Página 1 dos resultados de 2191 itens digitais encontrados em 0.013 segundos

Desigualdade social e os estudos epidemiológicos: uma reflexão; Social inequality and epidemiological studies: a reflection

Ferreira, Maria Angela Fernandes; Latorre, Maria do Rosario Dias de Oliveira
Fonte: ABRASCO; RIO DE JANEIRO Publicador: ABRASCO; RIO DE JANEIRO
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.5%
Os indicadores sociais se tornaram imprescindíveis no elenco de variáveis dos estudos epidemiológicos a partir da constatação de que a determinação dos agravos à saúde é complexa e multidimensional. Nessa perspectiva, a desigualdade social vem ocupando destaque como um fator explicativo das condições de saúde das populações. O objetivo é discutir as diferentes concepções que norteiam a seleção dos indicadores utilizados nos estudos epidemiológicos e abordar os efeitos psicossociais nos seres humanos acarretados pela desigualdade social. Foi realizada uma revisão da literatura acerca dos estudos epidemiológicos que utilizaram os indicadores de desigualdade social e capital social para uma melhor compreensão dos problemas de saúde, bem como uma investigação no campo da sociologia e da psicologia social. De acordo com a pesquisa pode-se constatar que há controvérsias sobre o efeito da desigualdade social na saúde humana pelo fato desses indicadores serem baseados, majoritariamente, pela renda e capacidade de consumo dos indivíduos. Da mesma forma, os indicadores de capital social em nível cognitivo e estrutural são muito limitados para compreender o dinamismo das relações sociais. Nesse sentido, são necessários mais estudos para a construção de indicadores sociais que contemplem a complexidade das sociedades modernas.; Social indicators are now indispensable in the list of variables of epidemiological studies...

Luta por reconhecimento e desigualdade social : uma análise da experiência dos catadores da Asmare em Belo Horizonte (MG)

Pereira, Maria Cecília Gomes
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.28%
Esta dissertação discute a dinâmica de luta dos catadores da Asmare em Belo Horizonte (MG)e seus possíveis desdobramentos em políticas públicas para esse grupo social. Parte-se da ideia de luta e conflito social, recorrendo-se às discussões de luta por reconhecimento de Axel Honneth, apontando os limites e possibilidades do uso dessa abordagem no contexto brasileiro em face da elevada desigualdade social. A investigação foi realizada a partir de um estudo de caso longitudinal, com recorte temporal de 1987 a 2010. Foram feitas entrevistas em profundidade, conversas espontâneas e observações. Como método de análise foi adotada a leitura de narrativas. A partir das múltiplas vozes presentes nas narrativas dos entrevistados, observa-se que a luta dos catadores da Asmare foi repleta de idas e vindas, contradições e conflitos. Nas narrativas dos catadores foram evidenciadas diferentes formas de desrespeitos e reconhecimento recusado, bem como expectativas morais de reconhecimento. Foram alcançadas reivindicações junto ao poder público local, como a construção de uma política de apoio ao trabalho desse grupo que, ao longo dos anos, foi passando por reconfigurações e mais recentemente por uma inflexão, que acirrou os conflitos entre poder público e Asmare.

Desigualdade social e pobreza: contexto de vida e de sobrevivência

Euzébios Filho,Antonio; Guzzo,Raquel Souza Lobo
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
76.34%
O objetivo desta pesquisa foi compreender como um jovem de 22 anos retrata sua condição de vida, as razões que explicam a desigualdade social e quais perspectivas para melhorias futuras. Os resultados mostram que a desigualdade social foi refletida a partir das suas próprias experiências, principalmente, pelas diferenças econômicas observadas em seu cotidiano. Sobre o futuro, limita-se aos aspectos imediatos da sua realidade. Para o participante, a conquista de uma vida melhor é uma tarefa complexa, devido às dificuldades econômicas que se impõem no dia a dia, e cabe ao sujeito superá-las por meio da ação individual, não necessariamente coletiva.

Psicologia e desigualdade social: uma reflexão sobre liberdade e tranformação social

Sawaia,Bader Burihan
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.31%
Por trás da desigualdade social há sofrimento, medo, humilhação, mas há também o extraordinário milagre humano da vontade de ser feliz e de recomeçar onde qualquer esperança parece morta. A Psicologia tem o dever de resguardar essa dimensão humana nas análises e intervenções sociais, desmentindo as clássicas imagens dos desvalidos contentando-se em se conservarem vivos. Assim, ela colabora com o aperfeiçoamento de políticas sociais, evitando mecanismos de inclusão social perversa. A concepção de afeto de Espinosa e a de liberdade de Vigotski são pressupostos importantes: um afeto que é a base da ética e da política; uma liberdade que exige a ação coletiva e não se confunde com livre-arbítrio, tendo por base a criatividade e a imaginação. Nessa perspectiva, um dos desafios do combate à desigualdade social é elucidar o sistema afetivo/criativo que sustenta a servidão nos planos (inter)subjetivo e macropolítico, para planejar uma práxis ético/estética de transformação social.

Negociando com a adversidade: reflexões sobre "raça", (homos)sexualidade e desigualdade social no Rio de Janeiro

Moutinho,Laura
Fonte: Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.23%
O objetivo deste artigo é discutir como a dinâmica dos afetos e prazeres se cruza com a desigualdade social no circuito GLS carioca. Mais especificamente, será abordada parte da trajetória de vida de dois jovens homossexuais negros que vivem no subúrbio carioca e de um que vive na favela da Maré. O trabalho de campo evidenciou que nesse contexto os homossexuais masculinos mais escuros que moram nos subúrbios e nas favelas do Rio de Janeiro possuem um campo de manobra mais amplo do que aqueles nos quais se inserem rapazes e moças heterossexuais da região e, mesmo, as lésbicas e travestis de diferentes cores que habitam essas áreas.

Desigualdade social e os estudos epidemiológicos: uma reflexão

Ferreira,Maria Angela Fernandes; Latorre,Maria do Rosário Dias de Oliveira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.46%
Os indicadores sociais se tornaram imprescindíveis no elenco de variáveis dos estudos epidemiológicos a partir da constatação de que a determinação dos agravos à saúde é complexa e multidimensional. Nessa perspectiva, a desigualdade social vem ocupando destaque como um fator explicativo das condições de saúde das populações. O objetivo é discutir as diferentes concepções que norteiam a seleção dos indicadores utilizados nos estudos epidemiológicos e abordar os efeitos psicossociais nos seres humanos acarretados pela desigualdade social. Foi realizada uma revisão da literatura acerca dos estudos epidemiológicos que utilizaram os indicadores de desigualdade social e capital social para uma melhor compreensão dos problemas de saúde, bem como uma investigação no campo da sociologia e da psicologia social. De acordo com a pesquisa pode-se constatar que há controvérsias sobre o efeito da desigualdade social na saúde humana pelo fato desses indicadores serem baseados, majoritariamente, pela renda e capacidade de consumo dos indivíduos. Da mesma forma, os indicadores de capital social em nível cognitivo e estrutural são muito limitados para compreender o dinamismo das relações sociais. Nesse sentido, são necessários mais estudos para a construção de indicadores sociais que contemplem a complexidade das sociedades modernas.

Pobreza, desigualdade e políticas públicas: caracterizando e problematizando a realidade brasileira

Silva,Maria Ozanira da Silva e
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Serviço Social e Curso de Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Programa de Pós-Graduação em Serviço Social e Curso de Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.48%
Este artigo traz reflexões sobre as categorias pobreza, desigualdade e exclusão social como referências teóricas para analisar a política social. Traz com destaque as categorias pobreza e desigualdade para resgatar a implantação e o desenvolvimento das políticas públicas de corte social no Brasil. Para tanto, considera o quadro social brasileiro e os programas sociais direcionados, historicamente, para o enfrentamento da pobreza no país. Nesse contexto, enfatiza a conjuntura recente com indicação do declínio nos índices de pobreza e desigualdade social e da elevação dos recursos orçamentários para financiamento dos programas sociais, mormente após a Constituição Federal de 1988. Desenvolve uma problematização sobre os programas sociais implementados no Brasil para enfrentamento da pobreza e da desigualdade social, apontando seus limites e a centralidade dos programas de transferência de renda para a proteção social.

O eu a partir do outro: a concepção de desigualdade social elaborada por adolescentes da classe popular de Recife a partir da série "Cidade dos Homens"

Valéria Silva de Melo, Taciana; Maria Junqueira, Lília (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.46%
O interesse pelo presente estudo é resultante de uma vida acadêmica rodeada por inúmeras discussões sobre desigualdade social , e de minha participação como bolsista na pesquisa financiada pelo CNPq/PIBIC intitulada O Personalismo na Reprodução da Desigualdade Social: o tema da imigração n as telenovelas , coordenado pela Professora Lília Junqueira, e, justifica-se para a Sociologia no sentido de permitir pensar questões cruciais para a melhor compreensão da vida em sociedade, pois visa analisar como se dão às representações da classe popular de Recife acerca da desigualdade social brasileira, e, principalmente, através das representações, observar como se dá o acesso aos serviços básicos de educação e saúde, cidadania, eqüidade e, sobretudo, dignidade e reconhecimento social. Para cumprir a este fim, investigou-se 20 adolescentes das classes baixa e média de Recife, estudantes do Centro Interescolar Santos Dumont, situado em Boa Viagem, a partir das técnicas de pareamento de palavras e entrevistas semidirigidas. A partir dos resultados, concluiu-se que a compreensão da desigualdade social brasileira não se apóia simplesmente na divisão da sociedade em ricos e pobres, mas na classificação dos sujeitos em brancos e negros...

Manifestações da desigualdade educacional na América Latina: o recrudescimento do círculo vicioso da pobreza

Ibias, Marcos Vinícius Guterres
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
56.49%
Esta dissertação tem como objetivo analisar como a desigualdade social se expressa na América Latina, dado que desde seu processo de formação o problema se mantém na região. Nesse sentido, foram escolhidas a pobreza e a desigualdade educacional como expressões de análise para verificar de que forma suas lógicas de ação se refletem em desigualdade social. O estudo foi limitado a um determinado espaço geográfico, América Latina e a um intervalo de tempo década de 90 e os primeiros anos do século XXI, momento caracterizado por ajustes estruturais nas economias da região. No desenvolvimento desta pesquisa, verificou-se, que, a desigualdade educacional existente na região, reflete-se sobre o mercado de trabalho gerando uma disparidade de rendimentos, criando círculo perverso em torno da pobreza e da desigualdade social. Em vista disso, tem-se na redução da desigualdade educacional um instrumento capaz de promover a redução da pobreza, e conseqüentemente ir de encontro a uma sociedade com eqüidade.; This dissertation has as objective to analyze as the social if express inaquality in Latin America, that since its process of formation the problem if keeps in the region. In this direction, the poverty and the educational inequality had been chosen as expressions of analysis to verify of that it forms its logics of action if they reflect in social inaquality. The study it was limited to one determined geographic space...

Desigualdade social vs ordenamento do território e educação em Cabo Verde

Bonifácio, Evangelina; Lopes de Azevedo, Maria; Alves, Celina
Fonte: Ediciones da Universidad de Salamanca Publicador: Ediciones da Universidad de Salamanca
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
66.32%
Livro de vários autores coordenado por José María Hernández Díaz (Universidade Salamanca) e Eugénie Eyeang (École Normale Supérie de Libreville - Gabón).; Este texto, que agora se apresenta, resulta de um trabalho final desenvolvido no âmbito da conclusão da licenciatura em sociologia, na Universidade do Mindelo, em Cabo Verde, no limite temporal de 2000 a 2010, sobre desigualdade social VS ordenamento do território, e através do qual se pretendia encontrar respostas capazes de apontar para as causas da problemática das desigualdades relacionadas com o ordenamento do território em S. Vicente - Cabo Verde, partindo da seguinte questão: Em que medida a desigualdade social influencia no ordenamento do território?

A desigualdade social no nordeste metropolitano : análise do período 1981 a 2008; The inequality in Northeast metropolitan : analysis of the period 1981 to 2008

Josiane Fachini Falvo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.42%
O estudo analisa a evolução, no período de 1981 a 2008, da desigualdade social nas metrópoles nordestinas de Salvador, Recife e Fortaleza. Inicialmente são discutidos os principais determinantes estruturais das disparidades sociais no Brasil: a concentração fundiária, a estrutura do mercado de trabalho e a natureza das políticas sociais e regionais. O panorama nacional dá suporte à apresentação dos desequilíbrios e das potencialidades da macrorregião nordestina, assim como as especificidades de suas metrópoles, localidades detentoras de relativo atraso no desempenho econômico e grande dívida social, em simultâneo à presença de modernos polos de dinamismo. As políticas de fomento das décadas de 1960 e de 1970 estimularam o desenvolvimento do setor industrial metropolitano; e a partir de 2004, a maior cobertura dos programas sociais, a valorização real do salário mínimo e a maior formalização do mercado de trabalho contribuíram para o desenvolvimento social. A proposta é iniciar uma nova fase de desenvolvimento distributivo, que consista na promoção planejada de desenvolvimento econômico e social. O comportamento da desigualdade social no Nordeste metropolitano é identificado por meio da análise da estrutura sócio-ocupacional...

A desigualdade social no acesso à justiça e a reforma do Judiciário

Lourenço, Gabrielle Beatriz Beiró
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.36%
Trabalho sobre a desigualdade social no acesso à justiça e a reforma do judiciário, contextualizado sob dois pilares: (1) um esboço estratégico de um problema delimitado em descritores compostos de causas e conseqüências (Desigualdade Social no Acesso à Justiça) e a respectiva negativação dos descritores (Reforma do Judiciário), que se perfaz sob o (2) pilar da teoria tridimensional de Miguel Reale, ou seja, fato – valor – norma, para a mudança do cenário problemático apontado. Tal contextualização tem por fim construir uma lógica para o efetivo acesso à justiça, reposicionando os cidadãos e a atuação do Estado no processo macro da justiça.; Work about the social inequality in access at justice and the Judiciary Reform, contextualized above two pillars (1) a strategic outline of a delimited problem in describers compound by causes and consequences (The Social inequality in Access at Justice) and the respective invalidation of the describers (Judiciary Reform), that to make up above the (2) pillar of three-dimensional theory of Miguel Reale, in other words, fact – value – rule, for the change of the problematical scene observed. In such contextualization has the finality to build logic for the democratizing of access at justice...

Criminalidade e desigualdade social; Texto para Discussão (TD) 967: Criminalidade e desigualdade social; Criminality and social inequality

Mendonça, Mário Jorge Cardoso de; Loureiro, Paulo Roberto Amorim; Sachsida, Adolfo
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.4%
Este trabalho tem como objetivo lançar luz sobre a questão da criminalidade no Brasil. Muito se tem comentado acerca do impacto que fatores sociais poderiam ocasionar sobre o fenômeno da criminalidade sem, no entanto, apontar o mecanismo pelo qual essa variável atua. A nossa tese é de que o agente possui um consumo referencial imposto pelos padrões da sociedade. A partir disso, surge um componente gerado pela insatisfação decorrente do consumo não satisfeito. Utilizando, então, a análise elaborada por Becker (1968), dentro de um contexto de maximização intertemporal, é possível demonstrar que a renda exigida pelo agente, para ficar fora da criminalidade, aumenta por uma quantidade diretamente relacionada com o seu grau de insatisfação. A tarefa, a seguir, foi testar a influência que a desigualdade social tem sobre o fenômeno da criminalidade, com base na metodologia de dados em painel, para os estados brasileiros no período 1987-1995. O uso desse método permite obter estimadores que levam em conta a heterogeneidade existente entre as unidades da federação. Foi possível observar que a desigualdade social, representada pelo índice de Gini, tem efeito positivo sobre a criminalidade.; 20 p.

Política Social no Brasil contemporâneo: velhas essências sob novos rótulos

Alves, Getúlio Henrique Ferreira
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES Publicador: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 23/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.21%
O objetivo deste artigo consiste em questionar se as ações propostas pelo dito neodesenvolvimentismo implicaram em rupturas com a dogmática neoliberal ou se trata de um novo rótulo recheado com a velha essência econômica conservadora? Para tanto, foram analisados os dados, da última década, acerca do crescimento do PIB e do PIB per capita, evolução do gasto social e seus impactos na redução da pobreza e da desigualdade social. Com base nisso, conclui-se que as ações em curso em nada justificam o rótulo de novo. Ao contrário, seguem sacrificando recursos sociais – principalmente os da seguridade social – em prol da rolagem da dívida pública brasileira, mascaram a real estatística da pobreza e mantém uma carga tributária regressiva, que limita uma redistribuição efetiva de renda.

Contradições acerca da redução da desigualdade social no Brasil

Soares, Marcos Antonio tavares; da Costa, Andréa Braz
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES Publicador: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.4%
O presente artigo analisa a questão da redução da desigualdade no Brasil no período que vai de 1990 até 2007. O objetivo é contribuir para compreensão do paradoxo acerca da redução da desigualdade num contexto de precarização do trabalho ao mesmo tempo em que as análises de organismos nacionais e internacionais como também de acadêmicos do mainstream afirmam que no país ocorreu redução da desigualdade de renda. Para tanto foi realizada uma análise dos dados sobre distribuição da renda do trabalho (PNAD/ IBGE) e da distribuição funcional da renda (IPEA). O resultado da investigação revelou que entre os anos de 1990 a 2003, ocorreu uma maior concentração de renda a favor do capital. Com relação à distribuição da renda do trabalho, observou-se a redução da distância entre os estratos sociais, com expansão dos estratos sociais de renda mais baixa. 

Pauperização Relativa, Desigualdade Social e a "Questão Social"contemporânea.

Meirelles, Giselle Ávila Leal de
Fonte: Temporalis Publicador: Temporalis
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares; Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.31%
Este artigo procura demonstrar a importância conceitual de pobreza relativa para o escopo teórico-metodológico do Serviço Social, no que se refere à análise sobre a “questão social” na perspectiva crítico-dialética. Defendemos a tese de que os processos de acirramento da desigualdade social e de pauperização da população latino-americana e brasileira vem sendo escamoteados pela desconsideração da pobreza relativa enquanto critério necessário para a compreensão ampliada das relações sociais de produção capitalistas. O recorte metodológico da presente análise articula a precarização do trabalho e o desmonte das políticas sociais de caráter universalizante no período contemporâneo, mais especificamente na primeira década do século XXI.

Negociando com a adversidade: reflexões sobre “raça”, (homos)sexualidade e desigualdade social no Rio de Janeiro; Negotiating with Adversity: Discussion on “Race”, (Homo)Sexuality and Social Inequality in Rio de Janeiro

Moutinho, Laura; Universidade Federal do Rio de Janeiro
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2006 POR
Relevância na Pesquisa
66.28%
http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2006000100007O objetivo deste artigo é discutir como a dinâmica dos afetos e prazeres se cruza com a desigualdade social no circuito GLS carioca. Mais especificamente, será abordada parte da trajetória de vida de dois jovens homossexuais negros que vivem no subúrbio carioca e de um que vive na favela da Maré. O trabalho de campo evidenciou que nesse contexto os homossexuais masculinos mais escuros que moram nos subúrbios e nas favelas do Rio de Janeiro possuem um campo de manobra mais amplo do que aqueles nos quais se inserem rapazes e moças heterossexuais da região e, mesmo, as lésbicas e travestis de diferentes cores que habitam essas áreas.; The aim of this article is to discuss how the affection and pleasure dynamics intersect with the social inequality in the gay and lesbian circuit in Rio de Janeiro city. Part of the life trajectory of two young black homosexuals living in the carioca suburbs, and one living in Maré slum, will be more particularly approached. The field work emphasized that, in this context, the darker male homosexuals living in suburbs and slums in Rio de Janeiro have a broader range of action than those in which young heterosexual male and female and even lesbians and transvestites of different color living in these areas are inserted.

Desigualdade social e os estudos epidemiológicos: uma reflexão

Ferreira,Maria Angela Fernandes; Latorre,Maria do Rosário Dias de Oliveira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.46%
Os indicadores sociais se tornaram imprescindíveis no elenco de variáveis dos estudos epidemiológicos a partir da constatação de que a determinação dos agravos à saúde é complexa e multidimensional. Nessa perspectiva, a desigualdade social vem ocupando destaque como um fator explicativo das condições de saúde das populações. O objetivo é discutir as diferentes concepções que norteiam a seleção dos indicadores utilizados nos estudos epidemiológicos e abordar os efeitos psicossociais nos seres humanos acarretados pela desigualdade social. Foi realizada uma revisão da literatura acerca dos estudos epidemiológicos que utilizaram os indicadores de desigualdade social e capital social para uma melhor compreensão dos problemas de saúde, bem como uma investigação no campo da sociologia e da psicologia social. De acordo com a pesquisa pode-se constatar que há controvérsias sobre o efeito da desigualdade social na saúde humana pelo fato desses indicadores serem baseados, majoritariamente, pela renda e capacidade de consumo dos indivíduos. Da mesma forma, os indicadores de capital social em nível cognitivo e estrutural são muito limitados para compreender o dinamismo das relações sociais. Nesse sentido, são necessários mais estudos para a construção de indicadores sociais que contemplem a complexidade das sociedades modernas.

Possibilidades da pesquisa para o serviço social na área da saúde

Moraes, Carlos Antonio de Souza
Fonte: Serviço Social & Saúde Publicador: Serviço Social & Saúde
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 10/06/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.21%
O artigo constrói reflexões referentes à pesquisa para o Serviço Social direcionado a área da saúde. No primeiro momento, trabalha com as categorias desigualdade social e saúde, problematiza as mediações do processo saúde – doença e constrói uma definição ampliada de saúde. Em seguida, analisa possibilidades e apresenta indicações para a pesquisa no Serviço Social a partir da discussão anterior. Por fim, indica que a pesquisa pode se tornar instrumento estratégico para atuação profissional, sugerindo a necessidade de romper os marcos do academicismo e até mesmo trabalhando em uma perspectiva multidisciplinar. 

Desigualdade de acesso entre diferentes etnias de pacientes com HIV/AIDS

Campos, Aparecida do Carmo Miranda; Camilo, Maria Virginia Righetti Fernandes; Corrêa, Márcia Cristina Gimenez; Lima, Camila Ávila de; Ribeiro, Eliane; Aoki, Francisco Hideo
Fonte: Serviço Social & Saúde Publicador: Serviço Social & Saúde
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Entrevista semi-estruturada Formato: application/pdf
Publicado em 20/02/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.28%
Dentre os vários objetivos estabelecidos no presente estudo, este em questão se refere a análise de acessibilidade da população negra em comparação com a população branca quanto à prevenção, diagnóstico e tratamento do HIV/AIDS e DST. Abrangem soropositivos masculinos e femininos, de etnia negra e branca, maiores de 18 anos, acompanhados no serviço de HIV/AIDS na UNICAMP. Utiliza entrevista semiestruturada. Resultados indicam desigualdade social entre negros e brancos: menor acesso a escolaridade, a renda e acessibilidade aos serviços de saúde dificultada pelo diagnóstico tardio, realizado em grande parte via internação. Abstract: In this present study proposal, considered many aspects in the research, is to analysis of the afro American population accessibility, compared to the white population in terms of prevention, diagnosis and treatment of HIV/AIDS and STD’s. The research did include seropositive male and female, comparing patients of afro american and white ethnics, of 18 years age up, accompanied and the HIV/AIDS Service of this institution. In the research semi-structured interviews was utilised on afro american and white population with HIV/AIDS. The results showed social inequality between afro american and white population...