção geral dos transtornos de personalidade.

De H. Cleckley ao DSM-IV-TR: a evolução do conceito de psicopatia rumo à medicalização da delinquência

Henriques,Rogério Paes
Fonte: Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental Publicador: Associação Universitária de Pesquisa em Psicopatologia Fundamental
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.79%
A psicopatia é descrita como personalidade antissocial pelos manuais nosográficos contemporâneos: CID-10 e DSM-IV-TR. Contrastando tais nosografias entre si quanto aos critérios diagnósticos propostos para a psicopatia, assinalam-se as consequências de sua operacionalização, promovida, sobretudo, pelo DSM. Dentre elas, destacam-se: (1) a degradação do diagnóstico ao mero levantamento protocolar; (2) a acentuação da correlação histórica entre psicopatia e delinquência.

Psicopatia empresarial e criminalidade económica; ao encontro do psicopata "bem-sucedido"

Peixoto, Patrícia Daniela Fernandes
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.88%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção de grau de Mestre em Criminologia; A presente dissertação de mestrado prende-se em um maior aprofundamento e entendimento sobre o conceito de psicopatia empresarial e se população em geral possui percepção dos diferentes traços de personalidade que completam este tipo de distúrbio, assim como a problemática dos psicopatas "bem-sucedido" e o seu impacto na sociedade e onde este se encontra. Para o efeito torna-se necessária uma abordagem ao distúrbio de personalidade psicopática e como esta se difere da sociopatia e do transtorno de personalidade antissocial. Desta forma torna-se necessária uma abordagem relativa a evolução do conceito assim como aos diferentes instrumentos de avaliação e diagnostico da psicopatia, assim como o seu enquadramento legal em Portugal. De forma a embarcar no tema da psicopatia empresarial, torna-se importante estudar o fenómeno da criminalidade económica e as suas implicâncias, assim como as características dos seus ofensores para um melhor entendimento de como os psicopatas se incluem no mundo corporativo. A inclusão de um psicopata em corporações pode provocar efeitos negativos na mesma...

O papel da ansiedade na relação entre psicopatia e comportamento antissocial

Carvalho, Filipa dos Santos Belo de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
38.09%
A questão do papel da ansiedade no constructo de psicopatia tem sido cientificamente debatida desde o trabalho clássico de Cleckley (1941) que introduziu o critério de “ausência de nervosismo”, como uma das 16 características da psicopatia. Em contrapartida, diversos autores têm defendido a distinção entre psicopatas primários e secundários com base nos valores de ansiedade, assumindo que os psicopatas primários se assemelham à conceção clássica e que os psicopatas secundários são caracterizados pela elevada ansiedade (Karpman, 1941; Blackburn, 1994; Lykken, 1995). Contudo, alguns estudos mostram que o constructo de ansiedade-traço não se encontra relacionado com a psicopatia (Lilienfeld, & Penna, 2001) mas sim com características desta, como por exemplo, o comportamento antissocial (Hale, Goldstein, Abramowitz, Calamari & Kossom, 2004; Visser, Ashton, & Pozzebon, 2012; Visser, 2012). O objetivo principal deste estudo é analisar o papel da ansiedade na relação entre a psicopatia e o comportamento antissocial, de modo a perceber se os psicopatas não ansiosos são indivíduos mais antissociais e agressivos do que os psicopatas ansiosos. Para o efeito, utilizou-se um grupo de reclusos de um estabelecimento prisional português e um grupo de jovens adultos da comunidade participantes num estudo longitudinal. Cada participante...

Experiência e reconhecimento emocional na psicopatia : estudos exploratórios

Almeida, Catarina Alexandra Pereira de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
38.12%
Este trabalho tem como objetivo principal o estudo dos défices de reconhecimento e experiência emocional em indivíduos da população geral com traços psicopáticos. Os traços psicopáticos foram medidos com a versão portuguesa da escala de psicopatia de Levenson (Levenson’s Self Report Psychopathy Scale – LSRP; Coelho, Paixão & Tomás, 2010), o reconhecimento emocional facial com NimStim Set of Facial Expressions (Tottenham et al., 2009), o reconhecimento emocional vocal com o Teste de Reconhecimento Paralinguístico das Emoções (TRPE, Paixão, Coelho, & Ferreira, 2010) e a dominância da experiência emocional positiva e negativa (afeto negativo- negative affect (NA) e afeto positivo-positive affect (PA) com Positive affect, negative affect schedule (PANAS; Watson, Clark, & Tellegen, 1988; Simões, 1993). Os resultados indicam que não se verifica uma relação entre traços de psicopatia e reconhecimento emocional (facial e vocal) no global da amostra. Na subamostra masculina apenas existe uma relação entre o total de acertos do reconhecimento facial e a psicopatia secundária e na subamostra feminina apenas se verifica uma relação negativa entre o reconhecimento vocal da surpresa no TRPE, psicopatia primária e total de psicopatia. Em relação à experiencia emocional...

Psicopatía: una perspectiva dimensional y no penal del constructo; Psicopatia: uma perspectiva dimensional e não-criminosa do construto; Psychopathy: a dimensional and noncriminal approach of the construct

Hauck Filho, Nelson; Pereira Teixeira, Marco Antônio; Garcia Dias, Ana Cristina
Fonte: Universidade do Rosário Publicador: Universidade do Rosário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2012 SPA
Relevância na Pesquisa
38.09%
La personalidad psicopática tiene un innegable vínculo histórico con el comportamiento antisocial, con un predominio de los estudios latinoamericanos con muestras de los centros penitenciarios. Sin embargo, nuevos resultados han sugerido que los comportamientos antisociales, por su falta de especificidad, no deben considerarse como un elemento central para el constructo psicopatía, lo que permite su estudio en la población general. Así, el objetivo de este estudio es presentar una revisión de la literatura sobre el tema de la psicopatía, con énfasis en los estudios que aportan evidencia a favor de una visión dimensional y no penal del constructo. Se revisan las relaciones con el comportamiento antisocial, los resultados de investigaciones taxométricas, relaciones con narcisismo y maquiavelismo y con la teoría Reinforcement Sensitivity. Se sugiere la investigación del constructo en la población general en América Latina y la construcción o adaptación de instrumentos adecuados para esto propósito.; A psicopatia possui um inegável elo histórico com o comportamento antissocial, evidenciado por uma predominância de estudos em contextos prisionais na área em países da América Latina. Entretanto, novos resultados têm sugerido que o comportamento antissocial...

Medidas de segurança e psicopatia: uma análise crítica acerca das medidas de segurança e sua aplicabilidade nos casos de psicopatia

Fonseca, Ana Carolina Seixas Prata da
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.79%
O presente trabalho pretende realizar uma análise da aplicabilidade das medidas de seguranças à indivíduos que venham cometer ilícitos penais e que sejam diagnosticados com transtorno de personalidade anti-social, mais conhecido como psicopatia. A psicopatia é um transtorno de personalidade, que não é considerada uma doença, as pessoas portadores deste transtorno possuem como principais características: ausência de consciência ou remorso; frieza; crueldade; falta de temor pelo castigo; alta porcentagem de reincidência; coisificação do ser humano. A origem deste transtorno, bem como possíveis tratamentos são desconhecidos, razão pela qual a repercussão no mundo jurídico gera grandes questionamentos e situações conflitantes. No ordenamento jurídico brasileiro, não existe previsão legal específica de qual sanção aplicável ao psicopata, assim pretende-se com este estudo estabelecer algumas diferenciações entre medida de segurança e pena de prisão, para então proceder uma análise sobre qual das duas sanções penais seria mais coerente para a punição do psicopata.

Psicopatia, criminalidade e empatia: resultados de uma amostra prisional portuguesa

Vagaroso, Alberto Óscar Pereira de Almeida
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
38.01%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; A psicopatia é um construto psicológico, que se demarca pelos seus traços anti-sociais que redundam muitas vezes no delito, e, fundamentalmente, por um conjunto de características específicas a nível interpessoal e afectivo. Se os traços anti-sociais não oferecem dúvidas desconcertantes quanto à sua fenomenologia e como se manifestam, a mesma harmonia não é comungada no campo afectivo/interpessoal. Os psicopatas são encarados como indivíduos manipuladores, superficiais, emocionalmente indiferentes e extremamente racionais e lógicos. No entanto, a literatura actual ainda não identificou a falha afectiva, e o modo como esta alimenta a existência de extremas dificuldades em sentirem compaixão pelo outro. A comunidade científica tem evidenciado a empatia como a principal responsável desta falência, explorando-se a relação entre psicopatia e a empatia e as dimensões que a compõem, a empatia cognitiva e afectiva. Os estudos com amostras comunitárias e em contextos forenses afirmam de um modo geral que é principalmente ao nível da componente afectiva que se faz sentir as mais intensas dificuldades, invocando-se que os indivíduos com psicopatia falham, não no reconhecimento da emoção...

Propuesta de intervención para el tratamiento de jóvenes con rasgos de psicopatía condenados por delitos violentos en Cataluña

Marín Aullol, Lorena
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: info:eu-repo/semantics/bachelorThesis; Text Formato: application/pdf
Publicado em //2015 SPA
Relevância na Pesquisa
37.79%
El presente estudio describe la psicopatía adulta y su origen en la población infanto-juvenil, manifestando el riesgo que supone dicho trastorno para la sociedad, dado que es un grupo muy criminógeno, antisocial y violento, y manifestando la necesidad de una intervención temprana del colectivo juvenil que puntúa en rasgos DIA, precursores de la psicopatía adulta. El objetivo del estudio es realizar una revisión de los tratamientos que han obtenido resultados positivos con jóvenes con psicopatía, para detectar que elementos debe tener un tratamiento, y realizar, así, una propuesta de mejora del programa de delitos violentos desarrollado en Cataluña, destinado a jóvenes que han entrado en contacto con el sistema de justicia juvenil y presentan un patrón de comportamiento violento y agresivo.; The present study describes the adult psychopaty and his origin in the infantjuvenile population, demonstrating the risk that supposes the above mentioned disorder for the company, provided that it is a group very criminal, antisocial and violently. The study reveals the need of an early intervention, centring on the juvenile group that have features DAY, predecessors of the adult psychopaty. The aim of the study is to realize a review of the treatments that have obtained positive results with young women with psychopaty...

Psicopatía y violación: un estudio con ofensores sexuales costarricenses

Saborío Valverde,Carlos
Fonte: Medicina Legal de Costa Rica Publicador: Medicina Legal de Costa Rica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2005 ES
Relevância na Pesquisa
37.88%
El propósito del presente estudio fue explorar la relación existente entre la psicopatía, como es medida por la Lista de Chequeo de la Psicopatía Revisada (PCL-R, Hare, 1991) y el tipo de violador, de acuerdo con la Tipología de Violadores del Centro de Tratamiento de Massachussets (MTC: R3, Knight y Prentky, 1990) en una muestra de violadores privados de libertad costarricenses. Los objetivos principales del presente estudio fueron explorar empíricamente el papel de la psicopatía en la configuración de diferentes subtipos de violadores, así como examinar la aplicabilidad de modelos especializados en el área de la psicología forense a poblaciones penales costarricenses. La proporción de violadores en este estudio que puntuaron 30 o más en el PCL-R (35%) se asemeja a lo reportado en otros estudios. La prevalencia de psicopatía obtenida en esta muestra de violadores costarricenses seleccionados de un centro penitenciario de mediana y máxima seguridad es muy alentadora a nivel metodológico, debido a la distribución similar en comparación con otras muestras de violadores norteamericanos equivalentes. Los análisis de confiabilidad del PCL-R produjeron resultados aceptables y consistentes con hallazgos anteriores. Los coeficientes de acuerdo inter-evaluadores (ICC´s) y de consistencia interna (alfa de Cronbach) se ubicaron dentro del rango de valores observados en otros estudios (Hare...

Psicopatía, violencia y criminalidad: un análisis psicológico-forense, psiquiátrico-legal y criminológico (Parte I)

Pozueco Romero,J.M.; Romero Guillena,S.L.; Casas Barquero,N.
Fonte: Cuadernos de Medicina Forense Publicador: Cuadernos de Medicina Forense
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/09/2011 SPA
Relevância na Pesquisa
37.88%
Tras más de 200 años de historia, el concepto de "psicopatía" ha venido experimentando una auténtica y variopinta metamorfosis terminológica. Exceptuando aquellos períodos del Medievo en los que se creía que la psicopatía y cualquier otra conducta y personalidad "anormales" eran bien de origen demoníaco, bien de corte estrictamente hereditarista-biologicista-fisionomista-antropométrico, el resto de enfoques teórico-investigadores han arrojado sobrada luz que, a día de hoy, y tras más de 200 años de historia amarga y controvertida sobre el término, nos permiten haber llegado a un consenso generalizado entre los estudiosos de la psicopatía desde el punto de vista clínico-forense y criminológico. Este primer trabajo o Parte I es una revisión en la que se pretende ahondar en los polémicos y muchas veces incomprobables orígenes del término "psicopatía". Por otro lado, y tras intensas investigaciones empíricas realizadas desde los años 70 y centradas fundamentalmente en la población penitenciaria, modernamente se ha comenzado a hablar, de manera distintiva, tanto de los psicópatas criminales como de los psicópatas integrados, habiéndose hallado que la diferencia principal entre ambos tipos de psicópatas estriba...

Psicopatía, violencia y criminalidad: un análisis psicológico-forense, psiquiátrico-legal y criminológico (Parte II)

Pozueco Romero,J.M.; Romero Guillena,S.L.; Casas Barquero,N.
Fonte: Cuadernos de Medicina Forense Publicador: Cuadernos de Medicina Forense
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/12/2011 SPA
Relevância na Pesquisa
37.88%
La Jurisprudencia española se encuentra frecuentemente ante dictámenes periciales en los que aparecen términos como psicópata, trastorno antisocial de la personalidad, personalidad psicopática, psicópata desalmado, psicopatía epileptoide, sociopatía, etc. De esta forma, no es infrecuente que los juristas (magistrados, jueces, fiscales, abogados) se hallen desorientados ante tanta terminología que, pese a todo, en absoluto se constituyen en sinónimos. La Doctrina, por su parte, disiente de la visión tradicionalmente ya asentada en la Jurisprudencia de que los psicópatas sean sujetos inimputables. Muchos penalistas conocen bien los textos y estudios psicológicos y psiquiátricos que al respecto existen, y en ellos suelen basarse para establecer ciertas diferencias que aparentemente son sutiles. Una de las controversias más prolongadas es si los términos trastorno antisocial de la personalidad y psicopatía son la misma entidad. En la revisión de esta Parte II también se pretende ahondar en y remarcar esas sutiles diferencias, ya que se ha demostrado reiteradamente que ambas entidades diagnósticas, si bien comparten algunos rasgos en común, no son el mismo concepto ni comportan las mismas consecuencias. Asimismo, se analiza la enconada polémica que existe en torno a la frecuente asociación entre psicopatía y consumo de drogas...

O estado de arte do conceito de psicopatia

Soeiro,Cristina; Gonçalves,Rui Abrunhosa
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.79%
Este artigo tem como objectivo efectuar uma análise do conceito de psicopatia, tendo presente a sua evolução e as principais questões que se colocam na sua relação com o estudo do comportamento criminal. São analisados os principais indicadores que caracterizam as perspectivas clínica, categorial, tipológica e dimensional do conceito de psicopatia, assim como os principais aspectos que as diferenciam. No final do artigo é discutido o impacto, quer em termos teóricos quer empíricos, dos aspectos que são defendidos como centrais, na definição de psicopatia, para cada uma das abordagens apresentadas.