Página 1 dos resultados de 1025 itens digitais encontrados em 0.003 segundos
Resultados filtrados por Publicador: Associação Portuguesa de Horticultura

Resultado preliminar da aplicação da poda mecânica num olival da variedade Arbequina conduzido em sebe

Dias, A.B.; Pinheiro, A.; Peça, J.O.
Fonte: Associação Portuguesa de Horticultura Publicador: Associação Portuguesa de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.54%
Nos olivais de elevada densidade conduzidos em sebe, a colheita da azeitona é efectuada com uma máquina automotriz cavalgadora, pelo que é fundamental adequar a dimensão das árvores às da máquina. A poda é a prática cultural que os olivicultores dispõem para controlar a dimensão das árvores. O ensaio iniciou-se em 2008 num olival foi instalado em 2000, com uma entrelinha de 3,5 m e com 1,35 m de afastamento entre as árvores na linha, tendo sido conduzido em eixo central. O ensaio foi delineado em blocos casualizados com três repetições, sendo cada talhão constituído por 3 linhas de 100 árvores cada. Foram definidos os seguintes tratamentos: T1 - poda manual efectuada por podadoras com motosserra e tesourões; T2 - poda mecânica que consistiu na realização de um corte horizontal na parte superior da copa das árvores, seguido de poda manual de complemento para controlar ramos excessivamente desenvolvidos nas faces laterais da copa das árvores; T3 - poda mecânica que consistiu na realização de um corte horizontal na parte superior da copa das árvores e de um corte vertical na face exposta a leste, seguido de poda manual complemento manual para controlar ramos excessivamente desenvolvidos na outra face lateral da copa das árvores; T4 - poda mecânica que consistiu na realização de um corte horizontal na parte superior da copa das árvores e de cortes verticais em cada uma das faces da copa das árvores. A utilização da máquina de podar permite controlar a altura das árvores com uma maior unifor midade do que a poda manual. Embora os resultados se refiram apenas ao primeiro ano de ensaio...

Contribuição para definir a estratégia de poda num olival tradicional de região de Moura

Dias, A.B.; Pinheiro, A.; Piçarra, I.; Figueira, M.; Borges, F.; Peça, J.O.
Fonte: Associação Portuguesa de Horticultura Publicador: Associação Portuguesa de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.51%
A recente diminuição do preço do azeite levará a que os produtores tenham inevitavelmente que adoptar estratégias produtivas que permitam reduzir os custos de produção. A utilização da máquina de podar de discos é uma solução que permite reduzir os custos de poda, ao diminuir a dependência da mão-de-obra, nomeadamente nos olivais com densidades inferiores a 150 árvores por hectare (Peça et al., 2002; Dias, 2006, Dias et al., 2008). Neste trabalho pretende-se mostrar os resultados obtidos num ensaio de aplicação de poda mecânica iniciado em 2002 na região de Moura. O ensaio foi estabelecido num olival da variedade “Cordovil de Serpa”, com mais de 80 anos, cerca de 70 árvores por hectare e equipado com sistema de rega gota a gota. Estabeleceram-se os seguintes tratamentos: T0 – sem podar; T1 – poda manual com motosserra; T2 – poda mecânica, que consistiu na realização de um corte horizontal na parte superior da copa das árvores; T3 – poda mecânica realizada de forma análoga ao tratamento T2, complementada dois anos após (2004), com poda manual efectuada com motosserra. Os resultados obtidos mostram que, em média, a produção obtida nos diferentes tratamentos foi similar, confirmando que é possível manter as árvores a produzir sem necessidade de intervenções de poda. Apesar deste resultado...

A mecanização da poda de pereiras “Rocha” – utilização de máquina de podar de discos

Dias, António B.; Patrocínio, Sandra; Pereira, Sérgio; Brites, Teresa; Pita, Valério; Mota Barroso, João
Fonte: Associação Portuguesa de Horticultura Publicador: Associação Portuguesa de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.63%
A poda da pereira é uma tarefa que requer grande utilização de mão-de-obra, apesar da utilização de equipamentos de poda manual assistida. No âmbito do projeto Proder intitulado "Avaliação da poda mecânica em pomares de pera ‘Rocha‘, pretendem-se encontrar soluções de poda que permitarn reduzir os custos e a dependência da mão-de-obra. O ensaio foi estabelecido num pomar adulto de pereira `Rocha’ com 25 anos, instalado a 4 x 2 m, segundo a direção Norte-Sul, adaptado há cerca de 10 anos para eixo central revestido. O ensaio, que decorreu de 2008 a 2011, foi delineado em blocos casualizados com três repetições. As modalidades de poda foram: T1 - poda manual assistida, com tesouras pneumáticas em cada um dos anos; T2 - poda com máquina de podar de discos; corte horizontal na parte superior da copa, em cada um dos anos e corte vertical em cada face lateral da copa, em 2008 e em 2010. Em 2011 efetuou-se, excepcionalmente, uma intervenção de poda manual para eliminação de ramos ladrões da parte interior da copa; T3 - poda com máquina de podar de discos seguida de poda manual de complemento; corte horizontal na parte superior da copa, em cada um dos anos e corte vertical nas faces laterais da copa em 2008. Poda manual de complemento em cada um dos anos. Avaliou-se o tempo de poda e a massa de lenha de poda...