Página 1 dos resultados de 4057 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

"Michel Foucault e a constituição do corpo e da alma do sujeito moderno". ; "Michel Foucault and the body and soul’s constitution of modern subject"

Silveira, Fernando de Almeida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
A obra de Michel Foucault destaca a relevância do corpo e da alma como sustentáculos das forças de poder e de saber, que se articulam estrategicamente na história da sociedade ocidental. A corporeidade ocupa uma posição central na obra de Foucault, ressaltando-a enquanto realidade bio-política-histórica, "interpenetrada de história" e como ponto de apoio de complexas correlações de forças, sobre a qual incidem inúmeras conformações discursivas produtoras de "verdades", que tanto podem reafirmar como recriar o sentido do corpo presente ou a sensibilidade individual/coletiva nele imanente. Esse é o espaço de formação da alma sobre a qual Foucault desenvolve uma “genealogia da alma moderna”, caracterizando-a como “o correlativo atual de uma certa tecnologia do poder sobre o corpo”, e também considerando que “não é a atividade do sujeito de conhecimento que produziria um saber, útil ou arredio ao poder, mas o poder-saber, os processos e as lutas que o atravessam e que o constituem, que determinam as formas e os campos possíveis do conhecimento”. Na medida em que Foucault retira do sujeito de conhecimento seu papel central no processo de produção do saber, o corpo - enquanto suporte dos embates das forças de poder e saber...

"Corpos sonhados - vividos: A questão do corpo em Foucault e Merleau-Ponty". ; "Dreamed – lived bodies: the body issue in Foucault and Merleau-Ponty"

Silveira, Fernando de Almeida
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.24%
A obra de Michel Foucault destaca o corpo como expressão e sustentáculo das forças de poder e de saber, que se articulam estrategicamente, na história da sociedade ocidental. A corporeidade ocupa uma posição central na obra de Foucault, que a ressalta como realidade bio-política-histórica, isto é, como "interpenetrada de história" e ponto de apoio de complexas correlações de forças, sobre a qual incidem inúmeras conformações discursivas produtoras de "verdades" que tanto podem reafirmar como recriar o sentido do corpo presente, ou a sensibilidade individual/coletiva nele imanente. No caso, não é o sujeito epistemológico autônomo que produz um saber útil ou arredio ao poder, mas o poder-saber, os processos e as lutas que o atravessam e que o constituem que representam as formas e os campos possíveis do conhecimento. Na medida em que Foucault retira do sujeito autônomo de conhecimento seu papel central no processo de produção do saber, o corpo adquire uma importância renovada. O corpo é uma peça dentro de um jogo de dominações e submissões presente em toda a rede social, que o torna depositário de marcas e de sinais que nele se inscrevem, de acordo com as efetividades desses embates que, por sua vez, têm na corporeidade seu "campo de prova". Ora...

A arte e o ofício de historiar: Foucault e a invenção do panoptismo; The art craft of the historian: Foucault and the invention of the panopticon

Tôrres, Pablo Henrique Spíndola
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
Michel Foucault no seu livro Vigiar e punir, ao estudar o plano arquitetural do panóptico de Jeremy Bentham, inventa a concepção do panoptismo. Foucault tenta entender o panóptico dentro das problematizações do espaço, que para ele vão estar ligadas às dificuldades, no século XVIII, de lidar com o crescente aumento populacional e as transformações oriundas desta demanda. Segundo os escritos de Bentham, o panóptico é em sua estrutura física um prédio circular com uma torre central, de onde se pode observar as celas construídas a sua volta. Para empreender o estudo da invenção do panoptismo por Foucault, a pesquisa foi dividida em três capítulos. No Primeiro capítulo foi feita uma investigação sobre quais foram as prerrogativas do panoptismo, no sentido de inserir o pensador e sua obra dentro de um universo de produção. No segundo capítulo vai se falar de aproximações e divergências nas concepções de Foucault e Bentham do panóptico, em como Foucault o tomou como um indicativo de uma temporalidade. No terceiro capítulo foi feita uma divisão das fases do pensamento do autor, relacionando-as a arte e o ofício de historiar, para entender como é possível falar em invenção do panoptismo.; Michel Foucault in his book Discipline and Punish (Vigiar e punir) invents the concept of panoptic studying its architectural plan elaborated by Jeremy Bentham. Foucault tries to understand the panoptic inserted in problems about space that are...

Foucault entre a crítica e o nominalismo; Foucault between criticism and nominalism

Stival, Monica Loyola
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/05/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
Foucault analisa o liberalismo a fim de tornar inteligíveis as relações concretas de poder. Isso porque o liberalismo moderno põe em jogo um determinado regime de verdade, o que significa que seria possível, a partir dele, destacar o sentido que unifica esse período como época moderna. O procedimento adotado por Foucault consiste em delimitar condições de existência, fazendo a metodologia arqueológica prolongar-se na dimensão macrofísica do poder. Todavia, esse procedimento crítico de busca por condições impede a realização de uma história nominalista, única concepção de história que poderia atender aos pressupostos do projeto genealógico. Afinal, o nominalismo em história está em jogo desde que Foucault procura acentuar a contingência e singularidade de todo acontecimento, incluindo aí o nascimento do sujeito moderno. Mas não há conciliação possível entre o acento no método crítico e o acento no pressuposto da diferença, próprio ao nominalismo, o que leva Foucault a uma leitura incomum da modernidade e do sujeito. Essa leitura traz à tona duas consequências incômodas, pois nela toma corpo certo primado do discurso e a criação, como signo da atividade (política) do sujeito, parece não ter lugar. A fim de iluminar essa duplicidade inconciliável e suas consequências...

Michel Foucault e a revolução iraniana; Michel Foucault and the Iranian revolution

Mauricio Aparecido Pelegrini
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.2%
Em 1978, Michel Foucault escreveu uma série de artigos jornalísticos para o periódico italiano "Corriere della Sera". Intituladas "reportagens de ideias", tinham como objetivo acompanhar o nascimento das ideias no cruzamento com os acontecimentos do tempo presente. No âmbito deste projeto, realizou duas viagens ao Irã (em setembro e novembro), onde acompanhou de perto a movimentação popular durante os eventos da Revolução Islâmica. Para compreender as raízes da oposição ao governo do xá Reza Pahlavi em seus diversos locais de manifestação, Foucault não se restringiu a conversar com os líderes revolucionários, mas entrevistou diferentes categorias de manifestantes, desde os trabalhadores organizados até os profissionais liberais e intelectualizados, passando pelos diversos níveis de organizações religiosas espalhadas pelo país, dos mulás líderes tribais aos aiatolás das grandes cidades de Qom e Teerã. O que lhe interessava era assistir ao nascimento de uma nova forma de pensar entre os iranianos, e isto só seria possível se ele estivesse lá, em meio ao fervilhar revolucionário. O conjunto de textos, que compreende também artigos, manifestos e entrevistas publicados na imprensa francesa, foi objeto de enorme polêmica...

Biopolítica e liberalismo: a crítica da racionalidade política em Michel Foucault

Danner, Fernando
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.18%
Esta tese tem por objetivo analisar a relação entre genealogia, biopolítica e liberalismo em Michel Foucault. O conceito de biopolítica (ou biopoder) apareceu, no pensamento político de Foucault, como conclusão de suas pesquisas em torno da genealogia dos micropoderes disciplinares – notadamente no que se refere à sua obra Vigiar e Punir (1975) e aos cursos no Collège de France na primeira metade dos anos de 1970 – principalmente no curso Em Defesa da Sociedade (1975-1976) e no último capítulo de sua obra História da Sexualidade I: A Vontade de Saber (1976), “Direito de Morte e Poder Sobre a Vida”. Nestas obras, a biopolítica é desenvolvida em oposição ao poder soberano de vida e de morte. Já nos cursos Segurança, Território, População (1977-1978) e Nascimento da Biopolítica (1978-1979), Foucault desenvolve o conceito de biopolítica articulandoo à “genealogia do Estado moderno”. O interesse de pesquisa de Foucault volta-se, agora, ao estudo das modernas economias de mercado do pós-guerra, em particular do Ordoliberalismo alemão e do neoliberalismo americano da Escola de Chicago e sua Teoria do Capital Humano, com o intuito de perceber a reformulação da questão da biopolítica nos marcos da governamentalidade neoliberal. Minha tese...

Michel Foucault e a dominação: contribuições para a sociologia

Freire, Alyson Thiago Fernandes
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais; Desenvolvimento Regional; Cultura e Representações
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
In this master s thesis I intend to carry out an interpretation of Michel Foucault s thought that points out the relations and theoretical, conceptual and thematic consequences with sociology in his work and theoretical propositions. For my argumentation and analysis I take as a base a specific part of his thought: the problem of domination in modern societies in the genealogic texts in the decade of 1970. It s about to identify how Foucault does his analysis of the relations of domination and the use of the power with the objective to suggest and point out his contribution to sociological analysis of domination. I will discuss the foucaultian program of the study of domination from four units of analysis: person constitution, knowledge, power and truth. The structure and division of the chapters will follow the specific and detailed study of each of those units of analysis, prioritizing their theoretical sense and consequences to the sociology. Thus, in the first chapter, I will highlight a little more the relations of affinity and the convergences between Foucault and the sociology in a way to offer more elements to justify the general objectives that this work intends to achieve. In the second chapter, I will analyze the subject of domination in Foucault s thought...

Cuidado de si e hermenêutica do sujeito em Michael Foucault

Oliveira, Gilberto Benedito de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Filosofia; Metafísica
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.13%
The work, here present, has as its objective to present in a clear and distinct manner the object of study of Michel Foucault in his last years of teaching at the College de France, namely, the care of the self. We present the care of the self in its birth, in its origin, from the character Socrates and its development until the beginning of the Christian age. With a keen eye, we present Foucault with a work of return and rescue of the care of the self to the personal and academic discussions; we propose, from the self care, to the contemporary subject a problematization of their life so that from this questioning he creates for herself ways of life that are coherence, knowledge and care with which he has of must particular, his himself. Passing by the sources that served as the source of study for Foucault to sketch the birth of care of the self, we design the form with which Foucault has dealt with the documents that speak of the care of self. We present Socrates as one who by excellence ensures that the other will give birth to the forms of knowledge and care of the self or, in other words, we present the care of the self socratic-foucauldian as a constant worry of the other to pay attention to ways in which he conducts her life...

Crítica em Kant e Michel Foucault : semântica transcendental e semântica transcendental-histórica (sobre produção de Filosofia); Critique in the Foucault's and Kant works : transcendental semantics and transcendental-historical semantics (about the production the Philosophy)

Suze de Oliveira Piza
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.28%
Esse texto se insere no debate contemporâneo sobre as aproximações entre Kant e Foucault. A relação entre essas duas Filosofias é, ao mesmo tempo, de ruptura e continuidade. Por um lado, o método arqueologia-genealogia levará a resultados que se opõem a muitas teses de Kant sobre o ser humano, o conhecimento e a história. Por outro lado, Foucault não abandona em nenhum momento as fôrmas kantianas de fazer Filosofia e seu método está mergulhado no modelo kantiano e na atitude crítica. Foucault nega o a priori formal, mas afirma um a priori histórico; nega o sujeito transcendental e, consequentemente o idealismo transcendental, mas afirma analogamente um transcendental histórico; inverte categorias kantianas fundamentais e produz algumas de suas principais teses acerca do sujeito moderno. Foucault inverte categorias kantianas, assim como ao longo da história da Filosofia, grandes pensadores subverteram seus mestres criativamente. Foucault assume a atitude crítica, adota o modelo da Filosofia transcendental, usando, portanto, as fôrmas de Kant, contudo, troca o seu conteúdo. Nossa tese caracteriza o que o próprio Michel Foucault indicou como sendo sua filiação kantiana; isto é, se este se inscreve de alguma forma na tradição filosófica...

De vagos y maleantes: Michel Foucault en España

Galván, Valentín
Fonte: Barcelona : Virus Editorial, 2010. Publicador: Barcelona : Virus Editorial, 2010.
Tipo: Livro Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
37.25%
317 p. ; 19 cm; Libro Electrónico; El pensamiento de Michel Foucault sigue inspirando en nuestro país numerosos artículos , comentarios y libros, trabajos que abar­can campos tan dispares como la filosofía, la sociología, la historia, el derecho, la geografía, la lingüística, la arquitectura, la medicina, la biología o el feminismo. En el caso hispano y en particular el español no se ha investigado la recepción de su obra, por lo que pretendemos cubrir este vacío, teniendo en cuenta que en Inglaterra, Alemania, los países del Este europeo y en Norteamérica hace años que se estudió el impacto de su pensamiento.Este ensayo, tomando como objeto las interpretaciones del filósofo francés, analiza las lecturas y los lectores que acogieron la obra foucaultiana en el ámbito intelectual académico y extraacadémico español. Es fundamental conocer qué sucedió en nuestro país desde la posguerra hasta la instauración de la democracia, para comprender las condiciones de recepción del pensamiento de Foucault. El trabajo abarca desde 1967 —año en que se publicó el primer artículo sobre su obra— hasta 1986, fecha que justificamos por los homenajes, congresos, conferencias y publicaciones que se sucedieron tras su muerte en 1984.; Este libro de reciente difusión...

Sujeito e linguagem em As palavras e as coisas, de Michel Foucault; ; Sujet et langage dans Les mots et les choses, de Michel Foucault

Pereira, Everton Almeida
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.15%
A obra de Michel Foucault é rica por diversos aspectos e atestada por diversos filósofos e pensadores contemporâneos, como Gilles Deleuze, Jürgen Habermas, Jean Baudrillard, Maurice Blanchot etc. Sua obra é marcada pela minúcia de suas análises críticas, tanto no que se refere à análise do bio-poder, da sexualidade, da sociedade de controle, quanto por sua contribuição acerca da linguagem e das ciências humanas. Foucault sempre se manteve inclassificável, e isso se deu por conta da pluralidade dos temas abordados no interior da sua vasta obra. Porém, além dos temas elencados por Foucault, o tema da linguagem é central em seu pensamento, principalmente no que concerne a relação desta com o sujeito, como evidenciada na sua obra As Palavras e as coisas. E é esta relação entre o sujeito e a linguagem no interior d’as palavras e as coisas que será o objeto de reflexão no presente artigo, pois tal relação se apresenta como sendo o cerne no pensamento de Michel Foucault, para se compreender não somente o sujeito, como produto da modernidade, mas também problematizar o estatuto das ciências humanas, ou ciências do homem, uma vez instauradas por meio da linguagem e consequentemente por meio da relação entre esta e o sujeito.; ; Riche à bien des égards...

Foucault na formação discursiva da análise de discurso : um autor, um conceito, uma positividade; Foucault across the discursive formation of discourse analysis : an author, a concept, a positivity

Jefferson Fernando Voss dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.15%
O objetivo principal desta tese é o de traçar um percurso histórico a partir do conceito de formação discursiva (FD) de Michel Foucault nos estudos do discurso que vão de 1970 a 1980 na França. Este percurso visa contribuir para a história das articulações entre a arqueologia dos saberes de Michel Foucault, com destaque para o conceito de FD, e os projetos teóricos de Michel Pêcheux ¿ reconhecido como um dos grandes filósofos e epistemólogos que contribuíram para a fundação da análise de discurso francesa (ADF). A tese está dividida em dois capítulos principais, aos quais são acrescidos um capítulo introdutório e outro final com as últimas considerações. Quanto aos dois capítulos centrais, o primeiro deles realiza um percurso pelas rearticulações teóricas que, tanto da parte do grupo em torno de Michel Pêcheux quanto de outras vias de desenvolvimento da ADF, aproximaram conceitos arqueológicos de Foucault às teorias do discurso desenvolvidas à época, entre o início da década de 1970 e o início da década de 1980. Já a segunda parte da tese, seu terceiro capítulo, destina-se a um segundo percurso, dessa vez focalizando as diversas autocríticas e reelaborações teóricas de Michel Foucault em torno de sua própria arqueologia dos saberes. A principal contribuição da argumentação que desenvolvo é tentar tornar evidente que estiveram em ação práticas múltiplas e descontínuas de análise de discurso que...

Corpos sonhados-vividos: a dimensão onírica do poder em Michel Foucault e sua relação com a psicologia; Dreamed-lived bodies: the oneiric dimension of power in Foucault and its relation with the psychology; Cuerpos soñados-vividos: la dimensión onírica del poder en Michel Foucault y su relación con la psicología; Corps rêves-vécus: la dimension onirique du povoir chez Michel Foucault et sa relation avec la psychologie

Silveira, Fernando de Almeida
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.22%
Michel Foucault’s work highlights body, “interpenetrated by history”, as an expression of forces of power and knowledge, which get strategically articulated in the history of occidental society. As “the power is a producer of the individuality and that the individual is a production of the power and knowledge”, the body is a piece within a domination and submission play which is present in the whole social network, in the historical process of production of subjectivity. This research analyzes the oneiric dimension in the genealogy of Foucault and it aims to verify the historical effects of the power and knowledge in the construction of the subjective imaginary, through the body, in a reciprocal approach between Psychology and Philosophy fields.; La obra de Michel Foucault destaca el cuerpo, “interpenetrado por la historia”, como expresión de las fuerzas de poder y saber, que se articulan estratégicamente en la historia de la sociedad occidental. En la medida que “el poder es un productor de la individualidad y que el individuo es una producción del poder y del saber”, el cuerpo es una pieza dentro de un juego de dominación y sumisión que está presente en toda la red social, en el proceso histórico de producción de subjetividad. Esta investigación examina la dimensión onírica en la genealogía de Foucault y su objetivo es verificar la historia de los efectos de poder y saber en la construcción del imaginario subjetivo...

Foucault e Heidegger: a ética e as formas históricas do habitar (e do não habitar); Foucault e Hidegger. The ethics and the historical forms of the inhabiting (and of the not inhabiting)

Figueiredo, Luís Claudio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/1995 POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
A partir de uma entrevista em que Foucault coloca a obra de Heldegger como uma das duas bases fundamentais de seu próprio pensamento (a outra é Nietzsche), o texto desenvolve uma das possibilidades de proximação entre Heidegger e Foucault:  compreensão da ética enquanto morada e habitação. Os trabalhos derradeiros de Foucault, em que se renova o pensamento da ética através de uma nítida separação entre ética e moral mediante uma análise da ética enquanto procedimentos e técnicas da subjetivação - as tecnologias de si - são então contemplados por este  ângulo. Ao final, é retomada e discutida a última mensagem de Foucault, a sua proposta de uma ética entendida como uma nova estética existencial.; Based on an interview given by Foucault where he acknowledges the work of Heidegger and Nietzsche as the two main pillars  of his own thought, the essays explores one way of approximating Heidegger  and Foucault: the understanding of ethics as dwelling and inhabitation. The renewal of thought on ethics which takes place in the latest works by Foucault, through a sharp separation between ethics and moral philosophy and through an analysis of ethics as procedures and techniques of subjectivation  - as technologies of self - are being here analysed from the point of view of ethics as dwelling and inhabitation. Finally...

O sorriso kafkiano de Foucault; The kafkian smile of Foucault; La sonrisa kafkiana de Foucault

Gomes, Daniel de Oliveira; Universidade Estadual do Centro Oeste do Paraná
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Linguística - UFSC Publicador: Programa de Pós-Graduação em Linguística - UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; avaliado por pares; Pesquisa teórica Formato: application/pdf
Publicado em 18/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.18%
http://dx.doi.org/10.5007/1984-8412.2011v8n2p159O presente artigo investiga uma relação entre Foucault e Kafka pontuando o tema autoral da “renúncia de si”, ou do “apagamento de si”. Tal desaparecimento se dá de modo distinto de casos como as máscaras de Fernando Pessoa ou como o apagamento do inventor no âmbito da Renascença. Mesmo assim, Foucault sorri como Mona Lisa, de Leonardo Da Vinci, imagem de Durval Albuquerque Júnior, e neste riso de nós e de si mesmo, abre-nos pistas para que possamos imaginá-lo dentro de sua obra. Uma obra que evolveu o problema da autoria de tal modo que atingiu a revisão do conceito helenístico do “cuidado de si”, em sua última fase.; This  article investigates a relationship between Foucault and Kafka punctuating the authorial theme of the "selfdenial," or "self-effacement." This disappearance occurs differently from cases like the masks of Fernando Pessoa, or as the effacement of the inventor in the Renaissance. Even so, Foucault smiles like Mona Lisa, by Leonardo Da Vinci, image of Durval Albuquerque Júnior, and this laugh at us and at himself opens up clues to us so we can imagine him inside his work. A work that evolved the authorship issue in such a way that affected the Hellenistic concept’s review of the "self- care" in his last phase.KEYWORDS: Foucault; Kafka; person; Da Vinci...

Biopoder e Racismo Político: Uma análise a partir de Michel Foucault; Biopower and political racism: an analysis from Michel Foucault; Biopoder y racismo político: un análisis desde Michel Foucault

Candiotto, Cesar; Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR, Curitiba, PR; Salomé D’Espíndula, Thereza; Faculdade Pequeno Príncipe (FPP), Curitiba, PR
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.23%
http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2012v9n2p20A experimentação de novos tratamentos e medicamentos valeu-se dos humanos como cobaias desde que estes se deram conta de que isso poderia colaborar para uma melhoria das condições de vida. Porém, foram produzidas vítimas. Apesar dos grandes benefícios, interesses científicos e individuais podem ser conflituosos gerando complicações, mesmo éticas, como ocorreu no “Caso Tuskegee”, um estudo acerca da evolução da sífilis. Após narrar o mesmo, o presente artigo pretende elaborar uma interligação com o biopoder de Foucault. O biopoder inicia-se com o advento do capitalismo e de uma medicina com função de higiene pública, centralização da informação, saneamento e controle de doenças e, imbuída desse papel, passa a exercer um controle do uso dos corpos e da manutenção da saúde da população. Questionando Tuskegee, chega-se a outro ponto ressaltado por Foucault: que para o exercício do poder e da função de morte em um sistema político centrado nele, há que intervir o racismo político. O termo “racismo” empregado por Foucault pode hoje abrigar as diferenças de raça ou cor, de padrões midiaticamente exigidos; ele também pode incluir as situações de exclusão...

Christian pastorship in Foucault. Service, sexuality and apatheia.; Pastorado critão em Foucault. Serviço, sexualidade e apatheia.; Pastorado cristiano en Foucault. Servicio, sexualidad y apatheia [doi: 10.7443/problemata.v4i1.13306]

Barros II, João Roberto
Fonte: Universidade Federal da Paraíba -UFPB Publicador: Universidade Federal da Paraíba -UFPB
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Genealogia Formato: application/pdf
Publicado em 13/04/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.22%
Firstly, we will consider how the apatheia is articulated within Foucault’s researches about Christian pastorship and governmentality. Secondly, we will present a critique to the concept of apatheia adopted by Foucault. In our understanding, the rupture between the Christian and the ancient apatheia claimed by Foucault lacks basis. Such break is the way through which Foucault relates the concept at issue to the pastoral power.; Veremos, en un primer momento, cómo la apatheia se articula dentro de las investigaciones de Foucault sobre la gubernamentalidad y el pastorado cristiano. En un segundo momento, presentaremos una crítica al concepto de apatheia adoptado por Foucault. A nuestro ver, la ruptura entre la apatheia antigua y la cristiana reivindicada por Foucault carece de fundamento. Ésta ruptura es la forma que Foucault encuentra para relacionar el concepto en cuestión al poder pastoral.; Veremos, en un primer momento, cómo la apatheia se articula dentro de las investigaciones de Foucault sobre la gubernamentalidad y el pastorado cristiano. En un segundo momento, presentaremos una crítica al concepto de apatheia adoptado por Foucault. A nuestro ver, la ruptura entre la apatheia antigua y la cristiana reivindicada por Foucault carece de fundamento. Ésta ruptura es la forma que Foucault encuentra para relacionar el concepto en cuestión al poder pastoral.

Por uma interlocução interpelante entre Foucault e a psicanálise nas críticas às práticas educacionaisFor an interpellant interlocution between Foucault and Psychoanalysis in the criticisms of educational practices

Silva, Eduardo Pinto e
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 30/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.18%
Propõe-se uma crítica radical às práticas educacionais a partir de uma interlocução interpelante entre Foucault e a psicanálise. Foucault aborda os temas da loucura, saber, poder e ética, tendo como pano de fundo uma crítica à sociedade disciplinar, às instituições e à normalização operada pela psiquiatria e psicanálise. Freud aborda a dinâmica dos conflitos psíquicos contrapondo-se ao saber médico de sua época, de modo a elaborar uma teoria sobre o inconsciente. O resgate das críticas de Foucault a Freud é fundamental à proposição deste artigo. O diálogo entre as críticas foucaultianas e psicanalíticas à educação e suas possíveis contribuições às transformações de suas práticas só se faz possível e potencializado quando se leva em conta as pertinentes críticas de Foucault à psicanálise. Por outro lado, faz-se necessário admitir que o campo psicanalítico, interlocutor permanente de Foucault, pode, em certa medida, vir a ser um aliado ao projeto filosófico deste último, quer seja em função do descentramento em relação à visão do sujeito racional, quer seja pela crítica às instituições, de modo a promover formas de se pensar e agir diferentes das que geralmente se objetivam nas práticas escolares e na vida cotidiana.AbstractThis paper proposes a radical criticism of educational practices from an interpellant interlocution between Foucault and psychoanalysis. Foucault deals with themes like insanity...

O Édipo de Foucault não é o de FreudEl Edipo de Foucault no es de Freud

Pereira, Marcelo Ricardo
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares; bibliográfica Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
O Édipo, como o homem que sabia demais, era por isso o homem da ignorância. Foucault, diferente de Freud, estabelece um Édipo historicizado no tempo da passagem da forma jurídica do “regime de provas” à do “sistema de inquérito”, culminando no que chamou de o “exame” – nome lacônico que dá às ciências humanas. Porém, não há como mencionar a tragédia sofocliana sem tocar na hermenêutica psicanalítica, e sobre isso Foucault é implacável: a Psicanálise é um dispositivo discursivo de poder, uma ciência disciplinar, contendora do desejo. Mas a Psicanálise não deve ser emparelhada à Psiquiatria, por exemplo. A “razão” freudiana reside justamente numa tensão paradoxal entre dar voz à singularidade e, ao mesmo tempo, reafirmar universais históricos da cultura. Édipo não é uma nosografia, mas o que detém um “saber que não se sabe”: o do inconsciente. Se ele é o homem do inconsciente em Freud, em Foucault ele será o da ignorância. Nisso, ambos se confluem: o homem moderno para sempre está “dissolvido”. Palavras-chave Sigmund Freud; Michel Foucault; Édipo; Ciências humanas Resumen Edipo, como el hombre que sabía demasiado, era el hombre de la ignorancia. Foucault, a diferencia de Freud...

Esquecer Foucault?

Veiga-Neto, Alfredo; Rech, Tatiana Luiza
Fonte: Pro-Posições Publicador: Pro-Posições
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ;
Publicado em 22/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.17%
A partir de uma crítica aos “usos impertinentes” do pensamento foucaultiano na pesquisa educacional, argumenta-se que, muitas vezes, é melhor esquecer Foucault. Mas o conselho de “esquecer o careca” nada tem a ver com os ataques de alguns intelectuais contra o filósofo — entre eles, Baudrillard, Merquior, Mandosio e Semprun. Lembrando que, assim como acontece com qualquer autor ou teoria, também Foucault não é “pau para toda obra”: é preciso estar sempre atento à necessária pertinência entre, de um lado, aquilo que se pergunta e se quer estudar e, de outro lado, os recursos conceituais e metodológicos colocados à nossa disposição pelos Estudos Foucaultianos. Com isso, conservam-se e preservam-se as duas partes envolvidas: de um lado, Michel Foucault; de outro, aqueles que se valem das suas contribuições. Como conclusão, são enumeradas sugestões a serem observadas por quem quiser trabalhar com Foucault ou, a partir dele, levar adiante suas próprias investigações.AbstractFrom a critique of the “impertinent uses” of Foucault’s thinking in educational research, it is argued that it is often better to forget Foucault. But the advice to “forget the bald” has nothing to do with the attacks of some intellectuals against the philosopher — among them...