Página 1 dos resultados de 13 itens digitais encontrados em 0.000 segundos

Redução da primeira dose de GnRH em vacas holandesas de alta produção sincronizadas com Ovsynch ou Heatsynch; Reduction of first GnRH dosage in high-yielding holstein cows synchronized with Ovsynch or Heatsynch

LIMA, Flávio Aragon; VERAS, Márcio Barciela; SALES, José Nélio de Sousa; CREPALDI, Gabriel Armond; MAIO, José Ricardo Carla de; BARUSELLI, Pietro Sampaio
Fonte: São Paulo Publicador: São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
17.62%
O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito da redução da primeira dose de GnRH (10 vs 20 µg) e do tipo de protocolo de sincronização para a IATF (Ovsynch e Heatsynch) na taxa de prenhez de vacas holandesas de alta produção sincronizadas para IATF (n = 581). Os animais foram distribuídos entre os tratamentos e alocados em arranjo fatorial 2x2, sendo: Trat 1- Ovsynch (20 µg GnRH no D0; PGF no D7; 10 µg GnRH no D9 e IATF no D10; n = 141), Trat 2- ½ Ovsynch (10 µg GnRH no D0; PGF no D7; 10 µg GnRH no D9 e IATF no D10; n = 159), Trat 3- Heatsynch (20 µg GnRH no D0; PGF no D7; 1 mg BE no D8 e IATF no D10; n = 147) e Trat 4- ½ Heatsynch (10 µg GnRH no D0; PGF no D7; 1 mg BE no D8 e IATF no D10; n = 134). O Grupo Ovsynch (Trat 1 e 2) apresentou maior taxa de prenhez que o grupo Heatsynch (Trat 3 e 4) aos 28 dias (45,7% (137/300) e 39,9% (112/281), respectivamente; P = 0,07) e aos 56 dias de gestação (41,0% (123/300) e 34,2% (96/281), respectivamente; P = 0,06). A dose de GnRH, não influenciou (P > 0.10)a taxa de prenhez aos 28 dias (44,4% (128/288) vs 41,3% (121/293); P = 0,50) e aos 56 dias (38,2% (110/288) vs 37,2% (109/293); P = 0,68) entre os grupos tratados com 10 µg ou 20 µg de acetato de buserelina. As perdas gestacionais (ente 28 e 56 dias) não diferiram entre os protocolos para IATF e dose de GnRH (P > 0...

Efeito do ambiente endócrino peri-ovulatório na expressão gênica e proteica de transportadores de glicose no endométrio durante a primeira semana do ciclo estral em bovinos de corte; Effect of the periovulatory endocrine milieu on endometrial glucose transporters gene and protein expression during the first week post-estrus in beef cattle

França, Moana Rodrigues
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
16.9%
Em bovinos de corte, maiores diâmetros do folículo pré-ovulatório (FPO) e as subsequentes altas concentrações de progesterona [P4] aumentam o crescimento do concepto e a taxa de prenhez. Formulou-se a hipótese que a modulação do tamanho do FPO e [P4] no diestro subsequente à ovulação do FPO estimulam a expressão endometrial de transcritos e proteínas da famílias das Solute Carrier Proteins (SLC) que estão relacionadas ao transporte de glicose. Vacas Nelore (n=60), solteiras e ciclando receberam duas injeções de PGF2α (PGF; 0,5mg; i.m.) com intervalo de 14 dias. Dez dias após (dia -10; D-10), receberam um dispositivo intravaginal liberador de P4 e benzoato de estradiol (2mg; i.m.). Para modular o crescimento do FPO e alterar a produção de P4 pós-ovulação, no D-10 os animais receberam PGF (grupo alta P4; AP) ou não (grupo baixa P4; BP). Dispositivos foram removidos e PGF injetada 60 a 42 horas antes da indução da ovulação para o grupo AP e 48 a 30 horas antes da indução para o grupo BP e ovulações foram induzidas com GnRH (buserelina; 10µg; i.m.) no D0. Crescimento e ovulação do FPO e formação do CL foram avaliados por ultrassom e [P4] medidas por radioimunoensaio. No D7 os animais que ovularam foram abatidos (AP...

Eficiência reprodutiva de búfalas leiteiras submetidas a protocolos de IATF à base de P4/E2 e eCG durante as estações reprodutivas favorável e desfavorável; Reproductive performance of dairy buffaloes submitted to TAI protocols based on P4/E2 and eCG during breeding and nonbreeding seasons

Monteiro, Bruno Moura
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
16.9%
Os objetivos da tese foram comparar a dinâmica folicular e luteínica (Experimento 1), bem como a eficiência reprodutiva (Experimento 2) de búfalas leiteiras submetidas a protocolos de IATF à base de progesterona/estrógeno (P4/E2) e eCG durante as estações reprodutivas favorável (ERF; maio, junho e julho) e desfavorável (ERD; novembro, dezembro e janeiro) do ano. No Experimento 1 foram utilizadas 51 búfalas leiteiras de uma propriedade e no Experimento 2, 351 búfalas leiteiras de 5 propriedades. Para comparar o efeito das ER, cada propriedade teve semelhante número de animais submetidos à IATF nas respectivas ERF e ERD, tanto no Experimento 1 (n=25 vs. n=26) quanto no Experimento 2 (n=168 vs. n=183). Todas as propriedades se localizavam na região do Vale do Ribeira, Estado de São Paulo. Em dias aleatórios do ciclo estral (D-12; 16:00 h), todas as búfalas receberam um dispositivo intravaginal contendo 1 g de P4 (iP4; Sincrogest®, Ourofino Agronegócio) mais 2,0 mg de benzoato de estradiol i.m. (Sincrodiol®, Ourofino Agronegócio). No D-3 (16:00 h), as fêmeas receberam 0,53 mg de PGF2α i.m. (Cloprostenol, Sincrocio®, Ourofino Agronegócio) e 400 UI de eCG i.m. (Novormon® MSD Saúde Animal), seguido de remoção do dispositivo de progesterona. No D-1 (16:00 h)...

Taxa de gestação e níveis plasmáticos de progesterona, em receptoras de embrião bovino, tratadas com buserelina após a inovulação

Galimberti,Antonio Marcos; Fonseca,Francisco Aloízio; Araujo,Manoel Carlos Couto; Costa,Eduardo Paulino da; Freitas,Célio de; Guimarães,José Domingos; Ferreira,Ademir de Moraes
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2001 PT
Relevância na Pesquisa
38.22%
Foram utilizadas 42 vacas ou novilhas mestiças, de aptidão leiteira, distribuídas em dois tratamentos: T1 ( n=22 ) - grupo controle, sem tratamento hormonal; T2 (n=20) - grupo tratado com buserelina no quarto dia após a transferência de embrião (inovulação), com o objetivo de avaliar o efeito do tratamento hormonal na taxa de gestação e nas concentrações plasmáticas de progesterona das receptoras de embrião bovino. As coletas de sangue para obtenção do plasma sangüíneo foram realizadas no dia da inovulação (dia 0) e de dois em dois dias, num total de cinco amostras por receptora. O diagnóstico de gestação foi realizado via transretal. O uso de um agonista do GnRH (Buserelina) no 4º dia após a inovulação não resultou em diferença entre os tratamentos na taxa de gestação. Entretanto, os níveis de progesterona das receptoras gestantes do grupo-tratado foram maiores em comparação às do grupo-controle.

Desenvolvimento folicular no pós-parto de vacas da raça Gir tratadas com acetato de buserelina (GnRH) ou gonadotrofina coriônica humana (hCG)

Borges,Álan Maia; Torres,Ciro Alexandre Alves; Rocha Júnior,Vicente Ribeiro; Ruas,José Reinaldo Mendes; Carvalho,Giovanni Ribeiro de; Marcatti Neto,Alberto; Carvalho,Bruno de Campos
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.62%
Foram utilizadas 22 vacas da raça Gir (Bos indicus) em anestro pós-parto, amamentando e mantidas sob regime de pastejo. O padrão de crescimento folicular foi estudado em 15 animais, enquanto os outros sete foram utilizados somente no acompanhamento da resposta aos tratamentos hormonais. Ultra-sonografia em tempo real foi realizada diariamente, do quarto ao qüinquagésimo dia de lactação, por meio de aparelho equipado com probe de 5MHz. Nenhum animal apresentou estro, ovulação ou luteinização folicular durante o período de avaliação. Verificaram-se quatro a oito ondas foliculares surgindo em intervalos de seis a sete dias, cujo diâmetro máximo dos folículos dominantes e subordinados foi de 8,9±0,6 e 6,3±0,7mm, respectivamente. Aos 56 dias pós-parto, as 22 vacas foram divididas em dois grupos: 11 tratadas com 4,2 mig de acetato de buserelina e 11 com 3.000UI de hCG. A ovulação, regressão e luteinização folicular foram verificadas em animais dos dois tratamentos e uma nova onda folicular surgiu dentro de dois a três dias após a terapia hormonal. Corpos lúteos de menor tamanho e concentrações de progesterona abaixo de 1ng/mL indicaram baixa atividade luteal.

Sincronização da onda folicular com buserelina prévia à indução da luteólise com cloprostenol em bovinos

Costa, Deiler Sampaio; Torres, Ciro Alexandre Alves; Fernandes, Carlos Antônio de Carvalho; Junqueira, Luiz Arthur C.; Almeida, Cláudia D'avila de; Alvim, Sandro Campos
Fonte: Revista Brasileira de Zootecnia Publicador: Revista Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
28.38%
Este experimento foi realizado para verificar o efeito da aplicação de diferentes doses de um análogo de GnRH (buserelina) sobre a emergência de nova onda de crescimento folicular e o número de folículos recrutados dessa onda, a formação de corpo lúteo acessório, o diâmetro do folículo dominante e do corpo lúteo espontâneo no dia da aplicação do luteolítico e subseqüente taxa de sincronização e o intervalo da aplicação de PGF2α à manifestação do estro. Vinte fêmeas bovinas em diestro, mestiças Holandês x Zebu e Simental x Zebu foram, distribuídas em quatro tratamentos contendo cinco animais cada. No tratamento 1, os animais receberam 4 mg IM de buserelina no dia z 0 (dia em que se iniciou o tratamento) e 150 mg de D(+) cloprostenol no dia 6. Nos tratamentos 2, 3 e 4, receberam, respectivamente, 6, 8 e 10 mg de buserelina, pela mesma via de aplicação, e 150mg de D(+) cloprostenol no dia 6. A atividade ovariana foi monitorada diariamente, com auxílio do aparelho de ultra-sonografia, do dia 0 ao estro, ou até o dia 11 pós-tratamento, naqueles animais que não responderam à prostaglandina. A aplicação de 8 ou 10 mg de buserelina em fase indeterminada do diestro, nas fêmeas bovinas mestiças, promoveu emergência de nova onda de crescimento folicular mais rápida que aplicações de 4 ou 6 mg do mesmo hormônio; enquanto os outros parâmetros avaliados não diferiram entre os animais dos tratamentos.; ABSTRACT - This experiment was carried out to verify the effect of the administration of different doses of GnRH (buserelin) analogue on the emergence of a new follicular growth wave and the number of recruited follicles from this wave...

Dinâmica folicular ovariana de vacas leiteiras no pós-parto após tratamentos com buserelina (GnRH) e cloprostenol (PGF2alfa)

Figueiredo,Margarida Maria Nascimento; Fonseca,Francisco Aloizio; Torres,Ciro Alexandre Alves; Galimberti,Antônio Marcos; Almeida,Cláudia D'Ávila de
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
27.62%
O objetivo deste trabalho foi verificar os efeitos da administração de 10 mig de buserelina (GnRH), mediante a presença de um folículo ovariano com diâmetro ³ 10 mm, associada a uma dose de 500 mig de cloprostenol seis dias após, ou de duas doses de 500 mig de cloprostenol (PGF2alfa) no 12º 26º dia após o parto, sobre a dinâmica folicular e o restabelecimento da atividade ovariana cíclica em 15 vacas mestiças holandês-zebu, eqüitativamente e aleatoriamente distribuídas em três grupos de tratamento. Realizou-se a ultra-sonografia em dias alternados do 14º ao 26º dia pós-parto e em dias consecutivos até o final do segundo ciclo estral e coletaram-se amostras de sangue, duas vezes por semana, para determinação das concentrações de progesterona, pelo método de radioimunoensaio. Observou-se que, independente do tratamento hormonal, os segundos ciclos estrais pós-parto apresentam como padrão duas ondas de crescimento folicular, em que a emergência da primeira e da segunda onda ocorreu nos dias 0 e 10, respectivamente, e folículos dominantes da primeira onda podem persistir durante todo o intervalo inter-ovulatório, sem influenciar a dinâmica folicular. O tratamento com duas doses de PGF2a reduziu em 20 dias o período de serviço e tendeu a melhorar o índice de concepção ao primeiro serviço...

Sincronização da onda folicular com buserelina prévia à indução da luteólise com cloprostenol em bovinos

Costa,Deiler Sampaio; Torres,Ciro Alexandre Alves; Fernandes,Carlos Antônio de Carvalho; Junqueira,Luiz Arthur C.; Almeida,Cláudia D'avila de; Alvim,Sandro Campos
Fonte: Sociedade Brasileira de Zootecnia Publicador: Sociedade Brasileira de Zootecnia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
38.49%
Este experimento foi realizado para verificar o efeito da aplicação de diferentes doses de um análogo de GnRH (buserelina) sobre a emergência de nova onda de crescimento folicular e o número de folículos recrutados dessa onda, a formação de corpo lúteo acessório, o diâmetro do folículo dominante e do corpo lúteo espontâneo no dia da aplicação do luteolítico e subseqüente taxa de sincronização e o intervalo da aplicação de PGF2α à manifestação do estro. Vinte fêmeas bovinas em diestro, mestiças Holandês x Zebu e Simental x Zebu foram, distribuídas em quatro tratamentos contendo cinco animais cada. No tratamento 1, os animais receberam 4 mg IM de buserelina no dia z 0 (dia em que se iniciou o tratamento) e 150 mg de D(+) cloprostenol no dia 6. Nos tratamentos 2, 3 e 4, receberam, respectivamente, 6, 8 e 10 mg de buserelina, pela mesma via de aplicação, e 150mg de D(+) cloprostenol no dia 6. A atividade ovariana foi monitorada diariamente, com auxílio do aparelho de ultra-sonografia, do dia 0 ao estro, ou até o dia 11 pós-tratamento, naqueles animais que não responderam à prostaglandina. A aplicação de 8 ou 10 mg de buserelina em fase indeterminada do diestro, nas fêmeas bovinas mestiças, promoveu emergência de nova onda de crescimento folicular mais rápida que aplicações de 4 ou 6 mg do mesmo hormônio; enquanto os outros parâmetros avaliados não diferiram entre os animais dos tratamentos.

Efecto de la buserelina, análogo de la hormona liberadora de gonadotrofinas, sobre la fertilidad en vacas de lechería, administrada al momento de la primera inseminación postparto

Tello C., Luis; Ramíres C., Jesús; Sauer V, Martín; Scheidegger, Arturo; Von Frey G., Walter
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Artículo de revista
ES
Relevância na Pesquisa
16.9%

Reduction of first GnRH dosage in high-yielding holstein cows synchronized with Ovsynch or Heatsynch; Redução da primeira dose de GnRH em vacas holandesas de alta produção sincronizadas com Ovsynch ou Heatsynch

Lima, Flávio Aragon; Veras, Márcio Barciela; Sales, José Nélio de Sousa; Crepaldi, Gabriel Armond; Maio, José Ricardo Garla de; Baruselli, Pietro Sampaio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2010 POR
Relevância na Pesquisa
17.62%
O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito da redução da primeira dose de GnRH (10 vs 20 µg) e do tipo de protocolo de sincronização para a IATF (Ovsynch e Heatsynch) na taxa de prenhez de vacas holandesas de alta produção sincronizadas para IATF (n = 581). Os animais foram distribuídos entre os tratamentos e alocados em arranjo fatorial 2x2, sendo: Trat 1- Ovsynch (20 µg GnRH no D0; PGF no D7; 10 µg GnRH no D9 e IATF no D10; n = 141), Trat 2- ½ Ovsynch (10 µg GnRH no D0; PGF no D7; 10 µg GnRH no D9 e IATF no D10; n = 159), Trat 3- Heatsynch (20 µg GnRH no D0; PGF no D7; 1 mg BE no D8 e IATF no D10; n = 147) e Trat 4- ½ Heatsynch (10 µg GnRH no D0; PGF no D7; 1 mg BE no D8 e IATF no D10; n = 134). O Grupo Ovsynch (Trat 1 e 2) apresentou maior taxa de prenhez que o grupo Heatsynch (Trat 3 e 4) aos 28 dias (45,7% (137/300) e 39,9% (112/281), respectivamente; P = 0,07) e aos 56 dias de gestação (41,0% (123/300) e 34,2% (96/281), respectivamente; P = 0,06). A dose de GnRH, não influenciou (P >; 0.10)a taxa de prenhez aos 28 dias (44,4% (128/288) vs 41,3% (121/293); P = 0,50) e aos 56 dias (38,2% (110/288) vs 37,2% (109/293); P = 0,68) entre os grupos tratados com 10 µg ou 20 µg de acetato de buserelina. As perdas gestacionais (ente 28 e 56 dias) nγo diferiram entre os protocolos para IATF e dose de GnRH (P >; 0...

A Lecirelina apresenta eficiência similar à da Buserelina (agonistas do hormônio liberador de Gonadotrofinas) para inseminação artificial em tempo fixo em bubalinos; Lecirelin and Buserelin (Gonadotrophin releasing hormone agonists) are equally effective for fixed time insemination in buffalo

Baruselli, Pietro Sampaio; Amaral, Renato; Barufi, Francisco Bonomi; Valentim, Renato; Marques, Marcio de Oliveira
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2001 ENG
Relevância na Pesquisa
38.22%
O uso de protocolos de sincronização da ovulação em bubalinos é bastante vantajoso, em virtude de certas peculiaridades apresentadas pela espécie que podem prejudicar programas de inseminação artificial, como a baixa incidência de comportamento homossexual e relações de dominância entre os animais. Com o objetivo de verificar a eficácia da Lecirelina como agonista de GnRH no protocolo GnRH/PGF2alfa/GnRH, 270 búfalas, com período pós-parto entre 45 e 60 dias, mantidas a pasto em duas propriedades, foram submetidas a dois tratamentos de sincronização da ovulação. Os animais do Grupo 1 (n = 132) receberam, em dia desconhecido do ciclo estral, 20 µg de Buserelina IM, sendo aplicados, 7 dias mais tarde, 15 mg de prostaglandina (PGF2a). Dois dias após a administração da PGF2alfa, os animais receberam 10 µg de Buserelina, IM. As fêmeas do Grupo 2 (n = 138) foram tratadas seguindo o mesmo protocolo, com a diferença de que, na primeira e na terceira administrações hormonais, se aplicaram, respectivamente, 50 µg e 25 µg de Lecirelina, IM. A inseminação artificial foi efetuada em tempo fixo, 16 horas após a terceira administração hormonal, em ambos os grupos. O diagnóstico de gestação foi realizado por ultra-sonografia...

Uso do hCG, GnRH ou 17²-Estradiol e progesterona associados ao acetato de melengestrol e prostaglandina f2± em novilhas cruzadas (Bos taurus indicus x Bos taurus taurus); Use of hCG, GnRH or 17²-estradiol and progesterone associated with melengestrol acetate and prostaglandin F2± in cross-bred heifers (Bos taurus indicus x Bos taurus taurus)

Binelli, Mario; Rodrigues, Paulo Henrique Mazza; Celeguini, Eneiva Carla Carvalho; Almeida, Alexandre Barreto de; Rossa, Luis Augusto Ferreira; Baruselli, Pietro Sampaio; Madureira, Ed Hoffmann
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2005 POR
Relevância na Pesquisa
16.9%
O objetivo do presente experimento foi avaliar a performance reprodutiva e as características de estros em novilhas cruzadas de corte (Bos taurus indicus x Bos taurus taurus) tratadas com o protocolo MGA/Prostaglandina (PG) em associação a outros hormônios. No dia 0 (Dia 0 = início da ingestão do MGA) as novilhas foram distribuídas ao acaso para receber 2mL de solução salina (grupo Salina), 2500UI de hCG (grupo hCG), 20µg de acetato de buserelina (grupo GnRH) ou 5mg de 17²-estradiol + 100mg de progesterona (grupo 17²-E2+P4). Amostras de sangue foram colhidas nos dias - 7, 0, 7 e 10 para a mensuração das concentrações plasmáticas de progesterona. Independentemente do tratamento, todas as novilhas receberam 0,5mg MGA/animal/dia durante 8 dias (Dia 0 ao 7) e PG (Dia 7). Os estros foram observados durante 120h, a partir da injeção de PG, pelo sistema "Heat-Watch". As novilhas foram inseminadas 12 horas após o início dos estros ou 72h depois da injeção de PG. O diagnóstico de gestação foi realizado 35 dias após a última inseminação, por ultra-sonografia. As respostas em estros foram de 50,0%, 22,2%, 59,5% e 71,8% para os grupos Salina, hCG, GnRH e 17²-E2+P4, respectivamente (P<0,01). O intervalo médio da injeção de PG ao estro foi de 72...

Efeito da aplicação de um análogo de GnRH (Buserelina) na concentração sérica de progesterona e na taxa de gestação em receptoras de embriões bovinos

de Araújo, Manoel Carlos Couto; da Costa, Eduardo Paulino; Alves Torres, Ciro Alexandre; Ferreira, Ademir de Moraes; de Sá, Wanderlei Ferreira; Guimarães, José Domingos; Fonseca, Francisco Aloízio; Costa, Deiler Sampaio; Galimberti, Antônio Marcos;
Fonte: Universidade Federal Fluminense Publicador: Universidade Federal Fluminense
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; RA; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 18/10/2015 POR
Relevância na Pesquisa
27.99%
O objetivo deste trabalho foi avaliar a ação de um análogo de GnRH (Buserelina), aplicado no dia da inovulação de embriões;nos níveis plasmáticos de progesterona e, conseqüentemente, na taxa de gestação de receptoras mestiças Holandês vsZebu. Foram realizadas cinco coletas de sangue a partir do dia da inovulação e intervaladas de 48 horas, para avaliar aconcentração de progesterona. Após 50 dias da inovulação, através do exame transretal, foi observado que 60% (12/20) dosanimais do grupo tratado ficaram gestantes e no grupo controle foi obtida uma taxa de gestação de 50% (10/20). Essesrestlttados não foram significativos pelo teste de Qui-quadrado. No entanto, os níveis séricos de progesterona dos animais dogrupo tratado foram maiores (p< 0,05) que do grupo controle. Através dos resultados obtidos conclui-se que a aplicação de1 Omg de buserelina no dia da inovulação do embrião causou um incremento na concentração de progesterona dos animaistratados, sem contudo resultar em aumento na taxa de· gestação.