Página 1 dos resultados de 179 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Dinâmica de bolhas especulativas e finanças comportamentais: um estudo aplicado ao mercado de câmbio brasileiro.

Lintz, Alexandre Carlos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.75%
Desde a adoção do regime de câmbio flutuante no Brasil, o mercado de moedas vem apresentando grande volatilidade e mudanças elevadas nos níveis de preços. A dinâmica de bolhas especulativas vem sendo apontada, inclusive por membros do Banco Central do Brasil, como uma importante fonte de pressão nesse mercado. Um processo de bolha especulativa, segundo Shiller (2000, p. XIV), pode ser definido como “[...] uma situação em que preços altos são sustentados em grande parte pelo entusiasmo (overconfidence) dos investidores e não por uma estimativa consistente de valor real.” A atribuição dada à bolha especulativa, porém, tem se mantido em um plano qualitativo. Dada a necessidade crescente de se compreender a dinâmica do mercado de câmbio no Brasil, esta pesquisa teve o objetivo de analisar de forma mais aprofundada como o processo de bolhas especulativas pode vir a afetar esse mercado. A teoria de finanças comportamentais (behavioral finance) foi extensivamente utilizada com esse objetivo. Por meio de quatro testes quantitativos propostos na literatura, encontraram-se evidências de que a dinâmica de bolhas especulativas pode estar presente na formação de preços no mercado de câmbio brasileiro. A literatura de finanças comportamentais forneceu evidências de que a dinâmica de bolhas especulativas poderia ser potencializada por falhas cognitivas cometidas pelos agentes que atuam nesse mercado. Essa hipótese foi testada nesta pesquisa. Em entrevistas com doze executivos financeiros...

Finanças comportamentais : observações sobre o cotidiano financeiro dos indivíduos

Orsolin, Faustino
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
A teoria de Finanças Comportamentais tem se desenvolvido nas últimas décadas frente à incapacidade das teorias tradicionais e modernas de explicar os movimentos do mercado. Essa nova abordagem em finanças é amplamente estudada na área de investimentos, especificamente no mercado de capitais, incorporando conceitos da área de Psicologia na tentativa de explicar o comportamento dos indivíduos na tomada de decisões. Entende-se que os fatores comportamentais e psicológicos presentes nessa teoria, também podem ser analisados para outras decisões financeiras, aquelas que envolvem o dispêndio. Este trabalho descreve observações empíricas do cotidiano do indivíduo, demonstrando aspectos pouco racionais nos processos decisórios do consumo, bem como nas decisões relativas ao mercado de capitais e pretende dar uma contribuição para o entendimento do sistema, propiciando ao indivíduo facilidades na interação com o mesmo com vistas à obtenção de uma melhor performance de resultados.

Finanças comportamentais : um estudo do comportamento do consumidor de produtos financeiros

Severo, Fernanda de Borba
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
Com o objetivo de entender e explicar como se dá a tomada de decisões financeiras dos indivíduos, o campo de estudos das Finanças comportamentais incorpora em suas teorias aspectos da psicologia e sociologia, e, ao longo dos anos, a área tem ganhado destaque, tanto dentro quanto fora do mundo acadêmico. Este trabalho pretende analisar e compreender como se dá o processo de tomada de decisão financeira em períodos de turbulências econômicas, neste estudo representada pela crise financeira compreendida entre o segundo semestre de 2008 e o primeiro semestre de 2009, para isso, foi realizada uma pesquisa quantitativa em que os resultados se alinham com os principais pressupostos de Finanças comportamentais. Além da busca de referencial bibliográfico na área de Finanças comportamentais, buscou-se incluir também um referencial que forneça instrumentos para a compreensão dos fatores que causam crises econômicas, uma exposição de como opera o sistema financeiro e como funciona a operação e concessão de crédito. Espera-se que este estudo venha trazer uma melhor compreensão do comportamento financeiro dos indivíduos, destacar a importância da área e despertar um maior interesse para a realização de estudos futuros sobre o tema.; Aiming to understand and explain how the financial decision-making of individuals works...

Finanças comportamentais : um estudo sobre a decisão de investimento dos jovens

Chiele, Pedro Gaio
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.8%
A Hipótese dos Mercados Eficientes fundamenta-se na idéia de que os indivíduos são perfeitamente racionais nas decisões de investimentos. As finanças comportamentais surgem como uma abordagem alternativa a essa afirmação, justificando a não racionalidade do homem através das ilusões cognitivas e da aversão ao risco. Inicialmente este trabalho traça as principais linhas que diferem a teoria comportamental das finanças modernas. São apresentados os principais elementos das finanças comportamentais e é discutido o processo de tomada de decisão. Posteriormente, realiza-se um estudo com 65 investidores do mercado financeiro, a fim de analisar o comportamento dos jovens investidores ao enfrentarem situações de risco. Com a pesquisa, percebe-se que os investidores sofrem influências emocionais na tomada de decisão de investimento e que, no entanto, os jovens vêm buscando mais informações a respeito do mercado quando comparados com investidores mais velhos. Nota-se também que os mais jovens conseguem “escapar” de algumas ilusões cognitivas, arriscando para potencializar seus resultados, tanto no campo dos ganhos quanto no das perdas. Por sim, sugerese possíveis ações para que corretoras e profissionais do mercado financeiro possam atender às necessidades dos jovens investidores.; The efficient market hypothesis asserts that people are perfectly rational in investment decisions. The behavioral finance has emerged as an alternative approach to this statement...

Estudo das finanças comportamentais : o caso dos investidores em uma agência bancária

Landvoigt, Deisiane Cristine
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.84%
Finanças Comportamentais vêm traçando um longo percurso tentando contradizer a racionalidade dos mercados eficientes através de estudos sobre aspectos comportamentais. Este trabalho de conclusão tenta identificar esses comportamentos em uma agência bancária do HSBC, para isso foi realizada uma pesquisa quantitativa em que os resultados obtidos identificam comportamentos que se deparam com as teorias das Finanças Comportamentais bem como suas heurísticas. Espera-se que com este estudo a agência crie um diferencial no seu atendimento de forma que, os clientes fiquem mais bem informados, e, conseqüentemente, mais capacitados para tomar decisões sobre os seus investimentos.; Behavioral finances have been following a path so as to contradict the racionality of less efficient markets through studies on behavioral aspects. This final paper is an attempt to identify such behavioral patterns in an HSBC bank agency. Thus, a quantitative research was done in which the results show the behavioral patterns which characterize behavioral finance theories as well as its heuristics. The study targets at improving the service at the bank agency so as its clients become better informed as well as more condident to make decisions about their investiments.

Finanças comportamentais : orientação ao perfil do investidor pessoa física

Bandinelli, Michele Bettim
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.83%
As Finanças Comportamentais vêm traçando um longo percurso oferecendo interpretações alternativas ao modelo que pressupõe o comportamento racional dos agentes e o funcionamento dos mercados eficientes por meio de estudos dos aspectos comportamentais no processo de tomada de decisão. Este trabalho tenta identificar a consideração desses comportamentos no processo de orientação ao investidor pessoa física no varejo. Adequandose às exigências da ANBIMA, as instituições financeiras desenvolveram o questionário de Análise de Perfil do Investidor para aferir o perfil do investidor. A partir da análise destes questionários buscou-se identificar se tais aspectos comportamentais são considerados na formulação desses questionários e se a abordagem converge para os achados das teorias das Finanças Comportamentais na dinâmica do processo de orientação à decisão do investidor pessoa física.; The Behavioral Finance have been plotting a long way to offering alternative interpretations of the model that assumes rational behavior of agents and the efficient functioning of markets through studies of behavioral aspects in decision-making process. This study attempts to identify the consideration of these behaviors in the process of orientation to the private investor in retail. Adjusting to the demands of ANBIMA...

Finanças comportamentais: o comportamento do agente decisório nos cenários de ganhos, perdas, riscos e incertezas

Silva Filho, Darlan Maciel da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 107 f. : il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
66.83%
Pós-graduação em Economia - FCLAR; As Finanças Comportamentais, com base em estudos empíricos, procuram demonstrar que os investidores nem sempre se mantêm racionais ao tomarem decisões que envolvem riscos, conforme argumentava a Teoria Neoclássica de Finanças. Este trabalho tem como objetivo contextualizar o recente campo de estudo e replicar a investigação empírica do artigo seminal de Kahneman e Tversky (1979) que aborda a Teoria do Prospecto e que constitui a base de Finanças Comportamentais. Simultaneamente, serão comparados os resultados da pesquisa com os de Kahneman e Tversky (1979) com os obtidos nesse estudo. Os resultados encontrados nesta população específica mostram similaridade, e que mesmo com populações e períodos diferentes, os indivíduos tendem a se comportar de maneira, na maioria das vezes, contraria ao que argumentava a Teoria Neoclássica de Finanças; Basing on empirical studies, Behavioral Finance seek to demonstrate that investors not always have a rational posture when it comes to making decisions that might involve some sort of risk, according to Neoclassical Finance Theory. This paper aims to contextualize recent studies and respond to the empirical investigation on Kahneman and Tversky’s (1979) seminal article...

Limites da arbitragem no mercado de capitais : abordagem das finanças comportamentais; Limits to arbitrage in the capital market : behavioral finance approach

Vitor Kamada
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.75%
Esta dissertação trata dos limites à arbitragem no mercado de capitais. A idéia básica subjacente ao processo de arbitragem é comprar ativos financeiros desvalorizados e vender ativos financeiros supervalorizados. A finalidade é obter ganhos pecuniários mediante o diferencial dos preços. A economia neoclássica supõe que a arbitragem é processo instantâneo sem custos e riscos realizado por agentes atomísticos. No presente trabalho, essa hipótese é contestada com base nos avanços teóricos das Finanças Comportamentais. Na realidade, a arbitragem é sofisticada estratégia de investimento planejada por poucos profissionais altamente especializados em determinados mercados. Não obstante a arbitragem envolver substanciais custos e riscos, não há garantias de sucesso. A análise de casos concretos sugere que a concepção de arbitragem proposta pelas Finanças Comportamentais é mais realista. Três casos paradigmáticos foram analisados neste trabalho, a saber: I) empresas controladoras que valiam menos do que suas subsidiárias, como o exemplo da 3Com/Palm; II) ações gêmeas cujos preços desviavam-se da paridade teórica, como o exemplo da Royal Dutch/Shell; e III) o colapso do hedge fund Long-Term Capital Management (LTCM). No primeiro caso...

Finanças comportamentais: a aplicações no contexto brasileiro

Halfeld,Mauro; Torres,Fábio de Freitas Leitão
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.83%
As Finanças Comportamentais são um ramo do estudo de Finanças que tem como objetivo a revisão e o aperfeiçoamento do modelo econômico-financeiro atual, pela incorporação de evidências sobre a irracionalidade do investidor. O artigo faz uma revisão das pesquisas internacionais pioneiras sobre o tema, um relato dos primeiros estudos sobre a identificação dessas anomalias no mercado financeiro brasileiro e um levantamento das principais qualidades e deficiências das Finanças Comportamentais, que fazem deste um dos ramos mais polêmicos no mundo contemporâneo das Finanças.

Paradoxos em finanças: teoria moderna versus finanças comportamentais

Kimura,Herbert; Basso,Leonardo Fernando Cruz; Krauter,Elizabeth
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.9%
Este artigo aborda as finanças comportamentais, uma das inovações mais importantes e controversas em finanças, que confrontam o paradigma tradicionalmente aceito, baseado na moderna teoria financeira. Inicialmente realiza-se uma síntese de potenciais problemas de tomada de decisão, exemplificando-se alguns aspectos não racionais que constituem importantes paradoxos em finanças. Após uma discussão da teoria de prospecto, replicam-se numa amostra brasileira os experimentos seminais de Kahneman e Tversky. São discutidas diversas situações que violam premissas da teoria da utilidade esperada, base da teoria moderna de finanças. Os resultados empíricos mostram que se mantêm as evidências de diversos vieses de percepção em decisões, independentemente de aspectos relacionados com a evolução do mercado e com a cultura ou nacionalidade dos indivíduos. O distanciamento entre a teoria moderna de finanças e a prática em decisões financeiras sugere a abordagem das finanças comportamentais como uma alternativa

Mercados eficientes e arbitragem: um estudo sob o enfoque das finanças comportamentais

Rabelo Junior,Tarcísio Saraiva; Ikeda,Ricardo Hirata
Fonte: Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Contabilidade e Atuária Publicador: Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Contabilidade e Atuária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.85%
A Hipótese dos Mercados Eficientes (HME) tem se mostrado uma das mais influentes teorias no campo das finanças, sendo base para inúmeros modelos de precificação de ativos, com aplicações que vão desde modelos tradicionais utilizados em Finanças Corporativas até avançadas teorias utilizadas na identificação do preço "justo" de derivativos financeiros. Um dos pilares da HME é a possibilidade da arbitragem como mecanismo de correção de possíveis desvios que o mercado possa sofrer de sua forma eficiente.Pela teoria clássica dos mercados eficientes, mesmo em um ambiente caracterizado pela presença de alguns investidores não totalmente racionais, a possibilidade de arbitragem anularia o efeito destes nos preços dos ativos negociados, trazendo-os de volta ao seu valor fundamental. Um campo relativamente novo e de crescente importância das finanças, denominado Finanças Comportamentais, tem mostrado, entretanto, que nos mercados reais a possibilidade de arbitragem é, muitas vezes, custosa e não passível de realização, comprometendo sua utilização como ferramenta reguladora do mercado e, até mesmo, a definição clássica de sua eficiência, que é a de refletir corretamente nos preços as informações existentes sobre os ativos financeiros. Este trabalho aborda a importância da arbitragem para a HME...

Vieses cognitivos nas decisões de investimentos: uma análise do excesso de confiança, aversão à ambigüidade e efeito disposição sob a perspectiva das finanças comportamentais

de Alcântara Velho Barreto Júnior, Aldemir; Ulises de Montreuil Carmona, Charles (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.75%
A partir dos estudos de Kahneman e Tversky (1979) vem ganhando força um novo conjunto de teorias, denominado de Finanças Comportamentais (RITTER, 2003). O presente estudo faz um teste destas teorias, através de uma survey junto a estudantes da Universidade Federal de Pernambuco, com a aplicação de questionários baseados nos de Kahneman e Tversky (1979), e Glaser e Weber (2003), e de uma simulação de investimentos adaptada do software criado por Macedo Jr. (2003). Os resultados não apresentaram evidências da presença do efeito disposição nas simulações, contudo identificou que os participantes que receberam os portfólios montados apresentaram resultados diferentes dos participantes que montaram sozinhos suas carteiras. O efeito reflexo também não foi evidenciado nos participantes. Foram evidenciados os efeitos do excesso de confiança, em que o efeito de ilusão de controle e otimismo exagerado foi mais presente no gênero masculino, além de se evidenciar uma correlação positiva entre o efeito melhor que a média e o volume de operações de compras. Também foi evidenciada a presença da aversão à ambigüidade nos participantes, o que em síntese indica que, frente às decisões de investimentos...

A hipótese de eficiência de mercado e as finanças comportamentais : evidências empíricas no mercado acionário brasileiro e uma proposta teórica integrativa

Wanderley da Fonte Neto, Jayme; Ulises de Montreuil Carmona, Charles (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.8%
A hipótese de eficiência de mercado (HEM) e as finanças comportamentais são alguns dos mais polêmicos temas no contexto da pesquisa em finanças. Investigações sobre a existência de possíveis vieses comportamentais e se os preços dos ativos efetivamente refletem as informações do momento estão fortemente presentes na atual agenda de pesquisa financeira. Foi objetivo deste trabalho testar a hipótese de que o mercado acionário brasileiro, de 1994 a 2005, mostrou-se eficiente nas formas fraca e semiforte, testando-se também a existência de possíveis movimentos comportamentais - sobre-reações (overreaction) ou reações atrasadas (underreaction). Para tanto, foram utilizadas duas principais linhas metodológicas: (1) comparação entre carteiras que, no passado, foram consideradas perdedoras contra as, neste mesmo período, tidas como vencedoras , baseando-se em testes paramétricos utilizados por De Bondt e Thaler (1985, 1987), Chopra, Lakonishok e Ritter (1992) e Jegadeesh e Titman (1993, 2001), além de outros não-paramétricos; e (2) estudos de eventos, para a observação do comportamento do mercado (índice Ibovespa) nos dias imediatamente anteriores e seguintes a divulgações de notícias macroeconômicas de relevância (PIB...

Finanças comportamentais: um estudo sobre a confiabilidade das decisões dos investidores, analistas e profissionais de investimento à luz da metodologia brier score

Pimenta, Daiana Paula
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.87%
As Finanças Comportamentais são um novo campo de estudos que se contrapõem ao pressuposto de racionalidade dos tomadores de decisão adotado pelas finanças modernas. Uma das vertentes dos estudos em finanças comportamentais é a identificação de como as emoções e as falhas cognitivas podem influenciar o processo de decisão dos indivíduos. A literatura de psicologia econômica evidencia o uso de heurísticas e vieses decorrentes destas falhas, dentre as quais se destaca o viés de excesso de confiança. A presente pesquisa visa a conhecer e a obter mais informações sobre a influência das características sócio-demográficas e sobre as possíveis falhas cognitivas exibidas pelos investidores, analistas e profissionais de investimento mineiros durante seu processo decisório, relacionando seus resultados empíricos às teorias de finanças comportamentais. Para tanto propõe-se a responder as seguintes perguntas: Em que aspectos as características do perfil sócio-demográfico e o excesso de confiança exercem influência sobre a tomada de decisões dos investidores, analistas e profissionais de investimento mineiros? Que nível de confiabilidade se evidencia nestas decisões? Para o levantamento dos dados optou-se pelo questionamento virtual dos respondentes por meio de um questionário composto por 32 perguntas. O contato com estes indivíduos foi possível graças a uma parceria firmada com a Associação de Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais de Minas Gerais – APIMEC MG e com a corretora de valores mobiliários TBC Investimentos...

Finanças comportamentais: sobre-reação e sub-reação no mercado bolsista português

Pereira, Fernando Emídio Leite Amorim
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.75%
Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Contabilidade e Finanças Orientador: Mestre Luis Pereira Gomes; Neste trabalho são abordados conceitos, evidências empíricas e modelos alternativos das finanças comportamentais, que contribuem para identificar reações nos mercados influenciadas por aspetos psicológicos do investidor. O estudo tem como objetivo analisar o mercado bolsista português, atendendo ao comportamento dos investidores de modo a compreender a racionalidade das suas decisões. Para o efeito, pretende-se detetar e avaliar a existência de sub-reação ou de sobre-reação nos preços dos títulos - a curto e a médio prazo -, ponderando a viabilidade da utilização de estratégias de momento ou de estratégias contrárias. O trabalho debruça-se sobre as ações das empresas cotadas no índice PSI-20 e estuda o período compreendido entre os anos 2000 e 2005. Os resultados do estudo empírico sugerem a influência de aspetos comportamentais no mercado de títulos português. Esta influência é refletida na rentabilidade superior de estratégias de momento ao longo de todo o período de análise, tanto para títulos com melhor desempenho, como para os títulos que obtêm pior desempenho.; In this work are discussed key concepts...

Contexto das finanças comportamentais: anomalias e eficiência do mercado de capitais brasileiro; Context of behavioral finance: anomalies and efficiency of the Brazilian capital market

Famá, Rubens; Cioffi, Patrícia Leite de Moraes; Coelho, Paula Augusta Rodrigues
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2008 POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
A análise do panorama contextual ajuda no entendimento da evolução das finanças: Finanças Antigas, de 1930 a 1950, Finanças Modernas, de 1950 a 1990 e Finanças Comportamentais, de 1990 em diante. A teoria e a identificação de reações comportamentais no mercado de capitais são uma contribuição à melhor compreensão deste instrumento de capitalização que é a Bolsa de Valores. Neste trabalho, tem-se o objetivo de entender o ambiente que favoreceu o desenvolvimento das Finanças Comportamentais e verificar anomalias e eficiências no mercado de capitais brasileiro. Para análise do contexto, foi medida a volatilidade do índice Dow Jones nos diferentes períodos em que se desenvolveram as teorias de finanças, bem como a evolução da globalização (correlação) dos principais mercados de capitais do mundo. A fim de qualificar o nível de eficiência do mercado de capitais brasileiro, foram analisados vários artigos científicos e identificado o seu grau de consenso na constatação de anomalias. A conclusão foi de que o ambiente de maior volatilidade e globalização dos mercados favoreceu as sobre-reações, não apoiadas na racionalidade do investidor. Mas os fundamentos das Finanças Modernas não podem ser descartados...

Finanças comportamentais: uma introdução; An introduction to behavioral finance

Yoshinaga, Claudia Emiko; Oliveira, Raquel Freitas de; Silveira, Alexandre Di Miceli da; Barros, Lucas Ayres B. de C.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2008 POR
Relevância na Pesquisa
66.9%
Dentre as principais questões que vêm sendo debatidas em Finanças está a validade das premissas assumidas por suas teorias mais tradicionais, em particular a da racionalidade dos agentes econômicos. Nesse contexto, surgiram diversos trabalhos com o objetivo de aprimorar os modelos teóricos dominantes, incorporando aspectos comportamentais antes desconsiderados. Essas linhas de pesquisa deram origem a um novo e promissor campo de estudo denominado Finanças Comportamentais. O notável crescimento dessa abordagem não ortodoxa tem sido motivado, em especial, pela tentativa de explicação satisfatória de uma gama de fenômenos regularmente observados nos mercados financeiros e incompatíveis com as predições dos modelos tradicionais. Este ensaio apresenta uma introdução sucinta aos conceitos fundamentais da área de Finanças Comportamentais e comenta duas aplicações pioneiras que incorporam dois dos vieses cognitivos mais bem documentados - otimismo e confiança excessiva.; A subject often debated in Finance is the validity of assumptions regarding traditional theories, especially in relation to the rationality of economic agents. Studies endeavoring to improve theoretical models have incorporated behavioral aspects previously disregarded thereby creating the new and promising field of behavioral finance. The remarkable growth of this unorthodox approach has been spurred by attempts to explain phenomena in the financial markets which are incompatible with traditional model forecasts. A brief introduction to the concepts of behavioral finance was presented with comments on pioneer applications that incorporated two frequent examples of cognitive biases...

Finanças comportamentais no Brasil: um estudo bibliométrico (2001-2007); Finanzas del comportamiento en Brasil: una investigación bibliométrica (2001-2007); Behavioral finance in Brazil: a bibliometric study (2001-2007)

Vieira, Thaís Roberta Correia; Pereira, Antônio Nunes
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2009 POR
Relevância na Pesquisa
66.83%
O presente estudo contribui com o mapeamento preliminar da produção brasileira em Finanças Comportamentais (FC) publicada nos eventos e periódicos Sociedade Brasileira de Finanças (SBFIN), Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (ENANPAD), Revista de Administração de Empresas (RAE), RAE eletrônica, Revista de Administração (READ) e Revista de Administração da Universidade de São Paulo (RAUSP), com posições A e B no ranking do Qualis (de acordo com a antiga classificação) entre 2001 e 2007. A metodologia do estudo é exploratória, bibliográfica e documental, com ênfase nos fenômenos documentados sobre FC. Como fio condutor da pesquisa, foi utilizado procedimento de síntese a partir da cobertura da hipótese de mercados eficientes (HME), da teoria racional da escolha e das finanças comportamentais. Após os procedimentos da pesquisa, foi possível identificar que a produção científica sobre FC está concentrada no SBFIN e no ENANPAD, com 70% das publicações. Tal fato mostra que o crescimento da publicação em eventos não foi acompanhado pelas revistas, geralmente associadas a um maior rigor metodológico, o que sugere uma necessidade de melhoria da qualidade da publicação na área.; Este estudio contribuye con la cartografía preliminar de la producción brasileña en las Finanzas del Comportamiento (FC) publicada en los encuentros académicos y revistas Sociedad Brasileña de Finanzas (SBFIN)...

Mercados eficientes e arbitragem: um estudo sob o enfoque das finanças comportamentais

Rabelo Junior, Tarcísio Saraiva; Ikeda, Ricardo Hirata
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2004 POR
Relevância na Pesquisa
66.85%
A Hipótese dos Mercados Eficientes (HME) tem se mostrado uma das mais influentes teorias no campo das finanças, sendo base para inúmeros modelos de precificação de ativos, com aplicações que vão desde modelos tradicionais utilizados em Finanças Corporativas até avançadas teorias utilizadas na identificação do preço "justo" de derivativos financeiros. Um dos pilares da HME é a possibilidade da arbitragem como mecanismo de correção de possíveis desvios que o mercado possa sofrer de sua forma eficiente.Pela teoria clássica dos mercados eficientes, mesmo em um ambiente caracterizado pela presença de alguns investidores não totalmente racionais, a possibilidade de arbitragem anularia o efeito destes nos preços dos ativos negociados, trazendo-os de volta ao seu valor fundamental. Um campo relativamente novo e de crescente importância das finanças, denominado Finanças Comportamentais, tem mostrado, entretanto, que nos mercados reais a possibilidade de arbitragem é, muitas vezes, custosa e não passível de realização, comprometendo sua utilização como ferramenta reguladora do mercado e, até mesmo, a definição clássica de sua eficiência, que é a de refletir corretamente nos preços as informações existentes sobre os ativos financeiros. Este trabalho aborda a importância da arbitragem para a HME...

A lógica do mercado: como lucrar com finanças comportamentais

Serra, Fernando Antonio Ribeiro; UNISUL - Florianópolis - SC
Fonte: UFSC Publicador: UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2007 POR
Relevância na Pesquisa
66.89%
NOFSINGER, John R. A lógica do mercado: como lucrar com finanças comportamentais. Curitiba: Editora Fundamento, 2006. 152 p. ISBN: 8588350963. O tema das Finanças Comportamentais tem despertado interesse cada vez maior nos acadêmicos, organizações financeiras e investidores. Na televisão e no rádio, economistas e especialistas em Finanças Pessoais aconselham seu público não só em como investir, mas como sair ou evitar problemas financeiros pessoais. Diversos livros têm sido escritos sobre o assunto, inclusive no Brasil como, por exemplo, o lançamento recente do livro “A Árvore do Dinheiro” do Prof. Jurandir Sell Macedo da UFSC, que aborda questões relacionadas ao comportamento financeiro e aos aspectos comportamentais que dificultam nossa relação com o dinheiro e a propriedade. Um pioneiro neste assunto é o Prof. John R. Nofsinger, cujo livro A Lógica de Mercado, originalmente chamado “The psychology of investing”, foi publicado em 2006 pela Editora Fundamento. O aspecto principal do livro é que o investimento e a relação entre poupança e consumo não envolvem normalmente decisões racionais. As decisões em geral, inclusive as relacionadas com investimento, são baseadas mais na emoção que numa análise de custo-benefício. Quando estamos investindo...