Página 1 dos resultados de 415 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Relações de gênero, diversidade sexual e políticas públicas de educação: uma análise do programa Brasil sem homofobia; Gender relations, sexual diversity and educational policies: an analysis of the Program Brazil Without Homophobia.

Daniliauskas, Marcelo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/05/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.65%
Esta dissertação de mestrado tematiza a agenda, planos, programas e políticas públicas que visam superar a desigualdade relacionada às pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) por meio da educação no âmbito do governo federal. A pesquisa teve por objetivo colaborar para o conhecimento dos modos como tem sido problematizada a questão da sexualidade, mais especificamente a temática LGBT, na agenda de educação, bem como das demandas apontados e das políticas educacionais desenvolvidas para dar conta dos mesmos. Dentre os planos e programas analisados estão: os Programas Nacionais de Direitos Humanos, os Parâmetros Curriculares Nacionais e, por fim, o Programa Brasil Sem Homofobia. O foco estruturante desta pesquisa é o Brasil Sem Homofobia: Programa de Combate à Violência e Promoção da Cidadania GLBT. Este Programa foi escolhido por ser um importante marco do reconhecimento das pessoas LGBT enquanto sujeitos de direitos, assim como por introduzir as políticas sobre diversidade sexual e identidade de gênero na educação. O referencial analítico-teóricos desta pesquisa baseia-se especialmente na trajetória de políticas educacionais, com base em Stephen Ball, e na justiça social, a partir das contribuições de Nancy Fraser. Os procedimentos metodológicos empregados foram a análise documental dos planos e programas citados e entrevistas semi-estruturadas com pessoas ligadas ao Movimento LGBT e gestores/as e técnicos/as do governo...

Percepções de professores/as sobre gênero, sexualidade e homofobia: pensando a formação continuada a partir de relatos da prática docente; Teachers´ perceptions about gender, sexuality and homophobia: reflecting on continuous teacher training in the view of practice accounts

Rizzato, Liane Kelen
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.58%
O objetivo desta dissertação é compreender as percepções de professores/as sobre gênero, sexualidade e homofobia, bem como o modo como eles/as lidam com tais temáticas na prática docente. Trata-se de uma investigação de natureza qualitativa que teve como sujeitos de pesquisa professores/as da rede estadual de ensino de São Paulo que participaram de um curso intitulado Convivendo com a Diversidade Sexual na Escola, oferecido em 2007 por meio da parceria entre duas ONGs e financiado pelo Ministério da Educação (MEC) e pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SEDH), em conformidade com a política de formação continuada em gênero e sexualidade. Os instrumentos teórico-metodológicos utilizados na pesquisa empírica consistiram em análise documental, aplicação de questionários e realização de entrevistas em profundidade. No exame do material obtido, foram fundamentais as reflexões teóricas sobre formação docente, relações de gênero, sexualidade, homofobia e, em especial, sobre o conceito de experiência social. Por meio da perspectiva pós-estruturalista, o estudo da homofobia intrinsecamente relacionada ao gênero e à sexualidade estruturou a discussão sobre os processos distintivos que organizam uma espécie de vigilância de gênero e agem como forças normativas na constituição das identidades docentes. As contradições e dissonâncias apresentadas nos discursos dos/as professores/as entrevistados/as evidenciaram que a construção da experiência social em homofobia por eles/as vivenciada tem a mesma dinâmica de produção-reprodução-resistência apresentada pela escola no que tange às relações gênero e sexualidade. No contexto analisado...

Limites e possibilidades de uma ação educativa na reducão da vulnerabilidade à violência e à homofobia; Limits and possibilities of an educational action in the reduction of the vulnerability to violence and homophobia

Borges, Zulmira Newlands; Meyer, Dagmar Elisabeth Estermann
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.58%
Este artigo se propõe a analisar os limites e as possibilidades de uma ação educativa na redução da vulnerabilidade à violência e à homofobia. Esta ação tem sido financiada pelo programa “Brasil Sem Homofobia”, do Ministério da Saúde, e apoiada pelo Ministério da Educação. O objetivo dessa pesquisa foi entender o que os/as professores/as perceberam como dificuldades e problemas relativos a questões vinculadas à sexualidade e à homofobia, que os motivaram a buscar a capacitação no curso e que efeitos essa formação produziu em suas atividades escolares. A metodologia utilizada foram grupos de discussão e entrevistas com professoras que participaram, como alunas, da formação do curso “Educando para a Diversidade”. Os principais resultados mostram um recorrente pânico moral, que se refere à idéia de contaminação e estimulação de uma sexualidade não hegemônica, acabando por colocar os próprios participantes do referido curso em uma situação de vulnerabilidade perante a escola, colegas de profissão e familiares.; This article aims to analyze limits and possibilities of an educational action towards minimizing violence and homophobia. This action has been sponsored by the Health Ministry Program “Brasil Sem Homofobia”...

A Agenda anti-homofobia na educação brasileira (2003-2010)

Fernandes, Felipe Bruno Martins
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 420 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.65%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, Florianópolis, 2011; Esta tese analisa, com um olhar interdisciplinar, as políticas públicas de combate à homofobia implementadas pelo Ministério da Educação (MEC) durante as duas gestões do governo Lula (2003-2006 e 2007-2010). Pela observação participante e pela análise documental, foi produzido um corpus de material empírico que foi analisado por meio do diálogo teórico com a Antropologia e a História, principais disciplinas que guiaram o estudo. Metodologicamente, a tese foi produzida mediante sistematização de um Banco de Dados de notícias e documentos oficiais, dados sobre eventos acadêmicos e entrevistas com gestores e ativistas registrados em diários de campo, além de registro de conversas informais e outras situações em que estiveram presentes os sujeitos do campo. O texto final se estruturou com base em seis eixos principais: ?História?, ?Estrutura?, ?Políticas Públicas?, ?Atores?, ?Estratégias? e ?Tensões? que possibilitaram, em conjunto, refletir sobre diferentes perspectivas o campo de produção de políticas anti- homofobia na educação. É possível perceber que a dinâmica de implementação de políticas públicas de combate à homofobia envolve uma série de relações global-local em que os movimentos internacionais e nacionais fazem circular categorias e pautas políticas que vão sendo reinterpretadas localmente. No caso brasileiro em pauta...

A homofobia internalizada e os comportamentos para a saúde numa amostra de homens homossexuais

Pereira, Henrique Marques
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2001 POR
Relevância na Pesquisa
37.74%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Saúde; Este trabalho procura investigar o conceito de Homofobia Internalizada quer teoricamente, quer na prática, nomeadamente em relação à adopção de comportamentos para a saúde entre homens homossexuais. Pretendeu-se saber se existiam diferenças significativas na adopção desses comportamentos entre homens com maiores e menores níveis de homofobia internalizada e, se sim, de que maneira é que essas diferenças se manifestavam. Para tal, delineou-se uma investigação numa perspectiva comparativa recorrendo a um número significativo de participantes (n=304). Os questionários utilizados foram o Questionário de Avaliação da Homofobia Internalizada (também validado no presente estudo - α=0.74) e o Questionário de Comportamentos para a Saúde. Da investigação concluiu-se que existem diferenças significativas entre os dois grupos que se manifestam de maneira divergente, consoante se considerava a homofobia internalizada em função da dimensão interna da percepção do estigma (quanto maiores níveis de homofobia internalizada, maiores comportamentos para a Saúde na Dimensão - Comportamento Sexual de Risco); em função da dimensão externa da percepção do estigma (quanto maiores níveis de homofobia internalizada...

A homofobia internalizada e os comportamentos para a saúde numa amostra de homens homossexuais

Pereira, Henrique; Universidade da Beira Interior; Leal, Isabel; ISPA-IU
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.58%
Este trabalho procura investigar o conceito de Homofobia Internalizada quer teoricamente, quer na prática, nomeadamente em relação à adopção de comportamentos para a saúde entre homens homossexuais. Pretendeu-se saber se existiam diferenças significativas na adopção desses comportamentos entre homenscom maiores e menores níveis de homofobia internalizada e, se sim, de que maneira é que essas diferençass e manifestavam. Para tal, delineou-se uma investigação numa perspectiva comparativa recorrendo a um número significativo de participantes (n=304). Os questionários utilizados foram o Questionário de Avaliação da Homofobia Internalizada (também validado no presente estudo – α=0.74) e o Questionário de Comportamentos para a Saúde.Da investigação concluiu-seque existem diferenças significativas entre os dois grupos que se manifestam de maneira divergente, consoante se considerava a homofobia internalizada em função da dimensão interna da percepção do estigma; em função da dimensão externa da percepção do estigma; ou ainda, em função da dimensão global (interna e externa) de percepção do estigma.

"Eu n??o suporto isso: mulher com mulher e homem com homem": analisando as narrativas de adolescentes sobre homofobia

Longaray, Deise Azevedo; Ribeiro, Paula Regina Costa; Silva, Fabiane Ferreira da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.58%
No presente artigo problematizamos a homossexualidade e a homofobia como constru????es sociais, culturais e hist??ricas implicadas em sistemas de significa????o e rela????es de poder/saber. A escola ?? uma das institui????es que (re)produz tais discursos, por exemplo, atrav??s do silenciamento no curr??culo sobre as quest??es de homofobia, de diversidade sexual e de g??nero, contribuindo para a afirma????o da heterossexualidade como a ??nica forma de viver os prazeres e desejos. Neste sentido, analisamos as narrativas produzidas por adolescentes sobre homofobia, buscando compreender em que medida esses adolescentes v??o sendo interpelados pelos discursos acerca da diversidade sexual e de g??nero. Enfatizamos a import??ncia de discutir tais quest??es no ??mbito escolar, uma vez que essa inst??ncia contribui na forma????o dos sujeitos e de suas identidades. Utilizamos, como estrat??gias metodol??gicas para a produ????o das narrativas, o preenchimento de um question??rio e a constitui????o de grupos focais. Ao analisar as narrativas, evidenciamos que os/as adolescentes participantes da pesquisa entendem a homofobia como uma maneira excludente de agir, na sociedade, na fam??lia e tamb??m na escola, local que, segundo eles/as, ?? prop??cio para discutir essas quest??es.; In this paper...

???Eu j?? beijei um menino e n??o gostei, a?? beijei uma menina e me senti bem???: um estudo das narrativas de adolescentes sobre homofobia, diversidade sexual e de g??nero

Longaray, Deise Azevedo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.65%
Disserta????o(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de P??s- Gradua????o em Educa????o em Ci??ncias: Qu??mica da Vida e Sa??de, Instituto de Educa????o, 2010.; Esta disserta????o tem, como objetivos, analisar narrativas de adolescentes sobre a diversidade sexual e de g??nero, conhecer os discursos dos/as adolescentes, produzidos sobre as identidades sexuais e de g??nero, e investigar as narrativas deles/as sobre a homofobia na sociedade, problematizando a import??ncia de discutir esta tem??tica no contexto escolar. Este estudo fundamenta-se a partir do campo dos Estudos Culturais nas suas vertentes p??sestruturalistas, bem como estabele??o conex??es com algumas proposi????es de Michel Foucault. Nesta pesquisa, utilizei a Investiga????o Narrativa como estrat??gia metodol??gica. Neste sentido, para a produ????o dos dados narrativos, foram utilizados question??rios e a organiza????o de grupos focais. A aplica????o de question??rios foi realizada em oito escolas do munic??pio de Rio Grande/RS. Os question??rios, que tinham como objetivo conhecer os entendimentos dos/as adolescentes acerca da diversidade sexual, identidades de g??nero e homofobia, foram aplicados em turmas de primeiro ano do Ensino M??dio. Participaram do preenchimento dos question??rios duzentos e vinte e um adolescentes...

As rosas por trás dos espinhos: discursos e sentidos na formação de professores em face do debate da homofobia

Carlos Mendes de Freitas Filho, Luciano; Tenório de Carvalho, Rosângela (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.58%
Por meio da presente dissertação, objetivamos discorrer sobre a construção de sentidos nos discursos de professores ao lidar com a temática da homofobia na formação continuada da rede pública de ensino em Pernambuco. A partir de pesquisa de campo inserida no Projeto Trabalhar as diferenças é promover a educação , em quatro escolas da rede pública, fizemos uso da técnica de grupos focais, a fim de obter corpus necessário para análise. A pesquisa teve nas perspectivas da Educação em Direitos Humanos, dos Estudos da Sexualidade e Gênero e da Análise do Discurso o escopo teórico-metodológico para apresentação da análise desenvolvida. Os discursos investigados evidenciaram, entre outras coisas, que as falas dos respectivos docentes ,acerca da homofobia, revelam que tanto os discursos homofóbicos, assim como os não homofóbicos, se cristalizam e se (re) significam a partir de um jogo discursivo tenso que ocorre a partir de práticas sociais pertinentes à escola e ao contexto dos sujeitos que a compõe. O discurso homofóbico no contexto educacional público, hoje, gradativamente tem perdido um campo propício para sua enunciação explícita e consequente estabilização, ele tem se dado hegemonicamente de modo velado...

Deixem que digam, que pensem, que falem: a homofobia na visão dos formandos de Licenciaturada UFRPE

Barros Tavares, Liliana; Luíza Neto Siqueira, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.65%
Este trabalho investiga o posicionamento dos formandos em Licenciatura da UFRPE sobre a homofobia em sala de aula. A pesquisa, realizada primeiramente por meio de um questionário, procurou levantar dados sobre o que os formandos sabem e pensam a respeito da homossexualidade. Em seguida, por meio de entrevistas semidirigidas, buscou-se um aprofundamento das informações coletadas pelo questionário. Os resultados obtidos parecem evidenciar que a homofobia, entre esses formandos, encontra-se, na maioria das vezes, suavizada por um discurso de tolerância. Porém, em geral, suas atitudes perante manifestações de homofobia em sala de aula resultavam, por vezes involuntariamente, em ações de reforço à heteronormatividade. Tal observação, ao longo do percurso teórico-analítico desta pesquisa, ratificou a idéia de que a homofobia consiste numa manifestação de poder forjada pelas instituições dominantes aqui, no caso, a escola e a universidade , para manter a heterossexualidade como a única identidade sexual legítima. À luz da Teoria Queer, levanta-se, então, a discussão se a busca por uma educação livre de homofobia não deveria pressupor um empenho em prol da dissolução da demarcação das identidades sexuais. Nesse viés...

Bullying e Homofobia: Aproximações Teóricas e Empíricas

Souza,Jackeline Maria de; Silva,Joilson Pereira da; Faro,André
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE) Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.58%
Resumo:Este estudo objetivou verificar como os fenômenos bullying e homofobia se aproximam, comparando a homofobia entre os atores do bullying (autor, alvo, alvo/autor e testemunhas) e observando se o conteúdo homofóbico é utilizado no bullying verbal. Foi realizado um estudo descritivo e quantitativo como método survey. Participaram 808 jovens com idade média de 14,9 anos (DP = 1,98), oriundos de 9escolas estaduais de Aracaju-SE, que responderam a um questionário contendo questões sociodemográficas sobre bullying e uma escala de homofobia manifesta e sutil. Os resultados indicaram que 32% se definiram alvos de bullying, 12% autores, 22% alvos/autores e 34% somente testemunhas. A presença de conteúdo homofóbico no bullyingverbal foi a segunda forma mais recorrente entre os participantes do sexo masculino (20%), tendo menor incidência entre as meninas (2%). Além disso, os adolescentes autores de bullyingapresentaram maiores escores na escala de homofobia, se comparados aos alvos (p< 0,05).

Avanços e limites da política de combate à homofobia : uma análise do processo de implementação das ações para a educação do Programa Brasil Sem Homofobia

Rossi, Alexandre José
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.77%
O objetivo dessa dissertação foi analisar as estratégias de implementação das ações educacionais do Programa Brasil Sem Homofobia no Estado do Rio Grande do Sul, evidenciando suas principais contradições, apontando neste processo os limites e avanços – e como elas têm contribuído para a consolidação daquela política. Com base no referencial teórico metodológico materialista histórico dialético, procuramos evidenciar as condições históricas que possibilitaram a elaboração do Programa Brasil Sem Homofobia. Os dados que nos permitiram dizer dos avanços e limites da política foram buscados em relatórios produzidos pela Secretaria de Educação Continuada e Diversidade do MEC, editais para concorrência de projetos, termos de referência e nos Planos de Ações Articuladas dos sistemas de ensino. Três principais estratégias de implementação foram encontradas a partir dessa análise: parcerias com ONGs, convênio com Universidades Federais e nos Planos de Ações Articuladas. A conquista do Programa Brasil Sem Homofobia resulta da correlação de forças empreendida entre Estado e Movimento LGBT, que, ao longo de suas três décadas de existência, tiveram a relação alterada passando de oponentes a parceiros na execução de políticas voltadas para a população LGBT. Configurou-se como avanço na medida em que houve...

Sustantivos para definir homofobia

Campo Árias, Adalberto; Herazo, Edwin; Oviedo, Heidi
Fonte: Universidade do Rosário Publicador: Universidade do Rosário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 25/11/2013 SPA
Relevância na Pesquisa
37.58%
Introducción. El término ‘homofobia’ es un concepto que se introdujo en el contexto académico hace más de 40 años. Sin embargo, la acepción ha tenido reparos y cambios en el tiempo. Objetivo. Revisar los sustantivos usados en los últimos doce años para definir homofobia. Metodología. Se realizó una búsqueda sistemática en Medline a través de Pubmed de publicaciones tipo editorial, cartas al editor, comentarios y entrevista en español o inglés. Se realizó un análisis cualitativo (teoría fundamentada) de los sustantivos que se emplearon para la definición de homofobia desde el año 2001 a 2012. Resultados. Se incluyeron tres artículos que usaron diez sustantivos para definir homofobia, el más común fue temor o miedo (fear). Los términos se agruparon en dos dominios: actitud negativa e incomodidad ante la homosexualidad. Conclusiones. Miedo o temor (fear) es la palabra que más se utiliza en la descripción del término homofobia; los términos se agrupan en dos dominios: actitud negativa e incomodidad ante la homosexualidad

Homofobia e homofobia interiorizada : produções subjetivas de controle heteronormativo?

Neman do Nascimento, Márcio Alessandro
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.65%
O artigo problematizará, teoricamente, algumas questões emblemáticas que circunscrevem as homossexualidades na história, partindo de um posicionamento teórico-metodológico marcado pelos estudos culturais e de gênero realizados por autores pós-estruturalistas. Na atualidade, há muitos avanços e conquistas, no âmbito sócio-político, relacionadas à diversidade sexual. Entretanto, essa mesma visibilidade tem produzido disparadores para práticas sociais violentas demonstradas em crimes e discursos de ódio, intolerância e interdições veladas contra homossexuais. Assim, pretende-se apresentar a construção social da homofobia e, subseqüentemente, da homofobia interiorizada, uma vez que seus pilares formadores se sustentam por processos de subjetivação heteronormativa pulverizados em contextos sociais cotidianos.; The article will theoretically problematize some emblematic issues that circumscribe homosexualities along history, starting from a theoretical-methodological position marked by cultural and gender studies by poststructuralist authors. At the present time, there are many progresses and conquests in the sociopolitical field related to the sexual diversity. However, such notoriety has produced triggers for violent social practices which are demonstrated in crimes and hate discourses...

QUEER AS TWISTED FIELD: THE EMERGENCE OF GROUPS WHO QUESTION HOMOPHOBIA AND SEXISM IN FOOTBALL; QUEER: LA APARICIÓN DE GRUPOS QUE CUESTIONAN LA HOMOFOBIA Y EL SEXISMO EN FÚTBOL; AS TORCIDAS QUEER EM CAMPO: A EMERGÊNCIA DE GRUPOS QUE QUESTIONAM A HOMOFOBIA E O MACHISMO NO FUTEBOL

Pinto, Mauricio Rodriguez; Almeida, Marco Bettine
Fonte: ANPEL Publicador: ANPEL
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado por Pares Formato: application/pdf
Publicado em 25/10/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.65%
This essay will discuss some aspects of the rise of organized supporters queers that were created on Facebook to combat homophobic and sexist to recurring events in stadiums and football related practices in Brazil. We discuss the potential of these twisted to deconstruct the existing normative standard in stadiums and the world of football, and the role they have to claim the recognition of the participation of women and homosexuals, historically segregated practices that give meaning to the sport, as the play and the twist. To understand the normative standard and how this regulates relations in the spaces and practices involving football, we will work with outsiders and established concepts developed by Norbert Elias, when he studied the relationships between older residents and groups with less residence time working in the community of Winston Parva, England, the duality established-outsiders is given by a power relationship in which the group holds a power defends his position and reaffirms its charism group from a constant ratio of opposition to those pose a risk to the purity of the group. In the essay we seek to problematize the relationship between football and sexuality, seeking to understand, by the duality established-outsiders...

Homofobia y psiquiatría

de la Espriella Guerrero,Ricardo
Fonte: Revista Colombiana de Psiquiatría Publicador: Revista Colombiana de Psiquiatría
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 ES
Relevância na Pesquisa
37.65%
Antecedentes: La psiquiatría ha tenido tradicionalmente una mirada patologizante de la homosexualidad; si bien ésta ha sido excluida de la taxonomía, los psiquiatras mantienen frecuentemente posturas homofóbicas explícitas o encubiertas. La homofobia no fi gura en los buscadores de literatura médica más utilizados, tampoco aparece en libros de texto psiquiátrico, donde aún se encuentra la homosexualidad como trastorno mental. Métodos: Revisión narrativa de literatura, la cual hace evidente el vacío existente en la forma cómo se conceptualiza e investiga la homofobia desde la psiquiatría. Conclusiones: La homofobia debe ser considerada un trastorno mental pobremente estudiado desde la psiquiatría, por tanto, algunas acciones para desarrollar este tema serían el desarrollo de investigación en nuestro medio, la inclusión de la homofobia en los contenidos de las asignaturas de psiquiatría en pregrado y postgrado, el desarrollo de guías para el manejo adecuado de la condición y el establecimiento de zonas seguras para minorías sexuales; esto supone un cambio epistemológico y político para que se establezca una postura clara del colectivo psiquiátrico y de los psiquiatras en particular respecto a las diferentes formas de prejuicio antihomosexual y homofobia...

Validación de la Escala de Homofobia Moderna en una muestra de adolescentes

Rodríguez-Castro,Yolanda; Lameiras-Fernández,María; Carrera-Fernández,Victoria; Vallejo-Medina,Pablo
Fonte: Anales de Psicología Publicador: Anales de Psicología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/05/2013 SPA
Relevância na Pesquisa
37.74%
El objetivo de esta investigación es doble, por un lado se ha evaluado la fiabilidad y la validez de la versión española de la Escala de Homofobia Moderna en adolescentes; y por otro, se evaluará tanto los niveles de homofobia que los y las adolescentes tienen, así como la relación de la homofobia con el sexismo ambivalente. La Escala de Homofobia Moderna evalúa actitudes tanto hacía hombres gays (MHS-G) como hacía lesbianas (MHS-L). La muestra quedó formada por un total de 800 estudiantes de Educación Secundaria Obligatoria, de los cuales un 50.7 % son chicas y un 49.3 % chicos, con una media de edad de 15.19 años (DT: .92). Los resultados muestran una estructura factorial coherente, con índices de ajuste adecuados. La fiabilidad (siempre superior a .80) y la validez externa (con una correlación significativa entre la homofobia con la transfobia y el sexismo). Finalmente, observamos que los chicos expresan significativamente más actitudes de homofobia que sus compañeras. Consideramos por lo tanto, que esta escala es un instrumento útil y preciso para detectar las actitudes homofóbicas sutiles hacia gays y lesbianas.

Mapeo político de la discriminación y homofobia asociadas con la epidemia de VIH en México

Orozco-Núñez,Emanuel; Alcalde-Rabanal,Jacqueline Elizabeth; Ruiz-Larios,José Arturo; Sucilla-Pérez,Héctor; García-Cerde,Rodrigo
Fonte: Instituto Nacional de Salud Pública Publicador: Instituto Nacional de Salud Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 ES
Relevância na Pesquisa
37.65%
Objetivo. Presentar un mapeo político sobre discriminación y homofobia asociadas con la epidemia del virus de la inmunodeficiencia humana (VIH) en entornos institucionales públicos. Material y métodos. Se realizó un mapeo político con actores clave en seis estados de México, a quienes se les aplicó una entrevista semiestructurada para explorar la discriminación y homofobia asociadas con el VIH. La información se sistematizó mediante matrices de contenido por categorías y el software PolicyMaker. Resultados. Se documentaron prácticas discriminatorias y homofóbicas lesivas a la integridad como la denostación, la burla y los crímenes de odio. La mayoría de actores se manifestaron en contra de la discriminación y la homofobia; algunos de ellos influyeron de manera importante en la formulación de políticas para prevenir la discriminación y la homofobia. Sin embargo, los marcos normativos estatales fueron poco específicos. Conclusiones. Son persistentes las prácticas discriminatorias y la homofobia asociadas con el VIH, por lo cual se requiere mayor atención en los estados y es necesario impulsar políticas para prevenirlas, así como la observancia del cumplimiento de las leyes estatales.

A homofobia internalizada e os comportamentos para a saúde numa amostra de homens homossexuais

Pereira,Henrique; Leal,Isabel
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.58%
Este trabalho procura investigar o conceito de Homofobia Internalizada quer teoricamente, quer na prática, nomeadamente em relação à adopção de comportamentos para a saúde entre homens homossexuais. Pretendeu-se saber se existiam diferenças significativas na adopção desses comportamentos entre homens com maiores e menores níveis de homofobia internalizada e, se sim, de que maneira é que essas diferenças se manifestavam. Para tal, delineou-se uma investigação numa perspectiva comparativa recorrendo a um número significativo de participantes (n=304). Os questionários utilizados foram o Questionário de Avaliação da Homofobia Internalizada (também validado no presente estudo - α=0.74) e o Questionário de Comportamentos para a Saúde. Da investigação concluiu-se que existem diferenças significativas entre os dois grupos que se manifestam de maneira divergente, consoante se considerava a homofobia internalizada em função da dimensão interna da percepção do estigma; em função da dimensão externa da percepção do estigma; ou ainda, em função da dimensão global (interna e externa) de percepção do estigma.

Mapeo político de la discriminación y homofobia asociadas con la epidemia de VIH en México

Orozco-Núñez,Emanuel; Alcalde-Rabanal,Jacqueline Elizabeth; Ruiz-Larios,José Arturo; Sucilla-Pérez,Héctor; García-Cerde,Rodrigo
Fonte: Instituto Nacional de Salud Pública Publicador: Instituto Nacional de Salud Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 ES
Relevância na Pesquisa
37.65%
Objetivo. Presentar un mapeo político sobre discriminación y homofobia asociadas con la epidemia del virus de la inmunodeficiencia humana (VIH) en entornos institucionales públicos. Material y métodos. Se realizó un mapeo político con actores clave en seis estados de México, a quienes se les aplicó una entrevista semiestructurada para explorar la discriminación y homofobia asociadas con el VIH. La información se sistematizó mediante matrices de contenido por categorías y el software PolicyMaker. Resultados. Se documentaron prácticas discriminatorias y homofóbicas lesivas a la integridad como la denostación, la burla y los crímenes de odio. La mayoría de actores se manifestaron en contra de la discriminación y la homofobia; algunos de ellos influyeron de manera importante en la formulación de políticas para prevenir la discriminación y la homofobia. Sin embargo, los marcos normativos estatales fueron poco específicos. Conclusiones. Son persistentes las prácticas discriminatorias y la homofobia asociadas con el VIH, por lo cual se requiere mayor atención en los estados y es necesario impulsar políticas para prevenirlas, así como la observancia del cumplimiento de las leyes estatales.