Página 1 dos resultados de 410 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

O sentido do movimento estudantil contemporâneo pela voz dos estudantes da saúde; The meaning of contemporary student movement throught healt students point of view

Reis, Alessandra Martins dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/05/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.93%
O objeto deste trabalho é o movimento estudantil contemporâneo. O objetivo foi caracterizar os estudantes que participam do movimento estudantil contemporâneo, identificar os principais temas discutidos pelo movimento na atualidade, caracterizar as práticas e formas de organização do movimento estudantil e analisar as concepções de saúde tomadas pelo movimento. Trata-se de pesquisa descritiva em que a exposição do objeto se deu, tanto pela via qualitativa, como pela via quantitativa. A coleta dos dados quantitativos ocorreu durante o conselho nacional de entidades de base (CONEB) da União Nacional dos Estudantes (UNE) entre os dias 13 e 16 de abril de 2006; os dados qualitativos foram colhidos entre os meses de abril e novembro de 2006 em Campinas e São Paulo (SP). A população foi constituída de estudantes universitários que participam de centros acadêmicos e outras entidades estudantis. Foram distribuídos aos participantes do CONEB questionários com perguntas fechadas combinando: informações acerca do estudante; questões acerca das condições sociais de suas famílias; questões acerca da participação política e social dos estudantes. Num segundo momento, foram entrevistados apenas estudantes da área da saúde e da UNE. Esse foi o momento em que...

Atuação do movimento estudantil no Brasil: 1964 a 1984; Action of student movement in the Brazil: 1964 a 1984

Santana, Flavia de Angelis
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/11/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.81%
O movimento estudantil teve um importante papel no cenário brasileiro entre 1964 e 1984, pois lutou intensamente contra as arbitrariedades cometidas pela ditadura no âmbito político, social, econômico e educacional. Para demonstrar a relevância deste movimento, bem como elaborar uma análise aprofundada da atuação dos estudantes nesse período, este trabalho - embasado na literatura, em textos e depoimentos - procura apresentar a história do movimento estudantil das universidades públicas durante a ditadura civil-militar, com ênfase em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, estados que reúnem a maior parte dos episódios envolvendo os estudantes nesses 20 anos de autoritarismo. O resgate histórico mostra que o movimento estudantil brasileiro vivenciou 4 fases distintas entre 1961 e 1984: liberdade, resistência, silenciamento e retomada. Essa divisão, portanto, evidencia que o Brasil passou por diferentes momentos políticos durante a ditadura e isso se refletiu na atuação dos estudantes, que também foi diferenciada em cada uma dessas fases, acompanhando as transformações políticas do país.; The student movement played an important role in Brazil during the 1964-1984 period, mainly for the intense struggle against the military dictatorship's actions...

Movimento estudantil e ensino superior no Brasil: a reforma universitária no centro da luta política estudantil nos anos 60; Student movement and higher education in Brazil: the University reform in the student center of political struggle in the 60s

Santana, Flavia de Angelis
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.75%
O movimento estudantil teve um papel de destaque no debate e na formulação de modelos para o ensino superior brasileiro ao longo da década de 1960. Nesse sentido, esta pesquisa pretende demonstrar que a reforma universitária não só nasceu nos meios estudantis como foi a luta prioritária dos estudantes durante os anos 60; luta esta que se deu a partir da articulação de suas ações políticas e educacionais, conforme orientação da União Nacional dos Estudantes. Com este intuito, esta tese se dividiu em quatro capítulos. O primeiro traz o período da criação da UNE, em 1937, à retomada da entidade por estudantes progressistas, em 1956, e procura mostrar que, neste período, o movimento estudantil ainda não tinha a reforma universitária como luta prioritária. O segundo capítulo mostra como e quando a reforma universitária se tornou a principal bandeira reivindicatória dos estudantes, como se deu a articulação de suas lutas políticas e educacionais em defesa da reformulação do ensino superior e como evoluíram as concepções estudantis a respeito desta reformulação. O terceiro e o quarto capítulos trazem o duplo desafio dos estudantes a partir de 1964, de lutar contra a repressão e as tentativas de controle da ditadura ao mesmo tempo em que davam continuidade à sua luta prioritária pela reforma universitária.; The student movement had a prominent role in the discussion and formulation of models for the Brazilian higher education throughout the 1960s this sense...

O ressurgimento do movimento estudantil universitário gaúcho no processo de redemocratização : as tendências estudantis e seu papel (1977/1985)

Della Vechia, Renato da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
O presente trabalho busca resgatar o papel que as tendências estudantis tiveram no processo de rearticulação do movimento estudantil durante a redemocratização do Brasil. Ao longo dos anos os estudantes vivenciaram inúmeros momentos de protagonismo, como na luta contra a implantação da ditadura militar em nosso país e posteriormente no processo de redemocratização da sociedade brasileira. Durante os períodos mais duros da repressão, muitos militantes juvenis foram para o enfrentamento armado com o regime, o que levou à uma fragmentação e posterior extermínio físico de centenas de militantes, afora as prisões, exílios e outras medidas punitivas.No entanto, na segunda metade da década de 1970 e início da de 1980 os estudantes voltaram às ruas para questionar o regime. Nesse momento, a organização dos estudantes em tendências estudantis (estruturas parapartidárias e semi-clandestinas) foi o que possibilitou o reencontro e articulação de lideranças estudantis no país inteiro, viabilizando o ressurgimento da União Nacional de Estudantes, das Uniões Estaduais de Estudantes e a retomada dos DCEs das mãos de setores ligados ao regime dentro do movimento estudantil. Esse novo movimento estudantil que ressurgiu pode ser descrito como um importante movimento social da época...

O movimento estudantil : análise de conteúdo dos jornais Sul21 e Zero Hora sobre as manifestações na PUCRS em 2011

Langhanz, Rodolfo Romcy Mohr
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.91%
Esta monografia resgata a história do movimento estudantil brasileiro em geral e da PUCRS em particular. Estão relatados fatos, em que os estudantes, organizados no movimento social que os caracteriza, marcaram o consciente coletivo brasileiro. Analisa a cobertura dos jornais Sul21 e Zero Hora sobre as manifestações dos estudantes da PUCRS, entre os dias 8 e 24 de junho de 2011. Objetiva compreender qual a visão que os jornais produziram do movimento estudantil da PUCRS em 2011. Foram analisadas matérias dos jornais dentro do período citado. O estudo demonstra a visão equilibrada e de respeito ao movimento estudantil por parte do Sul21. Apresenta também a abordagem policialesca e depreciativa sobre os eventos do movimento estudantil em Zero Hora. Motivada pela necessidade de os estudantes contarem sua própria história e, como um registro, de uma das passagens mais marcantes do movimento estudantil contemporâneo no Rio Grande do Sul.

"RU na ESEF já" : o movimento estudantil lutando por assistência na Escola de Educação Física da UFRGS

Fazenda Júnior, Carlos Alberto Perdomo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.93%
A campanha “RU na ESEF JÁ!” conquistou mais do que o almoço dos estudantes da Escola de Educação Física (ESEF) da Universidade do Rio Grande do Sul (UFRGS). Considerada por muitos como uma das mais vitoriosas campanhas do movimento estudantil dos últimos anos, a campanha “RU na ESEF JÁ!” provou que através da organização coletiva, é possível obter conquistas concretas, mesmo que sejam contrárias à retirada dos direitos sociais, cada vez mais evidente na lógica do capital. O presente trabalho tem o objetivo de resgatar a história da organização e implementação da campanha “RU na ESEF JÁ!”, desde seus antecedentes até a inauguração do Restaurante Universitário (RU) no campus Olímpico. A metodologia utilizada foi a história oral, tendo como principais meios para coleta de informações a análise de documentos a partir de panfletos, jornais e informativos, que tratam da campanha, e entrevistas semi-estruturadas, com sujeitos que participaram efetivamente da campanha ou tiveram relação com a pauta. Situamos o contexto da luta pela assistência estudantil, realizando uma análise da conjuntura política da sociedade tomando como referência formulações sobre a crise estrutural do capital, seguida de um apanhado sobre o papel do Brasil enquanto um país de capitalismo dependente e os governos neoliberais e reformistas dos últimos dezesseis anos...

A lógica da suspeição sobre o movimento estudantil gaúcho : o olhar das Seções de Ordem Política e Social do Rio Grande do Sul (SOPS/RS) em relação aos “estudantes subversivos” (1964-1974)

Reis, Thaís Blume dos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.7%
Em 1964, instaurou-se o regime civil-militar no Brasil, pautado pelas premissas da Doutri-na de Segurança Nacional. O movimento estudantil foi um dos setores que mais se desta-cou na luta contra essa ditadura. As manifestações estudantis foram consideradas como “ameaça” à segurança da nação e passaram, portanto, a ser alvo dos órgãos de informações criados pelo regime. Esta pesquisa tem por objetivo analisar o “estudante subversivo” sob a lógica da suspeição empregada pela comunidade de informações. A documentação utiliza-da como fonte é composta pelo arquivo das Seções de Ordem Política e Social do Rio Grande do Sul, sob a guarda do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul. O recorte tempo-ral compreende os anos de 1964 até 1974, período de maior referência sobre o movimento estudantil na documentação.

MULHERES NO MOVIMENTO ESTUDANTIL DE FLORIANÓPOLIS (1975-1979)

Bristot, Lidia Schneider
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 82 páginas.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.82%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Curso de História.; Este trabalho tem por objetivo analisar o movimento estudantil da Universidade Federal de Santa Catarina em Florianópolis no fim da década de 1970 e perceber como se construíram as vivências das mulheres que dele participaram. Proponho discutir acerca das experiências vividas por algumas dessas estudantes, como elas se perceberam e se construíram enquanto sujeitas do movimento estudantil, quais foram suas trajetórias de militância e como o gênero foi determinante na construção das relações de militância. Para realizar este trabalho utilizo como fontes entrevistas realizadas com mulheres que vivenciaram esse momento, e utilizando ferramentas da História Oral, História das Mulheres e Estudos de Gênero busco analisar como se deu a participação e inserção delas na militância estudantil naquele contexto. O movimento estudantil foi um dos reconhecidos agentes de resistência à ditadura civil-militar brasileira, e entre os movimentos sociais e grupos de esquerda que se opunham ao regime, era o que contava com maior presença de mulheres entre seus militantes.

O movimento estudantil em Angola nos anos da descolonização (1974‐1975)

Figueiredo, Maria Leonor Menezes Cândido
Fonte: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa Publicador: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /07/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.79%
Dissertação de mestrado em História Contemporânea; Este trabalho pretende descrever o intenso Movimento Estudantil que surgiu em Angola após o 25 de Abril de 1974, que se manteve até depois da Independência da ex‐colónia africana. Assim, a partir de um levantamento na imprensa angolana da época, rica em notícias sobre a matéria, auxiliados por entrevistas a antigos líderes associativos e outros testemunhos, explicamos a forma como se relacionaram com os vários poderes os alunos dos liceus e das escolas técnicas, sobretudo em Luanda, o epicentro da movimentação que se estendeu a todo o território angolano nos anos da Descolonização. O foco incide nos estudantes brancos, que constituíam a maioria da população escolar dos liceus, onde tudo começou. Alguns dos estudantes, onde se incluíam alunos da Universidade de Luanda, eram elementos dos Comités Amílcar Cabral, que influenciaram o Movimento Estudantil, e depois pertenceram à Organização Comunista de Angola. Ficaram detidos pelo MPLA, sem julgamento, durante anos, nas prisões angolanas. Esta deverá ser a primeira análise sobre o Movimento Estudantil de Angola, um fenómeno que ainda não foi objecto de qualquer publicação.

Movimento estudantil de serviço social e partido político na contemporaneidade: contradições no período do governo Lula (2007/2010)

Alice Rodrigues Silva, Andréa; de Fátima Gomes de Lucena, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.76%
Esta dissertação analisa o Movimento Estudantil (ME), particularmente o Movimento Estudantil de Serviço Social (MESS) e sua relação com os partidos políticos, inserido no contexto das lutas sociais em um período do governo petista no Brasil (2007-2010). Para isso, realizamos um resgate histórico que explicita a relação do ME com tal organização política da classe trabalhadora. Logo após, focamos na questão partidária, entendendo o partido político como um dos instrumentos políticos da classe trabalhadora que interfere, direta e indiretamente, no ME e no MESS. Por fim, analisamos as contradições e desafios do MESS na atualidade, o qual direciona o posicionamento político e a organização das(os) estudantes do curso de Serviço Social que estão inseridas(os) num contexto maior de luta de classes na sociedade capitalista na qual vivemos. No desenvolvimento deste estudo, como forma de aprofundar o conhecimento do objeto investigado, utilizamos a pesquisa de campo, com a realização de entrevistas semi-estruturadas. Constatamos, então, um momento de desmobilização do MESS, que é reflexo de toda a conjuntura perversa e complexa vivenciada na atualidade. Mas, contraditoriamente, há um movimento de resistência e de tentativa de mobilizar e fortalecer o movimento referenciado pela parceria construída entre as entidades representativas do Serviço Social em nível nacional...

Juventude universitária nos anos 1980: as práticas culturais do movimento estudantil na UFRN

Maia, Michelle Pascoal
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.79%
The 1980s, at UFRN represented a moment of resumption of student struggles. The major goals of the student movement in this period was the fight against the authoritarian regime and for the democracy within and outside the university. In this context, events, activities, artistic and cultural productions were organized in order to make a critical policy for the procedure, trying to establish a dialogue between the university community and the population. Our work has made a research on cultural practices of the student movement in the 1980s. We did an analysis on the process of democratic transition in Brazil, the political participation of youth, their cultural practices in the country, society and politics in the RN, the student movement at UFRN and its cultural practices. We also discussed the concept of culture and cultural practices, but also pointed each of the the main activities and cultural productions organized by students of UFRN in that period. As methodological resource, were used the oral sources, the academic literature on the subject and newspaper pieces, newsletters and advertisement material of the students; Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; Os anos 1980, na UFRN, representaram um momento de retomada das lutas estudantis. As principais bandeiras do movimento estudantil nesse período era a luta pelo fim do regime autoritário e por democracia dentro e fora da universidade. Nesse contexto...

A participação feminina no movimento estudantil secundarista como espaço de luta política (anos de 1980)

Patrício, Adriana Cristina da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em História; História e Espaços Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em História; História e Espaços
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.91%
The history of women has been an important thematic in the field of Historiography in recent years. Many History scholars have discussed thematics related to genre, pointing out their relationship and conflicts. These new thematics are also the result of a series of changing in history that bring out new problems, subjects and approaches. Our aim in this work is to analise the experience of women militants inserted into the student secondarist movement (ME) in Rio Grande do Norte in the years of 1980 s. Discussing the concepts of History and Spaces, we try to analise the political spaces of ME through public and private spaces that make part of the student militant life, pointing out the conflicts faced during their standing into the movement. To a better understanding of the ME political overview, we set a summary to point out the reconstruction of the student entities reorganized after the military governments, as well as we picture a general picture of this women s insertion in history. We use the oral source as the main methodological resource to the development of our work; A história das mulheres tem sido uma importante temática no campo da historiografia nos últimos tempos. Vários historiadores se debruçam a discutir temáticas relacionadas aos gêneros...

O Movimento Estudantil universit??rio em Pelotas durante a redemocratiza????o do Brasil (1978- 1985): mem??rias de atua????es contra a ditadura; O Movimento Estudantil universit??rio em Pelotas durante a redemocratiza????o do Brasil (1978- 1985): mem??rias de atua????es contra a ditadura

POHNDORF, Marilia da Rocha Hofst??tter
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Hist??ria; Programa de P??s-Gradua????o em Hist??ria; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Hist??ria; Programa de P??s-Gradua????o em Hist??ria; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.91%
The study deals with the forms of performances of University Student Movement in Pelotas against civil-military dictatorship in Brazil, during the period covering the political process of democratization of the country (1978-1985). We aim to understand the complexity of student activists and issues that emerged on the political agenda of the Movement, contextualized the reopening period, which proved to be the last facet of dictatorial government. The Student Movement along the Brazilian civil-military dictatorship, has manifested itself in different ways for democratic freedoms. Thus, we consider the concepts of memory and identity of the student movement, as if his actions gave the fight scene in the city of Pelotas and internal relations at universities in analysis (Federal University of Pelotas and Catholic University of Pelotas). Through interviews conducted under the methodology of oral history, we seek to verify the reorganization and changes in the student movement achieved before the goal of reaching a new political and social scenario in which obtain the possibility to discuss issues of a different, but linked to ideal of freedom, so suffocated during the dictatorial repression; O estudo trata das formas de atua????es do Movimento Estudantil universit??rio em Pelotas contra a ditadura civil-militar brasileira...

O Movimento Estudantil revisto por um participante de Novembrada

SICILIANO, Isabel
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Entrevista
Relevância na Pesquisa
66.74%
registro 530 (LABHORAL); Amilton Alexandre participou do Movimento Estudantil quando ingressara na Universidade no curso de Administração de Empresas da UFSC. Tornou-se mais informado através do DACEB (Diretório Acadêmico dos Centros de Estudos Básicos). Cursou durante o período de 1970-1976, o qual o entrevistado considera como um período de censura à imprensa, falta de liberdade pública e fechamento político. Relata que até mesmo dentro da universidade existiam professores e funcionários que pertenciam à organismos clandestinos da política brasileira. Relata também a relevância da imprensa alternativa através de jornais como Pasquim, Opinião e Movimento, formando o “jornal mural” da universidade, de cunho político e de resistência.

A participação de Marcílio Krieger no Movimento Estudantil, JUC e MTF

SILVA, Victória Gambetta da
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Entrevista
Relevância na Pesquisa
66.97%
registro 611 (LABHORAL); Marcílio Krieger nasceu em Brusque-SC. Cursou direito na Faculdade de Direito em Florianópolis ao ter passado no vestibular em 1959. Ficou quinze anos fora da cidade, pois, estava fora do Brasil, retornando em 1980. Ele participava do movimento estudantil desde 1954, inicialmente em Brusque através da UEB (União Estudantil Brusquense) e também foi presidente da UCES (União Catarinense de Estudantes Secudaristas). O movimento estudantil na época estava dividido entre o partido de esquerda representado pela Renovação Acadêmica e o partido de direita, representado pela frente estudantil do Partido Comunista e a Aliança Independente Acadêmica. A luta em 1959 era pela construção da sede estadual e pela implantação do Restaurante Universitário (RU). Surge através da JUC (Juventude Universitária Católica), encabeçada pelo Padre Bianchini, professor da Faculdade de Filosofia, um movimento contrário aos dois partidos supracitados do movimento estudantil. Lutava-se por um movimento que desse autonomia aos estudantes sem precisar do aval da Igreja. O restaurante universitário na gestão de Marcílio na JUC foi palco de diversos movimentos reivindicatórios, como a greve dos operários que trabalhavam na secretaria de obras. Com o golpe de 1964 a participação política acabou de maneira sistemática. Os centros acadêmicos foram fechados e substituídos por instituições do Estado. Houve perseguições aos estudantes pois temia-se a articulação do movimento estudantil. Em Santa Catarina...

Monografia: MULHERES NO MOVIMENTO ESTUDANTIL DE FLORIANÓPOLIS (1975-1979)

Abrão, Rachel Tomás dos Santos
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Outros
Relevância na Pesquisa
66.75%
Departamento de História da UFSC; Sendo essa monografia a única encontrada na própria UFSC, acredito ser o trabalho que contém maior relevância com relação as referências sobre violações de direitos humanos ocorridas na universidade. A autora da monografia aborda pontos bem factuais de acontecimentos diferenciados durante os anos de repressão na UFSC, como o fato de estudante de Farmácia da UFSC ter sido investigado por ter mandado uma carta ao Embaixador de Cuba no Brasil pedindo informações de como cursar Medicina no país (Comissão de inquérito n°10/64. Florianópolis, 23 de maio de 1964. Arquivo Central UFSC. Caixa 04.). A questão da sede da UCE de Florianópolis fechada, devido à lei Suplicy, e muitos de seus membros foram presos em 1964, um desses presos foi Luiz Carlos Espíndola. Com a sede fechada, essa se transformou em Diretório Estadual Estudantil e além dos centros acadêmicos foi criado também o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFSC. A autora também apresenta o fato da chapa vencedora do DCE no ano de 1969 ter sido negada devido ao fato dos estudantes participantes terem sido considerados subversivos pelos órgãos de informação do Estado (Boletim do Pessoal. Florianópolis, n. 32, ago. 1969...

A crise de representatividade do movimento estudantil

Rodrigues, Priscila Alves
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
Nesse trabalho, apresenta-se uma reflexão teórica sobre o movimento estudantil brasileiro com base nos trabalhos acadêmicos produzidos sobre o tema na última década (2002 a 2012) e, na análise de 14 estatutos de Diretórios Centrais de Estudantes, contemplando as 5 regiões do país. Considerando as evidências empíricas do distanciamento observado entre o movimento estudantil e os estudantes atualmente, o presente trabalho tem seu foco na ampliação do conhecimento sobre a realidade política específica do movimento estudantil, tendo como pano de fundo o campo da Ciência Política contemporânea. O objetivo deste estudo é analisar os processos de participação e representação presentes no movimento estudantil brasileiro. Para isso, foi realizado um estudo prioritariamente qualitativo, onde os dados foram coletados a partir de pesquisa bibliográfica e documental. Como resultado da análise dos dados, pode-se verificar que diferentes perspectivas sobre movimento estudantil são abordadas, porém um número reduzido de artigos trabalham com o tema da participação política. Além disso, a análise dos estatutos das entidades selecionadas, permitiu uma avaliação sobre os espaços de representação presentes nos DCE's...

A "frente única" do movimento estudantil gaúcho : católicos e comunistas

Machado, Dulphe Pinheiro
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.79%
Esta dissertação estuda a formação da frente única no movimento estudantil gaúcho entre católicos e comunistas no início da década de 1960. Além disso, aborda a militância, o recrutamento e as disputas internas em ambos movimentos. Pelo lado dos católicos, o estudo se inicia na mudança das doutrinas da Igreja Católica que vão desembocar na formação da Ação Católica (AC) no Brasil. A partir da AC se ramificam diversos movimentos laicos, entre eles a Juventude Universitária Católica (JUC) que vai dar origem à Ação Popular. No Rio Grande do Sul, a Ação Popular foi formada por estudantes egressos do colégio Anchieta e por estudantes da JUC. O contato desse grupo com militantes comunistas, além da influência política da revolução cubana e da ascensão de movimentos populares no Brasil e em outros lugares do mundo, inspira a formação de uma frente única no movimento estudantil. Pelo lado dos comunistas, a dissertação se prende às mudanças das diretrizes políticas ditadas pela Internacional Comunista em diversos momentos da história que vão ter reflexo na política interna de alianças do Partido Comunista Brasileiro e por conseqüência, no movimento estudantil universitário.; This work concerns the formation of the united front which involved two crusades -­‐ a catholic and a communist -­‐ inside the students' movement of Rio Grande do Sul in the beginning of the 1960’s. Furthermore...

Movimento estudantil contemporâneo : uma análise compreensiva das suas formas de atuação

de Sant'ana Brandrão Costa, Carla; Weber, Silke (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.96%
Considerando a relevância dos diversos estudos realizados sobre o Movimento Estudantil, os quais investigam, em sua maioria, a ação dos estudantes durante a década de 1960, este trabalho tem como objetivo analisar a atuação do Movimento Estudantil na contemporaneidade, as situações e os temas que conduzem suas mobilizações, suas atuais formas de mobilização, seus projetos de ação dirigidos para as questões referentes ao ensino superior, como também a forma sob a qual a memória desse movimento se apresenta na argumentação dos seus representantes. São ainda estudadas as maneiras como as práticas utilizadas por este movimento, em outros períodos, são, reflexivamente, transformadas a partir das situações e informações atuais. O presente estudo foi realizado em três momentos, a saber: a pesquisa de campo com entidades e integrantes do Movimento Estudantil; o levantamento de notícias no Jornal do Brasil referentes ao período de 1995 a 2000; e a pesquisa bibliográfica sobre o tema. As análises foram realizadas à luz da teoria de Anthony Giddens, sobre a modernidade, especificamente do conceito de ação reflexiva e tomando como instrumento para a compreensão das ações do Movimento Estudantil a Filosofia Heumenêutica de Gadamer. Os resultados indicam que os temas que mais mobilizam os estudantes são aqueles referentes ao ensino superior...

O MOVIMENTO ESTUDANTIL PARANAENSE E A VIGILÂNCIA POLÍTICA NO PRÉ-GOLPE CIVIL-MILITAR DE 1964

Braggio, Ana Karine
Fonte: Revista HISTEDBR On-line Publicador: Revista HISTEDBR On-line
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 07/03/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.76%
Este estudo propôs analisar as práticas sociais, políticas e culturais do movimento estudantil paranaense, através dos documentos da Delegacia de Ordem Política e Social do Paraná (DOPS/PR), que sendo um órgão de serviço de segurança pública, com função de manter a ordem política e social, produziu documentos sobre as ações estudantis consideradas passíveis de interferir na organização social, desestabilizando-a para que, quando conveniente, pudesse neutralizá-las. Também armazenou materiais produzidos pelo próprio movimento vigiado, que eram apreendidos ou chegavam às mãos desta polícia política por outros meios. Materiais que carregam a possibilidade, mesmo que limitada, de visualização do universo dos vigilantes e dos vigiados. Através da ótica do acervo da DOPS/PR buscamos identificar a ideologia, o projeto sócio-político e cultural, as práticas de difusão, as demandas, o princípio articulatório interno e externo e a organização dos estudantes universitários paranaenses, considerados neste trabalho como um movimento social, durante o período pré-ditatorial. Articulam-se estes elementos ao cenário sócio-político do início da década de 1960, onde nos deparamos com intensas crises na estrutura econômico-social e na superestrutura ético-política que desestabilizaram não só as forças materiais como também as ideológicas...