Página 1 dos resultados de 1159 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

"Escravos da Nação": o público e o privado na escravidão brasileira, 1760-1876; "Slaves of the nation": the public and the private in Brazilian slavery, 1760-1876

Rocha, Ilana Peliciari
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/04/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.5%
Esta pesquisa apresenta a caracterização dos espaços públicos e privados na relação da escravidão brasileira a partir da análise de escravos públicos existentes no final da Colônia e no Império. Estes escravos eram chamados escravos da nação ou escravos nacionais, e forneciam mão de obra para estabelecimentos públicos e obras públicas. As hipóteses levantadas decorrem da possibilidade de tratamento diferenciado em decorrência da condição de escravos estatais, e a sua associação às características do Estado apontadas pela historiografia para este período. Delimitou-se entre os anos de 1760 até 1876, quando o Império Português expulsa a Companhia de Jesus confiscando os seus bens, entre eles os escravos, e quando se encerra o prazo de cinco anos determinado pela Lei do Ventre Livre (1871), para que os escravos saiam da supervisão do Estado e alcancem a liberdade. Estes escravos eram utilizados em fazendas, fábricas e repartições públicas em diversas regiões do Império. Nesta pesquisa examinou-se a existência ou não de uma política estatal em relação aos escravos públicos no século XIX. À título de exemplo se estendeu na análise pormenorizada da Imperial Fazenda de Santa Cruz (Rio de Janeiro) e da Fábrica de Ferro de São João de Ipanema (São Paulo).; This research presents the characterization of public spaces and private in the relationship of Brazilian slavery from the analysis of existing public slaves at the end of the Colony and Empire. These slaves were called slaves in the nation or national...

Dos escravos que partem para os portos do sul : características do tráfico negreiro do Rio Grande de São Pedro do Sul, c.1790-c.1825

Berute, Gabriel Santos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.5%
O objetivo desta investigação é analisar o tráfico de escravos na Capitania do Rio Grande de São Pedro do Sul, na passagem do século XVIII para o XIX. Duas questões básicas orientaram nossa investigação: a análise das características demográficas dos escravos traficados (sexo, naturalidade, condição e faixa etária) e a caracterização da dinâmica de funcionamento do circuito mercantil (composição dos envios, concentração do tráfico e traficantes envolvidos). Verificou-se que, embora se realizasse apenas na sua etapa interna, o tráfico de escravos da capitania apresentava características semelhantes àquelas observadas nas regiões que participavam diretamente do tráfico atlântico de escravos. Quanto ao perfil demográfico, constatou-se o predomínio dos escravos africanos e uma elevada razão de masculinidade, tanto entre os africanos quanto entre os crioulos.Por outro lado, observou-se que aproximadamente 1/3 dos escravos despachados para o Rio Grande de São Pedro do Sul, entre 1788-1802, tinham entre 10 e 14 anos. No que diz respeito ao circuito mercantil, concluiu-se que o comércio se dava através de pequenos envios e era realizado por um grande número de “traficantes eventuais”. Estes pequenos comerciantes foram responsáveis pela comercialização de uma parcela importante do total de escravos e pela maior parte dos envios realizados e...

Tudinhas, Rosinhas e Chiquinhos : o processo de emancipação dos escravos e dos libertos no mercado de trabalho, Piracicaba: 1870-1920

Claudia Alessandra Tessari
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/04/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
O tema desta dissertação refere-se aos momentos decisivos de formação e consolidação do mercado de trabalho livre brasileiro. A emancipação dos escravos é parte de uma temática mais ampla de transição da escravidão para o trabalho livre. O objetivo de centralizar a atenção, especialmente, no tema da incorporação do elemento ex-escravo ao mercado de trabalho e à nova sociedade surgiu durante as minhas pesquisas, em nível de iniciação científica, sobre tema afim, ainda durante o curso de graduação. Enquanto pesquisava sobre o trabalhador livre nacional no período de 1830 a 1888, uma inquietação seguia-me: e os ex-escravos? O que se pensava deles durante o processo lento de emancipação e o que realmente foi feito para possibilitar a sua incorporação no mercado de trabalho e na nova sociedade enquanto pessoas livres? De forma mais específica, este trabalho destinou-se a estudar o modo como se pensou a incorporação do liberto ao mercado de trabalho livre desde o início do processo de Abolição da escravatura brasileira. Se o discurso propalava a sua "incapacidade" para aproveitar as novas oportunidades que surgiam por causa da própria natureza do seu trabalho servil, quais foram as sugestões do ponto de vista político-institucional...

Encruzilhadas da liberdade : historias e trajetorias de escravos libertos na Bahia, 1870-1910

Walter Fraga Filho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/03/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.24%
o presente estudo tem como objetivo rastrear trajetórias de vida de escravos e libertos entre as duas décadas que antecedem a abolição, em 1888, e os primeiros vinte anos que se seguiram àquele evento. A intenção é perceber como as experiências da escravidão, de variadas maneiras, se projetaram sobre o cotidiano dos ex-escravos no pós-abolição, norteando condutas, escolhas e projetos de liberdade. Para isso, o estudo utiliza fontes históricas diversas, documentos oficiais, correspondências policiais, registros cartoriais, inventários, JOrnaIS, romances, memórias e correspondências privadas. É no entrecruzamento destas diversas fontes que buscamos desvendar os sentidos e significados da liberdade para os aftodescendentes; The aim of the present study is to accompany individual and collective trajectories of slaves and freed persons between the two decades prior to abolition in 1888 and the first twenty years following that eventoThe focus is on the varied ways in which experiences under slavery guided the choices and decisions, indeed the projects, of freed people in the post-emancipation period. To this end, the thesis examines a diversity of sources, from official documents, police correspondence, notaria! registers and probate records...

Comercio de escravos do Sul para o Sudeste, 1850-1888 : economias microregionais, redes de negociantes e experiência cativa; Slave trade from South to South-east, 1850-1888 : local economies, traders networks and slave experience

Rafael da Cunha Scheffer
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.48%
Analisando a questão do trabalho escravo em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, diversos historiadores apontaram a importância do tráfico interno para o fim da escravidão nessas províncias. O presente trabalho visa exatamente dar profundidade a esse tema, analisando o mercado de escravos em diversas cidades sulistas, na segunda metade do século XIX. Investigando o comércio local e interprovincial, procuro calcular seu volume e formas de operação, seu impacto na população cativa dessas províncias e suas conexões com uma cidade importadora dessa mão de obra no Sudeste, Campinas. Busco ainda os comerciantes envolvidos neste negócio, a maneira com que atuavam neste mercado, investigando algumas experiências como negociantes de escravos, de construção de laços e redes comerciais. Para este trabalho, desenvolvi séries com diversas fontes. Registros cartoriais de compra e venda de cativos e procurações que autorizavam a negociação desses trabalhadores foram analisados para todas as cidades selecionadas para estudo. Além disso, anúncios de compra e venda de escravos, impostos sobre a sua comercialização e diversas outras fontes oficiais foram utilizadas para elucidar as questões levantadas. Por fim, explorei fontes judiciais como processos cíveis e criminais para buscar informações complementares sobre os envolvidos nesse comércio e suas práticas. Com essa pesquisa...

Forasteiros no oeste paulista : escravos no comércio interno de cativos e suas experiências em Campinas, 1850-1888; Outsiders in the paulista West : bondspeople in the internal slave trade and their experiences in Campinas, 1850-1888

Joice Fernanda de Souza Oliveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/11/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
A pesquisa ora apresentada investiga a experiência de escravos comercializados para Campinas, no período de 1850-1888. Nesse estudo, as principais questões analisadas se referem às relações familiares, às relações de trabalho, à distribuição de ocupações especializadas, às incidências de fuga e às possibilidades de alforria. Para alcançar este objetivo, realizamos micro histórias de três comunidades escravas, utilizando o método de ligação nominativa de fontes para seguir pessoas no tempo e entre séries documentais diferentes. As três escravarias campineiras escolhidas se diferem a partir de seu histórico (se antigas ou de formação recente) e da "velocidade" de sua aquisição de novos cativos (lenta ou rápida) no comércio interno. Nesses cenários investigamos a comunidade escrava em sua totalidade, comparando a experiência de escravos residentes de longa com a vivência dos forasteiros. A partir desse trabalho observamos alguns traços comuns na trajetória dos forasteiros no novo cativeiro, mas principalmente, constatamos a heterogeneidade da experiência daqueles deslocados pelo comércio interno.; The research presented investigates the experience of bondspeople brought to the city of Campinas - a plantation center in the "historical West" of São Paulo - through the internal trade in slaves that grew rapidly after the end of the traffic in Africans (1850) and reached its height in the 1870s. My story finishes in 1888...

A dinâmica do tráfico interno de escravos na franja da economia cafeeira paulista (1861-1887); The dynamics of internal slave trade in the western zone of São Paulo (1861-1887)

Gabriel Almeida Antunes Rossini
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.24%
Esta pesquisa aborda a dinâmica do tráfico interno de escravos na franja da economia cafeeira paulista, entre 1861-1887. Este estudo tem como lócus privilegiado alguns importantes centros cafeicultores do Oeste Paulista pertencentes à Zona da Baixa Paulista (Rio Claro, Araras e Araraquara). Os resultados apresentados nesta pesquisa foram decorrentes da análise de 814 escrituras de compra e venda de escravos que registraram a comercialização de 1.756 indivíduos das mais diferentes idades, origens e ambos os sexos. Este estudo é estruturado em quatro partes. Além da introdução, na segunda parte, discutimos aspectos relativos aos recortes espacial, temporal e ao núcleo documental utilizado e também abordamos elementos da expansão cafeeira e do comércio interno de escravos. Na terceira, expomos os resultados das diversas apreciações econômicas e demográficas relativas aos indivíduos que sofreram o fado das diferentes modalidades do tráfico interno de cativos. Por fim, expomos as nossas conclusões.; This research deals with the dynamics of internal slave trade during the coffee boom era in São Paulo, between 1861 and 1887. The localities where we focus this research are the cities of Rio Claro, Araras and Araraquara...

Tráfico interprovincial e comerciantes de escravos em Desterro, 1849-1888

Scheffer, Rafael da Cunha
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: viii, 162 f.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História; Analise do mercado de escravos em Desterro na segunda metade do século XIX, procurando calcular seu volume e formas de operação, e seu impacto na população cativa da capital catarinense. Pesquisa em fontes como anúncios de compra e venda de escravos, registros da movimentação do porto de Desterro, impostos sobre a comercialização de cativos, os registros de escravos nos livros de notas de cartórios, fontes judiciais e uma lista de eleitores de Desterro do ano de 1876. Através da pesquisa, percebeu-se como o mercado de cativos da capital catarinense esteve ligado ao nacional. A compra de escravos para a revenda no Sudeste ocorreu de forma constante em Desterro, tendo seu ápice na década de 1870. Cativos foram enviados em pequenos grupos, em geral para o Rio de Janeiro, através de linhas regulares de vapor. Diversos comerciantes locais se envolveram com este mercado, agindo como intermediários no tráfico interprovincial, mas em geral não se dedicaram exclusivamente a este negócio. A posição social e política desses comerciantes mostra o destaque que eles possuíam nesta sociedade...

A ordem cristã no governo dos escravos : normas para a cristianização e tratamento dos escravos no Brasil colonial (1697-1759)

Silva, Brunno Hoffmann Velloso da
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Dissertação (Mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de ciências sociais, Departamento de sociologia, 2011.; Esta dissertação trata de um pequeno conjunto de textos escritos no Brasil colonial, entre finais do século XVII e meados do XVIII, que procuravam regular a escravidão negra com preceitos cristãos. Buscou-se, no curso da investigação, compreender em que consistia o conjunto dessas regras e o que prescreviam a senhores e escravos. Notou-se a constante preocupação dos autores dessas obras com o tratamento dado pelos senhores a seus escravos no que dizia respeito à alimentação, vestimenta, saúde, catequização, castigos, entre outros temas recorrentes em todos os textos que constituem o objeto desta pesquisa. Assim, esses escritos, ao tratarem de questões relacionadas à vida prática e cotidiana dos escravos, tomavam, por vezes, a forma de um manual ou um compêndio que reunia métodos e regras cristãs para escravizar o negro. Com o intuito de contextualizar historicamente a argumentação apresentada nos livros que serviram de objeto de estudo desta investigação, uma parte desta pesquisa dedicou-se a rever alguns antecedentes dessas obras. Além disso, procurou-se conhecer um pouco da história de seus autores e da publicação dessas obras...

Identidade e mobilidade na comunidade de comerciantes de escravos em Angola no final do século XVIII

Orioli, Júlia Porphirio
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, 2013.; Esta dissertação busca compreender a mobilidade social, cultural e geográfica dos comerciantes de escravos partindo do envolvimento de religiosos com o comércio e com comerciantes de escravos na segunda metade do século XVIII em Angola. A população de Luanda estava envolvida com o comércio de escravos e a principal elite da região era composta por comerciantes que dominavam a politica, administração e exército. Os luso-africanos ascenderam socialmente e criaram empresas familiares que iam além de seus domínios no porto africano, adentrava o interior e expandia para outras margen do oceano Atlântico. Deste modo o presente trabalho visa analisar o comércio de escravos através de três religiosos que tinham envolvimento com o comércio ou com comerciantes de escravos em Angola. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT; This work wants to understand the social, cultural and geographic mobility of the slaves merchands, starting with the involvement of religious in the slave trade in the second half of the XVIII century in Angola. The population of Luanda was involved in the slave trade and the main elite of the region was composed by merchands...

Do cativeiro ao mar: escravos na Marinha de Guerra

Nascimento,Álvaro Pereira do
Fonte: Universidade Cândido Mendes Publicador: Universidade Cândido Mendes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.37%
O artigo procura revelar que, ao longo do século XIX, a Marinha de Guerra Brasileira era um dos caminhos seguidos pelos escravos fugidos para alcançar a liberdade. Já existem algumas obras que tratam dos escravos emancipados para a guerra do Paraguai. Contudo, temos somente alguns poucos comentários na historiografia sobre os escravos não-emancipados - que fugiam e burlavam os aparato policial e de recrutamento militar ao longo do século XIX. Analisei os ofícios trocados entre o chefe de polícia da Corte e o encarregado do quartel general da Marinha, que revelaram as falhas do alistamento militar provocadas pela necessidade de homens para a Armada e pelo interesse do aparato policial em se livrar daqueles tidos como vadios, mendigos, menores, etc. Além disso, em momentos de guerra, crises políticas e revoltas, os escravos poderiam ter variadas interpretações da palavra liberdade. No processo de independência, na Sabinada, na guerra Paraguai e em outros momentos de crise, os escravos fugiram, enganaram recrutadores, assumiram seus postos no front em forças legalistas ou separatistas e alcançaram a liberdade. Todavia, essa mesma liberdade não estaria garantida, se eles não lutassem com unhas e dentes pela causa da guerra. O que revela um sentido político não ligado à Força Armada que participavam...

Duas fontes documentais para o estudo dos preços dos escravos no Vale do Paraíba paulista

Marcondes,Renato Leite; Motta,José Flávio
Fonte: Associação Nacional de História - ANPUH Publicador: Associação Nacional de História - ANPUH
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2001 PT
Relevância na Pesquisa
37.24%
Estudam-se os preços dos escravos em quatro localidades do Vale do Paraíba paulista com base na comparação de duas distintas fontes documentais no período 1872-1874. Para Cruzeiro e Lorena, utilizou-se a Lista de Classificação para Emancipação. Para Guaratinguetá e Silveiras lançou-se mão das escrituras de compra e venda de cativos. As semelhanças e diferenças observadas refletem as características de cada uma das fontes aludidas. As escrituras de compra e venda fornecem os preços dos escravos de forma mais próxima dos valores de mercado, todavia abrangendo parcela não tão representativa da população cativa vis-à-vis a Lista de Classificação. Esta última, por sua vez, ao passo que caracterizada pela maior abrangência, encerra maiores imprecisões quando se trata das avaliações individuais dos escravos arrolados.

Escravos e cidadãos na Ilha Grande: a alvorada republicana demorou a chegar

Schnoor,Eduardo Cavalcanti
Fonte: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.24%
Apresenta a Ilha Grande, distrito de Angra dos Reis, sua inserção na economia mercantil de subsistência e a memória da escravidão que se encontra no Registro Civil de Angra dos Reis. O Almanaque Laemmert informa que esse distrito possuiu o maior número de escravos do município, a partir da década de 1870. Seus proprietários, em sua maioria, eram senhores de poucos escravos, e as propriedades majoritariamente pequenas. O Registro Civil de Angra dos Reis não se esqueceu da escravidão depois de maio de 1888. Várias comunicações de nascimento e falecimento qualificaram as pessoas, informando sua condição anterior de escravo. Mesmo no século XX, os escrivães não deixaram de qualificar vários cidadãos republicanos como ex-escravos.

Os escravos de Buenos Aires. Do terceiro pátio à rua: a busca do tolerável (1776-1814)¹

Secreto,María Verónica
Fonte: EdUFF - Editora da UFF Publicador: EdUFF - Editora da UFF
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.42%
Um conjunto de documentos composto por solicitações diversas que realizaram os escravos de Buenos Aires nas últimas décadas do período colonial nos possibilita aproximar-nos da diversidade de experiências cativas e das formas que os escravos encontraram para ganhar autonomia e para conseguir formas mais toleráveis de escravidão em um mundo em que os contornos e as definições das castas eram relativamente flexíveis. Outro conjunto de documentos nos mostra os senhores de escravos intentando reter ou reaver seus cativos, resgatar seus ganhos ou obter alguma vantagem das novas condições e habilidade de seus escravos. O cenário em que isso aconteceu foi Buenos Aires, cidade na qual a rua não só disputou com a casa a influência sobre os escravos, mas que serviu para que os senhores "largassem" os cativos escravos para que "buscassem sua vida".

Em nome de Deus, am?m!: mulheres, escravos, fam?lias e heran?as atrav?s dos testamentos em Bel?m do Gr?o-Par? na primeira metade do s?culo XIX

PASTANA, Andr?a da Silva
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.42%
A presente disserta??o pretende investigar as estrat?gias de mulheres, escravos, ex-escravos e homens livres, percebendo a configura??o da manuten??o de seu patrim?nio e a administra??o de seu lar, a partir do vi?s da distribui??o de bens na cidade Bel?m do Gr?o-Par?, na primeira metade do s?culo XIX. Assim, perceber, atrav?s dos testamentos do per?odo de 1800-1850, os espa?os, pap?is e encargos das mulheres e escravos na transmiss?o de bens. As mulheres que assumiam a manuten??o do lar desempenhavam fun??es culturalmente masculinas e, sozinhas, passavam a prover o lar na parte econ?mica e educacional de suas fam?lias. Outro enfoque de an?lise refere-se ? presen?a dos cativos nos testamentos, o que ? imprescind?vel para esbo?ar um panorama do valor econ?mico e social dos escravos. Tamb?m, ? importante compreender as diversas utiliza??es dos escravos para os senhores no ato da confec??o do testamento. Desta forma, se procura elucidar quais crit?rios eram utilizados para a descri??o dos bens (escravos), abordando as concess?es de liberdade feitas atrav?s dos testamentos. Faz-se relevante abordar a din?mica que envolveu homens e mulheres durante o fazer de seus testamentos. Este estudo possibilita reverberar sobre o cotidiano dos moradores da cidade de Bel?m do Gr?o-Par? e suas ?ltimas disposi??es durante o ato de testar.; ABSTRACT: The present dissertation is intended to investigate the strategies of women...

Entre costas bras?licas: o tr?fico interno de escravos em direitura a Amaz?nia, c.1778-c.1830

SANTOS, Diego Pereira
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.24%
Ap?s o final do monop?lio exercido pela companhia pombalina, pensada estrategicamente para a Amaz?nia na segunda metade do s?culo XVIII, emergir? um com?rcio interno de escravos por via mar?tima em direitura a estas paragens. Este tr?fico de escravos passou a ser visto pelas autoridades r?gias como um perigo a sobreviv?ncia de seus neg?cios e da agricultura. Por outro lado, n?o foram poucos os comerciantes e moradores da ?rea setentrional da col?nia e da prov?ncia que receberam de bom grado a m?o de obra africana vinda de ?reas costeiras bras?licas. Nesta disserta??o, a partir desse tr?fico interno de escravos percebo a import?ncia consider?vel deste com?rcio negreiro para Amaz?nia buscando refletir sobre os seus mecanismos de funcionamento e reprodu??o.; ABSTRACT: After the end of the monopoly drilled by the so-called pombalina company, strategically designed for the Amazon during the second half of the eighteenth century, emerge an internal slave trade by sea in directness to these stops. This slave trade was seen by royal authorities as a danger to the survival of their businesses and agriculture. On the other hand, there were many merchants and residents of the northern area of the colony and province that received the willingly African labor coming from Brazilian coastal areas. In this dissertation...

Senhores de escravos : trajetorias, disputas e solidariedade no Oeste Paulista, 1845-1880; Lords of slaves : trajectories, disputes and solidarity in the West Paulista, 1845-1880

Juarez Françoia
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
O presente trabalho enfoca a elite agrária e senhorial do Oeste Paulista durante a segunda metade do século XIX, especialmente sua vida cotidiana e suas relações sociais solidárias e divergentes no meio de seus pares e com outros agentes sociais. Após definir, como objeto de estudo, um grupo específico de grandes senhores de escravos, analisei, primeiro, a importância das estratégias matrimoniais como pressuposto básico para a ascensão socioeconômica, o fortalecimento do poder político e a reafirmação de status perante os pares. Em seguida, a partir de uma análise de inventários post-mortem foi possível compreender as preferências de investimento da elite local e suas mudanças no tempo. A "riqueza nova", como imóveis, ações, títulos bancários, dívidas ativas, entre outros, não substituiu os investimentos em escravos por parte da elite a partir no início da década de 1870, como apontado por alguns autores. Ao contrario, o investimento em escravos continuou numa proporção crescente em relação aos demais ativos até 1884. Procurei demonstrar também, que a Lei de terras de 1850 não barrou a ocupação de terras devolutas e muito menos pôs fim aos litígios pela terra entre os membros do grupo dominante. Os conflitos pela terra eram resolvidos localmente...

Financiamento e organização do tráfico de escravos para Pernambuco no século XIX; Texto para Discussão (TD) 1799: Financiamento e organização do tráfico de escravos para Pernambuco no século XIX; Financing and organization of the slave trade in the nineteenth century to Pernambuco

Albuquerque, Débora de Souza Leão; Versiani, Flávio Rabelo; Vergolino, José Raimundo Oliveira
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
37.24%
Dados apurados em pesquisas realizadas na última década mostram que o Recife foi o quinto maior centro mundial de tráfico escravista. No entanto, o tráfico para o Recife é ainda pouco pesquisado. Sabe-se que as mais de 1.350 viagens para o Recife, nos quase três séculos do tráfico, tiveram em geral origem neste porto. Foram, portanto, de iniciativa de agentes locais e, provavelmente, financiadas localmente. Porém, não se sabe quem foram tais agentes. Este trabalho busca trazer esclarecimentos quanto a este ponto, a partir de dados primários da pesquisa envolvendo cerca de 4 mil inventários pernambucanos, entre outras fontes. O período coberto, 1801-1851, abrange a fase de maior intensidade do tráfico de escravos, 1801-1830, quando o número de escravos desembarcados foi maior que um terço do total para todo o período do tráfico pernambucano.; 23 p. ; il.

Liberdade, humanidade e propriedade: os escravos e a Assembléia Constituinte de 1823; Freedom, Humanity and Property: The Slaves and the Assembléia Constituinte, 1823

Rodrigues, Jaime
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Brasileiros Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Brasileiros
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/1995 POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
Este ensaio aborda as questões acerca da liberdade dos escravos através da discussão de um caso particular, na Assembléia Constituinte brasileira de 1823. Através da solicitação de um grupo de escravos, podemos avaliar suas estratégias no âmbito da discussão parlamentar, bem como o papel de senhores e parlamentares, no início do século XXI. Temos aqui algumas evidências de que, além do confronto cotidiano direto entre senhores e escravos e do confronto na arena judicial, o parlamento também foi visto pelos escravos como um campo de luta no interior da escravidão brasileira no século XIX.; This paper analyzes the questions about slaves freedom through the discussion of a particular case, in 1823´s Brazilian Constituent Assembly. Through the solicitation from a group of slaves, we can evaluate their strategies in parliamentary debate, as well as the role of slavemasters and parliamentaries, in early nineteenth-century. We have here some evidences that, beyond the quotidian confrontation between slavemasters and slaves, and the confrontation in judicial ring, the parliament also was perceveid by the slaves as a field of struggle inside brazilian slavery in the nineteenth-century.

The Traffic of Aged Slaves; O tráfico de escravos velhos (província de São Paulo, 1861-1887)

Motta, José Flávio; Departamento de Economia da FEA/USP
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
This article studies aged slaves in Brazil on the second half of the 19thcentury. More specifically we analyze the rates of aged slaves in totalnumbers of slaves traded from 1861 to 1887 in the paulista localitiesof Areias, Guaratinguetá, Constituição (Piracicaba) and Casa Branca.First we define 50 years and over as the age bracket for the group thatis the subject of the study. Then we outline some characteristics of theselected localities, focusing on the expansion of coffee plantation in theprovince of São Paulo. Finally we examine the transactions registered inthe selected localities and the characteristics of the aged slaves involved.We found, among other important results, that the rates of aged slavestraded were inversely proportional to the volume of total trade in slaves;that the bulk of the transactions involved male aged slaves and local deals;and that the average age of the aged slaves traded increased in time.We found that there were dealings resulting from a direct demand foraged slaves, and also that in some dealings aged slaves were a necessarypart in transactions that had in mind the access to the labour of slaved,free or freed persons that were relatives of those aged slaves. Our finalconsiderations are presented in the fourth section.; Estudamos os escravos velhos no Brasil da segunda metade do séculoXIX. Mais especificamente...