Página 1 dos resultados de 251 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Extração e exportação de nutrientes por variedades de cana-de-açúcar cultivadas sob irrigação plena; Nutrient extraction and export by fully irrigated sugarcane varieties

OLIVEIRA, Emídio Cantídio Almeida de; FREIRE, Fernando José; OLIVEIRA, Ruthanna Isabelle de; FREIRE, Maria Betânia Galvão dos Santos; SIMÕES NETO, Djalma Euzébio; SILVA, Silas Alves Monteiro da
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.67%
A pesquisa tecnológica para suporte do setor sucroalcooleiro nacional mostra que são esporádicos os trabalhos desenvolvidos com cana-de-açúcar irrigada envolvendo a exigência nutricional. Nesse contexto, objetivou-se quantificar, durante o ciclo de cana-planta de 11 variedades de cana-de-açúcar (SP79-1011, RB813804, RB863129, RB872552, RB943365, RB72454, RB763710, SP78-4764, SP81-3250, RB867515 e RB92579) cultivadas sob irrigação plena, a capacidade de extração e exportação de N, P, K, Ca e Mg, bem como a exigência nutricional para produção de uma tonelada de colmo por hectare (TCH). A pesquisa foi realizada em campo, no município de Carpina, PE, durante a safra agrícola 2006/2007. O delineamento experimental empregado foi de blocos casualizados, com 11 tratamentos e quatro repetições. A extração e exportação de nutrientes, assim como a exigência nutricional, foram avaliadas aos 360 dias após o plantio (DAP) na parte aérea das plantas. A extração de nutrientes na parte aérea da cana-planta apresentou, em média, valores de 179, 25, 325, 226 e 87 kg ha-1 de N, P, K, Ca e Mg, respectivamente, o que proporcionou a seguinte ordem decrescente de extração: K > Ca > N > Mg > P. A exportação média de N, P...

Exigência nutricional de vitamina A para alevinos de tilápia do nilo Oreochromis niloticus. ; Dietetic vitamin a requirements of nile tilapia oreochromis niloticus.

Bacconi, Daniela Ferraz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/07/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.6%
O excesso de vitaminas lipossolúveis na dieta pode ser acumulado no fígado e causar hipervitaminose em animais. Os objetivos deste trabalho foram determinar a exigência nutricional em vitamina A para juvenis da tilápia do Nilo Oreochromis niloticus, avaliar o desempenho da espécie através do ganho de peso e conversão alimentar e quantificar os depósitos de retinol hepático em animais de uma população revertida sexualmente para o sexo masculino (R; 13,76 ± 1,21 g) e outra não revertida (NR; 9,83 ± 2,30 g). Os peixes foram estocados em aquários de polipropileno de 100 L, em ambiente com condições controladas de temperatura (25,0 ± 1,0 o C) e luminosidade (12h00m:12h00m), e alimentados ad libitum duas vezes ao dia, durante 75 dias, com dietas semipurificadas, suplementadas com 0; 600; 1200; 1800; 2400; 3000; 3600; 4200; 4800 e 5400 UI kg -1 de dieta de retinil palmitato (Rovimix A 500 Roche ® ), em delineamento experimental inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x10 (n=4). Ao final do experimento todos os lotes de animais foram sacrificados para a análise de retinol hepático. Sinais severos de deficiência nutricional em vitamina A foram encontrados em animais dos tratamentos 0; 600 e 1200 UI vitamina A kg -1 de dieta; sinais moderados foram também encontrados em animais dos tratamentos entre 1800 e 3600 UI vit A kg -1 de dieta...

Avaliação da exigência nutricional na fase inicial do crescimento de espécies florestais nativas; Evaluation of the nutritional requirements of native forest species in their initial plant growth

Sorreano, Maria Claudia Mendes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.54%
O projeto tem como hipótese de trabalho que as espécies florestais tem exigências nutricionais e respostas ao stress nutricional diferenciados e que a complementação nutricional é um dos principais fatores determinantes do sucesso de projetos de recuperação florestal. Este trabalho teve como objetivo avaliar as exigências nutricionais e os efeitos da omissão de macro e micronutrientes em espécies florestais nativas de diferentes grupos sucessionais, mais usadas ou indicadas para recuperação de áreas degradadas no Estado de São Paulo. As espécies estudadas, agrupadas de acordo com o seu grupo sucessional, foram: pioneiras e secundárias iniciais - Tapirira guianensis, Ceiba speciosa, Cecropia pachystachya, Croton urucurana, Lonchocarpus muehlbergianus, Acacia polyphylla, Enterolobium contortisiliquum, Inga uruguensis, Guazuma ulmifolia, Aegiphila sellowiana, Cytharexyllum myrianthum; secundárias tardias e clímax - Astronium graveolens, Myroxylon peruiferum, Hymenaea courbaril, Cariniana legalis, Esenbeckia leiocarpa, Genipa americana. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, em blocos ao acaso, com três repetições e treze tratamentos para cada espécie, empregando a técnica de diagnose por subtração (-N...

Extração e exportação de nutrientes por variedades de cana-de-açúcar cultivadas sob irrigação plena

Oliveira,Emídio Cantídio Almeida de; Freire,Fernando José; Oliveira,Ruthanna Isabelle de; Freire,Maria Betânia Galvão dos Santos; Simões Neto,Djalma Euzébio; Silva,Silas Alves Monteiro da
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.67%
A pesquisa tecnológica para suporte do setor sucroalcooleiro nacional mostra que são esporádicos os trabalhos desenvolvidos com cana-de-açúcar irrigada envolvendo a exigência nutricional. Nesse contexto, objetivou-se quantificar, durante o ciclo de cana-planta de 11 variedades de cana-de-açúcar (SP79-1011, RB813804, RB863129, RB872552, RB943365, RB72454, RB763710, SP78-4764, SP81-3250, RB867515 e RB92579) cultivadas sob irrigação plena, a capacidade de extração e exportação de N, P, K, Ca e Mg, bem como a exigência nutricional para produção de uma tonelada de colmo por hectare (TCH). A pesquisa foi realizada em campo, no município de Carpina, PE, durante a safra agrícola 2006/2007. O delineamento experimental empregado foi de blocos casualizados, com 11 tratamentos e quatro repetições. A extração e exportação de nutrientes, assim como a exigência nutricional, foram avaliadas aos 360 dias após o plantio (DAP) na parte aérea das plantas. A extração de nutrientes na parte aérea da cana-planta apresentou, em média, valores de 179, 25, 325, 226 e 87 kg ha-1 de N, P, K, Ca e Mg, respectivamente, o que proporcionou a seguinte ordem decrescente de extração: K > Ca > N > Mg > P. A exportação média de N, P...

Nutrição mineral, crescimento e teor de óleo essencial da menta em solução nutritiva sob diferentes concentrações de fósforo e épocas de coleta

Rodrigues,Carlos R.; Faquin,Valdemar; Trevisan,Daniel; Pinto,José Eduardo B.P.; Bertolucci,Suzan Kelly V.; Rodrigues,Tatiana Michlovská
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
46.35%
Avaliou-se o efeito de concentrações de P e épocas de coleta sobre o crescimento, nutrição mineral e teor de óleo essencial da menta (Mentha piperita L.). O delineamento experimental foi em blocos casualizados com parcelas subdivididas, em esquema fatorial 2x5, sendo 2 épocas de coleta (65 e 95 dias de cultivo (DC)) e 5 concentrações de P na solução nutritiva (6; 12; 18; 24 e 30 mg L-1), com 4 repetições. Foi determinada a massa seca de folhas (MSF), caules (MSC), raízes (MSR) e total (MST) e as relações folha:caule (F:C) e parte aérea:raiz (PA:R). Também, foi determinado o teor de óleo essencial em folhas frescas. Os níveis críticos foliares e acúmulo de nutrientes na parte aérea da menta foram estimados por meio da análise química das folhas e caules. As concentrações de P na solução influenciaram o crescimento e a produção de óleo essencial pela menta. Na coleta realizada aos 65 DC, apenas a MSF foi influenciada pelo P, não se observando efeito sobre os teores de óleo essencial. Aos 95 DC, o aumento da concentração de P promoveu aumentos significativos na massa seca das partes e do total da menta e, também, nos teores de óleo essencial, sendo o teor máximo (2,192 dag kg-1) obtido com 19,50 mg L-1 de P. As maiores concentrações de P avaliadas (24 e 30 mg L-1)...

Exigência nutricional de Lisina para codornas Japonesas (Coturnix coturnix japonica) em postura

Oliveira,Andréia de Mello; Furlan,Antonio Claudio; Murakami,Alice Eiko; Moreira,Ivan; Scapinello,Cláudio; Martins,Elias Nunes
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
46.55%
Um ensaio de desempenho foi realizado para determinar a exigência nutricional de lisina para codornas japonesas (Coturnix coturnix japonica) em postura. Foram utilizadas 288 codornas, com 51 dias de idade, durante quatro ciclos de 21 dias, distribuídas em delineamento experimental inteiramente casualizado com seis tratamentos e seis repetições, sendo a unidade experimental constituída por oito codornas. Uma ração testemunha, contendo níveis adequados de proteína bruta e aminoácidos e outras cinco rações, contendo níveis crescentes de lisina (0,65; 0,85; 1,05; 1,25; e 1,45%) e 14,1% de proteína bruta foram avaliadas. Excluindo a ração testemunha, as estimativas de exigências, considerando-se porcentagem de postura e peso médio dos ovos, foram 1,07 e 1,08% de lisina, respectivamente. A ração testemunha com 19,0% de proteína bruta e 1,0% de lisina foi suficiente para atender a exigência nutricional deste aminoácido.

Exigência de fósforo disponível e efeito da granulometria na biodisponibilidade de fósforo da farinha de carne e ossos para pintos de corte

Brugalli,Irineu; Silva,Dirceu Jorge da; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Gomes,Paulo Cezar; Rostagno,Horacio Santiago; Silva,Martinho de Almeida e
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
46.6%
O objetivo deste trabalho foi determinar a exigência nutricional de P disponível e o efeito da granulometria na biodisponibilidade de P da farinha de carne e ossos (FCO) para pintos de corte. Duzentos e cinqüenta e 450 pintos Hubbard de 1 a 21 dias de idade, respectivamente, foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com cinco (exigência) ou nove (biodisponibilidade) tratamentos, cinco repetições e dez aves por unidade experimental. A exigência de P foi determinada por intermédio de uma ração basal com baixo conteúdo de P (0,15% Pdis), suplementada com cinco níveis de P proveniente do fosfato bicálcico. A disponibilidade de P foi estimada por intermédio da relação dos coeficientes de regressão, considerando o P do fosfato bicálcico como 100% disponível. Os valores estimados de exigência nutricional de P disponível, determinados com o modelo descontínuo LRP, variaram de 0,311 (0,104% P disponível/Mcal EM), para ganho de peso, a 0,426% (0,142% P dis./Mcal EM), para cinza na tíbia (g). Os valores medios de disponibilidade de P obtidos para a FCO com granulometria grossa, média e fina foram 106,50; 103,56; e 121,94%, respectivamente.

Exigência nutricional de lisina digestível para frangos de corte

Barboza,Walter Amaral; Rostagno,Horacio Santiago; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Rodrigues,Paulo Borges
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2000 PT
Relevância na Pesquisa
56.46%
O objetivo deste trabalho foi determinar, mediante ensaio de digestibilidade, as exigências nutricionais de lisina digestível verdadeira para frangos de corte nas quatro fases de crescimento. Quatro experimentos de desempenho, realizados previamente, permitiram estimar a exigência de lisina total para frangos de corte nas fases de 1 a 21, 15 a 40, 22 a 40 e 42 a 48 dias de idade. Foram utilizados 30 galos, adultos, Leghorn, cecectomizados com peso médio de 2316±190 g, sendo alojados, individualmente, em gaiolas com bandejas coletoras de excretas, utilizando-se o método de alimentação forçada. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com cinco tratamentos (quatro com dietas e um em jejum) e seis repetições. Foram utilizadas as dietas basais das quatro fases de crescimento, contendo 1,0; 0,825; 0,80; e 0,75% de lisina total. Com base nos coeficientes de digestibilidade determinados de 93,3; 93,58; 89,76; e 92,25% e considerando a L-lisina HCL suplementada como 100% digestível, as exigências de lisina digestível verdadeira foram 1,130; 1,075; 0,95; e 0,84% para as fases de 1 a 21, 15 a 40, 22 a 40 e 42 a 48 dias de idade, respectivamente. Ao aplicar o modelo de regressão linear, foram obtidas as equações (% lisina/Mcal) = 0...

Níveis dietéticos de lisina para frangos de corte de 1 a 21 e 22 a 40 dias de idade

Costa,Fernando Guilherme Perazzo; Rostagno,Horacio Santiago; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Gomes,Paulo Cezar; Toledo,Rodrigo Santana
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2001 PT
Relevância na Pesquisa
46.46%
Foram realizados dois experimentos para determinar a exigência nutricional de lisina total para frangos de corte Ross de ambos os sexos, nos períodos de 1 a 21 e 22 a 40 dias de idade, respectivamente. Foram avaliados o ganho de peso, consumo de ração, conversão alimentar e avaliação de carcaça. Para cada experimento, o delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x6, constituídos de dois sexos e seis níveis dietéticos de lisina, com seis repetições e um total de 1440 aves. As dietas basais com 1,03% de lisina total, 22,00% PB e 3000 kcal EM/kg, no primeiro experimento, e 0,92% de lisina total, 20,00% PB e 3150 kcal EM/kg no segundo experimento, foram suplementadas com seis níveis de lisina pura (0; 0,06; 0,12; 0,18; 0,24 e 0,30%). Considerando-se os dados de ganho de peso e conversão alimentar, as exigências nutricionais estimadas para o experimento de 1 a 21 dias foram 1,303 e 1,249% de lisina total e 1,183 e 1,129% de lisina digestível, para os machos e fêmeas, respectivamente. Para o experimento de 22 a 40 dias, levando em consideração os parâmetros analisados de desempenho e avaliação de carcaça, pode-se estimar uma exigência de 1,164 e 1,143% de lisina total e 1,044 e 1...

Exigência nutricional de lisina para poedeiras leves e semipesadas nos períodos de 1 a 3 e de 4 a 6 semanas de idade

Rodrigueiro,Ramalho José Barbosa; Rostagno,Horacio Santiago; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Gomes,Paulo Cezar; Nunes,Ricardo Vianna; Neme,Rafael
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
56.57%
Com o objetivo de determinar a exigência nutricional de lisina para poedeiras leves e semipesadas em crescimento nos períodos de 1 a 3 e de 4 a 6 semanas de idade, foram utilizadas 480 aves no período de 1 a 3 semanas de idade e 432 aves no período de 4 a 6 semanas de idade. Em ambos os períodos, foram utilizadas aves Hy Line, 50% Hy-line W 36 (leves) e 50% Hy-line Brown (semipesadas), em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 6 × 2, composto de seis níveis de lisina (0,00; 0,06; 0,12; 0,18; 0,24 e 0,30%) e duas linhagens de aves de postura. Considerando os resultados obtidos para as variáveis analisadas, a exigência de lisina total para o período de 1 a 3 semanas de idade foi 1,052% para aves leves e de 0,981% para aves semipesadas ou 207,38 mg de lisina total/dia para aves leves e 198,63 mg de lisina total/dia para aves semipesadas. Para o período de 4 a 6 semanas, a exigência de lisina foi de 0,939% de lisina para aves leves e de 0,889% de lisina para aves semipesadas ou 323,30 mg de lisina total/dia para aves leves e 300,29 mg de lisina total/dia para aves semipesadas.

Exigência nutricional de metionina + cistina digestível para galinhas poedeiras no período de 34 a 50 semanas de idade

Sá,Luciano Moraes; Gomes,Paulo Cezar; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Rostagno,Horacio Santiago; Nascif,Carla Cristina Cardoso
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.46%
Com o objetivo de estabelecer a exigência nutricional em metionina + cistina para galinhas poedeiras leves e semipesadas no período de 34 a 50 semanas de idade, 360 poedeiras (metade Lohmann e metade Lohmann Brown) foram submetidas a uma ração basal contendo 2850 kcal EM/kg, 15,0% PB, suplementada com cinco níveis (0,00; 0,052; 0,107; 0,162 e 0,217%) de DL-metionina + cistina, de modo a proporcionar 0,517; 0,569; 0,624; 0,679 e 0,734% de metionina+cistina digestível nas rações. Foi utilizado esquema fatorial 5 x 2 (nível de metionina + cistina e linhagem de aves), com seis repetições por tratamento e seis aves por unidade experimental, em um delineamento inteiramente casualizado. Foram avaliados a produção de ovos (%), a massa e o peso médio dos ovos (g), o consumo de ração (g/ave/dia), a conversão alimentar (kg ração/dúzia ovos), a mudança de peso corporal (g) e a qualidade interna dos ovos (unidade Haugh e índices de albúmen e gema). Os níveis de metionina+cistina não influenciaram a mudança de peso corporal, o consumo de ração e a qualidade interna dos ovos em ambas as linhagens. A conversão alimentar e a produção de ovos foram influenciados positivamente pelos níveis de metionina+cistina, bem como o peso médio e a massa dos ovos...

Exigência nutricional de lisina digestível para poedeiras leves no segundo ciclo de produção

Schmidt,Marlene; Gomes,Paulo Cezar; Rostagno,Horacio Santiago; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Nunes,Ricardo Vianna; Calderano,Arele Arlindo
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
46.57%
Com o objetivo de determinar a exigência nutricional de lisina digestível para poedeiras de segundo ciclo de produção, no período de 79 a 95 semanas de idade, foi conduzido um experimento utilizando 180 poedeiras Lohmann LSL leves, distribuídas em cinco níveis de lisina digestível (0,555; 0,605; 0,655; 0,705; e 0,755%), seis repetições e seis aves por unidade experimental. Foi observado efeito quadrático dos níveis de lisina sobre consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar/massa de ovos, peso e massa de ovos. Para as características consumo de lisina, conversão alimentar/dúzia e taxa de postura, foi observado efeito linear positivo dos níveis de lisina. A porcentagem dos componentes dos ovos e a qualidade interna não foram influenciadas pelos tratamentos, com exceção da porcentagem de casca e do índice de gema, que apresentaram efeito linear negativo. Embora tenha sido obtido efeito quadrático para massa de ovos e conversão alimentar/massa de ovos, estas características não foram utilizadas para determinação da exigência de lisina digestível para as aves leves, visto que não atenderiam à exigência de lisina encontrada para os demais parâmetros. Deste modo, a exigência estimada de lisina digestível para as poedeiras leves...

Exigência nutricional de lisina digestível para poedeiras semipesadas no segundo ciclo de produção

Schmidt,Marlene; Gomes,Paulo Cezar; Rostagno,Horacio Santiago; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Nunes,Ricardo Vianna; Cupertino,Edwiney Sebastião
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.46%
Com o objetivo de determinar a exigência nutricional de lisina digestível para poedeiras de segundo ciclo de produção no período de 79 a 95 semanas de idade, conduziu-se um experimento utilizando 180 poedeiras Lohmann Brown, distribuídas em cinco níveis de lisina digestível (0,555; 0,605; 0,655; 0,705; e 0,755%), seis repetições e seis aves por unidade experimental. O consumo de ração e a conversão alimentar por dúzia de ovos não foram influenciados pelos níveis de lisina. O efeito foi linear positivo sobre o consumo de lisina e quadrático sobre a conversão alimentar por massa de ovos. O peso e a massa de ovos apresentaram resposta quadrática aos níveis de lisina. A porcentagem dos componentes dos ovos e a qualidade interna não foram influenciadas pelos níveis de lisina, com exceção do índice de gema, que sofreu efeito quadrático. A exigência de lisina digestível para poedeiras semipesadas no segundo ciclo de postura foi estimada em 0,681%, o que equivale a consumo diário de 783 mg de lisina digestível.

Exigências em energia e proteína líquida para ovelhas da raça Santa Inês em lactação.

MACEDO JUNIOR, G. de L.; BORGES, I.; FERREIRA, M. I. C.; FIGUEIREDO, F. O. M.; GOMES, M. G. T.; CAVALCANTI, L. F. L.; VIANA, M. H.
Fonte: Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, Salvador, v. 12, n. 2, p. 389-402, abr./jun., 2011. Publicador: Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, Salvador, v. 12, n. 2, p. 389-402, abr./jun., 2011.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.54%
Objetivou-se determinar as necessidades de proteína e energia líquida de ovelhas em lactação submetidas a dois manejos nutricionais na gestação e dois tipos de gestação. Os ensaios experimentais foram conduzidos nas instalações do Laboratório de Metabolismo e Calorimetria Animal do Departamento de Zootecnia da Escola de Veterinária da UFMG. Foram utilizadas 28 ovelhas da raça Santa Inês, em um delineamento experimental inteiramente casualizado em arranjo fatorial 2x2, e considerou-se dois tipos de gestação (simples e gemelar) e dois tipos de manejo nutricional (com e sem restrição). As ovelhas eram colocadas sobre plataforma e contidas para realização da ordenha. Para análise dos dados referentes às semanas em lactação utilizou-se o modelo de medidas repetidas no tempo. Os grupos experimentais foram avaliados mediante utilização do teste SNK a 5% de significância. A produção de leite não foi afetada pelo manejo nutricional, bem como a quantidade de gordura, proteína, energia e as necessidades em energia e proteína. Portanto, ficou evidenciado neste estudo que somente o manejo nutricional não foi capaz de alterar as variáveis estudadas. Ovelhas com gestação dupla apresentaram maior produção de leite...

Exigência nutricional de lisina digestível para galinhas poedeiras leves em produção

Pastore,Silvana Marques; Gomes,Paulo Cezar; Barreto,Sérgio Luiz Toledo; Viana,Gabriel da Silva; Silva,Eliane Aparecida da; Almeida,Rodrigo Lopes de; Barbosa,Leonardo Valentino Soares; Oliveira,Will Pereira de
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.46%
O objetivo com este trabalho foi determinar a exigência nutricional de lisina digestível para galinhas poedeiras leves em idade avançada. Foram utilizadas 288 galinhas poedeiras Hy Line W-36 com 60 semanas de idade, distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, com seis níveis de lisina digestível (6,0; 6,6; 7,2; 7,8; 8,4 e 9,0g kg-1), oito repetições e seis aves por unidade experimental. Os níveis de lisina digestível na ração influenciaram de forma linear o consumo de lisina e a eficiência de utilização da lisina. Para a produção e massa de ovos, os platôs ocorreram a partir dos níveis de 6,57g kg-1 e de 7,10g kg-1 de lisina digestível, respectivamente. Houve efeito quadrático dos níveis de lisina sobre o peso de gema, com o nível estimado em 7,6g kg-1de lisina digestível. A exigência de lisina digestível de galinhas poedeiras leves no período de 60 a 76 semanas de idade é de 7,10g kg-1 de ração, correspondendo ao consumo diário de 690mg ave-1 de lisina digestível.

Determinação da exigência nutricional de cálcio de codornas japonesas na fase inicial do ciclo de produção

Barreto,Sergio Luiz de Toledo; Pereira,Ciane Aparecida; Umigi,Regina Tie; Rocha,Tatiana Cristina da; Araujo,Marcelle Santana de; Silva,Cynthia Siqueira; Torres Filho,Rodolpho de Almeida
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.52%
Foi conduzido um experimento para determinação da exigência nutricional de cálcio de 360 codornas japonesas fêmeas (peso médio inicial de 121,5 g), durante o período inicial de produção (56 a 171 dias de idade). As aves foram distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 6 x 4, com seis níveis de Ca na ração (1,6; 2,0; 2,4; 2,8; 3,2 e 3,6%) e quatro períodos experimentais de 28 dias. Cada tratamento foi constituído de seis repetições e a unidade experimental foi representada pela gaiola contendo dez aves. Não houve efeito significativo da interação níveis de Ca ' períodos sobre nenhuma das variáveis avaliadas. Verificou-se, no entanto, aumento linear para produção de ovos, peso de ovo e espessura de casca. Houve ainda redução linear para conversão alimentar por massa de ovos e porcentagem de Ca na tíbia e efeito quadrático para massa de ovo, ganho de peso das aves, peso específico dos ovos, peso de casca e porcentagem de cinzas na tíbia. Observou-se que a produção e a massa de ovos obtidas com o nível de 3,2% de Ca foi 3,3 e 3,8% superiores, respectivamente, em valores absolutos, quando comparada àquela contendo 3,6% de Ca. A exigência de Ca estimada de codornas japonesas na fase inicial de produção variou de 3...

Exigência nutricional de lisina digestível para galinhas poedeiras no período de 34 a 50 semanas de idade

Sá,Luciano Moraes; Gomes,Paulo Cezar; Rostagno,Horacio Santiago; Albino,Luiz Fernando Teixeira; D'Agostini,Priscila
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.46%
Com o objetivo de estabelecer a exigência nutricional em lisina para galinhas poedeiras leves e semipesadas, no período de 34 a 50 semanas de idade, 360 poedeiras (metade Lohmann e metade poedeiras Lohmann Brown) foram submetidas à ração basal contendo 2.850 kcal EM/kg, 15,0% PB, suplementada com cinco níveis (0,00; 0,05; 0,10; 0,15 e 0,20%) de L-lisina, de modo a proporcionar 0,584; 0,634; 0,684; 0,734 e 0,784% de lisina digestível nas rações. Foi utilizado esquema fatorial 5 x 2 (nível de lisina e linhagem de aves), com seis repetições por tratamento e seis aves por unidade experimental, em um delineamento inteiramente casualizado. Foram avaliados a produção de ovos (%), a massa e o peso médio dos ovos (g), o consumo de ração (g/ave.dia), a conversão alimentar (kg ração/dúzia ovos), a mudança de peso corporal (g) e a qualidade interna dos ovos (unidade Haugh e índice de albúmen e gema). Os níveis de lisina não influenciaram a mudança de peso corporal, o consumo de ração e a qualidade interna dos ovos em ambas as linhagens. A conversão alimentar e a produção de ovos, o peso médio e a massa dos ovos foram influenciados positivamente pelos níveis de lisina, em poedeiras leves e semipesadas. A exigência em lisina digestível...

Exigência nutricional de treonina digestível para galinhas poedeiras no período de 34 a 50 semanas de idade

Sá,Luciano Moraes; Gomes,Paulo Cezar; Cecon,Paulo Roberto; Rostagno,Horacio Santiago; D'Agostini,Priscila
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.46%
Com o objetivo de estabelecer a exigência nutricional de treonina digestível para poedeiras leves e semipesadas no período de 34 a 50 semanas de idade, 580 poedeiras (metade Lohmann e metade Lohmann Brown) foram submetidas a uma ração basal contendo 2.850 kcal EM/kg, 14.0% PB, suplementada com cinco níveis (0,00; 0,035; 0,07; 0,105 e 0,140%) de L-treonina, de modo a proporcionar 0,410; 0,445; 0,480; 0,515 e 0,550% de treonina digestível nas rações. Foi utilizado esquema fatorial 5 x 2 (nível de treonina e linhagem de aves), com seis repetições por tratamento e seis aves por unidade experimental, em um delineamento inteiramente casualizado. Foram avaliados a produção de ovos (%), a massa e o peso médio dos ovos (g), o consumo de ração (g/ave.dia), a conversão alimentar (kg ração/dúzia ovos), a mudança de peso corporal (g) e a qualidade interna dos ovos (unidade Haugh e índices de albúmen e gema). Os níveis de treonina não influenciaram a mudança de peso corporal, o consumo de ração, o peso dos ovos e a qualidade interna dos ovos em ambas as linhagens. A conversão alimentar, a produção de ovos, a massa de ovos e a unidade Haugh foram afetadas positivamente pelos níveis de treonina. A exigência de treonina digestível...

Exigência nutricional de cálcio e sua biodisponibilidade em alguns alimentos para frangos de corte, no período de 1 a 21 dias de idade

Sá,Luciano Moraes; Gomes,Paulo Cezar; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Rostagno,Horacio Santiago; D'Agostini,Priscila
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2004 PT
Relevância na Pesquisa
46.57%
Foram utilizados 720 pintos de corte de um dia de idade, da linhagem Avian Farm, 360 machos e 360 fêmeas, com o objetivo de determinar a exigência nutricional de cálcio e a disponibilidade relativa do cálcio no fosfato bicálcico, calcário calcítico e calcário dolomítico, utilizando-se o carbonato de cálcio como padrão, sendo atribuído o valor de 100% de disponibilidade de cálcio. O experimento teve duração de 21 dias. O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com 12 tratamentos, seis repetições, sendo a unidade experimental representada pelo box contendo cinco machos e cinco fêmeas. Os tratamentos foram constituídos da suplementação da dieta basal com 0,0; 0,25; 0,50; 0,75; 1,00; e 1,25% de cálcio proveniente do carbonato de cálcio e dois níveis de cálcio, 0,50 e 0,75%, provenientes de cada uma das fontes de cálcio em teste: fosfato bicálcico e calcários calcítico e dolomítico. Os seis primeiros tratamentos foram utilizados para determinar a exigência de cálcio das aves. Na determinação da disponibilidade de cálcio nas fontes estudadas, os tratamentos com 0,25; 1,00; e 1,25% de cálcio, suplementados a partir do carbonato de cálcio, não foram considerados, sendo utilizados apenas os níveis com 0...

Exigência nutricional de cálcio para frangos de corte, nas fases de crescimento e terminação

Sá,Luciano Moraes; Gomes,Paulo Cezar; Rostagno,Horacio Santiago; Albino,Luiz Fernando Teixeira; Cecon,Paulo Roberto; D'Agostini,Priscila
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
46.57%
Foram conduzidos dois experimentos com o objetivo de determinar a exigência nutricional de cálcio para frangos de corte de 22 a 42 e 43 a 53 dias de idade. Em cada experimento foram utilizados 360 frangos de corte da linhagem Avian Farm, sendo 180 machos e 180 fêmeas. O primeiro ensaio teve duração de 21 dias e o segundo, de 10 dias, sendo que em ambos o delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, com seis tratamentos e seis repetições, sendo a unidade experimental representada pelo box, contendo cinco machos e cinco fêmeas. Foram formuladas duas dietas basais constituídas de milho e farelo de soja, suplementadas com vitaminas e minerais, atendendo as exigências nutricionais das aves, com exceção do cálcio, que permaneceu deficiente no nível de 0,16%. Os tratamentos, em cada experimento, foram constituídos da suplementação das dietas basais com 0,0; 0,25; 0,50; 0,75; 1,00; e 1,25% de cálcio provenientes do carbonato de cálcio, resultando nos níveis de 0,16; 0,41; 0,66; 0,91; 1,16; e 1,41% de cálcio. Com o término de cada experimento, foram abatidas 72 aves (duas aves por box), para extração das tíbias, visando à medição da resistência à quebra e análises de cálcio e cinzas nos ossos. Os valores da exigência de cálcio foram estimados por intermédio de ganho de peso...