Página 1 dos resultados de 60 itens digitais encontrados em 0.084 segundos

Relações entre idade, porcentagem de consoantes corretas e velocidade de fala; Relationship between age, percentage of consoants correct and speech rate

FOLHA, Gislaine Aparecida; FELÍCIO, Cláudia Maria de
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
95.8%
TEMA: faltam informações a respeito da relação entre idade, velocidade de fala e desempenho na fala. OBJETIVO: analisar e comparar o desempenho de crianças, de acordo com a faixa etária, quanto ao índice de porcentagem de consoantes corretas (PCC) e medidas de velocidade de fala, bem como determinar a relação entre essas variáveis. MÉTODO: os participantes deste estudo foram duzentas crianças agrupadas em três faixas etárias: 6:0 a 8:0 anos (Grupo I), 8:1 a 10:0 anos (Grupo II); 10:1 a 12:6 anos (Grupo III). Foram aplicados testes de velocidade de fala, de nomeação de figuras e imitação de vocábulos (ABFW - Teste de Linguagem Infantil) e calculados os índices porcentagem de consoantes corretas (PCC). A análise de variância (ANOVA) foi utilizada para a comparação do desempenho dos grupos, seguida pelo teste de Tukey. Para analisar a relação entre idade, velocidade de fala e PCC foi utilizado o teste de correlação de Pearson. RESULTADOS: houve diferença significante entre os três grupos quanto ao PCC e a velocidade de fala (p < 0,001). De acordo com o teste de velocidade de fala usando o estímulo /pataka/, houve diferenças significantes entre o grupo I e os outros dois grupos (p < 0,01). Houve correlação positiva e significante entre idade...

Constelação fônica e redes neurais artificiais: aplicabilidade na análise computacional da produção da fala; The phonic constellation and artificial neural network: computational analysis of speech production's aplicability

Prado, João Carlos Almeida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/05/2007 PT
Relevância na Pesquisa
95.9%
Atualmente desenvolvem-se técnicas para a análise, identificação e o reconhecimento da fala. As mais eficientes mostram-se matematicamente complicadas, baseadas em análise estatísticas de dados, o que torna o sistema moroso, necessitando uma grande quantidade de dados para amostras. Este trabalho tem como objetivo apresentar a possibilidade do uso de Estruturas Neurais Artificiais Paraconsistentes no aprendizado e reconhecimento de sinais de fala, independentemente de análise estatística, ou número de amostras. A partir de um estudo piloto, identificou-se a necessidade de um aprofundamento no estudo dos Traços Formantes dos Fones. Com os Formantes dos Fones pode-se criar um sistema capaz de reconhecer sons produzidos em qualquer língua, pelas combinações da produção de sons através da emissão simultânea de um conjunto de Formantes. Como possível solução para a identificação dos Formantes dos Fones propõe-se neste trabalho a criação do conceito de Constelação Fônica, que consiste no reconhecimento de combinações de características matemáticas identificadas nos sinais sonoros de fala. Como uma forma de reconhecer estas Constelações, apresentam-se as Redes Neurais Artificiais Paraconsistentes, eficientes no reconhecimento de padrões por proximidade e com capacidade para tratamento de sinais contraditórios e paracompletos. Para a viabilização desta solução...

Nasalância na presença e ausência da turbulência nasal e da hipernasalidade; Nasalance at the presence and absence of nasal turbulence and hypernasality

Bastazini, Simone Vianello
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/11/2008 PT
Relevância na Pesquisa
95.75%
Objetivos: Determinar e comparar os valores de nasalância em amostras de fala na presença e ausência da turbulência nasal (TN) e da hipernasalidade. Métodos: Foram analisadas um total de 288 amostras de fala com fonemas de alta e baixa pressão, sendo que, 110 foram excluídas por apresentarem articulação compensatória (AC) ou disfonia. Cinco (5) juízes avaliaram as 178 amostras (110 + 20%) para indicar a presença e ausência da TN e da hipernasalidade. Resultados: As palavras e frases contendo fonemas líquidos (baixa pressão) foram julgados, por todos os juízes, com ausência de TN, e não foi encontrada diferença significante entre as amostras analisadas (lalá, lalá olhou a lua, e frases LO). No caso das 5 amostras com fonemas de alta pressão (papai, bebê, papai pediu pipoca, o bebê babou, frases PO) observou-se que somente nas frases PO a diferença foi estatisticamente significante (p=0,02) para o fator hipernasalidade. Conclusão: Comparando os valores de nasalância na presença e ausência da TN podemos concluir que a nasalância apresentou-se elevada em todas as palavras e frases contendo fonemas orais de alta pressão, porém a diferenças encontradas não foram estatisticamente significantes. Comparando os valores de nasalância na presença e ausência da hipernasalidade notamos que os valores apresentaram-se elevados nas palavras e frases contendo fonemas orais sonoros de alta pressão e nas frases LO.; Objective:The objective of this study was to determine and to compare nasalance scores at the presence and absence of nasal turbulence (NT) and hypernasality. Methods: Nasometric scores and audio recordings were obtained simultaneously from 30 participants with operated unilateral cleft lip and palate during production of speech samples with low and high pressure phonemes. From a sample of 288 recording...

Descrição da estimulabilidade e da consistência de fala em crianças com transtorno fonológico; Description of stimulability and speech consistency in children with phonological disorders

Castro, Marcia Mathias de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
85.93%
O objetivo deste estudo foi descrever o desempenho de crianças com e sem Transtorno Fonológico em medidas de gravidade, inconsistência de fala, consistência de erros de fala e estimulabilidade. Foram avaliadas 130 crianças falantes do Português Brasileiro, de ambos os gêneros, e idades entre 5:0 e 10:10 anos, sendo 55 com transtorno fonológico e 75 sem alterações fonológicas. A maioria das crianças com transtorno fonológico foi estimulável aos sons ausentes do inventário fonético demonstrando dificuldade em aplicá-los às situações comunicativas. Foram confirmados os efeitos de idade e gênero e determinados quatro valores de corte para a inconsistência de fala. A inconsistência de fala mostrou-se eficaz para avaliar a programação fonológica, e a estimulabilidade a produção motora. Os resultados da pesquisa sugerem que a programação fonológica se aprimora a cada ano de vida da criança e ocorre de forma diversa entre os gêneros. Já a produção motora da fala demonstrou semelhança no desempenho de meninos e meninas. As duas medidas estudadas mostraram-se eficazes para diferenciar crianças com e sem transtorno fonológico, bem como contribuíram para a identificação das dificuldades das crianças evidenciando serem complementares e essenciais para detectarem marcadores diagnósticos do transtorno fonológico.; The aim of this study was to describe the performance of children with and without Phonological Disorder in severity...

Estudo da tarefa motora de fala alternada em idosos e suas relações com medidas temporais de deglutição; Correlation study of speech alternating motion rate and temporal measures of swallowing in the elderly

Debora Aviz Bastos Dias
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
86%
O processo de envelhecimento do corpo está relacionado às mudanças orgânicas e funcionais, envolvendo a deterioração das estruturas laríngeas, faríngeas, e os articuladores ao nível de sistema estomatognático, diminuindo assim a capacidade das funções, como, a deglutição e articulação. Há relato sobre as características da deglutição na população idosa, porém, observa-se carência de estudos que descrevam valores de referência quanto à velocidade e duração do movimento motor de fala. Objetivo: Caracterizar medidas de tarefa motora de fala alternada em idosos e correlacionar tais medidas com os intervalos de duração obtidos em fases oral e faríngea da deglutição. Métodos: Participaram desta pesquisa um total de 53 indivíduos, sendo 28 adultos com faixa etária entre 18 e 59 anos (Grupo I), 14 idosos com idade entre 60 e 79 anos (Grupo II), e 11 idosos com idade maior que 80 anos (Grupo III). Foram obtidas as medidas da tarefa motora de fala alternada (TMFA) e analisados os parâmetros de duração média do período (AVP), taxa média de sílabas por segundo (AVR) e coeficientes de variação da produção articulatória (CVP e JIT), em programa computadorizado de análise de voz e fala Multi-speech. Dos 25 idosos...

O gesto fônico na aquisição "desviante" : movimentos entre a produção e a percepção; The articulatory gesture in "deviant" phonological acquisition : moving between production and perception

Maria Claudia Camargo de Freitas
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
85.9%
A proposta deste trabalho consistiu em resgatar marcas da reorganização fônica em crianças com diagnóstico de transtorno fonológico, à luz da Fonologia Gestual. Em especial, marcas que evidenciassem uma relação especial entre fluência oral e processos fônicos. A fim de obter uma amostra significativa de momentos de reorganização fônica, foram coletados longitudinalmente dados de produção e, também, de percepção de fala. Para compor o grupo alvo (GA), selecionaram-se quatro crianças com dificuldades nas obstruintes surdas - classe de sons escolhida para uniformizar a amostra - e, para o grupo controle (GC), quatro crianças sem alterações fônicas - com idade e gênero compatíveis aos do GA. O corpus de produção foi composto por realizações de palavras-alvo iniciadas pelos fones obstruintes desvozeados seguidos das vogais [a], [i] ou [u] inseridas em uma frase-veículo. Gravações realizadas em cabine acústica por meio de equipamento digital de alta fidelidade. Utilizouse para analisá-los, as análises de outiva e acústica - momentos espectrais e medidas de duração. Sobre a percepção de fala, foi realizada uma tarefa XAB composta por estímulos naturais que continham sílabas iniciadas por obstruintes desvozeadas seguidas de [a]. Foram realizadas quatro coletas...

Produção de fala em crianças surdas com implante coclear

Coimbra, Bruno Manuel Meireles
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
85.88%
Um estudo de produção de fala foi desenvolvido para comparar crianças surdas implantadas e crianças normo-ouvintes. Gravaram-se oito informantes com idades compreendidas entre os 5 e os 11 anos, sendo 4 normo-ouvintes (2 do sexo masculino e 2 do sexo feminino) e 4 crianças surdas com implante coclear (2 do sexo masculino e 2 do sexo feminino). Foram analisadas diferentes propriedades acústicas e particularidades fonológicas presentes nas vogais e nas fricativas, em contexto de palavra dissilábica isolada (CVCV). As análises versaram a influência da capacidade auditiva nos processos fonológicos. As medidas acústicas (para as vogais mediais e finais), incluíram dados sobre: duração, F0, F1, F2, Jitter e Shimmer. Estes dados permitiram efectuar uma análise estatística, e estudar a relação entre F1 e F2. No caso das fricativas, as medidas acústicas analisadas referiram-se à duração, declive espectral e vozeamento. A qualidade vocal, com base nos parâmetros F0, Jitter e Shimmer, nas vogais em posição medial, foi também analisada. Verificou-se que há uma maior ocorrência de erros e as alterações são mais diversificadas, nos informantes surdos com implante coclear. Nas diferentes vogais dos normo-ouvintes foram encontrados valores mais altos de F1. Os informantes surdos com implante coclear apresentaram durações vocálicas superiores e nas vogais verificaram-se valores de duração distintos entre si e variáveis de acordo com o contexto de produção. Concluiu-se também que a variação da frequência de F2 foi mais consentânea com valores de referência para o Português Europeu. Apesar de não existir relevância estatística...

Produção de oclusivas e vogais em crianças surdas com implante coclear

Domingues, Marta Teresa Pedrosa
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
85.82%
Este estudo de produção de fala permite comparar as características do discurso de crianças surdas com implante coclear e crianças normo-ouvintes. Gravaram-se oito informantes, nativos do Português Europeu (PE), com idades compreendidas entre os 4 e os 11 anos (4 informantes surdos com implante coclear e 4 normo-ouvintes). Foram analisadas as seguintes características acústicas: voice onset time (VOT), duração da oclusiva e desvozeamento durante a oclusão, para as consoantes oclusivas. No caso das vogais as medidas acústicas foram: duração da vogal inicial, f1, f2, F0, Jitter e Shimmer. Com os dados obtidos para as vogais foi possível analisar a relação de f1-f2 e realizar uma análise da qualidade vocal, com base nos parâmetros F0, Jitter e Shimmer. Os resultados mostram diferenças significativas na duração das oclusivas entre os grupos de informantes. O VOT das oclusivas não vozeadas está em consonância com os estudos do PE. Encontraram-se valores superiores de duração vocálica, nos informantes surdos com implante coclear. No espaço das vogais verifica-se maior dispersão intra-vocálica no grupo dos surdos com implante coclear para as vogais /i/ e /u/. Relativamente à qualidade vocal foram encontradas diferenças mas sem significado estatístico.; This study compared the characteristics of speech production by deaf children with cochlear implants and with speech produced by normal hearing children. Eight European Portuguese (EP) speakers 4 deaf speakers with a cochlear implant and 4 normal-hearing) with ages ranging from 4 to 11 years (were recorded. The following acoustic measures were analysed: voice onset time (VOT)...

Morfometria do trato vocal por ressonância magnética: simulação de padrões patológicos articulatórios

Ventura, Sandra M. Rua; Freitas, Diamantino Rui S.; Ramos, Isabel Maria A. P.; Tavares, João Manuel R. S.
Fonte: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Publicador: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/2014 POR
Relevância na Pesquisa
85.88%
Introdução – A análise da forma ou morfometria de estruturas anatómicas, como o trato vocal, pode ser efetuada a partir de imagens bidimensionais (2D) como de aquisições volumétricas (3D) de ressonância magnética (RM). Esta técnica de imagem tem vindo a ter uma utilização crescente no estudo da produção da fala. Objetivos – Demonstrar como pode ser efetuada a morfometria do trato vocal a partir da imagem por ressonância magnética e ainda apresentar padrões anatómicos normais durante a produção das vogais [i a u] e dois padrões articulatórios patológicos em contexto simulado. Métodos – As imagens consideradas foram recolhidas a partir de aquisições 2D (Turbo Spin-eco) e 3D (Flash Gradiente-Eco) de RM em quatro sujeitos durante a produção das vogais em estudo; adicionalmente procedeu-se à avaliação de duas perturbações articulatórias usando o mesmo protocolo de RM. A morfometria do trato vocal foi extraída com recurso a técnicas manuais (para extração de cinco medidas articulatórias) e automáticas (para determinação de volumes) de processamento e análise de imagem. Resultados – Foi possível analisar todo o trato vocal, incluindo a posição e a forma dos articuladores, tendo por base cinco medidas descritivas do posicionamento destes órgãos durante a produção das vogais. A determinação destas medições permitiu identificar quais as estratégias mais comummente adotadas na produção de cada som...

Influência da velocidade articulatória e da intensidade na inteligibilidade de fala

Barreto,Simone dos Santos; Ortiz,Karin Zazo
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
95.82%
TEMA: existem evidências de que as pistas contextuais intrínsecas aos estímulos de fala elevam os escores de inteligibilidade, entretanto, a influência de pistas dependentes do sinal acústico, como a velocidade e a intensidade com as quais os diferentes estímulos são produzidos, são pouco conhecidas. OBJETIVO: investigar se a redução da velocidade articulatória e o acréscimo da intensidade da fala, em diferentes tipos de estímulos, influenciariam os escores de inteligibilidade. MÉTODO: participaram do estudo 30 falantes e 60 ouvintes, todos sem distúrbios da comunicação. Os falantes foram gravados durante a repetição de três listas de estímulos (frases, palavras e pseudopalavras). As médias da velocidade articulatória (sílabas por segundo) e da intensidade da fala (decibel) foram calculadas por falante, para cada lista. A inteligibilidade foi mensurada pelo método de transcrição ortográfica das amostras pelos ouvintes, sendo os escores calculados em percentagem de palavras corretamente transcritas. RESULTADOS: diferenças estatisticamente significantes da velocidade articulatória foram encontradas entre os três tipos de estímulos, contudo, os estímulos produzidos com menor velocidade (pseudopalavras seguidas pelas palavras) não conduziram a escores superiores de inteligibilidade. Em relação à intensidade...

Medidas de inteligibilidade nos distúrbios da fala: revisão crítica da literatura

Barreto,Simone dos Santos; Ortiz,Karin Zazo
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 PT
Relevância na Pesquisa
115.95%
TEMA: a redução da inteligibilidade da fala é considerada uma das principais manifestações encontrada em sujeitos com distúrbios da fala, sendo um importante objeto de investigação fonoaudiológica. Apesar de sua relevância, não existe consenso na literatura da área de como a inteligibilidade da fala deva ser avaliada. Além da questão da diversidade de métodos existentes, outro aspecto importante refere-se à influência que determinadas variáveis podem exercer sobre tais medidas e, conseqüentemente, sobre sua interpretação. OBJETIVO: investigar a existência de possíveis evidências acerca da concordância entre medidas de inteligibilidade obtidas por diferentes métodos de mensuração, empregados na avaliação de sujeitos com distúrbios da fala, e identificar os efeitos de variáveis relacionadas aos procedimentos de avaliação ou ao ouvinte sobre essas medidas. Para tal, foi realizada uma revisão crítica de artigos sobre o tema, indexados nas bases de dados Medline, Web of Science, Lilacs e Scielo, até outubro de 2007, através dos termos de busca speech intelligibility ou inteligibilidade da fala. CONCLUSÃO: não foram encontradas evidências, na literatura pesquisada, de concordância entre as medidas de inteligibilidade da fala obtidas por métodos distintos...

Velocidade de fala em crianças com e sem transtorno fonológico

Wertzner,Haydée Fiszbein; Silva,Leila Mendes
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
85.94%
TEMA: velocidade de fala no transtorno fonológico (TF). OBJETIVO: comparar o desempenho de crianças, com e sem transtorno fonológico, em diferentes tarefas de velocidade de fala. MÉTODO: participaram do estudo vinte crianças com diagnóstico de transtorno fonológico (GTF) e vinte crianças com desenvolvimento típico de fala (GC), com idade entre quatro anos a dez anos e onze meses, de ambos os sexos. As medidas de velocidade de fala (tempo total de duração, sílabas/segundo e fonemas/segundo) foram analisadas em duas provas de imitação, sendo uma padrão e outra baseada em frases retiradas do próprio discurso da criança, cada qual composta de uma sentença curta e outra longa. RESULTADOS: o GC apresentou um desempenho significantemente melhor que o GTF em todas as medidas da prova de imitação padrão e também no tempo total de duração da sentença longa na prova de imitação de frases próprias, de forma que o tamanho e a tipologia das sentenças influenciaram o desempenho de ambos os grupos. CONCLUSÃO: verifica-se menores valores de velocidade de fala nas crianças com TF participantes deste estudo, em função de possíveis déficits lingüísticos ou motores, embora haja indícios de controle da velocidade de produção da fala em função do tamanho da frase. Todas as medidas mostraram tal diferença...

Relações entre idade, porcentagem de consoantes corretas e velocidade de fala

Folha,Gislaine Aparecida; Felício,Cláudia Maria de
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
85.8%
TEMA: faltam informações a respeito da relação entre idade, velocidade de fala e desempenho na fala. OBJETIVO: analisar e comparar o desempenho de crianças, de acordo com a faixa etária, quanto ao índice de porcentagem de consoantes corretas (PCC) e medidas de velocidade de fala, bem como determinar a relação entre essas variáveis. MÉTODO: os participantes deste estudo foram duzentas crianças agrupadas em três faixas etárias: 6:0 a 8:0 anos (Grupo I), 8:1 a 10:0 anos (Grupo II); 10:1 a 12:6 anos (Grupo III). Foram aplicados testes de velocidade de fala, de nomeação de figuras e imitação de vocábulos (ABFW - Teste de Linguagem Infantil) e calculados os índices porcentagem de consoantes corretas (PCC). A análise de variância (ANOVA) foi utilizada para a comparação do desempenho dos grupos, seguida pelo teste de Tukey. Para analisar a relação entre idade, velocidade de fala e PCC foi utilizado o teste de correlação de Pearson. RESULTADOS: houve diferença significante entre os três grupos quanto ao PCC e a velocidade de fala (p < 0,001). De acordo com o teste de velocidade de fala usando o estímulo /pataka/, houve diferenças significantes entre o grupo I e os outros dois grupos (p < 0,01). Houve correlação positiva e significante entre idade...

Inteligibilidade: efeitos da análise de transcrição e do estímulo de fala

Barreto,Simone dos Santos; Ortiz,Karin Zazo
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
105.9%
TEMA: apesar de seu amplo emprego com fins clínicos e de pesquisa, as medidas de inteligibilidade da fala por transcrição são criticadas por fornecer apenas informações sobre o grau de severidade dos quadros, bem como por ter sensibilidade restrita, dependendo do grau de alteração do paciente. OBJETIVO: investigar a influência da análise de transcrição e do tipo de estímulo sobre as medidas de inteligibilidade de sujeitos sem distúrbios da comunicação. MÉTODO: um estudo experimental sem intervenção foi realizado. Dois grupos de sujeitos sem distúrbios da comunicação participaram desta pesquisa. O grupo de falantes foi composto por 30 adultos. Amostras de fala foram gravadas em áudio a partir da repetição de três listas de estímulos (frases, palavras e pseudopalavras) igualmente distribuídas de acordo com os parâmetros: frequência dos fonemas, estruturas silábicas e extensão das palavras. O grupo ouvinte foi formado por 60 adultos jovens que transcreveram ortograficamente as amostras. Duas medidas de inteligibilidade foram obtidas para cada lista de estímulos: percentagem de respostas corretas por unidade silábica e por item (cada frase, palavra ou pseudopalavra). RESULTADOS: os escores de inteligibilidade por unidade silábica foram estatisticamente superiores aos escores de inteligibilidade por item. Diferenças também foram observadas entre os escores de inteligibilidade por sílabas para frases...

Estudo sobre a percepção e a produção do contraste de vozeamento da fala de crianças de 3 anos

Lofredo-Bonatto,Maria Teresa Rosangela; Madureira,Sandra
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
85.83%
OBJETIVO: apresentar um estudo da percepção auditiva que o adulto tem sobre as características das plosivas vozeadas e não-vozeadas em posição acentual tônica e pós-tônica produzidas por crianças de três anos. MÉTODOS: inspeção fonética-acústica das características encontradas na produção das plosivas, quanto ao intervalo de obstrução, do burst, e análise quantitativa das medidas do Voice Onset Time das seis plosivas do Português Brasileiro (PB), em frases-veículo "Diga ________ baixinho" por quatro crianças da faixa etária dos três anos, três meninos e uma menina, falantes nativos do PB, com análise em espectrograma de banda larga no programa Praat. Posteriormente, submissão a 120 sujeitos adultos do corpus produzido pelas crianças, por meio de um teste de percepção, do tipo identificação. RESULTADOS: encontradas na produção, características incomuns à fala do adulto, tanto para as vozeadas como as não-vozeadas. O teste revelou que os juízes perceberam as plosivas não-vozeadas como vozeadas pela presença de breathy vowel. As plosivas vozeadas sempre foram identificadas como vozeadas. O ponto articulatório, das plosivas bilabiais, alveolares e velares não interferiu no julgamento das plosivas. O teste ANOVA (sig= 0...

Duração do onset vocálico da fala fluente de gagos

Arcuri,Cláudia Fassin; Osborn,Ellen; Schiefer,Ana Maria; Chiari,Brasília Maria
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
85.87%
OBJETIVO: Comparar a duração da emissão da fala fluente de adultos com diferentes graus de gagueira em tarefa de repetição de frases. MÉTODOS: Seis adultos gagos, com grau de severidade variando de leve a severo, foram pareados com indivíduos sem nenhuma alteração de linguagem. O corpus foi composto pelas palavras "cavalo", "pipoca" e " tapete", inseridas em frases-veículo "Digo......baixinho". As frases foram emitidas pela pesquisadora e repetidas três vezes pelos indivíduos. A fala foi gravada diretamente em computador, tendo sido desconsideradas as emissões disfluentes. Posteriormente, foram realizadas as medidas de duração acústica das amostras, através do programa Praat 4.3. As frases foram divididas em segmentos delimitados por dois onsets vocálicos consecutivos. Os dados foram tabulados e analisados estatisticamente através do Teste-t e da ANOVA (Analysis of variance). RESULTADOS: Os gagos levaram mais tempo para emitir todas as unidades estudadas, com exceção da unidade [ib]. Na comparação entre os diferentes graus de severidade da gagueira, verificou-se que os gagos leves e moderados apresentam medidas de duração semelhantes e diferentes da dos gagos severos. CONCLUSÃO: Os parâmetros acústicos de duração delimitados pela medida dos onset vocálicos demonstraram que os gagos diferem dos não-gagos...

Medidas eletroglotográficas em falantes do português brasileiro por meio do Método Multiparamétrico de Avaliação Vocal Objetiva Assistida (EVA)

Faria,Bárbara Silveira de; Oliveira,Karina Vitor de; Silva,Juliana Preisser Godoy e; Reis,César; Ghio,Alain; Gama,Ana Cristina Côrtes
Fonte: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial Publicador: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
95.76%
O Método Multiparamétrico de Avaliação Vocal Objetiva Assistida (EVA) foi projetado para o estudo da maioria dos parâmetros de produção da fala. OBJETIVO: Definir as medidas médias dos parâmetros eletroglotográficos em falantes do português brasileiro para o EVA. MATERIAL E MÉTODO: Foram analisadas 40 vozes, 20 homens e 20 mulheres sem queixa vocal, extraindo-se as medidas eletroglotográficas, a fim de obter valores de referência de normalidade. Estudo de caso: estudo descritivo com corte transversal. RESULTADOS: Os valores médios de normalidade encontrados nas vozes masculinas foram: F0 = 127,77 Hz, coeficiente de variação de F0 = 2,51%, jitter absoluto = 1,707 Hz, perturbação média relativa = 0,0083, jitter factor = 1,34%, jitter ratio = 13,45%, e QF = 0,447. Para vozes femininas, foram: F0 = 204,87 Hz, coeficiente de variação de F0 = 1,58%, jitterabsoluto = 3,30 Hz, perturbação média relativa = 0,0102, jitter factor = 1,60%, jitter ratio = 16,23%, e QF = 0,443. O tipo de onda foi em 100% da amostra classificada como pulso inclinado em ambos os gêneros. CONCLUSÃO: Houve diferença estatisticamente significante em relação ao gênero para os parâmetros de média F0 e jitterabsoluto. Ao utilizar um programa de análise acústica...

Velocidade de fala em crianças com e sem transtorno fonológico; Speech rate in children with and without phonological disorder

WERTZNER, Haydée Fiszbein; SILVA, Leila Mendes
Fonte: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda. Publicador: Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
95.94%
TEMA: velocidade de fala no transtorno fonológico (TF). OBJETIVO: comparar o desempenho de crianças, com e sem transtorno fonológico, em diferentes tarefas de velocidade de fala. MÉTODO: participaram do estudo vinte crianças com diagnóstico de transtorno fonológico (GTF) e vinte crianças com desenvolvimento típico de fala (GC), com idade entre quatro anos a dez anos e onze meses, de ambos os sexos. As medidas de velocidade de fala (tempo total de duração, sílabas/segundo e fonemas/segundo) foram analisadas em duas provas de imitação, sendo uma padrão e outra baseada em frases retiradas do próprio discurso da criança, cada qual composta de uma sentença curta e outra longa. RESULTADOS: o GC apresentou um desempenho significantemente melhor que o GTF em todas as medidas da prova de imitação padrão e também no tempo total de duração da sentença longa na prova de imitação de frases próprias, de forma que o tamanho e a tipologia das sentenças influenciaram o desempenho de ambos os grupos. CONCLUSÃO: verifica-se menores valores de velocidade de fala nas crianças com TF participantes deste estudo, em função de possíveis déficits lingüísticos ou motores, embora haja indícios de controle da velocidade de produção da fala em função do tamanho da frase. Todas as medidas mostraram tal diferença...

Descrição comparativa de aspectos fonetico-acusticos selecionados da fala e do canto em portugues brasileiro

Beatriz Raposo de Medeiros
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/11/2002 PT
Relevância na Pesquisa
85.89%
Este trabalho, assim como diz o título da tese, é uma comparação de aspectos fonético-acústicos entre fala e canto. Os aspectos selecionados são: estrutura temporal, padrão formântico e co-produção entre consoantes e vogais. Para cada aspecto elaboramos um estudo, constituindo-se, assim, a tese, de três estudos. Inicialmente questionamos o mito da má dicção existente no meio musical de que os cantores e, sobretudo, as cantoras cantam sem proporcionar inteligibilidade ao texto cantado. Propomos verificar as semelhanças e diferenças existentes entre o que chamamos de duas modalidades de fala, a fala stricto sensu e a fala cantada, à luz da descoberta de Sundberg (1977), a fim, de levantar hipóteses do ponto de vista da produção sobre a inteligibilidade. A descoberta de Sundberg, que focou seu experimento em notas agudas produzidas por um soprano, é a de que, quanto mais elevada é a freqüência fundamental da nota musical, por exemplo 700 Hz, tanto mais a cantora abaixa a mandíbula, fazendo com que o primeiro formante da vogal cantada pareie com o primeiro harmônico da nota musical ou freqüência de fonação, como diz o autor sueco. Para a elaboração do experimento, levou-se em conta a canção erudita brasileira e uma característica sua própria...

Implicações da diadococinesia oral no transtorno fonológico

Wertzner,Haydée Fiszbein; Pagan-Neves,Luciana de Oliveira; Alves,Renata Ramos; Barrozo,Tatiane Faria
Fonte: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
85.87%
OBJETIVO: Verificar o desempenho de crianças com e sem transtorno fonológico nas habilidades motoras orais medidas pela diadococinesia oral, de acordo com as variáveis idade e gênero, além de comparar os métodos de análise manual e por meio de software específico. MÉTODOS: Participaram do estudo 72 sujeitos, com idade entre 5 anos e 7 anos e 11 meses, que foram divididos em quatro subgrupos em função da presença do diagnóstico de transtorno fonológico (grupo controle e grupo estudo) e da idade (<6 anos e 5 meses e >6 anos e 5 meses). A diadococinesia oral foi avaliada na repetição das sequências 'pa', 'ta', 'ka' e 'pataka' utilizando o método de análise manual e pelo softwareMotor Speech Profile®. RESULTADOS: Houve diferença somente relacionada à variável gênero nos grupos, mas que não influenciou na produção do número de sequências por segundo. Houve correlação entre o número de sequências por segundo e a idade em todas as sequências, exceto para 'ka', somente no grupo controle. Os resultados da comparação entre grupos indicaram que não houve diferença entre as distribuições do número de sequências por segundo nas sequências estudadas nas duas faixas etárias analisadas. Observou-se concordância forte entre as medidas realizadas a partir dos dois métodos. CONCLUSÃO: O presente estudo mostrou a importância de se avaliar funcionalmente...