Página 1 dos resultados de 11835 itens digitais encontrados em 0.018 segundos

Sonangol : o petróleo e a estratégia de desenvolvimento económico em Angola

Rodrigues, Rui Duarte Abano
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.25%
Dissertação de Mestrado em Gestão/MBA apresentada à Universidade Aberta; Este trabalho de investigação tem como objetivo, analisar a dependência petrolífera de Angola e as implicações que tal facto pode ter para o seu desenvolvimento económico, bem como estudar a estratégia que tem vindo a ser adotada pelo país, por intermédio da Sonangol, com vista ao desenvolvimento económico e social, perspetivando qual o modelo de desenvolvimento expectável para o país, nesta vertente. A metodologia utilizada foi sobretudo a análise documental, consubstanciada na análise de diversos relatórios económicos e financeiros publicados por diversas agências internacionais, bem como na análise de diversos artigos especializados nestas matérias. Foram ainda realizadas várias entrevistas a altos responsáveis pela tomada de decisão e política de desenvolvimento relacionadas com esta temática, no país. O setor petrolifero representa atualmente 57% do PIB angolano, 80% das receitas, e 97% das exportações. Angola produz hoje cerca de 1.7 milhões de barris de petróleo por dia, sendo o número 2 em África, no que concerne à produção de petróleo.1 Não admira, por isso, que o setor petrolífero continue a ser uma das áreas que mais tem impulsionado o crescimento económico em Angola. De acordo com o Orçamento de Estado dos últimos cinco anos...

A construção do objeto teórico das teorias do desenvolvimento econômico

Silva, Danilo Freitas Ramalho da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.24%
Este trabalho tem como tema as teorias do desenvolvimento econômico, área da economia que ficou conhecida pelo estudo dos países subdesenvolvidos no período compreendido entre a Segunda Guerra Mundial e o final da década de 1970. Sua finalidade é recuperar as principais idéias dessas teorias de forma a entender a construção de seu objeto teórico e, assim, interpretar a sua relevância para o estudo dos países subdesenvolvidos (em desenvolvimento) nos dias de hoje, como proposto por Krugman (1992). Para essa tarefa foram selecionados textos clássicos de quatro autores representativos das teorias do desenvolvimento econômico, com o intuito de abranger as idéias fundamentais dessas teorias; quais sejam eles: Paul Rosenstein-Rodan, Arthur Lewis, Albert Hirschman e Raúl Prebisch. Suas idéias serão analisadas e interpretadas com o auxílio de textos suplementares que têm como objetivo inseri-las no contexto na qual foram formuladas. Chegar-se-á à conclusão de que as teorias do desenvolvimento econômico constituem um corpo teórico à parte do núcleo da teoria econômica tradicional e que a construção de seu objeto teórico de investigação se dá através da rejeição do arcabouço da teoria econômica tradicional. Isso porque os países subdesenvolvidos apresentariam características sui generis que os legitimariam como objeto de estudo diferente dos países desenvolvidos e...

Teoria furtadiana de desenvolvimento econômico e a ordem econômica constitucional brasileira; Teoria di Furtado sullo sviluppo economico e ordine econômico costituzionale brasiliano.

Gelcer, Daniel Monteiro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.19%
A presente dissertação tem por objetivo fazer uma análise das teorias furtadianas de desenvolvimento econômico para a compreensão dos problemas estruturais do Brasil como um país subdesenvolvido, a relação dualista entre centro e periferia e as raízes históricas destes problemas. A partir da compreensão das teorias desenvolvimentistas furtadianas, o presente trabalho traz uma análise da nossa Ordem Econômica Constitucional, fazendo uma crítica ao pensamento econômico neoliberal, que atualmente domina os debates no cenário brasileiro e mundial, demonstrando a atualidade do pensamento furtadiano e sua importância para o entendimento do desenvolvimento econômico que se encontra como norma em nossa Constituição. Tendo em vista que um dos principais pontos abordados na teoria furtadiana é o atraso tecnológico do Brasil, trataremos das políticas de inovação tecnológica, desde a sua matriz constitucional até as políticas efetivamente concretizadas por meio de leis e normas infralegais; The present dissertation aims to analyze Furtados theories of economic development in order to comprehend the Brazilian structural problems as an underdeveloped country, the dualistic relationship between center and periphery, and the historical roots of these problems. From the understanding of Furtados economic development theories...

Desenvolvimento Econômico e Revolução Capitalista

Pereira, Luiz Carlos Bresser
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Relevância na Pesquisa
66.24%
Desenvolvimento Econômico ou Crescimento Econômico Só Pode ser Compreendido a Partir de uma Perspectiva Histórica como o Processo de Acumulação de Capital Personificando o Progresso Tecnológico que Melhora os Padrões de Vida. Definido Nestes Termos o Desenvolvimento Econômico é um Processo Histórico e Econômico que é Parte da Revolução Capitalista. o Desenvolvimento Econômico, Assim como as Nações, o Estado Moderno e os Estados-Nação são Resultado Desta Mudança Estrutural Tectônica, que foi Formada por Três Sub-Revoluções a Revolução Comercial, a Nacional e a Industrial. de Acordo com Essa Perspectiva, Poderemos Distinguir Quatro Modelos ou Padrões Históricos de Desenvolvimento, Dois Referentes Aos Países Hoje Ricos (Desenvolvimento Original e Desenvolvimento Atrasado), e Dois Aos Países em Desenvolvimento (Desenvolvimento Autônomo e Desenvolvimento Nacional-Dependente), Tendo como Exemplos, Respectivamente, a Inglaterra, a Alemanha, a China e o Brasil.

Desenvolvimento econômico brasileiro: estratégias de desenvolvimento econômico no segundo governo Vargas e no governo Kubitschek

Abdala, André
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 87 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.21%
TCC (Graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico. Curso de Graduação em Ciências Econômicas.; Neste trabalho foi feita uma análise ex post fato do desenvolvimento econômico brasileiro, entre o interregno 1951-1960 – período entre os Governos de Getúlio Vargas e de Juscelino Kubitschek, em que foram realizadas estratégias de desenvolvimento econômico distintas – para identificar os problemas de formação do capital intensivo na industrial nacional e como se deu o progresso técnico desta. Com isso, será possível compreender as patologias que dificultaram a indústria brasileira obtivesse um elevado nível de capital intensivo – máquinas e equipamentos – mais independente do capital externo. Mas para esse entendimento foi abordado, primeiramente, o processo substitutivo de importações e suas implicações no período na formação do capital intensivo (bens de capital). Posteriormente, foram tratadas as diferenças entre a estratégia de desenvolvimento econômico de Getúlio Vargas e de Juscelino Kubitschek para que o leitor possa compreender quais foram os entraves até atingir o êxito nas medidas de política econômica mirando a consecução plena do desenvolvimento econômico no período estudado.

O papel da inovação no desenvolvimento econômico: uma revisão da literatura Schumpeteriana e Neoschumpeteriana

Wagner, Diego
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 63 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.21%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.; O presente estudo teve como objetivo identificar o papel da inovação no desenvolvimento econômico do sistema capitalista. Para tal, é realizado uma revisão da literatura Schumpeteriana e Neoschumpeteriana, que tratam a dinâmica do sistema capitalista, como resultados de modificações no processo produtivo. Assim expondo a visão de Schumpeter sobre o processo inovativo, enfatizando a questão do desenvolvimento econômico, verifica-se que o mesmo é gerado a partir de ciclos econômicos que, por sua vez, são ocasionados pelas inovações. Num contexto mais atual, discute-se as concepções sobre as inovações na perspectiva evolucionista, onde se enfatiza a questão tecnológica como incentivo para a eficiência dos agentes produtivos e para a construção de vantagens competitivas. Analisam-se também, os sistemas inovativos estimulados pelo Estado, onde se discute a questão das aglomerações industriais, dando suporte ao desenvolvimento de novas tecnologias, através de cooperação múltipla entre empresas e outras entidades. Assim, conclui-se com base na revisão bibliográfica que a inovação tem um caráter estimulador do desenvolvimento econômico...

Transporte rodoviário de carga e desenvolvimento econômico no Brasil : uma análise descritiva; Load road transportation and economic development in Brazil : a description analysis

Gomes, Ricardo Almeida
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.19%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, 2006.; No Brasil, a ênfase da análise do transporte rodoviário vem se consolidando desde a década de 50, associada à implantação da indústria automobilística no país e às necessidades de interiorização e integração do território nacional. Em se tratando do transporte de cargas, o modo rodoviário é responsável por mais de 60% do total de carga transportada no país Esta preferência acarretou o desequilíbrio da matriz de transportes no Brasil, e originando diversos entraves de ordem logística e econômica no país. A escassez de investimentos e o desenvolvimento desigual das diversas regiões brasileiras fizeram com que o desenvolvimento do transporte rodoviário de cargas no Brasil não ocorresse de forma homogênea. Desta forma, o desenvolvimento econômico e social foi determinado pela demanda derivada pelo transporte, originada nas regiões produtivas e nas regiões que demandam estes produtos. O Estado tenta suprir a demanda investindo em infra-estrutura, embora o planejamento não acompanhe o aumento neste setor, originado pela evolução da economia. Os ciclos da economia brasileira tiveram forte influência nesta relação contribuindo para o desenvolvimento econômico e social de determinadas regiões além de determinar as prioridades das políticas públicas para o setor de transportes. O presente trabalho visa à análise descritiva e inferencial do desenvolvimento do transporte de rodoviário de cargas e sua influência em setores econômicos específicos. Para isto...

Formação de mão-de-obra e desenvolvimento econômico : o caso da indústria de São Luís-MA

Polary Pereira, Ilmar; Alves de Lima, Roberto (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.19%
Avanços da formação de mão-de-obra no desenvolvimento econômico mundial, são aqui examinados. De forma histórica cronológica evidenciou-se os diversos níveis de exigência do perfil da força de trabalho como pré-requisito de eficiência Industrial e seus reflexos na economia. O trabalho discute tendências no Brasil sobre o tema formação de mão-de-obra e desenvolvimento econômico, considerando-se uma perspectiva histórica do crescente impulso ao desenvolvimento das forças produtivas ocorridas entre 1930 e 1980, depois de 1980 a 1990 e por último de 1990 a 1999. É também relatada uma análise sócio-econômica do Maranhão e mais especificamente de São Luís-MA, onde foi realizado pelo autor pesquisa de campo envolvendo 1043 indústrias, distribuídas em 22 (vinte e dois) ramos de atividade econômica, para investigar a relação entre formação de mão-de-obra e desenvolvimento econômico e, dar suporte ao referencial teórico. Nas conclusões do trabalho, onde são confrontadas as hipóteses levantadas e os objetivos traçados, confirma-se a estreita relação consagrada na literatura entre formação de mão-de-obra e desenvolvimento econômico

Visões do desenvolvimento

Barbosa, Daniel Pereira
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
76.09%
Resumo: O estudo do desenvolvimento tem como objetivo entender as causas de por que a maioria dos países não consegue um crescimento sustentado de sua renda e dos seus padrões de vida. A presente Dissertação busca discutir duas visões importantes sobre o Desenvolvimento Econômico. Analisam-se as idéias neoinstitucionalistas de Douglass North e as estruturalistas de Celso Furtado, o apresentando o papel as instituições nos dois autores e buscando-se realçar que apesar da aparente divergência, elas têm importantes pontos em comum, e mais, podem ser complementares expondo importantes elementos sobre a problemática do desenvolvimento nacional das economias subdesenvolvidas. Além disso, destacamos quais as especificidades dos países subdesenvolvidos não abrangidas pela teoria neo-institucionalista e mostramos, brevemente, como se desenvolveu uma literatura “macro-econométrica institucionalista” a partir das idéias de North e como a análise de Furtado pode contribuir para essa discussão. Para isso, o texto divide-se em três partes: na primeira aborda-se o papel do Estado e sua interação com as instituições nas duas visões; em seguida, são apresentadas as bases teóricas da análise neo-institucionalista e também a literatura empírica que se seguiu; a terceira parte trata da visão de Celso Furtado sobre o desenvolvimento...

Estratégias de desenvolvimento do Brasil e da China

Oliveira Júnior, Alcides Mário Amaral de
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
76.13%
Resumo: Este trabalho visa analisar as estratégias de desenvolvimento econômico de longo prazo, observando as experiências do Brasil e da China. O mundo era diferente três décadas atras. A economia do Brasil era maior do que a da China. Os anos de 1980 marcaram uma trajetória diferente entre estes dois países. A China cresceu nas últimas três décadas a taxas médias de 8% enquanto o Brasil ficou com uma média de 3% no mesmo período. O objetivo do presente trabalho é analisar quais os motivos desta diferença de estratégias que adotaram o Brasil e a China neste período. Os anos 1980 marcam a mudança de estratégia de desenvolvimento econômico do Brasil e da China. Em 1978 a China implantou uma série de reformas que permitiram a mudança de uma estratégia de desenvolvimento socialista para uma estratégia de industrialização via exportações de manufaturados. O Brasil, que passava por um processo de industrialização via substituição de importações nas décadas anteriores, inicia uma trajetória de esenvolvimento mais liberal após a estabilização de 1994, penalizando o crescimento da indústria no longo prazo. O Brasil claramente foi influenciado pelas políticas conhecidas como políticas do “Consenso de Washington” propostos pelo Banco Mundial e o FMI no inicio dos anos 1990. As dez políticas foram ampliadas nos anos seguintes para reduzir a vulnerabilidade externa e incorporar políticas de combate a miséria. A China não adotou as dez políticas iniciais propostas pelo “Consenso de Washington” e retardou políticas como a privatização das empresas públicas que tem grande importância no projeto nacional. O modelo de estratégia da China foi denominado como “Consenso de Pequim” em oposição ao conjunto de medidas denominado “Consenso de Washington”.

Dois ensaios sobre instituições e desenvolvimento econômico no Brasil

Pereira, Ana Elisa Gonçalves
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
86.14%
Resumo: Entender quais são as variáveis relevantes na determinação da renda de uma economia e de que forma essas variáveis se relacionam é fundamental, sobretudo como forma de embasar políticas futuras. A literatura que aborda o crescimento e desenvolvimento econômico ressalta que o investimento em capital físico, capital humano e tecnologia são essenciais para atingir níveis elevados de desenvolvimento. Tem-se ressaltado, também, a importância das instituições políticas e econômicas sólidas neste processo. Surge, portanto, a iniciativa de se relacionar estas variáveis. Ao lançar luz sobre as inter-relações entre acumulação de capital físico e humano, produtividade e qualidade das instituições, pode-se apontar de que forma as instituições são capazes de contribuir para a elevação do padrão de vida das sociedades por meio do aumento do nível de produto per capita. Tendo isso em vista, esta dissertação realiza uma contabilidade do produto dos municípios brasileiros e procura mensurar o efeito da qualidade das instituições sobre o produto e seus componentes (intensidade de capital físico, estoque de capital humano e produtividade), pelo método de Mínimos Quadrados em Dois Estágios, a fim de evitar a possível causalidade reversa entre instituições e desenvolvimento. Os resultados deste primeiro ensaio indicam que as instituições são relevantes na determinação dos díspares níveis de produto per capita municipal e que este efeito ocorre...

Ensaios em instituições e desenvolvimento

Costantini, Jaime Jordan
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
76.16%
Resumo: Esta tese se divide em três ensaios, os quais investigam: (a) As relações que existem entre democracia e desenvolvimento econômico na base do pensamento de Roberto Campos; (b) Os efeitos da instabilidade política no nível do investimento; e (c) Como a volatilidade e tendência dos termos de troca influenciam na acumulação de capital humano em um país em desenvolvimento que exporta matérias primas. De acordo com o pensamento de R. Campos, um país em desenvolvimento como o Brasil deve aceitar certo grau de autoritarismo nas fases finais da industrialização para atingir a modernidade. Dois conceitos são importantes no pensamento de R. Campos. Modernidade e modernização. A modernidade é sinônimo de desenvolvimento com altos níveis de democracia. A modernização é um processo que gera instabilidade política. Por tanto, de acordo ao pensamento de R. Campos, para atingir a modernidade se requer ciclos autoritários de governo. Para testar essa hipótese utilizamos as técnicas de séries de tempo de longa duração e relacionamos níveis de autoritarismo e democracia com modernização, representada por seu nível de renda. Os resultados desse trabalho são os seguintes: (a) O autoritarismo pode gerar modernização...

Desenvolvimento econômico, integração comercial e desigualdades regionais: Angola no contexto da África Austral

Ambrósio, Heitor Simão Afonso
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.21%
O tema explica um conjunto de fatores que influência na integração comercial e nas desigualdades regionais tanto na África Austral como em Angola. Portanto, é nesta região da África que Angola faz parte onde encontramos a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC). Ainda que este seja o bloco econômico mais emergente do continente, ainda apresenta grandes desigualdades principalmente no campo da integração comercial, desencadeando-se num desenvolvimento socioeconômico muito lento e numa igualdade menos conjugado entre os seus membros, apesar dos esforços dos governos desta comunidade. De forma geral, os governos têm feito esforços enormes para diminuir esses efeitos, mas os indicadores ainda mostram que estão longe de alcançá-los. Relativamente às desigualdades regionais em Angola, constatou-se que devido a determinadas operações econômicas a partir de 2002, vem-se registrando aumentos significativos no Produto Interno Bruto espelhando-se em grandes somas de riqueza que o país vem acumulando nos últimos anos. Porém, esta riqueza ainda não proporciona mudanças significativas nas infraestruturas de apoio ao desenvolvimento econômico, como por exemplo, no setor elétrico e de abastecimento de água entre outros...

El desarrollo económico y los problemas de cambio social en América Latina

Ahumada Corvalán, Jorge
Fonte: BNDE; Centro de Desenvolvimento Econômico CEPAL Publicador: BNDE; Centro de Desenvolvimento Econômico CEPAL
ES
Relevância na Pesquisa
76.05%
Reproducido del documento ST/ECLA/CONF.6/L.A-1; Curso Intensivo de Treinamento em Problemas de Desenvolvimento Econômico, CEPAL/DOAT; Incluye Bibliografía

A desindustrialização truncada, perspectivas do desenvolvimento economico brasileiro; The truncated deindustrialization : perspectives of economic development

Alexandre Comin
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 16/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.21%
Esta Tese discute a trajetória recente e as perspectivas do desenvolvimento econômico brasileiro sob a ótica da indústria. A hipótese central é que o Brasil vem sofrendo um processo de desindustrialização relativa e que essa é a principal causa da ampliação da distância do país com relação à fronteira do desenvolvimento. A destruição da indústria foi apenas parcial porque os segmentos da estrutura produtiva que haviam alcançado certo grau de maturidade mantiveram sua capacidade produtiva, mesmo perdendo elos importantes da cadeia. A análise detalhada do comércio externo à luz dos condicionantes mais gerais do mercado mundial revela o recuo da importância da indústria brasileira apesar do avanço absoluto de suas exportações manufatureiras. O sentido geral do conjunto de evidências apresentadas, que são por vezes contraditórias ou inconclusivas, está fundamentado em diversas contribuições teóricas que convergem para as duas proposições centrais da Tese: (i) o desenvolvimento econômico, definido como a incorporação progressiva de conhecimento aos processos produtivos, é inseparável da industrialização; (ii) a internalização dessas atividades promotoras do desenvolvimento não pode se dar exclusivamente através de mecanismos de mercado...

Inovação, aprendizado e desenvolvimento econômico : uma abordagem evolucionária sobre os impactos do comportamento inovativo das grandes empresas estrangeiras na indústria de transformação brasileira (1998-2005)

Pereira, Adriano José
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.2%
A tese analisa o comportamento inovativo das grandes empresas da indústria de transformação brasileira, consideradas importantes agentes do desenvolvimento econômico, com ênfase no papel desempenhado pelas empresas estrangeiras. A partir de uma abordagem baseada na ―teoria econômica evolucionária‖, considera-se que as inovações (tecnológicas, organizacionais e institucionais) são um mecanismo fundamental do desenvolvimento econômico. Dessa forma, procurou-se identificar em que medida as grandes empresas estrangeiras da indústria de transformação brasileira têm se caracterizado como agentes do desenvolvimento econômico nacional, em função da histórica trajetória dependente da economia nacional em relação ao capital produtivo internacional. Com base nos dados da Pesquisa de Inovação Tecnológica (PINTEC-IBGE), foram elaborados indicadores sobre inovação (taxa de inovação, esforço inovativo, relações de cooperação, incentivos à inovação, responsabilidade pela inovação, fontes de informação, qualificação das pessoas ocupadas em P&D e problemas e obstáculos à inovação), a partir dos quais se fez uma análise comparativa acerca do comportamento inovativo das grandes empresas (500 e mais empregados)...

O desenvolvimento econômico da Venezuela, 1950/2006

Souza, Romina Batista de Lucena de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.22%
O objetivo desta tese é avaliar a contribuição do petróleo no desenvolvimento econômico da Venezuela, entre 1950/2006. Investiga-se por que uma economia rica em petróleo ainda não conseguiu industrializar-se. Seguindo os diferentes períodos governamentais, examinam-se a contribuição das políticas macroeconômicas sobre o desenvolvimento e a questão da doença holandesa e do capitalismo rentístico. Segundo a teoria da base econômica, as regiões crescem em torno de uma base exportadora, exercendo efeitos de encadeamento sobre o setor de mercado interno. A exportação de petróleo impulsiona a economia venezuelana ao comprar insumos e gerar rendas. A intervenção do governo transformou a Venezuela em um dos maiores exportadores de petróleo, cabendo à estatal PDVSA a extração, refino e exportação de petróleo. Contudo, o desenvolvimento da indústria venezuelana ficou prejudicado pelo capitalismo rentístico, paternalismo e populismos governamentais. A renda petrolífera acomodou as classes dirigentes e inibiu a formação do empresariado. Já a doença holandesa parece descartada pela tendência à desvalorização cambial e pela relação positiva entre crescimento das exportações e crescimento do PIB. Reduções dos preços internacionais do petróleo...

Timoneiros dos rumos da nação: carreiras e trajetórias da elite estatal do planejamento do desenvolvimento econômico e industrial no Brasil (1934-1982)

Albernaz, Cássio Alan Abreu
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
66.21%
Este estudo tem como objeto um núcleo de agentes estatais que formulou e definiu as diretrizes do planejamento do desenvolvimento econômico brasileiro, entre 1934 e 1982, a partir dos diferentes conselhos técnicos (Conselho Federal do Comércio Exterior, Conselho Técnico de Economia e Finanças, Coordenação de Mobilização Econômica, Conselho Nacional de Política Industrial e Comercial, Comissão de Planejamento Econômico, Conselho Nacional de Economia, Assessoria Econômica da Presidência, Conselho de Desenvolvimento, Conselho do Planejamento Nacional, Conselho Monetário Nacional, Conselho de Desenvolvimento industrial, e Conselho do Desenvolvimento Econômico) num período de intensa redefinição dos arranjos institucionais de poder, em que se dá a institucionalização de um Estado desenvolvimentista no Brasil fundamentado num projeto de modernização e de desenvolvimento. A perspectiva adotada parte da ideia de que esses agentes configuraram uma elite estatal que, voltada para o planejamento do desenvolvimento econômico e industrial, engendrou um modelo de desenvolvimento e consolidou no seio do Estado um tipo de carreira voltado para as questões técnico-econômicas.A pesquisa consiste no mapeamento das trajetórias político-profissionais da elite estatal do planejamento...

Ensaios sobre o II Plano Nacional de Desenvolvimento Econômico

Manfredini, Denise
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 59 f. : il. algumas color., tabs.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
86.12%
Orientador : Prof. Dr. Fernando Motta Correa; Co-orientador : Prof. Dr. Marcelo Luiz Curado; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Sociais Aplicadas, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Ecônomico. Defesa : 17/04/2015; Inclui referências (fls. 57-59); Resumo: O objetivo do artigo é compreender as principais controvérsias acerca da racionalidade econômica da elaboração do II PND e sobre os resultados desse plano no que tange o desempenho da economia brasileira nos anos subsequentes a sua implementação, especialmente na primeira metade dos anos 1980, bem como analisar os impactos salariais e de distribuição ocupacional nas microrregiões que receberam alguns dos principais projetos do plano. Para tanto é feita uma discussão sobre a literatura acerca do projeto econômico do governo Geisel, também é ajustado um modelo VECM para compreender a relação entre transações correntes, capacidade de importar e taxa de investimento; e finalmente, é ajustado um modelo MQO e um modelo logit, com base no censo de 2010. Os principais resultados foram: (i) II PND não é um fator decisivo no desempenho de longo prazo das transações correntes, nem tem efeito sobre a capacidade de importar da economia nacional; (ii) No longo prazo...

Os Condicionantes políticos de uma nova estratégia de desenvolvimento econômico da Rússia

Pomeranz, Lenina
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Boletim de Economia e Política Internacional - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.2%
O artigo apresenta os pontos políticos que condicionaram a estratégia de desenvolvimento da economia russa durante e depois da crise financeira global. Assim uma primeira estratégia de desenvolvimento econômico da Rússia capitalista foi formulada quando se estabeleceu, em diagnóstico sobre a economia, que o processo de transformação sistêmica a que foi submetido o país tinha sido completado com as reformas empreendidas entre 1990 e 2003. Estas foram realizadas em duas etapas: a primeira, entre 1990 e 1998, envolveu a destruição dos fundamentos do sistema anterior; a segunda, entre 1999 e 2003, envolveu a criação dos institutos necessários ao funcionamento e à regulação dos mecanismos de mercado. Estas duas permitiram o início de uma nova etapa de desenvolvimento, qualitativamente nova, baseada em um novo sistema econômico-social no país. Em outros termos, a elaboração de uma estratégia de desenvolvimento econômico deixou de ser formulada centralmente, com base no planejamento diretivo centralizado socialista, para focar-se em uma programação do desenvolvimento da Rússia capitalista. Mas, levando em conta as especificidades da economia herdada: i) o país detinha uma estrutura industrial desenvolvida, ainda que bastante debilitada; definiu-se...