Página 1 dos resultados de 1483 itens digitais encontrados em 0.012 segundos

Estado nutricional, escolarização e mobilidade social no Brasil; Inequalities, social mobility and health nutrition in Brazil

Baraldi, Larissa Galastri
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.45%
Introdução: A relação entre mobilidade social e saúde tem sido estudada em diversos países. No Brasil, a análise da relação entre saúde e classes sociais é estudada majoritariamente pela ótica da desigualdade concentrando-se, assim, em apenas uma das manifestações dessa complexa relação. A análise das várias possibilidades de movimentação na estrutura socioeconômica e sua associação com a saúde e, mais especificamente, com a nutrição, demanda estudos mais aprofundados e que enfoquem de maneira mais abrangente alguns dos fatores influentes nesse processo e seus vetores. Objetivo: Analisar a associação entre estado nutricional e mobilidade social no Brasil em coortes nascidas no século XX. Métodos: A população de estudo será constituída por jovens e seus pais em três inquéritos nacionais: ENDEF (1974/75), PNSN (1989) e POF (2002-2003). Inicialmente serão descritos o estado nutricional, características socioeconômicas e perfil demográfico dos adultos das coortes reconstituídas a partir dos três inquéritos. A seguir serão analisadas as associações intergerações entre indicadores sociais e antropométricos entre famílias com filhos jovens, segundo estratos sociais. A tendência da mobilidade social será comparada nos períodos 1974/75 a 1989 e 1989 a 2002-2003.Resultado: A análise descritiva mostra que houve aumento na média da escolaridade e da altura tanto entre os três períodos quanto entre as coortes. A queda na correlação da escolaridade de pais e filhos entre os períodos evidencia aumento do capital humano e provável mobilidade social entre os períodos. Em relação à altura de pais e filhos...

A mobilidade social do negro no Rio Grande do Sul : os efeitos da discriminação nas trajetórias de vida

Spolle, Marcus Vinicius
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.37%
A proposta deste trabalho é investigar e analisar a mobilidade social do negro no Rio Grande do Sul a partir dos microdados da PNAD-96 (Pesquisa Nacional de Amostragem por Domicílio), observando as peculiaridades da trajetória desse grupo racial na sociedade gaúcha e, principalmente, os efeitos da discriminação racial ocorrida no processo de mobilidade social, que resultam na dificuldade do negro ascender socialmente a partir de um determinado patamar social, deixando esse grupo racial confinado em atividades menos valorizadas pelo mercado de trabalho e pela sociedade. A perspectiva da pesquisa é trabalhar com a análise do modelo matricial de mobilidade intergeracional, para o Estado, observando as diferentes trajetórias ocupacionais em duas gerações. Além disso, analisar, a partir de um estudo de caso, as estratégias de reconversão dos capitais sociais dos trabalhadores portuários negros, no período pós-abolição até a década 70, auge do prestígio da categoria e, depois, na década 90, dos trabalhadores pertencentes ao Sindicato dos Arrumadores do município de Pelotas, verificando as mudanças que incidiram de maneira negativa no prestígio da categoria.; This study is aimed at investigating and analyzing the social mobility of black people in Rio Grande do Sul...

Mobilidade social e agricultura familiar no Brasil do século XXI; Mobilidade social e agricultura familiar no Brasil do século 21; Mobilidade social e agricultura familiar no Brasil do século vinte um

Neves, Jonas Anderson Simões das
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.52%
Considerando-se o contexto brasileiro da primeira década do século XXI, de intensa mobilidade social, busca-se verificar em que medida tais dinâmicas de mobilidade se fizeram presentes entre os jovens agricultores familiares, definindo-se como campo empírico para o estudo o município de São Lourenço do Sul – RS. Assim sendo, estabelece-se como objetivo principal da tese a análise das dinâmicas de mobilidade social entre os jovens agricultores familiares, a partir do plano dos indivíduos, tomandose as famílias dos jovens como unidade analítica. Busca-se, então, nas trajetórias intergeracionais percorridas pelas famílias dos jovens tanto verificar as dinâmicas de mobilidade social ocorridas quanto compreender os elementos que contribuíram com sua concretização. Para balizar a construção desta tese utiliza-se o referencial teórico proposto por Archer (1998), a partir do qual a realidade social é concebida a partir de três diferentes temporalidades, interdependentes entre si, mas que permitem a análise independente de cada uma delas, definindo-se como contexto de imersão social dos jovens – anterior à ação - tanto as dinâmicas de mobilidade social ocorridas no país durante a primeira década do século XXI...

A noção de mobilidade social em adolescentes

Araujo, Ariella Silva; Gomes, Ligiane Raimundo
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Setor de Educação Publicador: Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Setor de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 193-204
POR
Relevância na Pesquisa
66.34%
O presente artigo aborda a compreensão dos adolescentes sobre a noção de mobilidade social, a partir de uma investigação realizada com estudantes de uma escola pública do interior paulista, refletindo sobre a forma como se dá a aprendizagem desta noção. Para a investigação descrita, foram realizadas entrevistas com 20 adolescentes, utilizando perguntas de caráter exploratório, embasadas no método clínico piagetiano, a partir das quais a noção de mobilidade social em adolescentes foi classificada em três níveis sociais propostos por Delval. Mediante os resultados obtidos, pode-se concluir que a noção do conceito em questão é de difícil aquisição pelos adolescentes. Devido a isso, destaca-se a importância do tema para cursos de licenciatura, especialmente o de Ciências Sociais.; This article discusses the understanding of adolescents on the notion of social mobility, from a research conducted with students from a Public school in São Paulo State. It reflecs on how this notion is learned. For the research described, interviews were conducted with 20 adolescents, using exploratory questions of character, based on Piagetian clinical method, to which the notion of social mobility in adolescents were classified into three levels as proposed by Delval. According to the results...

A mobilidade social intergeracional em Portugal, 1911-1957

Fonseca, Helder Adegar; Guimarães, Paulo Eduardo
Fonte: Imprensa de Ciências Sociais Publicador: Imprensa de Ciências Sociais
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
66.31%
Este texto analisa a estratificação e a mobilidade intergeracional em Portugal no período 1911-1957 a partir de dados colhidos nos registos civis em quatro contextos do continente português (Évora, Setúbal, Barreiro e Figueira da Foz). Os resultados apurados sugerem que as primeiras décadas do século XX foram marcadas por processos de mudança ocupacional e de desclassificação e contradizem a ideia de baixa mobilidade social. Entre 1910 e a década de 1930 a mobilidade foi predominantemente descendente, tendência que só conhece uma inversão nos anos 1950.

Acesso ao ensino superior e mobilidade social dos portugueses

Baltazar, Maria da Saudade; Vieira, Carlos; Vieira, Isabel; Rego, Conceição
Fonte: Forges Publicador: Forges
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.33%
A sociedade portuguesa assistiu a mudanças muito acentuadas ao longo dos últimos 50 anos. Os principais acontecimentos que marcaram a cronologia histórica do país foram decisivos na sua evolução em termos demográficos, sociais, económicos e político-institucionais. No que respeita ao ensino superior, Portugal conheceu alterações profundas, nomeadamente por via dos efeitos económicos, sociais e territoriais que as instituições de ensino superior provocam nos locais onde se inserem, e por via da alteração na estrutura de qualificações da população portuguesa. Mais recentemente, assistiu-se a inequívocas alterações no estilo de vida dos portugueses, decorrentes da crise económico-financeira. Estas alterações provocam efeitos na procura do ensino superior, que começam a tornar-se evidentes. Neste estudo discutimos, numa primeira instância, o modo como a rede de ensino superior instalada no país tem contribuído para a promoção da coesão social. Num segundo momento, analisamos o acesso ao ensino superior e as suas implicações na mobilidade social dos portugueses, a partir das estatísticas disponíveis sobre as dimensões de análise selecionadas para o efeito. Os trabalhos desenvolvidos permitem-nos concluir que...

A mobilidade social revisitada

Grácio, Sérgio
Fonte: CIES-ISCTE / CELTA Publicador: CIES-ISCTE / CELTA
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/1997 POR
Relevância na Pesquisa
66.46%
Neste artigo pretende-se demonstrar até que ponto a legitimidade científica de um objecto como a mobilidade social, e a forma de a conceber, estiveram sempre imbricados, de modo por vezes surpreendente, na discussão sobre as classes sociais e a estratificação social. Seguidamente, analisa-se o debate sobre a mobilidade, nomeadamente aquele que se desenvolve em torno da distinção entre uma mobilidade estrutural e uma "verdadeira" mobilidade, e o seu contributo para um progresso muito significativo no estudo deste conceito. Desta forma foi possível obter resultados empíricos acerca dos fenómenos de mobilidade social em larga medida inesperados, e muito relevantes para caracterizar determinados aspectos da mudança cultural e social nas nossas sociedades.; It is our purpose to show how scientific legitimity of an object as social mobility, and the way to conceive it, were always strictly connected, in a sometimes surprising way, with the discussion about social classes and social stratification. Afterwards it is showed how the debate about mobility, namely the one around the distinction between a structural mobility and a «true» mobility, leaded to significant methodological advances in its study. Such advances allowed to obtain empirical results about social mobility processes which were largely unexpected and extremely relevant to characterize some aspects of cultural and social change in our societies.; Nous nous proposons de montrer comment la légitimité scientifique d"un object comme la mobilité sociale...

Origens, destinos e trajectórias de classe: uma análise exploratória da mobilidade social em 2 gerações de portugueses

Ramos, Vasco Miguel dos Santos
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.46%
Mestrado em Sociologia; Diversos estudos demonstram a manutenção de elevados níveis de desigualdade na sociedade portuguesa, com a situação da família de origem a influenciar fortemente a trajectória social dos indivíduos. Tendo como pano de fundo as significativas alterações que enquadram a modernidade portuguesa, o objectivo central do estudo é analisar a mobilidade social, a partir da investigação comparativa das trajectórias de classe social de portugueses nascidos em diferentes gerações. Parte-se de uma perspectiva teórica sobre as classes sociais, que as entende como um conjunto de agentes que ocupam posições aproximadas, num sistema pluridimensional de desigualdades, e valoriza-se uma perspectiva sobre o percurso de vida que reconhece a importância central dos constrangimentos estruturais, mas não os assume como um determinismo, salientando a necessidade de os analisar longitudinalmente. Usando dados do projecto "Trajectórias familiares e redes sociais: a trajectória de vida numa perspectiva intergeracional" examinam-se comparativamente trajectórias de classe seguindo o percurso de vida. Utiliza-se uma metodologia inovadora que recorre à análise sequencial procurando estabelecer uma relação entre tempo histórico e mobilidade social. Comparam-se trajectórias de classe dos indivíduos em função das suas origens de classe...

Reconfigurações e reposicionamentos do conceito da mobilidade social nas ciências sociais

Nico, Magda
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Trabalho em Andamento
Publicado em 19/03/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.39%
Neste artigo analisa-se, através de uma análise bibliométrica, a evolução conceptual, disciplinar e metodológica da mobilidade social na literatura das ciências sociais. Para levar a cabo esta análise, foi desenvolvido um esforço de recenseamento das publicações diretamente sobre mobilidade social e construída uma base de dados onde estas foram codificadas por variáveis como o tipo de publicação, nacionalidade institucional do autor, conceito utilizado, unidade de análise, âmbito geográfico do estudo, metodologia, entre outras. Através do desenvolvimento de análises uni e bivariadas foi possível identificar e caracterizar as principais fases na evolução e nas oscilações deste conceito na literatura das ciências sociais; a emergência concentrada de um conceito disperso (c. 1920-1959); a idade de ouro (do conceito sociológico) da mobilidade social (c. 1960-1989); e a fragmentação, resistência e reconfiguração do conceito (c. 1990-2012), caracterizados por diferentes hegemonias metodológicas e geográficas, por variáveis fluxos e volumes de publicação, e por distintas correntes e rivalidades teóricas. Tendências recentes revelam complexas proximidades do conceito à disciplina da economia e ao conceito das desigualdades sociais.; Through a bibliometric analysis...

Mobilidade social, estilo de vida e índice de massa corporal de adolescentes

Hackenhaar,Marisa Luzia; Sichieri,Rosely; Muraro,Ana Paula; Silva,Regina Maria Veras Gonçalves da; Ferreira,Márcia Gonçalves
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.46%
OBJETIVO Analisar a associação entre mobilidade social, estilo de vida e índice de massa corporal de adolescentes. MÉTODOS Estudo de coorte com 1.716 adolescentes de dez a 17 anos de idade, de ambos os sexos. Os adolescentes eram participantes de um estudo de coorte e nasceram entre 1994 e 1999. Os adolescentes foram avaliados em escolas públicas e privadas entre 2009 e 2011. O estilo de vida foi avaliado por meio de entrevista e a antropometria foi utilizada para o cálculo do índice de massa corporal. Para a classificação econômica na infância e na adolescência foram utilizados critérios preconizados pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Mobilidade social ascendente foi considerada como aumento em pelo menos uma classe econômica no período de dez anos. Utilizou-se regressão de Poisson para estimar a associação entre a mobilidade social ascendente e os desfechos avaliados. RESULTADOS Dos adolescentes (71,4% de seguimento da coorte), 60,6% apresentaram mobilidade social ascendente. Destes, 93,6% pertenciam à classe econômica D e 99,9% à E. Maior prevalência de ascensão social foi observada para escolares de cor da pele preta (71...

Permeavel, ma non troppo?: A mobilidade social em setores de elite, Brasil - 1996

Ferreira,Marcelo Costa
Fonte: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS Publicador: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.39%
O objetivo deste artigo é analisar as elites brasileiras a partir das variáveis socioeconômicas que influenciam a mobilidade ocupacional intergeracional entre membros e ex-membros desse estrato social. Os procedimentos metodológicos utilizados consistem em investigar a relação da mobilidade ocupacional intergeracional ascendente, imóvel ou descendente com variáveis como cor de pele, ocupação no setor público ou privado, número de empregos, escolaridade e idade de inserção no mercado de trabalho. A fonte empírica é o suplemento de mobilidade social presente na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 1996 do IBGE. A principal conclusão deste estudo reside nas evidências de que as elites brasileiras apresentam um perfil ambivalente na sua composição social: por um lado, existe uma inércia social em 15% dos membros desse estrato; por outro, 85% de elementos ascendentes podem facilmente decair, já que possuem as mesmas características sociais dos que já foram excluídos da elite.

Trajetórias de jovens adultos: ciclo de vida e mobilidade social

Barros,Myriam Moraes Lins de
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - IFCH-UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - IFCH-UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.21%
Este artigo tem como objetivo analisar os processos de transição para a fase adulta do ciclo de vida a partir de entrevistas realizadas com jovens, de ambos os sexos, moradores no Rio de Janeiro. No universo pesquisado, percebe-se que a passagem para a vida adulta está entrelaçada ao projeto de mobilidade social que é apreendido através da história da família e do próprio indivíduo entrevistado. A liberdade, a valorização da intimidade individual, o acesso à educação, a possibilidade de independência financeira através do trabalho e a distinção em relação à geração dos pais são elementos apresentados como fundamentais nesse movimento de transições de classe e de níveis de maturidade.

Mobilidade social intergeracional e saúde no Brasil: uma análise do survey "Pesquisa dimensões sociais das desigualdades (PDSD)", 2008

Flor,Luisa Sorio; Laguardia,Josué; Campos,Monica Rodrigues
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.43%
Embora a maioria dos estudos apresente a saúde como resultante da inserção social dos indivíduos, ela pode ser um fator determinante das oportunidades sociais alcançadas, principalmente no que diz respeito às chances de mobilidade social. O objetivo do artigo é conhecer a magnitude das associações simultâneas que as condições sociodemográficas, de saúde e de qualidade de vida (SF-36) exercem nas chances de mobilidade intergeracional de uma amostra probabilística de domicílios no Brasil em 2008. A mobilidade foi determinada pela transição entre grupos ocupacionais definidos através da escala de Ganzeboom. Variáveis sociodemográficas, de saúde e de qualidade de vida foram associadas às chances de mobilidade intergeracional ascendente através de regressão logística. O aumento da escolaridade foi o principal determinante das chances de mobilidade. Mulheres e jovens ascenderam mais intergeracionalmente. Foi observada associação positiva entre autoavaliação de saúde, escores de saúde física e mobilidade ascendente. A mobilidade social firmou-se como um evento multideterminado. A saúde física e a percebida se colocaram como recursos capazes de influírem nas transições sociais.

Esporte e mobilidade social

Cruz, Luciano da
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.4%
Resumo: Este estudo tem como objetivo investigar as possibilidades de mobilidade social que podem ocorrer com atletas vinculadas a um projeto esportivo. Para esta análise definimos o projeto Centro de Excelência do Basquetebol, ao qual estava vinculada a equipe profissional da modalidade, denominada Paraná Basquete. O conhecimento prévio de algumas relações ocorridas dentro da configuração, encaminharam a escolha desse projeto, no qual foram entrevistados algumas atletas conseguiram destaque esportivo na modalidade representando inclusive as seleções brasileiras desta. Levantamos a premissa por vezes questionada, da busca dos jovens ou de suas famílias pela inserção ao esporte com o objetivo de alcançar patamares financeiros elevados. Como o basquetebol, e outros esportes olímpicos, não apresenta remuneração elevada o bastante para atrair os jovens nessa busca, baseamos o estudo nas possibilidades que a configuração poderia trazer em relação também à formação acadêmica e ao encaminhamento de seus primeiros empregos. O comparativo sobre os patamares sócio-econômicos das atletas e suas famílias não aconteceram de forma quantitativa, pois, a intenção seria apenas avaliar as possibilidades abertas ao longo prazo. Além da análise de mobilidade social...

Mobilidade social e empoderamento: a percep????o das mulheres benefici??rias do programa Bolsa Fam??lia em Minas Gerais

Leroy, Rodrigo Silva Diniz; Ferreira, Marco Aur??lio Marques; Moreira, Nathalia Carvalho; Silva, Edson Arlindo
Fonte: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP); Revista do Servi??o P??blico (RSP) Publicador: Escola Nacional de Administra????o P??blica (ENAP); Revista do Servi??o P??blico (RSP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
IDIOMA::PORTUGU??S:PORTUGU??S:PT
Relevância na Pesquisa
66.44%
Esse trabalho teve como objetivo analisar os efeitos relacionados ?? mobilidade social e ao empoderamento das benefici??rias do Programa Bolsa Fam??lia em Minas Gerais. Foram utilizados procedimentos metodol??gicos anal??ticos, em um estudo de caso m??ltiplo com abordagem quantitativa. Foi realizada a valida????o dos constructos de mobilidade social e empoderamento, permitindo-se mensurar a intensidade da rela????o entre essas diferentes dimens??es. Os resultados demonstram a melhoria significativa na vida das benefici??rias, o que pode possibilitar ascend??ncia social. Contudo, observou-se, como fator limitante, o baixo grau de escolaridade das benefici??rias, mostrando-se a necessidade de conex??o dos programas sociais com atividades educacionais e de gera????o de trabalho e renda, para inser????o das mulheres no mercado de trabalho. Dessa forma, considera-se que o Programa Bolsa Fam??lia pode influenciar significativamente tanto no empoderamento quanto na mobilidade social das benefici??rias. Ademais, a articula????o com atividades educacionais e produtivas pode avigorar os resultados de pol??ticas p??blicas que defendam a justi??a social e a diminui????o das desigualdades existentes entre g??neros e classes sociais.; Este estudio tuvo como objetivo analizar los efectos relacionados con la movilidad social y el empoderamiento de los beneficiarios de Bolsa Familia en Minas Gerais. Los procedimientos anal??ticos metodol??gicos fueron utilizados en un estudio de casos m??ltiples con un enfoque cuantitativo para validar los constructos de la potenciaci??n y la movilidad social...

A graduação superior como meio de mobilidade social : percepções e discursos de afro-brasileiros

Paula, Joanna D'Arc de
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 23/09/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.54%
Tese de doutoramento em Ciências da Comunicação (área de especialização em Psicologia da Comunicação); A mobilidade social tem a importante função de promover as vias e possibilidades de troca, ascensão ou rebaixamento que um determinado indivíduo possui no meio em que estabelece suas relações. Para os alunos afro-brasileiros, a graduação superior é um investimento, pois representa oportunidades de mobilidade social por meio de carreiras profissionais mais promissoras quanto aos retornos salariais, direitos sociais, posição social e à realização pessoal. O principal objetivo desta pesquisa é analisar as percepções e discursos de afro-brasileiros residentes na cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, sobre a mobilidade social por meio da graduação superior. Os pressupostos teóricos que nortearam este trabalho de investigação baseiam-se na mobilidade social segundo Jannuzzi (2000), Osório (2004), Pastore e Silva (2000), Scalon (1999), Sorokin (1927), Tajfel (1981). Procuramos identificar suas expectativas, averiguar que fatores contribuíram para a mobilidade social e como é que o processo ocorreu. Neste sentido, aferiu-se como foram as suas condições de acesso, a trajetória na graduação e caracterizou-se o estilo de vida desses entrevistados. Foi analisado o tipo de mobilidade social referente à sua ocupação atual em relação à ocupação dos pais (mobilidade intergeracional). Além disso...

Modelos de mobilidade social no Brasil: educação acadêmica e profissionalizante em perspectiva histórica

Gomes, Cândido Alberto da Costa
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.38%
O sistema educacional brasileiro tem caminhado do modelo de mobilidade social patrocinada para o modelo de mobilidade social competitiva. Uma diferença crucial entre estes modelos é o período em que começa a diferenciação dos currículos para os estudantes. No entanto, estudos comparativos sobre a Grã-Bretanha e os Estados Unidos, além das presentes evidências sobre o Brasil, não permitem afirmar que o modelo de mobilidade competitiva seja mais democrático que o modelo de mobilidade patrocinada. Em conseqüência, os efeitos da diferenciação curricular como meio de seleção social podem ser questionados. O papel dos currículos provavelmente não é tão influente, a menos que estejam associados a importantes fatores do contexto social. São discutidas alternativas para a democratização educacional e a preparação para o trabalho.

THE CONCEPT OF SOCIAL MOBILITY IN ADOLESCENTS; A NOÇÃO DE MOBILIDADE SOCIAL EM ADOLESCENTES

Araujo, Ariella Silva; UNESP, campus Araraquara; Gomes, Ligiane Raimundo; Instituto Taquaritinguense de Ensino Superior – ITES
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 23/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.33%
This article discusses the understanding of adolescents based on the notion of social mobility, from a research conducted with students from a Public school in São Paulo State, reflecting on how learning occurs based on this notion. For the research described, interviews were conducted with 20 adolescents, using exploratory questions of character, based on Piagetian clinical method, to which the notion of social mobility in adolescents were classified into three levels proposed by Delval. According to the results, we could conclude that the notion of the concept in question is a difficult acquisition by adolescents. Because of this, it is emphasized the importance of the subject for teaching graduation courses, especially Social Sciences.; O presente artigo aborda a compreensão dos adolescentes sobre a noção de mobilidade social, a partir de uma investigação realizada com estudantes de uma escola pública do interior paulista, refletindo sobre a forma como se dá a aprendizagem desta noção. Para a investigação descrita, foram realizadas entrevistas com 20 adolescentes, utilizando perguntas de caráter exploratório, embasadas no método clínico piagetiano...

Mobilidade social, estilo de vida e índice de massa corporal de adolescentes

Hackenhaar,Marisa Luzia; Sichieri,Rosely; Muraro,Ana Paula; Silva,Regina Maria Veras Gonçalves da; Ferreira,Márcia Gonçalves
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.46%
OBJETIVO Analisar a associação entre mobilidade social, estilo de vida e índice de massa corporal de adolescentes. MÉTODOS Estudo de coorte com 1.716 adolescentes de dez a 17 anos de idade, de ambos os sexos. Os adolescentes eram participantes de um estudo de coorte e nasceram entre 1994 e 1999. Os adolescentes foram avaliados em escolas públicas e privadas entre 2009 e 2011. O estilo de vida foi avaliado por meio de entrevista e a antropometria foi utilizada para o cálculo do índice de massa corporal. Para a classificação econômica na infância e na adolescência foram utilizados critérios preconizados pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Mobilidade social ascendente foi considerada como aumento em pelo menos uma classe econômica no período de dez anos. Utilizou-se regressão de Poisson para estimar a associação entre a mobilidade social ascendente e os desfechos avaliados. RESULTADOS Dos adolescentes (71,4% de seguimento da coorte), 60,6% apresentaram mobilidade social ascendente. Destes, 93,6% pertenciam à classe econômica D e 99,9% à E. Maior prevalência de ascensão social foi observada para escolares de cor da pele preta (71...

Mobilidade social intergeracional e saúde no Brasil: uma análise do survey "Pesquisa dimensões sociais das desigualdades (PDSD)", 2008

Flor,Luisa Sorio; Laguardia,Josué; Campos,Monica Rodrigues
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.43%
Embora a maioria dos estudos apresente a saúde como resultante da inserção social dos indivíduos, ela pode ser um fator determinante das oportunidades sociais alcançadas, principalmente no que diz respeito às chances de mobilidade social. O objetivo do artigo é conhecer a magnitude das associações simultâneas que as condições sociodemográficas, de saúde e de qualidade de vida (SF-36) exercem nas chances de mobilidade intergeracional de uma amostra probabilística de domicílios no Brasil em 2008. A mobilidade foi determinada pela transição entre grupos ocupacionais definidos através da escala de Ganzeboom. Variáveis sociodemográficas, de saúde e de qualidade de vida foram associadas às chances de mobilidade intergeracional ascendente através de regressão logística. O aumento da escolaridade foi o principal determinante das chances de mobilidade. Mulheres e jovens ascenderam mais intergeracionalmente. Foi observada associação positiva entre autoavaliação de saúde, escores de saúde física e mobilidade ascendente. A mobilidade social firmou-se como um evento multideterminado. A saúde física e a percebida se colocaram como recursos capazes de influírem nas transições sociais.