Página 1 dos resultados de 106 itens digitais encontrados em 0.103 segundos

Desenvolvimento de um sistema de recirculação para estudos sobre digestibilidade em condições de alto desempenho para camarões marinhos: avaliação de ingredientes protéicos alternativos à farinha de peixe em diferentes níveis de inclus; Development of a recirculated system for digestibility studies in high performance conditions for marine shrimp: evaluation of alternative protein sources to fish meal in different dietary inclusion levels for Litopenaeus vannamei juveniles

Carvalho, Rodrigo Antonio Ponce de Leon Ferreira de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
135.98%
Esta tese enfocou a validação de um sistema de recirculação para estudos de digestibilidade de camarões marinhos e a determinação dos coeficientes de digestibilidade de ingredientes protéicos em diferentes níveis de inclusão para a elaboração de dietas para camarões marinhos. O sistema de recirculação compreendeu o projeto de um tanque para estudos de digestibilidade com camarões e entre os diferentes sistemas avaliados, o Guelph-L foi o mais eficiente porque combinou uma alta eficiência de remoção de sólidos com um melhor perfil de velocidade da água e menor distância percorrida pelas partículas de fezes ou alimento não consumido. Os ensaios de digestibilidade com os seis ingredientes protéicos: farinha de peixe (FPX), concentrado protéico de soja (CPS), farinha de vísceras de frango (FVI), glúten de milho (GLM), farinha de carne e ossos (FCO) e farinha de penas hidrolisadas (PEN) incluídos na dieta referência nos níveis de 10, 20 e 30% mostraram que a digestibilidade aparente dos ingredientes foi significativamente influenciada pelo seu nível de inclusão nas dietas teste e esta influência foi mais intensa nos ingredientes glúten de milho e farinha de vísceras de frango, que apresentaram maiores desbalanços de aminoácidos. Os ingredientes que apresentaram os maiores coeficientes de digestibilidade aparente para a matéria-seca...

Rastreabilidade de subprodutos de origem animal em dietas com levedura e trigo para frangos

Gottmann, Rosana; Pezzato, Antonio Celso; Ducatti, Carlos; Denadai, Juliana Célia; Móri, Cleusa; Mituo, Mariela Akie Okino; Sartori, José Roberto
Fonte: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1641-1647
POR
Relevância na Pesquisa
126.12%
O objetivo deste trabalho foi rastrear a inclussão de farinhas de origem animal em rações para frango de corte com ou sem levedura de cana-de-açúcar e farelo de trigo, por meio da análise do músculo peitoral das aves pelas técnicas dos isótopos estáveis de carbono e nitrogênio. Foram utilizados 210 pintos machos (Cobb), com um dia de idade, distribuídos aleatoriamente em sete tratamentos de 30 aves cada, tendo sido um tratamento controle (dieta vegetal) e seis com inclusão de farinha de carne e ossos bovina ou farinha de vísceras de aves na dieta, com ou sem levedura de cana-de-açúcar e farelo de trigo. Aos 42 dias de idade, foram abatidas quatro aves, por tratamento, escolhidas ao acaso, cujo músculo peitoral foi retirado para análise da razão isotópica. Os resultados obtidos foram submetidos à análise multivariada. Os tratamentos experimentais diferiram do tratamento controle, e foi identificada a inclusão de farinha de origem animal, pelas técnicas dos isótopos estáveis, mesmo com inclusão de levedura ou farelo de trigo na dieta.; The aim of this paper was to trace the presence of meals from animal origin, in diets for broilers with or without yeast and wheat meal, through the analysis of breast muscle...

Avaliação da Farinha de Carne e Ossos na Alimentação de Frangos de Corte

Faria Filho, DE; Faria, DE; Junqueira, Otto Mack; Rizzo, MF; Araújo, LF; Araújo, CSS
Fonte: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas Publicador: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
186.16%
Um mil quatrocentos e quarenta pintos de um dia, machos, foram utilizados com o objetivo de avaliar a utilização da farinha de carne e ossos (FCO) sobre o desempenho e rendimento de carcaça de frangos de corte. Foi utilizado o delineamento inteiramente ao acaso em esquema fatorial 2 x 2 x 2, com os fatores: níveis de inclusão da FCO (3 e 6%), tipos de FCO (37,51 e 41,58% de proteína bruta), valores de energia metabolizável da FCO conforme equações de predição sugerida pelo NRC (1994) ou tabela de Rostagno et al. (1994), mais um tratamento controle sem a inclusão de FCO, com quatro repetições de 40 aves cada. O consumo de ração e ganho de peso (GP) foram influenciados pela inclusão de FCO, sendo verificado maior GP quando a FCO não foi utilizada. As demais características de desempenho não foram afetadas pelos fatores estudados. A gordura abdominal foi reduzida quando a FCO não foi utilizada. Concluiu-se que dietas de frangos de corte contendo até 6% de FCO proporcionam pior desempenho quando comparadas com aquelas a base de milho e farelo de soja.; Fourteen hundred and forty day-old male chicks were used to evaluate the use of meat and bone meal (MBM) on performance and carcass yield of broilers. The experimental design was a 2 x 2 x 2 factorial random arrangement: inclusion levels of MBM (3 and 6%)...

Rastreabilidade da farinha de carne e ossos bovinos em ovos de poedeiras comerciais pela técnica dos isótopos estáveis do carbono e nitrogênio

Denadai, Juliana Célia; Ducatti, Carlos; Sartori, José Roberto; Pezzato, Antonio Celso; Gottmann, Rosana
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 2760-2766
POR
Relevância na Pesquisa
126.37%
Objetivou-se com este estudo rastrear a inclusão de farinha de carne e ossos bovinos em dietas para poedeiras comerciais, por meio da análise dos ovos e de suas frações (gema e albúmen), pela técnica dos isótopos estáveis do carbono e nitrogênio e avaliar o índice analítico mínimo detectável. Foram utilizadas 240 galinhas poedeiras da linhagem Shaver White de 73 semanas de idade, distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e seis repetições. Foram avaliados cinco níveis de inclusão (0; 1,5; 3,0; 4,5 e 6,0%) de farinha de carne e ossos bovinos em uma dieta à base de milho e farelo de soja. No 35º dia, foram tomados aleatoriamente 24 ovos por tratamento: 12 serviram para amostragem de gema e albúmen e os outros 12 para amostragem do ovo (gema + albúmen). Os resultados isotópicos foram submetidos à análise multivariada de variância e, a partir das matrizes de erro, com 95% de confiança, foram determinadas elipses para identificar as diferenças entre os resultados obtidos com o fornecimento das dietas experimentais e a dieta controle, sem farinha de carne e ossos bovinos. No ovo e na gema, a partir do par isotópico da dieta com 3,0% de farinha de carne e ossos, houve diferenciação do par do tratamento controle...

Níveis de isoleucina e valina digestíveis em dietas contendo farinha de carne e ossos para poedeiras comerciais

Gravena, Rodrigo Antonio
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: iv, 51 p.
POR
Relevância na Pesquisa
146.12%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Zootecnia - FCAV; Avaliou-se o desempenho, a qualidade de ovos, o metabolismo de nitrogênio e os níveis de aminoácidos plasmáticos de poedeiras comerciais alimentadas com rações formuladas à base de milho e farelo de soja com a inclusão de farinha de carne e ossos e diferentes relações de isoleucina:lisina e valina:lisina digestíveis. Foram utilizadas 640 poedeiras da linhagem Isa Brown com 40 semanas de idade distribuídas em delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 3x3+1, sendo 0,55; 0,62 e 0,70% de isoleucina e 0,60; 0,67 e 0,75% de valina digestíveis (dietas basais com 15,09% de proteína bruta e 0,75% de lisina digestível) e, o tratamento controle com 17,55% de proteína bruta, totalizando 10 tratamentos com oito repetições e oito aves por parcela. O peso dos ovos das aves alimentadas com dieta controle foi maior em relação ao peso dos ovos das aves que receberam os outros tratamentos, a unidade Haugh dos ovos das aves que receberam 0,70% de isoleucina na dieta foi menor do que os ovos provenientes de aves alimentadas com dietas contendo 0,62% de isoleucina. As dietas contendo 0,55% de isoleucina, independentemente do nível de valina...

Avaliação sócio-económica e ambiental da co-combustão de carvão, biomassa e resíduos não tóxicos

Santos, Ana Sofia Garcia dos
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
136.03%
Dissertação apresentada à Universidade Nova de Lisboa,Faculdade de Ciências e Tecnologia, para a obtenção do grau de Mestre em Engenharia do Ambiente; O projecto Europeu intitulado “COPOWER” teve como objectivo o estudo dos efeitos sinérgicos da utilização de biomassa e resíduos não tóxicos na produção de energia eléctrica através da co-combustão com carvão. Inserida no projecto COPOWER, a presente tese avalia, sob os pontos de vista ambiental e sócio-economico, a substituição parcial do carvão por biomassa e resíduos não tóxicos. Foram estudados três cenários: o cenário 0 onde foi utilizado apenas carvão; o cenário 1 que correspondeu à co-combustão de carvão, lamas de ETAR e farinha de carne e ossos; e o cenário 2 que correspondeu à co-combustão de carvão, lamas de ETAR e peletes de madeira. Os ensaios de combustão e co-combustão foram realizados na Central Termoeléctrica de “Stadtwerke Duisburg AG” (SWDU), em Duisburg, na Alemanha, entre Agosto de 2004 e Novembro de 2005. Para se proceder à avaliação dos três cenários foram utilizados diferentes indicadores sócio-económicos e ambientais. Os indicadores ambientais usados foram os seguintes: Uso de combustíveis fósseis; Emissão evitada de gases com efeito de estufa (GEE); Emissão de gases com efeito acidificante; Emissão de compostos que contribuem para a eutrofização; Emissão de gases que contribuem para o nevoeiro fotoquímico; Emissão de gases que contribuem para a depleção da camada de ozono. Os indicadores sócio-economicos usados foram os seguintes: Potencial de criação de emprego; Custo de produção de electricidade; Custo da redução das emissões de CO2. Os valores dos indicadores foram convertidos numa escala uniformizada...

Alimentação da piava (Leporinus obtusidens) com diferentes fontes protéicas

Radünz Neto,João; Lazzari,Rafael; Pedron,Fabio de Araújo; Veiverberg,Cátia Aline; Bergamin,Giovani Taffarel; Corrêia,Viviani; Filipetto,Jorge Eugênio da Silva
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 PT
Relevância na Pesquisa
126.16%
A piava (Leporinus obtusidens) é um peixe nativo de grande importância nas bacias hidrográficas do Sul do Brasil. Neste estudo, verificou-se o crescimento de juvenis de piava alimentados durante 60 dias com três dietas contendo diferentes fontes protéicas: levedura de cana (L), farinha de carne e ossos (FCO) e farelo de soja (FS). As biometrias foram realizadas a cada 20 dias para verificação de desempenho em peso, de comprimentos total e padrão, de taxa de crescimento específico, de fator de condição e de sobrevivência. Ao final do experimento foram calculados os rendimentos de carcaça, quociente intestinal e índices digestivo e hepato-somático. Verificou-se maior crescimento nos peixes alimentados com farelo de soja (FS), nos quais o peso e a taxa de crescimento específico foram superiores (P<0,05). Os valores de índices digestivos foram menores nos juvenis alimentados com a dieta contendo farinha de carne e ossos (FC). O rendimento de carcaça em todos os tratamentos foi superior a 90%, não existindo diferença significativa. Conclui-se que o farelo de soja como fonte protéica principal na ração proporciona bom crescimento para juvenis de piava (L. obtusidens).

Probióticos em rações para frangos de corte utilizando farinha de carne e ossos com diferentes níveis de contaminação bacteriana

Teixeira,Antônio Soares; Cavalcanti,Jorge dos Santos; Ost,Paulo Roberto; Schoulten,Neudi Artemio
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2003 PT
Relevância na Pesquisa
166.34%
Com o objetivo de estudar os efeitos de probióticos no desempenho de frangos de corte consumindo dietas com farinhas de carne e ossos com diferentes contaminações bacterianas, foi realizado um experimento na Universidade Federal de Lavras, no qual foram utilizados 576 pintos da linhagem Hubbard, com um dia de idade, metade de cada sexo. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, num esquema fatorial 4 x 3 (rações e probióticos) com 4 repetições de 12 aves alojadas em baterias metálicas e o período experimental foi de 1 a 28 dias de idade. Os tratamentos foram constituídos de 4 rações, uma sem farinha de carne e ossos e com fosfato bicálcico (testemunha), e as outras três com farinhas de carne e ossos de alto (1,0 x 104), médio(4,5 x 103) e baixo (1,0 x 103) teor de contaminação bacteriana. Cada uma dessas rações foi fornecida sem probiótico, ou com um probiótico com cerca de três bilhões de células viáveis por grama, que tem como agentes ativos o Lactobacillus acidophilus, Streptococcus faecium e Sacharomices cerevisae, fornecido na ração na dose de 10 g/ton ou ainda com um probiótico que contém Enterococcus faecium, Lactobacillus acidófillus, Lactobacillus plantarum e Lactobacillus sp como agentes ativos...

Efeito do tamanho de partícula e do nível de substituição nos valores energéticos da farinha de carne e ossos para pintos de corte

Brugalli,Irineu; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Silva,Dirceu Jorge da; Gomes,Paulo Cezar; Rostagno,Horacio Santiago; Silva,Martinho de Almeida e
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1999 PT
Relevância na Pesquisa
186.24%
O objetivo deste trabalho foi determinar a energia metabolizável aparente (EMA) e aparente corrigida (EMAn) da farinha de carne e ossos (FCO) com diferentes granulometrias (grossa, média e fina), em dois níveis de substituição (20 e 40%) para pintos de corte. Duzentos e oitenta pintos de corte com 15 dias de idade foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com sete tratamentos (seis tratamentos com farinha de carne e ossos e uma dieta referência), quatro repetições e dez aves por unidade experimental. Os valores médios de EMA para os níveis 20 e 40% de substituição foram 2,60 e 2,27 e para EMAn , 2,50 e 2,14 kcal/g MS, respectivamente. Os resultados, considerando-se as granulometrias grossa, média e fina da FCO, foram 2,13; 2,65; e 2,53 kcal/g MS para EMA e 2,03; 2,56; e 2,37 kcal/g MS para EMAn, respectivamente.

Exigência de fósforo disponível e efeito da granulometria na biodisponibilidade de fósforo da farinha de carne e ossos para pintos de corte

Brugalli,Irineu; Silva,Dirceu Jorge da; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Gomes,Paulo Cezar; Rostagno,Horacio Santiago; Silva,Martinho de Almeida e
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
146.03%
O objetivo deste trabalho foi determinar a exigência nutricional de P disponível e o efeito da granulometria na biodisponibilidade de P da farinha de carne e ossos (FCO) para pintos de corte. Duzentos e cinqüenta e 450 pintos Hubbard de 1 a 21 dias de idade, respectivamente, foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com cinco (exigência) ou nove (biodisponibilidade) tratamentos, cinco repetições e dez aves por unidade experimental. A exigência de P foi determinada por intermédio de uma ração basal com baixo conteúdo de P (0,15% Pdis), suplementada com cinco níveis de P proveniente do fosfato bicálcico. A disponibilidade de P foi estimada por intermédio da relação dos coeficientes de regressão, considerando o P do fosfato bicálcico como 100% disponível. Os valores estimados de exigência nutricional de P disponível, determinados com o modelo descontínuo LRP, variaram de 0,311 (0,104% P disponível/Mcal EM), para ganho de peso, a 0,426% (0,142% P dis./Mcal EM), para cinza na tíbia (g). Os valores medios de disponibilidade de P obtidos para a FCO com granulometria grossa, média e fina foram 106,50; 103,56; e 121,94%, respectivamente.

Efeito das fontes de amido e nitrogênio de diferentes degradabilidades ruminais.1. Digestibilidades parcial e total

Fregadolli,Fábio Luiz; Zeoula,Lúcia Maria; Prado,Ivanor Nunes do; Branco,Antônio Ferriani; Caldas Neto,Saul Ferreira; Kassies,Marcos Paulo; Dalponte,Augusto Ortega
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
136.28%
Avaliaram-se as digestibilidades parcial e total de rações combinando fontes de amido (AM) de alta (casca de mandioca desidratada) e baixa (milho) degradabilidade ruminal, com fontes de nitrogênio (N) de alta (levedura) e baixa (farelo de algodão + farinha de carne e ossos) degradabilidade ruminal, em arranjo fatorial 2x2. Foram utilizados quatro novilhos da raça Holandesa (334 kg), portadores de cânula ruminal e duodenal, distribuídos em delineamento quadrado latino 4x4. O óxido crômico foi utilizado como indicador de fluxo de matéria seca. Houve interação das fontes de AM e N sobre o coeficiente de digestibilidade aparente (CDA) da proteína bruta (PB) e fibra em detergente neutro (FDN). As rações com milho e levedura e as com casca de mandioca e farelo de algodão + farinha de carne e ossos apresentaram maior CDA para PB do que as rações com milho e farelo de algodão + farinha de carne e osso e com as casca de mandioca e levedura. A ração com amido e N de alta degradabilidade ruminal (casca de mandioca e levedura) propiciou menor valor sobre o CDA da FDN do que as demais rações, que não diferiram entre si. A digestão ruminal da FDN foi maior quando a fonte de AM foi o milho, comparada àquela contendo casca de mandioca. A maior digestão do AM foi para as rações com casca de mandioca...

Digestibilidade ileal aparente e verdadeira de aminoácidos de farinhas de carne e ossos para suínos

Pozza,Paulo Cesar; Gomes,Paulo Cezar; Donzele,Juarez Lopes; Rostagno,Horacio Santiago; Pozza,Magali Soares dos Santos; Nogueira,Eduardo Terra
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
146.15%
O experimento foi conduzido com o objetivo de determinar a digestibilidade ileal aparente e verdadeira dos aminoácidos de seis diferentes farinhas de carne e ossos. Foram utilizados 12 suínos mestiços, machos castrados, com peso médio inicial de 52,5 ± 5,1 kg. Os animais foram previamente submetidos à cirurgia para implantação de cânula "T" simples no íleo terminal, e, após 20 dias de recuperação, foram distribuídos em um delineamento experimental de blocos ao acaso, com seis tratamentos, quatro repetições e um animal por unidade experimental. Ao término das duas primeiras repetições, os tratamentos foram redistribuídos para evitar que o mesmo animal recebesse a mesma dieta em duas repetições consecutivas. Os tratamentos consistiram de uma dieta isenta de proteína à base de açúcar, amido, óleo e casca de arroz, tendo como única fonte protéica as farinhas de carne e ossos. Os coeficientes de digestibilidade ileal aparente da lisina, treonina e metionina, das diferentes farinhas de carne e ossos variaram de 54,87 a 74,80; 62,62 a 81,19 e 72,35 a 85,46%, respectivamente, e a variação entre os coeficientes de digestibilidade ileal verdadeira foram de 57,00 a 76,08; 66,26 a 83,07 e 73,76 a 86,39%, respectivamente...

Utilização de enzimas exógenas em dietas com diferentes fontes e níveis de proteína para leitões na fase de creche

Teixeira,Alexandre de Oliveira; Lopes,Darci Clementino; Ferreira,Vanusa Patrícia de Araújo; Pena,Sérgio Miranda; Nogueira,Eduardo Terra; Moreira,José Aparecido; Bünzen,Silvano; Nery,Lidson Ramos
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
136.24%
Dois experimentos foram conduzidos para avaliar a inclusão de enzimas exógenas em dietas com diferentes níveis e fontes de proteína para leitões. No experimento I, 80 leitões dos 21 aos 51 dias de idade, desmamados aos 14 dias de idade, foram distribuídos em blocos casualizados, em esquema fatorial 2x2x2 (dois níveis de proteína; com ou sem farinha de carne e ossos; com ou sem enzima), com cinco repetições e dois leitões/baia, e alimentados com dietas à base de milho (M), farelo de soja (FS) e soro de leite em pó (SLP). No experimento II, 40 leitões dos 28 aos 45 dias de idade, desmamados aos 21 dias de idade, foram distribuídos em blocos casualizados, com quatro tratamentos, cinco repetições e dois animais/baia, e alimentados com uma dieta controle à base de M, FS e SLP, com 18% de proteína bruta (PB) e três rações com 0,2; 0,4 e 0,6% do complexo enzimático. No experimento I, não foi observada interação entre nível protéico, com ou sem farinha de carne e ossos e enzima. Houve diminuição do GPD e CMD, com o nível de 18% de PB na ração. Não houve efeito da inclusão de FCO e de 0,2% de enzima na ração. No experimento II, houve efeito linear crescente para GPD e CMD, com o aumento do nível de enzimas. A adição de 0...

Rastreabilidade da farinha de carne e ossos bovinos em ovos de poedeiras comerciais pela técnica dos isótopos estáveis do carbono e nitrogênio

Denadai,Juliana Célia; Ducatti,Carlos; Sartori,José Roberto; Pezzato,Antonio Celso; Gottmann,Rosana
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
126.37%
Objetivou-se com este estudo rastrear a inclusão de farinha de carne e ossos bovinos em dietas para poedeiras comerciais, por meio da análise dos ovos e de suas frações (gema e albúmen), pela técnica dos isótopos estáveis do carbono e nitrogênio e avaliar o índice analítico mínimo detectável. Foram utilizadas 240 galinhas poedeiras da linhagem Shaver White de 73 semanas de idade, distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e seis repetições. Foram avaliados cinco níveis de inclusão (0; 1,5; 3,0; 4,5 e 6,0%) de farinha de carne e ossos bovinos em uma dieta à base de milho e farelo de soja. No 35º dia, foram tomados aleatoriamente 24 ovos por tratamento: 12 serviram para amostragem de gema e albúmen e os outros 12 para amostragem do ovo (gema + albúmen). Os resultados isotópicos foram submetidos à análise multivariada de variância e, a partir das matrizes de erro, com 95% de confiança, foram determinadas elipses para identificar as diferenças entre os resultados obtidos com o fornecimento das dietas experimentais e a dieta controle, sem farinha de carne e ossos bovinos. No ovo e na gema, a partir do par isotópico da dieta com 3,0% de farinha de carne e ossos, houve diferenciação do par do tratamento controle...

Efeito da Adição do Antioxidante BHT e do Armazenamento Sobre a Qualidade da Farinha de Carne e Ossos Para Frangos de Corte

Racanicci,AMC; Menten,JFM; Iafigliola,MC; Gaiotto,JB; Pedroso,AA
Fonte: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas Publicador: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2000 PT
Relevância na Pesquisa
176.19%
Este estudo foi desenvolvido com a finalidade monitorar a qualidade da farinha de carne e ossos (FCO), durante o armazenamento prolongado (10 semanas), e avaliar os efeitos da adição do BHT (500mg/kg) a esta farinha. Um lote fresco de FCO (41,12% PB e 9,14% EE) foi dividido em seis partes iguais, sendo uma não tratada (CONTROLE) e as demais tratadas com BHT em diferentes tempos de armazenamento (nos dias 0, 7, 14, 21 e 28: BHT/0, BHT/7, BHT/14, BHT/21 e BHT/28, respectivamente). As FCO foram armazenadas em ambiente diariamente monitorado e sua qualidade foi avaliada por amostragens semanais, com determinação do índice de peróxidos, cujo nível máximo obtido foi de aproximadamente 80meq/kg (CONTROLE). A partir da 4ª semana de armazenamento, foi conduzido um experimento com frangos de corte alimentados por 42 dias com rações à base de milho e farelo de soja, contendo cerca de 4% das FCO armazenadas. Foram utilizados 1.440 pintos de um dia, machos, distribuídos num delineamento em blocos casualizados, com 6 tratamentos e 6 repetições. Os resultados médios obtidos para peso vivo, ganho de peso, consumo de ração, conversão alimentar, mortalidade e refugagem e fator de produção foram submetidos à análise da variância e as médias dos tratamentos foram comparadas ao CONTROLE através do teste de Dunnett. As variáveis estudadas...

Avaliação da Farinha de Carne e Ossos na Alimentação de Frangos de Corte

Faria Filho,DE; Faria,DE; Junqueira,OM; Rizzo,MF; Araújo,LF; Araújo,CSS
Fonte: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas Publicador: Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 PT
Relevância na Pesquisa
186.16%
Um mil quatrocentos e quarenta pintos de um dia, machos, foram utilizados com o objetivo de avaliar a utilização da farinha de carne e ossos (FCO) sobre o desempenho e rendimento de carcaça de frangos de corte. Foi utilizado o delineamento inteiramente ao acaso em esquema fatorial 2 x 2 x 2, com os fatores: níveis de inclusão da FCO (3 e 6%), tipos de FCO (37,51 e 41,58% de proteína bruta), valores de energia metabolizável da FCO conforme equações de predição sugerida pelo NRC (1994) ou tabela de Rostagno et al. (1994), mais um tratamento controle sem a inclusão de FCO, com quatro repetições de 40 aves cada. O consumo de ração e ganho de peso (GP) foram influenciados pela inclusão de FCO, sendo verificado maior GP quando a FCO não foi utilizada. As demais características de desempenho não foram afetadas pelos fatores estudados. A gordura abdominal foi reduzida quando a FCO não foi utilizada. Concluiu-se que dietas de frangos de corte contendo até 6% de FCO proporcionam pior desempenho quando comparadas com aquelas a base de milho e farelo de soja.

Níveis das farinhas de carne e ossos bovina em rações de suínos em crescimento e terminação. desempenho e digestibilidade

GOMES, P.C.; FERREIRA, A.S.; FIALHO, E.T.; FREITAS, A.R. de
Fonte: Revista da Sociedade Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.11, n.1, p.115-128, 1982. Publicador: Revista da Sociedade Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.11, n.1, p.115-128, 1982.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
136.02%
Avaliação da qualidade nutricional das farinhas de carne e ossos bovina em rações de suínos em crescimento e terminação. Desempenho e digestibilidade; 1982

Biodisponibilização do fósforo, incremento de energia e digestibilidade de nutrientes na dieta de frangos de corte contendo exoenzima fitase; Phosphorus bioavailability, increase of energy and digestibility of nutrients of broiler diet containing phytase exoenzima

Litz, Fernanda Heloisa
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
146.03%
Objetivou-se avaliar o efeito da utilização da exoenzima fitase e de outras fontes minerais sobre a biodisponibilização do fósforo, o incremento de energia da ração e a digestibilidade de nutrientes. Os tratamentos foram: Sorgo com fosfato bicálcico (SFB), milho com fosfato bicálcico (MFB), sorgo com farinha de carne e ossos (SFCO), sorgo com fitase com (SFV) e sem valorização de energia e aminoácidos (SFNV). Foram 1400 aves para as análises de desempenho determinou-se o consumo de ração, peso vivo, conversão alimentar real e tradicional e a viabilidade. Para as análises de digestibilidade aos 15 dias foram utilizadas 80 aves, que foram submetidas a coleta total de excretas, já para a composição de carcaça e mineralização das tíbias foram utilizadas 6 aves por tratamento, onde procedeu-se a determinação dos teores de matéria seca, proteína bruta, extrato etéreo, matéria mineral, energia bruta da carcaça, e cálcio e fósforo das tíbias e carcaça. Os dados foram submetidos a análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey 5% e a viabilidade pelo teste Kruskal-Wallis. Não houve diferenças estatísticas para o desempenho aos 7 dias de idade e aos 14 somente o peso vivo foi menor para o MFB...

Probióticos em rações para frangos de corte utilizando farinha de carne e ossos com diferentes níveis de contaminação bacteriana

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
166.34%
Com o objetivo de estudar os efeitos de probióticos no desempenho de frangos de corte consumindo dietas com farinhas de carne e ossos com diferentes contaminações bacterianas, foi realizado um experimento na Universidade Federal de Lavras, no qual foram utilizados 576 pintos da linhagem Hubbard, com um dia de idade, metade de cada sexo. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, num esquema fatorial 4 x 3 (rações e probióticos) com 4 repetições de 12 aves alojadas em baterias metálicas e o período experimental foi de 1 a 28 dias de idade. Os tratamentos foram constituídos de 4 rações, uma sem farinha de carne e ossos e com fosfato bicálcico (testemunha), e as outras três com farinhas de carne e ossos de alto (1,0 x 104), médio(4,5 x 103) e baixo (1,0 x 103) teor de contaminação bacteriana. Cada uma dessas rações foi fornecida sem probiótico, ou com um probiótico com cerca de três bilhões de células viáveis por grama, que tem como agentes ativos o Lactobacillus acidophilus, Streptococcus faecium e Sacharomices cerevisae, fornecido na ração na dose de 10 g/ton ou ainda com um probiótico que contém Enterococcus faecium, Lactobacillus acidófillus, Lactobacillus plantarum e Lactobacillus sp como agentes ativos...

Fontes protéicas e atividade de enzimas digestivas em jundiás (Rhamdia quelen); Protein sources and digestive enzyme activities in jundiá (Rhamdia quelen)

Lazzari, Rafael; Radünz Neto, João; Pedron, Fabio de Araújo; Loro, Vania Lucia; Pretto, Alexandra; Gioda, Carolina Rosa
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2010 ENG
Relevância na Pesquisa
136.22%
Digestive enzymes activity influence feed utilization by fish, and its understanding is important to optimize diet formulation. This study reports the digestive enzyme activities of jundiá juveniles fed diets with protein sources. Fish were fed six experimental diets for 90 days: MBY (meat and bone meal + sugar cane yeast), SY (soybean meal + sugar cane yeast), S (soybean meal), MBS (meat and bone meal + soybean meal), FY (fish meal + sugar cane yeast) and FS (fish meal + soybean meal), and then sampled every 30 days and assayed in two intestine sections for digestive enzymes - trypsin, chymotrypsin and amylase - activities; gastric protease was assayed in the stomach. Digestive and hepatosomatic index, intestinal quotient, digestive tract length and weight gain were also measured. Trypsin and chymotrypsin activities were higher (p < 0.0001) in fish fed diets containing animal protein sources (MBY, MBS, FY and FS diets). Alkaline proteases were negatively affected by dietary soybean meal in the SY and S diets. Amylase activity had greater variation between diets and intestine sections. Fish fed MBY and MBS diets showed higher gastric protease activity (p < 0.0001). Weight gains were higher in fish fed the MBS and FS diets (p < 0.05). Highest values (p < 0.05) of digestive tract length were observed in fish fed MBS and FY diets...