Página 1 dos resultados de 1215 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

Zooplâncton e ecologia larvar de crustáceos decápodes no estuário do rio Mondego

Gonçalves, Fernando José Mendes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
56.18%
Palavras-chave: Zooplâncton; Ecologia; Índices e espectros de diversidade; Padrões de distribuição; Emissão; Transporte; Retenção; Recrutamento; Ritmos de migração vertical; Análise espectral; Ciclo nictemeral; Rhithropanopeus harrisii; Desenvolvimento larvar; Pontos óptimos. Durante o presente estudo foi analisada a distribuição espacio-temporal do zooplâncton superior a 200 e 500µm, durante um ano de amostragem, em baixa-mar, em situação de Lua Nova, no estuário do Rio Mondego. Foram também abordados os padrões de distribuição espacio-temporal em função do regime mareal e lunar, durante dois anos, das principais espécies de Crustáceos Decápodes, assim como fenómenos de migração vertical na coluna de água durante ciclos nictemerais, emissão e dispersão larvar (exportação e retorno a biótopos favoráveis) no meio pelágico. Em laboratório, estudou-se o desenvolvimento larvar de Rhithropanopeus harrisii em condições controladas de temperatura e salinidade.; Tese de doutoramento em Ciências (Ecologia Animal) apresentada à Fac. de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra

Ecologia do ictioplâncton e reprodução da anchova Engraulis encrasicolus (L.) (Pisces, Engraulidae) no estuário do Rio Mondego

Ribeiro, Rui Godinho Lobo Girão
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
56.26%
A presente dissertação visou caracterizar o estuário do Mondego em função dos peixes teleósteos que o utilizam como local de postura e crescimento das fases iniciais do seu ciclo de vida e contribuir para o conhecimento da reprodução e da ecologia das fases planctónica e adulta da anchova, Engraulis encrasicolus (L.). O estuário possui uma elevada complexidade hidrológica, sendo frequente a existência de acentuadas heterogeneidades verticais térmicas e salinas. O Braço Sul e a parte terminal do rio Pranto comportam-se como um sistema lagunar de águas salobras, esporadicamente alterado por fluxos fluviais de grande intensidade, aquando da abertura das comportas do rio Pranto. As variações espacio-temporais nas concentrações de nutrientes (nitritos, nitratos e fosfatos) e no pH tiveram, aparentemente, causas diversificadas. A realização de colheitas em várias estações de amostragens em diferentes situações do ciclo de maré e do ciclo lunar e durante ciclos nictemerais permitiu identificar 28 taxa de ictioplanctontes. As densidades dos grupos taxonómicos mais abundantes foram comparadas entre as várias zonas estuarinas, entre diferentes situações dos ciclos tidal, nictemeral e lunar e entre as duas profundidades de colheitas (subsuperficiais e junto ao fundo). Os estados embrionários pertenceram a dois conjuntos de posturas pelágicas temporalmente distintos: por um lado posturas outonais e invernais de espécies marinhas e...

Ecologia trófica de Astyanax paranae (Osteichthyes, Characidae) em córregos da bacia do rio Passa-Cinco, estado de São Paulo.; Trophic ecology of Astyanax paranae (Osteichthyes, Characidae) in streams of the Passa-Cinco river basin, state of São Paulo.

Ferreira, Anderson
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/06/2004 PT
Relevância na Pesquisa
46.27%
Frente aos distúrbios que os ambientes aquáticos sofreram nas últimas décadas e os conseqüentes impactos causados sobre a ictiofauna, é cada vez mais relevante o entendimento da biologia e ecologia dos peixes nestes ecossistemas. O presente trabalho teve como objetivo relacionar a dieta do lambari Astyanax paranae em córregos de substrato e composição do corredor ripário distintos na bacia do rio Passa-Cinco (SP), verificando as diferenças existentes na alimentação da espécie, a origem dos itens alimentares, a disponibilidade de invertebrados e suas relações com a dieta da espécie. As coletas foram realizadas no período vespertino de fevereiro a abril de 2003. Para a captura dos peixes foram utilizados métodos combinados de pesca elétrica, rede de arrasto manual e peneiras. Para as amostragens dos invertebrados utilizou-se um amostrador tipo Surber, bandejas de retenção, redes de mão e deriva. Os conteúdos gástricos foram analisados através dos métodos de frequência de ocorrência e volumétrico. A espécie apresentou um amplo espectro alimentar. A categoria alimentar dominante foi representada por insetos terrestres, com maiores ocorrências para Formicidae (recursos alóctones). No Córrego Cantagalo, que apresenta a zona ripária constituída por pastagens...

Ecologia e comportamento do ouriço-preto (Chaetomys subspinosus, Olfers 1818) em fragmentos de Mata Atlântica do município de Ilhéus, sul da Bahia; The ecology and behavior of thin-spined porcupine (Chaetomys subspinosus, Olfers 1818) in fragments of the Atlantic forest, Ilheus, southern Bahia

Fernandez Giné, Gastón Andres
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/05/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.32%
O ouriço-preto (Chaetomys subspinosus, Olfers 1818), roedor endêmico da Mata Atlântica ameaçado de extinção, foi estudado na região cacaueira do sul da Bahia. O conhecimento acerca de aspectos básicos de sua história natural ainda é insipiente. Neste contexto, foi estudada a ecologia comportamental do ouriço-preto quanto à ecologia alimentar, organização temporal do comportamento, uso do espaço e seleção do habitat, a fim de conhecer suas estratégias adaptativas, seus requerimentos de habitat e embasar ações de conservação. Foram rádio-monitorados quatro indivíduos em vida-livre, por 11 a 13 meses cada, durante 24 dias completos (24h) e 146 noites parciais, totalizando 1.520 horas de observação, entre abril de 2005 a setembro de 2006. Dados sobre o comportamento, localização e uso de recursos foram registrados a cada 10 minutos por visualização direta dos animais. Simultaneamente, foram coletados dados sobre: clima, disponibilidade de alimento, fase da lua, tipo de vegetação na paisagem, estrutura horizontal e vertical da vegetação, abundância de recursos, e composição nutricional de espécies da dieta. Os dados foram analisados através de três abordagens. Os resultados do primeiro enfoque revelam que os ouriços-preto estudados foram estritamente folívoros e especialistas...

Mamíferos de médio e grande porte e ecologia alimentar de carnívoros em remanescentes de Floresta Ombrófia Mista e palntios de Pinus spp. na região centro-sul do Estado do Paraná, Brasil

Dias, Michele
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 81 f. : il. color.
POR
Relevância na Pesquisa
46.22%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Biologia Animal - IBILCE; A Floresta Ombrófila Mista é considerada uma das formações vegetacionais mais ameaçadas do sul do Brasil. O presente estudo apresenta uma lista das espécies de mamíferos em um mosaico formado por remanescentes de Floresta Ombrófila Mista e plantios de Pinus spp., avaliando a riqueza, a freqüência de ocorrência e a abundância relativa da mastofauna nestes ambientes e também em áreas abertas e nas bordas entre eles. A coleta de dados foi realizada em três propriedades nos municípios de Bituruna, General Carneiro e Palmas – PR, no período de agosto de 2003 a fevereiro de 2006, num total de 31 saídas de campo mensais. Os dados foram coletados em cinco transectos de 5 km de extensão cada, e em outros locais visitados esporadicamente, por meio de registros visuais/auditivos, análises de pêlos, fezes, pegadas e carcaças. Foram identificadas 39 espécies de mamíferos e quase metade delas está citada na Lista Vermelha do estado do Paraná, embora seis delas esteja na categoria de Dados Insuficientes (DD). Através do teste de qui-quadrado de aderência, diferenças significativas foram encontradas tanto para a riqueza...

Ecologia termal da jararaca-ilhoa, Bothrops insularis (Serpentes, Viperidae): um estudo em condições naturais

Bovo, Rafael Parelli
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 128 f. : il. color.
POR
Relevância na Pesquisa
46.19%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Biologia Animal - IBILCE; Dada a importância da temperatura na maior parte dos processos biológicos, estudos sobre a termorregulação têm desempenhado importante papel no entendimento sobre a ecologia dos vertebrados ectotérmicos. Em serpentes, como em outros ectotérmicos, o controle da temperatura corpórea (Tc) é dependente da utilização de fontes externas de calor e principalmente de ajustes comportamentais, embora ajustes fisiológicos e morfológicos também ocorram. Em geral, esse controle é alcançado por meio da escolha de ambientes quentes ou frios, cuja disponibilidade pode variar ao longo do dia e das estações do ano. A termorregulação, portanto, constitui aspecto central da biologia das serpentes, as quais dedicam porção considerável de seu tempo e energia a essa atividade. Os objetivos do presente estudo foram documentar a variação sazonal e circadiana da temperatura corpórea da jararaca-ilhoa, Bothrops insularis, em seu ambiente natural, a Ilha da Queimada Grande (IQG), a fim de prover análise descritiva da Tc e do comportamento termorregulatório destes animais à luz dos custos e benefícios da regulação da Tc na região tropical; e entender como estes parâmetros são ditados/influenciados por fatores ambientais (temperatura local e de microhábitats...

Padrão de atividades, ecologia alimentar e área de vida em um grupo de Callithrix penicillata (Humboldt, 1812)

David, Valéria Aparecida
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 93 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
46.24%
Pós-graduação em Biologia Animal - IBILCE; O objetivo deste trabalho foi estudar o padrão de atividades, a área de vida e a ecologia alimentar de um grupo de Callithrix penicillata habitando uma área de cerrado e mata ciliar. O grupo foi observado em Junho, Julho e Agosto de 2004 (estação seca) e Dezembro de 2004, Janeiro e Fevereiro de 2005 (estação chuvosa). Para a coleta de dados comportamentais foi utilizada a regra de amostragem de tempo instantâneo varredura, a intervalos de 5min. As categorias utilizadas foram: locomoção, repouso, forrageio, alimentação e interação. Durante a estação seca, o grupo gastou cerca de 44% do tempo com locomoção, 21% com repouso, 19% alimentando-se, 11% com interações e 5% forrageando. Na estação chuvosa, o grupo passou 54% do tempo locomovendo-se, 13% repousando, 17% alimentando-se, 5% interagindo e 11% forrageando. Quanto à ecologia alimentar, na estação seca o grupo passou 71% do tempo consumindo exsudatos, 22% frutos, 2% insetos e 5 % outros itens. Na estação chuvosa o grupo passou 51% do tempo consumindo exsudatos, 41% frutos, 4% insetos e 3% outros itens. Quanto às interações, durante a estação seca, os sagüis gastaram 44% do tempo com interações agonísticas...

Ecologia de riachos em áreas de Cerrado: composição, estrutura e conservação

Romero, Renato de Mei
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 141 f. : il. color.
POR
Relevância na Pesquisa
46.18%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Biologia Animal - IBILCE; A estrutura da comunidade de peixes foi analisada, em 19 riachos da bacia do alto Paraguai (PG), Paraná (PN) e São Francisco (SF), com o objetivo de identificar diferenças sazonais (períodos seco e chuvoso), conservacionistas (áreas mais e menos preservadas) e a influência de fatores ambientais (hidrológicos, físicos e químicos, meso+hábitat, características da estrutura interna e do ecótono água+terra). Foi observada baixa similaridade entre as composições de espécies nas bacias (CBSPG+ PN=0,14, CBSPN+SF=0,23, CBSSF+PG=0,11). A abundância na bacia do PG (x=389,5) foi maior do que no PN (x = 177,5) e SF (x = 167); ANOVA, p=0,01. Nesta bacia, a abundância também foi maior no período seco do que no chuvoso (ANOVA p=0,01). A riqueza de espécies foi maior na bacia do PN do que nas demais. Análises da estrutura da comunidade (NMDS com agrupamento e ANOSIM) identificaram a formação de quatro grupos de riachos (p=0,001, R=0,819), sendo três deles explicados pelas diferenças entre bacias; o quarto grupo engloba riachos associados a uma fitofisionomia particular do Cerrado (buritizal). Não foram registradas diferenças significativas na riqueza e abundancia...

Ecologia de cinco especies de Mabuya (Lacertilia; scincidae) no sudeste do Brasil : padrões reprodutivos, termicos, troficos e comunidades de nematodeos parasitas associados

Davor Vrcibradic
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/10/2001 PT
Relevância na Pesquisa
46.24%
Foram estudados quatro aspectos ecológicos (biologia reprodutiva, ecologia termal, composição da dieta e ecologia parasitária) para diversas populações de cinco espécies de lagartos do gênero Mabuya (Scincidae) em diferentes áreas nos estados do ES, RJ e SP.Essas espécies (todas vivíparas) diferiram entre si quanto aos tratos reprodutivos, sendo que em uma das espécies (M macrorhyncha) o tamanho da ninhada foi consideravelmente reduzido (cerca de três filhotes, em média) e a maturidade sexual das fêmeas ocorreu mais tarde do que nas demais espécies, nas quais as fêmeas tornam-se sexualmente maduras ainda com cerca de 60% do tamanho adulto. Houve marcada variação interpopulacional para uma das espécies (M. agilis), com populações serranas apresentando maiores tamanhos corpóreos e ninhadas maiores (geralmente cerca de cinco, e até nove filhotes) do que as populações de restinga (proles de três a quatro filhotes, em média, não excedendo seis). As demais espécies apresentaram proles mais próximas em número às de M. agilis serranas. Dentro de cada espécie, o tamanho da ninhada esteve, em geral, positiva e significativamente relacionado com o tamanho da fêmea, mas tal relação não ocorreu entre espécies. Quanto à ecologia termal...

Ecologia alimentar de uma taxocenose de anuros terrestres no Brasil Central

Pinto, Thiago Marques
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.19%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Biologia, Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, 2011.; A dieta é um importante eixo do nicho ecológico de uma espécie, portanto, a estrutura de uma comunidade é baseada principalmente nas formas com que os recursos alimentares são partilhados entre as espécies coexistentes. No entanto, poucos trabalhos investigaram o papel do uso de recursos alimentares na estruturação de comunidades de anuros. Este capítulo aborda a ecologia alimentar de seis espécies de anuros terrestres pertencentes a uma taxocenose do Cerrado. O objetivo principal do trabalho foi verificar a existência de estrutura na taxocenose com base na dieta das espécies, considerando a sobreposição dos nichos alimentares e com base na distribuição de tamanho entre as espécies. As espécies utilizadas no trabalho (Physalaemus cuvieri, P. centralis, Elachistocleis cesarii, Leptodactylus latrans, L. furnarius e L. fuscus) pertencem a uma taxocenose na Estação Ecológica de Águas Emendadas, Distrito Federal. As espécies de Physalaemus tiveram uma dieta especialista, ingeriram grande quantidade de cupins (alados) e formigas, mas também outras ordens oportunisticamente. E. cesarii apresentou uma dieta especialista em formigas (Formicidae). L. latrans e L. fuscus apresentaram uma dieta generalista...

Caça de subsistência e conservação na Amazônia (reserva extrativista rio Xingu, Terra do Meio, Pará) : ecologia da caça e avaliação de impactos na fauna

Ramos, Rossano Marchetti
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
46.34%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, 2013.; Investigamos a caça e avaliamos os efeitos desta atividade e da presença humana em populações de mamíferos. O estudo foi realizado na Reserva Extrativista Rio Xingu (RESEX), com densidade demográfica de cerca de 0.08 pessoas/km2. Ela localiza-se na Terra do Meio, região inserida num vasto mosaico de Unidades de Conservação e Terras Indígenas, alvo de conflitos fundiários e de crescente desmatamento pela expansão da fronteira agropecuária. Avaliamos o efeito da caça na estrutura etária de queixadas (Tayassu pecari) em sete áreas (a RESEX e outras seis Terras Indígenas próximas) que diferiam no número de habitantes, que utilizamos como indicativo de pressão de caça. Obtivemos 486 crânios de animais caçados e os classificamos em quatro faixas etárias, com base na erupção e desgaste dentário. Não encontramos diferenças na estrutura etária relacionada aos níveis de exploração de caça. As diferenças nos níveis de pressão podem ter sido insuficientes para alterar a estrutura etária ou os queixadas, por características de sua ecologia comportamental (como estrutura social e mobilidade)...

Projecto - XII Expedição Científica do Departamento de Biologia - Pico 2005

Tavares, João; Porteiro, João; Furtado, Duarte
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em /06/2005 POR
Relevância na Pesquisa
46.24%
XII Expedição Científica do Departamento de Biologia - Pico 2005 (Projecto).; O DB ao deslocar para uma outra ilha do Arquipélago dos Açores, durante alguns dias, uma parte dos recursos humanos e materiais, assim como cientistas e técnicos de outras instituições, internacionais, nacionais e regionais, que ao longo dos últimos anos tem colaborado com a instituição, o seu corpo de cientistas pretendem desenvolver uma série de estudos, onde está sempre presente o aprofundar do saber e do conhecimento sobre a vida que nos acolhe e rodeia nesta parcela do mundo. Também e nossa missão como docentes e investigadores, após um complexo processo de transmissão de saber, participar em trabalhos de campo com os nossos alunos dos diferentes graus, desde a licenciatura ao doutoramento, partilhando ai experiências, praticando interacções com outras áreas científicas e aprofundando as colaborações com outras instituições. Neste contexto, o projecto XII Expedição Científica do DB à ilha PICO, em 2005, será desenvolvido no campo por um corpo de 87 (oitenta e sete) expedicionários, repartidos por 12 (doze) equipas, cada uma com um plano de trabalhos, designadas pelo nome da principal área do conhecimento, isto é: Conservação e Ambiente; Biologia dos Vertebrados; Botânica; Geografia Física e Humana; Ecologia Animal; Ecologia Vegetal; Ecologia Aquática; Entomologia e Luta Biológica; Genética Humana; Geologia/Vulcanologia; Malacologia; Nematologia. Salienta-se que...

Formação de territórios e estrutura espacial Hylodes heyeri Haddad, Pombal & Bastos 1996 (Anura, Hylodidae)

Beltramin, Amanda Scheffer
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.24%
Resumo : Estudos de uso do espaço e padrões de distribuição espacial são componentes fundamentais da ecologia de população animal e contribuem para a descrição de estratégias sociais, tróficas e reprodutivas, alem de cooperarem para uma melhor compreensão das histórias de vida das espécies. Algumas espécies de anfíbios defendem toda ou parte da área de vida, e essa área é denominada território, o qual é defendido através de sinais visuais associados aos acústicos. Considerando que a formação dos territórios molda a estrutura espacial das populações, o objetivo geral deste estudo foi descrever a ecologia espacial e os sinais visuais exibidos na defesa de território de uma população de Hylodes heyeri. Realizamos as amostragens no município de São José dos Pinhais, PR, entre outubro de 2012 e abril de 2013, com visitas semanais de um dia de duração. Em um trecho de 200 m de rio, todos os indivíduos encontrados foram capturados, registrados comprimento rostro-cloacal (CRC), peso, sexo, posição do local da captura e marcados com uma cinta pélvica. As observações comportamentais foram feitas pela amostragem de todas as ocorrências e animal focal. Marcamos 237 indivíduos adultos de H. heyeri (213 machos e 24 fêmeas) e recapturamos 101 indivíduos (98 machos e três fêmeas). O tamanho da área de vida dos machos foi de 13...

Ecologia alimentar de pequenos mamíferos de áreas de cerrado no Sudeste do Brasil; Feeding ecology of small mammals from Cerrado in southeastern Brazil

Ramos, Vanessa do Nascimento
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
46.39%
Estudos sobre a ecologia alimentar de mamíferos herbívoros nos Neotrópicos tem sido investigado focando principalmente as espécies frugívoras de grande porte. No entanto, pequenos roedores e marsupiais podem desempenhar o papel de importantes agentes seletores por meio de suas relações tróficas. Este trabalho visou ampliar o conhecimento sobre este aspecto da ecologia de algumas espécies de pequenos mamíferos cujos hábitos alimentares são pouco conhecidos. O objetivo deste trabalho foi descrever a dieta dos roedores cricetídeos Calomys tener e Necromys lasiurus e dos marsupiais didelfídeos Lutreolina crassicaudata e Gracilinanus agilis, procurando conhecer o seu potencial efeito sobre as comunidades locais de recursos. Os espécimes analisados pertencem à coleção de mamíferos da Universidade Federal de Uberlândia e foram coletados em remanescentes naturais de Cerrado no Estado de Minas Gerais. Os hábitos alimentares foram estudados através da análise dos restos alimentares encontrados nos conteúdos gastrointestinais. Para N. lasiurus (N = 13), houve maior consumo de matéria animal (100%) que vegetal (31%). Para C. tener (N = 138), matéria vegetal foi consumida em maior quantidade e ocorreu em maior número de amostras (92%) que matéria animal (71%). Não foi encontrada variação sazonal na composição...

Ecologia de dois grupos de sag?is-brancos, mico argentatus (Linnaeus 1771) em um fragmento florestal natural, Santar?m-Par?

CORR?A, Honorly K?tia Mestre
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
46.22%
Este trabalho apresenta os resultados de um estudo de longo-prazo sobre ecologia e comportamento de dois grupos silvestres de Mico argentatus em um fragmento florestal natural, isolado por uma matriz de vegeta??o de savana, na regi?o de Alter do Ch?o, Amaz?nia central. Os grupos, denominados Cm1 e Cm2 foram habituados e monitorados durante 12 meses em 2000 e quatro meses em 2001 (Cm1) e sete meses em 2000 e tr?s meses em 2001 (Cm2). An?lises de varia??o temporal envolveram tr?s per?odos sazonais distintos (Chuvosa-In?cio. Chuvosa-Final e Seca) em 2000, e a compara??o longitudinal dos meses julho e setembro em 2000-2001. An?lises das rela??es entre as vari?veis ecol?gicas (abund?ncia de principais recursos: frutos e insetos) e os padr?es ecol?gicos e comportamentais entre os grupos foram estabelecidos. Os grupos apresentaram composi??es e tamanhos diferentes, que variaram entre 4-8 e 8-11 membros, em Cm1 e Cm2, respectivamente. Os dados quantitativos foram coletados utilizando-se a amostragem de varredura instant?nea com amostras de um minuto de dura??o a cada intervalo de cinco minutos, durante todo o per?odo de atividade di?ria do grupo. Os resultados mostraram que ambos os grupos gastam mais da metade do tempo em forrageio e alimenta??o. A dieta foi constitu?da de frutos...

Ecología y conservación de murciélagos en ambientes mediterráneos semiáridos= Bat ecology and conservation in semiarid mediterranean ladscapes

Lisón Gil, Fulgencio
Fonte: Universidade de Múrcia Publicador: Universidade de Múrcia
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
SPA; ENG
Relevância na Pesquisa
56.1%
Esta tesis doctoral está compuesta por cuatro artículos que han sido publicados en revistas científicas internacionales, los cuales tratan de resolver cuestiones relacionadas con la biología, ecología y conservación de los murciélagos en ambientes mediterráneos semiáridos (SE España). La investigación está enfocada a aspectos fundamentales de la biología de los murciélagos, teniendo en consideración que se tratan de estudios preliminares en áreas en las cuales existe muy poca información y donde deben aplicarse medidas de conservación. El primer artículo es un estudio biométrico de las medidas alares de Myotis myotis. Los objetivos eran: 1) la presencia de dimorfismo sexual (SSD) en las medidas alares y determinar qué medidas son más discriminantes, 2) estudiar sí existen diferencias entre machos emparejados y solitarios en los refugios de cópula, y 3) discutir las implicaciones del SSD en esta especie. La longitud del antebrazo y del tercer dedo eran las medidas más discriminantes. No se encontraron diferencias entre machos emparejados y solitarios, siendo los segundos mucho más pesados y con una mejor condición física. El estudio muestra que no existe selección sexual por los machos más pequeños. El segundo artículo estudia la actividad de los murciélagos y la riqueza de especies en una zona cercana a un área protegida. Se utilizó puntos de escuchas y detectores de ultrasonidos para estudiar el uso del hábitat y el papel de los elemento hidráulicos. Los resultados muestran que la actividad era significativamente mayor en el trasvase Tajo-Segura y en las balsas de irrigación en comparación con otros hábitats (bosque...

Ecologia e comportamento do Cuxi?-Preto (Chiropotes Satanas) na paisagem fragmentada da Amaz?nia Oriental

VEIGA, Liza Maria
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
46.22%
Cuxi?s s?o primatas frug?voros especializados na preda??o de sementes. O cuxi?-preto (Chiropotes satanas), atualmente amea?ado de extin??o, ? end?mico de uma ?rea da Amaz?nia oriental brasileira bastante povoada e desmatada. O principal objetivo deste estudo foi pesquisar o comportamento e a ecologia de dois grupos de cuxi?s-pretos vivendo sob diferentes graus de fragmenta??o de h?bitat, de maneira a entender como par?metros ecol?gicos nestes diferentes contextos influenciam estrat?gias comportamentais. Al?m disso, o estudo procurou identificar fatores que limitam a viabilidade a longo prazo do cuxi?-preto e coletar informa??es que possam contribuir com planos de manejo e conserva??o. O estudo foi realizado na margem direita do rio Tocantins, no reservat?rio de Tucuru?, Estado do Par?, Brasil (415'S, 4931'W). Dois grupos de cuxi?s-pretos foram estudados: um (denominado T4) em um grande fragmento de floresta situado na margem do reservat?rio (1.300 ha, 39 indiv?duos) e outro numa pequena ilha (19,4 ha, oito indiv?duos) coberta por floresta. O comportamento dos dois grupos foi monitorado durante 12 meses (1.153 horas de observa??o) utilizando metodologias de amostragem por varredura e de todas as ocorr?ncias por 4 a 5 dias consecutivos por m?s por grupo. Al?m de coletar dados sobre seus or?amentos de atividades...

Modelos espacialmente explícitos de movimentação animal como subsídio para o delineamento de áreas de conservação da natureza

Santos, Bernardo Brandão Niebuhr dos
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 118f. : il., grafs., tabs.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
46.36%
Orientador : Prof. Dr. Marcio Roberto Pie; Co-orientador : Prof. Dr. Marcos Gomes Eleutério da Luz; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação. Defesa: Curitiba, 26/02/2013; Inclui referências; Resumo: A redução e fragmentação de habitat são duas das principais causas de alteração na composição, distribuição e extinção de espécies animais nos mais diversos ecossistemas. Para compreender e lidar com suas consequências, é necessário entender como os organismos interagem entre si e com o seu entorno levando em conta, de forma explícita, padrões de movimentação e estruturas espaciais de distribuição de habitat. Nesta dissertação, como meio de subsídio para o delineamento de áreas de conservação da natureza, a interação de animais com seu ambiente é abordada a partir de duas formulações de modelos baseados em indivíduos. Essas abordagens têm como foco o processo de movimentação animal e utilizam caminhadas de Lévy como base para sua construção. Na primeira formulação, num contexto de paisagem, é discutido o problema do planejamento para conservação quando a área possível de ser conservada é limitada. Indivíduos se dispersando em cenários com diferentes graus de destruição e fragmentação de habitat são simulados...

Distribución y estado de conservación de las poblaciones de árboles y arbustos del género Polylepis (Rosaceae) en las montañas de Argentina.

Renison, Daniel; Cuyckens, Griet An Erica; Pacheco, Silvia; Guzmán, Gustavo Federico; Grau, Hector Ricardo; Marcora, Paula Inés; Robledo, Gerardo Lucio; Cingolani, Ana María; Dominguez, Julio; Landi, Marcos Alejandro; Bellis, Laura Marisa; Hensen, Isab
Fonte: Asociación Argentina de Ecología Publicador: Asociación Argentina de Ecología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:ar-repo/semantics/artículo; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
46.22%
El género Polylepis es endémico de las montañas de Sudamérica. Sus especies frecuentemente dominan la canopia de bosques y arbustales cuya conservación y restauración son una prioridad a nivel continental. En Argentina, el género incluye cinco especies que se distribuyen en las montañas del centro y noroeste del país. Sus distribuciones, amenazas y estados de conservación están poco documentados e incluso existen fuertes controversias sobre el grado en que el Hombre ha impactado en la cobertura, la estructura y la distribución de estos bosques. Para contribuir a revertir esta situación confeccionamos modelos potenciales por especie que sugieren 14800 km2 aptos para la presencia de al menos una de las cinco especies. Evaluamos 490 parcelas de 3600 m2 distribuidas en 43 localidades y para cada especie describimos los bosques en mejor estado de conservación que de manera tentativa podrían usarse como referencia para determinar metas de conservación y en trabajos de restauración. En tres de las cinco especies encontramos evidencias de fuego en más de 60% de las parcelas visitadas. Muchas localidades presentaban suelos con evidencias de erosión y escasa cobertura de vegetación, así como una baja cobertura y complejidad estructural de bosque. Consideramos que Argentina ofrece buenas oportunidades para la conservación y restauración de estos bosques ya que aún quedan grandes extensiones...

Orsis : organismes i sistemes

Fonte: Bellaterra : Universitat Autònoma de Barcelona. Departament de Biologia Animal, Biologia Vegetal i Ecologia, Publicador: Bellaterra : Universitat Autònoma de Barcelona. Departament de Biologia Animal, Biologia Vegetal i Ecologia,
Tipo: Revistes electròniques
Publicado em //1985 CAT; ENG; SPA
Relevância na Pesquisa
46.24%
Orsis és una revista que publiquen, des de l’any 1985, les unitats de Botànica, Zoologia i Ecologia del Departament de Biologia Animal, de Biologia Vegetal i d’Ecologia de la Universitat Autònoma de Barcelona amb l’objectiu de donar a conèixer treballs originals de recerca o articles de revisió de botànica, zoologia i ecologia i àmbits afins (biogeografia, biodiversitat, evolució, morfologia, citogenètica, conservació)