Página 1 dos resultados de 775 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Distância e movimento em Berkeley: a metafísica da percepção; Distance and movement in Berkeley: the perception's metaphysics

Zunino, Pablo Enrique Abraham
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
Esta dissertação examina a relação entre percepção e experiência na filosofia de Berkeley, esclarecendo seus principais aspectos ontológicos e epistemológicos, de modo a proporcionar uma compreensão nítida da identificação entre ser e perceber. Em primeiro lugar, definimos três posições filosóficas que constituem o contexto do pensamento de Berkeley, isto é, o cartesianismo, o ceticismo e o corpuscularismo. Em vista disso, discutimos dois temas centrais - distância e movimento - enquanto pontos decisivos para a compreender a inflexão de Berkeley no tratamento das questões ligadas à representação e ao conhecimento. Por último, destacamos a concepção instrumentalista de ciência defendida por Berkeley, a partir da distinção entre física e metafísica e da análise do conceito de causalidade.; This dissertation examines the relation between perception and experience in Berkeley's philosophy, clarifying its main ontological and epistemological aspects, in order to provide a clear understanding of the identification between being and perceiving. In first place, we define three philosophical positions that constitute Berkeley's thought context, that is, cartesianism, skepticism and corpuscularism. In sight of this...

A função do corpo na filosofia de Schopenhauer: conhecimento, metafísica e o problema da Coisa em si; The role of the body in Schopenhauer´s philosophy: knowledge, metaphysics and the problem of the Thing in itself

Soares, Daniel Quaresma Figueira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
Esta dissertação procura destacar e compreender a função da noção de corpo na filosofia de Arthur Schopenhauer, especialmente em suas reflexões consagradas à metafísica e à teoria do conhecimento. O corpo é melhor compreendido e ao mesmo tempo destacado, no interior do sistema schopenhaueriano, quando se percebe que sua função está vinculada ao posicionamento do filósofo em relação à chamada polêmica da coisa em si do período pós-kantiano. A introdução da noção de corpo permite a Schopenhauer combater os dois desafios legados por essa polêmica: por um lado, o corpo ajuda a erigir uma teoria do conhecimento que não pretende recair num dogmatismo consistente na afetação da sensibilidade pela coisa em si; por outro lado, o corpo aparece ao mesmo tempo como via de acesso ao em si e como operador central de um argumento de analogia que, ao possibilitar o reconhecimento da coisa em si em todos os fenômenos, combate diretamente o solipsismo.; The present thesis propounds the spotting and comprehension of the function of the notion of body in Arthur Schopenhauers philosophy, particularly in regard to his reflections upon metaphysics and epistemology. The body is better understood through the awareness of the fact that in Schopenhauers set of ideas the function of the body is entwined with the philosophers view on the so-called controversy about things in themselves from the post-kantian period. The introduction of the concept of body provides Schopenhauer with authority to negate two obstacles thrived on that controversy. On the one hand...

A metafísica dos costumes: a autonomia para o ser humano; The Metaphysics of Morals: the Autonomy for Human Beings

Trevisan, Diego Kosbiau
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.53%
Esta dissertação tem por objetivo analisar o lugar sistemático ocupado pela Metafísica dos Costumes no interior da filosofia prática kantiana, interpretando-a como uma metafísica da moral aplicada a um elemento empírico mínimo: a natureza humana. Em suas duas partes, a Doutrina do Direito e a Doutrina da Virtude, o princípio supremo da moral, o princípio da autonomia, adquire o significado de uma autonomia jurídica e ética que guia as situações fundamentais da vida prática do homem. Na primeira parte da dissertação, o transcurso do projeto de uma Metafísica dos Costumes ao longo do desenvolvimento da filosofia kantiana será investigado como uma progressiva purificação do princípio supremo da moral condizente com o projeto crítico mais amplo de Kant e que culmina na formulação embrionária de uma comunidade de seres racionais sob leis autônomas. Numa segunda parte, a Metafísica da Natureza será analisada como uma metafísica aplicada que surge a partir da reformulação da metafísica tradicional empreendida por Kant e, de acordo com os novos parâmetros estipulados pela crítica, é composta por um momento transcendental e por outro metafísico-específico, onde os princípios do momento anterior são aplicados a um elemento mínimo empírico. Por fim...

Ontologia, teologia, metafísica no projeto transcendental de Martin Heidegger; Ontology, theology and metaphysics in Martin Heideggers transcendental project

Pires, Frederico Pieper
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
Esta tese tem como objetivo demonstrar como a noção de ontoteologia se mostra como conceito que permite vislumbrar importante movimento no pensamento de Heidegger no início da década de 1930. Para tanto, parte-se das análises da tensão entre ontologia e teologia ressaltada por ele em suas interpretações fenomenológicas da filosofia antiga. A partir de 1927, quando se dedica à fundamentação da metafísica a partir da finitude do Dasein, essa tensão é incorporada no conceito de metafísica, entendida como conhecimento do ente enquanto tal e na totalidade. No entanto, devido ao conflito que se deflagra entre a ênfase crescente na finitude do Dasein e nas pretensões universalistas da metafísica, tornado evidente no confronto com Hegel, Heidegger abandona essa perspectiva transcendental de uma metafísica científica. A expressão ontoteologia, nesse sentido, torna-se indicativa do afastamento desse projeto por apontar a não consideração da finitude do Dasein e a sobreposição que se promove entre ontológico e ôntico; This thesis aims to show how the notion of ontotheology is a concept that indicates important movement in Heidegger's thinking in the early 1930s. To do so, we start with the analysis of the tension between ontology and theology emphasized by Heidegger in his phenomenological interpretations of ancient philosophy. From 1927...

Metafisica e capital : um dialogo entre Heidegger e Marx; Metaphysics and capital: a dialog between Heidegger and Marx

Elieser Donizete Spereta
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.42%
Neste trabalho, investigamos a possibilidade de uma fundamentação metafísica da economia política, envolvendo, com isso, os pensamentos de Heidegger e de Marx. Após um exame do conceito heideggeriano de metafísica a partir do pensamento do Ereignis e, da menção, segundo este mesmo pensamento, à possibilidade de uma superação da metafísica a partir da superação de seu fundamento último (a vontade de vontade), o trabalho passa a uma análise ontológico-historial das soluções de Marx, a fim de mostrar os sentidos pelos quais o capital se insere na tradição metafísica. Finalmente, acenamos para uma análise ontológico-historial da noção marxista de crise e mostramos de que modo a idéia de crise pode ser vista no interior do problema do esgotamento da vontade; In this work, aims an investigation of the possibility of a metaphysics foundation of the politics economy, involving of the Heidegger and Marx think. After an exam of the heideggerian concept of metaphysics by Ereignis think and, according this think, of the possibility of an overcoming of the metaphysics by overcoming of its last basis (will of the will), the work comes an exam ontological-historical of the Marx?s solutions, with the aim to reveal for what reasons the capital is in metaphysics tradition. Finally...

Heidegger e a metafísica do Dasein (1927-1930) : uma interpretação à luz dos conceitos de liberdade, vínculo e jogo da vida; Heidegger and the metaphysics of Dasein (1927-1930) : an interpretation through the concepts of freedom, binding and play of life

Fernando Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.59%
Em torno dos conceitos de liberdade, vínculo e jogo da vida, a presente tese de doutoramento pretende reunir os elementos necessários para uma interpretação produtiva da metafísica do Dasein, a ideia de filosofia defendida publicamente por Martin Heidegger no período imediatamente posterior à publicação de seu opus magnum Ser e tempo (1927). Orientando-se sobretudo pelas indicações do autor no curso universitário conferido em Marburg no verão de 1928, defende-se que a metafísica do Dasein visa a uma desformalização da fenomenologia da temporalidade extática que constitui o método da ontologia fundamental. A metafísica do Dasein, quando tomada na acepção própria do genitivo objetivo, deixa ver, ademais, um quadro de problemas especiais, circunscritos em torno da questão sobre o ente no todo, os quais não puderam ganhar, por diversos motivos, tematização explícita no interior da obra parcialmente publicada em 1927. De modo especial, ganha proeminência a questão do ser-lançado em meio ao ente no todo, do existir humano como vinculado ao ente. A necessidade de elaboração e desenvolvimento desse problema, uma consideração do existir humano em sua livre vinculação ao ente no todo, explica a requisição...

Metaphysics in Königsberg prior to Kant (1703-1770)

Sgarbi,Marco
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 EN
Relevância na Pesquisa
37.23%
The present contribute aims to reconstruct, using the methodology of intellectual history, the broad spectrum of metaphysical doctrines that Kant could know during the years of the formation of his philosophy. The first part deals with the teaching of metaphysics in Königsberg from 1703 to 1770. The second part examines the main characteristics of the metaphysics in the various handbooks, which were taught at the Albertina, in order to have an exhaustive overview of all metaphysical positions.

The metaphysics of beauty

McMahon, J.
Fonte: Amer Soc Aesthetics Publicador: Amer Soc Aesthetics
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2002 EN
Relevância na Pesquisa
37.07%
Book reviewed in this article: Nick Zangwill, The Metaphysics of Beauty; Please see page 358 in attached PDF for this review. Article first published online: 28 JUN 2008

Vernunft- und Metaphysikkritik bei Adorno und Nietzsche; Critic of Reason and Metaphysics by Adorno and Nietzsche

Maras, Konstadinos
Fonte: Universidade de Tubinga Publicador: Universidade de Tubinga
Tipo: Dissertação
DE_DE
Relevância na Pesquisa
37.42%
Metaphysik- und Vernunftkritik sind die Hauptgedankenlinien in der Philosophie Adornos und Nietzsches. Adornos Kritik in der Dialektik der Aufklärung setzt sich mit der Vernunft als instrumenteller Rationalität auseinander und weist nach, wie Vernunft, auf bloßes Mittel zur Selbstbehauptung reduziert, sich selbst aushebt. Auf ebenso radikale Weise geht Nietzsche gegen eine Vernunft vor, die sich und den Subjekten ‚objektive’ Wahrheiten vorgaukeln will. Sowohl bei Adorno als auch bei Nietzsche erweist sich die genealogische Methode als Vernunftkritik im Vollzug. Als Metaphysikkritiker nehmen Adorno und Nietzsche bestimmte Tendenzen metaphysischen Denkens ins Visier und entwickeln Modelle einer Reflexion, die ohne auf die Strukturen eines verselbständigten Denkens zurückzufallen, Potentiale philosophischer Transzendenz bereit hält. Die Arbeit weist zuerst in Adornos Werk die maßgebliche Kritikpräsenz Nietzsches nach, um dann ihre Denkmodelle von Vernunft- und Metaphysikkritik gegenüber zu stellen. Es zeigt sich, dass Nietzsches vernunft- und metaphysikkritisches Denken philosophischer Reflexion Perspektiven offen hält, die in Adornos Denken des utopischen Überschusses seiner Kritikauffassung wegen die Form von Aporien annehmen müssen.; The critic of metaphysics and reason forms the main line of thought in the philosophy of Adorno and Nietzsche. The critic of Adorno in the Dialectic of Enlightenment analyses reason as instrumental rationality and demonstrates that reason negates itself...

Science and Metaphysics: A Methodological Investigation

Abidin, Zainal
Fonte: [Bloomington, Ind.] : Indiana University Publicador: [Bloomington, Ind.] : Indiana University
Tipo: Doctoral Dissertation
EN
Relevância na Pesquisa
37.53%
Thesis (PhD) - Indiana University, History and Philosophy of Science, 2005; Traditionally, knowledge of nature as it really is belonged to the realm of metaphysics. With the rise of empirical sciences in the seventeenth century, and Logical Positivism in the twentieth century, metaphysics as an a priori knowledge had gradually lost its credibility, to be replaced by the sciences. Recently, however, there are ideas of constructing metaphysics that is somehow grounded on science (e.g. experimental metaphysics, metaphysical naturalism, and certain forms of constructive theology as discussed in recent science and religion discourse). The main question addressed in this dissertation concerns the possibility of such metaphysics. Science can be relevant to metaphysics only if one believes it to have significant things to say about the world; in other words, only if one holds some form of scientific realism. In this dissertation the author argues for the metaphysical ambiguity of scientific theories. This claim can be divided into two sub-claims: 1) That a modest version of scientific realism can be defended, which justifies the belief that scientific theories speak about the world, but 2) what precisely the world is like as presented by the theories is not fully-determined. A metaphysical system can be constructed only through the process of interpretation...

Cogito ergo volo : para uma fundamentação epistemológica da metafísica da vontade schopenhaueriana; Cogito ergo volo : on an epistemological foundation of the schopenhauerian metaphysics of the will

Gabriel Valladão Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
A presente dissertação dedica-se à enumeração e análise dos principais argumentos epistemológicos para a fundamentação da metafísica da vontade de Arthur Schopenhauer. Para tal, distinguimos primeiramente, no interior de seu pensamento: uma abordagem transcendental, a qual consiste em uma análise da cognição e de suas estruturas enquanto dados a priori pressupostos em todo conhecimento possível; uma abordagem empírica, a qual se divide, por sua vez, em uma análise objetiva do objeto de nossa cognição e outra, igualmente objetiva e empírica, do próprio sujeito cognitivo analisado na abordagem transcendental da cognição - ou, antes, de sua contraparte objetiva. - Nosso objetivo consistirá em evidenciar e debater, em cada uma dessas perspectivas, os argumentos que introduzem a visão metafísica de Schopenhauer sobre o mundo, isto é, sua metafísica da vontade.; This dissertation is dedicated to the enumeration and analysis of the main epistemological arguments for the foundation of Arthur Schopenhauer's metaphysics of the will. To that end, we distinguish firstly within his thought: one transcendental approach, which consists of an analysis of cognition and of its structures as a priori presupposed data for all possible knowledge; one empirical approach...

A noção de Um e a aporia 11 na metafísica de Aristóteles; The notion of one and the aporia 11 on Aristotles's metaphysics

Wellington Damasceno de Almeida
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
A Décima Primeira Aporia resulta da cisão de toda a filosofia grega precedente a Aristóteles em dois modos de conceber e propor os primeiros princípios (archai), em especial, o Um (to hen): (i) o modo pelo qual os Fisiologos concebiam o Um como principio, a saber, assumindo uma natureza subjacente, diferente do Um em si mesmo, a qual não pode ser adequadamente caracterizada pelo simples fato de ser um e que e denotada pelo conceito de Um, e (ii) o modo inaugurado pelos Pitagoricos e mais tarde endossado por Platão, marcado pelo abandono do recurso a uma natureza subjacente e por conceber o Um em si mesmo (auto to hen) como principio, desprovendo-o de qualquer conexão com alguma realidade que não seja rigorosamente caracterizada por ser um. Aristóteles enfrenta essa aporia em Metafísico Iota 2 e, segundo a interpretação que proponho, (a) recusa o modo Pitagorico-Platonico de conceber e propor princípios, (b) endossa o modo de proceder dos Fisiologos, e, ao fazê-lo, (c) retoma o "projeto" dos Fisiologos no ponto em que ele havia sido interrompido, a saber, durante a busca de um principio de movimento. A partir desse cenário, tentarei mostrar que o desfecho final da Décima Primeira Aporia pode consistir na introdução do Primeiro Motor como candidato propriamente aristotélico (e cosmológico) ao titulo de Um entre os princípios.; The Eleventh Aporia results from the breakup of the entire Greek philosophy previous to Aristotle in two manners of conceiving and proposing the first principles (archai)...

Significação e linguagem no livro Gama da Metafisica de Aristoteles; Meaning and language in the Aristotle's Metaphysics Book Gamma

Thiago Silva Freitas Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.07%
Essa dissertação consiste em uma análise detalhada dos trechos do livro Gama da Metafísica de Aristóteles onde o autor desenvolve sua defesa do princípio da não contradição bem como a distinção entre significar algo uno e significar de algo uno. A argumentação em defesa do princípio pretende evitar a petição de princípio ao imputar ao interlocutor a tarefa de simplesmente dizer algo (legein ti) com sentido. Essa defesa permitirá a distinção entre as duas classes de predicação denominadas como significar algo uno e significar de algo uno, com a qual Aristóteles poderá desenvolver aquilo que chamamos de uma teoria da significação; This thesis consists of a detailed analysis of excerpts from the book Gamma from Aristotle's Metaphysics, where the author develops his defense of the principle of noncontradiction as well as the distinction between signify one thing and signify about one thing. The argument in defense of the principle claims to prevent beg what was originally at issue giving to the opponent the task of simply saying something (legein ti) with sense. That defense will allow the distinction between the two classes of predication called as signify one thing and signify about one thing, with which Aristotle will may develop what we call a theory of meaning

Uma suspeita : acerca da suposta hierarquia entre metafísica e política no pensamento de Platão; A suspicion : about the suppose hierarchy between metaphysics and politics in Plato’s thought

Nascimento, Wanderson Flor do
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Este trabalho tenta responder a um conjunto de críticas, sobretudo àquelas que são originadas por Nietzsche e por nietzscheanos posteriores (como Gilles Deleuze, por exemplo) que atribui a Platão uma hierarquia entre a metafísica e a política, que resultaria em uma espécie de escravização da política pela metafísica. A suposição aqui sustentada é que não for possível afirmar o contrário – que para o pensamento de Platão, em todos seus desenvolvimentos, a metafísica e toda a filosofia estariam a serviço da política – pelo menos seria problemática a afirmação de um aprisionamento da política pela metafísica ao acompanhar a proposta do lugar da filosofia na cidade imaginada por Platão. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT; This paper attempts to respond to a certain set of criticism, especially the ones inspired by Nietzsche, over the work of Plato. According to those nietzscheans (as Gilles Deleuze, for example) there is a hierarchy between metaphysics and politics at work in Plato's thought, the latter being enslaved by the first. The presumption here is that even if one cannot reject those criticism by affirming the contrary – that in Plato's thought...

La influencia de Pistorius en la definición kantiana de la metafísica a partir de 1787; La influencia de Pistorius en la definición kantiana de la metafísica a partir de 1787; Pistorius' influence on Kant's definition of metaphysics since 1787

Rivero, Gabriel
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 11/12/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
37.42%
El presente artículo trata acerca del concepto de metafísica de Kant a partir de 1787, año en el cual se introduce en la definición kantiana el término suprasensible. El artículo parte de la concepción, según la cual las críticas de Pistorius al sistema transcendental llevan a Kant a presentar una nueva definición de metafísica, que se caracteriza por la asimilación y resignificación del concepto suprasensible en términos de una filosofía crítica. Una comparación con los Progresos indicará que la definición kantiana de metafísica en los años noventa se ha de interpretar de acuerdo a la ya esbozada en 1787. ; The present article deals with Kant's concept of metaphysics from 1787 onwards, the year in which the term supersensible has been introduced to Kant’s definition of metaphysics. The article assumes that Pistorius' criticism of the transcendental system caused Kant to present a new definition of metaphysics, which is characterized by an assimilation and reconception of the term supersensible in the sense of a critical philosophy. A comparison with the Progresses will prove that the Kantian definition of metaphysics in the 1790s must be interpreted according to the draft of 1787.; El presente artículo trata acerca del concepto de metafísica de Kant a partir de 1787...

Editing Aristotle's Metaphysics: why should Harlfinger's stemma be verified?

Fazzo, Silvia
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 10/11/2014 ENG
Relevância na Pesquisa
37.34%
The textual transmission of Aristotle’s Metaphysics is currently described by Dieter Harlfinger’s stemma codicum. It appeared in 1979 within the acts of the 1972 Symposium Aristotelicum.1 With a single exception, the stemma has been accepted by scholars without discussion, or with minor relevances only. On the other side, at least until 2009 no stemmatically-based edition of a single book of the Metaphysics appeared. Still today, no new general edition is available. We are thus still left with Jaeger’s 1957 OCT – admittedly, an editio minor, which partly depends on Ross’ 1924 critical apparatus and textual choices. But things are evolving now, as we are about to see: this crucial theory and practice – editing Aristotle’s Metaphysics –is moving today faster than it has since the 19th century. Hence the interest in promoting a broader and a more articulated discussion, by pointing out some basic desiderata, which show the need for the subject to be taken into consideration anew.

On a possible metaphysics of modernity. Or: the late inheritors of a certain kantian legacy; Sobre uma possível metafísica da modernidade. Ou: os herdeiros tardios de um certo legado kantiano

Mattos, Fernando Costa; Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Partindo da controvérsia Henrich-Habermas dos anos 1980, este artigo discute apossibilidade de conservar um espaço aberto para a metafísica, na filosofia atual, tendo emvista o modo como Kant reformulou esse campo do saber. Procurando levar a sério aintenção kantiana, eu me baseio nas reflexões do próprio Dieter Henrich e de ChristianThies para apresentar, em linhas muito gerais, um possível formato para essa nova formade metafísica.; Starting from the Henrich-Habermas controversy in the 1980s, this paperdiscusses the possibility of keeping an open space for metaphysics in nowadaysphilosophy, having in mind the way through which Kant reformulated this field ofknowledge. Trying to take Kant’s intention seriously, I base myself on the reflectionsof Dieter Henrich himself, and on those of Christian Thies, to present in abroad view a possible design for this new kind of metaphysics.

Sobre a necessidade e os limites da metafísica em Duns Scotus; Duns Scotus and the necessity of metaphysics

Guerizoli, Rodrigo; Universidade Federal do Rio de Janeiro – CNPq, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 02/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Partindo de um sentido prescritivo de necessidade, própria do que é condição depossibilidade para a realização de um certo objetivo, analiso inicialmente o procedimentoscotista de neutralização de duas abordagens tradicionais sobre a necessidade da metafísica.Há, por um lado, a neutralização da pretensão dos philosophi de demonstrar a suficiênciada metafísica para a consecução de nosso fim último; e, por outro, a neutralizaçãoda tentativa dos theologi de provar a insuficiência da metafísica para a realização daquelemesmo fim. O procedimento de Scotus de justificação da necessidade da metafísica será emseguida reconstruído, um procedimento que incorpora frente à tradição traços de umaprofunda redefinição dos objetivos e procedimentos daquela ciência.; Based on a prescriptive sense of necessity, as applied to something whichis a condition for the possibility of reaching a certain goal, initially I analyze theScotist procedure of neutralization of two traditional views on the necessity ofmetaphysics. There is...

Logic is Metaphysics; Logic is Metaphysics

Alves, Daniel Durante Pereira; Departamento de Filosofia Centro de Ciências Humanas Letras e Artes Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Fonte: Federal University of Santa Catarina – UFSC Publicador: Federal University of Santa Catarina – UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
Analisando alguns aspectos das posições de dois filósofos cujas abordagens são reconhecidamente divergentes, W. O. Quine e M. Dummett, pretendemos sustentar um contundente ponto de acordo entre eles: a ideia de que nossos princípios lógicos constituem nossos princípios sobre o que há, e portanto, que lógica é metafísica.  DOI: 10.5007/1808-1711.2011v15n1p3 ; Analyzing the position of two philosophers whose views are recognizably divergent, W. O. Quine and M. Dummett, we intend to support a striking point of agreement between them: the idea that our logical principles constitute our principles about what there is, and therefore, that logic is metaphysics.DOI: 10.5007/1808-1711.2011v15n1p3

Karl Popper's Conception of Metaphysics and its Problems; Karl Popper’s Conception of Metaphysics and its Problems

Ribeiro, Cláudia; Universidade de Lisboa
Fonte: Federal University of Santa Catarina – UFSC Publicador: Federal University of Santa Catarina – UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2014 ENG
Relevância na Pesquisa
37.53%
http://dx.doi.org/10.5007/1808-1711.2014v18n2p209In this paper I intend to thoroughly analyse Karl Popper’s relation to metaphysics. I start with his first writings, where he states the differences between science, pseudoscience and metaphysics. I then describe how his thoughts on the subject evolved to culminate in his reflection on metaphysical research programmes and the need for a revival of natural philosophy. A major concern is Popper’s famous testability criterion to set apart science from non-science. I point at the problems of the conception of metaphysics as non-testable theories (which are similar to the problems of the conception of metaphysics as theories involving unobservables) and, in order to avoid these problems, I propose to retain nothing but the traditional conception of metaphysics as the general theories about the nature of the world. This leads me to the conclusion that science is not only an empirical task but also, and in a very important sense, a speculative one. ; http://dx.doi.org/10.5007/1808-1711.2014v18n2p209Com este artigo pretendo levar a cabo uma análise aturada da relação que Karl Popper manteve com a metafísica. Começo com os seus primeiros escritos, nos quais Popper estabelece as diferenças entre ciência...