Página 1 dos resultados de 1084 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

Erosão hídrica relacionada à condições físicas de superfície e subsuperfície do solo, induzidas por formas de cultivo e de manejo dos resíduos culturais

Volk, Leandro Bochi da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.36%
As diferentes práticas de manejo do solo resultam em diferentes níveis de qualidade da sua estrutura, os quais, por sua vez, resultam em diferentes níveis de erosão hídrica. Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de diferentes formas de cultivo do solo e de manejo dos resíduos culturais em algumas condições físicas de superfície e subsuperfície do mesmo, em relação à erosão hídrica. Para isto, foi conduzido um experimento em condições de chuva simulada, na Estação Experimental Agronômica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Eldorado do Sul – RS, no período compreendido entre janeiro de 1996 e maio de 2001. Utilizou-se um solo Argissolo Vermelho Distrófico típico, bastante degradado, com declividade média de 8%. Os tratamentos consistiram do cultivo de milho-aveia preta, nos preparos de solo convencional (com e sem incorporação dos resíduos culturais) e semeadura direta; sem cultivo/sem preparo do solo (com e sem cobertura vegetal morta) e preparo convencional sem cultivo. As chuvas foram aplicadas com o simulador de chuva de braços rotativos, na intensidade de 64,0 mm h-1 e duração de 90 minutos. Nas condições deste estudo, observou-se que a incorporação dos resíduos culturais reduziu a erosão hídrica...

Cultura em substratos orgânicos de Gerberas

Rosa, A.; Costa, Maria Emília Lima; Monteiro, Ileana Pardal; Reis, M.; Cabral Silva, R.; Caço, J.; Osório, Júlio
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em //2004 POR
Relevância na Pesquisa
56.1%
O cultivo sem solo de Gerbera (Gerbera jamesonii) tem-se revelado uma técnica adequada, permitindo ultrapassar alguns dos problemas surgidos na cultura tradicional, em solo. No âmbito do Projecto Agro no197 “Cultura sem solo com reutilização do efluente, em estufa com controle ambiental melhorado”, desenvolvido pela Direcçao Regional de Agricultura do Algarve, pelo Cento de Hidroponia e Utilidades Hortofrutícolas e pela Universidade do Algarve testou-se o cultivo de gerbera em substratos alternativos, no Centro de Experimentação Hortofrutícola do Patacão. Cultivaram-se quatro cultivares de gerbera: Monika, Junkfrau, Venice e Lady, em substratos preparados à base de resíduos orgânicos: casca de pinho e bagaço de uva, durante dois anos consecutivos. Os resultados obtidos sugerem que os substratos testados apresentam características adequadas à cultura da gerbera, tendo-se obtido as produções mais elevadas com o bagaço de uva compostado e a casca de pinho não compostada. Das cv. em estudo, no 1o ano a Venice apresentou o maior número de flores comercializáveis, seguida da Lady com mais flores na classe Extra. No 2o ano, a produção foi mais equilibrada entre as cultivares, sendo de registar o aumento da produção em duas cv....

Produção e qualidade de propágulos de morangueiro em diferentes concentrações de nitrogênio no cultivo sem solo

Oliveira,Clarisse Silva; Cocco,Carine; Andriolo,Jerônimo Luiz; Bisognin,Dilson Antônio; Erpen,Lígia; Franquez,Gustavo Giménez
Fonte: Universidade Federal de Viçosa Publicador: Universidade Federal de Viçosa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.13%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da concentração de nitrogênio na produção e na qualidade de mudas de raízes nuas e pontas de estolões de morangueiro no cultivo sem solo. O plantio das matrizes foi realizado em 13 de setembro de 2007, e a colheita das mudas em 18 de fevereiro de 2008. Os tratamentos foram quatro concentrações de N na solução nutritiva de 8, 11, 14 e 17 mmol L-1. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado, com cinco repetições de 3,6 m². No momento da colheita foram determinados o número e o diâmetro da coroa das mudas de raízes nuas e o número de pontas de estolões. As diferentes concentrações de N não afetaram o número de mudas e de pontas de estolões, cujas médias foram de 339 e 836, respectivamente. O diâmetro da coroa das mudas de raízes nuas diminuiu linearmente com o aumento da concentração de N na solução nutritiva. Concluiu-se que o aumento da concentração de N na solução nutritiva, no sistema de cultivo sem solo com substrato de areia, não afeta o número de mudas de raízes nuas e nem de pontas de estolões, mas reduz o diâmetro da coroa das mudas de raízes nuas de morangueiro.

Alterações de características químicas do solo e resposta da soja ao calcário e gesso aplicados na superfície em sistema de cultivo sem preparo do solo

Caires,E. F.; Chueiri,W. A.; Madruga,E. F.; Figueiredo,A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1998 PT
Relevância na Pesquisa
76.23%
O experimento foi desenvolvido em um Latossolo Vermelho-Escuro distrófico, em Ponta Grossa (PR), com o objetivo de avaliar os efeitos da aplicação de calcário e gesso na superfície sobre as características químicas do solo e resposta da soja cultivada em sistema de cultivo sem preparo do solo. O delineamento experimental empregado foi o de blocos ao acaso em parcela subdividida, com três repetições. Foram utilizadas quatro doses de calcário dolomítico, com 84% de PRNT: 0, 2, 4 e 6 t ha-1, e quatro doses de gesso agrícola: 0, 4, 8 e 12 t ha-1. A calagem foi realizada em julho, e a aplicação de gesso em novembro de 1993. A cultura da soja foi avaliada nos anos agrícolas de 1993/94 e 1995/96. A soja não respondeu à aplicação de calcário e gesso na superfície, em solo com pH (CaCl2 0,01 mol L-1) 4,5 e 32% de saturação por bases na camada de 0-20 cm. A calagem proporcionou correção da acidez do solo, revelada pela elevação do pH e redução do alumínio trocável, até a profundidade de 10 cm e em camadas subsuperficiais, mostrando que a ação do calcário aplicado na superfície, em áreas com cultivos já estabelecidos, não preparadas convencionalmente, pode atingir camadas mais profundas de solo. Esse efeito foi observado doze meses após a aplicação do corretivo...

Erosão hídrica influenciada por condições físicas de superfície e subsuperfície do solo resultantes do seu manejo, na ausência de cobertura vegetal

Volk,L. B. S.; Cogo,N. P.; Streck,E. V.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
56.35%
Práticas diferenciadas de manejo resultam em condições físicas de superfície e subsuperfície do solo distintas, as quais, por sua vez, resultam em níveis de erosão hídrica variados. Com isto em mente, realizou-se um estudo a campo com o objetivo de avaliar o efeito de formas de preparo e cultivo do solo e de manejo dos resíduos culturais em algumas de suas condições físicas de superfície e subsuperfície, em relação à erosão hídrica, durante 5,5 anos. Para tal, utilizou-se chuva simulada sobre um Argissolo Vermelho distrófico típico, bastante degradado pelo manejo anterior, com declividade de 0,08 m m-1. Os tratamentos consistiram dos cultivos de milho e aveia preta, em semeadura direta e em preparo convencional de solo (este com incorporação e com remoção dos resíduos culturais), e do sem cultivo, em preparo convencional de solo (testemunha). Tais tratamentos encontravam-se na condição de solo recém-mobilizado, ou consolidado, e desprovido de cobertura vegetal por ocasião dos testes de erosão com chuva simulada. Estes, em número de dez, foram realizados com o simulador de chuva de braços rotativos, na intensidade de 64 mm h-1 e duração de 90 min, logo após a colheita de uma cultura e o preparo do solo...

Relações da rugosidade superficial do solo com o volume de chuva e com a estabilidade de agregados em água

Bertol,Ildegardis; Amaral,André Júlio do; Vázquez,Eva Vidal; González,Antonio Paz; Barbosa,Fabrício Tondello; Brignoni,Leonardo Felipe
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.17%
A rugosidade superficial do solo é afetada, dentre outros fatores, pelo tipo de preparo, volume de chuva e estabilidade dos agregados estruturais diante da ação destrutiva da água. Em um Inceptisol, num experimento de erosão sob chuva natural realizado há 15 anos, no Sul da região do Planalto Catarinense, Brasil, avaliou-se a rugosidade superficial, a qual foi expressa por meio dos índices: rugosidade (RR), tortuosidade (T) e diferença de elevação limite (LD), no cultivo do milho, em 2003, e no cultivo da aveia, em 2004, em cujos períodos experimentais precipitaram 229 e 350 mm de chuva, respectivamente. Além disso, em 2004, entre os dois cultivos, avaliou-se a estabilidade dos agregados em água, expressa pelo diâmetro médio ponderado (DMP) e diâmetro médio geométrico (DMG) dos agregados. Os tratamentos de sistemas de manejo do solo foram: preparo convencional (PC) com uma aração + duas gradagens; cultivo mínimo (CM) com uma escarificação + uma gradagem, e semeadura direta (SD), ambos cultivados com milho e aveia, além de um tratamento adicional sem cultivo do solo (SC) em preparo convencional com uma aração + duas gradagens. A rugosidade foi avaliada em cinco oportunidades no cultivo do milho e em quatro da aveia...

Erosão hídrica, em três momentos da cultura do milho, influenciada por métodos de preparo do solo e semeadura

Volk,Leandro Bochi da Silva; Cogo,Neroli Pedro
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.07%
Independentemente do sistema de preparo, as condições superficiais do solo que regem o processo erosivo pela água da chuva se alteram durante o desenvolvimento da cultura de milho. Ao mesmo tempo, as condições físicas de superfície do solo que maneam as perdas de solo são distintas das que conduzem as perdas de água por erosão. A hipótese desta pesquisa foi que essas alterações ocorridas durante o desenvolvimento da cultura do milho reduziriam as perdas de solo, mas não alterariam as perdas de água por erosão. Com base nisso, realizou-se este trabalho com o objetivo de avaliar o efeito de diferentes condições físicas de superfície do solo, criadas por métodos de seu preparo, nas perdas de solo e água por erosão hídrica (causada por chuva simulada), em três momentos de crescimento da cultura do milho. O estudo foi desenvolvido na EEA/UFRGS, município de Eldorado do Sul, RS, em Argissolo Vermelho distrófico típico, com textura franco-argiloarenosa no horizonte A e declividade média de 0,08 m m-1. Os tratamentos estudados, estabelecidos sobre resíduos culturais (recém-colhidos) de aveia-preta, foram: preparo convencional (uma aração+duas gradagens - A+2G), preparo reduzido 1 (uma escarificação+uma gradagem - E+G)...

Influência das condições de superfície e do cultivo do solo na erosão hídrica em um cambissolo húmico

Ramos,Júlio César; Bertol,Ildegardis; Barbosa,Fabrício Tondello; Marioti,Juliana; Werner,Romeu de Souza
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.39%
A cobertura do solo por resíduos culturais dissipa a energia cinética das gotas de chuva, enquanto a rugosidade superficial dissipa a energia cinética da enxurrada; por isso, ambas armazenam água e retêm sedimentos na superfície, diminuindo a erosão hídrica. O objetivo deste estudo foi determinar a persistência e a influência dos resíduos culturais e da rugosidade superficial em solo cultivado nas perdas de solo e água, comparando ao solo sem cultivo e descoberto, nos seguintes tratamentos: solo cultivado - coberto por resíduos de azevém (Lolium multiflorum), com rugosidade mínima (SRA); coberto por resíduos de ervilhaca (Vicia sativa), com rugosidade mínima (SRE); escarificado após o cultivo de azevém sem os resíduos culturais da parte aérea e mantendo-se apenas as raízes da cultura, com rugosidade alta (SEA); escarificado após o cultivo de ervilhaca sem os resíduos culturais da parte aérea e mantendo-se apenas as raízes da cultura, com rugosidade alta (SEE); e solo sem cultivo: sem cobertura, escarificado, com rugosidade alta (SDE). O experimento foi desenvolvido entre maio de 2011 e dezembro de 2012, em parcelas com 11 m de comprimento no sentido do declive por 3,5 m de largura. Sobre os tratamentos, aplicaram-se oito testes de chuva simulada...

Fibra da casca do coco verde como substrato agrícola

Carrijo,Osmar Alves; Liz,Ronaldo Setti de; Makishima,Nozomu
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 PT
Relevância na Pesquisa
66.13%
A produção comercial de mudas e o cultivo sem solo de hortaliças estão se tornando práticas comuns entre os olericultores. Vários materiais orgânicos como as turfas, resíduos de madeira, casca de pinus e de arroz parcialmente carbonizada ou não, ou materiais inorgânicos como areia, rochas vulcânicas, perlita, lã de rocha e a espuma fenólica já são utilizados como substratos, isoladamente ou em composição. A casca de coco verde que em muitas regiões causa transtorno ao serviço de limpeza pública pelo volume e pela dificuldade de decomposição produz uma fibra que pode ser utilizada como substrato. Para a produção da fibra, a casca de coco verde é picada, desfibrada, triturada, lavada e secada. Para o uso como substrato na produção de mudas, a fibra deve passar por um processo de compostagem. Este processo não é necessário para o uso como substrato em cultivo sem solo, mas no entanto, o substrato necessitará ser enriquecido com nutrientes em pré-plantio ou em fertirrigação. O uso do substrato da fibra de coco verde na produção de tomate em casa de vegetação, alcançou, em termos absolutos, 13,2 kg m-2 de frutos comerciais (média de 3 anos) cerca de 7,3% mais que o segundo melhor substrato, o pó de serra com 12...

Desempenho de quatro cultivares de morangueiro em duas regiões ecoclimáticas do Rio Grande do Sul

Radin,Bernadete; Lisboa,Bruno B; Witter,Sídia; Barni,Valmor; Reisser Júnior,Carlos; Matzenauer,Ronaldo; Fermino,Maria Helena
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.27%
A escolha das cultivares possui importância relevante para alcançar o sucesso no cultivo do morangueiro. No entanto, as pesquisas com cultivares, normalmente ocorrem em sistemas convencionais de produção e não em sistemas de cultivo sem solo. Em função disso, avaliaram-se quatro cultivares de morangueiro em sistema sem solo, em casas de vegetação, em duas localidades, com condições ecoclimáticas diferentes, em Eldorado do Sul (Depressão Central) e Caxias do Sul (Serra do Nordeste), no RS. Foram estudadas as cultivares de morangueiro Aromas, Camarosa, Oso Grande e Tudla. O plantio ocorreu em maio de 2005, sendo as mudas colocadas em sacolas que continham substrato composto de 50% de turfa e 50% de casca de arroz queimada. A adubação foi realizada via fertirrigação. A colheita foi feita quando os frutos apresentavam 70% de cor avermelhada até totalmente vermelhos. Os resultados mostraram que o morango, em cultivo sem solo, embora apresentasse menor rendimento por planta que em cultivo tradicional, propiciou melhor aproveitamento interno da casa de vegetação, com reflexos positivos no rendimento por área, em função da alta densidade de plantas e maior facilidade de manejo da cultura. A cultura do morangueiro apresentou maior produtividade no cultivo realizado em Caxias do Sul (235...

Cultivo sem solo do morangueiro

Giménez,Gustavo; Andriolo,Jerônimo; Godoi,Rodrigo
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.31%
O morangueiro é uma cultura importante em vários países, principalmente nos Estados Unidos e na Europa, por suas características sensoriais, propriedades nutritivas e por sua rentabilidade. O cultivo comercial sem solo de morangueiro está bem desenvolvido na Europa, onde tem permitido um aumento da produtividade e qualidade da produção assim como a ampliação da oferta do produto ao longo do ano. Predomina o sistema aberto, em sacolas ou vasos com diferentes tipos de substratos, utilizando-se densidades de 8 a 12plantas m-2. As produtividades obtidas estão entre 5 e 10kg m-2. Para isolar as plantas do solo e facilitar o manejo da cultura, os vasos ou sacolas são suspensos a uma altura entre 0,8 e 1m da superfície do solo. A composição da solução nutritiva é variável, refletindo as diferentes condições produtivas. As mudas são produzidas principalmente em bandejas com substrato, a partir de pontas de estolões obtidas da multiplicação de plantas matrizes provenientes da propagação in vitro. No Brasil, o cultivo sem solo de morangueiro é ainda incipiente e os resultados produtivos e econômicos têm sido insatisfatórios, principalmente por falta de informações de pesquisas capazes de indicar sistemas apropriados de cultivo para as condições locais. É necessário desenvolver sistemas sustentáveis...

Cultivo sem solo do morangueiro com três métodos de fertirrigação

Andriolo,Jerônimo Luiz; Jänisch,Djeimi Isabel; Oliveira,Clarisse Silva; Cocco,Carine; Schmitt,Odair José; Cardoso,Francieli Lima
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
86.13%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o crescimento e a produtividade de frutas de dois clones de morangueiro em sistema fechado sem solo e com três métodos de fertirrigação. O experimento foi conduzido no Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria, entre 14 de maio e 16 de novembro de 2007, em um bifatorial 3 x 2 com delineamento experimental inteiramente casualizado, parcelas subdivididas e três repetições. As parcelas principais foram constituídas por três métodos de fertirrigação e as subparcelas pelos clones LBD 15.1 e LBG 168.1 em leito de cultivo com substrato orgânico Plantmax PXT®. A testemunha (T1) consistiu em uma solução nutritiva completa. Em T2, as quantidades estimadas de macronutrientes P, K, Ca e Mg foram incorporados ao substrato antes do plantio e o N foi fornecido através da fertirrigação durante o período de crescimento e produção. Em T3, as quantidades de nutrientes estimadas em T2 foram fornecidas quinzenalmente por fertirrigação de acordo com o crescimento da cultura, sendo empregados os mesmos fertilizantes solúveis utilizados na elaboração de soluções nutritivas. Foram determinados o número e a produtividade de frutas durante todo o período e a produção de massa seca vegetativa ao final do experimento. A produtividade precoce e total e o número de frutas foram menores em T2. Concluiu-se que...

Produção e qualidade do morangueiro em sistemas fechados de cultivo sem solo com emprego de substratos

Godoi,Rodrigo dos Santos; Andriolo,Jerônimo Luiz; Franquéz,Gustavo Gimenez; Jänisch,Djeimi Isabel; Cardoso,Francieli Lima; Vaz,Marcos André Braz
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.27%
O objetivo do trabalho foi determinar o crescimento, a produção e a qualidade das frutas do morangueiro cultivado em três sistemas fechados sem solo e com dois substratos. Os sistemas foram testados no interior de um abrigo telado, no Departamento de Fitotecnia da UFSM, no período entre 27 de abril e 21 de novembro de 2006. Esses sistemas foram constituídos por sacolas fertirrigadas por tubos gotejadores e calhas e leito de cultivo fertirrigados por subirrigação. Foram empregados substrato orgânico Plantmax PXT® e areia. O delineamento experimental utilizado foi um fatorial 3 x 2, com quatro repetições. A fertirrigação foi feita com solução nutritiva completa, sem nenhum descarte durante todo o período experimental, e as frutas foram colhidas maduras. Foram determinados os seguintes parâmetros: a produção, a firmeza, a acidez e o teor de sólidos solúveis totais. Interações significativas entre os sistemas e os substratos foram observadas. Na areia, destacou-se o cultivo nas calhas, com produção de 1017,4g planta-1, sendo 8,13% e 8,33% superior às sacolas e ao leito de cultivo, respectivamente. A produção mais elevada foi de 1196,5g planta-1, obtida com substrato orgânico no leito de cultivo, superior às sacolas em 10...

Doses de potássio e cálcio no crescimento da planta, na produção e na qualidade de frutas do morangueiro em cultivo sem solo

Andriolo,Jerônimo Luiz; Jänisch,Djeimi Isabel; Schmitt,Odair José; Dal Picio,Miriane; Cardoso,Francieli Lima; Erpen,Lígia
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
65.99%
Com o objetivo de avaliar o efeito de doses de potássio fornecido pela fertirrigação e de cálcio na parte aérea sobre o crescimento da planta, a produção e a qualidade de frutas do morangueiro em cultivo sem solo, plantas de morangueiro foram cultivadas com solução nutritiva contendo 9 (T1), 6 (T2, testemunha) e 4,28mmol L-1 (T3) de K+ e com a solução testemunha (T2) suplementada uma vez por semana por pulverizações foliares de cálcio nas concentrações de 2,5 (T4) e 5g L-1 de CaCl2 (T5). O crescimento da planta foi reduzido no tratamento com a concentração de potássio mais elevada (T1), e o maior IAF foi obtido na dose mais elevada de CaCl2 (T5). A maior produção de frutas foi obtida em T2 e T3, a acidez (AT) foi maior em T1, enquanto o teor de sólidos solúveis (SST) e a relação SST/AT não diferiram significativamente entre os tratamentos. Concluiu-se que o aumento da concentração de potássio na solução nutritiva diminui o crescimento, a produção e a qualidade das frutas de morango e que a aplicação de cálcio na parte aérea das plantas por meio do CaCl2 reduz a produção de frutas.

Cultivo hidropônico da roseira com recírculo prolongado e com emprego de baixa tecnologia

Rodrigues,Ernesto José Resende; Minami,Keigo; Farina,Enrico
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
56.07%
O experimento sobre cultivo sem solo a ciclo fechado da roseira foi conduzidos no "Istituto Sperimentale per la Floricoltura di Sanremo". O objetivo foi encontrar um sistema simples com baixo emprego de capital, compatível com propriedades de pequeno e médio porte. O sistema se baseia no emprego de duas caixas, em terrenos de declive natural, uma caixa posicionada na parte mais baixa do terreno, de onde a solução nutritiva é bombeada e distribuída nas fertirrigações subsequentes. Nesta caixa, são também recolhidos os drenados que posteriormente irão recircular. Quando o volume se torna excessivamente reduzido, por efeito do consumo, coloca-se solução nutritiva nova, que se mistura ao drenado remanescente. A solução permanece sendo reciclada até ser considerada ruim para uso (a solução é considerada exaurida quando a Condutividade elétrica (CE) supera o teto máximo estipulado para a roseira que foi de 4000mS/cm). A partir deste momento, a solução é retirada de circulação e armazenada na caixa superior; desta é retirada uma amostra para as análises químicas, e sucessivamente reequilibrada para retornar ao sistema, como solução nova. No caso, para remoção da solução exaurida da caixa posicionada na parte inferior do conjunto...

Produ????o de mudas de oliveira em sistemas de cultivo sem solo; Production of olive seedlings in soilless systems

CAPPELLARO, Thais Helena
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Agronomia; Programa de P??s-Gradua????o em Fruticultura de Clima Temperado; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Agronomia; Programa de P??s-Gradua????o em Fruticultura de Clima Temperado; UFPel; BR
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.24%
The propagation and growth of cv. Arbequina olive cuttings were studied at different epochs, concentrations of growth regulator, environment material collection and cultivation systems, along with the maintenance and rooting of cuttings from mother plants through three experiments conducted in greenhouse and plastic greenhouse Campus Didactic and Experimental Universidade Federal de Pelotas. The experiment 1 was conducted to evaluate the most appropriate epoch for rooting, the influence of the environment where the plants were located arrays and the effect of different concentrations of IBA (IBA) on rooting semihardwood cuttings of olive, Arbequina cultivar. Rooting was tested in three epochs (winter, spring and summer), collecting material environment (greenhouse and open field) and five concentrations of IBA (0, 1000, 2000, 3000 and 4000 mg l-1). The minicuttings were collected and standardized with two pairs of buds and leaves a pair of socks and subsequently placed for rooting in plastic boxes with average particle size of vermiculite, after preparation were placed in a greenhouse with controlled temperature of 25 ?? 2 ?? C for 80 days in three epoch. The evaluated variables were: percentage of minicuttings survival, percentage of rooted minicuttings...

Clonagem de porta-enxertos e produção de mudas de pessegueiro em sistemas de cultivo sem solo; Cloning of rootstocks and production of peach seedlings without soil cultivation system

TOMAZ, Zeni Fonseca Pinto
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Agronomia; Programa de Pós-Graduação em Fruticultura de Clima Temperado; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Agronomia; Programa de Pós-Graduação em Fruticultura de Clima Temperado; UFPel; BR
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
96.36%
The objective of this study to get peach seedlings without soil cultivation system, from of rootstocks cloned through minicutting. The experiment was conducted in a greenhouse with controlled temperature located in the Didactic Field and Experimental Plant Science Department, Federal University of Pelotas (UFPel-RS), in the period from March 2010 to November 2011. Were evaluated variables relating to the rooting percentage of minicutting; the survival of minicutting after transplanting cultivation systems; height (cm); the lateral shoot number; the diameter (mm) at the base, 10 and 15cm; the foliar contents of macronutrients and micronutrients of rootstocks; the index of establishment; the lateral shoot number and the height of the cultivation of grafted Cup. The obtained results demonstrated that in article 3 the rootstock 'Capdeboscq' presented surviving 80% percentage in soilless cultivation system. The system of cultivation without soil improves the self-rooted of peach seedlings development, article 2, in relation to production in packaging. The rootstocks of Okinawa and Flordaguard cultivars, articles 1 and 3, were on average 70% of the index of establishment when grafted 'Maciel' in system of cultivation without soil. The average content of macronutrients presents similar relationship for macronutrients determined by leaf analysis...

Desenvolvimento de porta-enxertos de pessegueiro obtidos de miniestacas, em duas épocas, e sistema de cultivo sem solo

Tomaz,Zeni Fonseca Pinto; Schuch,Márcia Wulff; Peil,Roberta Marins Nogueira; Timm,Cari Rejane Fiss
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.13%
A propagação vegetativa comercial de mudas de pessegueiro por estaquia no Brasil tem sido limitada por alguns fatores, como a falta de técnicas apropriadas de manejo do ambiente de propagação, além da dificuldade no manejo da nutrição e da sobrevivência das estacas pós-enraizamento. Objetivou-se com o presente estudo avaliar o crescimento e sobrevivência de porta-enxertos de pessegueiro clonados através da miniestaquia, em sistema de cultivo sem solo, obtidos em duas épocas. Conduziu-se o trabalho em casa de vegetação e estufa agrícola localizadas no Campo Didático e Experimental do Departamento de Fitotecnia, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel/RS), no período de março - dezembro/2010 e novembro/2010 - maio/ 2011. O material vegetal utilizado para o enraizamento de miniestacas de pessegueiro foi obtido de ramos herbáceos de porta-enxertos de pessegueiro das cultivares Okinawa e Flordaguard. Miniestacas do porta-enxerto 'Flordaguard' obtidas no outono apresentaram maior porcentagem de sobrevivência quando transplantadas em sistema de cultivo sem solo. Miniestacas de porta-enxertos da cultivar Okinawa, obtidos no outono e na primavera, apresentam precocemente diâmetro adequado para a realização da enxertia. Os teores foliares de macronutrientes e micronutrientes seguiram uma ordem decrescente do pessegueiro...

Produção de mudas de pessegueiro via enxertia de gema ativa e dormente em sistema de cultivo sem solo

Tomaz,Zeni Fonseca Pinto; Schuch,Márcia Wulff; Peil,Roberta Marins Nogueira; Timm,Cari Rejane Fiss
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.03%
Uma das carências observadas na cultura do pessegueiro no Brasil é, sem dúvida, a necessidade de novas tecnologias na área de produção de mudas. A qualidade da muda e o tempo para sua formação é a base do pomar e do sucesso da exploração frutícola. A produção de mudas de pessegueiro através da estaquia vem sendo utilizada comercialmente em alguns países, tendo como principais vantagens a facilidade de realização, o baixo custo e a rapidez na produção da muda. Diante do exposto, objetivou-se com o presente estudo avaliar o comportamento da cultivar Maciel enxertada através de gema ativa e gema dormente em porta-enxertos clonados e desenvolvidos em sistema de cultivo sem solo. O trabalho foi conduzido em casa de vegetação e estufa agrícola localizadas no Campo Didático e Experimental do Departamento de Fitotecnia, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel/RS), no período de março de 2010 a maio de 2011, e de novembro de 2010 a novembro de 2011. O material vegetal utilizado foram miniestacas de pessegueiro das cultivares Okinawa e Flordaguard e, após, transplantadas para o sistema semi-hidropônico, com diâmetro adequado, foram enxertadas borbulhas de gema ativa e dormente da cultivar Maciel...

Estudo econômico da produção de pepino em cultivos com e sem solo em casas de vegetação na Turquia; Economic analysis of soilless and soil-based greenhouse cucumber production in Turkey

Engindeniz, Sait; Gül, Ayse
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2009 ENG
Relevância na Pesquisa
56.22%
Since the onset of the commercial application of soilless culture, this production approach has evoluted at a fast pace, gaining popularity among growers throughout the world. As a result, a lot of information has been developed by growers, advisors, researchers, and suppliers of equipment and substrate. This study aimed to determine the cost and return of soilless greenhouse cucumber (Cucumis sativus L.) production and to prepare a sample budget for growers. Soilless cultivation is an alternative production method for Turkish growers and it is being practised on a commercial basis on 180 ha. Cost and return budgets can be useful for growers because they allows growers to compare total production cost and revenue varying grower type, production time, geographical location, operation size, and cost structure. Growers can identify items in their budget that have a greater effect on profitability, and make adjustments. In this study, economic aspects of soilless and soil-based greenhouse cucumber production was analysed as comparative. Total costs were subtracted from total gross revenue to calculate the net return of soilless and soil-based greenhouse cucumber production. The cost items of soilless and soil-based greenhouse cucumber production were initial investment costs...