Página 1 dos resultados de 1683 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Liberalismo e os Preceitos da Ética Cosmopolita em Isaiah Berlin

Silva, Elisabete
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Isaiah Berlin, considerado um dos grandes nomes da História das Ideias do séc. XX, destacou-se entre os seus pares pela teoria dos dois conceitos da liberdade – a liberdade positiva e a liberdade negativa – e pelas ideias inovadoras do seu pluralismo de valores que veio conferir novo fôlego ao liberalismo. O liberalismo de Berlin questionou alguns preceitos liberais como a universalidade de valores que considerou incomensuráveis e incompatíveis. No presente estudo pretendemos contextualizar Berlin no espaço e no tempo de modo a analisar e compreender a relevância do seu liberalismo e pluralismo de valores. Reflectiremos e analisaremos como os acontecimentos do seu tempo o influenciaram na escrita e na vida. Além disso, destacaremos a influência das três culturas – a judia, a russa e a inglesa – que o marcaram determinantemente na forma de ver e de se relacionar com o mundo. Um dos desafios deste estudo consiste em mostrar que Isaiah Berlin, para além de se assumir como um pluralista, liberal e humanista, se guiou igualmente por valores morais cosmopolitas no sentido em que acreditava no valor do ser humano enquanto indivíduo e no respeito da dignidade e decência humanas. Apesar de considerar o cosmopolitismo vazio de lealdade e de ideias...

O liberalismo abrangente de Ronald Dworkin; Ronald Dworkin's comprehensive liberalism

Furquim, Lilian de Toni
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.22%
O presente trabalho discute o liberalismo abrangente de Ronald Dworkin, como alternativa ao liberalismo político de John Rawls. Dworkin interpreta o liberalismo como uma teoria contínua entre ética e moralidade, ou seja, sem uma separação entre as doutrinas abrangentes e nossas concepções políticas para justificação dos fundamentos constitucionais, respeitando o pluralismo razoável presente na sociedade democrática. O liberalismo abrangente se apresenta como uma teoria liberal na qual a liberdade, a igualdade e a comunidade fazem parte de um único ideal político.; The present study discusses Ronald Dworkins comprehensive liberalism as an alternative to John Rawlspolitical liberalism. Dworkin construes liberalism as a continuous theory between ethics and morality, that is, without a separation between comprehensive doctrines and our political conceptions so as to justify constitutional grounds, thus respecting the reasonable pluralism existing in democratic society. Comprehensive liberalism presents itself as a liberal theory in which freedom, equality and community merge into a single political ideal.

Liberalismo político: uma defesa; Political liberalism: arguing for

Petroni, Lucas Cardoso
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
O objetivo deste trabalho é apresentar argumentos a favor de uma concepção igualitária de liberalismo político. Em primeiro lugar, apresenta-se uma classificação dos diferentes tipos de liberalismos políticos contemporâneos: (i) liberalismo do medo, (ii) liberalismo antifundacionista, (iii) liberalismo ético e (iv) liberalismo igualitário. A partir dos princípios de tolerância desenvolvidos em cada um deles, procura-se defender um ideal de razão pública como o melhor critério de justificação para regular o uso da coerção política entre cidadãos livres e iguais.; The work has two main goals. It attempts to provide arguments for the egalitarian branch of political liberalism. At first place, it is presented four types of possible political liberalisms: (i) the liberalism of fear, (ii) antifoundationalist liberalism, (iii) ethical liberalism and (iv) egalitarian liberalism. Departing from reasons for toleration offered by each of them, it argues that an ideal of public reason is the best way to conceive the use of political coercion on free and equal citizens.

Contra o liberalismo, a favor da democracia: a concepção política da igreja católica em meados do século XX

Cardoso, Elza Silva
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 132 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Pós-graduação em História - FCHS; A Igreja Católica se posicionou contra o liberalismo desde seu surgimento no século XVIII. Ao longo do século XIX travou uma luta sem tréguas contra a ideologia liberalista. Os papas do século XIX condenaram o liberalismo de forma aberta e direta. A condenação recaiu sobre as mais diversificadas áreas de influencia liberal, com destaque para o laicismo e a democracia. Já no inicio do século XX o ocidente se encontrava na eminência de uma crise e toda a euforia anterior passou a ser superficial e ilusória. O primeiro resultado da crise foi a eclosão da Primeira Guerra Mundial (1914 a 1918). Com o findar da guerra diversas nações européias estavam enfraquecidas e destruídas. Outras humilhadas, traídas, culpadas. Esse clima de instabilidade política, social e econômica possibilitou a ascensão de governos totalitários e autoritários, tanto de direita com de esquerda em alguns países europeus. Os governos totalitários de direta se mantiveram no poder até o findar da Segunda Guerra Mundial e os de esquerda até a década de noventa do século XX. Em ambos houve perseguição, de forma declarada ou não, a Igreja e ao clero. Diante desse contexto de discórdia e desentendimento...

O liberalismo em Dworkin

Cardoso, Ana Marcia Nunes
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Jurídicas. Programa de Pós-Graduação em Direito.; Esta dissertação busca analisar a versão de liberalismo proposto por Ronald Dworkin, denominado Liberalismo Igualitário, fundado na concepção da integração e na ética igualitária, assim, estabelecendo uma releitura dos princípios liberais, tendo em vista que elege a igualdade como núcleo. Para tanto, o autor rechaça as correntes utilitaristas e positivistas, sustentando o direito como interpretação e integração. Desenvolve sua teoria por meio da interdisciplinaridade, pois o exame do autor vai além de uma teoria do direito, almeja constituir uma concepção de comunidade política inovadora, sendo que seu pensamento é estruturado pela correlação entre o modelo judicial e o modelo político.A nova visão em relação aos princípios liberais se afasta das concepções clássicas do liberalismo que elege o indivíduo como o único núcleo, pois Dworkin ressalta o papel da comunidade, principalmente como ponto primordial para a constituição das identidades dos sujeitos. Desta forma, para esclarecer a importância de uma vida comunal política e seus limites, a teoria do autor se delineia por um processo dinâmico de auto-reconhecimento dos cidadãos e da composição de objetivos comuns...

Uma defesa da razão pública no liberalismo político de John Rawls

Diana, Andrea Regina da Silva
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.22%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Humanidades, Departamento de Filosofia, Programa de Pós-Gradução, 2006.; O presente trabalho é uma análise sobre a justificação pública defendida por John Rawls na teoria do Liberalismo Político. Para o escopo desta pesquisa, justificar é apresentar razões. Estas devem garantir a validade e a legitimidade do está sendo justificado. Dessa forma, a justificação pública relaciona-se com solução razoável dos conflitos. Serve para o convencimento da razoabilidade dos princípios sobre os quais as pretensões e juízos estão fundados. Para Gerald Gaus e a teoria do Liberalismo justificatório, o Liberalismo Político falha na defesa da justificação pública por não considerar uma teoria da epistemologia da justificação. A crítica engloba análise das crenças e a relação destas com os indivíduos que convivem em sociedade. Gaus evidencia problemas profundos e sérios na teoria rawlsiana, tais como: assimetria na consideração dos valores (justiça e bem) que servem de base para justificação; alcançabilidade da justificação pública e direito de cidadãos que não compartilham a idéia de justificação pública. Utilizando argumentos de Jonathan Quong...

Liberalismo político, constitucionalismo e democracia : a questão do ensino religioso nas escolas públicas

Almeida, Fábio Portela Lopes de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Direito, 2006.; A presente dissertação tem por objetivo discutir, tendo por marco teórico o liberalismo político de John Rawls, a interpretação do art. 210, § 1º, da Constituição Federal de 1988, que estabelece o ensino religioso nas escolas públicas, tendo por objeto de estudo a constitucionalidade da Lei Estadual n. 3.459/2000, do Rio de Janeiro. Para cumprir esse objetivo, o primeiro capítulo tem por objetivo discutir o direito à liberdade religiosa, cujos delineamentos são traçados a partir de uma leitura reconstrutiva de elementos da história constitucional brasileira a respeito do tema, fundada na busca pelo equilíbrio reflexivo entre o liberalismo político rawlsiano e essa história institucional. Esse capítulo é importante porque a discussão a respeito do ensino religioso deve levar em consideração a própria liberdade religiosa e o modo pelo qual as instituições brasileiras têm lidado com esse direito. O segundo capítulo discute os pressupostos normativos da educação pública, também a partir do liberalismo político, de forma a mostrar que o objetivo das instituições de ensino numa democracia constitucional é formar cidadãos capazes de exercer os seus direitos e de participar na vida pública. O terceiro capítulo tem por propósito desafiar...

Liberalismo e os preceitos da ética cosmopolita em Isaiah Berlin

Silva, Elisabete do Rosário Mendes, 1974-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
Tese de doutoramento, Estudos de Literatura e Cultura (Estudos Ingleses), Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, 2012; Isaiah Berlin, considerado um dos grandes nomes da História das Ideias do séc. XX, destacou-se entre os seus pares pela teoria dos dois conceitos da liberdade – a liberdade positiva e a liberdade negativa – e pelas ideias inovadoras do seu pluralismo de valores que veio conferir novo fôlego ao liberalismo. O liberalismo de Berlin questionou alguns preceitos liberais como a universalidade de valores que considerou incomensuráveis e incompatíveis. No presente estudo pretendemos contextualizar Berlin no espaço e no tempo de modo a analisar e compreender a relevância do seu liberalismo e pluralismo de valores. Reflectiremos e analisaremos como os acontecimentos do seu tempo o influenciaram na escrita e na vida. Além disso, destacaremos a influência das três culturas – a judia, a russa e a inglesa – que o marcaram determinantemente na forma de ver e de se relacionar com o mundo. Um dos desafios deste estudo consiste em mostrar que Isaiah Berlin, para além de se assumir como um pluralista, liberal e humanista, se guiou igualmente por valores morais cosmopolitas no sentido em que acreditava no valor do ser humano enquanto indivíduo e no respeito da dignidade e decência humanas. Apesar de considerar o cosmopolitismo vazio de lealdade e de ideias...

Liberalismo / conservadorismo sexual: proposta de uma medida multi-fatorial

Guerra,Valeschka M.; Gouveia,Valdiney V.
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.22%
Este estudo objetiva apresentar uma medida multi-fatorial de liberalismo / conservadorismo sexual. Partiu-se do Questionário de Atitudes Sexuais, sendo acrescentados novos itens. Para tanto, foram realizados dois estudos. No primeiro, os participantes responderam o Questionário de Atitudes Sexuais, dividido em duas sub-escalas (Self e Other), e questões demográficas. Os resultados das análises fatoriais exploratórias evidenciaram um fator geral de liberalismo / conservadorismo sexual. No segundo estudo os participantes responderam o Questionário de Liberalismo / Conservadorismo Sexual (QLCS), a Escala de Conservadorismo Moral, a Escala de Tradicionalismo Moral e questões demográficas. Mediante uma análise fatorial confirmatória, comprovou-se a estrutura multi-fatorial do QLCS, que revelou índices aceitáveis de bondade de ajuste. Os Alfas de Cronbach encontrados para os fatores de segunda ordem foram 0,88 (Self) e 0,90 (Other). Todos os fatores do liberalismo se correlacionaram entre si e com as escalas de conservadorismo e tradicionalismo moral, comprovando a validade convergente do instrumento psicométrico, que se mostrou adequado para utilização no contexto brasileiro.

Liberalismo e feminismo: igualdade de gênero em Carole Pateman e Martha Nussbaum

Cyfer,Ingrid
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.22%
O artigo discute a relação entre liberalismo e feminismo a partir de duas autoras feministas, Carole Pateman e Martha Nussbaum. Trata-se de uma questão importante para o feminismo, para o qual são fundamentais problemas associados às dicotomias público-privado e cultura-natureza - herdadas do liberalismo. Nesse sentido, discutimos as posições de Carole Pateman e Martha Nussbaum referentes a esses problemas. A escolha das autoras deveu-se ao fato de que ambas compartilham muitas premissas e conclusões, e por suas divergências situarem-se principalmente ao redor de problemas em que o feminismo é acrescentado ao liberalismo político. Assim sendo, fazer uma discussão entre as suas posições minimiza o risco de que a análise do debate não vá muito além das críticas que diversas teorias dirigem ao liberalismo, podendo funcionar, enfim, como uma boa porta de entrada para alguns dos pontos mais controversos da teoria feminista contemporânea. Nussbaum e Pateman parecem coincidir a respeito da concepção de igualdade de gênero. A crítica que ambas dirigem à relação entre natureza e cultura e ao formalismo da igualdade abstrata torna evidente que nenhuma delas pretende atribuir o poder ou a opressão da mulher a desígnios da natureza. Em ambas está muito claro que o que consideram relevante na organização de uma sociedade justa quanto ao gênero é a forma como uma sociedade valora as diferenças biológicas...

Liberalismo igualitário e ação afirmativa: da teoria moral à política pública

Feres Júnior,João; Campos,Luiz Augusto
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.22%
O presente artigo examina a hipótese de que a teoria política e moral do liberalismo igualitário serve de justificação para políticas de ação afirmativa de recorte étnico-racial, hipótese essa que tem sido assumida como verdadeira por acadêmicos e importantes operadores do direito em nosso país. Buscamos estabelecer como autores fundamentais do liberalismo igualitário, como John Rawls, Ronald Dworkin, Thomas Nagel e Robert Taylor, trataram a questão das políticas de discriminação positiva. O método usado é a interpretação textual, tomando cuidado de trabalhar o mais próximo possível da linguagem e dos conceitos nos próprios textos dos autores e cobrindo a evolução do tema na obra de cada um, particularmente na de Rawls. Pretendemos mostrar que há uma gradação de opiniões em relação à questão, que vai da defesa à rejeição de tais políticas, passando por posições intermediárias que justificam algumas modalidades de ação afirmativa, mas não outras. Portanto, não há uma relação unívoca entre a teoria política e moral do liberalismo igualitário e a justificação de políticas de ação afirmativa de recorte étnico-racial, a despeito do senso comum e do fato de teóricos do liberalismo igualitário e defensores da ação afirmativa partilharem o mesmo lugar no espectro político das democracias liberais.

A relação histórica entre democracia e liberalismo. Um diálogo crítico com Norberto Bobbio.

Scavo, Davide Giacobbo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
This work seeks to examine the historical relationships established between liberalism and democracy, questioning the apparent inseparability between the two ideologies. Methodologically construct a hypothetical dialogue with the Italian thinker Norberto Bobbio, one of the most important systematizers of liberal democracy, defending a theoretical and conceptual complementarity between the two ideologies. Following the Bobbio theoretical propose, it presents the political contributions of classical liberalism that the Italian thinker identify as logical and axiological antecedent of the modern democracy, naturalizing and universalizing the principles and ideals of classical liberalism. Going counter, it problematizes the political contributions of classical liberalism, emphasizing the tension between liberal theory and its practice, between the declared political principles and their translation into concrete historical reality, reserving rights and freedoms to property minority and severe restrictions to the majority. The critical analysis of classical liberalism allows questioning the privilege position that Bobbio reserves to the liberalism in the democracy history, to restore the important contribution of illiberal politics currents in the civil...

Liberalismo, política y constitución en la España contemporánea (una mirada desde la historia constitucional); Liberalism, politics, and constitution in moderm Spain (an overview from the constitutional history)

Suárez Cortina, Manuel
Fonte: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales Publicador: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; publishedVersion
SPA
Relevância na Pesquisa
37.27%
Resumen: Este artículo es un ensayo bibliográfico sobre dos libros recientes en torno a la historia constitucional española. En su trabajo Joaquín Varela analiza las relaciones entre las ideas constitucionales y la cultura política liberal en la España contemporánea. Desde el iusnaturalismo escolástico —Martínez Marina—, el liberalismo revolucionario —Argüelles, Flórez Estrada—, el liberalismo postrevolucionario —Balmes, Pacheco, Donoso— o más tarde el liberalismo democrático, el desarrollo de una historia constitucional fue extremadamente complejo. Bajo la influencia del iusnaturalismo escolástico, el historicismo nacionalista y el pensamiento krausista, la llegada del positivismo jurídico a la cultura política española fue débil, como ponen de manifiesto las ideas jurídicas de Adolfo Posada. Este ensayo permite al autor recorrer las líneas maestras que han dominado la historiografía reciente sobre el liberalismo español, al tiempo que diseña la construcción de una Historia Constitucional como disciplina académica.; Abstract: This article is an essay review on two recent books about Spanish Constitutional History. At his work Joaquín Varela analyses the relationship between constitutional ideas and the liberal political culture in the Modern Spanish From the scholastic iusnaturalism —Martínez Marina— to the revolucionary liberalism —Argüelles...

El liberalismo conservador español del siglo XIX: la forja de una identidad política, 1810-1840

Gómez Ochoa, Fidel
Fonte: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales Publicador: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; publishedVersion
SPA
Relevância na Pesquisa
37.22%
Resumen: En este artículo se recorre la parte inicial de la trayectoria del liberalismo conservador español al entenderse que fue en esa fase no sólo cuando tomó forma al hilo de la división que se produjo en el seno del liberalismo postrevolucionario, sino también cuando se forjaron los rasgos básicos del carácter que le distinguió. Su emergencia como partido político y la formulación de su ideología distintiva tuvieron lugar en los decisivos años de 1835 a 1840, coyuntura conflictiva en la que adoptó un sistema doctrinal y una personalidad inspiradas por el propósito de hacer frente a la supuesta amenaza de revolución vivida a su juicio como consecuencia de las iniciativas tomadas por los progresistas para dirigir el proceso de implantación del liberalismo. De ello resultó que, a instancias de una preocupación primordial por el orden, hiciera suya una concepción autoritaria y timorata del liberalismo que, no obstante la actualización ideológica conocida en etapas posteriores y su compatibilidad con diversas formas de entender y practicar el conservadurismo, se mantendría en lo esencial hasta las décadas finales del siglo XIX.; Abstract: This article covers the early years of Spanish conservative liberalism. It examines a period when post-revolutionary liberalism split in two and also when conservative liberalism formed its core distinguishing features. Its emergence as a political party and the formation of a distinctive ideology took place over the key stage from 1835 to 1840...

Liberalismo, neoliberalismo e educação : Roque Spencer Maciel de Barros, um ideologo da burguesia brasileira

Paulino Jose Orso
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.35%
Esta Tese trata do liberalismo, do neoliberalismo e da educação em Roque Spencer Maciel de Barros. Procura analisar seu pensamento e sua obra, explicitar suas contradições e demonstrar que o liberalismo é a ideologia justificadora da sociedade burguesa, neste caso da burguesia brasileira. Na primeira parte apresentamos a trajetória intelectual do autor: sua formação e a construção de sua imagem de mundo e de homem. Na segunda tratamos do liberalismo. Abordamos como compreende a história do liberalismo, a relação com o "totalitarismo", a justificação e legitimação do liberalismo, as condições de possibilidade de uma vida ética e o liberalismo atual, o chamado "neoliberalismo". Na terceira tratamos da educação. Analisamos as razões do surgimento tardio da primeira universidade brasileira - a Universidade de São Paulo -, a criação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras e os motivos e os fins para os quais foram criadas; tratamos do surgimento da Faculdade de Educação e como o autor compreendia a relação entre a História, a Filosofia e a Educação. Após isto, analisamos a Campanha em Defesa da Escola Pública ocorrida no final dos anos 50, a Reestruturação da USP, a Reforma Universitária e como e porque foram realizadas. Como se trata de uma análise de larga duração...

A relação entre a constituição do liberalismo político e as desigualdades sociais e econômicas em John Rawls : a questão do direito a um mínimo social e do princípio da diferença como direitos constitucionais

Andrade, Igor Ascarelli Castro de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Direito, Programa de Pós-Graduação em Direito, 2015.; Trata-se de tese de doutorado em direito, estado e constituição. Faz uma relação entre filosofia e direito constitucional. Tem como objetivo geral estudar como uma constituição se relaciona com normas relevantes que estruturam a divisão dos ônus e dos bônus da cooperação social no pensamento de John Rawls. Tem como objetivos específicos: apresentar a teoria da justiça como equidade; descrever a constituição da justiça como equidade; analisar a constituição do liberalismo político; apresentar o princípio da diferença e analisar o direito a um mínimo social como um direito inerente à constituição. O problema consiste em saber por que o princípio da diferença não é uma parte integrante dos elementos constitucionais essenciais do liberalismo político descrito por Rawls ao passo que o direito a um mínimo social é parte integrante desses elementos. A hipótese é a de que o princípio da diferença e o direito a um mínimo social possam ser considerados como elementos constitucionais essenciais do liberalismo político descrito por Rawls. Essa hipótese parece não ter sido suficientemente testada até o momento e as justificativas que a sustentam também parecem não serem suficientemente claras diante do contexto mais amplo das obras do autor. Emprega como técnica de pesquisa a documentação indireta...

Multiculturalismo y consenso: una aproximación desde el liberalismo político de John Rawls

Camargo Díaz, Antonio Miguel
Fonte: Facultad de Ciencia Política y Gobierno Publicador: Facultad de Ciencia Política y Gobierno
Tipo: info:eu-repo/semantics/masterThesis; info:eu-repo/semantics/acceptedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2013 SPA; SPA
Relevância na Pesquisa
37.22%
La presente tesis gravita en torno a la siguiente pregunta: ¿cómo puede ser el liberalismo político una alternativa frente a los desafíos del multiculturalismo? La respuesta se presenta a partir de tres capítulos: en el primero se especifica la estructura y contenido del liberalismo político; en el segundo se caracterizan los desafíos del multiculturalismo en Francia, a partir del asunto del velo islámico y las consideraciones de los actores involucrados; en el tercero se analizan los argumentos y opiniones sobre el asunto del velo en Francia, con base en las categorías específicas del liberalismo político, especialmente el consenso traslapado. Se concluye que las posibilidades de consenso dependen del apego que tengan los ciudadanos hacia ciertos valores propios de una concepción política de la justicia, de la capacidad para apartarse de su forma particular de ver el mundo (doctrina comprensiva) en las discusiones públicas, así como de la voluntad que tengan los individuos para ser razonables y respetar las directivas de indagación en las discusiones políticas.; This thesis revolves around the following question: how can be the political liberalism an alternative to the challenges of multiculturalism? The answer comes from three chapters: the first...

Liberalismo igualitário e ação afirmativa: da teoria moral à política pública

Feres Jr., João; Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (IESP-UERJ); Campos, Luiz Augusto; Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.22%
O presente artigo examina a hipótese de que a teoria política e moral do liberalismo igualitário serve de justificação para políticas de ação afirmativa de recorte étnico-racial, hipótese essa que tem sido assumida como verdadeira por acadêmicos e importantes operadores do direito em nosso país. Buscamos estabelecer como autores fundamentais do liberalismo igualitário, como John Rawls, Ronald Dworkin, Thomas Nagel e Robert Taylor, trataram a questão das políticas de discriminação positiva. O método usado é a interpretação textual, tomando cuidado de trabalhar o mais próximo possível da linguagem e dos conceitos nos próprios textos dos autores e cobrindo a evolução do tema na obra de cada um, particularmente na de Rawls. Pretendemos mostrar que há uma gradação de opiniões em relação à questão, que vai da defesa à rejeição de tais políticas, passando por posições intermediárias que justificam algumas modalidades de ação afirmativa, mas não outras. Portanto, não há uma relação unívoca entre a teoria política e moral do liberalismo igualitário e a justificação de políticas de ação afirmativa de recorte étnico-racial, a despeito do senso comum e do fato de teóricos do liberalismo igualitário e defensores da ação afirmativa partilharem o mesmo lugar no espectro político das democracias liberais.

LA CRÍTICA DE TAYLOR AL LIBERALISMO PROCEDIMENTAL Y A LA RACIONALIDAD PRÁCTICA MODERNA

CUCHUMBÉ H,NELSON JAIR
Fonte: Ideas y Valores Publicador: Ideas y Valores
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 ES
Relevância na Pesquisa
37.35%
En el presente artículo se estudia la crítica que Charles Taylor ha formulado al modelo del liberalismo procedimental y a la concepción de racionalidad práctica moderna. El punto de partida es que la crítica de Taylor se sustenta en los aportes de la tradición filosófica sustantiva, la cual posibilita un proyecto de liberalismo alternativo distinto del liberalismo procedimental. Para demostrar este punto de vista, en primer lugar, se presenta el planteamiento de Taylor respecto a la discusión entre liberalismo procedimental y liberalismo alternativo. En segundo lugar, se expone la concepción de racionalidad práctica sugerida por Taylor en su intento de justificación del liberalismo alternativo. Para concluir se afirma que la concepción de racionalidad práctica de Taylor pone en cuestión la visión de mundo instrumental que justifica la prioridad del individuo y sus derechos sobre la sociedad.

Límites y horizontes del liberalismo: Una reflexión en torno a las ideas políticas de María Zambrano

Velázquez Delgado,Jorge
Fonte: Colegio de Humanidades y Ciencias Sociales, Universidad Autónoma de la Ciudad de México Publicador: Colegio de Humanidades y Ciencias Sociales, Universidad Autónoma de la Ciudad de México
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 ES
Relevância na Pesquisa
37.22%
La filosofía política de María Zambrano se define como una filosofía crítica de la Modernidad. Concretamente, como una reflexión filosófica en torno a la posibilidad que históricamente inclina a los hombres a realizar el viejo sueño de llegar a ser personas. Por esto, para Zambrano la metamorfosis del individuo en persona se acepta como el inquebrantable anhelo humano que al responder a un hondo enrraizamiento histórico que llega hasta san Agustín, perdura en nuestra Modernidad adquiriendo nuevas dimensiones con el liberalismo y la democracia. Para María Zambrano el liberalismo es la filosofía política por excelencia de la Modernidad. Sin embargo, en clara referencia a la experiencia histórica de la lucha de clases del siglo XIX, el liberalismo de principios del siglo XX deja de ser visto como el movimiento oscilante de la historia. Lo que Zambrano reconoce es la profunda y radical crisis del liberalismo. La misma crisis que hasta la fecha lo tiene postrado bajo una situación de indefinición e indeterminación. Su filosofía política es, de esta manera, un interesante intento por redefinirlo y redimensionarlo sin renunciar jamás a la identidad que expresa esta filosofía con la tradición filosófico-cultural que se desprende de toda la compleja problemática cultural española. Se quiere así contribuir -con la ayuda de la razón histórica y desde la razón poética-...