Página 1 dos resultados de 36 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Adaptação académica e autoeficácia em estudantes universitários do 1º Ciclo de Estudos

Fernandes, Verónica Maria Pontes
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.38%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia, especialização em Psicologia Clínica e da Saúde.; O fenómeno de massificação que se tem instalado no ensino superior nos últimos anos tem colocado em evidência o tema da adaptação dos estudantes ao novo contexto universitário. A entrada no ensino superior é perspectivada, pela maioria dos estudantes, como uma nova etapa repleta de múltiplos desafios a diversos níveis, associada à possibilidade de construção de uma nova identidade, de novas relações e a acréscimo de responsabilidades e de oportunidades de exploração, experimentação e compromisso em diversas dimensões. Para a compreensão do processo de transição para o ensino superior é importante perceber-se a relação existente entre a adaptação ao ensino superior e a percepção de auto-eficácia sendo igualmente relevante ter-se em conta a existência de algumas variáveis fundamentais para avaliar os efeitos de tal relação. A investigação realizada procura analisar as relações existentes entre os padrões de adaptação académica e a percepção de auto-eficácia dos estudantes do 1º ciclo de estudos da Universidade Fernando Pessoa...

Integração académica de estudantes universitários : contributos para a adaptação e validação do QVA-r no Brasil

Granado, José Inácio F.; Santos, Acácia Aparecida A.; Almeida, Leandro S.; Soares, Ana Paula; Guisande, M. Adelina
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
56.41%
O presente estudo teve como objectivo contribuir para a validação do Questionário de Vivências Académicas, na sua versão reduzida (QVA-r; Almeida, Ferreira, & Soares, 1999) para a realidade brasileira. Trata-se de um instrumento construído em Portugal como parte de um projecto de investigação que procurava inventariar algumas características e vivências de estudantes do primeiro ano no seu processo de integração na Universidade, e já alvo de uma adaptação prévia à população de estudantes universitários brasileiros por Villar e Santos (2001) mas na sua versão integral (QVA; Almeida & Ferreira, 1999). O questionário foi aplicado a uma amostra de 626 estudantes de duas universidades brasileiras, uma particular e outra pública. Os estudos de validade e fidelidade conduzidos permitiram verificar que apesar de seis itens terem sido eliminados e três se terem associado a outra dimensão originalmente não prevista, a versão obtida, constituída por 54 itens, apresenta resultados de validade e fidelidade satisfatórios. Adicionalmente, os estudos diferenciais conduzidos tomando o rendimento académico dos alunos e o seu género permitem-nos concluir que as classificações obtidas no final do 1º semestre se associam a percepções mais positivas de integração académica (excepto no que se refere à dimensão interpessoal)...

Adaptação académica em estudantes do 1º ano : diferenças de género, situação de estudante e curso

Ferreira, Joaquim Armando G.; Almeida, Leandro S.; Soares, Ana Paula
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2001 POR
Relevância na Pesquisa
56.23%
Num compromisso entre as abordagens desenvolvimentistas e contextuais (teorias de impacto) na adaptação, desenvolvimento psicossocial e rendimento académico dos estudantes universitários, os autores analisam as vivências de uma amostra de estudantes da Universidade do Minho (N=1273), a partir do Questionário de Vivências Académicas (QVA; Almeida & Ferreira, 1997), organizado em 17 subescalas que procuram avaliar dimensões pessoais, interpessoais e contextuais da adaptação e do sucesso académico. Os resultados sugerem algumas oscilações nas médias obtidas quando tomamos os estudantes da amostra em função do género, da situação de estudante e do curso frequentado. Estes aspectos poderão vir a ser enquadrados numa preocupação mais geral da Universidade com um sucesso académico que não se circunscreva ao rendimento ou às classificações curriculares obtidas, mas antes, que integre os aspectos da adaptação, do rendimento e do desenvolvimento psicossocial experenciado pelo jovens ao longo da sua frequência universitária.

Questionário de Vivências Académicas (QVA-r) : avaliação do ajustamento dos estudantes universitários

Almeida, Leandro S.; Soares, Ana Paula; Ferreira, Joaquim Armando G.
Fonte: Casa do Psicologo Publicador: Casa do Psicologo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2002 POR
Relevância na Pesquisa
56.15%
O insucesso e a evasão no ensino superior atingem níveis preocupantes na maioria dos países. Importa conhecer as suas causas e implementar as medidas, sobretudo preventivas, que possam diminuir o custo individual, familiar e social de tais situações. No presente trabalho, apresenta-se os procedimentos de construção e validação de uma versão reduzida do Questionário de Vivências Académicas (QVA; Almeida & Ferreira, 1997). A redução substancial do número de itens na versão abreviada da escala (QVA-r; Almeida, Ferreira & Soares, 2001), procura ultrapassar as dificuldades inerentes à administração de uma versão integral do questionário constituída por 170 itens distribuídos por 17 subescalas. A presente versão abreviada é constituída por 60 itens distribuídos por cinco grandes áreas da adaptação académica dos estudantes: pessoal; interpessoal; vocacional; estudo-aprendizagem; e institucional. As qualidades métricas da versão reduzida revelam-se satisfatórias em termos da sua consistência e validade interna.

O impacto das expectativas na adaptação acadêmica dos estudantes no Ensino Superior; The impact of expectations on the students’ academic adaptation in Higher Education; El impacto de las expectativas sobre la adaptación académica de los estudiantes en la Educación Superior

Soares, Adriana Benevides; Francischetto, Vanuza; Dutra, Betânia Marques; Miranda, Jacqueline Maia de; Nogueira, Cátia C. de C.; Leme, Vanessa R.; Araújo, Alexandra Maria Dantas de Castro; Almeida, Leandro S.
Fonte: Universidade São Francisco Publicador: Universidade São Francisco
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /04/2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.43%
Os desafios enfrentados pelos jovens, decorrentes do ingresso no Ensino Superior, têm sido alvo de inúmeras pesquisas, destacando a confluência de variáveis pessoais e contextuais nesse processo de transição e adaptação ao Ensino Superior. O presente estudo teve como objetivo investigar como as expectativas afetam a qualidade das vivências adaptativas dos acadêmicos que iniciam o Ensino Superior. Participaram deste estudo 182 estudantes brasileiros (M=26,2; DP=8,76), sendo 146 mulheres e 36 homens, que responderam a dois questionários reportados às expectativas e vivências acadêmicas. Os resultados indicaram que as expectativas iniciais dos ingressantes foram correlacionadas com a qualidade das suas vivências acadêmicas. Em particular, as expectativas de envolvimento nas relações com os colegas, no projeto vocacional de carreira e nas atividades curriculares do seu curso foram associadas à adaptação acadêmica dos estudantes.; Many studies have addressed the challenges faced by students when they access higher education, describing the influence of personal and contextual factors on the transition and adaptation to Higher Education. The present study aimed to investigate how expectations impact the quality of first-year students’ experiences. Participants included 182 Brazilian students (M=26...

Modelo Multidimensional de Ajustamento de jovens ao contexto Universitário (MMAU): Estudo com estudantes de ciências e tecnologias versus ciências sociais e humanas

Soares, Ana Paula; Almeida, Leandro da Silva; Diniz, António Augusto Pinto Moreira; Guisande, M. Adelina
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
46.09%
Apresenta-se um modelo para descrever o ajustamento dos estudantes portugueses à Universidade. Testámos o Modelo Multidimensional de Ajustamento de jovens ao contexto Universitário (MMAU) numa amostra de 560 estudantes a frequentar pela primeira vez o primeiro ano de cursos de ciências e tecnologias (C&T; n = 259) e de ciências sociais e humanas (CS&H; n = 301). Apesar das expectativas de envolvimento académico à entrada da Universidade constituírem um preditor efectivo dos comportamentos de envolvimento na vida universitária, e da qualidade do ambiente de aprendizagem afectar os níveis de envolvimento, bem-estar e satisfação, os resultados confirmaram a plausibilidade do modelo para ambos os grupos e revelaram que essas relações não foram suficientemente fortes para influenciar o rendimento académico e o desenvolvimento psicossocial dos estudantes. O rendimento foi predito pela nota de candidatura e o desenvolvimento psicossocial pelo nível de autonomia à entrada da Universidade. Contrastando os resultados nos grupos, a autonomia emocional e instrumental no início da vida universitária e o envolvimento na vida académica tiveram um impacto diferencial no bem-estar obtido, respectivamente para os estudantes de C&T e de CS&H. As características pré-universitárias dos estudantes revelaram-se importantes para a configuração dos seus processos de adaptação ao contexto universitário...

Saúde mental, estratégias de coping e adaptação académica: Uma investigação com estudantes universitários do segundo ano de Viseu

Costa, Etã Sobal Paranhos
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
66.34%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Saúde; Transição e mudança são factores recorrentes na vida dos indivíduos, mas podem ser associadas com experiências perturbadoras, resultando em efeitos adversos sobre a saúde física e psicológica. As formas de mudança variam, mas têm como denominador comum a descontinuidade dos padrões de vida, que pode ser caracterizada como perda ou ganho. Um evento que pode ser avaliado como ameaçador é a transição para a universidade. O presente estudo exploratório realizado com uma amostra de 401 jovens universitários de ambos os sexos que cursavam o segundo ano das diferentes licenciaturas das três instituições superiores da cidade de Viseu, teve como objectivo geral, contribuir para a compreensão das estratégias e dos factores que levam à adaptação do jovem à universidade, e do impacto deste processo na saúde mental do estudante, considerando as implicações de algumas variáveis que caracterizaram a amostra, como o sexo, a escolha do curso, o estatuto de mobilidade e a área de estudos. Para tal, utilizou-se um protocolo de investigação composto por uma Caracterização Sócio-Demográfica, e três questionários: o Questionário de Vivências Académicas -QVA (Almeida & Ferreira...

Modelo Multidimensional de Ajustamento de jovens ao contexto Universitário (MMAU): Estudo com estudantes de ciências e tecnologias versus ciências sociais e humanas

Soares, Ana Paula; Universidade do Minho; Almeida, Leandro S.; Universidade do Minho; Diniz, António M.; ISPA-IU; Guisande, M. Adelina; Universidade de Santiago de Compostela
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.09%
Apresenta-se um modelo para descrever o ajustamento dos estudantes portugueses à Universidade. Testámos o Modelo Multidimensional de Ajustamento de jovens ao contexto Universitário (MMAU) numa amostra de 560 estudantes a frequentar pela primeira vez o primeiro ano de cursos de ciências e tecnologias (C&T; n = 259) e de ciências sociais e humanas (CS&H; n = 301). Apesar das expectativas de envolvimento académico à entrada da Universidade constituírem um preditor efectivo dos comportamentos de envolvimento na vida universitária, e da qualidade do ambiente de aprendizagem afectar os níveis de envolvimento, bem-estar e satisfação, os resultados confirmaram a plausibilidade do modelo para ambos os grupos e revelaram que essas relações não foram suficientemente fortes para influenciar o rendimento académico e o desenvolvimento psicossocial dos estudantes. O rendimento foi predito pela nota de candidatura e o desenvolvimento psicossocial pelo nível de autonomia à entrada da Universidade. Contrastando os resultados nos grupos, a autonomia emocional e instrumental no início da vida universitária e o envolvimento na vida académica tiveram um impacto diferencial no bem-estar obtido, respectivamente para os estudantes de C&T e de CS&H. As características pré-universitárias dos estudantes revelaram-se importantes para a configuração dos seus processos de adaptação ao contexto universitário...

Adaptação académica em estudante do 1º ano: diferenças de gênero, situação de estudante e curso

Ferreira,Joaquim Armando; Almeida,Leandro S.; Soares,Ana Paula C.
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66.27%
Num compromisso entre as abordagens desenvolvimentistas e contextuais (teorias de impacto) na adaptação, desenvolvimento psicossocial e rendimento académico dos estudantes universitários, os autores analisam as vivências de uma amostra de estudantes da Universidade do Minho (N=1273), a partir do Questionário de Vivências Académicas (QVA; Almeida & Ferreira, 1997), organizado em 17 subescalas que procuram avaliar dimensões pessoais, interpessoais e contextuais da adaptação e do sucesso académico. Os resultados sugerem algumas oscilações nas médias obtidas quando tomamos os estudantes da amostra em função do género, da situação de estudante e do curso frequentado, o que poderá vir a ser enquadrado nas políticas e práticas universitárias, tendo em vista a promoção do sucesso académico não circunscrito ao rendimento escolar obtido.

O impacto das expectativas na adaptação acadêmica dos estudantes no Ensino Superior

Soares,Adriana Benevides; Francischetto,Vanuza; Dutra,Betânia Marques; Miranda,Jacqueline Maia de; Nogueira,Cátia C. de C.; Leme,Vanessa R.; Araújo,Alexandra M.; Almeida,Leandro S.
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.27%
Os desafios enfrentados pelos jovens, decorrentes do ingresso no Ensino Superior , têm sido alvo de inúmeras pesquisas, destacando a confluência de variáveis pessoais e contextuais nesse processo de transição e adaptação ao Ensino Superior . O presente estudo teve como objetivo investigar como as expectativas afetam a qualidade das vivências adaptativas dos acadêmicos que iniciam o Ensino Superior . Participaram deste estudo 182 estudantes brasileiros (M=26,2; DP=8,76), sendo 146 mulheres e 36 homens, que responderam a dois questionários reportados às expectativas e vivências acadêmicas. Os resultados indicaram que as expectativas iniciais dos ingressantes foram correlacionadas com a qualidade das suas vivências acadêmicas. Em particular, as expectativas de envolvimento nas relações com os colegas, no projeto vocacional de carreira e nas atividades curriculares do seu curso foram associadas à adaptação acadêmica dos estudantes.

Adaptação à universidade em jovens calouros

Teixeira,Marco Antônio Pereira; Dias,Ana Cristina Garcia; Wottrich,Shana Hastenpflug; Oliveira,Adriano Machado
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE) Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 PT
Relevância na Pesquisa
46.18%
O primeiro ano é um período crítico para a adaptação do estudante à universidade. O objetivo desta pesquisa foi investigar, qualitativamente, a experiência de adaptação à universidade em jovens calouros em uma universidade. Participaram do estudo 14 estudantes de diferentes cursos, com idades entre 18 e 22 anos. Os sujeitos foram entrevistados individualmente e as entrevistas submetidas a uma análise fenomenológica. Quatro grandes temas emergiram da análise: Saindo de casa, Ingressando na vida acadêmica, Percebendo mudanças em si mesmo e Adaptando-se ao curso. Os resultados indicam que a adaptação à universidade entre calouros é uma experiência que traz mudanças importantes para os estudantes, e que o sucesso na adaptação depende de muitos fatores, alguns deles não ligados diretamente ao contexto acadêmico. Apesar disso, o contexto universitário tem um papel importante a desempenhar no processo de adaptação à universidade.

Habilidades sociais e adaptação à Universidade: convergências e divergências dos construtos

Soares, Adriana Benevides; Universidade Salgado de Oliveira e Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Del Prette, Zilda Aparecida Pereira; Universidade Federal de São Carlos
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2015 POR
Relevância na Pesquisa
76.25%
Este ensaio visa analisar possíveis relações entre os conceitos de habilidades sociais e de adaptação acadêmica à Universidade, buscando identificar aspectos em que apresentam convergências e divergências. O termo habilidades sociais define o conjunto de comportamentos requeridos para a competência social, conforme critérios especificamente associados a esse construto. A adaptação acadêmica envolve uma integração e uma acomodação das vivências acadêmicas às demandas que são exigidas no contexto universitário. Defende-se que um bom repertório de habilidades sociais contribui para o desempenho socialmente competente, o que pode aumentar a qualidade das vivências acadêmicas e do rendimento acadêmico no processo de adaptação à Universidade. Por outro lado, que o cotidiano e as demandas da vida na Universidade constituem experiências de aprendizagem não somente acadêmicas, mas também sociais. Com base em evidências empíricas de correlação entre medidas de habilidades sociais e de adaptação acadêmica, são discutidas e apontadas possíveis convergências entre esses construtos.

Repercussões do Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) na Experiência Universitária

Oliveira,Clarissa Tochetto de; Dias,Ana Cristina Garcia
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.26%
Buscou-se verificar de que forma o diagnóstico do Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH), ou a presença dos sintomas do transtorno, interfere na vida acadêmica de estudantes universitários. Realizou-se uma revisão sistemática de literatura com os descritores estudantes universitários/college students e TDAH/ADHD nas bases de dados Scielo Brasil, Index Psi, Redalyc, Medline, ePsycARTICLES no período de 2004 a 2014. Foram encontrados 53 artigos e, destes, 15 foram analisados. Os trabalhos visavam apontar as semelhanças e as diferenças entre estudantes universitários com e sem sintomas ou diagnóstico de TDAH quanto a variáveis que podem afetar a experiência universitária, bem como descrever o transtorno nessa população. Os jovens com e sem TDAH tendem a ser semelhantes no que se refere ao autoconceito e ao bem-estar psicológico, mas diferentes quanto à adaptação à universidade e às preocupações com o desempenho acadêmico. Esta revisão oferece um panorama sobre o que já se sabe sobre TDAH em estudantes universitários e sobre a forma como os estudos com esse público têm sido realizados.

Vivencias e implicación académica en estudiantes universitarios : adaptación y validación de escalas para su evaluación; College students' academic experiences and involvement : assessment scales adaptation and validation; Vivências e envolvimento acadêmico de estudantes universitários : adaptação e validação de escalas para a sua avaliação

Abello Riquelme, Rubén; Díaz Mujica, Alejandro; Pérez Villalobos, María Victoria; Almeida, Leandro S.; Herrera, Irma; González Puentes, Jaime; Strickland, Brandee
Fonte: Universidad Austral de Chile. Facultad de Filosofía y Humanidades Publicador: Universidad Austral de Chile. Facultad de Filosofía y Humanidades
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /12/2012 SPA
Relevância na Pesquisa
56.45%
Este artículo describe los procesos preliminares de adaptación y validación de dos instrumentos diseñados para describir Vivencias Académicas (centradas en la satisfacción) y la Implicación Académica (centrada en el compromiso) en estudiantes universitarios. De acuerdo con la literatura científica en el área, las vivencias y la implicación académica se encuentran asociadas con las dificultades relacionadas al abandono de los alumnos. Para este estudio se aplicaron dos cuestionarios a 261 estudiantes pertenecientes a la Universidad de Concepción, Campus Los Ángeles, Chile. Ambos instrumentos mostraron niveles adecuados de homogeneidad o consistencia interna en los ítems repartidos para las subescalas de cada cuestionario. Paralelamente, se calcularon las correlaciones entre las dimensiones de ambos cuestionarios, siendo los coeficientes obtenidos adecuados para los constructos evaluados. Estos antecedentes permiten el comienzo de la validación de los cuestionarios en estudio.; This paper presents preliminary findings regarding the adaptation and validation of two instruments designed to measure Academic Experiences (centred on satisfaction) and Academic Involvement in university students. Previous research has shown that academic experience and involvement are strongly correlated with student drop-out rates. For the present study...

Desenvolvimento e adaptação académica em estudantes universitários dos "PALOP"

Pires, Heldemerina Samutelela
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
56.62%
Neste estudo, em primeiro lugar, procura-se, através da investigação bibliográfica encontrar e analisar algumas teorias relacionadas com a integração e o desenvolvimento do estudante do ensino superior. Pretende-se, em segundo lugar, evidenciar as áreas de adaptação ao Ensino Superior que se apresentam mais problemáticas para o estudante dos PALOP no Ensino Superior Português, assim como compreender melhor o modo de funcionamento cognitivo do estudante pertencente a este grupo. Para a realização do estudo empírico recorreu-se a dois questionários: o Inventário de Desenvolvimento Cognitivo de Parker (IDCP) e o Questionário de Vivências Académicas (QVA); ambos os instrumentos se encontram estudados e validados junto dos universitários portugueses. O IDCP é um instrumento de avaliação da evolução do pensamento dos estudantes que frequentam o Ensino Superior. Neste instrumento o desenvolvimento cognitivo dos jovens aparece agrupado em três grandes níveis (dualismo, relativismo e compromisso no relativismo). O nível de pensamento dualista revela uma forma de compreender o mundo de modo dicotómico. No nível seguinte, o sujeito é capaz de reconhecer que o conhecimento é relativo e, no último nível, o estudante compreende que existe um carácter pluralista no mundo e age por comprometimento para estabelecer a sua identidade pessoal. É suposto que os estudantes com maiores níveis de desenvolvimento cognitivo apresentem maiores pontuações nas subescalas de relativismo e compromisso no relativismo. Quanto ao QVA...

Integração Acadêmica e Integração Social nas Primeiras Semanas na Universidade: Percepções de Estudantes Universitários / Academic and Social Integration during the First Weeks at the University: Perceptions of University Students

Marco Antonio Pereira Teixeira; UFRGS; Alexandre Kurtz dos Santos Sisson de Castro; UFRGS; Ana Paula Couto Zoltowski; UFRGS
Fonte: UFMG / UFU / UFSJ / UFJF Publicador: UFMG / UFU / UFSJ / UFJF
Tipo: Avaliado por Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 28/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.27%
Integração acadêmica e social são processos que influenciam a adaptação de alunos de ensino superior ao ambiente acadêmico. O objetivo deste estudo foi descrever como estudantes ingressantes percebem a sua integração acadêmica e social nas primeiras semanas de curso. Participaram 17 estudantes em seu primeiro curso universitário, com idades entre 18 e 28 anos, de quatro graduações: Engenharia Civil, Enfermagem, Farmácia e Jornalismo. As entrevistas individuais ocorreram entre a quarta e a oitava semanas de aulas, sendo submetidas à análise temática de conteúdo. Os resultados apontaram que os processos de integração acadêmica e social já ocorrem em um período recente no curso, envolvendo contextos de pares, disciplinas, professores e instituição. Observou-se que a integração pode ser compreendida como um fenômeno multifacetado, que não se resume à descrição de quais pessoas ou contextos estão envolvidos, mas à forma como as relações são percebidas pelo aluno.

Relações entre Adaptabilidade de carreira e personalidade: Um estudo com universitários ingressantes brasileiros

Bardagi,Marucia Patta; Albanaes,Patricia
Fonte: Associação Portuguesa de Psicologia (APP); Edições Colibri Publicador: Associação Portuguesa de Psicologia (APP); Edições Colibri
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
56.28%
Identificar os fatores que influenciam a experiência universitária dos estudantes é importante para a pesquisa no desenvolvimento de carreira e permite uma maior compreensão da adaptação acadêmica dos alunos. Este estudo investigou as relações entre traços de personalidade e adaptabilidade de carreira em universitários ingressantes brasileiros. 359 alunos participaram (59.3% mulheres), com idade média de 20.6 anos, que responderam a perguntas biodemográficas, uma escala de adaptabilidade de carreira e uma lista de marcadores de personalidade. Foram encontradas correlações significativas entre adaptabilidade e todas as dimensões da personalidade. Não houve diferenças significativas entre os sexos na adaptabilidade e os estudantes de Humanidades tiveram escores significativamente mais baixos em preocupação de carreira do que alunos de outras áreas. Os resultados favorecem a discussão sobre o impacto das características de entrada dos estudantes para a adaptação e o engajamento acadêmico.

Modelo Multidimensional de Ajustamento de jovens ao contexto Universitário (MMAU): Estudo com estudantes de ciências e tecnologias versus ciências sociais e humanas

Soares,Ana Paula; Almeida,Leandro S.; Diniz,António M.; Guisande,M. Adelina
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 PT
Relevância na Pesquisa
46.09%
Apresenta-se um modelo para descrever o ajustamento dos estudantes portugueses à Universidade. Testámos o Modelo Multidimensional de Ajustamento de jovens ao contexto Universitário (MMAU) numa amostra de 560 estudantes a frequentar pela primeira vez o primeiro ano de cursos de ciências e tecnologias (C&T; n = 259) e de ciências sociais e humanas (CS&H; n = 301). Apesar das expectativas de envolvimento académico à entrada da Universidade constituírem um preditor efectivo dos comportamentos de envolvimento na vida universitária, e da qualidade do ambiente de aprendizagem afectar os níveis de envolvimento, bem-estar e satisfação, os resultados confirmaram a plausibilidade do modelo para ambos os grupos e revelaram que essas relações não foram suficientemente fortes para influenciar o rendimento académico e o desenvolvimento psicossocial dos estudantes. O rendimento foi predito pela nota de candidatura e o desenvolvimento psicossocial pelo nível de autonomia à entrada da Universidade. Contrastando os resultados nos grupos, a autonomia emocional e instrumental no início da vida universitária e o envolvimento na vida académica tiveram um impacto diferencial no bem-estar obtido, respectivamente para os estudantes de C&T e de CS&H. As características pré-universitárias dos estudantes revelaram-se importantes para a configuração dos seus processos de adaptação ao contexto universitário...

A dinâmica da personalidade e o homesickness (saudades de casa) dos jovens estudantes universitários

Ferraz,M. Fernanda; Pereira,Anabela Sousa
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2002 PT
Relevância na Pesquisa
56.14%
Partindo de uma abordagem metodológica enquadrada numa perspectiva empírico-analítica, esta investigação tem como objectivo alertar para a necessidade do desenvolvimento de competências para lidar com a situação de transição, propondo a criação e aplicação de medidas profilácticas ao nível do ensino secundário, que previnam o aparecimento dos quadros de insucesso, abandono e problemas pessoais e de estruturação da personalidade, promovendo a sua adaptação. Os resultados apontam como traços de personalidade mais visíveis nestes estudantes os de carácter extrovertido, no entanto, os estudantes do sexo feminino têm mais tendência para apresentar uma personalidade predominantemente de traço neurótico do que os do sexo masculino. Verifica-se uma correlação positiva entre o homesickness e o neuroticismo, isto é, quanto mais saudades de casa o estudante tem, mais tendência apresenta para o neuroticismo e vice-versa. Com a extroversão a correlação é negativa, ou seja, quanto mais extrovertidos são os alunos, menos saudades de casa têm. Perante este quadro de resultados é importante atender, à necessidade de proporcionar bem-estar na universidade promovendo um apoio pessoal, organizacional e de inter-relação que envolva os seus alunos e lhes permita investir na formação académica com sucesso.

Habilidades sociais e adaptação à universidade: Convergências e divergências dos construtos

Soares,Adriana Benevides; Prette,Zilda Aparecida Pereira Del
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
76.21%
Este ensaio visa analisar possíveis relações entre os conceitos de habilidades sociais e de adaptação acadêmica à Universidade. O termo habilidades sociais define o conjunto de comportamentos requeridos para a competência social, conforme critérios especificamente associados a esse construto. A adaptação acadêmica envolve uma integração e uma acomodação das vivências acadêmicas às demandas do contexto universitário. Foi feita uma análise de estudos empíricos sobre os dois temas e, com base nas correlações por eles evidenciadas, conclui-se que essa associação pode sugerir que: (a) um bom repertório de habilidades sociais poderia contribuir para a qualidade das vivências acadêmicas e o rendimento acadêmico facilitando o processo de adaptação à Universidade; (b) as situações e as demandas da vida na Universidade constituem oportunidades de aprendizagem, não somente acadêmicas, mas também interpessoais, contribuindo para o desenvolvimento de habilidades sociais importantes para o universitário, tanto no presente quanto no futuro profissional.