Página 1 dos resultados de 137 itens digitais encontrados em 0.030 segundos

Instrumentos de avaliação para limitações funcionais associadas à instabilidade crônica de tornozelo: uma revisão sistemática da literatura; Assessment instruments for chronic ankle instability: a systematic review of literature

Suda, Eneida Yuri; Coelho, Ana Tereza
Fonte: Universidade de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.16%
A instabilidade de tornozelo é definida como a sua tendência para sofrer falseios e entorses de repetição após a ocorrência de entorse lateral. Como a presença de instabilidade é definida por meio das queixas relatadas pelo indivíduo, apresenta caráter subjetivo, sendo importante identificar o melhor instrumento de avaliação para a determinação de sua presença e/ou gravidade. O objetivo deste estudo foi revisar, de forma sistemática, instrumentos de avaliação concebidos para pacientes com instabilidade crônica de tornozelo. Foram realizadas pesquisas bibliográficas nas bases de dados PubMed, Embase, BVS, LILACS e SciELO para identificar os instrumentos elegíveis. No total, seis estudos foram incluídos e apresentaram cinco instrumentos diferentes - Foot and Ankle Disability Index (FADI), Ankle Joint Functional Assessment Tool (AJFAT), Foot and Ankle Ability Measure (FAAM), Ankle Joint Functional Assessment Tool (AII) e Cumberland Ankle Instability Tool (CAIT). Foram encontrados instrumentos com qualidade que detectam limitações funcionais em indivíduos com instabilidade crônica de tornozelo, não sendo instrumentos válidos para diagnóstico de instabilidade. O CAIT mostrou-se a ferramenta mais completa, mas não foi validada em uma população específica de indivíduos com condição de instabilidade do tornozelo. Observa-se a necessidade de mais estudos clinimétricamente válidos a fim de atestar a sua validade para se obter uma ferramenta eficaz e completa da instabilidade funcional do tornozelo.

Diadococinesia laríngea e qualidade vocal em idosos pós-acidente vascular encefálico

Beraldinelle, Roberta
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.24%
As seqüelas envolvidas nos acidentes vasculares encefálicos podem comprometer o funcionamento de diversos mecanismos, inclusive os responsáveis pela fala e voz. Desse modo, torna-se importante compreender a interface entre as manifestações vocais e o controle motor laríngeo em indivíduos idosos acometidos por acidente vascular encefálico (AVE). O objetivo deste estudo é correlacionar os resultados da diadococinesia laríngea com os aspectos perceptivo-auditivos das vozes idosos pós-acidente vascular encefálico. Participaram do estudo 29 idosos (15 homens e 14 mulheres) acometidos por AVE. Foi realizada a análise da Diadococinesia (DDC) laríngea, utilizando o programa Motor Speech Profile Advanced, da KayPentax. Também foi realizada a análise perceptivo-auditiva da voz, com base no Protocolo CAPE-V. Os resultados da DDC laríngea foram correlacionados com os resultados da análise perceptivo-auditiva da voz por meio dos Testes de Correlação de Pearson e de Spearman (p<0,05). Os resultados demonstraram haver correlação entre DDC laríngea e análise perceptivo-auditiva da voz quanto aos parâmetros de velocidade, instabilidade da duração da DDC, bem como instabilidade de intensidade. Desse modo, houve correlações entre: Grau Geral e velocidade da DDC (mP e mT) no grupo total e no grupo feminino; instabilidade da duração da DDC (dpP...

Avaliação termográfica comparativa da articulação do joelho íntegro e de cães submetidos a duas técnicas de osteotomia corretiva para estabilização articular após ruptura de ligamento cruzado cranial; Thermographic evaluation of the normal canine stifle and comparative study of Tibial tuberosity advancement and Tibial plateau leveling osteotomy techniques

Nina, Marcos Ishimoto Della
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.29%
A grande casuística relacionada à afecção ortopédica denominada ruptura do ligamento cruzado cranial na articulação fêmoro tíbio patelar canina tem gerado diversos estudos avaliando a biomecânica articular, fatores extrínsecos ao paciente e características metabólicas que poderiam influenciar na predisposição e no prognóstico dos pacientes acometidos por esta afecção. As dificuldades em identificar os diferentes níveis de instabilidade articular durante o diagnóstico e de estabilidade após o tratamento proposto, seja cirúrgico ou conservativo, provocou o desenvolvimento de diversas técnicas visando um melhor diagnóstico e estabilização articular pós operatória. Apesar da ampla variedade de técnicas cirúrgicas atualmente descritas para a insuficiência do ligamento cruzado cranial (LCC) em cães o tratamento ideal para esta freqüente condição ortopédica permanece indeterminado. Foram avaliados através da termografia infravermelha 30 pacientes caninos acima de 20 quilos sendo divididos em três grupos, o primeiro composto por dez animais hígidos onde foram analisados termograficamente os joelhos bilaterais a fim de padronizar valores térmicos de joelhos caninos normais, o segundo grupo composto por dez pacientes diagnosticados com instabilidade da articulação fêmoro tíbio patelar unilateral que foram submetidos a técnica cirúrgica de TTA para estabilização articular e o terceiro grupo composto por dez animais com diagnóstico de instabilidade da articulação fêmoro tíbio patelar unilateral que foram submetidos a técnica cirúrgica de TPLO para estabilização articular. Os grupos TTA e TPLO foram avaliados termograficamente em período pré operatório e nos momentos 30...

Avaliação tomográfica dinâmica pré e pós-reconstrução do ligamento patelofemoral medial de pacientes com instabilidade patelar recidivante; Dynamic computerized tomography for analyzing patients with patellar instability before and after medial patellofemoral ligament reconstruction

Gobbi, Riccardo Gomes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
56.36%
A instabilidade patelar é uma patologia comum dentro da especialidade da cirurgia do joelho. O principal fator estabilizador dessa articulação é o ligamento patelofemoral medial, sendo esta a principal estrutura a ser reconstruída no tratamento cirúrgico da instabilidade patelar. Apesar de sua reconstrução apresentar excelentes resultados clínicos, não se sabe ao certo o real efeito in vivo desse procedimento no movimento da patela ao redor do fêmur. A avaliação da articulação patelofemoral tradicionalmente é feita através de exames de imagem estáticos. Com a evolução dos aparelhos de tomografia computadorizada, se tornou possível realizar esse exame durante movimento ativo, técnica ainda pouco utilizada para estudo de articulações como o joelho. O objetivo deste estudo foi padronizar o uso da tomografia de 320 fileiras de detectores para estudo dinâmico da articulação patelofemoral em pacientes com instabilidade patelar recidivante pré e pós-reconstrução do ligamento patelofemoral medial, analisando o efeito da cirurgia no trajeto da patela ao longo do arco de movimento. Foram selecionados 10 pacientes com instabilidade patelar e indicação de reconstrução do ligamento patelofemoral medial isolada...

O controle dos movimentos voluntarios do ombro em nadadores com instabilidade glenoumeral

Marcio Jose dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/04/2001 PT
Relevância na Pesquisa
46.35%
A Síndrome do Impacto do Ombro (SIO) é freqüentemente observada em movimentos repetitivos do ombro acima de 60 graus durante a realização de atividades atléticas ou profissionais. Essa disfunção afeta uma grande número de atletas, em especial 80% dos nadadores profissionais. Nesta população a instabilidade glenohumeral quase sempre é apontada como causa primária da SIO. A proposta desta investigação foi analisar os possíveis déficits de controle motor em nadadores com Historia de Síndrome do Impacto do Ombro e Instabilidade glenoumeral, quando comparados aos nadadores normais, desta forma aprimorar as bases para um melhor diagnóstico e tratamento desta patologia. Métodos. Participaram deste experimento oito nadadores sem qualquer patologia ortopédica ou neurológica na articulação do ombro (NN) e oito nadadores com História de Síndrome do Impacto do Ombro e Instabilidade Glenoumeral (HSIO). Cada sujeito realizou cinco movimentos, bilateral e simultâneos, de elevação do ombro no plano escapular, "o mais rápido possível" para três diferentes distâncias (30°, 90°, and 150° ) Foram registradas o angulo, velocidade e aceleração dos movimentos da articulação do ombro, assim como as atividades eletromiográficas dos músculos glenoumerais (deltóide anterior...

Análise biomecânica da articulação intacta e implantada da base do polegar com modelo "in-vitro"

Caetano, Maria Inês Servo
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.16%
A articulação da base do polegar entre o primeiro metacarpo e o trapézio é a de maior importância na mão. É esta que torna o polegar no dedo opositor, oferecendo à mão toda a especialização característica do Homem. A articulação trapézio-metacárpica, sendo a mais requisitada, está sujeita a uma forte instabilidade, levando à ocorrência de diversas patologias. A rizartrose, a segunda artrose mais comum na mão, afeta a base do polegar e em casos mais graves pode colocar em causa a qualidade de vida do paciente. Atualmente, vários modelos de próteses trapézio-metacárpicas têm sido utilizados e clinicamente estudados, no entanto, a diversidade de resultados leva a conclusões menos explícitas. Estudos revelam que a principal razão para o insucesso destes implantes é o descolamento asséptico. Neste contexto, o trabalho desenvolvido no âmbito desta dissertação procurou quantificar numericamente as alterações estruturais provocadas nas estruturas ósseas da articulação trapézio-metacarpo, antes e após a artroplastia, para um dos implantes utilizados neste tipo de intervenção, o implante Elektra. A primeira fase deste trabalho consistiu num estudo anatómico e biomecânico do complexo da mão e da articulação trapézio-metacárpica...

Avaliação morfométrica dos músculos da coxa de canídeos displásicos em regime pós-cirúrgico

Ribeiro, Ana Margarida Barreiros Tavares de Almeida
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em 29/09/2009 POR
Relevância na Pesquisa
55.84%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A Displasia da Anca (DA) é uma doença incapacitante, hereditária, poligénica, ortopédica do desenvolvimento, caracterizada pela instabilidade da articulação coxo-femoral e pelo subsequentemente aparecimento de doença degenerativa articular (DDA), assumindo uma maior expressão em canídeos de raças médias e grandes. Trata-se de uma doença complexa cuja expressão genética é influenciada por diversos factores exógenos, sendo o seu diagnóstico definitivo conseguido através do recurso à imagem com a realização de radiografia padronizada às coxo-femorais do doente, após o 2º ano de idade. Os protocolos terapêuticos existentes e aplicados dependem de parâmetros como a idade, sinais (físicos e radiológicos) e sintomas clínicos exibidos pelo doente e das possibilidades económicas dos seus proprietários. No estudo realizado em 40 indivíduos da espécie canis familiaris, foi possível dividir a amostra (n=40) em 2 grupos (G1, cães saudáveis e G2, cães displásicos) e medir o diâmetro das coxas em 2 locais (M1 e M2). Todos os doentes de G2 foram sujeitos a cirurgia correctiva e submetidos a reavaliação para registo dos dados de M1 e M2...

Instabilidade após entorse do tornozelo : estudo prospetivo longitudinal

Cunha, Manuel Rafael Caixeiro da
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
76.34%
Introdução: A entorse aguda do tornozelo constitui cerca de 7 a 14% de todas as recorrências hospitalares, sendo a lesão desportiva a causa principal em jovens. A lesão afeta habitualmente o complexo ligamentar lateral e a inversão constituiu o principal mecanismo de lesão. Cerca de 30% das entorses do tornozelo progridem para instabilidade. Este trabalho pretendeu determinar a percentagem de indivíduos com entorse do tornozelo que progridem para instabilidade subjetiva e objetiva, após um período de 6 semanas. Secundariamente pretendeu-se traçar relações entre um perfil de doente e instabilidade da articulação e também identificar a causa e mecanismo de lesão mais prevalentes de entorse da articulação tibiotársica. Métodos: Através de um estudo prospetivo longitudinal dos doentes que recorreram ao SU do CHCB por entorse do tornozelo entre 1 de Outubro a 31 de Dezembro de 2012, estudou-se 24 indivíduos com idade igual ou superior a 16 anos e inferior ou igual a 65. Após 6 semanas, na consulta de revisão, foi aplicado um questionário para a recolha de dados, incluindo a escala funcional CAIT e FAOS. Os indivíduos com queixas e sinais de instabilidade subjetiva do tornozelo foram submetidos a radiografia do tornozelo...

Avaliação quantitativa das forças laterais da patela: ressonância magnética estática e cinemática

Yang,Je Hoon; Demarchi,Guilherme Tadeu Sauaia; Garms,Emerson; Juliano,Yara; Mestriner,Luiz Aurélio; Cohen,Moises; Navarro,Ricardo Dizioli; Fernandes,Artur da Rocha Corrêa
Fonte: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Publicador: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
55.97%
OBJETIVO: Avaliar a validade da ressonância magnética cinemática combinada com a ressonância magnética estática no estudo da articulação femoropatelar. MATERIAIS E MÉTODOS: Foram realizadas ressonância magnética estática e ressonância magnética cinemática em 20 voluntários assintomáticos (40 joelhos) e em 23 pacientes (43 joelhos), em aparelho de configuração fechada de 1,5 tesla de campo. Os indivíduos foram posicionados na extremidade da mesa, em 30° de flexão. A translação patelar foi avaliada medindo-se o desvio da bissetriz, o deslocamento lateral da patela e o ângulo de inclinação da patela. Para a comparação entre os estudos estático e cinemático, foi utilizado o teste não-paramétrico de Wilcoxon. Para a comparação entre os voluntários e os pacientes, foi utilizado o teste de Mann-Whitney. RESULTADOS: Houve diferenças significantes entre a ressonância magnética estática e a ressonância magnética cinemática (p < 0,05) nos três parâmetros utilizados. No grupo dos pacientes, as diferenças entre a ressonância magnética estática e a ressonância magnética cinemática foram maiores que nos voluntários a 20° e a 30° de flexão, com o desvio da bissetriz e com o deslocamento lateral da patela. CONCLUSÃO: A combinação da ressonância magnética estática e ressonância magnética cinemática evidenciou que a força resultante lateral é maior na faixa de 20° e 30° de flexão...

Estudo da articulação patelofemoral por ressonância magnética: a variação da morfologia do ligamento patelofemoral medial

Santos Netto,Alfredo dos; Brito,Marcelo Botelho Soares de; Severino,Fabrício Roberto; Campos,Leila Rodrigues Andrade; Nico,Marcelo Astolfi Caetano; Oliveira,Victor Marques de; Severino,Nilson Roberto
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.11%
OBJETIVO: Estudar as medidas e relações anatômicas da articulação patelofemoral por ressonância magnética, avaliando a variação da morfologia do ligamento patelofemoral medial (LPFM) de acordo com a altura e a idade do paciente, bem como com as variações das medidas das outras estruturas reconhecidamente envolvidas na predisposição à instabilidade patelar. MÉTODO: Foram submetidos ao exame de ressonância magnética 23 joelhos (18 pacientes), sendo aferidas as medidas da distância interepicondilar, altura da patela, profundidade da tróclea, proeminência troclear ventral, ângulo do sulco da tróclea, inclinação da faceta lateral, inclinação lateral da patela, tamanho da faceta lateral e medial e sua razão, e as medidas de comprimento e espessura do LPFM, sendo essas comparadas com as demais medidas. RESULTADOS: O comprimento do LPFM foi de, em média, 46,4mm, enquanto as espessuras medidas na inserção patelar, terço médio e inserção femoral foram de, respectivamente, 1,7mm, 1,4mm e 1,2mm. A espessura do LPFM correlacionou-se positivamente com a medida do côndilo lateral e a distância interepicondilar, e negativamente com a idade do paciente. CONCLUSÃO: A morfologia do LPFM varia em função da distância interepicondilar e do côndilo lateral e da idade do paciente.

Estudo comparativo in vitro do movimento de gaveta em joelhos de caninos submetidos a duas técnicas extracapsulares de correção da instabilidade após ruptura do ligamento cruzado cranial

Pelisson,Camila Fernandes; Trapp,Silvia Manduca; Kemper,Bernardo
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
56.16%
A ruptura do ligamento cruzado cranial (RLCCr) é uma desordem ortopédica comum em cães que promove a instabilidade da articulação do joelho, resultando em claudicação e alterações degenerativas progressivas desta. A melhor técnica para reparação da RLCCr ainda não está bem elucidada. A maioria das técnicas alcança uma taxa de sucesso entre 80 a 90% e todas apresentam vantagens e desvantagens. O objetivo deste trabalho foi avaliar os resultados da estabilização extracapsular utilizando dois pontos distintos de ancoragem na articulação femoro-tibio-patelar como forma de tratamento da RLCCr em cães. Para tanto, foram utilizados 20 membros pélvicos de caninos. Após a RLCCr, todos os membros receberam avaliação da eficiência da técnica por meio do estudo da estabilidade crânio-caudal do joelho em flexão de 90° e extensão de 135°. As estabilizações extracapsulares realizadas nos cadáveres conferiram estabilidade crânio-caudal sem demonstrar superioridade de uma ou outra técnica, e nenhuma delas pode atribuir estabilidade isométrica quando testadas com os membros em 90° e 130°.

Síndrome unha-patela: Evolução da instabilidade da patela

Ramadan,Lucas Busnardo; Pécora,José Ricardo; Rezende,Márcia Uchoa de; Camanho,Gilberto Luis; Hernandez,Arnaldo José; Demange,Marco Kawamura
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
56.15%
A síndrome da unha-patela é uma doença de caráter autossômico dominante, com algumas características clássicas dermatológicas, músculoesqueléticas e, eventualmente, renais, oculares e gastrointestinais. Tem como principal sintoma ortopédico dor patelofemoral associada com instabilidade da patela desde a primeira infância. A melhor maneira de obter bons resultados nestes casos é um tratamento precoce da instabilidade do joelho. Tratada tardiamente, pode levar a uma artrose precoce, com limitação funcional da articulação do joelho. O presente caso mostra uma paciente que, tem se apresentado com essa síndrome, foi submetida a tratamento cirúrgico tardio e evoluiu com degeneração articular e limitação funcional do joelho. O objetivo deste trabalho é atentar para as características fenotípicas sindrômicas da doença e relacioná-las com as queixas ortopédicas comuns no consultório (tais como dor e instabilidade do joelho e, possivelmente, do cotovelo) e, finalmente, poder tratar esses sintomas precocemente, garantindo uma evolução favorável para a paciente.

Instrumentos de avaliação para limitações funcionais associadas à instabilidade crônica de tornozelo: uma revisão sistemática da literatura

Suda,Eneida Yuri; Coelho,Ana Tereza
Fonte: Universidade de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.16%
A instabilidade de tornozelo é definida como a sua tendência para sofrer falseios e entorses de repetição após a ocorrência de entorse lateral. Como a presença de instabilidade é definida por meio das queixas relatadas pelo indivíduo, apresenta caráter subjetivo, sendo importante identificar o melhor instrumento de avaliação para a determinação de sua presença e/ou gravidade. O objetivo deste estudo foi revisar, de forma sistemática, instrumentos de avaliação concebidos para pacientes com instabilidade crônica de tornozelo. Foram realizadas pesquisas bibliográficas nas bases de dados PubMed, Embase, BVS, LILACS e SciELO para identificar os instrumentos elegíveis. No total, seis estudos foram incluídos e apresentaram cinco instrumentos diferentes - Foot and Ankle Disability Index (FADI), Ankle Joint Functional Assessment Tool (AJFAT), Foot and Ankle Ability Measure (FAAM), Ankle Joint Functional Assessment Tool (AII) e Cumberland Ankle Instability Tool (CAIT). Foram encontrados instrumentos com qualidade que detectam limitações funcionais em indivíduos com instabilidade crônica de tornozelo, não sendo instrumentos válidos para diagnóstico de instabilidade. O CAIT mostrou-se a ferramenta mais completa, mas não foi validada em uma população específica de indivíduos com condição de instabilidade do tornozelo. Observa-se a necessidade de mais estudos clinimétricamente válidos a fim de atestar a sua validade para se obter uma ferramenta eficaz e completa da instabilidade funcional do tornozelo.

Influência da hipermobilidade articular generalizada sobre a articulação teoromandibular, mastigação e deglutição: estudo transversal

Chiodelli,Lais; Pacheco,Andrielle de Bitencourt; Missau,Taiane Secretti; Silva,Ana Maria Toniolo da; Corrêa,Eliane Castilhos Rodrigues
Fonte: CEFAC Saúde e Educação Publicador: CEFAC Saúde e Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
55.97%
OBJETIVO: avaliar a articulação temporomandibular, as funções de mastigação e deglutição em mulheres assintomáticas com e sem hipermobilidade articular generalizada e a associação entre estas variáveis. MÉTODOS: foram avaliadas 43 voluntárias no Serviço de Atendimento Fonoaudiológico da Universidade Federal de Santa Maria. Ahipermobilidadefoi avaliada pelo Escore de Beighton e, a partir dos escores obtidos, as voluntárias foram distribuídas em dois grupos: com (n=17) e sem hipermobilidade (n=26). A articulação temporomandibular foi examinada pelo instrumento Critérios de Diagnóstico para Pesquisa de Desordens Temporomandibularese as funções de mastigação e deglutição foram avaliadas por meio do exame miofuncional orofacial. RESULTADOS: a avaliação clínica da articulação temporomandibular demonstrou predomínio de ruídos articulares durante movimentos mandibulares (52,9%) e de desvio na abertura da boca (76,5%) nas voluntárias do grupo com hipermobilidade, sem diferença significante entre os grupos. No exame da função mastigatória, apesar da maioria das voluntárias apresentar padrão de mastigação bilateral alternado...

Influência de alterações oclusais na articulação temporomandibular e crescimento mandibular : estudo em modelo animal; Influence of occlusal alterations on temporomandibular joint and mandibular growth : an animal model study

Arcelino Farias Neto
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2011 PT
Relevância na Pesquisa
55.96%
A cartilagem articular do côndilo mandibular é responsável pelo crescimento ósseo endocondral durante o desenvolvimento mandibular. Ela depende do funcionamento adequado da articulação temporomandibular (ATM) para sua diferenciação e maturação. Trabalhos demonstram que a manipulação funcional da mandíbula foi capaz de alterar a dinâmica fisiológica dessa cartilagem. Nesse sentido, a protrusão diminuiria a ação de cargas sobre o côndilo mandibular, estimulando o crescimento endocondral, e de forma inversa, a retrusão aumentaria a pressão sobre a cartilagem, inibindo o crescimento. Essas técnicas têm sido utilizadas com relativo sucesso na ortopedia facial com o intuito de corrigir discrepâncias maxilo-mandibulares. Entretanto, alguns quadros patológicos presentes nas ATMs podem alterar o seu desenvolvimento normal. Um dos fatores etiológicos que pode ser associado à presença de alterações no côndilo mandibular é a oclusão dental. A hipótese formulada é de que a presença de instabilidade ortopédica causada por um fator oclusal durante a fase de desenvolvimento pode levar à deficiência do crescimento mandibular e alterações intra-articulares. Assim, este trabalho teve por objetivo avaliar, em modelo animal...

Estudo de alterações das variaveis biomecanicas na instabilidade patelofemoral durante a marcha humana no dominio temporal

João Carlos Ferrari Correa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 09/04/2002 PT
Relevância na Pesquisa
46.38%
O joelho, a maior articulação sinovial do corpo humano combina consideráveis mobilidade e força com a estabilidade necessária para mantê-lo na posição ereta. O fato do joelho sustentar altas forças e situar-se entre dois braços longos de alavancas do corpo, o torna particularmente susceptível à injúria. Há uma crescente preocupação em se estudar a articulação do joelho durante atividades funcionais como a marcha humana. Embora existam estudos aprofundados e extensos sobre essa temática, existem poucos trabalhos na literatura sobre a análise eletromiográfica da articulação do joelho associando-a à instabilidade patelofemoral. O presente estudo teve como objetivo apresentar a atividade eletromiográfica dos músculos vasto medial oblíquo e vasto lateral, variação angular da articulação do joelho e variáveis da força reação do solo, durante a realização da marcha em aclive e declive, em 10 voluntários considerados saudáveis (grupo controle), e 10 voluntários com instabilidade patelofemoral (grupo patológico). Foram estudados, portanto o comportamento dessas variáveis durante a marcha em voluntários saudáveis e com instabilidade patelofemoral, onde os resultados, por meio da análise do coeficiente de variação e do teste estatístico de correlação cruzada...

Instabilidade após entorse do tornozelo : estudo prospetivo longitudinal

Cunha, Manuel Rafael Caixeiro da
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
76.34%
Introdução: A entorse aguda do tornozelo constitui cerca de 7 a 14% de todas as recorrências hospitalares, sendo a lesão desportiva a causa principal em jovens. A lesão afeta habitualmente o complexo ligamentar lateral e a inversão constituiu o principal mecanismo de lesão. Cerca de 30% das entorses do tornozelo progridem para instabilidade. Este trabalho pretendeu determinar a percentagem de indivíduos com entorse do tornozelo que progridem para instabilidade subjetiva e objetiva, após um período de 6 semanas. Secundariamente pretendeu-se traçar relações entre um perfil de doente e instabilidade da articulação e também identificar a causa e mecanismo de lesão mais prevalentes de entorse da articulação tibiotársica. Métodos: Através de um estudo prospetivo longitudinal dos doentes que recorreram ao SU do CHCB por entorse do tornozelo entre 1 de Outubro a 31 de Dezembro de 2012, estudou-se 24 indivíduos com idade igual ou superior a 16 anos e inferior ou igual a 65. Após 6 semanas, na consulta de revisão, foi aplicado um questionário para a recolha de dados, incluindo a escala funcional CAIT e FAOS. Os indivíduos com queixas e sinais de instabilidade subjetiva do tornozelo foram submetidos a radiografia do tornozelo...

Instrumentos de avaliação para limitações funcionais associadas à instabilidade crônica de tornozelo: uma revisão sistemática da literatura; Assessment instruments for chronic ankle instability: a systematic review of literature

Suda, Eneida Yuri; Coelho, Ana Tereza
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.16%
A instabilidade de tornozelo é definida como a sua tendência para sofrer falseios e entorses de repetição após a ocorrência de entorse lateral. Como a presença de instabilidade é definida por meio das queixas relatadas pelo indivíduo, apresenta caráter subjetivo, sendo importante identificar o melhor instrumento de avaliação para a determinação de sua presença e/ou gravidade. O objetivo deste estudo foi revisar, de forma sistemática, instrumentos de avaliação concebidos para pacientes com instabilidade crônica de tornozelo. Foram realizadas pesquisas bibliográficas nas bases de dados PubMed, Embase, BVS, LILACS e SciELO para identificar os instrumentos elegíveis. No total, seis estudos foram incluídos e apresentaram cinco instrumentos diferentes - Foot and Ankle Disability Index (FADI), Ankle Joint Functional Assessment Tool (AJFAT), Foot and Ankle Ability Measure (FAAM), Ankle Joint Functional Assessment Tool (AII) e Cumberland Ankle Instability Tool (CAIT). Foram encontrados instrumentos com qualidade que detectam limitações funcionais em indivíduos com instabilidade crônica de tornozelo, não sendo instrumentos válidos para diagnóstico de instabilidade. O CAIT mostrou-se a ferramenta mais completa, mas não foi validada em uma população específica de indivíduos com condição de instabilidade do tornozelo. Observa-se a necessidade de mais estudos clinimétricamente válidos a fim de atestar a sua validade para se obter uma ferramenta eficaz e completa da instabilidade funcional do tornozelo.; Ankle instability is defined as the tendency of the ankle to "give way" and suffer recurrent sprains after a lateral ankle sprain. Since the presence of instability is defined by means of subjects' complaints...

Quais são as funções dos mecanoreceptores da articulação do ombro? Uma revisão da literatura; What are the functions of the mechanoreceptors in the shoulder joint? A literature review

Santos, Marcio José dos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2004 POR
Relevância na Pesquisa
46.24%
Entre as patologias de ombro em pessoas jovens, a instabilidade glenoumeral não traumática é a mais comum, causando dor e sintomas de Síndrome do Impacto. Esse tipo de instabilidade normalmente acomete atletas que praticam atividades as quais exigem repetidas elevações do braço acima da cabeça, tais como voleibol e natação. A estabilidade glenoumeral é assegurada pela musculatura do manguito rotador e pelas estruturas cápsulo-ligamentares (labrum glenoidal, ligamentos glenoumeral e cápsula). O sistema somato-sensorial localizado na articulação glenoumeral presta um importante papel no sentido de controlar a sinérgica relação entre essas estruturas (músculo, cápsula e ligamentos). Denominados como mecanoreceptores, Pacini, Ruffini e organ tendinoso de Golgi são funcionalmente distribuídos naarticulação do ombro, tendo uma complexa relação com a musculatura aqual envolvem. De acordo com as latências obtidas entre estímuloselétricos dados na articulação do ombro e as respostas obtidas na musculatura, considerar-se que os mecanoreceptores não somente estão envolvidos na detecção do movimento e posicionamento articular no espaço, como também podem estar envolvidos no controle dos movimentos e coordenação. Programas de reabilitação usando propriocepção em distúrbios do movimento são absolutamente justificáveis. Adicionalmente...

Uso da técnica TightRope modificada em cães com ruptura do ligamento cruzado cranial

Bregadioli, Thales; Universidade Federal de Uberlândia UFU; Mota, Francisco Cláudio Dantas; UFU; Eurides, Duvaldo; UFU; Faria, Laura Melgaço; UFU; Dias, Raíra Costa; UFU; Souza, Luiz Augusto; UFG
Fonte: Universidade Federal Fluminense Publicador: Universidade Federal Fluminense
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; CMC; Relato de Caso; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
55.98%
A ruptura do ligamento cruzado cranial (RLCCr) figura entre as principais enfermidades ortopédicas na espécie canina, sendo responsável por instabilidade da articulação do joelho, o que resulta em claudicação e desenvolvimento de doença articular degenerativa (DAD). O objetivo deste trabalho foi avaliar os resultados da técnica de “TightRope” modificada (TRM) na estabilização do joelho de cães com ruptura do ligamento cruzado cranial (RLCCr). O procedimento cirúrgico foi realizado em seis animais, os quais foram avaliados por 120 dias de pós-operatório. A modificação da técnica para estabilização extra capsular da RLCCr, consiste na utilização de fio de fluorcarbono, e fio de aço inoxidável de 1 mm como forma de fixação óssea. A “TRM” promoveu a estabilidade do joelho dos pacientes com ruptura do ligamento cruzado cranial no pós-operatório imediato e durante o acompanhamento clínico pós-cirúrgico demonstrou, aos 30 dias, progressiva melhora da marcha e suporte de peso à deambulação, estando todos os animais recuperados clinicamente aos 120 dias de pós-operatório.