Página 1 dos resultados de 2762 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Competência social, dificuldades interpessoais e consumo de drogas em adolescentes escolares de Monterrey, N.L. México; Social Competence, Interpersonal Difficulties and Drugs Consumption among Adolescent Students in Monterrey, Nuevo León, Mexico.

López García, Karla Selene
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.23%
Estudo descritivo, correlacional, cujos objetivos foram realizar a adaptação transcultural para México dos instrumentos Teenagee Inventory of Social Skills (TISS) e o Cuestionario de Evaluación de Dificultades Interpersonales en la Adolescencia (CEDIA) e identificar as características pessoais, familiares e sociais (competência social e dificuldades interpessoais) que podem influenciar o consumo de drogas em adolescentes escolares de Monterrey, N. L. México. Seguiram-se as etapas metodológicas para a adaptação transcultural: 1) Tradução, 2) Retrotradução, 3) Revisão por um comitê de especialistas 4) Aplicação de uma prova piloto e analise das propriedades psicométricas de validação e confiabilidade dos instrumentos TISS e CEDIA, numa amostra de 1.221 estudantes de ensino fundamental. Os resultados encontrados mostraram que o instrumento TISS é uma ferramenta confiável na avaliação da competência social, obtendo-se valores de consistência interna aceitáveis ao aplicar-se em adolescentes escolares mexicanos. As Inter-correlações entre as subescalas de conduta pró-social e anti-social demonstraram ser negativas e estatisticamente significativas, o que confirma a existência de domínios de condutas diferentes...

Promoção da competência social e emocional no jardim de infância

Pereira, Joana Coutinho
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.35%
O desenvolvimento ocorre a partir do plano interpessoal, ou seja, a partir das interações e relações que estabelecemos com os outros, pelo que a competência social e emocional assume um papel determinante no mesmo, podendo ser facilitadora da aprendizagem. É importante não esquecer que o adulto, em especial o educador tem um papel fundamental neste contexto, pois a sua atitude poderá determinar o percurso do desenvolvimento da competência social e emocional nas crianças, através da sensibilidade que demonstra, da estimulação e promoção da autonomia do grupo e da sua própria postura, pela forma como se relaciona com os outros e com as próprias crianças. No entanto a realidade é complexa e cada criança faz parte de uma série de contextos, cujas relações influenciam o seu desenvolvimento, pelo que a participação das famílias e da comunidade no processo educativo é essencial. O presente trabalho propõe-se apresentar uma investigação qualitativa sobre a promoção da competência social e emocional, dinamizada num Jardim de Infância na periferia da cidade de Ílhavo. Esta competência envolve várias subcompetências, tanto ao nível da autoconsciência, como da consciência do outro, e pode ser determinante em muitos momentos da nossa vida...

Jogo de atividade física, competência motora e competência social na idade pré-escolar

Veiga, Guida; Neto, Carlos; Rieffe, Carolien
Fonte: Edições FMH Publicador: Edições FMH
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
66.31%
O jogo oferece um contexto único para o desenvolvimento da competência social. Contudo apenas poucos estudos se têm debruçado sobre o jogo de atividade física (jogo de luta e perseguição e jogo de exercício) neste âmbito. O objetivo do presente estudo foi examinar as associações entre os dois tipos de jogo de atividade física e a competência social, e averiguar se a competência motora tem um papel mediador nestas relações. Participaram 72 crianças (46 aos 68 meses) de ambos os géneros. Foi aplicado o protocolo de observação de Lindsey e Colwell para avaliar os tipos de jogo de atividade física no recreio e a bateria Movement Assessment Battery for Children, second edition para avaliar a competência motora. A competência social foi avaliada pelas educadoras através da versão portuguesa do Questionário de Capacidades e Dificuldades. Apesar de ser a forma de jogo mais frequente no recreio (entre 30% a 50% do tempo de jogo), o jogo de luta e perseguição não foi associado à competência social. Uma frequência maior de jogo de exercício foi associada a melhor competência social, contudo, ao contrário do esperado, esta relação não foi mediada pela competência motora.

A relação entre a qualidade de vinculação à mãe e o desenvolvimento da competência social em crianças de idade pré-escolar

Veríssimo, Manuela; Fernandes, Carla; Santos, António José; Peceguina, Maria Inês Duarte; Vaughn, Brian E.; Bost, Kelly K.
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.18%
O presente estudo de natureza longitudinal tem como objectivo estudar a relação entre a qualidade da vinculação da criança à mãe (em média aos 32 meses) e a sua competência social em idade pré-escolar, avaliada dois anos mais tarde. No total participaram 48 díades mãe-criança de nacionalidade portuguesa e americana. Em ambos os contextos sócio culturais constatou-se que a qualidade da vinculação está positiva e significativamente correlacionada com a competência social. Estes resultados sugerem que as relações de vinculação mãe-criança são facilitadoras da adaptação da criança ao grupo pré-escolar, na medida em que promovem o envolvimento positivo com os pares, potenciado uma variedade de competências que contribuem para a aceitação no grupo de pares. ------ ABSTRACT ------ In this study, we attempted to map early attachment security to the development of social competence in preschool years. Participants were 48 mother dyads from two different countries (Portugal and the United States of America). Positive and significant correlations were found between the AQS security score and the social competence. The results suggest that the parent-child attachment relationships contribute to children’s adaptation in the preschool peer group by promoting positive engagement with peers and by supporting a range of skills that underlie peer acceptance.

Modelos internos dinâmicos e competência social da criança no pré-escolar

Antunes, Marta Justino Ferrúcio
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.25%
O presente estudo tem como objectivo analisar a relação concorrente entre as representações internas da relação de vinculação e a competência social em crianças do pré-escolar, aos 5 anos. Aplicou-se, às 102 crianças participantes, a Attachment Story Completion Task, a fim de se avaliar os Modelos Internos Dinâmicos de vinculação e um conjunto de indicadores da competência social que compreendem a avaliação deste constructo de acordo com o Modelo Hierárquico. Utilizou-se, ainda, a edição revista da Wechsler Preschool and Primary Scale of Intelligence para controlar os efeitos da capacidade linguística na produção das narrativas. Verificou-se a existência de uma correlação positiva e significativa entre as representações da vinculação e as medidas sociométricas da competência social, que definem o domínio da aceitação social. Estes resultados sugerem que crianças com uma representação segura das relações de vinculação são mais activas socialmente, apresentando uma maior iniciativa na interacção com os seus pares o que, por sua vez, contribui para a sua aceitação social.; ABSTRACT: The present study attempts to analyze the concurrent relation between internal representations of attachment and social competence in preschool children...

Competências para a vida em adolescentes: avaliação da qualidade de vida relacionada com a saúde e da competência social

Monteiro, Maria João Mateus
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.3%
Dissertação de mest., Psicologia da Educação (Necessidade Educativas Especiais), Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Univ. do Algarve, 2011; Este estudo pretendeu descrever e analisar a competência social e a qualidade de vida, percebida, relacionada com a saúde, em adolescentes do ensino regular e os que frequentam turmas CEF/PCA. Participaram no estudo 189 adolescentes, do 2º, 3º ciclos, e ensino secundário, no Algarve, com idades entre os 14 e os 18 anos (X=15,6; DP=1,190), sendo 53% raparigas e 47% rapazes. De acordo com o tipo de ensino, foram divididos em dois grupos: um de alunos de turmas regulares (101 alunos) e outro de alunos pertencentes a cursos de educação e formação (CEF) e a percursos curriculares alternativos (PCA) (88 alunos). Foram utilizados os seguintes instrumentos: questionário de dados sóciodemográficos; inventário de Situações de Vida Stressantes (Oliva, Jiménez, Parra, & Sánchez-Queijiga, 2008); escala SSRS - Social Skills Rating System (versão estudantes), (Gresham & Elliott, 1990); e o Kidscreen 52 (versão portuguesa para crianças e adolescentes) (Gaspar & Matos, 2008a). Os resultados indicam percepções positivas da competência social e da qualidade de vida relacionada com a saúde...

A avaliação da competência social: versão portuguesa da forma para professores do SSRS

Lemos,Marina Serra de; Meneses,Helena Isabel
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 PT
Relevância na Pesquisa
66.22%
O trabalho de investigação aqui apresentado teve um duplo objetivo: explorar as dimensões da competência social em crianças portuguesas e adaptar um instrumento de avaliação válido para a investigação e intervenção nesta área e utilizável em contexto escolar. Nesse sentido, o presente estudo examinou a estrutura fatorial e a consistência interna da escala para professores do Social Skills Rating System - nível básico, de Gresham e Elliott (1990) em 342 alunos do 3º e 6º anos de escolaridade. Este instrumento destina-se a avaliar a competência social, baseando-se numa perspectiva multidimensional. Os resultados apóiam uma concepção multifacetada da competência social e são semelhantes aos apresentados em estudos prévios.

Competência social, inclusão escolar e autismo: um estudo de caso comparativo

Camargo,Síglia Pimentel Höher; Bosa,Cleonice Alves
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.15%
A presente pesquisa analisou o perfil de competência social (CS) de uma criança pré-escolar com autismo, na escola comum comparado a uma criança com desenvolvimento típico e investigou a influência do ambiente escolar (sala de aula ou pátio) no perfil de CS de ambas. As interações sociais com seus pares foram filmadas, na escola, e a codificação dos vídeos foi realizada por um avaliador independente. Utilizou-se como instrumento a versão adaptada da Escala Q-sort de CS. Os resultados demonstraram que enquanto o perfil de competência social da criança com desenvolvimento típico pouco variou entre os contextos, a criança com autismo demonstrou maior frequência de comportamentos de cooperação e asserção social e menor frequência de agressão e desorganização do self, no pátio.

Competência social, inclusão escolar e autismo: revisão crítica da literatura

Camargo,Síglia Pimentel Höher; Bosa,Cleonice Alves
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
76.17%
O autismo se caracteriza pela presença de um desenvolvimento acentuadamente atípico na interação social e comunicação, assim como pelo repertório marcadamente restrito de atividades e interesses. Estas características podem levar a um isolamento contínuo da criança e sua família. Entretanto, acredita-se que a inclusão escolar pode proporcionar a essas crianças oportunidades de convivência com outras da mesma faixa etária, constituindo-se num espaço de aprendizagem e de desenvolvimento da competência social. O objetivo deste estudo foi revisar criticamente a literatura a respeito do conceito de competência social e dos estudos atualmente existentes na área de autismo e inclusão escolar. Identificaram-se poucos estudos sobre este tema, os quais apresentam limitações metodológicas. Este panorama aponta para a necessidade de investigações que demonstrem as potencialidades interativas de crianças com autismo e a possibilidade de sua inclusão no ensino comum, desde a educação infantil.

Competência social e práticas educativas parentais em adolescentes com alto e baixo rendimento acadêmico

Sapienza,Graziela; Aznar-Farias,Maria; Silvares,Edwiges Ferreira de Mattos
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.14%
Este trabalho investigou as relações entre competência social, práticas educativas parentais e rendimento acadêmico em adolescentes. Participaram deste estudo 66 adolescentes divididos em dois grupos: alto e baixo rendimento acadêmico. Os instrumentos utilizados foram o CBCL e o YSR (Achenbach, 1991) e o IEP (Gomide, 2006). Os resultados mostraram que adolescentes de alto rendimento acadêmico são percebidos pelos pais como socialmente competentes e são criados com mais práticas educativas parentais positivas. Esses dados indicam que o rendimento acadêmico também é influenciado pela competência social e pelo modo como os adolescentes são educados pelos pais. Esses aspectos devem ser considerados em intervenções que pretendem promover a melhoria do rendimento acadêmico e o desenvolvimento de comportamentos ajustados ao contexto escolar.

A relação entre a qualidade da vinculação à mãe e o desenvolvimento da competência social em crianças de idade pré escolar

Verissimo,Manuela; Fernandes,Carla; Santos,Antonio J.; Peceguina,Inês; Vaughn,Brian E.; Bost,Kelly K.
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.14%
O presente estudo de natureza longitudinal tem como objectivo estudar a relação entre a qualidade da vinculação da criança à mãe (em média aos 32 meses) e a sua competência social em idade pré-escolar, avaliada dois anos mais tarde. No total participaram 48 díades mãe-criança de nacionalidade portuguesa e americana. Em ambos os contextos sócio culturais constatou-se que a qualidade da vinculação está positiva e significativamente correlacionada com a competência social. Estes resultados sugerem que as relações de vinculação mãe-criança são facilitadoras da adaptação da criança ao grupo pré-escolar, na medida em que promovem o envolvimento positivo com os pares, potenciado uma variedade de competências que contribuem para a aceitação no grupo de pares.

Competência social e empatia: um estudo sobre resiliência com crianças em situação de pobreza

Cecconello,Alessandra Marques; Koller,Sílvia Helena
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
66.14%
O objetivo desse estudo foi avaliar a competência social e a empatia em crianças escolares que vivem em situação de pobreza. Participaram da pesquisa 100 crianças, de ambos os sexos, com idades entre seis e nove anos. Os instrumentos utilizados foram o Teste das Histórias Incompletas (THI) (Mondell & Tyler, 1981) e a Escala de Empatia (Bryant, 1982), que avaliaram, respectivamente, competência social e empatia. Os resultados demonstraram que as meninas são mais competentes socialmente e mais empáticas do que os meninos. Da mesma forma, as crianças mais empáticas tendem a ser mais competentes socialmente do que as outras. De um modo geral, os dados obtidos enfatizam a importância dessas duas características como fatores de proteção, contribuindo para a resiliência e adaptação.

Depressão, ansiedade e competência social em crianças obesas

Luiz,Andreia Mara Angelo Gonçalves; Gorayeb,Ricardo; Liberatore Júnior,Raphael Del Roio; Domingos,Neide Aparecida Micelli
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.14%
Obesidade infantil alcança índices preocupantes, e sua ocorrência na população brasileira tem adquirido grande significância na área da saúde, principalmente devido ao impacto que causa na vida das crianças, trazendo conseqüências físicas, sociais, econômicas e psicológicas. Neste artigo dá-se ênfase à depressão, ansiedade e competência social, dentre os múltiplos fatores relacionados à obesidade infantil. Discutem-se aqui estudos que mostram estes fatores como causa ou como conseqüência da obesidade infantil, apesar de não haver consenso na área. Porém, a ocorrência concomitante de depressão, ansiedade e déficits de competência social com obesidade infantil demonstra a relevância deste tema. Uma maior difusão deste conhecimento bem como a proliferação destes estudos são importantes para proporcionar um atendimento e intervenção adequada a essa população.

Avaliação da competência social em crianças em situação de risco

Cecconello,Alessandra Marques; Koller,Sílvia Helena
Fonte: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia Publicador: Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.23%
Este artigo descreve a adaptação do Teste das Histórias Incompletas (THI) para avaliação da competência social com crianças brasileiras que vivem em situação de risco. O THI consiste em quinze histórias incompletas que avaliam competência social por meio de três subescalas, que são confiança, auto-eficácia e iniciativa. Participaram deste estudo 100 crianças escolares entre seis e nove anos. As análises mostraram diferença significativa entre os sexos e entre as idades, nas quais as meninas e as crianças mais velhas obtiveram melhores resultados do que as demais, sendo mais competentes socialmente. Este estudo permite considerar que características como confiança, auto-eficácia e iniciativa podem ser analisadas como atributos de competência social, as quais podem servir para embasar o planejamento de programas de intervenção que visem ao desenvolvimento da competência social. Neste sentido, o THI consiste em um importante instrumento que pode ser utilizado como recurso de avaliação para subsidiar tais programas.

Empatia, competência social : um estudo das relações entre resiliência, fatores de risco e proteção de crianças em situação de risco

Santana, Laila Barbosa de; Roazzi, Antonio (Orientador); Sampaio, Leonardo (Coorientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
66.27%
Diversos infantes se encontram em contextos de risco e stress, o que pode comprometer o seu desenvolvimento físico, cognitivo, afetivo. Contudo, estudos salientam também que algumas crianças expostas às adversidades não apresentam comprometimentos em seu desenvolvimento (Cecconello, 1999). Com isso, nota-se que muitos infantes conseguem vivenciar estas situações, e desenvolvem algumas capacidades como os processos de resiliência. Outro ponto relevante, é que pesquisas destacam a possibilidade da empatia e competência social (Cecconello & Koller, 2000) agirem como fatores protetivos e influenciadores do desenvolvimento da resiliência. Sendo assim, considerando a relevância de tal tema e partindo do pressuposto que a empatia e competência social podem ser consideradas como fatores protetivos e influenciadores no desenvolvimento da resiliência é que, a presente dissertação teve como objetivo principal investigar as relações existentes entre os fatores protetivos (a empatia, a competência social), os de riscos e stress como influenciadores do desenvolvimento do processo da resiliência em crianças que vivenciam situações de riscos/stress. Tendo como objetivos específicos, verificar se a relação dos fatores protetivos...

Educación física vs competencia social y ciudadana. Más allá del deporte y la competición

Santamaría del Olmo, Rubén
Fonte: Universidade de Cantabria Publicador: Universidade de Cantabria
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
SPA
Relevância na Pesquisa
66.18%
RESUMEN: Cuando hablamos de competencias, aludimos al cambio, por eso la inclusión de las competencias básicas en el currículum supone un factor de mejora de los centros educativos. Por esa razón, presentamos a continuación una propuesta didáctica denominada “Deporte y sostenibilidad” para el sexto curso de primaria aludiendo al desarrollo de la competencia social y ciudadana en el área de educación física y tomando el reciclaje como principal herramienta de trabajo. Por ello, tomamos como referencia un proyecto llevado a cabo en varios centros educativos de Cantabria denominado “Sueño por un planeta verde y azul” que tiene como propósito concienciar al alumnado acerca del cuidado y sostenibilidad de nuestro medio ambiente. Para ello, se toma como principales métodos el estudio de casos y el aprendizaje orientado en proyectos para poder alcanzar en el aula ese clima de confianza que nos permita desarrollar nuestra propuesta didáctica presentada en este TFG. A través de actividades sencillas evaluadas mediante una rúbrica presentada en el anexo II pretendemos emitir un juicio de valor acerca del progreso y aprendizaje del alumnado. A través del trabajo de la competencia social y ciudadana fomentamos el respeto...

Efecto del programa Aprender a Convivir en la competencia social y en los problemas de conducta del alumnado de 3 a??os

Justicia Arr??ez, Ana; Pichardo Mart??nez, Mar??a del Carmen; Justicia Justicia, Fernando
Fonte: Universidad de Murcia Publicador: Universidad de Murcia
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
66.27%
La competencia social facilita el ajuste social y escolar del individuo siendo un importante factor de protecci??n frente a la aparici??n de problemas de conducta. La adquisici??n de habilidades relacionadas con esta competencia depende en gran medida del ambiente y la estimulaci??n temprana, cobrando gran importancia los programas de intervenci??n educativa. El objetivo de este estudio consiste en analizar los efectos de un programa de intervenci??n temprana (Aprender a Convivir) dirigido al desarrollo de la competencia social del alumnado de 3 a??os. Para valorar el impacto del programa se tomaron medidas pretest y postest entre los participantes y se realiz?? la comparaci??n entre el grupo control (n=151) y el grupo experimental (n=162) a trav??s de un ANOVA mixto de medidas repetidas. Por otro lado, se llev?? a cabo un ANCOVA para eliminar las diferencias pretest entre los grupos en el caso de que fuesen significativas. Los resultados de la investigaci??n se??alan una mejora del grupo experimental con respecto al grupo control en todas las variables de competencia social (cooperaci??n d=0.32; interacci??n d=0.65; e independencia social d=0.35) y de problemas de conducta (interiorizados d=0.63; y exteriorizados d=0.57) analizadas. Tambi??n se hallaron diferencias de sexo en cada una de las variables; Social competence facilitates social and school adjustment of the individual and has emerged as one of the most important protective factor against the development of behavioral problems. Acquiring skills related to this competence depends largely on the environment and early stimulation...

Efectos de un programa de intervenci??n para la mejora de la competencia social en ni??os de educaci??n primaria en Bolivia

Pichardo Mart??nez, Mar??a del Carmen; Garc??a Berb??n, Trinidad; Justicia Justicia, Fernando; Llanos Baldivieso, Claudia Cecilia
Fonte: Universidad de Almer??a Publicador: Universidad de Almer??a
Tipo: Artigo de Revista Científica
SPA
Relevância na Pesquisa
66.16%
Los datos demuestran que el desarrollo adecuado y positivo de habilidades sociales en la infancia es un cimiento importante para el buen ajuste social, ocupacional y personal a lo largo de la vida. Igualmente, el desarrollo de habilidades sociales inadecuadas durante la ni??ez est?? asociado a diversas consecuencias negativas, incluyendo problemas psiqui??tricos, problemas externos como la conducta antisocial agresiva y el trastorno por d??ficit de atenci??n por hiperactividad, as?? como problemas internos como la depresi??n, el retraimiento social y la ansiedad. Por todo ello, consideramos de vital importancia el desarrollo de estas habilidades en edades tempranas. Este estudio pretende evaluar los efectos de un programa de habilidades sociales, dirigido a ni??os y ni??as de primero, segundo y tercer curso de Educaci??n Primaria de la ciudad de Santa Cruz de la Sierra (Bolivia). Los resultados muestran una mejora significativa en competencia social y socializaci??n en los participantes.; Scientific findings show that an adequate and positive development of social skills during childhood is an important base of social, occupational and personal adjustment through life-span. On the other hand, it has been stablished that unfit social skills development during childhood is associated with negative effects like aggressive and antisocial behaviors...

Efecto del programa Aprender a Convivir en la competencia social y en los problemas de conducta del alumnado de 3 años

Justicia-Arráez,Ana; Pichardo,Carmen; Justicia,Fernando
Fonte: Anales de Psicología Publicador: Anales de Psicología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/10/2015 SPA
Relevância na Pesquisa
66.24%
La competencia social facilita el ajuste social y escolar del individuo siendo un importante factor de protección frente a la aparición de problemas de conducta. La adquisición de habilidades relacionadas con esta competencia depende en gran medida del ambiente y la estimulación temprana, cobrando gran importancia los programas de intervención educativa. El objetivo de este estudio consiste en analizar los efectos de un programa de intervención temprana (Aprender a Convivir) dirigido al desarrollo de la competencia social del alumnado de 3 años. Para valorar el impacto del programa se tomaron medidas pretest y postest entre los participantes y se realizó la comparación entre el grupo control (n=151) y el grupo experimental (n=162) a través de un ANOVA mixto de medidas repetidas. Por otro lado, se llevó a cabo un ANCOVA para eliminar las diferencias pretest entre los grupos en el caso de que fuesen significativas. Los resultados de la investigación señalan una mejora del grupo experimental con respecto al grupo control en todas las variables de competencia social (cooperación d=0.32; interacción d=0.65; e independencia social d=0.35) y de problemas de conducta (interiorizados d=0.63; y exteriorizados d=0.57) analizadas. También se hallaron diferencias de sexo en cada una de las variables.

Efeitos da intervenção psicológica na competência social de adolescentes obesos

Sapienza,Graziela; Schoen,Teresa; Fisberg,Mauro
Fonte: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde Publicador: Sociedade Portuguesa de Psicologia da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.24%
Adolescentes obesos têm dificuldades no engajamento em atividades físicas, na conscientização acerca dos problemas e consequências da obesidade e apresentam problemas psicológicos que prejudicam a competência social. Esse artigo descreve os efeitos de intervenção psicológica, concomitante à orientação de pais, na competência social e na redução do IMC de adolescentes obesos que participaram de um programa de intervenção multidisciplinar (psicológica, nutricional e física) para controle e redução de peso. Participaram 39 adolescentes separados em três grupos de intervenção: grupo experimental completo (intervenção psicológica com adolescentes e pais) - G1, grupo experimental simples (intervenção psicológica com os pais) - G2 e grupo controle (sem intervenção psicológica) - G3. Os adolescentes dos três grupos praticavam atividade física e tiveram orientação nutricional. Foram realizadas avaliação antropométrica e avaliação de competência social. Nove meses após intervenção, adolescentes de todos os grupos tornaram-se mais socialmente competentes segundo os pais, mas os do G2 apresentaram uma percentagem maior de mudança (33%, n=5). A intervenção psicológica voltada ao desenvolvimento da competência social trouxe benefícios para os adolescentes que participaram do programa para prevenção e tratamento da obesidade...