Página 1 dos resultados de 12 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Avaliação da linfangiogênese intratumoral em carcinoma precoce do colo de útero; Evaluation of intratumoral lymphangiogenesis in early-stage carcinoma of the uterine cervix

Zaganelli, Fabrícia Leal
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
26.54%
A incidência do câncer cervical permanece elevada em nosso país, provavelmente devido ao rastreamento ser realizado principalmente em áreas urbanas e haver áreas menos favorecidas onde os programas de rastreamento não são efetivos. É bem sabido que a mortalidade pelo câncer raramente é devida ao tumor primário, mas à disseminação metastática das células tumorais em órgãos distantes. A via linfática é considerada a preferencial para disseminação metastática nos tumores ginecológicos. E o estágio clínico e os linfonodos regionais são considerados os fatores prognósticos mais potentes no carcinoma de colo útero. A compreensão da linfangiogênese pode ser considerada uma importante chave na elucidação dos mecanismos usados pelas células tumorais na sua disseminação. Os objetivos do presente estudo são avaliar as características clínico-patológicas do câncer do colo do útero e sua associação com o comprometimento linfonodal e o desfecho; avaliar a linfangiogênese intratumoral pela análise quantitativa da microdensidade vascular linfática (MDVL), usando o método imunoistoquímico para marcação dos vasos linfáticos e três métodos morfométricos para a quantificação; determinar a associação entre a MDVL...

Avaliação da densidade vascular linfática intratumoral em adenocarcinomas primários de endométrio; Evaluation of intratumoral lymphatic vessel density in primary endometrial adenocarcinomas

Kawamura, Lecy
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.96%
INTRODUÇÃO: A metástase linfonodal em adenocarcinomas de endométrio reduz significativamente as taxas de sobrevida. Poucos estudos relacionando a microdensidade vascular linfática (MDVL) intratumoral e sobrevida em adenocarcinomas endometriais estão disponíveis atualmente. OBJETIVO: O propósito deste estudo foi avaliar a microdensidade vascular linfática intratumoral dos adenocarcinomas de endométrio e investigar a sua associação com fatores patológicos clássicos, metástase linfonodal e sobrevida. MÉTODOS: Cinquenta e sete pacientes com adenocarcinoma de endométrio, diagnosticadas entre 2000 a 2008 submetidas a estadiamento cirúrgico completo e avaliação da MDVL intratumoral e outras variáveis histológicas. Os micro vasos linfáticos foram identificados através de reação imunoistoquímica utilizando um anticorpo monoclonal contra a podoplanina humana (clone D2-40) e avaliados pela contagem do número de vasos linfáticos marcados em 10 campos com maior densidade vascular em aumento de 400 vezes. A MDVL foi expressa pela média do número de vasos nestes 10 campos microscópicos de maior densidade vascular. A seguir, investigamos a associação entre MDVL com achados clínico-patológicos e prognóstico. Nossos resultados demonstraram que a média do número de vasos linfáticos contados em todos os casos variou de 0 a 4.7. O valor da mediana obtida da média da MDVL foi de 0...

Valor prognóstico da microdensidade vascular linfática intratumoral e da expressão neoplásica de podoplanina em carcinomas escamosos vulvares; Prognostic value of intratumoral microvessel lymphatic densityand of podoplanin neoplastic expression in squamous vulvar carcinomas

Góes, Renata Sampaio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.5%
Introdução: Os carcinomas vulvares são tumores raros com morbidade elevada associada ao tratamento cirúrgico padrão e altos índices de recorrência loco-regional. Os vasos linfáticos são importantes vias de disseminação regional e o estado linfonodal é o principal indicador prognóstico. A densidade linfática do tumor, assim como moléculas relacionadas à linfangiogênese tem sido avaliadas em vários tumores para prever metástase linfonodal e para identificar possíveis alvos terapêuticos. Entre as moléculas relacionadas ao controle da linfangiogênese destaca-se a podoplanina, cuja expressão por células neoplásicas de tipo escamoso pode inibir a disseminação linfática. Não identificamos até o momento nenhum estudo que tenha avaliado o papel da densidade de vasos linfáticos intratumorais ou da expressão de podoplanina pelas células neoplásicas no comportamento de carcinomas escamosos vulvares. Objetivos: Nossos objetivos foram estudar a densidade intratumoral dos vasos linfáticos (DVL) e a expressão de podoplanina pelas células neoplásicas em carcinomas escamosos vulvares no sentido de determinar sua relação com o desfecho e fatores prognósticos clássicos, incluindo metástase linfonodal. Métodos: Selecionamos 35 pacientes com carcinoma de células escamosas vulvares submetidas à tratamento cirúrgico primário incluindo vulvectomia e dissecção regional de nódulos linfáticos. Após revisão dos dados dos prontuários médicos (idade da paciente...

Linfangiogênese e seu papel no diagnóstico diferencial entre tumores  mucinosos primários e secundários do ovário; Lymphangiogenesis and its role in the diferential diagnosis between primary and secondary mucinous ovary tumors

Almeida, Bernardo Gomes de Lacerda
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.54%
Metástases em ovário geralmente se apresentam como o primeiro sinal de doença, com o tumor primário não sendo imediatamente reconhecido. A diferenciação mucinosa é o fenótipo mais comum entre essas metástases. Em algumas situações, quando essa apresentação está associada a carcinomas metastáticos capazes de simular tumores ovarianos primários, essa configuração pode levar até mesmo patologistas experientes a diagnosticar incorretamente um depósito secundário como uma neoplasia primária. A maioria dos casos problemáticos pode ser resolvida correlacionando-se os dados clínicos, as características macroscópicas, os critérios de histologia e o perfil imuno-histoquímico, mas sempre haverá alguns casos com características sobrepostas. Levando-se em conta que a invasão linfovascular conspícua é uma das características que favorecem metástase, nós hipotetizamos que diferentes padrões de microdensidade vascular intratumoral poderiam nos ajudar na definição da origem primária ou secundária do tumor. Um total de 124 casos de tumores mucinosos de ovário foram selecionados, apresentando histologia "borderline" e maligna. Eles foram separados em dois grupos (primários ou metastáticos), classificados de acordo com as informações clínicas disponíveis...

Fibroblastos associados ao câncer e correlação com parãmetros patológicos em melanomas cutâneos caninos

Grandi, Fabrizio
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 87 f.
POR
Relevância na Pesquisa
26.3%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Patologia - FMB; O melanoma é uma das neoplasias cutâneas mais comumente diagnosticadas no homem e nos cães. O microambiente tumoral é composto pelas células neoplásicas e células estromais interagindo constantemente para garantir a progressão tumoral. Os fibroblastos associados ao câncer (FAC) representam uma população heterogênea de células caracterizadas pela expressão de diversos marcadores incluindo a proteína α-SMA e S100A4. Acredita-se que estas células originem-se de diversas fontes incluindo a transição endotelial fibroblástica. Neste trabalho, quantificamos a imunoexpressão da prpteína S100A4 nos fibroblastos associados ao câncer em melanomas cutâneos caninos, verificamos a potencial contribuição das células endoteliais na gênese desta população e correlacionamos os achados com parâmetros patológicos, incluindo a microdensidade vascular. Quarenta e oito casos de melanoma dermais caninos (21 epitelióides, 14 fusiformes e 13 mistos) previamente categorizados nos níveis de Clark 4, 5 e até 4 foram submetidos a imunofluorescência dupla utilizando os anticorpos primários α-SMA...

Avaliação da angiogenese e da linfangiogenese durante a progressão tumoral do carcinoma ex-adenoma pleomorfico; Study of the angiogenesis and lymphangiogenesis during tumor progression of carcicoma ex-pleomorphic adenoma

Andresa Borges Soares
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
26.96%
Carcinoma ex-adenoma pleomórfico (CXAP) é uma neoplasia geralmente de alto grau, com risco moderado para metástase cervical. O objetivo do trabalho foi analisar a vascularização tumoral sanguínea e linfática numa série de CXAP, que representam as diferentes fases da seqüência adenoma-carcinoma. Em oito CXAP precoces (intracapsulares ou minimamente invasores), oito avançados (francamente invasores) e 10 adenomas pleomórficos (AP) sem transformação maligna usamos os seguintes anticorpos: D2-40, Ki-67, CD34, CD105, ?- SMA, CK7 e 14. A vascularização sanguínea foi estudada através da microdensidade vascular intratumoral (MDV) e área vascular total (AVT). A vascularização linfática, através da microdensidade vascular linfática (MVL) intratumoral e peritumoral. Em relação à vascularização sanguínea, a MDV pelo CD 105 mostrou forte correlação positiva com a progressão tumoral, enquanto que a MDV pelo CD 34 e a ATV não apresentaram nenhuma correlação. Carcinomas com diferenciação mioepitelial apresentavam MDV pelo CD 105 mais baixa, mas os mais altos valores de ATV. Quanto à vascularização linfática, em AP e CXAP precoces, foram encontrados raros, se algum, linfático intratumoral, enquanto que em CXAP avançados eles eram mais numerosos...

A imunoexpressão de VEGF-A, a densidade microvascular e linfatica determinadas pelo CD34 e D2-40, podem não ser fatores inidicativos de recidiva de carcinoma invasivo inicial de mama; VEGF-A expression, microvessel and lymphatic vessel density may not be predicting factors of early breast cancer agressiveness

Anna Valeria Gervasio de Britto
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
16.43%
Objetivo: Avaliar a relação da angiogênese em carcinomas invasivos iniciais da mama com fatores clínico-patológicos indicativos de recorrência. Casuística e Métodos: Em 92 casos de pacientes com neoplasia maligna invasiva e inicial da mama e submetidas à pesquisa de comprometimento do linfonodo-sentinela (LS) pesquisou-se a imunoexpressão de VEGF-A, CD34 e D2-40 nos cortes dos tecidos tumorais previamente fixados e incluídos em parafina. Esta expressão foi analisada em relação ao estado do LS e às características clínico-patológicas, incluindo a classificação atual de risco para recidiva. Resultados: Não houve associação entre a imunoexpressão do VEGF-A e a avaliação da angiogênese com o estado do LS, nem tampouco com as demais características clínico-patológicas, incluindo grupos de risco para recidivas. Apenas o tamanho do tumor primário e a idade da paciente foram indicadores de acometimento linfonodal. O coeficiente linear de Spearman não indicou correlação da imunoexpressão dos marcadores entre si. A deteccção de linfáticos pela imunocoloração com anti-D2-40 possibilitou a alteração da classificação de risco em quatro pacientes. Conclusões: Não houve associação entre microdensidade de vasos sanguíneos (CD34) e linfáticos (D-2-40) ou da imunoexpressão de VEGF-A...

Express??o de componentes da via de sinaliza????o sonic hedgehog ( HHI, PTCH1 e SHH) e VEGF-A em carcinoma escamocelular: associa????o com imunomarca????o de VEGF-A e microdensidade vascular.

Sales, Caroline Brandi Schlaepfer
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.86%
Os mecanismos moleculares envolvidos no desenvolvimento do carcinoma escamocelular oral (CECO) ainda s??o pouco conhecidos. Vias de sinaliza????o que participam do desenvolvimento embrion??rio, como a via Sonic Hedgehog (SHH), podem estar associadas ao desenvolvimento de tumores e ainda participar da progress??o tumoral atrav??s do est??mulo a angiog??nese. Este trabalho teve como objetivo avaliar o perfil de express??o g??nica de componentes da via de sinaliza????o SHH, Sonic Hedegehog (SHH), Patched 1 (PTCH1) e Hedgehog interacting protein (HHIP), que possam estar relacionados a angiog??nese em CECO, bem como os n??veis de express??o do vascular endothelial growth factor (VEGF-A) e a microdensidade vascular (MDV) nestes tumores. Ap??s aprova????o do CEP (Parecer 229/10), a casu??stica foi composta por 66 casos de CECO no total. Para as rea????es de PCR quantitativo (qPCR) foram utilizadas amostras criopreservadas de 50 casos de CECOs, 8 casos de Mucosa Adjacente ao Tumor (MAT) e 2 casos de Mucosa N??o Neopl??sica de paciente saud??vel (MNN). Ap??s extra????o de RNA, o DNA complementar foi obtido com o aux??lio de High-Capacity cDNA Reverse-Transcription. As rea????es de qPCR foram conduzidas no aparelho ABI Prism 7900 utilizando o sistema Taqman...

Densidade de mast??citos e microdensidade vascular em displasias epiteliais e carcinomas orais

Souza, Renata Oliveira de
Fonte: Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.86%
Os tumores malignos orais representam 5% de todos os c??nceres humanos e o carcinoma escamocelular oral (CECO) corresponde a 90% destes casos. Sabe-se que as pessoas acometidas por displasia epitelial oral (DEO) apresentam um maior risco de desenvolver CECO. A angiog??nese est?? associada ?? inicia????o e progress??o neopl??sica, sendo o in??cio da neovasculariza????o em DEOs um pr??-requisito para a forma????o do tumor. Na angiog??nese, destacam-se os mast??citos, respons??veis por estimular e manter a forma????o da rede vascular em determinadas doen??as, inclusive displasias e neoplasias. Estas c??lulas liberam fatores que estimulam a angiog??nese, como o VEGF. Assim, este estudo se prop??s a avaliar o papel dos mast??citos na angiog??nese de DEO e CECO, considerando par??metros cl??nicos e morfol??gicos, comparando-os entre si. Metodologia: Quatorze DEOs e 56 CECOs, dispostos em l??minas convencionais e de tissue microarray (TMA), respectivamente, provenientes do Hospital AC Camargo, foram imunomarcardas para os anticorpos anti-CD34, anti-VEGF-A e anti-Mast cell tryptase, os tr??s primeiros atrav??s do sistema EnVision Advance??? (Dako Corporation, Carpinteria, USA) e o ??ltimo atrav??s do sistema Histofine (Nichirei Biosciences Inc....

Identificação dos transcritos e proteínas glipicans 1, 3 e 5 em carcinoma escamocelular de boca: associação com moléculas Hedgehog e Vegfa

Sales, Caroline Brandi Schlaepfer
Fonte: Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz Publicador: Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz
Tipo: Tese de Doutorado
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.3%
INTRODUÇÃO: A Via Hedgehog (HH) está ativada em algumas neoplasias humanas, incluindo o Carcinoma Escamocelular de Boca (CEB), o qual corresponde a mais de 95% dos casos diagnosticados na cavidade bucal. Os glipicans (GPC) participam como reguladores desta cascata, atenuando (GPC1 e GPC3) ou regulando positivamente (GPC5) a via HH. OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi avaliar o perfil de expressão dos genes GPC1, 3 e 5, associando-os com genes da via HH (SHH, PTCH1 e SMO) e VEGFA, bem como caracterizar a imunoexpressão das proteínas GPC, em CEB. MATERIAL E MÉTODOS: Trinta e um casos de CEB foram submetidas a reações de qPCR para os genes SHH, PTCH1, SMO, VEGFA, GPC1, 3 e 5. O RNA total foi extraído utilizando uma coluna composta por membrana de silica (Rneasy Mini Kit). O DNA complementar foi obtido com auxílio da enzima Superscript Vilo™. As reações de qPCR foram conduzidas no aparelho ViiA™ 7 Real-Time PCR System utilizando o sistema Taqman, sendo a quantificação relativa avaliada pelo método comparativo de Cq (ΔΔCQ). Vinte e seis CEBs, 9 casos de margens tumorais (MAT) e 4 casos de mucosa bucal não neoplásica (MNN) foram submetidos à reação imuno-histoquímica para as proteínas GPC1, GPC3, GPC5, CD105 e MCM3 utilizando o sistema polimérico AdvanceTM ou LSABTM. As análises das proteínas GPC1...

Via Hedgehog em Carcinoma Escamocelular de boca: associação com macrófagos CD163+, angiogênese, proliferação e diferenciação celular

Valverde, Ludmila de Faro
Fonte: Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz Publicador: Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.3%
INTRODUÇÃO/OBJETIVO: O Carcinoma Escamocelular de Boca (CEB) corresponde a mais de 95% dos casos de câncer diagnosticados na cavidade bucal e consiste numa neoplasia invasiva e agressiva. Sabendo-se que a via Hedgehog (HH) está envolvida na patogênese de diversos tumores, o presente trabalho propôs-se a avaliar a expressão de componentes desta via em CEB, associando a expressão destas moléculas com aspectos clínicos, angiogênese, graus de diferenciação tumoral, potencial proliferativo e macrófagos CD163+. MATERIAL E MÉTODOS: Vinte e oito casos de CEB, 9 casos de margens tumorais (MAT) e 4 casos de mucosa bucal não neoplásica (MNN) foram submetidos à reação imuno-histoquímica para as proteínas MCM3, SHH, IHH, GLI1, CD163 e CD105 utilizando o sistema polimérico AdvanceTM. A co-localização das proteínas IHH/CD163 e GLI1/CD105 foi avaliada através de dupla marcação imuno-histoquímica. As análises das proteínas MCM3, SHH, IHH e GLI1 foram realizadas em 5 áreas coincidentes de cada caso, de acordo com os parâmetros semi-quantitativos descritos por Gurgel et al. (2008). A densidade de macrófagos (DM) e microdensidade vascular (MDV) foram mensuradas considerando-se a população destas células e vasos neoformados em 5 áreas e os resultados expressos em cel/mm² e vasos/mm². A análise estatística foi realizada utilizando GraphPad Prism versão 6.03. RESULTADOS: Todos os casos de CEB foram positivos para a proteína MCM3...

Avalia????o da microdensidade vascular como fator progn??stico em sarcomas de tecidos moles em pequenos animais; Microvessel density evaluation as a prognostic factor in canine and feline soft tissue sarcomas

SILVEIRA, Matheus Folgearini
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Veterin??ria; Programa de P??s-Gradua????o em Veterin??ria; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Veterin??ria; Programa de P??s-Gradua????o em Veterin??ria; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
67.31%
Soft tissue sarcomas are mesenchymal origin neoplasms collectively classified according to histological characteristics and biological behaviour similiarities. Various neoplasms are included in this major group, as fibrosarcoma, hemangiosarcoma, peripheral nerve sheath tumor, myxosarcoma, liposarcoma, leiomyosarcoma, rhabdomiosarcoma, malignant fibrous histiocytoma, synovial cell sarcoma and undifferentiated sarcoma. The microvessel density measure has been applied to investigate tumor angiogenesis in many neoplasms. The objectives of this study were to evaluate de microvessel density in canine and feline soft tissue sarcomas and compare the general vessel measurement area and intense vascular areas hot spot. Those data were compared to usually applied prognostic factors like mitotic index, necroses presence and amount and cellular differentiation. Soft tissue sarcomas were collected in Laborat??rio Regional de Diagn??stico da Universidade Federal de Pelotas from 1978 to 2008 among canine and feline necropsies and biopsies. In a total of 1668 neoplasms cases during this period, 100 were soft tissue sarcomas, 87 canine and 13 feline. Sex prevalence was not observed in the analyzed species. The major prevalence in canine were hemangiosarcomas (n=34) and fibrosarcomas (n=20)...