Página 1 dos resultados de 104 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Diabetes Mellitus: a sua relação com vergonha, ansiedade social, vinculação e psicopatologia

Lima, Mariana Oliveira Vieira
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.54%
A diabetes mellitus é uma doença crónica que acarreta alterações na vida dos sujeitos que dela são portadores e que tem vindo a aumentar a sua prevalência em todo o mundo, despertando o interesse de diversos autores. A presente investigação encontra-se dividida em três estudos. O estudo I em que pretendemos comparar um grupo clínico de jovens diabéticos com um grupo da população geral ao nível da ansiedade social, psicopatologia, vergonha, vinculação e desejabilidade social. No estudo II, queremos compreender a importância que variáveis como a vergonha, ansiedade social, vinculação e psicopatologia, assumem nos níveis de adesão ao tratamento manifestados pelos jovens diabéticos, nos seus níveis de hemoglobina glicosilada e na qualidade de vida. A relação da vinculação insegura aos pares com a vergonha e a ansiedade social é também analisada, assim como uma preocupação que se verifica por parte dos médicos, que se prende com o facto de saber até que ponto os jovens diabéticos têm maiores níveis de desejabilidade social e como esse factor afecta a relação entre os níveis de adesão ao tratamento que relatam e os seus níveis glicémicos. No estudo III algumas das hipóteses do estudo anterior são replicadas para o grupo de controlo da população geral...

Uma nova escala de sugestionabilidade interrogativa análoga à GSS-1: estudo exploratório com uma amostra de jovens portugueses

Correia, Ana Raquel Póvoa
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.63%
Este estudo teve como objectivo principal perceber se existiriam diferenças de Sugestionabilidade Interrogativa (SI) quando a informação sobre um acontecimento é apresentada aos sujeitos verbalmente ou visualmente. Para tal foi criado um instrumento de medição da SI, baseado na Escala de Sugestionabilidade Interrogativa de Gudjonsson, com duas versões: uma versão visual, que consistia na apresentação de um vídeo sem som e uma versão verbal com a descrição oral do acontecimento apresentado no vídeo. Foram, então, comparadas duas amostras, uma respeitante à apresentação visual e a outra relativa à apresentação verbal da informação, constituídas por 40 adolescentes cada, dos 15 aos 18 anos de idade, com uma distribuição igualitária no que diz respeito ao género. Foi também explorada neste estudo a memória do acontecimento apresentado e a relação entre as medidas de SI e a inteligência não-verbal, a atenção seletiva, a desejabilidade social e variáveis de personalidade como o neuroticismo, a extroversão e a amabilidade. Os resultados obtidos revelaram que as duas amostras diferiam significativamente no que diz respeito às medidas de SI e também de memória. O grupo ao qual foi aplicada a versão verbal apresentou resultados médios mais elevados na memória e mais baixos na SI. Relativamente às correlações com as outras variáveis em estudo...

O papel de uma co-testemunha na sugestionabilidade interrogativa: influência do conhecimento das respostas de um indivíduo considerado credível no desempenho da GSS2

Correia, Patrícia Margarida Fernandes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.63%
Quando uma testemunha é exposta a informações provenientes de outras fontes, nomeadamente co-testemunhas, observa-se a tendência dessa testemunha para incorporar tais informações no seu relato do acontecimento. O presente estudo procurou analisar a influência, na sugestionabilidade interrogativa, do conhecimento das respostas de uma outra pessoa considerada como credível. Para esse fim, recorreu-se a duas amostras, cada uma delas constituída por 36 estudantes universitários. A um dos grupos foram apresentadas as respostas sugestionadas à versão 2 da Escala de Sugestionabilidade de Gudjonsson (GSS2), as quais teriam sido dadas por uma pessoa considerada credível. O outro grupo foi submetido ao procedimento usual de administração da GSS2. Pretendeu-se, ainda, averiguar a forma como determinadas variáveis, tais como dimensões da personalidade, desejabilidade social, assertividade, ansiedade, autoconceito, necessidade de cognição e fé na intuição influenciam os resultados obtidos na GSS2. Além da GSS2, a ambos os grupos foram administrados, individualmente, os seguintes instrumentos de avaliação: o Inventário Clinico de Autoconceito; o Inventário da Personalidade NEO Revisto; o Inventário de Sintomas Psicopatológicos; o Inventário Estado-Traço da Ansiedade; a Escala de Necessidade de Cognição; a Escala Fé na Intuição; a Escala de Desejabilidade Social de Marlowe-Crowne; e o Inventário de Assertividade de Auto-Resposta. Os resultados obtidos revelam que a informação proveniente de outrem credível tem efeito no nível de sugestionabilidade interrogativa...

Estudos de validação da Escala de Desejabilidade Social - DESCA

Oliveira, Joana Filipa Amado de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.97%
Em contexto de avaliação psicológica (forense), a desejabilidade social constitui uma temática amplamente presente, na medida em que é comum os indivíduos tenderem a dar respostas pouco honestas, no sentido de apresentarem uma imagem destacadamente positiva de si próprios com o propósito de atingirem um determinado objetivo. Numa altura em que os psicólogos forenses são cada vez mais solicitados no trabalho de assessoria ao Tribunal, torna-se relevante examinar este tipo de enviesamento de respostas/ comportamentos, para se poder providenciar uma maior validade dos resultados obtidos no contexto da avaliação psicológica. O presente estudo teve como objetivo principal validar um instrumento de avaliação da desejabilidade social (Escala de Desejabilidade Social - DESCA) e obter valores médios de resposta à DESCA numa amostra da população geral, funcionando como referência para a avaliação de progenitores envolvidos em situação de disputa de custódia parental, contexto em que a motivação para apresentar uma autoimagem positiva e extremamente favorável tem sido reforçada na literatura e manifesta na experiência clínica. Recorrendo a uma amostra da população geral (N = 229), procurou-se apurar as qualidades psicométricas da DESCA...

A sugestionabilidade infantil : construção de um instrumento de avaliação

Saraiva, Magda Catarina Gomes
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.65%
Dissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia da Justiça); A última década tem sido marcada pelo crescente interesse na avaliação da credibilidade de testemunho. Isto deve-se ao facto das recentes evoluções na área de investigação das falsas memórias, isto é, o modo como as nossas memórias para acontecimentos são ditorcidas. Neste sentido, desde os finais do século XX, temos assistido à evolução da investigação da sugestionabilidade infantil. O interesse pelo estudo da sugestionabilidade infantil surge pelo aumento dos testemunhos infantis em contexto forense/tribunal. Estes estudos têm como principais objectivos a compreensão do fenómeno em si, bem como dos factores que o influenciam. A maior controvérsia em torno da sugestionabilidade infantil diz respeito à sua relação com a idade cronológica, sendo os resultados alcançados controversos. Enquanto alguns autores defendem que as crianças mais novas são mais sugestionáveis do que crianças mais velhas (Cunha, 2010; Gudjonsson, 1997), outros argumentam que as crianças são menos sugestionáveis do que os adultos (Goodman, Batterman-Faunce & Kenney, 1992). No entanto, outros factores têm sido tomados em conta para a compreensão da sugestionabilidade infantil...

The normality of expressing the belief in a just world

Alves, Hélder António Vinagreiro Gomes
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2008 ENG
Relevância na Pesquisa
46.53%
PhD in Social and Organizational Psychology; Although much research involving the belief in a just world (BJW) has been done in the past decades, most of it has focused on the intra- and inter-individual consequences of holding or threatening such a belief. This work aimed at studying the very expression of the BJW, both personal and general, at the ideological level, specifically whether such an expression is regarded as normative or counternormative. The eight studies included in this thesis provide evidence that the BJW is normative, specifically that individuals use higher degrees of BJW when asked to convey a series of positive images and use lower degrees when asked to convey negative ones. When a target expresses moderate or high BJW for both positive and negative events, he/she is evaluated higher on measures of dimensions of value (social utility and social desirability) than a target expressing low BJW. Furthermore, targets expressing high BJW for either positive (successes) or negative (failures) events are more positively evaluated on at least one dimension of value, than targets expressing low BJW. In fact, the expression of the same positive idea (e.g., self- or other-promotion) is more positively evaluated when it is conveyed through high than through low BJW. Also...

Delinquência juvenil no feminino : Um estudo comparativo de raparigas institucionalizadas

Pechorro, Pedro Fernandes dos Santos; Gama, Ana Paula; Guerreiro, Manuela; Maroco, João; Gonçalves, Rui Abrunhosa
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.63%
A presente investigação teve como objectivo analisar o papel desempenhado na delinquência juvenil feminina pelos constructos de traços psicopáticos, problemas de comportamento, comportamentos delinquentes e auto-estima. Recorrendo a 249 jovens do sexo feminino, subdivididas em grupo forense (n=93) e em grupo escolar (n=156), foram analisadas diferenças a nível de variáveis sócio-demográficas, traços psicopáticos, perturbação do comportamento, problemas de comportamento, comportamentos delituosos, auto-estima e desejabilidade social. Os resultados indicaram que as jovens do grupo forense apresentam valores significativamente mais elevados em traços psicopáticos, categoria psicopática, perturbação de comportamento, problemas de comportamento e comportamentos delituosos, mas não foram encontradas diferenças relativamente a auto-estima e desejabilidade social. Um modelo de regressão logística binária confirmou a importância dos traços psicopáticos e da categoria psicopática na predição de pertença das jovens aos grupos forense e escolar.; ABSTRACT: The objective of the present study was to analyze the role played by psychopathic traits, behavior problems, delinquent behaviors and self-esteem in female juvenile delinquency. With a total of 249 female participants...

Sugestionabilidade interrogativa em crianças de 8 e 9 anos de idade

Costa, André; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Coimbra; Pinho, Maria Salomé; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Coimbra
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.71%
Para estudar a influência das variáveis idade, inteligência, memória, ansiedade geral e desejabilidade social na sugestionabilidade avaliaram-se crianças de 8 e 9 anos de idade com o Bonn Test of Statement Suggestibility (BTSS). Em 145 crianças averiguou-se o efeito das variáveis memória e inteligência não verbal e, numa subamostra de 74 crianças, para além das variáveis referidas, considerou-se também a inteligência verbal, ansiedade geral e desejabilidade social. As crianças de 8 anos são mais sugestionáveis do que as crianças mais velhas. No grupo dos 8 anos, aquelas com melhores desempenhos ao nível da inteligência não verbal (medida pelas Matrizes Progressivas Coloridas de Raven – MPCR), e na evocação da história do BTSS são menos vsugestionáveis comparativamente às crianças com piores desempenhos nestas provas. De modo análogo, as crianças com 9 anos são tanto mais sugestionáveis quanto piores os desempenhos nas MPCR, evocação da história do BTSS e subtestes informação, vocabulário e aritmética da WISC–III. As crianças deste grupo etário que apresentam desejabilidade social elevada (avaliada pela RCMAS) são também mais sugestionáveis. Estes resultados são discutidos considerando a sua relevância para o âmbito forense.

Influência da idade, desejabilidade social e memória na sugestionabilidade infantil

Saraiva,Magda; Albuquerque,Pedro B.
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.79%
A sugestionabilidade infantil é influenciada pela capacidade de memória, idade ou desejabilidade social. Este estudo teve como objetivo estudar estes fatores em três grupos de crianças com idades de 5/6 anos, 8/9 anos e 10/11 anos. Para tanto procedemos à construção de uma escala de avaliação da sugestionabilidade infantil baseada na Escala de Sugestionabilidade de Gudjonsson (GSS; Gudjonsson, 1997). Os resultados obtidos revelaram que as crianças mais novas foram as mais sugestionáveis, fenômeno que parece estar associado ao elevado grau de desejabilidade social das suas respostas. Relativamente à memória fonológica, verificamos que a sua menor amplitude esteve também relacionada com maior sugestionabilidade infantil. Sugere-se que as variáveis memória e desejabilidade social sejam cuidadosamente consideradas no momento de obtenção do testemunho de crianças.

Ser homem é...: adaptação da escala de concepções da masculinidade

Guerra,Valeschka Martins; Scarpati,Arielle Sagrillo; Duarte,Camila Nogueira Bonfim; Silva,Cleidiane Vitória da; Motta,Tammy Andrade
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.58%
Esta pesquisa buscou adaptar a Escala de Concepções da Masculinidade (ECM) para o contexto brasileiro. O Estudo 1 investigou a estrutura fatorial da ECM, contando com a participação de 260 universitários, 56,8% mulheres (Média de idade = 22,2; DP = 5,03). Os resultados sugeriram a existência de três dos quatro fatores esperados, além de uma redução na quantidade de itens, não corroborando a estrutura original. O Estudo 2 buscou comprovar a estrutura de três fatores e verificar a relação da masculinidade com a desejabilidade social. Participaram 220 usuários de internet, 53,4% do sexo feminino (Média de idade = 27; DP = 8,35). Os resultados confirmaram a estrutura de três fatores proposta no Estudo 1 e apresentaram consistência interna aceitável. Foi observada uma correlação negativa da desejabilidade com o fator provocação social. Conclui-se que a ECM-16 possui características psicométricas satisfatórias e pode contribuir para uma melhor compreensão do fenômeno masculinidade.

Sugestionabilidade: suas características e correlações com outras variáveis psicológicas

Lira de Souza Filho, Marcilio; Roazzi, Antonio (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.58%
A sugestionabilidade vem sendo apontada na literatura como variável fundamental na explicação da hipnose e de outros fenômenos psicológicos, contudo, ainda é pouco explorada, sobretudo do ponto de vista empírico. Apesar da relevância de compreender a sugestionabilidade, e até mesmo a hipnose, no Brasil, poucos estudos que tratassem explicitamente esses tópicos foram encontrados. Levando em conta essas observações, a presente dissertação teve como objetivo avaliar o construto sugestionabilidade como composto por traços ou fatores intra-sujeito, mais especificamente pelos fatores fantasiosidade, influenciabilidade, absorção e implicação emocional. Ademais, buscou-se identificar como a sugestionabilidade, assim definida, estaria relacionada com variáveis como a desejabilidade social, as estratégias de enfrentamento de problemas, a saúde/doença mental e o sexo. Participaram da pesquisa 224 estudantes universitários de diversos cursos da Universidade Federal da Paraíba (João Pessoa). A amostra foi composta, predominantemente, por participantes do sexo feminino (58%), solteiros (83,9%) e tinham, em média, 22,9 anos de idade (DP = 5,6). Todos responderam a um questionário que continha, além de questões sócio-demográficas...

Influência da idade, desejabilidade social e memória na sugestionabilidade infantil; Influence of age, social desirability and memory in children’s suggestibility

Saraiva, Magda Catarina Gomes; Albuquerque, Pedro Barbas
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.84%
A sugestionabilidade infantil é infl uenciada pela capacidade de memória, idade ou desejabilidade social. Este estudo teve como objetivo estudar estes fatores em três grupos de crianças com idades de 5/6 anos, 8/9 anos e 10/11 anos. Para tanto procedemos à construção de uma escala de avaliação da sugestionabilidade infantil baseada na Escala de Sugestionabilidade de Gudjonsson (GSS; Gudjonsson, 1997). Os resultados obtidos revelaram que as crianças mais novas foram as mais sugestionáveis, fenômeno que parece estar associado ao elevado grau de desejabilidade social das suas respostas. Relativamente à memória fonológica, verifi camos que a sua menor amplitude esteve também relacionada com maior sugestionabilidade infantil. Sugere-se que as variáveis memória e desejabilidade social sejam cuidadosamente consideradas no momento de obtenção do testemunho de crianças.; Children’s suggestibility is infl uenced by several factors such as memory, age or social desirability. The main objective of this study was to analyze how these factors are associated with the degree of suggestibility in 5/6 year-old, 8/9 year-old and 10/11 year-old children. For a suggestibility measure, a new scale based on the Gudjonsson Suggestibility Scale was developed (GSS; Gudjonsson...

O estudo do burnout numa amostra de forças de segurança

Viegas, Ana Luísa Coelho Fa
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.66%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O stress ocupacional é aquele que permite a evolução se vivido de uma forma positiva, porém se este se torna crónico pode contribuir para o desenvolvimento do Burnout. O objectivo deste estudo é estudar o Burnout em diferentes amostras de Forças de Segurança, comparando os agentes da P.S.P e os guardas da G.N.R. O papel das forças de segurança nas sociedades ocidentais tem vindo a sofrer uma significativa transformação, reflectindo as mudanças económicas, sociais e tecnológicas nas comunidades bem como a implementação de modelos sociais e políticos de cariz democrático que se baseiam na defesa dos direitos individuais dos cidadãos. Este tipo de mudanças torna a função das Forças de segurança cada vez mais complexa e exigente. O estudo teve como amostra intencional de informantes estratégicos por “bola de neve” 65 guardas e 122 agentes. Através da escala MBI-GS (Schaufeli, Leiter, Maslach y Jackson.; 1996; Nunes, 2003), da escala de Desejabilidade Social (Barros, 2003) e do questionário Sóciodemográfico e Profissional (Viegas & Patrão, 2010) fomos verificar o impacto das variáveis no Burnout, comparando as duas amostras. O modelo multidimensional do Burnout não foi verificado no presente estudo. Verificou-se que ambas as amostras apresentavam valores baixos para as dimensões exaustão e realização Pessoal em oposição aos valores elevados para a dimensão da despersonalização. Em conclusão...

Influência da familiaridade com procedimentos judiciais de interrogatório na sugestionabilidade interrogativa de reclusos reincidentes

Penajoia, Marta Sofia; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra; Pinho, Maria Salomé; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra; Dias, Isabel Teixeira; Estabelecimento Prisional
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/09/2015 POR
Relevância na Pesquisa
46.71%
O presente estudo teve como objetivo examinar se o contacto com procedimentos de inquirição usados pelo sistema de justiça criminal afeta a sugestionabilidade interrogativa, avaliada pela Escala de Sugestionabilidade de Gudjonsson 1 (GSS 1). Foi também analisada a relação entre a sugestionabilidade interrogativa e outras variáveis psicológicas, designadamente a inteligência não-verbal, neuroticismo, desejabilidade social e simulação ou esforço insuficiente. Recrutaram-se dois grupos de indivíduos adultos, sendo um deles constituído por 42 reclusos com várias condenações e o outro por 42 sujeitos que nunca foram submetidos a inquirições judiciais. A ambos os grupos foram administrados, individualmente, além da GSS 1, os seguintes instrumentos: Matrizes Progressivas Estandardizadas de Raven, Inventário dos Cinco Fatores NEO, Escala de Desejabilidade Social de Marlowe-Crowne e Test of Memory Malingering. Os reclusos reincidentes revelaram menor sugestionabilidade interrogativa comparativamente aos sujeitos sem contacto com inquirições judiciais. Foram apenas observadas correlações significativas entre sugestionabilidade interrogativa e inteligência não-verbal e desejabilidade social, apresentando características diferenciadas em ambos os grupos. Estes resultados sugerem que tais variáveis devem ser tidas em consideração no momento da avaliação da credibilidade de depoimentos e confissões.

Validación de la escala de ansiedad en la interacción social en estudiantes universitarios mexicanos; Validação da Escada de Ansiedade na Interação Social em estudantes universitários mexicanos; Validation of the Social Interaction Anxiety Scale among Mexican College Students

Moral de la Rubia, José; Facultad de Psicología, Universidad Autónoma de Nuevo León. Monterrey, NL, Méico.; García Cadena, Cirilo Humberto; Facultad de Psicología. Universidad Autónoma de Nuevo León Monterrey, NL, México.; Antona Casas, César
Fonte: Pontificia Universidad Javeriana Cali Publicador: Pontificia Universidad Javeriana Cali
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; "Artículo revisado por pares"; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artículo Formato: application/pdf; application/pdf; application/pdf
SPA; ENG; POR
Relevância na Pesquisa
56.71%
Objetivo. El propósito de esta investigación fue validar la escala de ansiedad en la interacción social (Social Interaction Anxiety Scale [SIAS-20] de Mattick y Clarke, 1998) en una población de estudiantes universitarios mexicanos. Concretamente, se buscó validar la estructura unidimensional del SIAS-20, calcular su consistencia interna, describir su distribución, comparar diferencias de medias entre géneros, comprobar su validez criterial con el factor de fobia social del inventario de ansiedad y fobia social (Social Phobia and Anxiety Inventory [SPAI] de Turner, Beidel, Dancu y Stanley, 1989) y su validez convergente con la escala de autoverbalizaciones al hablar en público (Self-Statements during Public Speaking Scale [SSPS] de Hofmann y DiBartolo, 2000) así como estudiar su relación con un inventario de deseabilidad social (Balanced Inventory of Desirable Responding [BIDR] de Paulhus, 1998). Método. Para ello, se empleó una muestra probabilística de estudiantes universitarios, estratificada por genéros. Resultados. Descartados los tres ítems inversos del SIAS-20, el modelo unidimensional tuvo buen ajuste. Además, la consistencia interna del SIAS-17 fue alta y su distribución asimétrica positiva. Los promedios fueron estadísticamente equivalentes entre ambos genéros. La escala mostró validez criterial con el SPAI y convergente con el SSPS. La correlación con deseabilidad social fue baja. Conclusión. Se encontró que la escala es válida para emplearla con población estudiantil universitaria mexicana. Futuros estudios deben concentrarse en su estandarización por percentiles...

Dejesabilidade social no Diabético

Barroso, Sara Lopes
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
56.61%
A desejabilidade social pode ser expressa de diversas maneiras em diversas situações. Para esta pesquisa se objetivou descrever a manifestação da desejabilidade social por meio do autoengano, gerenciamento de impressão, mentira e autojustificação, em pessoas com diabetes mellitus, com propósito de entender a possível relação entre esses comportamentos e a adesão ao tratamento por parte do diabético. Para tanto se fez uso de análise qualitativa de pesquisa e por meio de uma entrevista semiestruturada. Foram entrevistadas seis pessoas diagnosticadas com diabetes e três médicos que tratam de pacientes com diabetes. Para isso se buscou saber a visão do paciente e do médico a respeito dos comportamentos avaliados. Observou-se maior frequência na manifestação de autoengano e autojustificação diante da doença para os participantes com diabetes e no relato dos médicos a maior frequência foi para a mentira. Pode-se perceber a importância de se refletir a partir dessa discrepância, enquanto que o médico percebe que seu paciente está mentindo na consulta, o que se percebeu no discurso do diabético foi autojustificação.

Sugestionabilidade interrogativa em crianças de 8 e 9 anos de idade

Costa,André; Pinho,Maria Salomé
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.71%
Para estudar a influência das variáveis idade, inteligência, memória, ansiedade geral e desejabilidade social na sugestionabilidade avaliaram-se crianças de 8 e 9 anos de idade com o Bonn Test of Statement Suggestibility (BTSS). Em 145 crianças averiguou-se o efeito das variáveis memória e inteligência não verbal e, numa subamostra de 74 crianças, para além das variáveis referidas, considerou-se também a inteligência verbal, ansiedade geral e desejabilidade social. As crianças de 8 anos são mais sugestionáveis do que as crianças mais velhas. No grupo dos 8 anos, aquelas com melhores desempenhos ao nível da inteligência não verbal (medida pelas Matrizes Progressivas Coloridas de Raven - MPCR), e na evocação da história do BTSS são menos sugestionáveis comparativamente às crianças com piores desempenhos nestas provas. De modo análogo, as crianças com 9 anos são tanto mais sugestionáveis quanto piores os desempenhos nas MPCR, evocação da história do BTSS e subtestes informação, vocabulário e aritmética da WISC-III. As crianças deste grupo etário que apresentam desejabilidade social elevada (avaliada pela RCMAS) são também mais sugestionáveis. Estes resultados são discutidos considerando a sua relevância para o âmbito forense.

Contributos para a validação duma versão curta da Escala de Desejabilidade Social de Marlowe-Crowne com adolescentes portugueses

Pechorro,Pedro; Vieira,Rui Xavier; Poiares,Carlos; Marôco,João
Fonte: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP Publicador: ArquiMed - Edições Científicas AEFMUP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
A presente investigação teve como objectivo fornecer alguns contributos para a validação duma versão curta da Escala de Desejabilidade Social de Marlowe-Crowne (MCSDS) elaborada por Ballard (1992; MCSDS-SF). Recorrendo a 760 adolescentes de ambos os sexos divididos em amostra forense (n = 250) e amostra escolar (n = 510) foram demonstradas algumas propriedades psicométricas que na generalidade justificam a sua utilização na população portuguesa adolescente escolar e forense, nomeadamente a nível de validade factorial, consistência interna, estabilidade temporal, validade discriminante e validade divergente. Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os grupos masculino e feminino.

Delinquência juvenil no feminino: Um estudo comparativo de raparigas institucionalizadas

Pechorro,Pedro; Gama,Ana Paula; Guerreiro,Maria Manuela; Marôco,João; Gonçalves,Rui Abrunhosa
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.58%
A presente investigação teve como objectivo analisar o papel desempenhado na delinquência juvenil feminina pelos constructos de traços psicopáticos, problemas de comportamento, comportamentos delinquentes e auto-estima. Recorrendo a 249 jovens do sexo feminino, subdivididas em grupo forense (n=93) e em grupo escolar (n=156), foram analisadas diferenças a nível de variáveis sócio-demográficas, traços psicopáticos, perturbação do comportamento, problemas de comportamento, comportamentos delituosos, auto-estima e desejabilidade social. Os resultados indicaram que as jovens do grupo forense apresentam valores significativamente mais elevados em traços psicopáticos, categoria psicopática, perturbação de comportamento, problemas de comportamento e comportamentos delituosos, mas não foram encontradas diferenças relativamente a auto-estima e desejabilidade social. Um modelo de regressão logística binária confirmou a importância dos traços psicopáticos e da categoria psicopática na predição de pertença das jovens aos grupos forense e escolar.

Influência da familiaridade com procedimentos judiciais de interrogatório na sugestionabilidade interrogativa de reclusos reincidentes

Penajoia,Marta Sofia; Pinho,Maria Salomé; Dias,Isabel Teixeira
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.71%
Reconhecida a necessidade de um estudo mais rigoroso e fundamentado de factores que influenciam a exactidão dos testemunhos em contextos forenses, temos assistido a um interesse crescente, por parte da comunidade científica, pelas condições de ocorrência da sugestionabilidade interrogativa. O presente estudo teve como objetivo examinar se o contacto com procedimentos de inquirição usados pelo sistema de justiça criminal afeta a sugestionabilidade interrogativa, avaliada pela Escala de Sugestionabilidade de Gudjonsson 1 (GSS 1). Foi também analisada a relação entre a sugestionabilidade interrogativa e outras variáveis psicológicas, designadamente a inteligência não-verbal, neuroticismo, desejabilidade social e simulação ou esforço insuficiente. Recrutaram-se dois grupos de indivíduos adultos, sendo um deles constituído por 42 reclusos com várias condenações e o outro por 42 sujeitos que nunca foram submetidos a inquirições judiciais. A ambos os grupos foram administrados, individualmente, além da GSS 1, os seguintes instrumentos: Matrizes Progressivas Estandardizadas de Raven, Inventário dos Cinco Fatores NEO, Escala de Desejabilidade Social de Marlowe-Crowne e Test of Memory Malingering. Os reclusos reincidentes revelaram menor sugestionabilidade interrogativa comparativamente aos sujeitos sem contacto com inquirições judiciais. Foram apenas observadas correlações significativas entre sugestionabilidade interrogativa e inteligência não-verbal e desejabilidade social...