Página 1 dos resultados de 28 itens digitais encontrados em 0.061 segundos

Resíduos agroindustriais com potencial para a produção de holocelulases de origem fúngica e aplicações biotecnológicas de hidrolases

Siqueira, Félix Gonçalves de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
76.88%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Biologia Celular, 2010.; A complexidade e heterogeneidade das estruturas de holoceluloses de diferentes resíduos agrícolas requerem a ação sinérgica de enzimas para a sua completa hidrólise, envolvendo: celulase, hemicelulase e poligalacturonase. Os fungos filamentosos, Penicillium corylophilum, Aspergillus flavus, Aspergillus oryzae, Aspergillus terreus, Aspergillus awamori, Emericella nidulans, Acrophialophora nainiana, Pleurotus ostreatus, Agaricus brasiliensis e Trichoderma reesei, produzem holocelulases, quando cultivados em meios líquidos e sólidos tendo como fonte de carbono diferentes materiais lignocelulósicos, tais como engaço de bananeira, bagaço de cana-deaçúcar, resíduos do beneficiamento de algodão, resíduos da colheita de milho, entre outros. A purificação parcial em cromatografia de filtração em gel Sephacryl-200 do extrato bruto de P. corylophilum crescido piolho-de-algodão-sujo em meio líquido mostrou um pico de atividade de xilanase com 0,340 UI.mL-1. O extrato bruto de A. flavus crescido em engaço de bananeira apresentou atividades relevantes para xilanase, poligacturonase, porém teve atividade de endoglucase cinco vezes menor que o T. reesei RUT C-30. O fracionamento do extrato bruto do A. flavus (engaço de bananeira) foi realizado por membranas de ultrafiltração (PM: 300...

Perfil e caracterização de holocelulases secretadas por Penicillium fellutanum com ênfase em mananase

Gomes, Helder Andrey Rocha
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
56.07%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Biologia Microbiana, Instituto de Biologia, 2014.; As holocelulases compreendem as enzimas que atuam na degradação dos polissacarídeos da parede celular vegetal, e apresentam várias aplicações em processos que empregam a biomassa vegetal como matéria-prima. Neste trabalho, Penicillium fellutanum foi cultivado, por 7 dias, em 6 diferentes fontes de carbono lignocelulósicas: casca de maracujá, casca do grão de soja, piolho de algodão sujo, engaço de bananeira, bagaço de cana-de-açúcar e casca de laranja. Cultivos de 15 dias nos mesmos substratos e mais uma composição de piolho de algodão, casca de soja e casca de laranja (1:1:1) foram avaliados quanto à presença de complexos pela técnica de BN-PAGE. Os extratos brutos foram pesquisados quanto às atividades de mananase, xilanase, pectinase, carboximetilcelulase (CMCase) e avicelase. O isolado de P. fellutanum demonstrou a capacidade de secretar holocelulases nas fontes de carbono avaliadas, e o perfil de enzimas secretadas foi influenciado pela fonte de carbono. Também foram detectados complexos putativos em todos os cultivos avaliados, sendo a presença de alguns deles específica em função do substrato lignocelulósico utilizado. O extrato bruto de cultivos de 5 dias em piolho-de-algodão sujo foram concentrados por ultrafiltração...

Acumulação de matéria seca e micronutrientes pela planta matriz da bananeira cv. prata (Musa AAB, subgrupo prata) em diferentes estádios de desenvolvimento

Gomes,J.A.; Haag,H.P.; Nóbrega,A.C.
Fonte: Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura Publicador: Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1988 PT
Relevância na Pesquisa
46.22%
Visando estabelecer a curva de crescimento da matéria seca, marcha de absorção, quantidade exportada e reciclada de boro, zinco e cobre, instalou-se um ensaio no Estado do Espírito Santo, em solo cambissólico distrófico com declividade média de 40%. Sorteou-se três plantas matrizes, bimensalmente até 300 dias e mensalmente até 465 dias após o plantio, que foram separadas em folha, pecíolo, pseudo-caule, rizoma, engaço, botão floral e fruto. Determinou-se a massa de matéria seca e o teor de micronutrientes destes órgãos, cujos dados foram ajustados em programa de regressão, obtendo-se as curvas de acumulação de matéria seca e de absorção dos micronutrientes. Dos resultados conclui-se que: a absorção do boro, zinco e cobre pelos órgãos estudados, acompanha a acumulação de matéria seca, exceto o cobre, no pecíolo; 70% dos micronutrientes analisados são absorvidos a partir de 240 dias após o plantio; ocorre uma razão de absorção de 5 Zn, 2,5 B, 1 Cu; podem ser exportados com a colheita cerca de 10% B, 5,5% Zn e 3% Cu.

Acúmulo de macronutrientes pela bananeira cv. prata em diferentes estádios de desenvolvimento

Gomes,J.A.; Haag,H.P.; Nóbrega,A.C.
Fonte: Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura Publicador: Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1989 PT
Relevância na Pesquisa
46.36%
Visando estabelecer a marcha de absorção, quantidade exportada e reciclada de nitrogênio, fósforo, potássio e cálcio na bananeira cultivar Prata, instalou-se um ensaio no Estado do Espírito Santo, em janeiro de 1980, em terreno com declividade média de 40% e solo cambissólico distrófico. Sorteou-se três plantas matrizes do plantio até 465 dias após (colheita),sendo bimensal até 300 dias e mensal até o final, totalizando doze estádios de desenvolvimento, e três plantas rebento, mensalmente, da emissão até 300 dias após, atingindo nove estádios. Cada bananeira foi dividida em folha, pecíolo, pseudocaule, rizoma, engaço, botão floral e fruto para se analisar os macronutrientes. A partir dos dados coletados ajustou-se um programa de regressão e obteve-se as curvas de absorção de macronutrientes, cujos resultados permitiram concluir que, as plantas matriz e rebento: necessitam de expressivas quantidades de macronutrientes para desenvolver e produzir; apresentam uma absorção de macronutrientes que acompanha a matéria seca acumulada pelos órgãos, exceto para o potássio no período; absorvem mais de setenta e cinco por cento de nitrogênio, fósforo e potássio após o estádio de 180 dias e acima de setenta por cento do cálcio e magnésio...

Caracterização morfológica e avaliação de cultivares de bananeira resistentes a Sigatoka Negra (Mycosphaerella fijiensis Morelet) no sudoeste goiano

Santos,Silvia Correa; Carneiro,Luciana Celeste; Silveira Neto,Américo Nunes da; Paniago Júnior,Euter; Freitas,Henrique Gonçalves de; Peixoto,Cecília Nascimento
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
76.3%
Cinco cultivares de bananeira resistentes a Sigatoka Negra foram cultivadas na área experimental da Universidade Federal de Goiás, no município de Jataí, localizado na região Sudoeste do Estado. O objetivo foi introduzir genótipos resistentes a Sigatoka Negra no Estado, bem como fazer a caracterização morfológica desses materiais nessas condições climáticas. O trabalho foi realizado por meio da avaliação, em três ciclos produtivos, dos seguintes componentes de produção: intervalo em dias entre o plantio e o florescimento, número de folhas no florescimento e na colheita, número de pencas por cacho, frutos por cacho e frutos por penca, comprimento do cacho e dos frutos e peso do engaço, das pencas e do cacho. As cultivares falsa FHIA-18 e Caipira produziram em média aos 393 dias, apresentando maior precocidade em relação às demais cultivares. Como era esperado, a FHIA-21, que é uma bananeira tipo Terra, apresentou um ciclo maior (488 dias). O clima e a altitude de Jataí-GO podem ter contribuído para o aumento do ciclo das cinco cultivares quando comparado com outras regiões. Para as características de produção, a FHIA-01 e a falsa FHIA-18 se destacaram das demais. Para o número de pencas, a Thap Maeo se destacou nos três ciclos...

Acúmulo de matéria seca e de macronutrientes em cultivares de bananeira irrigada

Hoffmann,Ricardo Bezerra; Oliveira,Fábio Henrique Tavares de; Souza,Adailson Pereira de; Gheyi,Hans Raj; Souza Júnior,Reginaldo Fidelis de
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.36%
O conhecimento das quantidades de matéria seca e de nutrientes acumulados e exportados por cultivares de bananeira é importante para o desenvolvimento de uma recomendação de adubação para esta cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar as quantidades de matéria seca e de macronutrientes acumuladas e exportadas por seis cultivares de bananeiras irrigadas. Foram amostradas plantas das cultivares Grande Naine, Pacovan, Pacovan-Apodi, Prata-Anã, Terrinha e Gross Michel, em uma área de plantio comercial de bananeira irrigada, no município de Limoeiro do Norte - CE. Na colheita, foram escolhidas quatro famílias de cada cultivar para amostragem. A "planta-mãe" foi dividida em rizoma, pseudocaule, pecíolo, limbo, engaço e frutos. Na matéria seca dessas partes das plantas, determinaram-se os teores dos macronutrientes. As cultivares Pacovan, Prata-Anã e Pacovan-Apodi que, de modo geral, extraíram do solo as maiores quantidades de macronutrientes, foram as que acumularam quantidades mais elevadas de matéria seca. O potássio e o nitrogênio foram os macronutrientes mais acumulados e exportados pelas seis cultivares de bananeira irrigada, seguidos pelo enxofre, cálcio, magnésio e fósforo.

Desenvolvimento e produção de bananeiras Thap Maeo e Prata-Anã com diferentes níveis de adubação nitrogenada e potássica

Ratke,Rafael Felippe; Santos,Silvia Corrêa; Pereira,Hamilton Seron; Souza,Edicarlos Damacena de; Carneiro,Marco Aurélio Carbone
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.54%
O objetivo desta pesquisa foi caracterizar o desenvolvimento e o rendimento de cultivares de bananeira no sudoeste de Goiás e adequar os níveis de adubação combinada de N e K. O experimento foi conduzido em Latossolo Vermelho distrófico, no município de Rio Verde, Goiás. Os tratamentos consistiram em cinco doses crescentes e combinadas de N e K (N0/K0 - 0 kg ha-1 ano-1 de N e 0 kg ha-1 ano-1 de K; N1/K1 - 150 kg ha-1 ano-1 de N e 200 kg ha-1 ano-1 de K ; N2/K2 - 300 kg ha-1 ano-1 de N e 450 kg ha-1 ano-1 de K; N3/K3 - 450 kg ha-1 ano-1 de N e 600 kg ha-1 ano-1 de K; N4/K4 - 600 kg ha-1 ano-1 de N e 800 kg ha-1 ano-1 de K), aplicadas em duas cultivares de banana, Thap Maeo e a Prata-Anã. As avaliações realizadas nas bananeiras foram: altura das plantas, diâmetro do pseudocaule e número de folhas aos 150 dias após plantio (DAT) e na época do florescimento. As plantas foram avaliadas no florescimento e na colheita das bananeiras, observando os seguintes componentes de produção: intervalo em dias entre o plantio e o florescimento, número de folhas na colheita, número de pencas por cacho e frutos na segunda penca, comprimento do engaço e dos frutos na segunda penca, diâmetro do engaço e dos frutos na segunda penca e peso do cacho...

Correlação fenotípica entre caracteres de híbridos diploides (AA) de bananeira

Lessa,Lauro Saraiva; Ledo,Carlos Alberto da Silva; Amorim,Edson Perito; Silva,Sebastião de Oliveira e
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.31%
O estudo de correlação tem como propósito mensurar a alteração em um caráter quando se altera outro. Neste trabalho, objetivou-se estimar correlações fenotípicas entre o número de frutos por cacho e 22 caracteres avaliados em híbridos diploides (AA) de bananeira. No experimento, conduzido na Embrapa Mandioca e Fruticultura, em blocos casualizados com quatro repetições, foram avaliados 11 híbridos diploides (AA) de bananeira. Os caracteres avaliados foram: altura de plantas, diâmetro do pseudocaule, número de filhos, número de folhas na floração, período do plantio ao florescimento, presença de pólen, peso do cacho e da ráquis, sigatoka-amarela no florescimento, número de folhas na colheita, Sigatoka-amarela na colheita do cacho, número de dias do florescimento à colheita, comprimento e diâmetro do engaço, peso da segunda penca, número de pencas e de frutos por cacho, fragilidade do pedicelo, comprimento e diâmetro do fruto e comprimento do pedicelo, além de presença de semente. Após a tabulação, procederam-se a estudos de correlação entre o número de frutos e os demais caracteres da planta. Essas correlações variaram entre os genótipos, sendo assim, observado que as associações entre o número de frutos e os caracteres vegetativos da planta foram...

Correlações entre caracteres da planta e do cacho em bananeira (Musa spp)

Donato,Sérgio Luiz Rodrigues; Silva,Sebastião de Oliveira e; Lucca Filho,Orlando Antônio; Lima,Marcelo Bezerra; Domingues,Herbat; Alves,Juliana da Silva
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.22%
Os caracteres observados em áreas experimentais têm natureza fenotípica e suas correlações são estimadas visando mensurar alterações em um caráter quando se altera outro relacionado. Objetivou-se com este trabalho, quantificar a relação entre os caracteres da planta e do cacho observados na época do florescimento e da colheita de 13 genótipos (variedades e híbridos) de bananeira (Musa spp.), em dois ciclos de produção, em Guanambi, Bahia. Foram utilizadas as variedades Prata anã, Pacovan (AAB), Grande naine e Nanicão (AAA), e os híbridos PA42-44, PV42-85, PV42-142, PV42-68 e ST12-31 (AAAB) e Ambrosia, Calipso, Bucaneiro e FHIA02 (AAAA), selecionados na Embrapa Mandioca e Fruticultura. Consideraram-se os caracteres: altura da planta; perímetro do pseudocaule; número de folhas vivas no florescimento e na colheita; número de dias do plantio ao florescimento e à colheita; intervalo florescimento à colheita; peso do cacho, da ráquis e da pencas; comprimento e diâmetro do engaço; número de pencas e de frutos; peso da segunda penca; peso, comprimento e diâmetro do fruto e espessura da casca. As correlações entre o peso do cacho e os demais caracteres estudados, variaram entre genótipos e ciclos. As associações entre o peso do cacho e os caracteres da planta...

Acúmulo de matéria seca, absorção e exportação de micronutrientes em variedades de bananeira sob irrigação

Hoffmann,Ricardo Bezerra; Oliveira,Fábio Henrique Tavares de; Gheyi,Hans Raj; Souza,Adailson Pereira de; Arruda,Jandeilson Alves de
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.31%
Para estimativa da demanda de micronutrientes pela bananeira (Musa spp.) é fundamental que se conheçam as quantidades de matéria seca e de micronutrientes acumuladas na planta e exportadas pelo cacho. Neste trabalho, objetivou-se avaliar o acúmulo de matéria seca e de micronutrientes em seis variedades de bananeira sob irrigação. Foram amostradas plantas das variedades Grande Naine, Pacovan, Pacovan-Apodi, Prata-Anã, Terrinha e Gross Michel. As variedades foram plantadas em fileiras duplas, sendo 1.666 covas por hectare. Na época da colheita, foram escolhidas quatro touceiras de plantas de cada variedade para amostragem da planta-mãe, que foi dividida em rizoma, pseudocaule, pecíolo, limbo, engaço e frutos. Foram feitas pesagens para a determinação da matéria fresca de cada parte da planta-mãe de uma mesma touceira e retirada uma amostra de aproximadamente 700 g dessas partes para determinação do acúmulo de matéria seca e dos teores de micronutrientes. As amostras foram lavadas rapidamente com água de torneira, depois com água destilada e colocadas sobre as bancadas de uma casa de vegetação para pré-secagem. Posteriormente, foram colocadas em sacos de papel e levadas para uma estufa de circulação forçada de ar para obtenção do acúmulo de matéria seca e determinação dos teores de B...

Produção do complexo celulolítico a partir doengaço da bananeira (Musa spp.)

da Silva Lima, Marilene; Lúcia Montenegro Stamford, Tânia (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.79%
No intuito de minimizar o impacto ambiental, torna-se necessário o aproveitamento de resíduos, como o engaço da bananeira, buscando obter produtos com maior valor agregado. Este trabalho teve por objetivo verificar a viabilidade do engaço como substrato, para crescimento de fungos em processo fermentativo sólido e submerso, para a produção de enzimas celulolíticas. As determinações físico-químicas no engaço com lignina e sem lignina foram: pH, sólidos solúveis totais, acidez total titulável, umidade, cinzas, proteínas e lipídeos. No material seco foram realizadas as análises de celulose, lignina, fibra em detergente ácido. Utilizou-se a técnica de difusão em meio sólido para a seleção dos fungos. A atividade do complexo celulolítico foi determinada pela técnica do papel de filtro (FPA). Os extratos fermentados com Trichoderma viride foram filtrados, centrifugados e os sobrenadantes avaliados quanto à atividade do complexo celulolítico. O extrato foi fracionado com (NH4)2SO4, as proteínas precipitadas foram cromatografadas em CM-celulose e as frações submetidas a atividade celulolítica. A atividade da celobiase foi avaliada a pH 4,0, 4,8 e 6,0 e em temperaturas de 40, 50 e 60°C. Os resultados da pesquisa mostraram que o engaço apresentou baixo teor protéico (0...

Acúmulo de matéria seca, absorção e exportação de micronutrientes em variedades de bananeira sob irrigação

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
66.31%
Para estimativa da demanda de micronutrientes pela bananeira (Musa spp.) é fundamental que se conheçam as quantidades de matéria seca e de micronutrientes acumuladas na planta e exportadas pelo cacho. Neste trabalho, objetivou-se avaliar o acúmulo de matéria seca e de micronutrientes em seis variedades de bananeira sob irrigação. Foram amostradas plantas das variedades Grande Naine, Pacovan, Pacovan-Apodi, Prata-Anã, Terrinha e Gross Michel. As variedades foram plantadas em fileiras duplas, sendo 1.666 covas por hectare. Na época da colheita, foram escolhidas quatro touceiras de plantas de cada variedade para amostragem da planta-mãe, que foi dividida em rizoma, pseudocaule, pecíolo, limbo, engaço e frutos. Foram feitas pesagens para a determinação da matéria fresca de cada parte da planta-mãe de uma mesma touceira e retirada uma amostra de aproximadamente 700 g dessas partes para determinação do acúmulo de matéria seca e dos teores de micronutrientes. As amostras foram lavadas rapidamente com água de torneira, depois com água destilada e colocadas sobre as bancadas de uma casa de vegetação para pré-secagem. Posteriormente, foram colocadas em sacos de papel e levadas para uma estufa de circulação forçada de ar para obtenção do acúmulo de matéria seca e determinação dos teores de B...

Produção de polpa celulósica a partir de engaço de bananeira.; Pulp production from banana stem.

Soffner, Maria de Lourdes Aparecida Prudente
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2001 PT
Relevância na Pesquisa
116.93%
O engaço de bananeira, suporte que sustenta o cacho de bananas, normalmente é descartado após a colheita da fruta, seja nas casas de embalagens (packing houses) ou em centros distribuidores, onde é considerado verdadeiro resíduo pelo grande volume gerado e por não ser aproveitado. Por essa razão e por constituir-se em material fibroso, o engaço foi avaliado para produção de polpa celulósica. O engaço in natura apresenta cerca de 93% de umidade e células de parênquima em abundância; em termos de composição química, o engaço apresenta 7,4% de lignina, 47,8% de extrativos totais, e 47,6% de holocelulose. Nesta pesquisa, a performance do engaço como matéria-prima para produção de polpa celulósica foi avaliada, usando o CaO como fonte álcali. Foram utilizadas lavagem e pré-extração aquosa (100 ºC, por 100 minutos) como pré-processos com o propósito de reduzir a grande quantidade de extrativos no bagaço do engaço de bananeira. O bagaço original e os materiais obtidos após os pré-processos foram submetidos à polpação com CaO com 8, 10, 12 e 14% de CaO, à temperatura de 120 ºC por 120 minutos em digestor rotativo. Para comparação foi utilizado o processo soda de polpação, sob as mesmas condições...

Diversidade genética, crescimento e produção de genótipos de bananeira 'Prata-Anã' em área com mal do panamá

Lopes,Osdnéia Pereira; Maia,Victor Martins; Xavier,Adelica Aparecida; Costa,Márcia Regina da; Rodrigues,Maria Geralda Vilela
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.22%
No perímetro irrigado do Jaíba, no norte de Minas Gerais, existem relatos sobre a presença de alguns genótipos de banana'Prata-Anã' supostamente tolerantes ao mal-do-panamá, nos quais a doença não se estabeleceu após 15 anos de cultivo, mesmo na presença do patógeno. Portanto, objetivou-se avaliar a diversidade genética, o desempenho agronômico e o comportamento dos clones da bananeira'Prata-Anã' cultivada em área com histórico do mal-do-panamá. Foram coletados vinte e quatro genótipos, 11 caracterizados no momento da coleta como doentes (GEN 1, GEN 2, GEN 3, GEN 4, GEN 5, GEN 6, GEN 7, GEN 8, GEN 9, GEN 10 e GEN 11) e 13 aparentemente sadios (GEN 12, GEN 13, GEN 14, GEN 15, GEN 16, GEN 17, GEN 18, GEN 19, GEN 20, GEN 21, GEN 22, GEN 23 e GEN 24). Estes materiais foram multiplicados em laboratório de cultura de tecidos e levados para plantio na área experimental. Foram avaliados 24 tratamentos (clones de bananeira 'Prata-Anã'), no delineamento em blocos casualizados, com três repetições, 20 plantas por parcela e as seis centrais consideradas como área útil. Avaliaram-se, além da diversidade genética, comprimento e diâmetro do pseudocaule, número de folhas, massa do cacho, das pencas e do engaço, número de pencas e de frutos...

Desempenho agronômico de genótipos de bananeira no recôncavo da Bahia

Roque,Rafaella de Lima; Amorim,Tamyres Barbosa do; Ferreira,Cláudia Fortes; Ledo,Carlos Alberto da Silva; Amorim,Edson Perito
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.43%
Objetivou-se com este trabalho avaliar o desempenho agronômico de genótipos tri- e tetraploides de bananeira, em dois ciclos de produção, visando a selecionar os mais promissores para recomendação de cultivo na região do Recôncavo da Bahia. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados, com 11 genótipos distribuídos em 3 blocos, com quatro plantas úteis por parcela, conduzidos em espaçamento de 3 m x 2 m. Analisaram-se os seguintes caracteres agronômicos: altura da planta (m); diâmetro do pseudocaule (cm); número de folhas vivas na floração; número de folhas vivas na colheita; comprimento do engaço (cm); diâmetro do engaço (cm); peso do cacho (kg); peso das pencas (kg); peso individual da penca (g); número de pencas; número de frutos por cacho; espessura da casca (mm); comprimento do pedicelo (cm); diâmetro do pedicelo (mm); suscetibilidade ao despencamento (Lb); firmeza da polpa com casca; peso do fruto (g); comprimento do fruto(cm); diâmetro do fruto (mm); índice de alongamento; peso da polpa (g); rendimento polpa/casca; rendimento da polpa (%); diâmetro da polpa (mm); espessura da casca (mm); firmeza da polpa (Lb); acidez titulável (%); sólidos solúveis (ºBrix); ratio (SS/AT) e pH. Das trinta variáveis mensuradas...

EFEITO DA RETIRADA DA INFLORESCÊNCIA MASCULINA NA PRECOCIDADE DA COLHEITA E PRODUÇÃO DA BANANEIRA-'PRATA-ANÃ' SOB IRRIGAÇÃO NA REGIÃO NORTE DE MINAS GERAIS

SOUTO,ROSILENE FERREIRA; RODRIGUES,MARIA GERALDA V.; MENEGUCCI,JOÃO L. P.
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2001 PT
Relevância na Pesquisa
46.31%
O trabalho foi desenvolvido na região Norte de Minas Gerais, em uma área pertencente a EPAMIG - CTNM, localizada no Perímetro Irrigado do Jaíba. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado , com dois tratamentos e 22 repetições, e cada parcela constituída por três plantas. Objetivou-se avaliar o efeito da retirada da inflorescência masculina na precocidade de colheita e produção da bananeira-'Prata-Anã', avaliando-se os três primeiros ciclos. Houve redução no período entre a retirada da inflorescência e a colheita, quando se eliminou a inflorescência masculina, sendo que, no primeiro ciclo, promoveu aumento no peso total de frutos, peso médio de frutos, peso médio de pencas, diâmetro e peso do fruto central e espessura de casca do fruto central da segunda penca, peso da penca 2, peso da penúltima penca, peso do engaço e peso e comprimento da ráquis. Não promoveu aumento de peso total do cacho, no comprimento do fruto central da segunda penca, peso da penca 1 e peso da última penca. No segundo ciclo, apesar de tendência de aumento, não houve diferença estatística para os parâmetros de produção. Já no terceiro ciclo, houve aumento no peso do cacho, além de aumento nos parâmetros de produção...

Desempenho de genótipos de bananeira na região de Jataí-GO

Santos,Silvia Correa; Carneiro,Luciana Celeste
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
56.54%
Este trabalho teve como objetivo avaliar o desenvolvimento e a produção de seis genótipos de bananeira nas condições bioclimáticas do Sudoeste Goiano. O experimento foi conduzido em área experimental na Fazenda Aroeira localizada no Município de Jataí-GO, microrregião do sudoeste Goiano. Em dois ciclos de produção, foram avaliados os genótipos 'Caipira' (AAA), 'Thap Maeo' (AAB), 'FHIA-01' (AAAB), 'FHIA-21' (AAAB), 'FHIA-18' (AAAB), descritos pela Embrapa como resistentes à Sigatoka, e a 'Terra' (AAB - subgrupo Terra), cultivada tradicionalmente pelos produtores da região. O experimento foi montado num delineamento experimental em blocos casualizados, com seis tratamentos (genótipos) e seis repetições, em condições de sequeiro com espaçamento de 3 x 2 m. A caracterização do desenvolvimento e do rendimento dos genótipos foi realizada com as seguintes avaliações: NDPC - número de dias do plantio à colheita; MC - massa do cacho (kg); NP - número de pencas; CE - comprimento do engaço (cm); Ø - diâmetro do engaço (mm); ME - massa do engaço (kg); Ø2ªP - diâmetro do fruto da segunda penca (mm); C2ªP - comprimento do fruto da segunda penca (mm); M2ªP - massa da segunda penca (kg); N2ªP - número de frutos da segunda penca; ØPSFL - diâmetro do pseudocaule na floração (cm)...

Produção da bananeira 'Prata Anã' irrigada por diferentes sistemas de irrigação de baixo custo no Médio São Francisco da Bahia.

SILVA, A. J. P. da; COELHO, E. F.; SILVA, T. S. M. da; CONCEIÇAO, B. S.
Fonte: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRICOLA, 40., 2011. Cuiabá. Geração de tecnologias inovadoras e o desenvolvimento do cerrado brasileiro: anais. Cuiabá: SBEA, 2011. 1 CD-ROM. CONBEA 2011. Publicador: In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRICOLA, 40., 2011. Cuiabá. Geração de tecnologias inovadoras e o desenvolvimento do cerrado brasileiro: anais. Cuiabá: SBEA, 2011. 1 CD-ROM. CONBEA 2011.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.36%
Este trabalho teve como objetivo de avaliar o efeito de diferentes sistemas de irrigação de baixo custo na cultura da bananeira `Prata Anã´ em condições irrigadas no município de Barra, situado no médio São Francisco Baiano. O experimento foi conduzido em blocos casualizados com três tratamentos e quatro repetições cada, em um solo de textura arenosa. Os sistemas de irrigação estudados foram: S1-Bacia com canal de superfície revestida, S2 ? Microaspersão Artezanal e S3- Bubbler. A produção da bananeira foi avaliada com base na medida das seguintes características:Número de Folhas (NF), Número de Pencas (NP), Número de Dedos (ND), Peso de Engaço (PE), Peso de Penca (PP), Peso de Cacho (PC), Comprimento de Fruto (CF), Diâmetro de Fruto (DF). Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, complementada pelo teste t (LSD), a 5% de probabilidade. Não se constatou diferença significativa nas médias das variáveis NP, PP, CF e DF. Não obstante, no que diz respeito às características NF, ND, PE e PC as diferenças foram significativas, sendo que a irrigação pelo sistema S1 proporcionou condições para que a bananeira apresentasse a maior média de peso de cacho por planta (10,41kg/cacho/planta) comparada a irrigação via S2 (9...

Produção de bananeira 'Grande Naine' superadensada e irrigada no Vale do São Francisco

Flori,José Egídio; Resende,Geraldo Milanez de; Paiva,Lázaro Eurípides
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
56.22%
Conduziu-se este experimento com o objetivo de avaliar o efeito do adensamento de plantas na produtividade de cultura da bananeira 'Grande Naine' em condições irrigadas no vale do Submédio São Francisco, Juazeiro, Brasil. O experimento foi conduzido em blocos casualizados com cinco tratamentoss e três repetições em solo tipo Vertissolo, nos espaçamentos: T1=3,75 x 1,25 x 2, m (2.000 pl.ha-1), T2= 3,75 x 1,25 x 1 m (4.000 pl.ha-1), T3= 3,75 x 1,25 x 0,66 m (6.060 pl.ha-1); T4= 3,75 x 1,25 x 0,50 (8.000 pl.ha-1), T5= 3,75 x 1,25 x 2 m (2.000 pl.ha-1), sendo 3,75 m entre fileiras duplas, 1,25 m entre linhas e 2 m, 1 m, 0,5 m e 0,66 m entre plantas nas linhas. Avaliaram-se dois ciclos de produção com base nas seguintes características: diâmetro do pseudocaule (DP) a 30 cm do solo, altura da planta (AP), massa do cacho (MC), número de pencas (NP), número de frutos (NF), massa do engaço (MI), comprimento do fruto (CF), diâmetro do fruto (DF), massa do fruto (MF), ciclo vegetativo (CV) (plantio até a colheita), rendimento ha-1 (Rha-1), rendimento (R ha-1ano-1). No 1º ciclo, o T2 (4000 pl.ha-1, 98 t.ha-1, e 90 t.ha-1ano-1) foi superior aos tratamentos T1 e T5 (2.000 pl. ha-1), respectivamente, 65 t.ha-1 e 66 t.ha-1ano-1, 69 t.ha-1 e 68 t.ha-1ano-1. No 2º ciclo...

Acúmulo de macronutrientes pela bananeira cv. prata em diferentes estádios de desenvolvimento; Uptake of macroelements by the banana plant prata cultivar (musa AAB, subgroup Prata) at different stages of development

Gomes, J.A.; Haag, H.P.; Nóbrega, A.C.
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1989 POR
Relevância na Pesquisa
46.36%
Visando estabelecer a marcha de absorção, quantidade exportada e reciclada de nitrogênio, fósforo, potássio e cálcio na bananeira cultivar Prata, instalou-se um ensaio no Estado do Espírito Santo, em janeiro de 1980, em terreno com declividade média de 40% e solo cambissólico distrófico. Sorteou-se três plantas matrizes do plantio até 465 dias após (colheita),sendo bimensal até 300 dias e mensal até o final, totalizando doze estádios de desenvolvimento, e três plantas rebento, mensalmente, da emissão até 300 dias após, atingindo nove estádios. Cada bananeira foi dividida em folha, pecíolo, pseudocaule, rizoma, engaço, botão floral e fruto para se analisar os macronutrientes. A partir dos dados coletados ajustou-se um programa de regressão e obteve-se as curvas de absorção de macronutrientes, cujos resultados permitiram concluir que, as plantas matriz e rebento: necessitam de expressivas quantidades de macronutrientes para desenvolver e produzir; apresentam uma absorção de macronutrientes que acompanha a matéria seca acumulada pelos órgãos, exceto para o potássio no período; absorvem mais de setenta e cinco por cento de nitrogênio, fósforo e potássio após o estádio de 180 dias e acima de setenta por cento do cálcio e magnésio...