Página 1 dos resultados de 9300 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Efeitos de intensidades de pastejo e períodos de ocupação da pastagem na massa de forragem e nas perdas e valor nutritivo da matéria seca do capim-mombaça (Panicum maximum Jacq. cv. Mombaça).; Effects of grazing intensity and paddock grazing periods on mass of herbage, losses and nutritional value of mombaçagrass (Panicum maximum Jacq.).

Gomes, Marcos Antonio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/08/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.61%
O experimento foi conduzido na FZEA/USP, Pirassununga, de julho de 1998 a junho de 2000, com objetivo de descrever os efeitos de intensidades de pastejo e de períodos de ocupação da pastagem na massa de forragem, perdas e valor nutritivo do capim-Mombaça. Foram estudados os efeitos de três intensidades de pastejo, representadas por três ofertas de forragem: baixa = (4%) - 4kg de matéria seca verde (MSV) para cada 100kg de peso animal em pastejo por dia; média = (8%) e alta = (12%) e dois períodos de ocupação dos piquetes, um e três dias. A área experimental constituía-se de 24 piquetes de 400 m2 cada (20 x 20 metros), divididos em quatro blocos de seis piquetes cada. Foram considerados dois períodos experimentais: época das águas (verão agrostológico), quando foram realizados quatro pastejos, com período de descanso de 35 dias e época da seca (inverno agrostológico), sendo realizados dois pastejos, com período de descanso de 70 dias. O delineamento experimental foi em blocos completos ao acaso, com um arranjo fatorial 3 X 2 para tratamentos (3 ofertas x 2 períodos de ocupação), em parcelas subdivididas no tempo (pastejos), com 4 repetições. No verão, a produção de matéria seca verde do capim-Mombaça foi maior quando se fez o manejo mais leniente da pastagem...

Degradabilidade in situ da matéria seca, matéria orgânica, fibra em detergente neutro e ácido e digestibilidade in vitro da cana-de-açúcar fresca ou ensilada e silagem de milho em diferentes ambientes ruminais; In situ dry matter, organic matter, neutral and acid detergent fiber degradability and in vitro digestibility of green chopped or ensiled sugar cane and corn silage under different ruminal conditions

Santos, Vanessa Pillon dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.45%
O presente trabalho teve como objetivo determinar a digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) e matéria orgânica (DIVMO) e as degradabilidades in situ (DIS) da matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente neutro (FDA) da cana-de-açúcar in natura (CF) e ensilada (SC), bem como da silagem de milho em diferentes ambientes ruminais, utilizando a técnica in situ macro-bag. Para a DIVMS, DIVMO e a degradabilidade in situ foram utilizadas duas vacas não lactantes com peso médio de 450 kg. As rações fornecidas aos animais foram formuladas de maneira a se obter diferentes ambientes ruminais, através da inclusão de diferentes volumosos: CF ou SC. A DIS da MS, MO, FDN e FDA da CF, SC e SM foram avaliadas utilizando-se sacos com porosidade de 50 µm, com medidas de 20 x 40 cm (macro-bag), sendo os volumosos incubados sem prévio processamento (secagem e moagem) nos horários 0, 12, 24, 48, 72, 96 horas. Os tratamentos consistiram de um arranjo hierárquico 3x2 (três volumosos dentro de dois ambientes ruminais) com medidas repetidas nos mesmos animais. Foram também colhidas amostras de fluído ruminal para a avaliação do ambiente ruminal resultante de cada ração experimental...

Influência da temperatura e do teor de humidade do solo na área foliar e acumulação de matéria seca durante o estabelecimento da ervilha (Pisum sativum L.) e do milho (Zea mays L.) e do girassol

Andrade, José; Abreu, Francisco
Fonte: Sociedade das Ciências Agrárias e Portugal Publicador: Sociedade das Ciências Agrárias e Portugal
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.56%
O crescimento foliar e a acumulação de matéria seca durante o estabelecimento da ervilha (Pisum sativum L., var. Ballet), do milho (Zea mays L., var. Lorena) e do girassol (Helianthus annuus L., var. Flora-sol) foram estudados em função da temperatura e do teor de água num solo Pmg(Évora) e num Cb (Lisboa), entre Junho de 1995 e Novembro de 1996. Mediu-se a temperatura do solo a 2 e 4 cm de profundidade, a temperatura do ar e a humidade do solo. A área foliar das plântulas foi estimada a partir de medições do comprimento e da largura de cada folha. A acumulação de matéria seca foi avaliada pela pesagem da parte aérea das plântulas após secagem em estufa. Os dados foram analisados com base no conceito de tempo térmico. Para teores de humidade superiores a 50% da capacidade utilizável de cada solo, a área foliar durante o estabelecimento da ervilha e do milho aumentou linearmente com a temperatura acumulada, enquanto que a do girassol aumentou exponencialmente durante o mesmo período. A relação entre a acumulação de matéria seca de qualquer das culturas e a temperatura acumulada foi exponencial. O tipo de solo influenciou significativamente o “início da expansão foliar” da ervilha e do girassol, a “taxa térmica de expansão foliar” do milho e a acumulação de matéria seca da ervilha e do milho. O “início da expansão foliar” da ervilha ocorreu mais cedo no solo Cb enquanto que o do girassol ocorreu mais cedo no solo Pmg. A expansão foliar do milho foi mais rápida no solo Pmg. A acumulação de matéria seca da ervilha foi mais rápida no solo Cb...

Expansão da área foliar e acumulação de matéria seca durante o estabelecimento do girassol (Helianthus annuus l.) em dois tipos de solos, a diferentes temperaturas e teores de humidade

Andrade, José; Abreu, Francisco
Fonte: ICAM Publicador: ICAM
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
66.56%
O estabelecimento de uma cultura determina em larga escala a sua produtividade e é, em grande medida, controlado pela temperatura e pela humidade do solo. Um rápido crescimento foliar e uma rápida acumulação de matéria seca são fundamentais para um estabelecimento adequado. O crescimento foliar e a acumulação de matéria seca durante o estabelecimento do girassol (Helianthus annuus L.) foram estudados em função da temperatura e do teor de água em dois solos diferentes, um Pmg (Évora) e um Cb (Lisboa), entre Novembro de 1993 e Novembro de 1996. Os dados foram analisados com base no conceito de tempo térmico. A temperatura do solo foi medida a 2 e 4 cm de profundidade com termopares, a temperatura do ar medida com um psicrómetro ventilado e a humidade do solo avaliada pelo método gravimétrico. A área foliar foi estimada a partir da medição do comprimento e da largura de cada folha (método não-destrutivo). A acumulação de matéria seca foi avaliada pela pesagem da parte aérea das plântulas após secagem em estufa a 65ºC. Em condições hídricas favoráveis, a área foliar durante o estabelecimento do girassol aumenta linearmente com a temperatura acumulada (a partir da temperatura-base obtida para a produção de folhas em cada um dos solos). Ao invés...

Expansão da área foliar e acumulação de matéria seca durante o estabelecimento da ervilha (Pisum sativum L.) e do milho (Zea mays L.) em dois tipos de solos, a diferentes temperaturas e teores de humidade.

Andrade, José; Abreu, F
Fonte: SPCS, ESACB Publicador: SPCS, ESACB
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
66.58%
O estabelecimento de uma cultura determina em larga escala a sua produtividade e é, em grande medida, controlado pela temperatura e pela humidade do solo. Um rápido crescimento foliar e uma rápida acumulação de matéria seca são fundamentais para um estabelecimento adequado. O crescimento foliar e a acumulação de matéria seca durante o estabelecimento da ervilha (Pisum sativum L.), do milho (Zea mays L.) e do girassol (Helianthus annus L.) foram estudados em função da temperatura e do teor de água num solo Pmg (Évora) e num Cb (Lisboa), entre Novembro de 1993 e Novembro de 1996. Mediu-se a temperatura do solo a 2 e 4 cm de profundidade, a temperatura do ar e a humidade do solo. A área foliar das plântulas foi estimada a partir de medições do comprimento e da largura de cada folha. A acumulação de matéria seca foi avaliada pela pesagem da parte aérea das plântulas após secagem em estufa. Os dados foram analisados com base no conceito de tempo térmico. Para teores de humidade superiores a 50% da capacidade utilizável de cada solo, a área foliar durante o estabelecimento da ervilha e do milho aumentou linearmente com a temperatura acumulada, enquanto que a do girassol aumentou exponencialmente durante o mesmo período. A relação entre a acumulação de matéria seca de qualquer das culturas e a temperatura acumulada foi exponencial. Baixos teores de humidade do solo afectaram negativamente o crescimento foliar e a acumulação de matéria seca. Em condições hídricas favoráveis...

Acúmulo de substâncias de reserva em grãos de soja. I: matéria seca, óleo e ácidos graxos

Teixeira,João Paulo Feijão; Ramos,Maria Tereza Baraldi; Moraes,Roberto Machado de; Faraco,Maria Helena; Mascarenhas,Hipólito Assunção Antonio
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1985 PT
Relevância na Pesquisa
66.56%
No estudo da dinâmica de acúmulo de matéria seca e lipídios em grãos de soja, foram utilizadas vagens de dez cultivares, nos anos agrícolas de 1978/79 e 1979/ 80. Os grãos foram avaliados semanalmente durante todo o seu período de desenvolvimento, quanto aos teores de matéria seca, óleo e ácidos graxos. Os resultados mostraram que a influência de anos agrícolas sobre o acúmulo de matéria seca e óleo foi devida principalmente às condições do meio verificadas de 20 a 40 dias antes da maturação dos grãos, em 1978/79: 152mm de chuva e 22ºC, e em 1979/80: 50,8mm de chuva e 25ºC de temperatura média. A velocidade de acúmulo de matéria seca nos grãos foi maior em 1979/80, porém o total de matéria seca acumulado, menor: os grãos continham 78% do total de matéria seca acumulada no ano agrícola de 1978/ 79. Para óleo, verificou-se a influência positiva de temperatura e negativa de precipitação pluvial na velocidade de acúmulo dessa substância durante o período de enchimento dos grãos. Para o cv Santa Rosa, utilizado como referência, em 1978/79, os grãos atingiram o maior valor aos 80 dias após o florescimento (DAF) com 22% de óleo, e 1979/80 atingiu o valor máximo de 23% aos 43 DAF. A composição do óleo em ácidos graxos variou durante o desenvolvimento dos grãos...

Acumulação de matéria seca e micronutrientes pela planta matriz da bananeira cv. prata (Musa AAB, subgrupo prata) em diferentes estádios de desenvolvimento

Gomes,J.A.; Haag,H.P.; Nóbrega,A.C.
Fonte: Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura Publicador: Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1988 PT
Relevância na Pesquisa
66.49%
Visando estabelecer a curva de crescimento da matéria seca, marcha de absorção, quantidade exportada e reciclada de boro, zinco e cobre, instalou-se um ensaio no Estado do Espírito Santo, em solo cambissólico distrófico com declividade média de 40%. Sorteou-se três plantas matrizes, bimensalmente até 300 dias e mensalmente até 465 dias após o plantio, que foram separadas em folha, pecíolo, pseudo-caule, rizoma, engaço, botão floral e fruto. Determinou-se a massa de matéria seca e o teor de micronutrientes destes órgãos, cujos dados foram ajustados em programa de regressão, obtendo-se as curvas de acumulação de matéria seca e de absorção dos micronutrientes. Dos resultados conclui-se que: a absorção do boro, zinco e cobre pelos órgãos estudados, acompanha a acumulação de matéria seca, exceto o cobre, no pecíolo; 70% dos micronutrientes analisados são absorvidos a partir de 240 dias após o plantio; ocorre uma razão de absorção de 5 Zn, 2,5 B, 1 Cu; podem ser exportados com a colheita cerca de 10% B, 5,5% Zn e 3% Cu.

Silagem de sorgo de porte baixo, com diferentes teores de tanino e de umidade no colmo. IV- Influência dos taninos sobre a digestibilidade in vitro da matéria seca

Rodriguez,M.; Borges,A.L.C.C.; Nogueira,F.S.; Gonçalves,L.C.; Borges,I.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 PT
Relevância na Pesquisa
66.49%
Foram estudadas silagens de quatro híbridos de sorgo, com diferentes teores de umidade no colmo combinados com teor alto ou baixo de tanino, feitas em silos de tubos "PVC" em laboratório, lacrados com fita crepe e dotados de uma válvula tipo Bunsen. Usaram-se 24 tratamentos com 4 repetições cada, sendo 4 híbridos (T1=colmo suculento e baixo tanino, T2=colmo seco e baixo tanino, T3=colmo seco e alto tanino, T4= colmo suculento e alto tanino) combinados com 6 tempos para abertura do silo, sendo o primeiro tempos antes de ensilar (P1), seguido de 1, 7, 14, 28 e 56 dias de ensilagem. Os teores de matéria seca, tanino, componentes da parede celular e de digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) foram determinados nas silagens e nas forragens antes de ensilar (P1), após pré-secagem e moagem. Utilizou-se o teste de Tukey para comparação entre médias. A ensilagem provocou redução significativa nos teores de tanino, apesar de não ter essa diminuição resultado em aumento na digestibilidade in vitro da matéria seca. Ao contrário do que se esperava, a presença de taninos não reduziu a digestibilidade in vitro da matéria seca.

Consumo e digestibilidade aparente da matéria seca, da proteína bruta e da energia de silagens de quatro genótipos de sorgo (Sorghum bicolor (L.) Moench) por ovinos

Martins,R.G.R.; Gonçalves,L.C.; Rodrigues,J.A.S.; Rodriguez,N.M.; Borges,I.; Borges,A.L.C.C.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.49%
Avaliaram-se o consumo e a digestibilidade aparente da matéria seca, da proteína bruta e da energia e o balanço de nitrogênio de silagens dos sorgos BR601, BR700, BR701 e AG2002 em ovinos. O consumo de matéria seca e de energia bruta não diferiu entre os híbridos. Quanto à digestibilidade aparente da matéria seca e da energia bruta e ao consumo de matéria seca digestível e de energia digestível, observaram-se maiores valores para o BR601. O maior consumo de proteína bruta foi observado no BR700 e o menor no AG2002. A maior digestibilidade aparente da proteína bruta ocorreu para o BR601 e a menor para o BR701. O consumo de proteína digestível foi maior para os híbridos BR601 e BR700. Todos os tratamentos apresentaram balanço de nitrogênio positivo e não diferiram entre si.

Posição dos frutos e seu efeito na repartição da matéria seca da planta do tomateiro

Andriolo,Jerônimo Luiz; Ludke,Loeni; Duarte,Tatiana da Silva; Skrebsky,Etiana Caldeira
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2000 PT
Relevância na Pesquisa
66.49%
Plantas de tomateiro foram cultivadas no interior de estufas de polietileno no decorrer da primavera e do outono com o objetivo de determinar o efeito da posição dos frutos sobre a distribuição da matéria seca entre as partes vegetativas e os frutos. Os tratamentos foram constituídos por plantas conduzidas com uma haste (controle) ou duas hastes por planta, com frutos localizados somente sobre a haste principal ou distribuídos sobre as duas hastes. Em cada época, o número de inflorescências por planta foi mantido idêntico em todos os tratamentos, igual a oito na primavera e dez no outono, enquanto o número de folhas por planta foi, respectivamente, 27 e 37 nas plantas-controle e 52 e 65, em média, nas plantas com duas hastes. Na primavera, as plantas com duas hastes acumularam uma média de 155g de matéria seca de frutos, e aquelas com uma haste apenas 95g. No outono, esse parâmetro não mostrou diferença significativa entre os tratamentos: valores de 99g nas plantas com uma haste e uma média de 78 g naquelas com duas hastes. Nos dois experimentos, não foram observadas diferenças significativas entre os tratamentos com duas hastes por planta, independentemente da posição dos frutos sobre a planta. No outono, a fração da matéria seca total alocada para os frutos foi de 0...

PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DA MATÉRIA SECA DO PEPINO PARA CONSERVA EM DIFERENTES POPULAÇÕES DE PLANTAS

Schvambach,Jacques Leandro; Andriolo,Jerônimo Luiz; Heldwein,Arno Bernardo
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2002 PT
Relevância na Pesquisa
66.56%
O trabalho teve como objetivo determinar o efeito da população de plantas na acumulação e distribuição da matéria seca entre as partes vegetativas e os frutos de plantas de pepino tipo conserva. Os experimentos foram realizados em uma estufa de polietileno, em populações de plantio de 2,00; 2,50; 3,33 e 5,00 plantas m-2 na primavera de 1999 e de 4,00; 5,00; 6,66 e 10,00 plantas m-2 no verão-outono de 2000. As plantas foram dispostas em fileiras distanciadas de um metro e tutoradas com fitas plásticas verticais. Determinou-se a evolução semanal da acumulação de matéria seca do caule, folhas e frutos. Os frutos foram colhidos diariamente e a matéria seca diária foi somada para obter o valor semanal acumulado. No primeiro experimento, houve resposta positiva da maior população tanto sobre a produção de matéria seca vegetativa como de frutos. A fração média da matéria seca total alocada para os frutos foi de 49,5%, independente da população de plantas. No segundo experimento, houve efeito significativo da maior população apenas sobre a acumulação de matéria seca do caule e a fração alocada para os frutos decresceu com o aumento da população. No primeiro experimento, o rendimento acumulado de frutos respondeu linearmente ao aumento da população de plantas. No segundo experimento...

Componentes morfológicos e produção de matéria seca de milho em função da aplicação de calcário e zinco

Andreotti,Marcelo; Souza,Euclides Caxambu Alexandrino de; Crusciol,Carlos Alexandre Costa
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.56%
O milho é uma das plantas que mais responde positivamente à aplicação de zinco no solo, com ganhos na produção de matéria seca e grãos. Entretanto, a disponibilidade e a absorção do elemento pelas plantas são influenciadas negativamente pela elevação do pH, da V% e do teor de P nos solos. Para estudar o efeito da calagem e do zinco aplicado na adubação, e o seus efeitos residuais sobre a produção de matéria seca e o desenvolvimento das plantas de milho, foram realizados três cultivos subsequentes, em condição de casa de vegetação, utilizando-se vasos que receberam 20 kg de um Latossolo Vermelho distrófico. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado em esquema fatorial 3x3, com três saturações por bases (15, 50 e 70%) e três teores de zinco no solo (0,70, 5 e 10 mg dm-3), com quatro repetições. Em cada cultivo deixaram-se duas plantas de milho (híbrido tríplo XL 370) por vaso até os 57 dias após a emergência, momento em que foi realizada a colheita para a determinação da produção de matéria seca. A análise de desenvolvimento da planta foi realizada a cada sete dias, avaliando-se: altura média, número de folhas e comprimento médio de entrenós/planta, num total de oito coletas. A aplicação de zinco não alterou as variáveis morfológicas da planta de milho. A calagem incrementou a altura das plantas. O aumento da dose de calcário resultou em maior produção de matéria seca e teores de Ca e Mg nas folhas e colmos de milho. A aplicação de zinco incrementou os teores do elemento na matéria seca. Houve efeito residual da calagem e da adubação com zinco na produção de matéria seca em três cultivos de milho.

Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de milho para produtividade de matéria seca e degradabilidade ruminal da silagem.

GOMES; M.de S.; PINHO, R.G. von; OLIVEIRA, J.S. e; RAMALHO, M.A.P.; VIANA, A.C.
Fonte: Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Sete Lagoas, v. 1, n. 2, p. 83-90, maio/ago. 2002. Publicador: Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Sete Lagoas, v. 1, n. 2, p. 83-90, maio/ago. 2002.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.59%
Estudaram-se os fatores de adaptabilidade e estabilidade de cultivares de milho para caracteres associados a qualidade da silagem, em diferentes condições ambientais. Foram avaliados dez cultivares em diferentes locais e safras agrícolas (Capinópolis, Janaúba, Lavras e Sete Lagoas, nas safras de 1997/98, 1998/99 e 1999/00, e Coronel Pacheco, nas safras de 1997/98 e 1998/99). Em todos os ambientes, o delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com três repetições. No estádio farináceo-duro, procedeu-se à colheita das plantas da parcela, que foram cortadas e pesadas, para a determinação do peso da amostra seca ao ar. Em seguida, a matéria seca das amostras das repetições de cada cultivar foi misturada, moída e passada em peneira de 5 mm, para a avaliação de degradabilidade in situ da matéria seca, após 24 horas de incubação no rúmen de bovino. As análises de adaptabilidade e estabilidade foram realizadas utilizando os procedimentos de Eberhart e Russel (1966) e Annicchiarico (1992). Foi estimado também um índice para seleção das cultivares obtido a partir da multiplicação do carácter produção de matéria seca pela degradabilidade, utilizando as médias de cada ambiente. Observou-se que a interação cultivares e ambientes foi significativa apenas para o carácter produtividade de matéria seca. As cultivares avaliadas diferem quanto à adaptabilidade e à estabilidade de produtividade de matéria seca. A metodologia de Annicchiarico(1992) discriminou as cultivares superiores quanto à produtividade de matéria seca...

Resposta da produção de matéria seca do meloeiro a calagem e micronutrientes em um solo de Petrolina-PE.

PONTES, A.S.C.; DUETE, W.L.C.; SILVA, D.J.; COSTA, N.D.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 42.; CONGRESSO LATINO AMERICANO DE HORTICULTURA, 11., 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 20, n. 2, jul. 2002. Suplemento 2. CD-ROM. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 42.; CONGRESSO LATINO AMERICANO DE HORTICULTURA, 11., 2002, Uberlândia. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 20, n. 2, jul. 2002. Suplemento 2. CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.49%
O trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da omissão de calagem B, Cu, Fe, Mn e Zn em plantas de melão cucumis melo L.) cultivadas em vasos contendo um solo arenoso de Petrolina-PE, em ambiente protegido. Foram testados oito tratamentos: completo, completo menos calagem, testemunha, omissão de B, de Cu, de Fe, de Mn ou de Zn, dispostos no delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Avaliou-se o peso da matéria seca da parte aérea e das raízes aos 35 dias após a emergência das plantas. A omissão de calagem provocou uma redução significativa na produção de matéria seca da parte aérea. .A omissão de Mn e Zn também provocou decréscimo no peso da matéria seca da parte aérea. Não houve efeito dos tratamentos sobre a matéria seca das raízes.; 2002

Influência do estresse de fósforo na acumulação de matéria seca e nutrientes em diferentes cultivares de milho.

ALVES, V.M.C.; VASCONCELLOS, C.A.; MAGNAVACA, R.; PITTA, G.V.E.
Fonte: In: REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO, 18., 1988, Guarapari. Resumos. Vitória: EMCAPA: EMATER-ES, 1988. p. 35-36. Publicador: In: REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO, 18., 1988, Guarapari. Resumos. Vitória: EMCAPA: EMATER-ES, 1988. p. 35-36.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.58%
Com o objetivo de estudar a influencia do estresse de fosforo na acumulacao de materia seca e de nutrientes em diferentes cultivares de milho, conduziu-se um experimento em solucao nutritiva com sete cultivares de diferentes origens geneticas, dois niveis de fosforo (0,3 mg.1-1 e 3,0 mg. 1-1) e quatro epocas de colheita (transplantio 6, 12 e 18 dias apos transplantio). Tres plantas de cada cultivar foram cultivadas em vasos contendo 1,8 litros de solucao nutritiva de Steinberg, pH5,0, com troca de solucao a cada dois dias. Na colheita, as plantas foram separadas em partes aerea e raiz e a materia seca analisada para fosforo, potassio, calcio e magnesio. Observou-se que com o decrescimo de fosforo na solucao nutritiva de 3,0 mg.1-1 para 0,3 mg.1-1, a reducao da taxa de acumulacao de materia seca da parte aerea foi diferente entre os cultivares. A taxa de acumulacao de materia seca na raiz sofreu decrescimo em dois cultivares, sendo que nos demais houve aumento. As variacoes observadas na taxa de acumulacao de materia seca total entre os cultivares nao correlacionaram-se com a taxa de acumulacao total de fosforo, nem com a capacidade de producao de materia seca por unidade de fosforo absorvido. Esta relacao de eficiencia (gramas de materia seca/miligrama de fosforo)...

Matéria seca e acumulação de nutrientes em videiras jovens cultivadas em solos com diferentes níveis de cobre.

MELO, G. W. B. de; BRUNETTO, G.; SCHAFER JUNIOR, A.; KAMINSKI, J.; FURLANETTO, V.
Fonte: Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v. 14, n. 4, p. 72-76, out./dez. 2008. Publicador: Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v. 14, n. 4, p. 72-76, out./dez. 2008.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.47%
As aplicações frequentes de fungicidas cúpricos em vinhedos aumentam o teor de cobre no solo, alterando o estado nutricional das videiras. O trabalho objetivou avaliar a produção de matéria seca e a acumulação de nutrientes em videiras jovens cultivadas em dois solos com diferentes níveis de cobre. O trabalho foi realizado na Embrapa Uva e Vinho, no município de Bento Gonçalves, RS. O solo Cambissolo Húmico, (experimento 1) e o solo Neossolo Litólico, (experimento 2) foram submetidos à aplicação de 0; 16,6; 33,3 e 66,6 mg de Cu kg-1 de solo e incubados. Depois de 60 dias o solo Cambissolo Húmico apresentava teores estáveis de 1,64 (teor natural); 3,84; 7,44 e 15,74 mg de Cu kg-1, e o Neossolo Litólico continha 3,18 (teor natural); 5,08; 11,06 e 21,14 mg de Cu kg-1. Os dois solos foram acondicionados em vasos (3 kg) e neles foram cultivados, em casa de vegetação, durante 60 dias, porta-enxertos de videira Paulsen 1103. Aos 60 dias as plantas foram retiradas dos vasos e separadas em folhas, ramos e raízes. As partes das plantas foram secas em estufa, determinada a produção de matéria seca e analisados os teores de cobre, nitrogênio, fósforo e potássio. Os resultados mostraram que a produção de matéria seca e o acúmulo de cobre...

Acumulação de matéria seca e micronutrientes pela planta matriz da bananeira cv. prata (Musa AAB, subgrupo prata) em diferentes estádios de desenvolvimento; Dry matter and micronutrients accumulation by banana mother plant cv. prata (Musa AAB, subgroup prata) at different development stages

Gomes, J.A.; Haag, H.P.; Nóbrega, A.C.
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1988 POR
Relevância na Pesquisa
66.49%
Visando estabelecer a curva de crescimento da matéria seca, marcha de absorção, quantidade exportada e reciclada de boro, zinco e cobre, instalou-se um ensaio no Estado do Espírito Santo, em solo cambissólico distrófico com declividade média de 40%. Sorteou-se três plantas matrizes, bimensalmente até 300 dias e mensalmente até 465 dias após o plantio, que foram separadas em folha, pecíolo, pseudo-caule, rizoma, engaço, botão floral e fruto. Determinou-se a massa de matéria seca e o teor de micronutrientes destes órgãos, cujos dados foram ajustados em programa de regressão, obtendo-se as curvas de acumulação de matéria seca e de absorção dos micronutrientes. Dos resultados conclui-se que: a absorção do boro, zinco e cobre pelos órgãos estudados, acompanha a acumulação de matéria seca, exceto o cobre, no pecíolo; 70% dos micronutrientes analisados são absorvidos a partir de 240 dias após o plantio; ocorre uma razão de absorção de 5 Zn, 2,5 B, 1 Cu; podem ser exportados com a colheita cerca de 10% B, 5,5% Zn e 3% Cu.; A field experiment was conducted with banana plant cultivar Prata, in Cambissolic soil, at Espírito Santo State, Brazil, to study the curve of growth and boron, zinc, copper uptake, removed and returned to the soil. Three mother plants were selected at twelve different development stages. Samples of leaf...

Componentes morfológicos e produção de matéria seca de milho em função da aplicação de calcário e zinco;;; Morphologycal components and dry matter accumulation in corn as a function of liming and zinc fertilization

Andreotti, Marcelo; Souza, Euclides Caxambu Alexandrino de; Crusciol, Carlos Alexandre Costa
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2001 POR
Relevância na Pesquisa
66.56%
Corn is one of the plants which are very responsible for zinc application in the soil that results on the increasing of plant dry matter and grain yield. On the other hand, zinc avaiability and uptake are negatively influencied by pH values, basis saturation and phosphorus avaiability in the soil. In order to study the effect of liming and the interactions with zinc, including their residual effects on dry matter accumulation and development in corn (Zea mays L. cv. triple hybrid XL 370), three experiments were carried out, under greenhouse conditions, in pots filled with 20 kg of a na Haplortox. A 3x3 completely randomized design, with four replicates, was utilized. Trataments consisted of liming to reach basis saturation of 15, 50 and 70%, combined with three zinc levels in the soil (0,70, 5 and 10 mg dm-3). Two corn plants per pot were grown until 57 days after emergence, when plant dry matter was measured. Analysis of plant development was made weekly, by determining height, number of leaves and average internode length per plant. Application of zinc did not alter the plant development. Plant height increased with the liming. The increasing of lime levels resulted in increased dry matter yield and calcium and magnesium concentration in the leaves and culms. The application of zinc increased the Zn concentration in plant dry matter. Residual effect of liming and zinc on promoted an increasing the plant dry matter.; O milho é uma das plantas que mais responde positivamente à aplicação de zinco no solo...

Producción de materia seca y concentración de proteína en 21 genotipos del pasto humidícola Brachiaria humidícola (Rendle) Schweick

Reyes-Purata,A; Bolaños-Aguilar,ED; Hernández-Sánchez,D; Aranda-lbañez,EM; Izquierdo-Reyes,F
Fonte: Universidad Juárez Autónoma de Tabasco, Dirección de Investigación y Posgrado Publicador: Universidad Juárez Autónoma de Tabasco, Dirección de Investigación y Posgrado
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 ES
Relevância na Pesquisa
66.49%
El objetivo del presente estudio fue evaluar la variabilidad disponible en 21 genotipos de Brachiaria humidícola en cuanto a la concentración de proteína y producción de materia seca, durante la época seca del año. El estudio se realizó durante los meses de marzo, abril y mayo de los años 2004 y 2005, sin aplicar riego ni fertilizante al suelo. Se realizaron tres cosechas por genotipo en cada año, con un tiempo de rebrote de cada cosecha que varió de 33 a 35 d. El experimento fue establecido bajo un diseño de bloques completos al azar en arreglo de parcelas subdivididas. Los resultados mostraron una importante variabilidad entre los genotipos (p < 0.0001) para la concentración de proteína dentro del año, la cual varió de 101.1 a 119.5 g kg-1 de MS, valores que corresponden a los genotipos 26 160 y 26 413. Los genotipos 26 413 y 16 891 fueron los que presentaron las concentraciones de proteína más elevadas pero, sin ser significativamente superiores (p > 0.05) al genotipo 679 (Humidicola comercial). Además, la concentración de proteína mostró una estabilidad importante al ambiente al no interactuar ni con el año ni con la fecha de corte (p > 0.05). Por otra parte, la concentración de proteína mostró una relación inversa con la producción de materia seca...

Efecto de la altura y frecuencia de corte sobre la producción de materia seca y proteína cruda de Tithonia diversifolia (Hemsl) A. Gray

Lugo Soto,Maria; Molina,Francelina; González,Ignacio; González,Johan; Sánchez,Eudomar
Fonte: Instituto Nacional de Investigaciones Agricolas INIA, Maracay, Venezuela. Publicador: Instituto Nacional de Investigaciones Agricolas INIA, Maracay, Venezuela.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 ES
Relevância na Pesquisa
66.58%
Para evaluar el efecto de la altura y frecuencia de corte en la producción de materia seca y proteína cruda de Tithonia diversifolia, se realizó un experimento en el Campo Experimental Ciudad Bolivia del Instituto Nacional de Investigaciones Agrícolas (INIA), ubicado en Ciudad Bolivia, estado Barinas a 08º 22` N y 70º 36´ O, y una elevación de 186 m.s.n.m. Se utilizó un diseño experimental de bloques al azar con tres repeticiones en un arreglo factorial de los tratamientos en parcelas divididas. En la parcela principal, se aleatorizaron las alturas de corte (20 y 50 cm) y en la parcela secundaria las frecuencias de corte (30, 60 y 85 días). Se evaluó materia seca total (MST), materia seca comestible (MSC) que resultó de la sumatoria de materia seca de hojas (MSH) y materia seca de tallos tiernos con diámetro < 6mm (MSTT), materia seca de tallos grueso con diámetro > 6mm (MSNC), la proporción de los componentes hojas:tallos y la proteína cruda (PC). La MST, MSC y MSNC mostraron diferencias significativas (P<0,05) para frecuencia de corte, obteniéndose la mayor producción a los 85 días, con valores de 2,58; 0,53 y 2,05 kg/planta, respectivamente. La relación de hoja:tallos tiernos: tallos gruesos fue de 18:3:78, en ambos factores. La proteína cruda mostró diferencias significativas para altura y frecuencia de corte...