Página 1 dos resultados de 735 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

'Three Tall Women', de Edward Albee: autobiografia ou crítica à sociedade norte-americana?; 'Three tall women' by Eduard Albee: autobiography or criticism concerning the American society?

Bochixio, Lucimara Bauab
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 11/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
No prefácio da peça Three Tall Women, o dramaturgo norte-americano Edward Albee declara ter-se baseado em sua mãe adotiva para a composição de sua personagem. Por esse motivo, a crítica teatral norte-americana passou a considerar a peça simplesmente como uma autobiografia de seu autor. É fato que Edward Albee se utilizou de elementos de sua própria vida na obra, mas a peça não se restringe a isso: a autobiografia serviu de ferramenta para a realização de uma crítica contundente aos valores cultivados pela classe média alta norte-americana. Grande parte da crítica norte-americana, ao se referir à peça Three Tall Women, ressalta seu aspecto autobiográfico, mas não toca, de forma alguma, no aspecto de crítica à ideologia norte-americana presente na obra. Dessa forma, a presente dissertação propõe-se a identificar e analisar os elementos de crítica à sociedade norte-americana encontrados na peça Three Tall Women, por meio da análise dos diálogos de seus personagens. Finalmente, este trabalho também analisará a convergência entre a forma e o conteúdo nessa obra, ou seja, a forma mais adequada, escolhida pelo autor, para a exposição de determinado conteúdo.; In the play Three Tall Women, the American playwright Edward Albee states that one of his characters is based on his adoptive mother. For this reason...

A autobiografia de infância em sala de língua estrangeira: o sabor das leituras de L'Odeur du Café, de Dany Laferrière; The childhood autobiography in classroom of foreign language: the flavor of the readings of An aroma of coffee, of Dany Laferrière

Miguel Sobrinho, Ataiena Valéria da Luz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Neste trabalho, refletimos sobre o trabalho com a leitura de uma obra integral em sala de aula de língua estrangeira. Descrevemos como se deu a leitura de LOdeur du café, uma autobiografia de infância de Dany Laferrière, escritor de língua francesa associado à dita literatura migrante, por um grupo de alunos que já possuíam cerca de 130h de aprendizado da língua francesa. Primeiramente, discorremos sobre o uso histórico do texto literário em FLE e sobre as especificidades do texto literário, assim como discutimos os processos de leitura e especialmente a leitura literária em língua estrangeira (capítulo1). Em seguida, abordamos as especificidades da autobiografia, da autobiografia de infância, contextualizamos o autor Dany Laferrière e LOdeur du café (capítulo 2), e apresentamos contribuições teórico-metodológicas que embasaram nosso trabalho em sala de aula (capítulo 3). Por fim, descrevemos e analisamos a recepção literária dos alunos a partir de suas verbalizações escritas e a forma com que estes conseguiram apropriar-se da leitura literária de uma obra integral em língua estrangeira (capítulo 4).; This paper is a reflection about reading a whole piece in a foreign language classroom. I describe the reading of LOdeur du café...

Ficção e autobiografia: uma análise comparativa das narrativas de Thomas Bernhard; Fiction and autobiography: a comparative analysis of Thomas Bernhard's narratives

Dávalos, Patrícia Miranda
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.25%
A partir da comparação do primeiro volume autobiográfico do escritor austríaco Thomas Bernhard, Die Ursache. Eine Andeutung (1975), com o romance Auslöschung. Ein Zerfall (1986), o qual simula, de certo modo, o gênero autobiográfico, procura-se observar como os mesmos complexos temáticos são configurados nos dois casos e como as diferenças encontradas se relacionam com as diferentes intenções ligadas aos textos, bem como aos diferentes momentos de escrita. É possível notar como a ficção possibilita ao autor mais liberdade para experimentar formalmente, bem como para intensificar o ataque desenvolvido contra suas origens, ao passo que na autobiografia, apesar de também apresentar um viés crítico acentuado, o fazer de forma mais sóbria, ocupando-se com questões de verossimilhança e autenticidade próprias do gênero. Além disso, este trabalho tenta mostrar como a ficção, surgida na mesma época da autobiografia, pode ser lida como uma espécie de comentário a esta.; This work deals with the comparison of the first autobiographical volume of the Austrian writer Thomas Bernhard, Die Ursache. Eine Andeutung (1975), with his novel Auslöschung. Ein Zerfall (1986), which has some characteristics of the autobiographical genre. The comparison intends to show how the same themes are configured in both cases and how the differences can be related to the different intentions and different moments of writing. Being noted as fiction allows the author more freedom to experiment formally and to intensify the attack he developed against his origins...

A autobiografia de Benvenuto Cellini no Brasil do século XX: subsídios para estudos de traduções e adaptações; The autobiography of Benvenuto Cellini in Brazil of twentieth century: subsidies to translation and adaptation studies

Souza, Tais Freitas de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.09%
Este trabalho busca fornecer alguns dados básicos sobre as leituras da Vita de Cellini no Brasil do século XX. Depois de considerações introdutórias sobre o autor e sua obra, dá-se atenção à única tradução brasileira completa de sua autobiografia, seguindo-se breve menção de adaptações em livros e filmes.; This work tries to provide some basic data about XX century Brazilian readings of Cellini´s Vita. After introductory considerations about the author and his work, the only complete Brazilian translation of his autobiography is presented, while adaptations in books and films are also briefly mentioned.

Fun Home: os efeitos de referencialidade na autobiografia de Alison Bechdel; Fun Home: the effects of referentiality in the autobiography of Alison Bechdel

Camargo, Debora Cristina Ferreira de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.09%
O estudo da literatura e de objetos artísticos, por um viés da teoria Semiótica greimasiana, prevê que todo sentido é gerado a partir de articulações semióticas que arquitetam um discurso presente em todo e qualquer texto. Desse modo, o presente trabalho propõe uma análise semiótica da autobiografia em quadrinhos de Alison Bechdel, Fun Home:Uma tragicomédia em família. Por meio da metodologia da Semiótica francesa, a presente análise descreve os artifícios discursivos de persuasão do gênero autobiográfico utilizados pela quadrinista norte-americana para convencer o leitor de que está diante de uma história real. Tais artifícios apontam para uma aproximação da realidade por meio de efeitos de sentido predominantemente referenciais. No entanto, Bechdel (2007b) complexifica tal aproximação, ficcionalizando seus personagens por meio da literatura, não só pela própria natureza do enunciado, mas também como artifício discursivo no interior do texto. Além do gênero autobiográfico, analisa-se a estrutura dos quadrinhos e os efeitos de sentido produzidos pelo sincretismo inerente ao gênero, isto é, a relação entre texto verbal e texto visual. Também é analisada a temática lésbica que permeia todo o enunciado e a rede discursiva polêmica que problematiza. Na obra de Bechdel encontram-se...

Do factual ao ficcional : memória, história, ficção e autobiografia nas "Memórias de um sobrevivente", de Luiz Alberto Mendes

Taufer, Adauto Locatelli
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.43%
Tendo como ponto de partida a problemática em torno dos paradigmas que determinam o que é fato e o que é ficção, dentro da autobiografia, especialmente com relação a esta última, propomos – nesta dissertação – uma investigação acerca do modo como Luiz Alberto Mendes transfere para o plano ficcional aspectos relevantes da sua realidade factual (história de vida). A obra desse escritor emergente, Memórias de um sobrevivente, é o objeto de estudo deste trabalho. Como se trata de uma narrativa pouco divulgada e, além disso, situada à periferia dos cânones literários, ela é um típico exemplo do que alguns críticos costumam denominar de literatura marginal. Luiz Alberto Mendes, nessa obra, conta sua trajetória desde a infância até os primeiros anos de condenação ao cárcere, portanto, dos anos 50 aos anos 80. Esse escritor optou pelo gênero autobiográfico porque, ao escrever sua história de vida, quis ordenar e compreender os acontecimentos que constituíram sua existência.Procuramos avaliar essa obra em função de três contundentes aspectos que ela apresenta. Desse modo, no primeiro capítulo, buscamos reescrever a história do autor a partir da leitura dos seus escritos literários e de alguns dados coletados junto à escassa fortuna crítica produzida sobre eles. No segundo capítulo...

A construção poética de si mesmo: Manoel de Barros e a autobiografia

Béda, Walquíria Gonçalves
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 133 f. : il. + anexo
POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Letras - FCLAS; O estudo intitulado A construção poética de si mesmo: Manoel de Barros e a autobiografia tem como objetivo apontar e analisar possíveis traços autobiográficos na poética barriana. Buscamos desvendar os investimentos supra-autobiográficos apresentados sob o manto do regional e do ínfimo - temáticas que também encontramos por detrás da profusa e sedutora variação lingüística da poética barriana. Utilizamos como corpus principal as obras Poemas Rupestres (2004), Memórias Inventadas - A Infância (2003) e Memórias Inventadas - A Segunda Infância (2006); This research entitled The poetic art of himself: Manoel de Barros and autobiography was carried out to point out and analyze the possible autobiographical features found out in Barrosþs poetry. We try to find out the overautobiographical depiction presented under the regional and the lowermost features - subjects which we can also find out behind the exuberant and exciting linguistic variation of Barrosþs poetry. The main corpus used in this research comprises the following works Poemas Rupestres (2004), Memórias Inventadas - A Infância (2003) e Memórias Inventadas - A Segunda Infância (2006)

Georges Gusdorf e a autobiografia

Hervot, Brigitte Monique
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 95-110
POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
Considering the premise that there are few theoretical reflections in the Portuguese language, concerning the autobiography as a genre, we propose to present a work addressing this issue by discussing the writings of George Gusdorf (1912-2000). One of the most expressive French scholars on this field, alongside Philippe Lejeune and Jean George May, and Starobinsky, Gusdorf stands out for his vast production centered on theoretical issues concerning the writings of the self. The study presented here aims at disseminating Gusdorf writings in Brazil, as well as presenting a critical analysis of the most pertinent issues related to the autobiographical genre, including aspects such as its origins, the blurred boundaries of genre, truth and sincerity, the relations between time and memory, self-knowledge and knowledge of the world.; Partindo da premissa de que existe uma carência de reflexões teóricas acerca da autobiografia, em língua portuguesa, propomo-nos elaborar um trabalho abordando esse tema por meio da obra de Georges Gusdorf (1912-2000), um dos estudiosos franceses mais expressivos nesse campo, que, ao lado de Philippe Lejeune, Georges May e Jean Starobinsky, se destaca pela sua vasta produção teórica centralizada na questão das escritas do eu. Esse estudo visa difundir a obra do autor no Brasil...

SELF E AUTOBIOGRAFIA EM MEMÓRIAS DO SUBSOLO E A CONSCIÊNCIA DE ZENO

Germano,Idilva Maria Pires; Bastos,Ana Carolina Teixeira; Sousa,Allan Ratts de
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.43%
A pergunta "Quem sou eu?" remete tanto à problemática do self (a consciência de si) quanto à da autobiografia (a escrita de si). A noção de um eu que tem consciência de si mesmo e o gênero autobiográfico são construções sociais interligadas, marcadas por transformações históricas e culturais da Modernidade Ocidental e objeto de tematização filosófica, científica e literária. Este trabalho discute ambas as problemáticas em Memórias do subsolo, de Dostoiévski (1864/2009), e A consciência de Zeno, de Italo Svevo (1923/2003). Nessas obras podem-se acompanhar os dilemas modernos do entendimento do self e da escrita de si, mediante o tratamento dado por seus autores tanto à matéria quanto à forma textual. Dois eixos temáticos, a verdade de si como doença e a impossibilidade da autobiografia foram analisados comparativamente, com amparo em molduras teóricas transdisciplinares que contribuem para a revisão do conceito de self e do gênero autobiográfico. Nas obras analisadas observa-se o mesmo desafio às bases cartesianas, individualistas e racionalistas do self e da autobiografia operado pela crítica do sujeito moderno...

Autobiografia e memória: uma comparação entre as obras Historie de ma Vie e Voltar a Palermo

Dantas Maciel, Anamélia; Nogueira Rodrigues, Lucila (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Esta tese realiza um estudo comparativo entre as obras Voltar a Palermo, de Luzilá Gonçalves Ferreira e Histoire de ma vie de George Sand, no que se refere aos conceitos sobre memória e autobiografia , como também investiga a forma como as autoras apresentam o papel da mulher em suas obras. O objetivo principal é verificar se existe dialogismo entre as referidas narrativas, tentando preencher uma lacuna em relação ao estudo comparativo das obras citadas, já que não foram encontrados registros de pesquisas ou trabalhos publicados com esta conotação. A metodologia tomou como base a pesquisa das teorias autobiográficas, em especial o pacto autobiográfico de Philippe Lejeune, como também os conceitos sobre autobiografia, autoficção e memória adotados por Jean Starobinsk, Willemart, Alicia Molero de La Iglesia, Serge Doubrovsky, e Costa Lima, os de literatura comparada de Eduardo Coutinho,Gilda Neves Bittencourt e Sandra Nitrini, os conceitos sobre intertextualidade de Gérard Genette, Julia Kristeva, além da teoria de Linda Hutcheon sobre metaficção historiográfica. Além da leitura analítica dos livros selecionados realizou-se pesquisa em trabalhos publicados sobre as autoras em livros, jornais e periódicos. A conclusão desta tese é que existe um dialogismo entre as obras citadas no que se refere ao tipo do discurso...

Lar, (2009) de Armando Freitas Filho: uma autobiografia do absurdo

Cardoso, Tiago Henrique
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
A presente dissertação investe na leitura de Lar, (2004 – 2009), do poeta carioca Armando Freitas Filho e pretende investigar o modo de composição do livro, cuja proposta é conceber uma autobiografia em versos. Dono de um extenso rol de publicações, Armando Freitas Filho, em seu último livro, busca a leitura e a escrita de si mesmo, vasculhando no tempo, episódios e experiências pretéritas que dão sentido ao agora, permitindo-lhe reflexões que tocam temas como o tempo, a poesia, a vida e a morte. Nosso estudo, portanto, concentra-se nessa obra, que permite uma investigação não só da poesia contemporânea como também de questões que dizem respeito à memória e a subjetividade. Assim, nosso método de trabalho é a análise dos poemas contidos nas três partes do livro: “Primeira série”, “Formação” e “Numeral”. A obra permite uma rediscussão das premissas da autobiografia e da memória, possibilitando ao poeta uma maneira de escrever sobre o próprio eu, que absurdamente encontra no infinito a possibilidade de ser e viver. ______________________________________________________________________________ ABSTRACT; This dissertation focuses on the reading of Lar, (2004 – 2009), by Armando Freitas Filho...

La autoficción: entre la autobiografía y el ensayo biográfico. Límites del género

Arroyo Redondo, Susana
Fonte: Universidade de Alcalá Publicador: Universidade de Alcalá
Tipo: info:eu-repo/semantics/doctoralThesis; info:eu-repo/semantics/acceptedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
37.43%
Creado por el escritor francés Serge Doubrovsky en 1977 para definir su novela Fils, el término "autoficción" alude a una forma de autobiografía ficticia. La autoficción, de forma paradójica, aúna dos estilos contradictorios en su búsqueda del "yo": por un lado el autobiográfico y por otro el ficticio. Desde un punto de vista pragmático, la autoficción imita el pacto entre autor y lector que se establece en la autobiografía, pero, al mismo tiempo, se declara abiertamente como una escritura ficticia. Así, queda al lector la tarea de interpretar lo narrado como hechos reales o como ficticios (o, mejor aún, como algo intermedio). Hasta el momento, la autoficción es un género relacionado sobre todo con escritores francófonos contemporáneos (entre ellos: Hélène Cixous, Annie Ernaux, Michel Houellebecq, Assia Djebar o Christine Angot). Sin embargo, abundantes escritores españoles se están volcando también en el cultivo de la autoficción, ya que es una forma que les permite esconderse tras la máscara de la ficción al mismo tiempo que comparten sus recuerdos y pensamientos literarios con el público. En cierto modo, la autoficción puede definirse como una autobiografía que muestra al autor y oculta al hombre. En estas páginas...

Woody Allen. Retazos de una autobiografía cinematográfica no reconocida

Burgos Ramírez, Enric Antoni
Fonte: T&B editores Publicador: T&B editores
Tipo: info:eu-repo/semantics/publishedVersion; info:eu-repo/semantics/conferenceObject Formato: application/pdf
Publicado em //2011 SPA
Relevância na Pesquisa
37.25%
A menudo se recurre a la biopic a la hora de explorar las relaciones entre biografía y cine. Nuestro escrito se centrará en esclarecer hasta qué punto es plausible hablar también de autobiografía fílmica (o autobiopic) a partir de la filmografía de Woody Allen. Acometeremos tal objetivo evitando remitirnos a un filme en particular, sino más bien a esa suerte de macropelícula autobiográfica que conforma la práctica totalidad de sus obras. Partiendo de este punto, trataremos de justificar que la filmografía de Allen se presta a ser entendida como una autobiografía cinematográfica fragmentaria y deconstruida que no sólo plasma sus vivencias como persona, sino que abarca también el arte al que ha consagrado su vida y que permite una reflexión sobre los frutos de ese ejercicio (sus películas).; We often appeal to biopics when exploring the relationship between biography and cinema. Taking Woody Allen’s movies into account, our essay will try to clarify to what extent it is suitable to talk about autobiopics. We will not consider his films in an isolated way, on the contrary, we will regard his filmography as if it was a sort of autobiographical macromovie. From this point onwards, we will try to justify that Allen’s filmography can be understood as a fragmentary and deconstructed autobiography which includes not only his experiences as a person...

A volta da violência na política alemã. Estratégias legitimadoras na autobiografia de uma protagonista dos anos 1970; A volta da violência na política alemã. Estratégias legitimadoras na autobiografia de uma protagonista dos anos 1970; A volta da violência na política alemã. Estratégias legitimadoras na autobiografia de uma protagonista dos anos 1970

Galle, Helmut
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 06/06/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Among the different functions that an autobiography might have is the claim for recognition. Some of the former members of the militant German Left from the Seventies have published autobiographical texts in the latest years. In the analysis of Inge Viett’s book, the author raises the question of responsibility for her violent aiming at reaching her readers´ recognition.; Zu den diversen Funktionen, die einer Autobiografie zufallen können, gehört das Streben nach Anerkennung. Einige der früheren Mitglieder der militanten deutschen Linken der 70er Jahre haben in den vergangenen Jahren autobiografische Texte veröffentlicht. Die folgende Analyse folgt der Fragestellung, auf welche Weise die Autorin ihre Verantwortung für die Gewaltakte und ihre Forderung nach Anerkennung formuliert.; Entre as diferentes funções que uma autobiografia pode assumir está a reivindicação de reconhecimento. Vários dos integrantes da esquerda militante alemã dos anos 1970, que romperam radicalmente com a sociedade, publicaram, nos últimos anos, textos autobiográficos. Na presente análise do livro de Inge Viett, a autora discute a questão da responsabilidade de seus atos violentos com o propósito de alcançar o reconhecimento de seus leitores.

O CADERNO CIBERNÉTICO DE JOSÉ SARAMAGO: PEÇAS SOLTAS DE UMA AUTOBIOGRAFIA; O CADERNO CIBERNÉTICO DE JOSÉ SARAMAGO: PEÇAS SOLTAS DE UMA AUTOBIOGRAFIA

Amaral, Andre Luiz
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/11/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.25%
ESTE ARTIGO ANALISA AS CONTINUIDADES E DESCONTINUIDADES PARTILHADAS PELA BIOGRAFIA E AUTOBIOGRAFIA, DIÁRIOS ÍNTIMOS E BLOGS. A INDISSOCIABILIDADE ENTRE A VIDA E A OBRA DE UM AUTOR CARACTERIZA A TEMA CENTRAL DO TEXTO. ESSAS QUESTÕES SÃO DISCUTIDAS À LUZ DO LIVRO/BLOG O CADERNO, ESCRITO PELO ROMANCISTA PORTUGUÊS JOSÉ SARAMAGO.; THIS ARTICLE ANALYSES CONTINUITIES AND DISCONTINUITIES SHARED AMONG BIOGRAPHIES AND AUTOBIOGRAPHIES, PERSONAL JOURNALS AND BLOGS. THE INDISSOCIABLE CHARACTER BETWEEN THE LIFE AND THE WORK OF AN AUTHOR CHARACTERIZES THE CENTRAL THEME OF THE TEXT. THESE QUESTIONS ARE DISCUSSED BASED ON THE BOOK/BLOG O CADERNO, WRITTEN BY THE PORTUGUESE NOVELIST JOSÉ SARAMAGO.

A alma, o olho, a mão ou o uso da autobiografia no teatro; ;

Abujamra, Marcia
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 15/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
O texto faz uma aproximação entre a figura do narrador, segundo Walter Benjamin, e a de atores/ performers que criam seus espetáculos a partir de um material autobiográfico, uma aproximação entre a experiência compartilhada por narrador/performer e ouvinte/público. Para contextualizar essa discussão, apresenta-se o trabalho do performer americano Spalding Gray, referência quando se pensa no uso da autobiografia.; El texto establece un acercamiento entre las figuras del narrador, según Walter Benjamin, y de actores/ performers que crean sus espectáculos a partir de un material autobiográfico; una aproximación entre la experiencia compartida por el narrador/performer y el oyente/público. Para contextualizar esta discusión, presento la obra del performer estadounidense Spalding Gray, referencia con respecto al uso de la autobiografía.; The text establishes a connection between the figure of the narrator, according to Walter Benjamin, and actors/performers who create their own pieces from an autobiographical material; a connection between the experience shared by narrator/performer and listener/audience. In order to contextualize this discussion, I present the work of the american performer Spalding Gray, a reference when one thinks about the use of autobiography.

Autobiography, suffering and the anthropology of violence; Autobiografía, sufrimiento y antropología de la violencia; Autobiografia, sofrimento e antropologia da violência

Radomsky, Guilherme Francisco Waterloo; Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 13/06/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.43%
GAVILÁN SÁNCHEZ, Lurgio. Memorias de un soldado desconocido. Autobiografía y antropología de la violencia. 1ª reimpresión. Lima: IEP; Universidad Iberoamericana, 2013 (Serie Estudios sobre Memoria y Violencia, 3). 178 pág.; GAVILÁN SÁNCHEZ, Lurgio. Memorias de un soldado desconocido. Autobiografía y antropología de la violencia. 1ª reimpresión. Lima: IEP; Universidad Iberoamericana, 2013 (Serie Estudios sobre Memoria y Violencia, 3). 178 pág.; http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n1p301GAVILÁN SÁNCHEZ, Lurgio. Memorias de un soldado desconocido. Autobiografía y antropología de la violencia. 1ª reimpresión. Lima: IEP; Universidad Iberoamericana, 2013 (Serie Estudios sobre Memoria y Violencia, 3). 178 pág.

La oreja y la pluma: La dedicatoria como huella de la autobiografía

Calvo,Florencia
Fonte: Olivar Publicador: Olivar
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 ES
Relevância na Pesquisa
37.25%
El presente trabajo parte de la caracterización que la crítica ha adjudicado tradicionalmente a la escritura de Lope de Vega como autobiográfica, apelando a conceptos tales como "vida" o "literatura" para explicar determinadas características de su producción poética. Estos conceptos merecen una revisión ya que pueden ser reformulados desde teorías más modernas. Se tratará aquí de proponer una lectura de lo autobiográfico que construya un dialogo entre los criterios tradicionales sobre la obra lopesca y elementos relacionados con la teoría de la autobiografía, a partir de un recorrido por las dedicatorias de Lope de sus propias comedias, por ser éstas espacios de frontera entre la oralidad y la escritura, la autobiografía y las convenciones literarias.

Las memorias como pretexto de la autobiografía, o cómo se (re)crea un escritor latinoamericano

Madriz,Gladys
Fonte: Universidad Pedagógica Experimental Libertador Publicador: Universidad Pedagógica Experimental Libertador
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 ES
Relevância na Pesquisa
37.25%
En este trabajo pretendemos abordar los efectos de la memoria ¿subjetiva? en la conformación de una identidad, la de un escritor por ejemplo, en el ejercicio de su autobiografía. En Vivir para contarla, de Gabriel García Márquez, encontramos indicios para asumir que en dicha obra, hay una suerte de énfasis en la autobiografía como  justificación de lo que se llegó a ser, esto es, un mostrar un recorrido de la bildung de un escritor latinoamericano. En otro orden de ideas, también se explora aquí la obra como intergenérica, ya que como se irá viendo, reúne características de la escritura testimonial y de las memorias, todas ellas catalogadas como escrituras o narrativas del yo.

Mujer, infancia y autobiografía en “Cuadernos de Infancia” de Norah Lange

Rodríguez  Ávila,Yildret 
Fonte: Universidad Pedagógica Experimental Libertador Publicador: Universidad Pedagógica Experimental Libertador
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 ES
Relevância na Pesquisa
37.25%
Este trabajo propone, como lo indica su título, una lectura del texto Cuadernos de Infancia (1932) de la escritora argentina Norah Lange en dos perspectivas fundamentales: una específicamente referida a los discursos de género, obviamente femenino, por supuesto; y la otra perspectiva, relacionada con la autobiografía como género literario con unas características particulares, adscrita a las especificidades de la autobiografía escrita por mujeres. Con respecto a esto último es interesante apuntar cómo Cuadernos de infancia constituye un texto de vanguardia para el período histórico en el cual se desarrolla, pues corresponde a un género poco cultivado para ese entonces en Latinoamérica.