Página 1 dos resultados de 14 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Divisão social e definição dos grupos sociais no meio rural - campesinato, proletariado rural e agricultura familiar: o caso de Conchas-SP

Volpi, Gabriel Campos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 202 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
36.33%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Ciências Sociais - FCLAR; A dissertação que apresentamos traz como questão principal o problema da caracterização social dos grupos de produtores rurais que controlam (mesmo que parcialmente) os próprios meios de produção. O estudo se divide em duas partes: a primeira, um debate teórico em que discutimos as diversas nominações atribuídas a esses agricultores ao longo da literatura nacional, procurando estabelecer uma definição coerente para cada uma delas, bem como suas implicações teóricas e políticas na análise do mundo rural. O conceito de agricultura familiar emergiu da discussão teórica como a maneira mais adequada de se definir o grupo social em questão. Na segunda parte, realizou-se um estudo empírico tomando como base o município de Conchas, interior de São Paulo, no intuito de testar até que ponto a definição adotada correspondia às características dos agricultores observadas em campo.; The papert we present brings as ultimate issue the problem of the social characterization of the groups of agricultural producers that controls (fully or partially) the means of production. The study is divided in two parts: the first one...

Queimando-lata - sem eira, nem beira

Silva, Maria Aparecida de Moraes; Ferrante, Vera Lúcia Silveira Botta; Bizelli, José Luís; Moraes e Araujo, Carlos Augusto
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.12%
O artigo analisa a forma de exploração do trabalho dos queima-latas na agricultura paulista, discutindo a trajetória da sua migração e as condições de sua reprodução.; This paper analyses the form of work exploitation of the queima-latas in the agriculture of the state of Sao Paulo. It discusses their migration paths and their reproduction conditions.

Agricultura e imperialismo: algumas notas sobre a formação da força de trabalho em Cuba

Silva, Maria Aparecida de Moraes
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.12%
O objetivo deste trabalho é analisar o processo de formação da força de trabalho na agricultura cubana no bojo das relações imperialistas no final do século XIX e início do século XX.; This article analyses lhe process of labour force formation in cuban agriculture. process is produced by the imperialism relations in the final of last century and the beginning of century.

A pequena produção e o processo de proletarização rural de São Paulo e no Nordeste

Caio Cezar Lock Prates da Silveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/1985 PT
Relevância na Pesquisa
26.12%
Não informado; Not informed

Capitalismo e classes sociais nos campos em Portugal

Almeida, João Ferreira de; Freitas, Eduardo de; Cabral, Miguel Villaverde
Fonte: Imprensa de Ciências Sociais Publicador: Imprensa de Ciências Sociais
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1976 POR
Relevância na Pesquisa
26.12%
No passado recente, que formas encontrou o modo de produção capitalista para exercer, na formação social portuguesa, a dominação sobre as relações de produção na agricultura? Quais têm sido as linhas de força essenciais na penetração do capitalismo nos campos em Portugal? Tradicionalmente, tem-se afirmado a inevitável ligação da dominação capitalista ao desenvolvimento das relações especificamente capitalistas na agricultura. Na verdade, porém, coexistem na agricultura por forma durável dois sectores distintos: um sector de submissão real do trabalho ao capital e um sector de submissão formal do trabalho ao capital. Diferenciados pela forma das relações de produção, pela estrutura dos processos de trabalho e pelos modos de apropriação do excedente, esses dois sectores constituem a complexa estrutura agrária portuguesa, entendida como materialização de um sistema geral de relações sociais que são simultaneamente relações de força. Parece legítimo considerar qie tal sistema envolve, no caso português, as seguintes classes e fracções de classe: os proprietários fundiários absentistas e os empresários capitalistas, que, em conjunto, constituem a burguesia agrária – grande e média; o campesinato...

Latifúndio e proletariado: formação da empresa e relações de trabalho no Brasil rural

Bortoleto,Eloisa Elena
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1981 PT
Relevância na Pesquisa
16.12%

Historia agraria y organización social en la Costa Austral de Ecuador, 1950-2010. Estudio de caso de una cooperativa agrícola :la Unión Regional de Organizaciones Campesinas del Litoral, Urocal.

Carrillo García, Germán
Fonte: Universidade de Múrcia Publicador: Universidade de Múrcia
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
26.44%
A partir de 1950 se iniciaron en Ecuador transformaciones de carácter radical en todos los ámbitos. El país se insertó en la órbita internacional tras la segunda guerra mundial a partir de la expansión del monocultivo de banano. Las Reformas Agrarias de 1964 y 1973, en el marco de la Revolución Verde, cambiaron los escenarios y los actores del mundo rural. La modernización del campo dejó atrás el gamonalismo serrano y las aparcerías en la costa para ir adecuando las relaciones laborales y sociales al sistema capitalista. Las economías campesinas se resintieron de un modelo de desarrollo ajeno a su racionalidad y, pronto, el campesinado, que había luchado por la tierra, conformó un nuevo proletariado rural en las modernas explotaciones agrícolas. Ciertos grupos de campesinos y campesinas se mancomunaron en torno a cooperativas agrícolas, lo que de una u otra manera abriría posibilidades para su supervivencia. El estudio de caso de la organización campesina UROCAL (Unión Regional de Organizaciones Campesinas del Litoral) es representativo de los cambios aducidos en el mundo rural ecuatoriano, especialmente en la costa austral del Ecuador. Palabras clave: UROCAL, Ecuador, historia agraria, organización social. Since 1950 radical changes in every area started in Ecuador. The country entered the international orbit after the Second World War thanks to the expansion of the cultivation of banana. Agrarian Reforms of 1964 and 1973...

??lites castellanas y mano de obra morisca en el Reino de Granada: Las propiedades r??sticas de la Iglesia de Guadix seg??n su apeo de 1538

Garrido Garc??a, Carlos Javier
Fonte: Granada: Universidad de Granada Publicador: Granada: Universidad de Granada
Tipo: Artigo de Revista Científica
ES
Relevância na Pesquisa
16.26%
En este art??culo se analiza la condici??n de gran propietaria de bienes r??sticos de la Iglesia en el antiguo Reino de Granada. En concreto nos centramos en la Di??cesis de Guadix y en tres de sus principales instituciones: el Cabildo Catedral, la F??brica Mayor y el Hospital Real. Adem??s de analizar el origen, calidad y cuantificaci??n de esos bienes, nos acercaremos a temas como su parcelaci??n y explotaci??n. Con todo ello nos aproximaremos a la vida social y econ??mica del Reino de Granada en el siglo XVI y a la actuaci??n que las ??lites castellanas, en este caso la Iglesia, mantuvieron con respecto a los moriscos, aut??ntico "proletariado" agr??cola de la ??poca en esta regi??n. Para todo ello nos basaremos principalmente en el apeo de las propiedades de estas tres instituciones realizado en 1538.; In this work, the nature of big ship owner of rural real estate of the Church in the old Kingdom of Granada is analyzed. Specifically, we will center in the Bishopric of Guadix and in three of it's most important institutions: the Cathedral Chapter, the Main Factory and the Royal Hospital. Besides the analysis of the origin, quality and quantity of it's rural real estate, we will touch subjects like it's parceling and exploitation. With this...

Inferno urbano : estudo do espaço em Os Corumbas, de Amando Fontes

Roberto Jose da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
26.12%
Nesta dissertação, faço um estudo do romance Os Corumbas, de Amando Fontes, publicado em 1933. O foco principal da análise está voltado para o espaço ficcional, a cidade de Aracaju, local onde desenrola as ações. Escrito na estética naturalista o romance é um documento fiel de uma cidade que se industrializava rapidamente.Os Corumbas junto com Parque Industrial, de Patrícia Galvão, são romances que têm o espaço ficcional priorizado pela cidade em industrialização, diferentemente de outros romances que no mesmo momento priorizavam a vida rural. A industrialização, as condições de vida e as lutas da classe operária são o tema principal de Os Corumbas, o que favoreceu uma longa polêmica sobre a existência do romance proletário no Brasil. Por fim, estabeleço as relações entre o espaço e as personagens degradadas, tal como se apresentam no romance com a modernidade, representada pelo avanço do capitalismo; In this dissertation, I study the novel Os Corumbas written by Amando Fontes, published in 1933.The main study of analysis is the fictional space, the Aracaju city, place where happen alI actions. Written in the naturalistic aesthetic the novel is an excellent document about a city that was industrializing quickly.Os Corumbas and other novels as Parque Industrial...

Comunidade operaria, migração nordestina e lutas sociais : São Miguel Paulista (1945-1966)

Paulo Roberto Ribeiro Fontes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
16.26%
Esta tese analisa o impacto das migrações internas, em particular a nordestina, e da urbanização no processo de formação da classe trabalhadora brasileira entre os anos 40 e 60. Analisando o caso do bairro paulistano de São Miguel Paulista, considerado um dos primeiros distritos 'nordestinos' da cidade e um típico exemplo de expansão urbana periférica, o estudo procura destacar a importância das redes sociais, e das relações comunitárias para a formação da classe. Aspectos da vida cotidiana operária, tais como moradia, lazer e religião também são abordados. São Miguel Paulista constitui um importante campo de estudo para questionar e problematizar as explicações acadêmicas que privilegiaram 'a origem rural do proletariado brasileiro' como determinante para entender a sua suposta apatia e ausência de consciência de classe e, ao mesmo tempo, compreender no âmbito deste caso as relações entre especificidades regionais, migração e cultura operária. Por fim, a tese analisa a ação política e o forte associativismo experimentado pelas classes populares naquele período, incluindo além dos sindicatos e partidos políticos, as associações de bairro e outras organizações que claramente expressavam o processo formativo de uma classe multifacetada e dinâmica; The impact of internal migration...

El crecimiento de la clase media

Delhumeau, Antonia
Fonte: Universidade Nacional Autônoma do México Publicador: Universidade Nacional Autônoma do México
Formato: 37
ESPAñOL
Relevância na Pesquisa
16.12%
Las clases medias son la relación que facilita el flujo entre gobernantes y gobernados, son la clave de la articulación de la estructura social y la solución encontrada para superar la polaridad de intereses entre la burguesía y el proletariado. Esta función esencial y definitoria de la clase media se construyó en México en las décadas de los treinta y los cuarenta del siglo pasado. La movilidad social ascendente de las clases medias a partir del triunfo de la Revolución mexicana, fue constante en su extensión e intensidad hasta que el consumo de bienes y servicios ya no se apoyó sólidamente en un crecimiento económico real. La configuración de las clases medias se dio a través de las redes migratorias internas, entre 1953 y 1970, indígenas y campesinos exploraron la posible mejoría de su calidad de vida en las urbes. Los estudios migratorios focalizaron en especial el tránsito a los Estados Unidos. Entre 1953 y 1970 se estructuran los rasgos fundamentales de los valores urbanos que imperarían en un país que en 1950 era más rural que urbano. Con el impulso de la aviación, la infraestructura carretera y el inicio de la era de la televisión, las clases medias se consolidaron como los prototipos nacionales, los modelos de participación social y prestigio cultural. La prestigiosa vestimenta y la alimentación...

O “fazer-se” da classe trabalhadora rural campista: o STR de Campos de Goytacazes ao longo dos anos 1940

Soares, Felipe Vieira; FFP/UERJ
Fonte: Revista Convergência Crítica Publicador: Revista Convergência Crítica
Tipo: Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 17/07/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.37%
Este artigo tem como objetivo investigar brevemente a trajetória do sindicalismo rural durante e após a chamada Era Vargas(1930-1945). Para tanto, analisaremos a trajetória do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Campos de Goytacazes, ao longo dos anos 1940, acompanhando o processo de formação de classe no proletariado rural campista na luta pela ampliação e aplicação das leis trabalhistas ao campo brasileiro.

Problemas del movimiento obrero rural en la zona del “oro verde” argentino: la expansión sojera, el régimen del contratismo y la ausencia de conflictos proletarios entre 1970 y 2010; Problemas do movimento operário rural na zona do “oro verde” argentino: a expansão da soja, o regime de contratação e a ausência de conflitos proletários entre 1970 e 2010

Villulla, Juan Manuel; Centro Interdisciplinario de Estudios Agrarios, Universidad de Buenos Aires
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/12/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
26.54%
http://dx.doi.org/10.5007/1984-9222.2014v6n12p251En el marco de la expansión agrícola argentina iniciada en la década de1970, los obreros rurales de la zona pampeana consolidaron su papel como los principalesproductores directos de las riquezas de este sector de la economía nacional.A pesar de su posición estratégica y de las difíciles condiciones laborales que atravesarona lo largo del período, no se registró acción colectiva protagonizada y dirigidapor este sector de asalariados en función de sus propios intereses como colectivoespecífico de trabajadores. Este artículo aborda dos aspectos que contribuyen a explicarla ausencia de manifestaciones sindicales o políticas encabezadas por ellos. Enprimer lugar, la organización social del trabajo predominante desde los años ‘70, quecontribuyó a desarticular objetiva y subjetivamente al proletariado agrícola comofracción de clase; y en segundo lugar, la ausencia de una voluntad política capaz detrascender las dificultades estructurales para nuclear a los trabajadores.; http://dx.doi.org/10.5007/1984-9222.2014v6n12p251No contexto da expansão agrícola argentina iniciada na década de 1970 os trabalhadores rurais da zona dos pampas consolidaram seu papel como os principais produtores diretos das riquezas deste setor da economia nacional. Apesar de sua posição estratégica e das difíceis condições de trabalho que eles atravessaram no período...

Las olvidadas de la tierra: asalariadas rurales del Uruguay. Clase y género en cuestión

Rodríguez Lezica,Lorena; Carámbula,Matías
Fonte: Agrociencia Uruguay Publicador: Agrociencia Uruguay
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2015 ES
Relevância na Pesquisa
26.4%
La mayoría de los estudios que han abordado las transformaciones en el mercado de trabajo rural en un contexto de descomposición de las formas familiares de agricultura y creciente proletarización, se han focalizado en el análisis de los procesos de precarización del empleo. Es en la década de los noventa que comienza a llamar la atención la feminización de la fuerza de trabajo rural como una de las tendencias observables en América Latina. En Uruguay, aún siendo uno de los países en la región con una expansión muy temprana de las relaciones capitalistas en el agro, es tardía la producción de conocimiento sobre la situación del proletariado rural. Además, es muy escaso el análisis del trabajo rural asalariado desde una perspectiva de género. Este artículo intenta contribuir al conocimiento de las transformaciones en el medio rural a partir de una revisión bibliográfica que identifica la falta de una perspectiva de análisis que integre y problematice las relaciones de clase y género. Se fundamenta así la necesidad de integrar dicha perspectiva en el análisis de la esfera privada y pública y en el ámbito político, en el entendido de que la desigualdad de género se expresa en el hogar, en el ámbito laboral y en las organizaciones.