Página 1 dos resultados de 1134 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Fatal intimate partner violence against women in Portugal: a forensic medicine national study; Violência fatal contra mulheres nas relações de intimidade: análise médico-legal nacional em Portugal

Pereira, Ana Rita Lopes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
ENG
Relevância na Pesquisa
37.38%
Violence against women is a widely spread phenomenon that still persists in actual societies, being currently recognized as a violation of human rights. Most of the times, it occurs within the family (domestic violence) and more specifically, within abusive intimate relationships - intimate partner violence (IPV). Considered as a priority in the political and national setting, many policies have been defined to prevent IPV. IPV is an important cause of women´s health problems, being the most extreme one the victim’s homicide. The role of forensic pathology in these cases is crucial, constituting a priority in scientific research. Accordingly, the main objective of this study was to contribute to a better knowledge on fatal IPV in Portugal, concerning a forensic medicine perspective. This first national retrospective autopsy-based and judicial-proved study was based in fatal cases of women due to IPV-related homicide perpetrated by intimate partners and was conducted, based in the statistics of the National Institute of Legal Medicine (which covers 83.4% of the total Portuguese population), between 2005-2007. The main findings of this study were: 1. At least 62 women were killed by current or former men-intimate partners, corresponding to an IPV-related female mortality rate of 0.44 per 100.000 women aged 15 years old or older; 2. Fatal IPV constitutes an important part of forensic autopsies’ case load (13%)...

Exercício do direito à intimidade no ambiente de trabalho: limites ao poder diretivo do empregador; Exercising the right to intimacy in the working environment: limits to the employers directive power

Avila, Priscilla de Oliveira Pinto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
O presente trabalho é dedicado ao estudo do direito à intimidade do empregado e busca definir o papel do empregador diante de conflitos entre esse direito e outros direitos fundamentais no ambiente de trabalho. No primeiro capítulo examina-se o poder diretivo, dando-se ênfase à sua natureza jurídica, ao seu fundamento jurídico e aos limites que lhe são impostos, a fim de delimitar o âmbito de atuação legitimamente reconhecido ao empregador. No segundo capítulo analisa-se a teoria geral dos direitos da personalidade, a fim de compreender as características gerais aplicáveis ao direito à intimidade. O terceiro capítulo é dedicado exclusivamente ao estudo do direito à intimidade: sua origem, evolução histórica, conceito, alcance, características específicas, limitações e regime jurídico. No quarto capítulo o direito à intimidade é examinado enquanto direito fundamental. Nesse capítulo também é estudada a eficácia horizontal dos direitos fundamentais, a fim de compreender de que forma eles devem ser observados nas relações de trabalho. São apresentadas, ainda, duas propostas de solução para a colisão entre esses direitos: a de José Joaquim Gomes Canotilho e a de Virgílio Afonso da Silva. Por fim...

Decifrar os sinais da intimidade: leituras de Al Berto; Deciphering the signs of intimacy: readings of Al Berto

Sasaki, Leonardo de Barros
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
A obra de Al Berto insere-se em quadro estético no qual se recupera uma dicção mais afetiva e sentimental, se cultiva uma tônica no contato com a realidade mais imediata e se estreita (e também se embaralha) os vínculos entre vida e arte. Para melhor delinear esse contexto, evocam-se alguns conceitos teóricos tais como os de autenticidade, de poesia sentimental e ingênua ou ainda o de coincidência ou não ente poema e poesia. Uma das questões de fundo fulcrais e aglutinadoras das características supracitadas é a intimidade ou, melhor, uma escrita da intimidade, que é atravessada pelas tensões e impasses do espaço biográfico contemporâneo. Como estratégia analítica, organiza-se a dissertação a partir dos dois movimentos constituintes da sondagem íntima: a objetivação do sujeito e a subjetivação dos objetos. Assim sendo, busca-se, primeiramente, discutir a noção de narcisismo poético e explicitar o processo de constituição daquilo que o poeta denominou de texto-corpo e suas figurações: pequeno demiurgo, o centro sísmico do mundo, monge noctívago e o último habitante. Especificamente neste momento do trabalho, conceitos como os de trauma e abjeto auxiliam na leitura dos poemas. Na sequência, investiga-se a relação do sujeito poético...

A inscrição da intimidade na Symphonie pour un homme seul

Fenerich, Alexandre Sperandéo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/04/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
Este trabalho tem o objetivo de marcar uma viés de recepção sugerido por uma das obras mais representativas da musique concrète: a Symphonie pour un Homme Seul. Propõe delimitar, através da abordagem especificamente desta obra, a poética do uso da voz e dos sons corporais nesta prática musical que sofreu uma influência direta da criação dramática radiofônica por via do desvio do ambiente de criação do rádio para a música, efetuado por seu criador, Pierre Schaeffer. O viés da recepção levantado na obra e destacado pela pesquisa consiste em uma Escuta da Intimidade, conceito que se refere a um vetor de identificação na escuta trazido por via de traços sonoros deixados pelas manifestações do corpo e inscritos na obra. Este vetor pode se dar, seja por uma noção imaginária de proximidade entre a emissão virtual dos sons e o lugar da escuta, seja pela sugestão de uma intencionalidade no ouvinte que toma por seus os sons escutados, como se os tivesse emitido. Estes traços da intimidade são trazidos pela influência da poética radiofônica e são inscritos de forma contínua no seu suporte - a gravação sonora. A partir da análise das estratégias composicionais de um dos movimentos da obra, Erotica, e da comparação de seu original com uma versão realizada em performance...

O direito à intimidade do empregado e o poder de comando do empregador

Folletto, Mara Isabel Guimarães
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
O ambiente de trabalho vem se modificando em virtude do desenvolvimento tecnológico, com a disponibilidade de ferramentas inovadoras, tal como o correio eletrônico e a internet, evidenciando-se o surgimento de novos conflitos entre empregados e empregadores. O presente estudo pretende analisar a incidência do direito à intimidade do indivíduo nas relações de trabalho em contraposição ao poder de comando do empregador, trazendo à discussão os limites desse poder, bem como as conseqüências quando ocorre abuso do mesmo e a dificuldade para reparação do possível dano. Embora haja dispositivos legais que garantam a inviolabilidade da intimidade e da vida privada do indivíduo, a propriedade e o sigilo da correspondência, não há regulamentação específica, quanto à garantia da intimidade, tão-somente a previsão de indenização por danos morais e materiais advindos de sua violação. Em conseqüência, tanto a doutrina quanto a jurisprudência têm divergido, relativamente à licitude do monitoramento do correio eletrônico para efeitos de dispensa do empregado por justa causa. Entendem alguns que o correio eletrônico é privativo do empregado, mesmo sendo disponibilizado pela empresa; outros, que pode ser equiparado à correspondência tradicional e...

Análise da relação entre intimidade e compartilhamento de conhecimento em grupos nos processos de desenvolvimento organizacional

Rabelo, Ricardo Alves
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 193 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Florianópolis, 2013; A introdução da Gestão do Conhecimento no ambiente organizacional tem sido responsável por transformações nos processos, relações e resultados das organizações. Essas transformações têm como base o fato de que o conhecimento, quando compartilhado, aumenta e sustenta o novo paradigma construído. Entretanto o processo de compartilhamento tem uma série de nuances que devem ser exploradas. O objetivo do presente trabalho é explorar uma destas nuances, a intimidade, a fim de verificar como o compartilhamento do conhecimento se relaciona com o desenvolvimento da intimidade de um grupo. A metodologia adotada foi, a partir da identificação de constructos que poderiam suportar as variáveis de estudo, analisar a evolução dos mesmos em um processo de desenvolvimento organizacional em uma organização prestadora de serviços por quatro anos, durante os quais seus líderes são submetidos a diversas práticas de Gestão de Conhecimento. Os resultados obtidos demonstraram que quanto maior a intimidade, melhor é o aproveitamento das práticas de Gestão do Conhecimento e que o desenvolvimento de intimidade gera mudanças de comportamento e de ambiente que fortalecem as razões para o compartilhamento de conhecimento...

Intimidades masculinas : representações da intimidade

Moreira, Sara Gabriela Martins
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Dissertação de mestrado em Sociologia (área de especialização em Políticas e Desenvolvimento Social); O objeto teórico desta investigação são as representações que os homens têm das múltiplas expressões da intimidade, desde o amor, à paixão, às emoções, ao compromisso e à sexualidade. Tendo em conta os objetivos da investigação, o objeto empírico foi constituído por onze indivíduos exclusivamente do sexo masculino. Procurámos entender a relação entre masculinidades e intimidade; identificar as formas como os homens se posicionam face ao compromisso amoroso; e, por fim, identificar as representações dos homens acerca da sexualidade e a sua relação com a sua identidade de género. A metodologia adotada possui um cariz eminentemente qualitativo. O método de investigação foi o estudo de casos, socorrendo-nos das técnicas de entrevista semidirectiva, que permitiu aprofundar um conjunto diversificado de questões sobre a masculinidade e fazer uma recolha das representações que os homens têm das relações íntimas, e do questionário, que permitiu fazer a caracterização sociodemográfica dos entrevistados. As representações que os homens têm da masculinidade refletem influências da masculinidade hegemónica e do patriarcado. Essas influências são percetíveis nas suas representações dos papéis sociais dos homens e das mulheres na sociedade ocidental. Com base nessas representações e nos dados do questionário sociodemográfico...

Variáveis preditoras do desenvolvimento das dimensões das competências relacionais na preservação da intimidade do utente

Zangão, Otília; Mendes, Felismina
Fonte: Universidade de Évora e Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias da Saúde Publicador: Universidade de Évora e Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
Introdução: A compreensão do papel da intimidade no cuidar é uma questão essencial para o estabelecimento das competências relacionais no processo de cuidar o utente, visto que este se centra no desenvolvimento de relações interpessoais. Na formação dos estudantes de Enfermagem, visa-se o desenvolvimento de competências, assentes na compreensão da dimensão ética dos cuidados de forma a “promover o desenvolvimento ético, com respeito pela autonomia das pessoas, pressupõe prudência, reflexão crítica, consciência de cidadania e de responsabilidade” (Bettencourt, 2008: 61). Sendo assim, o modelo de formação em enfermagem deve assentar num processo reflexivo que proporcione aos estudantes a aquisição de posturas e condutas que lhe permitam a aquisição de competências profissionais. Objetivo: Compreender quais as variáveis que são preditoras do desenvolvimento das dimensões das competências relacionais na preservação da intimidade do utente. Metodologia: Estudo descritivo – correlacional de abordagem quantitativa. A população acessível, foram os estudantes da licenciatura em enfermagem de uma Escola Superior de Enfermagem integrada numa Universidade (A) e de uma Escola Superior de Saúde integrada num Instituto Politécnico (B). A amostra foi constituída por todos os estudantes de enfermagem das referidas escolas a partir do ano em que iniciam o primeiro ensino clínico. Os instrumentos de recolha de dados foram um questionário de caracterização dos estudantes e do contexto clínico e um Inventário de Competências Relacionais de Ajuda (ICRA). Os dados foram analisados com recurso ao Software IBM® SPSS® Statistic (Statistical Package for Social Sciences) de onde se fez uma análise dedutiva. Resultados: As variáveis independentes que melhor predizem a variável dependente (Competências relacionais) são a Escola seguida do ano e do acompanhamento em ensino clínico. Após a utilização dos métodos de seleção de preditores (seleção de Forward...

Intimidades conjugais : das significações e percursos de intimidade à proximidade emocional

Santos, Cátia Vanessa da Costa
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2010; A intimidade é o conceito estrutural mais complexo das relações conjugais (Costa, 2005), pelo que a sua compreensão é vital para o conhecimento do casal, numa perspectiva de prevenção e melhoria das relações íntimas. Nesta investigação, pretendeu-se estudar as associações que se estabelecem entre três especificidades das relações íntimas, utilizando uma metodologia qualitativa: as significações de intimidade, o percurso de intimidade percebido e a proximidade emocional percebida. O estudo consistiu na realização de entrevistas conjuntas a dez casais, de entre os quais 50% viviam em união de facto e 50% eram casados. As entrevistas incluíam um bloco de tarefas individuais. Os dados foram analisados utilizando uma análise de conteúdo das entrevistas e uma metodologia de análise de casos conjunta. Os resultados não apontaram para associações entre significações de intimidade, percurso de intimidade percebido e proximidade emocional percebida. Ainda assim, verificaram-se duas associações ao nível da concordância dentro dos casais: a concordância no casal ao nível das significações parece estabelecer uma associação negativa com a concordância no percurso de intimidade percebido; a concordância no casal nas significações parece estar associada à concordância no nível de proximidade percebido.; Intimacy has been described as the most complex structural concept of marital relations...

A intimidade nos jovens adultos em contexto de relação amorosa : a influência do sexo e da idade

Oleiro, Joana Catarina Simões
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Sistémica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; A intimidade é um constructo complexo que tem vindo a ser estudado por vários autores a nível das relações amorosas. Inúmeras propostas de definição deste constructo têm surgido, o que deu origem a um «emaranhamento conceptual» que tem sido difícil de deslindar. Com este mapa actual como referência, propusemo-nos estudar a relação da variável dependente intimidade com as variáveis independentes, idade e sexo, constituindo um estudo exploratório de carácter misto (qualitativo e quantitativo), tendo como população-alvo jovens adultos portugueses no contexto de uma relação amorosa. Numa primeira fase, foram realizados três focus group com o objectivo de explorar significados acerca da intimidade, tendo por finalidade o posterior enriquecimento da análise dos resultados quantitativos. Posteriormente, foi aplicado o Personal Assessment of Intimacy in Relationships Scale (PAIR) a uma amostra recolhida na Grande Lisboa e Porto, de 303 jovens adultos no contexto de uma relação amorosa, com o objectivo de analisar a influência dos factores demográficos sexo e idade nesta variável. Para os dados qualitativos foi construída uma árvore de categorias...

A herança dos nossos pais : que relação entre as experiências vividas na infância com os pais e a vivência da intimidade nas relações amorosas? : estudo numa amostra de adolescentes e jovens adultos

Oliveira, Ana Rita Sousa
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; O principal objectivo deste estudo é averiguar a relação entre a representação do investimento parental (bonding) e o grau de intimidade que o adolescente/jovem adulto experimenta nas relações amorosas. Tendo como referencial teórico a teoria das relações de objecto e a teoria da vinculação, propõem-se quatro hipóteses: 1) quanto maior o investimento parental na criança ao nível do cuidado, maior será o grau de intimidade vivida mais tarde nas relações diádicas; 2) níveis mais elevados de investimento parental ao nível da protecção estarão relacionados negativamente com o grau de intimidade vivenciada nas relações amorosas; 3) a relação entre as variáveis ‘investimento parental’ e ‘grau de intimidade experimentado na relação diádica’ será mais significativa no que diz respeito ao investimento feito pela figura materna; 4) existirão diferenças no grau de intimidade experienciado na relação em função das variáveis idade, sexo, tipo de relação, tempo de relação e grau de satisfação com a relação. Participaram no estudo 113 pessoas com idades entre os 18 e os 29 anos. Todos os participantes estavam envolvidos numa relação amorosa no momento da participação no estudo. Foram aplicados dois instrumentos: a Escala de Bonding Parental e a Escala de Avaliação da Intimidade na Relação – PAIR...

Repertórios interpretativos sobre o amor e as relações de intimidade de mulheres vítimas de violência : Amar e ser amado violentamente?

Dias, Ana Rita Conde; Machado, Carla; Gonçalves, Rui Abrunhosa
Fonte: ISPA - Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: ISPA - Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
O presente estudo procura compreender como as mulheres vítimas de violência falam sobre o amor e as relações de intimidade e como experienciam e significam o fenómeno da violência sofrida. Explora-se também o recurso à violência por parte destas mulheres, em que contextos o fazem e como significam a violência perpetrada. O estudo envolve 12 mulheres vítimas de violência, de diferentes grupos etários e com diferentes trajectórias de vida, com as quais se conduziu uma entrevista individual acerca da história de amor da sua vida. Conclui-se que tanto os relatos de vitimação como os de perpetração se inscrevem em discursos socioculturais mais amplos sobre o amor e as relações de intimidade – que sustentam a vitimação sofrida no feminino e limitam a agressividade feminina. Concluímos que a violência feminina assume características idiossincráticas e tem implicações práticas diferentes, relacionadas com as desigualdades e assimetria de género, não havendo similaridade na violência entre homens e mulheres na intimidade. A agressividade feminina surge como estratégia para lidar com a adversidade, no sentido de conseguir algum controlo sobre a relação e o sentido de si próprias, revelando a capacidade de luta...

Um olhar sobre as relações amorosas : Satisfação conjugal, intimidade e satisfação sexual

Lopes, Bruna Sofia Nogueira
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA- Instituto Universitário; Este estudo tem como objectivo estudar a relação entre satisfação conjugal, intimidade e satisfação sexual; e verificar como estas variáveis se comportam em função do tipo de relacionamento (namoro, união de facto/casamento) e do sexo (masculino, feminino) dos sujeitos. Participaram neste estudo 193 sujeitos sem filhos, residentes no Distrito de Lisboa com idades compreendidas entre 20 e 51 anos, sendo que a maioria dos sujeitos tinha idades entre 20 e 30 anos. Em relação ao sexo dos participantes, 43.5% eram do sexo masculino e 56,5% eram do sexo feminino. Encontra-se em relação de namoro 52.8% dos participantes, em união de facto 24.4% dos participantes e em casamento 22.8% dos participantes. Este estudo utilizou uma metodologia quantitativa. O instrumento utilizado é composto por: Escala de Avaliação da Satisfação em Áreas da Vida Conjugal (EASAVIC), (Narciso & Costa, 1996); Escala de Avaliação Pessoal da Intimidade em Relacionamentos (PAIR), (Schaefer & Olson, 1981, versão Portuguesa: Moreira & Canavarro, 2007); e Índice de Satisfação Sexual (ISS), (Hudson, Harrison & Crosscup, 1981, versão Portuguesa: Pechorro, Diniz...

Repertórios interpretativos sobre o amor e as relações de intimidade de mulheres vítimas de violência: Amar e ser amado violentamente?

Dias, Ana Rita; Escola de Psicologia, Universidade do Minho; Machado, Carla; Escola de Psicologia, Universidade do Minho; Gonçalves, Rui Abrunhosa; Escola de Psicologia, Universidade do Minho; Manita, Celina; Faculdade de Psicologia e Ciências da Educa
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
O presente estudo procura compreender como as mulheres vítimas de violência falam sobre o amor e as relações de intimidade e como experienciam e significam o fenómeno da violência sofrida. Explora-se também o recurso à violência por parte destas mulheres, em que contextos o fazem e como significam a violência perpetrada. O estudo envolve 12 mulheres vítimas de violência, de diferentes grupos etários e com diferentes trajectórias de vida, com as quais se conduziu uma entrevista individual acerca da história de amor da sua vida. Conclui-se que tanto os relatos de vitimação como os de perpetração se inscrevem em discursos socioculturais mais amplos sobre o amor e as relações de intimidade – que sustentam a vitimação sofrida no feminino e limitam a agressividade feminina. Concluímos que a violência feminina assume características idiossincráticas e tem implicações práticas diferentes, relacionadas com as desigualdades e assimetria de género, não havendo similaridade na violência entre homens e mulheres na intimidade. A agressividade feminina surge como estratégia para lidar coma adversidade, no sentido de conseguir algum controlo sobre a relação e o sentido de si próprias, revelando a capacidade de luta...

Intimidade e saúde

Almeida,Lígia Maria Moreira Ferreira de; Caldas,José Manuel Peixoto
Fonte: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.38%
A intimidade é antecedida de processos ativos, transversais ao ciclo de vida. O vínculo afetivo estabelece-se primariamente na relação de vinculação mãe-bebê, e os padrões comportamentais e estilos de vinculação tendem a repercutir-se nas relações adultas. O objetivo exploratório desta investigação pretende apurar a transcrição física (consequências na saúde) de vivências insatisfatórias de intimidade. Sessenta universitários (30 do sexo feminino; 30 do sexo masculino), com idades entre 22 e 27 anos, envolvidos numa relação amorosa fixa (duração mínima: 6 meses) foram contactados para responder a uma bateria de instrumentos (variáveis de interesse: intimidade, identidade, autoconceito e vinculação). Um bom estado de saúde parece associar-se a valores elevados de interdependência e baixos valores de dependência na relação amorosa. Nestes jovens a intimidade baseada na dependência compromete 14% da saúde mental. O impacto de uma intimidade pouco saudável limita em quase 9% a saúde física de jovens adultos saudáveis.

A intimidade e a vida privada frente às novas tecnologias

Santos, Elaine dos
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.32%
O direito à intimidade e vida privada nasce como extensão do direito de propriedade, toma corpo como direito fundamental nas declarações de direitos que começaram a engendrar-se a partir do século XVIII e se estabelece como direito autônomo ao final do século XIX, tendo por marco o artigo The Right to Privacy, publicado por Warren e Brandeis na Harvard Law Review. No Brasil são incorporados ao rol de direitos e garantias fundamentais da Constituição de 1988. No entanto referidos direitos não são absolutos e tampouco ilimitados, encontrando limites protetivos na própria Constituição, como o direito à liberdade de informação e à segurança pública. A sociedade da informação caracteriza-se pelo uso massivo de novas tecnologias, pela desmaterialização de conceitos e pela velocidade de transformação, mudando a forma como o indivíduo se relaciona com diversas esferas de sua vida. Trouxe novas perspectivas de análise da intimidade e privacidade, uma vez que a informação passa a ser, em si, o principal ativo da sociedade. E com o crescente uso da tecnologia como ferramenta na prestação de serviços públicos, elevação da qualidade de vida dos indivíduos e desenvolvimento econômico, as informações decorrentes desses processos passaram a ser massivamente armazenadas...

Casamento, intimidade, suporte social e depressão na gravidez

Moreira, Líticia Cardoso
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 06/02/2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
A gravidez pode predispor a mulher ao stress e depressão, sendo o suporte social e a intimidade fatores protetores do desenvolvimento destas perturbações. Este estudo avaliou a relação entre o stress (vários stressores), o suporte social, a intimidade e a depressão, bem como os preditores da saúde mental e o impacto das variáveis sociodemográficas nas variáveis psicossociais, numa amostra constituída por 169 grávidas a frequentar as aulas de Preparação para o Parto no ACES Cávado III. Os resultados revelam que grávidas casadas apresentam maior suporte social e menor depressão comparativamente às não casadas, assim como grávidas com maior satisfação com a intimidade apresentam maior suporte social e saúde mental e grávidas com maior stress apresentam menor intimidade e suporte social. depressão é predita pelo stress (β=.431, p<.01) e suporte social (β=-.283, p<.01), com o modelo a explicar 36% da variância. Adicionalmente, grávidas crentes apresentam maior intimidade e menor depressão e stress, comparativamente às grávidas ateias. O stress financeiro exibe uma relação negativa com a intimidade e suporte social e positiva com a depressão. Em suma, com os resultados obtidos considera-se pertinente a criação de redes de apoio e intervenção no stress para a promoção da saúde mental das grávidas.; Pregnancy can predispose women to stress and depression...

Intimidad y salud; Intimidade e saúde; Intimacy and health; L'intimité et la santé

Almeida, Lígia Maria Moreira Ferreira de; Caldas, José Manuel Peixoto
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
A intimidade é antecedida de processos ativos, transversais ao ciclo de vida. O vínculo afetivo estabelece-se primariamente na relação de vinculação mãe-bebê, e os padrões comportamentais e estilos de vinculação tendem a repercutir-se nas relações adultas. O objetivo exploratório desta investigação pretende apurar a transcrição física (consequências na saúde) de vivências insatisfatórias de intimidade. Sessenta universitários (30 do sexo feminino; 30 do sexo masculino), com idades entre 22 e 27 anos, envolvidos numa relação amorosa fixa (duração mínima: 6 meses) foram contactados para responder a uma bateria de instrumentos (variáveis de interesse: intimidade, identidade, autoconceito e vinculação). Um bom estado de saúde parece associar-se a valores elevados de interdependência e baixos valores de dependência na relação amorosa. Nestes jovens a intimidade baseada na dependência compromete 14% da saúde mental. O impacto de uma intimidade pouco saudável limita em quase 9% a saúde física de jovens adultos saudáveis.; La intimidad es precedida por los procesos activos, a través del ciclo de vida. El vínculo afectivo se establece principalmente en la relación de apego madre-hijo, y patrones de comportamiento y estilos de los vínculos tienden a repercutir en las relaciones adultas. El propósito de esta investigación exploratoria es determinar la transcripción física (consecuencias para la salud) de la intimidad de experiencias insatisfactorias. Sesenta universitarios (30 mujeres...

DIREITO, INTIMIDADE E VIDA PRIVADA: UMA PERSPECTIVA HISTÓRICO-POLÍTICA PARA UMA DELIMITAÇÃO CONTEMPORÂNEA

Robl Filho, Ilton Norberto
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/download
Publicado em 22/07/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Apesar da intensa positivação do direito à intimidade e à vida privada nosordenamentos jurídicos nacionais e internacionais, inexiste um núcleo mínimoconsensual sobre as principais características deste direito. Essa ausência dedelimitação clara sobre o núcleo central desse direito dificulta a tutela dos valores edas condutas relacionadas à intimidade e à vida privada. Assim, a partir da premissa deque a comunidade política brasileira, por meio da Constituição, prevê a necessáriatutela da intimidade e da vida privada, crê-se na necessidade de analisar o surgimentoda intimidade na Idade Moderna e, por conseqüência, a alteração da vida privada para,então, começar uma análise das características centrais do direito à intimidade e à vidaprivada contemporaneamente.

O papel da intimidade conjugal na qualidade de vida da mulher com cancro da mama

Moreira,Helena; Silva,Sónia; Canavarro,Maria Cristina
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
Não obstante a multiplicidade de estudos realizados no âmbito da conjugalidade da mulher com cancro da mama, a investigação sobre a intimidade nestes casais encontra-se ainda pouco documentada. Este estudo pretende conhecer a relação entre a intimidade conjugal (nas dimensões: comunicação, validação pessoal e abertura ao exterior) e a qualidade de vida destas mulheres, em duas etapas distintas da doença. A amostra é constituída por 47 mulheres recentemente diagnosticadas com cancro da mama, 47 mulheres sobreviventes de cancro da mama e 47 mulheres saudáveis, da população geral. As mulheres com diagnóstico recente de cancro da mama apresentaram uma melhor qualidade de vida social e maior intimidade na relação conjugal na dimensão comunicação. No grupo de sobreviventes, a dimensão validação pessoal da intimidade foi um preditor significativo de melhor qualidade de vida psicológica, enquanto a dimensão abertura ao exterior mostrou-se um preditor significativo de uma melhor qualidade de vida social. De uma forma geral, uma relação conjugal íntima, pautada pela validação, compreensão e livre partilha de emoções, sentimentos e preocupações, bem como pela abertura do casal aos elementos exteriores, parece promover uma melhor qualidade de vida da mulher com cancro da mama.