Página 1 dos resultados de 45208 itens digitais encontrados em 0.016 segundos

Mutações da glicocerebrosidade em pacientes com doença de Parkinson; Glucocerebrosidase mutations in Parkinson's disease patients

Spitz, Mariana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.51%
Introdução: A doença de Parkinson é uma enfermidade neurodegenerativa decorrente da perda de neurônios dopaminérgicos na substância negra, principalmente, e em outras regiões cerebrais. Caracteriza-se clinicamente por tremor, rigidez, bradicinesia e instabilidade postural. O tratamento é sintomático e consiste essencialmente na reposição da dopamina deficiente. A etiologia da doença de Parkinson ainda não é conhecida, mas os recentes avanços da Neurologia trouxeram novos conhecimentos acerca dos mecanismos fisiopatológicos envolvidos. Disfunção mitocondrial, estresse oxidativo e degradação de proteínas são alguns dos processos celulares que foram relacionados à degeneração dos neurônios dopaminérgicos. O campo da genética da doença de Parkinson tem recebido atenção especial na última década, graças à descoberta de vários genes associados ao desenvolvimento da doença. Um fator de risco genético recentemente descrito é a presença de mutações no gene da glicocerebrosidase, uma enzima lisossomal cuja deficiência resulta na doença de Gaucher. Apesar de a maioria dos estudos já publicados terem confirmado esta associação, um trabalho mais recente da Noruega não encontrou significância estatística ao analisar a presença destas mutações em pacientes com doença de Parkinson...

Manifestações extra-intestinais em doença de Crohn e retocolite ulcerativa: prevalência e correlação com o diagnóstico, extensão, atividade, tempo de evolução da doença; Extra-intestinal manifestations in Crohn disease and ulcerative rectocolitis: prevalence and correlation with diagnosis, extension, activity, disease evolution time

Mota, Erodilho Sande
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.52%
INTRODUÇÃO: As doenças inflamatórias intestinais têm chamado a atenção da comunidade científica pela multiplicidade de manifestações no trato digestivo, manifestações extra-intestinais e pela sua incidência em ascensão. Existe uma grande prevalência de manifestações extra-intestinais em portadores de doença de Crohn e de retocolite ulcerativa, variando na literatura de 24 a 65%. Estas alterações podem surgir antes dos sintomas intestinais, concomitante ou ulteriormente, podendo ou não ter relação com a atividade da doença intestinal. O conhecimento destas manifestações extra-intestinais assim como seu quadro clínico, evolução e tratamento é importante, devido ao aumento da morbidade e mortalidade desencadeada por elas. OBJETIVO: Objetivou-se neste trabalho determinar a prevalência de manifestações extra-intestinais em retocolite ulcerativa e doença de Crohn, correlacionando com diagnóstico do tipo de doença inflamatória intestinal, extensão, tempo de evolução e aparecimento dos sintomas, sexo e atividade da doença. MÉTODOS: Os pacientes que participaram do estudo estão cadastrados no Ambulatório de Doenças Inflamatórias do Serviço de Cirurgia do Cólon, Reto e Ânus do Departamento de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo de setembro de 1984 até setembro de 2004. Os dados para a pesquisa foram colhidos retrospectivamente de mil protocolos que foram preenchidos em caráter prospectivo na primeira consulta do doente e atualizados em consultas subsequentes. Foram estudadas as manifestações articulares...

O estigma da doença mental: compreensão e ações dos trabalhadores dos CAPS; The stigma of mental illness: understanding and actions of workers of the CAPS.

Santos, Jussara Carvalho dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.5%
O Estigma é definido como um atributo profundamente depreciativo, que aos olhos da sociedade serve para desacreditar a pessoa que o possui, contribuindo com a discriminação social. Durante séculos a pessoa com doença mental se sentiu estigmatizada porque ser vista como louca pelo grupo cultural com quem convive. Esta forma de produção cultural do estigma se dá de modo similar no Brasil. Desta forma, as equipes dos serviços substitutivos territoriais, como o CAPS, devem realizar ações que mude a questão cultural em relação à loucura para poder alcançar a superação do estigma da doença mental. Para que isso possa acontecer, os profissionais de saúde mental tem de reconhecer os usuários dos serviços substitutivos territoriais como cidadãos, caso contrário eles reforçarão o estigma e a discriminação já prevalentes na sociedade. A equipe multidisciplinar dos CAPS tem um papel importante para ampliar debates sobre os direitos e sobre a cidadania das pessoas com doença mental no seu território de atuação, informando às pessoas com e sem doença mental e aos empregadores sobre o propósito de diminuir a discriminação/estigma relacionado à doença mental. Esta equipe deve aproveitar as oportunidades dentro e fora do campo de trabalho em saúde mental para promover a inclusão social...

Fatores associados à doença renal crônica em pacientes internados em um hospital universitário na cidade de São Paulo; Factors associated with chronic kidney disease among hospitalized patients in a university hospital in the city of São Paulo

Pinho, Natália Alencar de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.5%
Introdução: a doença renal crônica constitui importante problema de saúde pública mundial. Contudo, pouco se sabe sobre suas características em nosso meio. Objetivo: identificar os fatores associados à doença renal crônica em pacientes internados em um hospital universitário. Método: foram selecionados, aleatoriamente, 386 pacientes que constituíram dois grupos: com e sem doença renal crônica. A doença renal crônica foi definida pela presença de diagnóstico médico ou antecedente pessoal. Os dados foram obtidos do prontuário do paciente. Foram comparados os grupos com e sem doença renal crônica e os hipertensos com e sem doença renal crônica, mediante as variáveis de estudo. Estimou-se a taxa de filtração glomerular (eTFG) dos pacientes sem doença renal a partir das equações Modification of Diet in Renal Disease abreviada (MDRD4) e Chronic Kidney Disease Epidemiology Collaboration (CKD-EPI). Verificou-se a associação da eTFG <90 mL/min/1,73m², pela MDRD4, com dados biossociais e comorbidades. O nível de significância foi de p<0,05. Resultados: a amostra foi 50,5% homens, 64,4% brancos, 50,7% com companheiro e idade de 58,2±18,6 anos. Os pacientes com doença renal crônica se distinguiram daqueles sem a doença (p<0...

Contributo para a compreensão da vivência emocional da doença oncológica num serviço de Cuidados Paliativos

Sousa, Sónia Soares de
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 08/07/2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.5%
A doença oncológica apresenta-se como a segunda causa mais frequente de morte em Portugal (morreram 25758 pessoas, em 2012), com tendência a tornar-se a principal causa (INE, 2014). Na fase terminal da doença, os Cuidados Paliativos (CP) surgem com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos doentes e famílias que enfrentam uma doença associada com o risco de vida, através da prevenção e alívio do sofrimento por meio da identificação, avaliação e tratamento da dor e outros problemas físicos, psicossociais e espirituais (OMS, 2002). A intervenção emocional nestas populações em situação de doença avançada, a sua eficácia, os instrumentos de avaliação e investigação, apresentam-se pouco exploradas com apenas algumas décadas de história (Pujol, 2003). Assim o presente estudo pretende ser um contributo para colmatar as lacunas na área da intervenção psicológica na psico-oncologia, partindo das seguintes questões de investigação: “Como descrevem os doentes a vivência emocional da doença oncológica?” e “Que dimensões da doença oncológica estão associadas à vivência emocional?” Foram realizadas 7 entrevistas, orientadas por um guião semiestruturado, no Serviço dos CP a pessoas com doença oncológica avançada. A análise dos dados foi inspirada nos princípios da Grounded theory e recorreu ao Software Nvivo9. Os resultados demonstraram que a doença oncológica apresenta impacto emocional negativo (dependência) e positivo (união do casal) no doente. Ao longo do percurso da doença...

Saúde e Imigrantes: As representações e as práticas sobre a saúde e a doença na comunidade cabo-verdiana em Lisboa

Bárbara, Bäckström
Fonte: Saúde e Imigrantes: As representações e as práticas sobre a saúde e a doença na comunidade cabo-verdiana em Lisboa Publicador: Saúde e Imigrantes: As representações e as práticas sobre a saúde e a doença na comunidade cabo-verdiana em Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em /04/2006 POR
Relevância na Pesquisa
36.5%
RESUMO Este trabalho de investigação constitui uma aproximação sociológica no âmbito da saúde internacional e no contexto da sociologia da saúde, em particular da saúde dos imigrantes, relativamente às suas representações e práticas de saúde e de doença. O objecto de investigação centra-se na análise das questões sobre a saúde e a doença dos imigrantes a partir de uma perspectiva sociológica. O estudo teve como principal objectivo compreender - através de relatos pessoais - a forma como os indivíduos entendem a saúde e a doença ¬¬no campo das representações sociais de saúde e analisar os seus comportamentos em termos das suas práticas de saúde e de doença. Pretendeu-se estabelecer uma análise comparativa dos dados de forma a fazer sobressair semelhanças e/ou divergências das representações e das práticas de saúde e de doença dos entrevistados. A nossa intenção era verificar se elas se deviam a factores socioeconómicos, a factores culturais e de identidade étnica, ou à combinação de ambos. No plano teórico, o trabalho aqui apresentado enquadra-se em várias áreas das Ciências Sociais, (sociologia da saúde, sociologia das migrações e antropologia da saúde). A hipótese geral centrava-se na ideia de que as representações e as práticas de saúde e de doença destes imigrantes se inscreviam num quadro particular onde apareciam interferências do carácter cultural e da pertença étnica. Estas dimensões podiam no entanto...

Doença inflamatória intestinal

Raposo, Filipa Andreia Quina
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2008 POR
Relevância na Pesquisa
36.5%
A designação de Doença Inflamatória Intestinal (DII) aplica-se essencialmente á doença inflamatória crónica intestinal idiopática, uma vez que existem outros contextos inflamatórios, nomeadamente infecciosos que não são abrangidos por esta entidade clínica. A DII inclui a Doença de Chron (DC) a Colite Ulcerosa (CU) e também a Colite Indeterminada, as quais em virtude de apresentarem aspectos epidemiológicos, genéticos, imunológicos, clínicos e terapêuticos comuns, são englobadas na mesma doença. A causa exacta desta doença contínua desconhecida, embora os avanços que se têm verificado nos últimos anos nos meios de investigação sugiram uma hipótese para o desenvolvimento desta doença. O facto de se tratar de uma doença cuja incidência tem vindo a aumentar, na qual ainda há muitos enigmas por resolver e com a qual contactei diversas vezes no decorrer da minha licenciatura, despertou o meu interesse para fazer sobre este tema a minha dissertação de mestrado. Para tal realizei uma revisão bibliográfica de artigos e livros publicados até 20 de Março de 2008. Os dados estatísticos demonstram um aumento acentuado da incidência da doença nos países do hemisfério sul, embora continue a ser mais prevalente nos países do hemisfério norte e nos estratos sócio económicos mais altos. O tabaco tem sido associado ao desenvolvimento de CU. Os estudos sobre outros factores como apendicectomia...

Doença de Crohn : etiologia, patogénese e suas implicações na terapêutica

Ribeiro, Iolanda Cristina Teixeira
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
A doença de Crohn é uma doença inflamatória crónica transmural e segmentar do tracto gastrointestinal, cuja etiologia e patogénese permanecem desconhecidas. Apesar de várias hipóteses terem sido colocadas, considera-se que esta doença resulta da combinação de uma predisposição genética com factores ambientais, alterações na permeabilidade da parede intestinal, perda da tolerância aos antigénios comensais e diminuição da eliminação bacteriana, com a consequente génese e perpetuação dos mecanismos inflamatórios. Várias mutações genéticas estão identificadas, embora ainda não seja totalmente compreendida a sua contribuição para o desenvolvimento da doença de Crohn. Diversas explicações foram propostas, embora controversas. O sistema imunitário é um dos principais intervenientes. As células do sistema imunitário inato, nomeadamente as células dendríticas, respondem de forma inapropriada aos microorganismos comensais com produção de citocinas pró-inflamatórias e consequente activação de células T helper1 e aumento da expressão de moléculas de adesão. O desequilíbrio entre as células TCD4+efectoras e as células T reguladoras é outro dos mecanismos que contribui para a patogénese da doença de Crohn. Diversos microorganismos...

Avanços no tratamento da doença inflamatória intestinal

Mota, Adriano João Marques Pinto da
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.5%
A Doença Inflamatória Intestinal é uma doença crónica, que inclui a Doença de Crohn, a Colite Ulcerosa e a Colite Indeterminada. Apesar da etiologia da Doença Inflamatória Intestinal continuar desconhecida, um melhor entendimento do sistema imunológico da mucosa intestinal e dos elementos envolvidos na fisiopatologia da Doença de Crohn e da Colite Ulcerosa permitiram, na última década, o desenvolvimento de diversos fármacos direcionados a componentes específicos da cadeia inflamatória envolvidos na fisiopatologia desta doença. A introdução destas terapias biológicas permitiram melhorar significativamente a qualidade de vida dos pacientes com Doença inflamatória Intestinal moderada a severa. Destas novas terapias, quatro fármacos encontram-se aprovados no tratamento da Doença inflamatória Intestinal pela Food and Drugs Administration: Infliximab, Adalimumab, Certolizumab (agentes anti-TNFα) e Natalizumab (agente anti-integrina α4). A nível europeu, só o Infliximab e o Adalimumab encontram-se aprovados. Adicionalmente, diversos agentes biológicos têm também evidenciado resultados promissores (Vedolizumab, Ustekinumab e Tocilizumab), o que abre a discussão quanto a futuras perspectivas terapêuticas. Neste trabalho...

Doença renal crónica e a sua relação com doença cardio-vascular

Nascimento, João Francisco Gouveia
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.51%
Introdução: A doença renal crónica tem uma prevalência em constante crescimento, estimando-se cerca de 265 milhões de pessoas em todo o mundo com risco aumentado para desenvolver esta doença. Os doentes renais crónicos no estadio mais avançado da doença apresentam um risco 10 a 30 vezes superior do que a população em geral de morrer por doença cardio-vascular. Objectivos: Aprofundar o conhecimento actual sobre a insuficiência renal crónica e a sua relação com a doença cardio-vascular. Métodos: Pesquisa bibliográfica na base de dados electrónica “PubMed”, com as seguintes palavras-chave: "chronickidneydisease", "glomerular filtration rate", "GFR", "eGFR", como pesquisa para doença renal crónica, e "cardiovascular disease" e "stroke", como pesquisa para doença cardio-vascular.Também se utilizou informação presente em diversos websites nacionais e internacionais. Conclusões: A doença renal crónica aumenta o risco de desenvolver doença-cardiovascular, em especial a hipertrofia ventricular esquerda, a doença coronária e o acidente vascular cerebral. Também se encontra relacionada com o desenvolvimento de lesões cerebrais, tais como lesões da substância branca, enfartes cerebrais silenciosos e atrofia cerebral. O consumo de pequenas quantidades de álcool...

Doença de Pompe : a propósito de 2 casos clínicos do Hospital Pêro da Covilhã

Silva, Ana Patrícia Gonçalves Sousa e
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.5%
A Doença de Pompe também conhecida como doença de armazenamento do glicogénio tipo II ou deficiência de maltase ácida, pertence a um grupo de doenças lisossomais de sobrecarga, sendo esta a forma mais grave do grupo. Trata-se de uma doença hereditária autossómica recessiva causada por mutações no gene que codifica a α-glicosidase ácida, determinando acumulação lisossomal de glicogénio. A doença de Pompe apresenta-se com um amplo espectro de manifestações clínicas e os sintomas iniciais podem surgir em qualquer idade. Previamente à aprovação, no ano 2006, da terapêutica de reposição enzimática com α-glicosidase ácida recombinante, não existia nenhum tratamento específico para a doença de Pompe. A terapêutica de reposição enzimática revelou-se eficaz e capaz de alterar a história natural da doença, dando uma nova esperança a estes doentes. Este trabalho tem como objetivo rever o estado da arte da Doença de Pompe em Portugal, com especial ênfase à forma tardia desta doença. São abordadas as formas de apresentação, patogénese, métodos de diagnósticos, bem como as atuais recomendações terapêuticas. Para tal é levada a cabo uma revisão da literatura científica mais recentemente publicada e relevante...

Doença de Whipple : um diagnóstico difícil

Fevereiro, Marta Andrade
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
A doença de Whipple é uma doença bacteriana, multissistémica e rara. O agente etiológico é a bactéria Tropheryma whipplei, um bacilo gram-positivo da família das Actinobacterias e do grupo Actinomycetes. Por ser uma doença sistémica, a doença de Whipple tem manifestações clínicas muito variadas com particular envolvimento do intestino delgado, do sistema nervoso central, das articulações e do coração. A forma mais comum de apresentação inicial é na forma de uma doença gastrointestinal manifestando-se como uma síndrome de má absorção com dor abdominal, diarreia e perda ponderal. A obtenção de biópsias do intestino delgado e de outros órgãos acometidos, com base nos sintomas do paciente, constitui a abordagem primária e mais usada de diagnóstico da doença. O tratamento é à base de antibioterapia prolongada, porém o melhor esquema terapêutico ainda não está completamente definido. Para além disso, mesmo quando detetada e adequadamente tratada, a sua evolução clínica tem de ser monitorizada durante a terapêutica, bem como por vários anos após o término desta, de modo a evitar recidivas tardias. Cerca de um século após a sua primeira descrição, a compreensão da doença de Whipple ainda é limitada. No entanto...

Vivendo com a doença de Parkinson

Valcarenghi, Rafaela Vivian
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 248 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2015.; Este estudo teve como objetivo compreender os significados que as pessoas com doença de Parkinson atribuem à vivência da doença. Pesquisa qualitativa que utilizou como referencial metodológico a Teoria Fundamentada nos Dados. O referencial teórico baseia-se nos pressupostos do Interacionismo Simbólico. Os participantes do estudo foram 30 pessoas com doença de Parkinson cadastradas na Associação Parkinson Santa Catarina, e, posteriormente, cinco pessoas com a doença que não participaram da primeira fase da pesquisa atuaram como validadores do modelo teórico proposto. Os dados foram coletados no período de setembro de 2013 a abril de 2014, por meio de entrevistas em profundidade, que foram gravadas e transcritas. A análise ocorreu de acordo com as técnicas de codificação da Teoria Fundamentada nos Dados, que se processa em três etapas: codificação aberta, codificação axial e codificação seletiva. Em relação aos aspectos éticos, o projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal de Santa Catarina (parecer favorável de nº 329.662); teve autorização da Associação para convidar os integrantes cadastrados...

Condições de saúde dos idosos com doença de Parkinson

Baptista, Rafaela
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 119 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
36.5%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2015.; Trata-se de uma pesquisa de abordagem quantitativa e de corte transversal, com análise descritiva e exploratória dos dados, que foi realizada com 50 pessoas idosas com doença de Parkinson integrantes da Associação Parkinson Santa Catarina. Teve como objetivo: conhecer as condições de saúde em relação ao grau de comprometimento causado pela doença, a capacidade funcional, ao estado cognitivo e ao risco de quedas em idosos com doença de Parkinson desse grupo. A coleta de dados foi realizada em agosto e setembro de 2014, sendo iniciada somente após aprovação do projeto no comitê de ética em pesquisa com seres humanos da Universidade Federal de Santa Catarina. Na coleta de dados foram realizados os seguintes passos: agendamento da visita para coleta de dados no domicílio por meio de contato telefônico; apresentação do pesquisador/coletador de dados; explicado os objetivos da pesquisa ao sujeito de pesquisa; explicado o TCLE para cada sujeito e para o familiar/cuidador presente no momento da visita para posteriormente ser assinado. Na seqüência foi aplicado o questionário sociodemográfico que continha variáveis que permitiram identificar: sexo...

Resultado do tratamento da doença de Crohn com anti-fator de necrose tumoral alfa; Outcomes in the treatment of Crohn´s disease with anti tumor necrososis factor-alpha

Malheiros, Anna Paula Rocha
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.5%
A doença de Crohn é uma inflamação crônica do trato gastrointestinal. O tratamento convencional é muitas vezes desapontador. Apesar da variedade de drogas disponíveis para o tratamento da doença inflamatória intestinal, tais como: salicilatos e seus derivados, corticosteróides, antibióticos e imunossupressores, nenhuma destas mostrou ser totalmente eficaz ou definitiva para o tratamento da doença e seus surtos de exacerbação. Pesquisas têm sido desenvolvidas com o objetivo de apresentar drogas mais efetivas. Dentre estas, destacam-se as drogas biológicas. O infliximabe é um anticorpo monoclonal quimérico anti-fator de necrose tumoral alfa e está indicado na doença de Crohn refratária e fistulizante. O objetivo deste estudo visa avaliar prospectivamente os resultados e efeitos colaterais precoces e tardios do uso do anti-TNF alfa no tratamento de 60 doentes com doença de Crohn, no período de julho de 1999 a dezembro de 2005. Os doentes foram tratados com anti-TNF alfa (infliximabe), na dose de 5mg/kg de peso, aplicado por via endovenosa em intervalos de dois meses. A avaliação foi realizada por protocolo clínico que classificava os quesitos: estado geral, sintomas intestinais e doença perianal em melhor, inalterado e pior...

Co-infecção da doença de chagas e da sindrome da imunodeficiencia adquirida : frequencia de casos em acompanhamento, perfil clinico, laboratorial e evolução dos pacientes atendidos no hospital de clinicas da Unicamp

Josue Nazareno de Lima
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2001 PT
Relevância na Pesquisa
36.53%
A tripanosomíase sul-americana, mais conhecida como doença de Chagas, é causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi e é transmitida ao homem, principalmente por insetos hemípteros e por transfusões de sangue e derivados. A doença se distribui geograficamente desde o estado do Texas, ao sul dos Estados Unidos, até o sul da Argentina. Estima-se que na América Latina a infeccão crônica ocorra em 16 a 18 milhões de pessoas. No Brasil essa estimativa é de 3 a 5 milhões. A doença de Chagas se divide em fase aguda e crônica. A fase crônica se classifica em forma indeterminada (50%), cardíaca (30% a 40%), digestiva (7,1% a 18,3%) e outras. A reativação da doença pode ocorrer em indivíduos imunossuprimidos, como tem sido observados em alguns pacientes com a síndrome da imunodeficiência adquirida (aids). A aids é causada pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e transmitida, principalmente, pela via sexual e sanguinea. Surgiu no início dos anos 80 e acomete todos os países do globo. Na América Latina estima-se que a epidemia acometa 1,6 milhões de pessoas. No Brasil essa estimativa é de 597 mil pessoas. Este estudo se propôs a avaliar a freqüência de indivíduos infectados pelo T. cruzi e HIV (co-infecção)...

Prevalência de doença celíaca em pacientes com doenças desmielinizantes do sistema nervoso central

Oliveira, Pérola de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.5%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, 2014.; Esclerose múltipla, neuromielite óptica ou doença de Devic e mielites são desordens inflamatórias, autoimunes e neurodegenerativas que envolvem o sistema nervoso central. A doença celíaca é uma afecção imunomediada caracterizada por intolerância permanente a proteínas contidas no glúten que, em indivíduos geneticamente susceptíveis, resulta em progressivas e graves lesões da mucosa entérica. A coexistência entre doença celíaca e doença desmielinizante do sistema nervoso central é sugerida desde a década de 1960, contudo há poucos trabalhos publicados e os resultados encontrados são conflitantes. O objetivo do presente estudo foi ddeterminar a prevalência de doença celíaca em pacientes com diagnóstico de doença desmielinizante do sistema nervoso central, especificamente, esclerose múltipla, neuromielite óptica e mielites de causa não determinada. Foi realizado estudo de prevalência com pacientes assistidos na Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação com idade igual ou superior a 16 anos, de ambos os sexos, em acompanhamento médico regular no período compreendido entre março de 2012 e setembro de 2013...

Doença de Whipple : um diagnóstico difícil

Fevereiro, Marta Andrade
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
A doença de Whipple é uma doença bacteriana, multissistémica e rara. O agente etiológico é a bactéria Tropheryma whipplei, um bacilo gram-positivo da família das Actinobacterias e do grupo Actinomycetes. Por ser uma doença sistémica, a doença de Whipple tem manifestações clínicas muito variadas com particular envolvimento do intestino delgado, do sistema nervoso central, das articulações e do coração. A forma mais comum de apresentação inicial é na forma de uma doença gastrointestinal manifestando-se como uma síndrome de má absorção com dor abdominal, diarreia e perda ponderal. A obtenção de biópsias do intestino delgado e de outros órgãos acometidos, com base nos sintomas do paciente, constitui a abordagem primária e mais usada de diagnóstico da doença. O tratamento é à base de antibioterapia prolongada, porém o melhor esquema terapêutico ainda não está completamente definido. Para além disso, mesmo quando detetada e adequadamente tratada, a sua evolução clínica tem de ser monitorizada durante a terapêutica, bem como por vários anos após o término desta, de modo a evitar recidivas tardias. Cerca de um século após a sua primeira descrição, a compreensão da doença de Whipple ainda é limitada. No entanto...

Doença renal crónica e a sua relação com doença cardio-vascular

Nascimento, João Francisco Gouveia
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.51%
Introdução: A doença renal crónica tem uma prevalência em constante crescimento, estimando-se cerca de 265 milhões de pessoas em todo o mundo com risco aumentado para desenvolver esta doença. Os doentes renais crónicos no estadio mais avançado da doença apresentam um risco 10 a 30 vezes superior do que a população em geral de morrer por doença cardio-vascular. Objectivos: Aprofundar o conhecimento actual sobre a insuficiência renal crónica e a sua relação com a doença cardio-vascular. Métodos: Pesquisa bibliográfica na base de dados electrónica “PubMed”, com as seguintes palavras-chave: "chronickidneydisease", "glomerular filtration rate", "GFR", "eGFR", como pesquisa para doença renal crónica, e "cardiovascular disease" e "stroke", como pesquisa para doença cardio-vascular.Também se utilizou informação presente em diversos websites nacionais e internacionais. Conclusões: A doença renal crónica aumenta o risco de desenvolver doença-cardiovascular, em especial a hipertrofia ventricular esquerda, a doença coronária e o acidente vascular cerebral. Também se encontra relacionada com o desenvolvimento de lesões cerebrais, tais como lesões da substância branca, enfartes cerebrais silenciosos e atrofia cerebral. O consumo de pequenas quantidades de álcool...

Doença de Crohn : etiologia, patogénese e suas implicações na terapêutica

Ribeiro, Iolanda Cristina Teixeira
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
A doença de Crohn é uma doença inflamatória crónica transmural e segmentar do tracto gastrointestinal, cuja etiologia e patogénese permanecem desconhecidas. Apesar de várias hipóteses terem sido colocadas, considera-se que esta doença resulta da combinação de uma predisposição genética com factores ambientais, alterações na permeabilidade da parede intestinal, perda da tolerância aos antigénios comensais e diminuição da eliminação bacteriana, com a consequente génese e perpetuação dos mecanismos inflamatórios. Várias mutações genéticas estão identificadas, embora ainda não seja totalmente compreendida a sua contribuição para o desenvolvimento da doença de Crohn. Diversas explicações foram propostas, embora controversas. O sistema imunitário é um dos principais intervenientes. As células do sistema imunitário inato, nomeadamente as células dendríticas, respondem de forma inapropriada aos microorganismos comensais com produção de citocinas pró-inflamatórias e consequente activação de células T helper1 e aumento da expressão de moléculas de adesão. O desequilíbrio entre as células TCD4+efectoras e as células T reguladoras é outro dos mecanismos que contribui para a patogénese da doença de Crohn. Diversos microorganismos...