Página 1 dos resultados de 3073 itens digitais encontrados em 0.013 segundos

Conceitos em relações internacionais; Concepts in international relations

Cervo, Amado Luiz
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.1%
As teorias de relações internacionais não são isentas nem imparciais, visto que estão vinculadas a interesses, valores e padrões de conduta das sociedades onde são elaboradas e descartam esses fatores de outras sociedades. As teorias que servem ao primeiro mundo não são necessariamente convenientes para os países emergentes. O artigo propõe substituir teorias por conceitos aplicados ao estudo das relações internacionais. Os conceitos expõem o lastro nacional ou regional sobre os quais se assentam. A experiência brasileira corresponde ao campo de observação desta pesquisa. O conjunto de conceitos elaborados sugere outros estudos de caso. A nova abordagem das relações internacionais visa prover explicação, orientar projetos de pesquisa e formar a inteligência dirigente. ___________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; Theories of International Relations are neither free from bias nor impartial. They are linked to specific interests, values, and patterns of conduct in certain societies which constitute their field of observation. They discard these factors of other societies. So, the theories which serve the First World are not convenient...

A mobilização do conceito de Lusofonia : o caso dos canais internacionais da RTP

Sousa, Helena
Fonte: Universidade do Minho. Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), Campo das Letras Publicador: Universidade do Minho. Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS), Campo das Letras
Tipo: Parte de Livro
Publicado em /12/2006 POR
Relevância na Pesquisa
45.98%
Este artigo analisa o papel que é atribuído aos canais internacionais da televisão portuguesa (RTP Internacional e RTP África) na reconfiguração da área cultural multicontinental altamente dispersa que é o Espaço Lusófono. De acordo com alguns autores (inter alia, Lourenço, 1993; Baptista, 2000), esta construção pós-colonial preenche um espaço imaginário de nostalgia imperial, contribui para que os portugueses se sintam menos sós e mais visíveis no mundo. Martins defende que a Lusofonia é essencialmente território dos arquétipos culturais, uma espécie de base mítica que alimenta os sonhos colectivos (2004). Se o mito pode ser entendido como um fenómenos discursivo e se a língua define a realidade, pode argumentar-se que a Lusofonia é fundamentalmente uma classificação prática, concebida para produzir efeitos sociais. Neste texto, procura-se demonstrar que os políticos, das mais diferenciadas cores partidárias, estão convictos de que – através da representação diária da Lusofonia – a RTP Internacional e a RTP África desempenham um papel relevante no reconhecimento desta área cultural e que contribuem para a solidificação e para o desenvolvimento da Comunidade Lusófona.; Fundação Calouste Gulbenkian...

Reflexões acerca das relações entre os estudos internacionais de avaliação das aprendizagens e as políticas educativas

Fernandes, Domingos
Fonte: Conselho Nacional de Educação Publicador: Conselho Nacional de Educação
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.19%
Os estudos internacionais de avaliação das aprendizagens dos alunos têm vindo a ganhar uma importância e uma notoriedade crescentes a partir dos anos 80 do passado século. Em particular, houve um claro incremento destes estudos com o Third International Mathematics and Science Study (TIMSS) da International Association for the Evaluation of Educational Achievement (IEA), em meados dos anos 90, e o Programme for International Student Assessment (PISA) da Organisation for Economic Cooperation and Development (OECD), na primeira década deste século. Pelo menos três razões podem justificar este facto. As sociedades de hoje são bem mais interdependentes dos pontos de vista económico, social, político e tecnológico, são mais abertas e as pessoas têm uma capacidade muito maior de mobilidade. As sociedades são mais multiculturais, mais competitivas e mais exigentes a todos os níveis. Os sistemas educativos confrontam-se com populações de estudantes que nada têm a ver com as populações, essencialmente homogéneas, de há 30 ou 40 anos atrás. O incremento de estudos de avaliação terá um pouco a ver com tudo isto, pois os países precisam que os seus sistemas educativos respondam melhor às necessidades de formação...

Nota Editorial

Costa, Ana Bénard da
Fonte: Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Publicador: Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL)
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/2014 POR
Relevância na Pesquisa
56.12%
Abrimos este número dos Cadernos de Estudos Africanos com um texto de homenagem a Patrick Chabal da autoria de Clara Carvalho, directora do Centro de Estudos Internacionais, ao qual se segue uma entrevista realizada por Philip Havik a Malyn Newitt sobre este mesmo autor. Tanto o texto de Clara Carvalho, como as palavras de Malyn Newitt, que trabalhou com Patrick Chabal durante vários anos no King’s College de Londres, resumem sobre pontos de vista complementares a carreira e a obra de Patrick Chabal e a sua relevância para os Estudos Africanos. A seguir a esta entrevista sobre Patrick Chabal este número da Revista apresenta um conjunto muito diversificado de artigos de autores de diversas áreas disciplinares, países e em diferentes fases da sua carreira académica. Esta diversidade segue a linha de orientação que esta Revista tem vindo desenvolver e na qual nos propusemos intercalar estes números avulsos com números temáticos, como foi o caso do último que publicámos e centrado no tema do desporto.

Eco-bairros: análise de casos internacionais e recomendações para o contexto nacional

Silva, Marco Manuel Ribeiro da
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.04%
Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente, Perfil de Ordenamento do Território e Impactes Ambientais; As cidades têm sofrido profundas alterações ao longo do tempo, sendo umas das mais visíveis o rápido crescimento resultante da industrialização e do aumento na mobilidade proporcionada pelos sistemas de transportes. Este crescimento acentuado, aliado a novas formas urbanas de ocupação dispersa e de alguma incapacidade do planeamento urbano para conseguir estruturas urbanas sustentáveis, originou profundos problemas, nomeadamente a destruição ou descaracterização de zonas centrais das cidades, a utilização excessiva de combustíveis de origem fóssil, aumento da dependência energética, a fragmentação social e espacial e a degradação de valores naturais (solos agrícolas, biótopos, etc.). É indispensável efetuar uma transição para outro patamar de desenvolvimento. As cidades terão de ser necessariamente parte da solução para os seus próprios problemas, assim como contribuir positivamente para a resolução dos problemas globais. Para tal, deve ser feito uso das suas potencialidades, da ciência e tecnologia, assim como da capacidade inovadora, do capital humano, da organização social e institucional num processo de governação participado. Nas cidades encontram-se as vias alternativas que mitigam e permitem ultrapassar os percursos insustentáveis. É neste sentido que a implementação de eco-bairros constitui uma contribuição muito significativa...

Sob o signo neoliberal: as relações internacionais da América Latina

Cervo,Amado Luiz
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2000 PT
Relevância na Pesquisa
46.07%
As relações internacionais da América Latina são vistas sob o ângulo da transição da diplomacia do desenvolvimento para a diplomacia neoliberal. Os estudos de relações internacionais, particularmente no Brasil e na Argentina, fundamentam a interpretação do autor sobre benefícios e malogros do paradigma neoliberal, visto como uma opção ideológica. A noção de Estado logístico é sugerida como alternativa estratégica ao Estado normal.

Conceitos em Relações Internacionais

Cervo,Amado Luiz
Fonte: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais Publicador: Instituto Brasileiro de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
46.14%
As teorias de relações internacionais não são isentas nem imparciais, visto que estão vinculadas a interesses, valores e padrões de conduta das sociedades onde são elaboradas e descartam esses fatores de outras sociedades. As teorias que servem ao primeiro mundo não são necessariamente convenientes para os países emergentes. O artigo propõe substituir teorias por conceitos aplicados ao estudo das relações internacionais. Os conceitos expõem o lastro nacional ou regional sobre os quais se assentam. A experiência brasileira corresponde ao campo de observação desta pesquisa. O conjunto de conceitos elaborados sugere outros estudos de caso. A nova abordagem das relações internacionais visa prover explicação, orientar projetos de pesquisa e formar a inteligência dirigente.

O papel dos organismos internacionais na evolução dos estudos populacionais no Brasil: notas preliminares

Martine,George
Fonte: Associação Brasileira de Estudos Populacionais Publicador: Associação Brasileira de Estudos Populacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.28%
O artigo analisa a influência das agências internacionais na evolução dos estudos populacionais no Brasil. O notável crescimento da área de demografia no país foi impulsionado, em parte, pela preocupação internacional com o crescimento populacional e pelos recursos colocados à nossa disposição. Os organismos internacionais que queriam influenciar a questão populacional no Brasil optaram por um de dois caminhos. A Usaid e o FNUAP (até a Conferência do Cairo) aliaram-se principalmente às entidades que promoviam o planejamento familiar e, por esse caminho, a redução da fecundidade. A Fundação Ford, a Organização Pan-Americana de Saúde, o Population Council e a Fundação Rockefeller adotaram uma estratégia menos direta, que acabou sendo mais proveitosa para o Brasil: estimularam a formação de uma massa crítica capaz de assumir a iniciativa do pensamento político na área populacional. Direta ou indiretamente, isto acabou beneficiando os pesquisadores e as diversas instituições de ensino e pesquisa agora existentes no país. O doador internacional com maior influência ao longo do tempo tem sido a Fundação Ford. A Fundação MacArthur imprimiu uma nova abordagem ao financiamento de estudos populacionais...

A contribuição da escola de Copenhague aos estudos de segurança internacional

Tanno,Grace
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
46.19%
O objetivo do artigo é apresentar a contribuição da Escola de Copenhague para a área de estudos de segurança internacional. Para tanto, será brevemente examinado o debate metateórico da área, assim como o contexto histórico no qual a Escola foi fundada. Em seguida, o artigo apresenta as críticas feitas às teses por ela formuladas. Finalmente, tornar-se-á claro que, além de terem dado uma contribuição significativa aos estudos de segurança, os trabalhos da Escola também contribuíram para a área de teoria das Relações Internacionais.

Os estudos de segurança na Turquia: situando a Turquia no "ocidente" por meio de "escrever a segurança"

Bilgin,Pinar
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 PT
Relevância na Pesquisa
46.15%
A concepção de segurança nacional orientada externamente e focada militarmente não lida suficientemente bem com as inseguranças turcas, inseguranças estas compartilhadas com outros países em desenvolvimento. Apesar disso, durante toda a Guerra Fria, houve pouca discussão acerca da limitada relevância de tais conceitos e teorias tradicionais das Relações Internacionais para tratar das inseguranças turcas. O artigo procura explicar este fato fazendo referência à preocupação política prevalecente no período, qual seja, a de situar a Turquia no "Ocidente". Os trabalhos acadêmicos sobre segurança nesse período, sugere o artigo, ajudaram a situar a Turquia no "Ocidente" mediante a representação de suas preocupações como aspectos da segurança "ocidental", e não como preocupações típicas de países em desenvolvimento. O ponto é que, ao longo da Guerra Fria, as representações da Turquia como "parceira júnior" dos Estados Unidos na luta contra o comunismo não só ajudaram a reproduzir sua identidade "ocidental", mas também embasaram os escritos sobre segurança na Turquia. O artigo está dividido em três partes. A primeira discute o problema da disjunção entre os conceitos e teorias de Relações Internacionais e as "realidades" do mundo em desenvolvimento...

Regimes internacionais e o contencioso das patentes para medicamentos: estratégias para países em desenvolvimento

Cepaluni,Gabriel
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.23%
Este artigo mostra que não existe apenas uma única teoria sobre regimes internacionais, mas um conjunto de estudos teóricos e empíricos que, isoladamente ou em conjunto, não constituem uma "teoria geral" das relações internacionais. Três abordagens resumem os principais debates sobre os regimes: o realismo-estrutural, o neoliberalismo e o cognitivismo. A primeira perspectiva - a realista - considera que o poder é o principal conceito para explicar os regimes internacionais. O neoliberalismo considera que o interesse é a principal noção analítica para entender a criação e a manutenção dos regimes. Finalmente, o cognitivismo coloca as idéias e os valores no centro de suas explicações. Feitas essas considerações, analisa-se o contencioso das patentes farmacêuticas entre o Brasil e os Estados Unidos (1988-2001) utilizando insights fornecidos pelos estudos de regimes internacionais - privilegiando-se a abordagem neoliberal. A partir do conflito entre o Brasil e os Estados Unidos, também são desenhadas algumas estratégias que podem ser utilizadas pelos países em desenvolvimento para maximizar seus ganhos no cenário internacional.

Teoria crítica em relações internacionais

Silva,Marco Antonio de Meneses
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.12%
Este artigo tem por objetivo apresentar a tradição da teoria crítica em Relações Internacionais. Entende-se que haja uma lacuna nos debates teóricos com a reduzida atenção dedicada a essa tradição no Brasil. O revigoramento dos debates teóricos contribui para o enfraquecimento das tradições teóricas convencionais. O papel da teoria crítica nessa tendência é primordial. A teoria crítica da Escola de Frankfurt é examinada como precursora filosófica e metateórica da teoria crítica em Relações Internacionais. Em seguida, as bases epistemológicas dos desafios da teoria crítica às teorias convencionais são apresentadas, com ênfase especial dedicada ao trabalho de Robert W. Cox. O pensamento neogramsciano é inspecionado à luz da busca pela transformação social nas relações internacionais. A vertente da teoria crítica internacional é vista como fonte de inspiração para muitos autores que trabalham com a emancipação. Examina-se a produção de Andrew Linklater por representar a busca por transformação das comunidades políticas por meio da expansão de suas fronteiras morais. Em seguida, busca-se uma avaliação crítica dos impactos trazidos pela teoria crítica ao campo de estudos das Relações Internacionais. Conclui-se que a teoria crítica tem méritos na guinada das discussões teóricas em direção a questionamentos ontológicos e epistemológicos...

O papel de síntese da escola de Copenhague nos estudos de segurança internacional

Duque,Marina Guedes
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.26%
O objetivo deste artigo é analisar a contribuição da Escola de Copenhague para os estudos de segurança internacional, por meio do exame de sua relação com as teorias das Relações Internacionais e seus desdobramentos no campo de segurança internacional. Para cumpri-lo, realiza-se uma breve contextualização da literatura acadêmica mainstream dos estudos de segurança desde a gênese do campo, com vistas a melhor se compreender o impacto do construtivismo na área a partir da década de 1990. Posteriormente, procede-se a uma breve revisão dos debates realizados tanto entre racionalistas e construtivistas como entre as variações do construtivismo, com vistas a situar o trabalho do grupo de Copenhague nas discussões da área. Apresenta-se, por fim, um panorama da produção da Escola de Copenhague, sustentado em dois eixos principais: (a) as contribuições que mais se destacaram; e (b) os debates suscitados, com as críticas recebidas e as respostas fornecidas pelos autores. Conclui-se que uma das principais contribuições dos autores de Copenhague para os estudos de segurança internacional diz respeito ao papel de síntese de seu trabalho em relação aos debates mais amplos realizados no campo de teoria das Relações Internacionais e ao debate sobre segurança internacional no pós-Guerra Fria.

Através dos olhos do dragão: um estudo sobre o campo das Relações Internacionais na China

Leite,Alexandre César Cunha; Máximo,Jéssica Cristina Resende
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Instituto de Relações Internacionais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.12%
Este trabalho procura apresentar o desenvolvimento recente do campo de Relações Internacionais na China, através de uma revisão bibliográfica crítica de obras sobre o desenvolvimento dos estudos de RI na China e de obras chinesas acerca das relações internacionais. Dessa forma, busca-se delinear a história da evolução do campo por meio da análise do contexto intelectual, social, econômico e político no qual o mesmo se desenvolveu. Não obstante, são abordados os principais temas de pesquisa e orientações teóricas chinesas, assim como contribuições nativas próprias para a teorização no campo.

A consultoria de relações públicas em Portugal:cenários e tendências

Azevedo, Cátia
Fonte: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas Publicador: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 24/04/2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.01%
Dissertação de Mestrado Em Comunicação Social na Vertente Comunicação Estratégica; O tema da dissertação de mestrado é “A consultoria de Relações Públicas em Portugal: cenários e tendências.” Pretende-se fazer um retrato da função de Relações Públicas em Portugal, evidenciando as suas tendências, tendo em conta a sociedade em rede e a fase de globalização imperante. É analisada a natureza da profissão, bem como a função do próprio profissional e a importância da comunicação no estabelecimento de relações entre a organização e os diferentes públicos (internos e externos). A pergunta de partida que consideramos mais adequada para esta investigação é “Quais as principais tendências de Relações Públicas em Portugal?” Esta investigação tem como objectivos: compreender a crescente importância da profissão nas sociedades democráticas contemporâneas; demonstrar os principais valores, formação e competências necessárias à profissão de Relações Públicas; evidenciar a importância do associativismo no sector e identificar as principais tendências em termos de serviços prestados. A técnica metodológica seleccionada para alcançar estes fins são a pesquisa bibliográfica onde incluímos a análise de estudos internacionais do sector e a entrevista semi-estruturada a profissionais que exerçam a sua função na área. Para o efeito...

Recrutamento de colaboradores internacionais

Franqueira, João Ricardo Sousa
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.07%
Trabalho de Projeto em Gestão e Desenvolvimento de Recursos Humanos; Este trabalho tem como objetivo intervir na área de Recursos Humanos na Entidade Acolhedora do Projeto (EAP). Foi neste contexto que identificamos a OnSalesIT S.A. para a sua realização. O diagnóstico realizado permitiu identificar como potencialidade de intervenção o Recrutamento de Colaboradores Internacionais. Tendo em consideração a elevada importância do recrutamento de colaboradores internacionais para a Entidade Acolhedora do Projeto procedeu-se ao diagnóstico da organização. Seguiu-se a configuração exata da potencialidade identificada, o planeamento estratégico e operacional da estratégia. Fez-se a implementação do projeto e terminamos com a avaliação e apresentação das respetivas medidas necessárias para concretizar a finalidade a que nos propusemos. Os resultados da avaliação permitem concluir que o projeto planeado e implementado trouxe melhorias ao processo em que foi efetuada a intervenção, uma vez que os resultados da auditoria final ao projeto revelaram resultados positivos na após a implementação deste projeto de intervenção sobre o recrutamento de colaboradores internacionais.; This report presents the intervention in Recruitment & Selection of Internacional Employees activity with the goal of guaranteeing that after March 2013 all the new selected employees stay in the organization for at least 6 months. The methodology consisted in the direct observation...

A POLÍTICA EXTERNA COMO POLÍTICA PÚBLICA? DIÁLOGOS ENTRE ESTUDOS POLÍTICOS E ESTUDOS INTERNACIONAIS

Sousa, Pedro; Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP)
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 19/05/2015 POR
Relevância na Pesquisa
56.3%
Neste trabalho procuraremos levar a cabo uma análise preliminar da abertura e das conexões entre duas áreas dos estudos políticos e internacionais: a política externa e as políticas públicas. Tentou-se analisar, por um lado, de que forma ambas vêem o Estado e a tomada de decisões neste; por outro lado, discutir os posicionamentos mais comuns das teorias fundadoras das Relações Internacionais e das Políticas Públicas relativamente às suas percepções da política externa e da definição do seu próprio campo de estudo. Seguidamente, tentou-se compreender, relativamente à Foreign Policy Analysis, se esta se apresenta como uma aproximação ao conhecimento das Políticas Públicas, e até que ponto é visível, nesta última área, uma abordagem que procure acercar-se, do mesmo modo, do conhecimento dos fenómenos internacionais como tendo impacto no processo de tomada de decisão interno (nacional). A revisão crítica da literatura de ambas as áreas levar-nos-á a concluir que há ganhos significativos, para ambas as disciplinas científicas, em termos de uma melhor compreensão e explicação dos fenómenos que analisam, tendo assim em conta um conjunto de influências e actores mais alargados do que os normalmente estudados e descritos. 

POR QUE CONSTRUIR UMA ÁREA DE ESTUDOS INTERNACIONAIS EM GESTÃO/ADMINISTRAÇÃO?

Guedes, Ana Lucia; Universidade do Grande Rio; Faria, Alexandre; Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas
Fonte: Núcleo de Estudos Organizacionais e Sociedade (NEOS), FACE/UFMG Publicador: Núcleo de Estudos Organizacionais e Sociedade (NEOS), FACE/UFMG
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Ensaio Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2014 POR
Relevância na Pesquisa
76.36%
Este ensaio argumenta que a área de gestão internacional (GI) deve contemplar dimensões de governança internacional mediante desenvolvimentos interdisciplinares com relações internacionais (RI) e economia política internacional (EPI). Pertencentes ao campo de estudos internacionais, ambas desafiam o mercado-centrismo dominante em GI e problematizam o crescente poder das corporações, das organizações internacionais (governamentais e não-governamentais) e dos Estados na produção e consumo do conhecimento. Com esta perspectiva interdisciplinar sugerimos a construção do âmbito de estudos internacionais em gestão/administração na América Latina. Esta construção de sub-áreas de GI é condição necessária para tornar visível o que tem sido mantido invisível pela literatura e para a construção de um mundo em que diversos mundos possam co-existir. Dentre as sub-áreas, destacamos: (a) gestão internacional de organizações internacionais governamentais, (b) gestão internacional de organizações não-governamentais internacionais, (c) gestão internacional de redes público-privadas, (d) gestão internacional de empresas públicas, e (e) gestão/administração pública internacional.

O campo de estudos sobre educação a distância: um estudo bibliométrico em periódicos nacionais

Souza, Donizeti Leandro de; Universidade Federal de Lavras / Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais; Ferrugini, Lílian; Universidade Federal de Lavras / Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.16%
http://dx.doi.org/10.5007/1983-4535.2014v7n3p138Os estudos sobre Educação a Distância (EaD) têm crescido nos últimos anos, despertando a atenção de pesquisadores e gestores educacionais quanto às suas particularidades. Diante disso, surge a necessidade de diagnosticar por onde caminham os estudos brasileiros direcionados para essa temática, identificando as possíveis características e limitações para avanços teórico-metodológicos. Assim, o objetivo deste artigo é mapear o campo de estudos sobre Educação a Distância no Brasil, comparando-o com estudos internacionais. Para tanto, desenvolveu-se um estudo bibliométrico a partir de 51 artigos publicados entre os anos de 2008 a 2013 em 23 periódicos nacionais, além de um estudo bibliográfico realizado a partir dos 20 principais artigos internacionais identificados na base de dados Web of Knowledge. Os artigos foram investigados com base na análise de conteúdo, identificando as principais temáticas e metodologias utilizadas, assim como os principais autores e instituições com maior quantidade de publicações. Entre os principais resultados, constata-se que o campo de estudos brasileiro se caracteriza pelo grande interesse por aspectos pedagógicos e metodológicos da EaD...

Notas imperfeitas sobre a Grande Guerra e as relações internacionais

Gaspar,Carlos
Fonte: IPRI-UNL e Tinta da China Publicador: IPRI-UNL e Tinta da China
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.04%
Os estudos internacionais têm uma relação genética com a Grande Guerra, que é inseparável da sua institucionalização como disciplina autónoma, da definição do seu ethos e da construção de uma teoria das relações internacionais. Numa primeira tentativa impressionista, parece ser possível identificar três interpretações distintas sobre as origens e a natureza da Grande Guerra, que correspondem, grosso modo, aos realistas clássicos e às correntes rivais do «realismo defensivo» e do «realismo ofensivo» e da «transição de poder».