Página 1 dos resultados de 6 itens digitais encontrados em 0.047 segundos

Estudo da eficácia de um programa de educação na higiene e desinfecção dos nebulizadores de uso domiciliar de pacientes com fibrose cística; Study of the effectiveness of an education program on hygiene and disinfection of home nebulizers of patients with cystic fibrosis

Della-Zuana, Adriana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
76.88%
Pacientes com fibrose cística (FC) apresentam infecções respiratórias recorrentes e crônicas por patógenos peculiares e realizam inalações diariamente como parte de seu tratamento. É reconhecido que patógenos específicos são comumente isolados nestes nebulizadores e existe uma preocupação de que estes equipamentos possam contribuir como fonte de infecção bacteriana para as vias aéreas inferiores. Objetivo: Descrever os patógenos encontrados nos nebulizadores de uso domiciliar e nas amostras de trato respiratório de pacientes com FC e verificar a eficácia de uma técnica padronizada de higiene e desinfecção destes nebulizadores na redução da contaminação dos mesmos. Método: Quarenta pacientes com FC (22M:18F) com mediana de idade de 11,2 ± 3,74 anos e que utilizavam o nebulizador PRONEB/sistema PARI foram incluídos no estudo. Amostras dos nebulizadores foram coletadas do bocal e do copo reservatório utilizando-se um swab estéril umedecido em solução salina estéril. As amostras de trato respiratório dos pacientes foram colhidas por expectoração em coletor estéril ou com swab de orofaringe após estímulo de tosse. As culturas foram realizadas em meios seletivos e a identificação bacteriana feita através de provas bioquímicas clássicas. Instruções verbais e escritas de higiene e desinfecção dos nebulizadores foram ministradas. Resultados: A contaminação de alguma parte dos nebulizadores foi observada em 23/40 casos (57...

Aprendizado do uso do inalador dosimetrado após explicação por pneumologista

SANDRINI,ALESSANDRA; JACOMOSSI,ANDRÉIA; FARENSIN,SONIA MARIA; FERNANDES,ANA LUISA GODOY; JARDIM,JOSÉ ROBERTO
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2001 PT
Relevância na Pesquisa
56.3%
Introdução: O uso do inalador dosimetrado para administração de drogas inalatórias tem sido preconizado há vários anos. Apesar disso, um grande número de pacientes deixa de ser tratado por essa via de administração. Médicos deixam de prescrever drogas inalatórias por esse dispositivo por acreditar que os pacientes serão incapazes de realizar a técnica corretamente. Por outro lado, os médicos não despendem tempo apropriado para ensinar a técnica correta de uso dos inaladores dosimetrados. Objetivo: Avaliar a percentagem de pacientes, nunca ensinados a usar inalador dosimetrado, que aprendem a utilizar corretamente este dispositivo, após explicação fornecida por pneumologista. Material e métodos: Foram estudados, prospectivamente, 119 pacientes em uma clínica privada em São Paulo. Os pacientes eram ensinados exaustivamente a utilizar o dispositivo na primeira consulta e orientados a retornar em dez dias, quando eram solicitados a realizar a técnica exatamente como estavam fazendo no domicílio. Foi classificada em quatro categorias a técnica de uso: correto, pouco errado, erro intermediário, muito errado. Resultados: Foram excluídos 26 pacientes, devido ao não comparecimento à consulta de retorno no tempo previsto. A amostra resultou em 93 pacientes. A idade dos pacientes variou de 9 a 81 anos...

Técnica e compreensão do uso dos dispositivos inalatórios em pacientes com asma ou DPOC

Souza,Maria Luiza de Moraes; Meneghini,Andrea Cristina; Vianna,Elcio Oliveira; Borges,Marcos Carvalho
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.3%
OBJETIVO: Avaliar a compreensão e a técnica de uso dos dispositivos inalatórios prescritos de pacientes com asma ou DPOC atendidos em um hospital-escola terciário. MÉTODOS: Os pacientes foram avaliados na sala de pós-consulta sem que o médico soubesse do estudo. Foi solicitado que o paciente demonstrasse como utiliza a medicação inalatória e, em seguida, esse foi entrevistado sobre a compreensão dos dispositivos inalatórios, controle da doença e orientações recebidas durante as consultas. RESULTADOS: Foram avaliados 120 voluntários: 60 asmáticos e 60 com DPOC. Todos os asmáticos e 98,3% do grupo DPOC relataram saber utilizar os medicamentos inalatórios. Na amostra como um todo, 113 pacientes (94,2%) cometeram pelo menos um erro ao utilizar o dispositivo inalatório. Os pacientes cometeram mais erros ao utilizar aerossol dosimetrado do que ao utilizar os inaladores de pó seco Aerolizer® (p < 0,001) ou Pulvinal® (p < 0,001), assim como mais erros ao utilizar Aerolizer® do que ao utilizar Pulvinal® (p < 0,05). O grupo DPOC cometeu significativamente mais erros que o grupo asma ao utilizar o aerossol dosimetrado (p = 0,0023), Pulvinal® (p = 0,0065) e Aerolizer® (p = 0,012). CONCLUSÕES: Embora a maioria dos pacientes relatasse saber a técnica adequada de utilização dos dispositivos inalatórios...

Nebulizadores: fonte de contaminação bacteriana em pacientes com fibrose cística?

Brzezinski,Lorena Xavier Costa; Riedi,Carlos Antônio; Kussek,Paulo; Souza,Helena Homem de Melo de; Rosário,Nelson
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.83%
OBJETIVO: Determinar se os nebulizadores de pacientes com fibrose cística são fonte de contaminação microbiana e verificar se a técnica e a frequência de desinfecção dos nebulizadores é apropriada. MÉTODOS: Estudo de corte transversal observacional, sem grupo controle. Foram coletadas amostras de 28 pacientes com fibrose cística, no domicílio do paciente, sem aviso prévio sobre o motivo da visita. Foram colhidas três amostras por paciente: do reservatório do nebulizador, da máscara/bocal e do próprio paciente (swab da orofaringe/escarro). As amostras foram acondicionadas adequadamente e levadas para análise. Os pacientes, seus pais ou responsáveis preencheram um questionário sobre métodos de limpeza e desinfecção dos nebulizadores. RESULTADOS: Foram obtidas 84 amostras dos 28 pacientes. Destes, 15 (53,5%) eram do gênero masculino. A mediana de idade foi de 11 anos (variação: 1-27 anos). Dos 28 pacientes, 15 apresentaram culturas de escarro/orofaringe positivas. As bactérias encontradas com maior frequencia foram Streptococcus aureus (8/15) e Pseudomonas aeruginosa (4/15). A cultura obtida dos nebulizadores identificou diversos patógenos, sem nenhum predominante. Não houve associações entre os resultados das culturas obtidas dos nebulizadores e aquelas dos pacientes em 27 casos (96...

Manejo de crises asmáticas em crianças: conhecimento de profissionais de saúde quanto ao tópico em hospitais-escola do Recife (PE)

Lustosa,Giovanna Menezes de Medeiros; Britto,Murilo Carlos Amorim de; Bezerra,Patrícia Gomes de Matos
Fonte: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.3%
OBJETIVO: O conhecimento sobre o manejo da asma aguda em crianças é um tema pouco explorado. O objetivo deste estudo foi avaliar o conhecimento de profissionais de saúde do Recife (PE) sobre o assunto. MÉTODOS: Estudo transversal de tipo inquérito com 27 médicos e 7 enfermeiros, com mais de 2 anos de trabalho, de dois grandes hospitais-escola de pediatria do Recife, avaliados através de questionários autoaplicáveis com questões fechadas. RESULTADOS: Tanto os pediatras quanto os enfermeiros apresentaram conhecimento inadequado sobre o uso de inaladores dosimetrados, nebulização, tipo e dosagem dos medicamentos, assim como técnicas de descontaminação e desinfecção do material. CONCLUSÕES: O conhecimento inadequado do manejo da asma aguda em crianças pode refletir em um tratamento menos efetivo nesses hospitais. Medidas educativas são necessárias para minimizar o problema.

Associação da pressão positiva expiratória ao final da expiração ao nebulizador ultrassônico: efeito na deposição de aerossol no pulmão; Association of positive end expiratory pressure to ultrasonic nebulizer: effect on aerosol deposition onto lungsThis study aimed at comparing aerosol deposition onto lungs using an ultrasonic (US) nebulizer, with and without using a positive end expirator

Andrade, Arméle Dorneles de; Lima, Jacqueline; Lima, Vitória C.; Marinho, Patrícia E. M.; Galindo Filho, Valdecir C.; Castro, Célia M. B. M. de; Machado, Maria da Glória Rodrigues
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2007 POR
Relevância na Pesquisa
56.3%
Este estudo visou comparar a deposição de aerossol no pulmão medianteo uso do nebulizador ultra-sônico (US), sem e com utilização de válvula de pressão positiva expiratória final (PEEP), comparando ainda duas pressões da válvula, de 5 cmH2O e 10 cmH2O. Doze voluntárias jovens e saudáveis foram submetidas à inalação do radioaerossol Tc99m gerado por nebulizador US em três fases: controle (com expiração sem resistência) e nebulizações associadas a PEEPs de 5 cmH2O e de 10 cmH2O. Para analisar a deposição de aerossol, foram delimitadas regiões de interesse (ROIs) em ambos os pulmões, cada qual subdividido nas regiões central, intermediária e periférica; foi considerada a contagem total do radioaerossol em cada ROI. Os dados foram analisados estatisticamente. A deposição de aerossol foi maior quando a válvula de PEEP foi acoplada ao nebulizador. A análise mostra que, em ambos os pulmões, as regiões central (p=0,012) e intermediária (p=0,01) apresentaram maior deposição do aerossol quando usada a PEEP. Na região periférica houve diferença entre os dois pulmões. A comparação entre os dois níveis de pressão não mostrou diferença significativa. Os dados sugerem que o uso de uma válvula de PEEP associada à nebulização US pode aumentar a deposição do aerossol...