Página 1 dos resultados de 31 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

A Revista de Educação (1921-1923), o nacionalismo e a reforma de 1920: a formação de professores em São Paulo

Inoue, Leila Maria
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 117 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
36.44%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Educação - FFC; Esta Dissertação de Mestrado analisa as ideias nacionalistas que orientaram a formação de professores presentes na Revista de Educação (1921-1923) partindo da hipótese de que esse periódico foi criado com o intuito de divulgar a Reforma de Ensino, implantada por Sampaio Doria em 1920. Desse modo, busquei analisar como os ideais nacionalistas da Reforma de 1920 se materializavam na Revista. A finalidade deste estudo foi compreender e analisar as implicações das idéias nacionalistas na formação de professores e como os ideais nacionalistas emergiam na Revista de Educação. A análise parte do estudo da materialidade, da periodicidade e do conteúdo referente ao nacionalismo da Revista. O referencial teórico-metodológico apóia-se num conjunto de estudos que se baseiam na História Cultural, em especial, nas premissas de Roger Chartier (1990, p. 127) que considera que “não existe texto fora do suporte que o dá a ler e que não há compreensão de um escrito, qualquer que ele seja, que não dependa das formas através das quais ele chega a seu leitor”. O estudo da “arqueologia dos objetos em sua materialidade”. Segundo Carvalho (1998...

Formação e desenvolvimento da identidade nacional e da nação eslovaca : Eslováquia : uma estado sem nação?

Adamec, Martin
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
26.32%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciência Política, Programa de Pós-Graduação, 2008.; O presente trabalho analisa a formação e o desenvolvimento de uma nação eslovaca no decorrer de um período de mais de mil anos, buscando identificar continuidades e descontinuidades em sua estruturação. Para tal, elabora-se um esquema metodológico, pelo qual se busca identificar ao longo da evolução histórica do território eslovaco alguns dos elementos primordias constitutivos de uma identidade nacional. Tendo em vista uma diferenciação entre a nação como identidade em comum (calcada em características em comum de seus membros) e como identidade coletiva (mobilização, identificação mais ativa), constata-se o papel crucial do “nacionalismo”, do processo de agitação nacional que visa inculcar a consciência nacional na população imputada da nação. Assim, podendo-se afirmar que a construção de uma nação plena (como identidade coletiva) é efetuada de modo instrumental, busca-se descobrir “por quem”, “por quê”, “para quem” e “a partir de que elementos” dada nação é formada. Neste sentido, ao menos no caso da nação eslovaca, podemos apontar uma peculiar persistência dos elementos constitutivos da identidade nacional (notadamente território...

A sociologia da educação e o Estado após a globalização

Dale,Roger
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
26.09%
Em The State and education policy (1989) argumentava que (1) os sistemas de educação e as políticas educacionais, enquanto partes do Estado, eram moldados pela sua contribuição à solução de três condições de existência "centrais" do capitalismo (o apoio infraestrutural ao processo de acumulação, a construção da ordem social e a legitimação do sistema) e (2) as "soluções" para esses problemas tendiam a ser mutuamente contraditórias, sendo essas contradições os principais motivadores das políticas de educação. Desde então, as formas desses problemas centrais e do "estado" têm mudado fundamentalmente em razão da "constitucionalização do neoliberal", da fusão da regulação e da emancipação, da mudança de governo para governança e da reconstrução e recontextualização do "nacional". Isto exige que repensemos os modos como a sociologia da educação aborda conceitos como "nacional", "educação" e "sistemas".

As possibilidades quanto à sociologia global: uma perspectiva pós-colonial

Bhambra,Gurminder K.
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.27%
Este artigo aborda a maneira como as percepções sobre a natureza globalizada do mundo em que vivemos estão começando a ter um impacto dentro da sociologia, de tal forma que esta precisa interagir não apenas com as mudanças na arquitetura conceitual da globalização, como também com o reconhecimento do valor epistemológico e da agência do mundo além do Ocidente. Examino três das principais evoluções dentro da sociologia que estão focadas nessas preocupações: primeiro, a mudança para um paradigma de modernidades múltiplas; segundo, apontamentos acerca de uma sociologia global multicultural; e, terceiro, um argumento em favor de uma abordagem global cosmopolita. Embora as três abordagens em discussão se baseiem em uma consideração do "resto do mundo", seus termos, sugiro, não estão adequados para as intenções declaradas. Nenhuma dessas respostas é suficiente no que diz respeito à sua abordagem referente a omissões anteriores e cada uma acaba retornando aos problemas da posição predominante que já vem sendo criticada por outros motivos. Em contraste, eu argumento que é somente por meio do reconhecimento da significância do "global colonial" na constituição da sociologia que é possível entender e abranger o presente necessariamente pós-colonial (e descolonial) da "sociologia global".

A Sociologia Política Internacional distante da grande síntese: como articular relações entre as disciplinas de Relações Internacionais, Sociologia e Teoria Política

Bigo,Didier
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.09%
Este artigo analisa uma abordagem de Sociologia Política Internacional (SPI) inspirada em uma metodologia relacional e processual que questiona as premissas das RI quanto às fronteiras do internacional, a visão de que a política está no centro das ciências políticas e o nacionalismo metodológico no que diz respeito à sociedade. A fim de evitar dualismos, a SPI discute as diferentes epistemes em jogo e analisa a sociogênese das práticas dos atores em seus distintos universos profissionais e culturais, com atenção especial para as disputas por poder entre esses atores e para os processos de politização e (in)securitização. A SPI é, portanto, construtivista na medida em que seus autores são reflexivos e desconstroem reivindicações de conhecimento essencialistas. A SPI é também empiricista na medida em que seus autores são sensíveis às práticas dos seres humanos e a suas relações com objetos. Nessa abordagem, as teorias partem dessas relações sociológicas e históricas, sempre incrustadas em locais e tempos específicos. Logicamente, o empiricismo não significa positivismo, e o construtivismo não significa uma perspectiva idealista em que normas, ideias e crenças lideram o mundo. Dessa forma, a SPI também constitui um esforço de descolonizar o estudo das práticas das "sociedades transnacionais de indivíduos" dos chamados "grandes debates" das visões anglo-americanas...

Instituições e desenvolvimento econômico: uma nota crítica ao "nacionalismo metodológico"

Medeiros,Carlos Aguiar de
Fonte: Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas Publicador: Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.5%
Na presente nota argumenta-se que interpretações predominantes sobre as diferentes trajetórias nacionais de desenvolvimento assumem um "nacionalismo metodológico" em que as trajetórias dos países são explicadas essencialmente por estratégias implementadas por seus estados nacionais. Estes em geral são concebidos como entidades relativamente autônomas dos interesses materiais e das relações inter-estatais. Após uma breve descrição da evolução destas interpretações identificam-se alguns de seus limites.

La vida en altos de Cazucá

Gómez Nieto, Hugo Alirio
Fonte: Facultad de Ciencias Políticas y Relaciones Internacionales Publicador: Facultad de Ciencias Políticas y Relaciones Internacionales
Tipo: masterThesis; Trabajo de Grado Maestría Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
26.09%
El autor propone una revisión sobre las causas estructurales del fenómeno de desplazamiento forzado superando la mirada nacional y en rigor el nacionalismo metodológico que en el caso colombiano, explica como causa intestina del desplazamiento forzado: el conflicto armado interno colombiano. Dicha lectura alimenta la construcción normativa jurídica y de las políticas que enfrentan el fenómeno, se describe en este contexto el papel que juegan actores globales y locales.

Las teorías de la diversidad cultural de Will Kymlicka y Gerd Baumann. Un análisis comparativo de su recepción en España (1995-2010)

Martínez Arias, Damián Omar
Fonte: Universidade de Múrcia Publicador: Universidade de Múrcia
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
16.51%
Palabras Clave: Diversidad cultural, etnicidad, nacionalismo, migración, multiculturalismo, Cataluña, España, Quebec, Canadá, Historia de la Antropología, Sociología de la Filosofía, Estudios comparativos, Teoría Política, Redes intelectuales, Importación intelectual, Comunidades epistémicas RESUMEN DE LA TESIS En esta tesis doctoral se realiza un análisis comparativo de las recepciones intelectuales de las teorías de la diversidad cultural de Will Kymlicka (filósofo y politólogo) y Gerd Baumann (antropólogo sociocultural) en España. Ambas recepciones comenzaron a tener lugar a mediados de los noventa, en un contexto socio-político caracterizado por el aumento de la inmigración y la permanencia de los nacionalismos minoritarios, y en un contexto intelectual caracterizado por las consolidaciones tanto de la transición filosófica como de la institucionalización antropológica en España. A través de un enfoque teórico-metodológico que combina las herramientas de la historia intelectual y la sociología del conocimiento científico y filosófico, partimos de la hipótesis ‒formulada por P. Bourdieu‒ de que en la circulación internacional de ideas, las teorías importadas son sometidas a una reconfiguración local en los campos de recepción que responde a intereses específicos. Dentro de este marco...

Lingua, nação e nacionalismo : um estudo sobre o guarani no Paraguai

Carolina Maria Rodriguez Zuccolillo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/07/2000 PT
Relevância na Pesquisa
36.6%
O objeto desta tese são os discursos nacionalistas sobre a língua guarani no Paraguai. Esses discursos se constituíram nas primeiras décadas do século XX, no contexto dos conhecidos movimentos de reivindicação novomundista surgidos na América Latina, e passaram a sustentar as políticas lingüísticas oficiais adotadas no Paraguai a partir dos anos 1940 e 1950. A análise realizada procura mostrar que o nacionalismo presente em tais discursos apresenta elementos das formulações dogmáticas, xenófobas e racistas características das últimas décadas do século XIX, matriz dos nacionalismos totalitários posteriores. A definição essencialista da nação e de sua relação com a língua, a recorrente alusão às guerras e à necessidade de defesa contra o inimigo estrangeiro, são alguns dos elementos analisados nesse sentido. As relações estabelecidas permitem afirmar que tais discursos reivindicatórios não superam, como pretendem, a visão colonialista das línguas (culturas) indígenas, que acaba neles reformulada de uma maneira positiva. De outro lado, o caráter conservador do nacionalismo desses discursos permite compreender o fato de que os mesmos tenham sido assumidos por regimes totalitários, como é o caso da ditadura militar do General Alfredo Stroessner (1954-1989)...

Las características ideológicas de la guerrilla en Venezuela (1960-1975)

Beaumont R., Octavio I.
Fonte: Universidade de Carabobo Publicador: Universidade de Carabobo
Tipo: Tese de Doutorado
ES_ES
Relevância na Pesquisa
26.44%
El contenido del trabajo, lo hemos organizado en cinco capítulos. En el primero capítulo, se desarrolla los aspectos teóricos centrales de nuestra investigación que comprende la definición de ideología en relación a la política, las ideas fundamentales del marxismo, como una de las tradiciones políticas y filosóficas y la relación entre marxismo y nacionalismo y liberación nacional y socialismo, que está presente en el pensamiento de las guerrillas de la década del sesenta. El segundo capítulo, trata de la conceptualización histórica de nuestro objeto de estudio. Por ello describe la situación internacional que se vivió en Venezuela en los años 60, la Tercera Internacional, Marxismo y Nacionalismo, la Guerra Fría, Coexistencia Pacífica, Intervenciones y la Revolución Cubana y principales sucesos de la lucha armada en el país y el rol desempeñado por el PCV y MIR. El tercer capítulo, corresponde al Marco Metodológico. Allí exponemos las consideraciones en torno a la definición de nuestro objeto de estudio, la subversión de los años 60, como es el caso del movimiento guerrillero de los años 60 en Venezuela y el procedimiento aplicado en la investigación para el análisis de los documentos. El cuarto capítulo...

Ruta de Investigacion de Fernando Vizcaino Guerra

Vizcaino Guerra, Fernando
Fonte: Universidade Nacional Autônoma do México Publicador: Universidade Nacional Autônoma do México
Tipo: Imagen
ES
Relevância na Pesquisa
26.63%
Fernando Vizcaíno se ha ocupado de la historia cultural en México, la vida y obra política de Octavio Paz y del análisis del nacionalismo mexicano. Su postura académica en la línea de la ciencia política, nos ofrece un enfoque de rigurosidad conceptual y metodológico para ilustrar, a partir del caso mexicano, la dialéctica del fenómeno, la transformación de sus contenidos explicados por cambios en los intereses de las élites en el poder, que lograron importar las características esenciales del nacionalismo en las cortes españolas de Cádiz, y las formas de interacción con el pensamiento político mexicano. En este sentido, apela a argumentos sólidos que muestran coincidencias entre el nacionalismo hispanoamericano con el nacionalismo de España, en sus elementos simbólicos esenciales, como son el sentido de pertenencia y auto adscripción. En lo que podríamos llamar el recorrido analítico de la historia del nacionalismo, Vizcaíno incursiona en el pensamiento de autores y pensadores como Vasconcelos, Octavio Paz y Daniel Cosío Villegas, entre otros. Vizcaíno enfatiza el centro de gravedad del nacionalismo en cada etapa de sus análisis, desde la década de 1960, hasta la actualidad, con lo que nos brinda una visión contemporánea de los cambios relacionados con el avance y las ideas sobre la democracia...

Seminario: Socio-historia del vínculo social en Argentina, de la Revolución al Centenario (3 sesiones)

González Bernaldo, Pilar
Fonte: Universidade Nacional Autônoma do México Publicador: Universidade Nacional Autônoma do México
Tipo: Conferencia
ES
Relevância na Pesquisa
26.09%
Seminario /// Socio-historia del vínculo social en Argentina, de la Revolución al Centenario. Dra. Pilar González Bernaldo. Presenta: Norma de los Ríos Méndez. //// Semestre 2011-2. Cátedra Extraordinaria. Maestros del Exilio Español. Secretaría Académica. Facultad de Filosofía y Letras. Universidad Nacional Autónoma de México, del 11 al 13 de mayo de 2011. 3 sesiones. 5 horas 10 minutos. //// Descarga: Pulse botón derecho del ratón sobre el archivo de audio "mp3" que elija y seleccione "Guardar Destino Como..."; El objetivo del curso será de dar cuenta de la dimensión socio-cultural de lo político a través de un análisis de prácticas y lenguajes sobre el vínculo social que permite pensar la sociedad y la política a lo largo del siglo XIX argentino. Se buscará analizar no sólo cómo este tipo de prácticas intervienen en la acción política y ponen en evidencia un marco de referencia para las acciones y los discursos que los propios vínculos construyen. //// Sesión 1: La sociedad como postulado de la sociabilidad: discursos y prácticas de sociabilidad durante las primeras tentativas de organización constitucional en el Río de la Plata. //// Sesión 2: Pensar el vínculo social en contexto de desigualdad: entre servicio público de beneficencia y caridad privada. //// Sesión 3: La solidaridad como respuesta a la cuestión social.

El Genocidi dels Armenis 1915

Espinet, Francesc
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2008 CAT
Relevância na Pesquisa
26.09%
Amb algun aclariment metodològic previ, s’aborda en forma de lliçó inaugural el tema del genocidi dels armenis per part de l’Imperi Otomà entorn del 1915, en el context de la primera guerra mundial, considerat com un element del procés nacionalitzador i modernitzador des d’un imperi multiètnic cap a una república unitària turca, portat a terme pels anomenats “Joves Turcs”. S’expliciten procediments, formes, mètodes, fets, volums del genocidi. El text s’acompanya d’una ampla cronologia i d’un conjunt de mapes.; Planteado como una lección inaugural, tras apuntar algún elemento metodológico, el texto se centra en el genocidio contra los armenios por parte del Imperio Otomano en torno a 1915, en el contexto de la primera guerra mundial, considerado como un elemento del proceso modernizador y nacionalizador llevado a cabo por los “Jóvenes Turcos”, en el tránsito de un imperio multiétnico a una naciónestado republicana turca. Se ponen de manifiesto modalidades, métodos, procedimientos, formas, hechos y volúmenes del genocidio. Viene acompañado de cronologías y mapas.; With some methodological clarification, the subject of the 1915’s Armenian Genocide, carried out by the Ottoman Empire, in the context of the First World War...

El debate entre transnacionalismo y nacionalismo metodológico como marco teórico para la comprensión del papel del empleo en la gobernabilidad de la inmigración en España

Morcillo Espina, Álvaro
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2011 SPA
Relevância na Pesquisa
46.5%
El debate entre el nacionalismo metodológico y el transnacionalismo ofrece múltiples oportunidades teóricas para los estudios migratorios. En este trabajo, se exponen las aportaciones que este debate brinda para la comprensión de la gobernabilidad de la inmigración en el sistema de estado autonómico español, partiendo del análisis de la gobernabilidad de la inmigración a nivel estatal, pasando por el nivel regional y acabando en el nivel local (provincial). Para ello, nos centramos en analizar el papel que el empleo desempeña en la gobernabilidad de la inmigración, destacando su relevancia y su significado en los tres pilares imprescindibles de cualquier política migratoria: el control, la integración y la cooperación al desarrollo. nivel estatal, se analiza la legislación de extranjería y, a nivel regional, los planes de inmigración de las comunidades autónomas. En esos dos niveles, se sigue una metodología cualitativa (teoría fundamentada), mientras que, en el nivel local (provincial), se analiza y se comparan los resultados de la explotación de la EPA del primer trimestre de 2008 y del primer trimestre de 2009.; The debate between methodological nationalism and transnationalism offers many theoretical opportunities for migration studies. In this paper...

História do Trabalho:o velho, o novo e o global

Linden, Marcel van der; Instituto Internacional de História Social Amsterdã, Universidade de Amsterdã
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 20/03/2009 POR
Relevância na Pesquisa
26.09%
http://dx.doi.org/10.5007/1984-9222.2009v1n1p11O artigo apresenta uma nova fase da História Social do Trabalho, caracterizada pela tentativa de superação do nacionalismo metodológico e do Eurocentrismo, cujo potencial vem se revelando extremamente rico no estabelecimento de uma perspectiva global de entendimento da classe trabalhadora e de sua história. Uma nova História Global do Trabalho vem se estabelecendo como uma “área de interesse”, caracterizada por certo pluralismo teórico e pelo interesse temático no estudo transnacional e mesmo transcontinental das relações de trabalho e nos movimentos sociais de trabalhadores no sentido mais amplo da palavra. Trabalho livre e não-livre, remunerado e não remunerado, organizações formais e informais, em um recorte cronológico mais amplo, constituem os objetos desses novos estudos. Por fim o artigo fornece alguns exemplos de trabalhos de pesquisa que caminham na direção de uma História Global do Trabalho.

Ulrich Beck e a crítica ao nacionalismo medotológico

Maciel, Fabrício Barbosa; Universidade Cândido Mendes Campos/RJ
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2014 POR
Relevância na Pesquisa
56.62%
http://dx.doi.org/10.5007/2175-7984.2013v12n25p85O artigo apresenta a crítica de Ulrich Beck ao nacionalismo metodológico. Com este conceito o autor define e critica as categorias cognitivas e políticas com as quais se construiu toda a sociologia da desigualdade ao longo do século XX. A partir desta crítica, é possível uma rearticulação teórica e empírica dos conceitos de desigualdade, trabalho e classe social. Esta perspectiva permite rever a força política dos Estados-Nacionais na atual fase de capitalismo globalizado, bem como repensar os caminhos de uma possível sociologia que tematize a reprodução global da desigualdade social.

Falência do Estado-nação e a necessidade de Estados transnacionais. Reflexões a partir de UIrich Beck.

Paulo, José Vilema
Fonte: Prim@ Facie - Law, History and Politics; Prima Facie - Direito, História e Política Publicador: Prim@ Facie - Law, History and Politics; Prima Facie - Direito, História e Política
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ;
Publicado em 10/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.5%
O conceito de Estado está cada vez mais complexo, principalmente nos tempos atuais. A definição clássica de Estado designa duas dimensões, por um lado, pressupõe uma forma especial de sociedade, ou seja, denomina um órgão particular da sociedade: o governo, os sujeitos do governo, uma nação ou um território que eles habitam. Por outro lado, o conceito de Estado recai sobre a perspetiva jurídica e, neste sentido, entende-se como fenómeno jurídico, pessoa jurídica, como corporação. Ambas as dimensões, sociológica e jurídica, constituem o nacionalismo metodológico, que define o Estado formado por uma soberania, território e população própria. Não obstante, em consequência da globalização, os Estados-nação transferiram partículas da sua soberania às empresas multinacionais, de maneira involuntária, abrindo espaços ao nascimento de um “Estado-sem-Estado” no qual os Estados-nação atualmente se encontram subjugados. Neste contexto, propõe-se neste trabalho apresentar as diferentes conceções teóricas do Estado bem como a proposta de transnacionalização dos Estados na forma como foi pensada por Ulrich Beck. Beck sustenta que os Estados transnacionais distanciam-se do conceito de Estado-nação...

Superando el nacionalismo metodológico: Comunidades cosmopolitas de interacción en el barrio de Lavapiés

Massó Guijarro,Ester
Fonte: El Colegio de la Frontera Norte Publicador: El Colegio de la Frontera Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 ES
Relevância na Pesquisa
46.5%
Se trata aquí de las relaciones establecidas en espacios transnacionales de convivencia y en el seno de las comunidades cosmopolitas de interacción, formadas por diversos grupos y personas de orígenes nacionales -y de otras índoles- plurales, incluyendo en ello a migrantes. El objetivo de esta investigación sobre las relaciones de tipo cosmopolita que desarrollan estos grupos, así como la sinergia participativa-integrativa que producen, es la superación del nacionalismo metodológico en la selección del objeto de estudio, incluso en la objetivación misma de la realidad que se aborda. La metodología es una conjunción entre el análisis bibliográfico y la etnografía. Se toma como ejemplo y estudio de caso el área madrileña de Lavapiés. El trabajo de campo se realizó entre enero de 2011 y mayo de 2012 de modo intermitente.

Mexicanos en Los Ángeles: audiencia transnacional y noticias de televisión

Moreno Esparza,Gabriel Alberto
Fonte: Universidad de Guadalajara, Departamento de Estudios de la Comunicación Social Publicador: Universidad de Guadalajara, Departamento de Estudios de la Comunicación Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 ES
Relevância na Pesquisa
26.09%
Este artículo discute la recepción de noticias televisivas de los mexicanos en Estados Unidos y propone el término "audiencia transnacional" como alternativa al nacionalismo metodológico que persiste en el estudio del consumo mediático de los inmigrantes. Esta entrega es un esfuerzo por explorar el papel de los medios en experiencias contemporáneas de globalización.

Instituições e desenvolvimento econômico: uma nota crítica ao “nacionalismo metodológico”

Medeiros, Carlos Aguiar
Fonte: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações Publicador: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 06/01/2016 POR
Relevância na Pesquisa
46.5%
Na presente nota argumenta-se que interpretações predominantes sobre as diferentes trajetórias nacionais de desenvolvimento assumem um “nacionalismo metodológico” em que as trajetórias dos países são explicadas essencialmente por estratégias implementadas por seus estados nacionais. Estes em geral são concebidos como entidades relativamente autônomas dos interesses materiais e das relações inter-estatais. Após uma breve descrição da evolução destas interpretações identificam-se alguns de seus limites.Abstract Most historical explanations of national development experiences assume a “methodological nationalism” approach whereas different national performances are basically explained by State strategies. Developmental States are generally conceptualized as an autonomous entity distant from material interests and inter state political pressures. After a short description of these approaches some limits are considered in this note.Key words: Institutions. Economic development. External relations