Página 1 dos resultados de 126930 itens digitais encontrados em 0.029 segundos
Resultados filtrados por Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém

Educação formal e não formal: entre a formação e a intervenção

Hortas, Maria João; Escola Superior de Educação de Lisboa - IPL Centro de Estudos Geográficos – UL; Campos, Joana; Escola Superior de Educação de Lisboa – IPL CIES-IUL
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 22/05/2014 POR
Relevância na Pesquisa
56.16%
A ideia de publicar este número especial da revista Interações resulta da conjugação do contributo de um conjunto de autores que, em momentos e contextos diversos, têm desenvolvido estudos e/ou coordenado e dinamizado projetos centrados na temática da Educação Não Formal (ENF). Neste número reúne-se um conjunto de reflexões que, a partir de diferentes âmbitos e perspetivas de intervenção, evidenciam a importância das práticas não formais de educação na formação de crianças, jovens e adultos. O conceito Educação Não Formal, utilizado na maioria dos artigos, surge relacionado com práticas, processos, estratégias e, também, aprendizagens. Nos âmbitos em que estas práticas se desenvolvem desencadeiam-se diferentes condições para a realização de aprendizagens que revelam ter efeitos multiplicadores em diversas esferas da vida social: na educação para a cidadania, na integração social, nos percursos educativos formais e, ainda, nos itinerários específicos de integração social de populações com origens diversas.

Intermitências da educação de crianças: escolarização do social e interrupção do escolar

Gomes, Elisabete Xavier; Escola Superior de Educação de Lisboa Universidade Nova de Lisboa – UIED
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 22/05/2014 POR
Relevância na Pesquisa
56.16%
Este artigo trata das possibilidades educadoras da educação formal e não formal de crianças nas cidades contemporâneas. Trabalha com a concetualização de «cidade educadora» proposta por Trilla (1990, 1999) como conceito integrador de educação formal e não formal. A partir de um estudo de caso desenvolvido com uma turma do 1º Ciclo do Ensino Básico de uma escola pública do centro de Lisboa foca o modo como diferentes contextos institucionais (p. ex.: escola, museus, bibliotecas) e os profissionais que neles trabalham contribuem para a educação (formal e não formal) de crianças nas cidades (Gomes, 2011). Identificam-se e caracterizam-se quatro modos distintos e sobreponíveis de fazer uso da cidade no âmbito dos processos de educação formal de crianças: uso instrumental: cidade recurso de educação; uso potenciador: cidade experiência; uso lúdico: cidade recreio; e uso socializador: cidade representação do socialmente aceite. As conclusões são organizadas em duas dimensões. A primeira é relativa aos mecanismos de “escolarização do social” (Ferreira, 2003). A segunda reflete sobre as possibilidades de “interrupção” (Larrosa, 2002; Biesta, 2006 e 2010) da ordem escolar pela saídas e frequência de instituições e dinâmicas não escolares. Ilumina a relevância dos acontecimentos trazidos pela linguagem da cidade e da educação não-formal (lugares do não dito...

Ética em educação: sentidos, razões e consequências

Hamido, Gracinda; Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém; Uva, Marta; Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 28/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.17%
A presente edição da revista Interacções congrega trabalhos que se debruçam sobre dimensões e leituras diversas da Ética enquanto requisito, elemento processual e produto educacional. No conjunto dos treze trabalhos aqui apresentados, podemos identificar campos de estudo e referenciais conceptuais diversos, convergindo na análise de um mesmo fenómeno, a Ética na Educação. Os sentidos que ela assume surgem configurados pelos enfoques, ora na educação inclusiva e na educação intercultural, ora na História e na Filosofia da educação, ou nas políticas e finalidades educativas, ora ainda na formação de professores. Estes enfoques emprestam, por assim dizer, as suas próprias razões aos argumentos tecidos e às interpretações e ilações identificadas.

Educação especial: pequenos passos, alguns retrocessos e muito caminho para andar

César, Margarida; Instituto de Educação, Universidade de Lisboa
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 28/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.17%
Este artigo constitui uma reflexão dialéctica e dialógica sobre a educação especial e a educação inclusiva. Parte de um texto mais curto, produzido a partir de um convite para uma intervenção, na Assembleia da República, na Conferência sobre Educação Especial, realizada a 21 de Março de 2012. Baseia-se na análise dos actuais documentos de política educativa, bem como em 30 anos de práticas profissionais, relacionadas com a educação de alunos cujas características indiciam que precisam de apoios educativos especializados. Descrevem-se os aspectos já conseguidos, que designamos por pequenos passos, assim como os retrocessos que se foram observando neste processo de procurar desenvolver uma educação mais inclusiva. Discutem-se aspectos conceptuais e terminológicos que nos parecem importantes para contribuirmos para uma educação e sociedade mais inclusivas, sustentando-os teoricamente e em evidências empíricas resultantes da investigação e das práticas. Por último, assinala-se o caminho que ainda falta percorrer e iluminam-se possíveis formas de actuação, inclusive quanto à legislação, que facilitariam o percurso em direcção a práticas educativas mais inclusivas. Em síntese, constitui uma análise...

Por uma educação do micro: ensaio sobre experimentações no corpo

Rodrigues, Carla Gonçalves; Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas; Henning, Paula Corrêa; Instituto de Educação e Programas de Pós-graduação Educação em Ciências e Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande (
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 28/12/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.19%
Problematizar o campo da educação é o propósito deste texto. Nada além disso. Simplesmente, aceitar o desafio de fomentar o pensamento, de compor resistências e criações diante de discursos instaurados como verdadeiros neste tempo atual em que se consolida uma forma de ser, viver e sentir a educação. Uma tentativa de pensar a educação imersa e tramada no cenário desta atualidade é o exercício deste ensaio. Assim, tratamos a educação como um conjunto de processos pelos quais indivíduos se transformam ou são transformados por dispositivos culturais nos quais se situam elementos da arte contemporânea e da filosofia da diferença. Arnaldo Antunes, Eduardo Kac, Orlan, Gilles Deleuze e Félix Guattari são os interlocutores para o exercício proposto. Questionando a episteme moderna de gerenciar a educação, pensamos numa educação menos do macro e mais do micro, includente de cuidados éticos com os outros e cuidados estéticos consigo. Atravessa o texto a conhecida indagação com indignação: O que estamos fazendo de nós mesmos?

Avaliação na educação infantil: no avesso da costura, pontos a contar, refletir e agir

Kramer, Sonia; PUC-RIO / Departamento de Educação
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 04/01/2015 POR
Relevância na Pesquisa
56.19%
O campo do currículo e elaboração de propostas pedagógicas de Educação Infantil enfrentam, no Brasil, o desafio da garantia de qualidade do trabalho da Educação Infantil em creches, pré-escolas e escolas. Há muitos problemas relativas à avaliação de crianças nas práticas educativas nessas instituições, tanto no que se refere às concepções de infância, Educação Infanitl e avaliação, quanto aos instrumentos e procedimentos delineados para sua concretização. Este texto tem como objetivo discutir a avaliação na Educação Infantil em quatro momentos. O primeiro item, a partir de um olhar teórico, apresenta as concepções de infância, Educação Infantil e avaliação presentes nos documentos e políticas oficiais vigentes no Brasil. O segundo aponta, de um ponto de vista pedagógico, desafios observados nas práticas e dilemas que mobilizam instituições de Educação Infantil e seus profissionais na escolha de estratégias de avaliação. O terceiro item, com um olhar nas políticas, indaga por que muitas  conquistas não acontecem na prática. O quarto traz, de outro ponto de vista pedagógico, no avesso da costura, relatos de professoras e gestoras de Educação Infantil sobre sua experiência positiva de avaliação nas instituições de Educação Infantil em que atuam...

Avaliação da educação infantil: propostas em debate no Brasil

Sousa, Sandra Zákia; Faculdade de Educação da USP
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 04/01/2015 POR
Relevância na Pesquisa
56.14%
Apresentam-se hoje no cenário nacional perspectivas de avaliação da educação infantil, que apontam para distintas ênfases a serem priorizadas para aquilatar a sua qualidade. Com o propósito de mapear propostas em debate no Brasil, o texto focaliza duas tendências, mencionando o que estas privilegiam como indicadores a serem considerados: as condições de oferta da educação ou o desempenho de alunos como base para apreciação da qualidade desta etapa da educação básica. Por meio do exame de documentos divulgados por diferentes segmentos do país, representantes da gestão pública, de entidades acadêmicas, de movimentos sociais e de trabalhadores em educação, são explicitadas tensões que se colocam para as políticas públicas, cujos impasses não se restringem a questões técnicas, relativas ao melhor caminho a ser trilhado na condução da avaliação, mas remetem, sobretudo, a dimensão política da avaliação.

Perspectivas face à educação inclusiva: um estudo em escolas do meio rural algarvio

Santos, Joel; Universidade de Lisboa, Instituto de Educação; César, Margarida; Investigadora associada do Centre de Recherche en Psychologie Socioculturelle de l’Institut de Psychologie et Education, Université de Neuchâtel
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 05/04/2015 POR
Relevância na Pesquisa
56.17%
A diversidade é uma riqueza que importa saber preservar e apreciar (César, 2012b). Em Portugal, a região do Algarve apresenta um elevado índice de insucesso académico, sobretudo no 3.º ciclo do ensino básico (INE, 2009). Este fenómeno é mais frequente nos meios rurais (INE-DRA, 2004). Alguns autores observam conexões entre a construção de cenários educativos (mais) inclusivos, nos meios rurais, e as perspectivas assumidas por professores, alunos e encarregados de educação face à Educação Inclusiva (EI) (Loreman, Lupart, McGhie-Richmond, & Barber, 2008; Loreman, McGhie-Richmond, Barber, & Lupart, 2009; McGhie-Richmond, Barber, Lupart, & Loreman, 2009). O objectivo principal desta investigação consiste em conhecer as perspectivas face EI dos professores, alunos e encarregados de educação, referentes a escolas do 3.º ciclo do ensino básico regular diurno, nas áreas predominantemente rurais, da região do Algarve. Assumindo um paradigma interpretativo (Denzin, 2002), desenvolvemos um estudo de caso intrínseco (Stake, 1995). Os participantes são 151 professores, 471 alunos e 455 encarregados de educação. Os instrumentos de recolha de dados são a recolha documental e três escalas: (1) a escala TPIRC – Teacher Perceptions of Inclusion in Rural Canada (McGhie-Richmond et al....

Ciência e educação: que relação?

Reis, Pedro; Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém; Centro de Investigação em Educação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 05/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.13%
Neste artigo discutem-se diversos argumentos invocados na justificação de uma educação científica alargada a toda a população e um dos slogans que tem sido mais utilizado com o objectivo de mobilizar a sociedade em torno de determinadas ideias e propostas de mudança relativamente à educação em ciência: literacia científica. Apresentam-se diferentes definições do conceito de literacia científica, os diversos elementos que as caracterizam e as propostas dos seus autores no sentido de as operacionalizarem através da educação formal e não-formal.

A percepção no logos do mundo estético: contribuições do pensamento de Merleau-Ponty aos estudos de percepção e educação ambiental

Marin, Andreia Aparecida; Núcleo de Estudos em Educação Ambiente e Sociedade; Depto. de Teoria e Prática de Ensino; Programa de Pós-Graduação em Educação; Universidade Federal do Paraná
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 06/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.13%
O presente trabalho gira em torno do conceito de percepção expresso nas obras de Merleau-Ponty e seus possíveis significados para a educação ambiental. Vários estudos no campo da educação ambiental têm envolvido o conceito de percepção por tomarem como base o fenômeno da percepção ambiental. Muitos destes estudos, no entanto, se resumem a levantamentos conceituais a respeito de problemas ambientais, deixando de considerar a complexidade do fenômeno da percepção. Embora muitos deles tomem como base teórica a fenomenologia, parece que as aproximações são feitas mais por semelhanças de idéias especulativas do que de clareza de fundamentos. Nesse sentido, o presente texto pretende ser a explanação de caminhos percorridos pela Fenomenologia da percepção e por obras estéticas de Merleau-Ponty, com o objetivo de elucidar possíveis desdobramentos para os estudos sobre percepção ambiental no campo e para uma revisão dos desafios da educação ambiental na atualidade.

A educação ambiental e suas contribuições para a sustentabilidade da região amazônica: um estudo sobre as experiências desenvolvidas na Floresta Nacional do Tapajós

Silva, Marilena Loureiro da; Programa de Pos Graduação em Gestão Ambiental e Desenvolvimento Local na Amazônia – Núcleo de Meio Ambiente; Programa de Pos Graduação em Educação e Políticas Publicas – Instituto de Ciências da Educação; Grup
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 06/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.13%
O presente artigo objetiva a construção de análises acerca das contribuições de projetos de educação ambiental realizados no interior da floresta amazônica a partir de políticas de cooperação internacional voltadas a consolidação de um novo paradigma de desenvolvimento baseado no discurso da sustentabilidade regional e global. Neste artigo são apresentadas as discussões referentes a efetivação do Programa de Educação Ambiental desenvolvido junto aos municípios abrangidos pela Floresta Nacional do Tapajós, sua organização inicial e o desenvolvimento das principais ações, apresentam-se também os resultados do trabalho de campo realizado junto aos professores da rede municipal de educação de Belterra, atuantes nas escolas das comunidades da Floresta.

Educação para a sexualidade: as representações sociais das educadoras de infância

Monteiro, Nádia; Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém; Pereira, Vânia; Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém; Piscalho, Isabel; Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de San
Fonte: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém Publicador: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 06/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.21%
Este artigo reporta-se a um estudo que teve como objectivo investigar quais as representações sociais dos educadores de infância sobre a educação para a sexualidade na educação pré-escolar, especificamente nas seguintes dimensões: fontes de informação, informação, crenças, atitudes e intenções comportamentais. Metodologicamente, tratou-se de um estudo quantitativo e descritivo em que foi aplicado um questionário a uma amostra significativa de 86 educadoras de infância do concelho de Santarém, pertencentes a instituições da rede pública, privada e cooperativa. Como resultados mais significativos regista-se o facto de as inquiridas afirmarem que existe pouca (in)formação sobre esta temática na educação pré‑escolar. A falta de formação percepcionada pelas educadoras leva-as a sentirem‑se inseguras para iniciar actividades e projectos nesta área, uma vez que consideram que os manuais de sustentação teórica dão indicações/informações pouco claras sobre o tema e as oportunidades para os profissionais da educação se especializarem sobre os assuntos relacionados com a educação para a sexualidade são escassas. Afirmam, ainda, que as crianças que frequentam o jardim-de-infância têm por hábito colocar muitas questões sobre sexualidade...