Página 1 dos resultados de 40 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

A????o moluscicida de Moringa oleifera LAM sobre o molusco BIomphalaria glabrata (SAY, 1818) hospedeiro intermedi??rio do Schistosoma mansoni (SAMBON, 1907) e efeitos ecotoxicol??gicos em organismos aqu??ticos n??o alvo.

Silva, Cesar Luiz Pinto Ayres Coelho da
Fonte: Instituto Oswaldo Cruz Publicador: Instituto Oswaldo Cruz
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.07%
A esquistossomose ?? uma doen??a parasit??ria de veicula????o h??drica causada pelo tremat??deo Schistosoma mansoni, que afeta mais de 200 milh??es de pessoas. Nas ??reas de maior endemismo, o acesso ao suprimento de ??gua ?? prec??rio sendo obtida em po??os, cacimbas e pequenos a??udes, que se tornam tamb??m ???criadouros artificiais??? de caramujos infectados pelo S. mansoni. A doen??a ?? de profilaxia complexa, j?? que os moluscos aqu??ticos s??o de dif??cil controle, e pela parasitose incidir em zonas que favorecem um maior contato do homem com a ??gua. No Brasil ocorrem dez esp??cies e uma sub-esp??cie do g??nero Biomphalaria, sendo tr??s esp??cies hospedeiras naturais do S. mansoni: Biomphalaria glabrata, Biomphalaria straminea e Biomphalaria tenagophila. O controle qu??mico ?? utilizado para reduzir as popula????es destes hospedeiros intermedi??rios sendo a Niclosamida o moluscicida recomendado pela OMS, por??m com alta toxicidade para muitos organismos aqu??ticos. Moluscicidas derivados de plantas t??m provado sua efetividade, por??m exigem cuidados no manuseio, pois muitas esp??cies s??o t??xicas a humanos e organismos n??o alvo. Iniciativas no passado para o uso de plantas como moluscicida foram pouco promissoras ou desencorajadas em programas em larga escala devido ao pequeno valor agregado que possuem para as comunidades ou gestores p??blicos. A planta Moringa oleifera n??o ?? t??xica sendo utilizada na alimenta????o humana e animal...

Ensaios preliminares em laboratório para verificar a ação moluscicida de algumas espécies da flora brasileira

Mendes,Nelymar Martineli; Pereira,José Pedro; Souza,Cecília Pereira de; Oliveira,Maria de Lourdes Lima de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/1984 PT
Relevância na Pesquisa
46.78%
Estudou-se em laboratório a atividade moluscicida de 68 extratos de 23 plantas brasileiras. As soluções em água desclorada dos extratos hexânicos e etanólico, nas concentrações de 1, 10 e 100 ppm, foram testadas sobre caramujos adultos e desovas de Biomphalaria glabrata, criados em laboratório. As plantas que demonstraram ação moluscicida na concentração de 100 ppm foram: Arthemisia verlotorum Lamotte, Caesalpinia peltophoroides Benth, Cassia rugosa G.Don., Eclipta alba Hassk, Euphorbia pulcherrima Willd, Euphorbia splendens Bojer, Joannesia princeps Vell, Leonorus sibiricus L.,Macrosiphonia guaranitica Muell,Nerium oleander L., Palicourea nicotianaefolia Cham, e Schlech., Panicum maximum M., Rumex crispus L., Ruta graveolens L., e Stryphnodendron barbatiman M.

Atividade moluscicida de Pithecelobium multiflorum

Rouquayrol,Maria Zélia; Souza,Mirian Pinheiro de; Matos,Francisco José de Abreu
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/1973 PT
Relevância na Pesquisa
46.71%
No presente trabalho são descritas as propriedades moluscicidas de Pithecelobium multiflorum Benth, planta abundante na flora brasileira. Algumas variáveis como concentração e tempo de exposição, toxidade para peixes e animais domésticos, atividade sobre caramujos adultos e desova são fatores aqui apresentados como etapa preliminar dos estudos sobre atividade moluscicida de produtos naturais.

Atividade moluscicida e cercaricida de diferentes espécies de Eucalyptus

Mendes,Nelymar Martineli; Araújo,Neusa; Souza,Cecília Pereira de; Pereira,José Pedro; Katz,Naftale
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1990 PT
Relevância na Pesquisa
46.71%
Os hidrolatos e óleos essenciais de diferentes espécies de Eucalyptus foram testados sobre caramujos adultos e desovas de Biomphalaria glabrata e cercárias de Schistosoma mansoni. Esses produtos foram obtidos por arraste de vapor. Dos 21 hidrolatos ensaiados, oito foram ativos sobre caramujos, nove demonstraram ação sobre desovas e três apresentaram atividade sobre cercárias a partir da diluição de 1:4 (V/V). Dos óleos estudados, 11 tiveram atividade para planorbídeos e desovas nas concentrações de 20ppm (p/V). O hidrolato do Eucalyptus deanei foi ativo sobre caramujos, desovas e cercárias a partir da diluição de 1:4, e o óleo na concentração de 20 ppm.

Atividade moluscicida da mistura de ácidos 6-n-alquil salicílicos (ácido anacárdico) e dos seus complexos com cobre (II) e chumbo (II)

Mendes,Nelymar Martineli; Oliveira,Alaíde Braga de; Guimarães,João Edmundo; Pereira,José Pedro; Katz,Naftale
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1990 PT
Relevância na Pesquisa
56.88%
Foi comparada, em laboratório, a atividade moluscicida do extrato hexânico da casca da castanha do caju - Anacardium occidentalel L. (EHCCC), do complexo de cobre (II), docomplexo de chumbo (II) e do ácido anacárdico com objetivo de encontrar entre eles um produto que apresentasse maior estabilidade que o ácido anacárdico. Este foi preparado tratando o EHCCC com hidróxido de chumbo (II) ou com o sulfato de cobre mais hidróxido de sódio ou com hidróxido de cobre (II). Em seguida, o complexo de chumbo (II) ou os complexos de cobre (II)preparados foram tratados com uma solução de ácido sulfúrico diluída. As misturas dos dez produtos obtidos foram testadas sobre caramujos adultos de Biomphalaria glabrata nas concentrações de la 10 ppm. Os mais ativos foram o complexo de cobre (II), obtido com sulfato de cobre mais hidróxido de sódio, e o ácido anacárdico (hidróxido de chumbo) que apresentaram atividade a partir da concentração de 4 ppm. O teor de chumbo do ácido anacárdico (hidróxido de chumbo) foi acima das normas recomendadas pelos Padrões de Saúde Pública dos Estados Unidos.

Atividade moluscicida de princípios ativos de folhas de Lycopersicon esculentum (Solanales, Solanaceae) em Biomphalaria glabrata (Gastropoda, Planorbidae)

Leyton,Vilma; Henderson,Thomas O.; Mascara,Douglas; Kawano,Toshie
Fonte: Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul Publicador: Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
57.12%
Foram obtidos extratos aquosos e alcoólicos a partir de pó de folhas secas de tomateiro (Lycopersicon esculentum, Mill.) c.v. Cereja. Por extração metanólica e precipitação alcalina, foi obtido um produto que denominamos "glicoalcalóide esteroidal bruto" (GEb), no qual foi caracterizada a presença de tomatina. Em ensaios laboratoriais, os extratos aquosos, alcoólicos e o GEb apresentaram atividade moluscicida em Biomphalaria glabrata (Say, 1818). O "glicoalcalóide esteroidal bruto" apresentou alta atividade moluscicida (CL50 = 8,01 ppm e CL90 = 13,17 ppm), comparável à atividade da tomatina. Desovas de B. glabrata mostraram-se resistentes aos extratos testados. Os níveis de atividade moluscicida apresentados pelos diversos extratos e o GEb, apontam apenas o GEb como candidato para a continuação dos estudos visando a sua possível utilização em campo.

Atividade moluscicida de alguns produtos naturais sobre Biomphalaria glabrata

Mendes,Nelymar Martineli; Souza,Cecília Pereira de; Araújo,Neusa; Pereira,José Pedro; Katz,Naftale
Fonte: Instituto Oswaldo Cruz, Ministério da Saúde Publicador: Instituto Oswaldo Cruz, Ministério da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1986 PT
Relevância na Pesquisa
56.91%
Foi avaliada, em laboratório, a ação moluscicida de extratos aquosos (macerado e fervido), hexânico e etanólico de Aristolochia brasiliensis, Caesalpinia peltophoroides, Caesalpinia pulcherrima, Delonix regia, Spathodea campanulata e Tibouchina scrobiculata. As soluções dos extratos obtidos foram testadas sobre caramujos adultos e desovas de Biomphalaria glabrata, criados em laboratório, nas concentrações de 1, 10, 20, 200 e 1000ppm. Dos extratos testado o mais ativo foi o etanólico das flores da D. regia (flamboyant) que apresentou atividade moluscicida sobre caramujos adultos na concentração de 20ppm.

Atividade moluscicida do extrato butílico de Phytolaca dodecandra (Endod) sobre Biomphalaria glabrata

Souza,Cecília Pereira de; Mendes,Nelimar Martinelli; Araújo,Neusa; Katz,Naftale
Fonte: Instituto Oswaldo Cruz, Ministério da Saúde Publicador: Instituto Oswaldo Cruz, Ministério da Saúde
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1987 PT
Relevância na Pesquisa
46.67%
O extrato butílico da Phytolacca dodecandra (tipo 44) obtido de frutos procedentes da Etiópia, foi testado como moluscicida em nosso laboratório e no campo. As concentrações letais, CL90, com 24 horas de exposição, para Biomphalaria glabrata adulta, recém-eclodidas e desovadas foram de 4,5, 23,0 e 102,0 ppm, respectivamente. Para peixes, Lebistes reticulatus, a CL90 foi de 2,0 ppm. Esses resultados foram semelhantes aos obtidos por Lemma em 1984, na Etiópia. Em dois criadouros com água parada, tratados com 10ppm de estrato butílico e 3ppm de niclosamida, ocorreu 84,0 e 100,0% de mortalidade B. glabrata, respectivamente. Os dois produtos foram tóxicos para peixes (L. reticulatus) no campo. É discutida a possibilidade do uso de moluscidas de origem vegetal, como alternativa para o combate a focos de esquistossomose no Brasil.

Avaliação da atividade tóxica em Artemia salina e Biomphalaria glabrata de extratos de quatro espécies do gênero Eleocharis (Cyperaceae)

Ruiz,A.L.T.G.; Magalhães,E.G.; Magalhães,A.F.; Faria,A.D.; Amaral,M.C.E.; Serrano,D.R.; Zanotti-Magalhães,E.M.; Magalhães,L.A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
56.95%
O gênero Eleocharis R. Br. compreende cerca de 200 espécies, ocorrendo em ambientes úmidos tais como brejos e margens de rios e lagos. Procurando novos agentes moluscicidas, os extratos de Eleocharis acutangula (Roxb.) Schult., Eleocharis interstincta (Vahl) Roem. & Schult., Eleocharis maculosa (Vahl) Roem. & Schult. e Eleocharis sellowiana Kunth foram testados para atividade moluscicida, contra caramujos adultos e desovas, e toxicidade (ensaio de letalidade com Artemia salina). O extrato hexânico de Eleocharis acutangula (parte subterrânea fresca) foi ativo contra Artemia salina (CL50 = 476,00 mg/mL), enquanto os demais extratos apresentaram CL50 >> 10³ mg/mL, sugerindo baixa toxicidade. O extrato hidro-etanólico de Eleocharis sellowiana (parte subterrânea fresca) foi ativo contra desovas de Biomphalaria glabrata (CL50 = 24,27 mg/mL) mas inativo contra indivíduos adultos. Os demais extratos testados não apresentaram atividade moluscicida.

Avaliação da bioatividade dos extratos de cúrcuma (Curcuma longa L., Zingiberaceae) em Artemia salina e Biomphalaria glabrata

Silva Filho,Carlos R. M. da; Souza,Antonio G. de; Conceição,Marta M. da; Silva,Thiago G. da; Silva,Tania M. S.; Ribeiro,Ana P. L.
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.64%
A cúrcuma é o rizoma limpo, em boas condições, seco e moído da Curcuma longa L., uma planta herbácea da família Zingiberaceae. Visando novas alternativas para o controle da esquistossomose, os extratos de Curcuma longa L. foram testados para a avaliação da atividade moluscicida contra caramujos adultos da espécie Biomphalaria glabrata, e toxicidade (ensaio de letalidade com Artemia salina). A oleoresina e o óleo essencial de cúrcuma foram ativos contra Artemia salina (CL50 = 80,43 e CL50 = 319,82 μg/mL, respectivamente) e também ativos contra os indivíduos adultos de Biomphalaria glabrata (CL50 = 58,3 e CL50 = 46,73 μg/mL, respectivamente). A partir dos resultados obtidos pôde ser concluído que ambos os extratos podem constituir uma alternativa no controle da população desses caramujos e na redução da esquistossomose.

Atividade moluscicida de plantas: uma alternativa profilática

Cantanhede,Selma Patrícia D.; Marques,Adriana de M.; Silva-Souza,Nêuton; Valverde,Alessandra L.
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/05/2010 PT
Relevância na Pesquisa
56.81%
Uma das formas de combate a helmintos que possuem moluscos em seu ciclo biológico é o controle da população malacológica. A tentativa de combater os criadouros naturais de hospedeiros intermediários, através de moluscicidas, tem sido uma das formas almejadas para a redução da incidência de enfermidades, como as esquistossomoses e fascioloses. Essa medida epidemiológica tem se concretizado através da utilização dos moluscicidas sintéticos que, dentre outras desvantagens, trazem danos ao ecossistema. Visando a obtenção de novos compostos, os estudos sobre a potencialidade de produtos naturais moluscicidas têm crescido consideravelmente. Alguns pesquisadores apontam os moluscicidas vegetais como fontes alternativas para o tratamento profilático de parasitoses. Tendo em vista a abrangência, endemicidade e relevância, este trabalho revela um maior enfoque à atividade moluscicida de plantas relacionada às esquistossomíases.

Avaliação das atividades antimicrobiana, citotóxica, moluscicida e antioxidante de Bromelia antiacantha Bertol. (Bromeliaceae)

Manetti,L.M.; Turra,A.F.; Takemura,O.S.; Svidzinski,T.I.E.; Laverde Junior,A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.95%
A Bromelia antiacantha Bertol. (Bromeliaceae), conhecida como gravatá ou caraguatá, apresenta características medicinais, alimentícias e ornamentais. Neste trabalho foram avaliadas as atividades antifúngica, antibacteriana, citotóxica, moluscicida e antioxidante de extratos alcoólicos das folhas e frutos desta espécie. Na avaliação da atividade antimicrobiana pelo método de microdiluição os extratos alcoólicos não foram eficientes frente à cepa referência do fungo Candida albicans (ATCC 90028), cepas clínicas de C. albicans e C. glabrata, e frente às bactérias S. aureus (ATCC 6538), P. aeruginosa (ATCC 9027) e E. coli (ATCC 8739). A atividade citotóxica, avaliada pelo bioensaio de toxicidade sobre náuplios de Artemia salina Leach (TAS), foi positiva para ambos extratos, com valores de DL50 variando em torno de 620 µg mL-1 e 360 µg mL-1, para os extratos alcoólicos dos frutos e das folhas, respectivamente. A atividade moluscicida, avaliada frente a caramujos da espécie Biomphalaria glabrata (Molusca, Gastropoda), não mostrou toxicidade aguda para soluções de 400 µg mL-1. As propriedades antioxidantes dos extratos investigadas in vitro mediante o método de DPPH• foram consideradas modestas (~ 35% de inibição na concentração de 1000 µg mL-1). Dentre as atividades biológicas que foram testadas a atividade citotóxica foi a mais pronunciada.

Avaliação das ações moluscicida e antimicrobiana de extratos hidroalcóolicos de Ziziphus joazeiro mart. Expostos a altas taxas de doses de radiação Gama de 60Co

de Oliveira Mendes, Fabrício; Borges da Silva, Edvane (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.88%
Atualmente existe o interesse de analisar a ação das radiações ionizantes em extratos vegetais de plantas utilizadas tanto na medicina popular como em outros fins. A descoberta de compostos derivados de plantas que possam ajudar no controle microbiológico e/ou erradicação de caramujos vetores de parasitas importantes em saúde pública, tal como a esquistossomose e outras moléstias, é de grande valia, principalmente se a planta for facilmente encontrada na região afetada. Pode-se destacar Ziziphus joazeiro, popularmente conhecido como juá, uma espécie nativa da caatinga arbórea, árvore explorada comercialmente e bastante valorizada, devido à sua utilização por importantes indústrias farmacêuticas, na fabricação de cosméticos, xampus anticaspa e creme dental. No entanto, não existem, até o momento, muitos relatos na literatura sobre a atividade de Ziziphus joazeiro como biocida. Os objetivos do presente trabalho foram avaliar a ação de extratos hidroalcóolicos de cascas e folhas de Ziziphus joazeiro quanto a ação moluscicida e antimicrobiana e avaliar o efeito da radiação gama de ⁶⁰Co nestes extratos, com a hipótese de que a radiação potencializará estes efeitos. Os resultados mostraram que o Ziziphus joazeiro não apresentou atividade moluscicida...

Influência da radiação gama em extratos vegetais ricos em taninos

Henrique Farias dos Santos, Gustavo; Borges da Silva, Edvane (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.88%
Conhecidas popularmente por cajueiro e angico, Anacardium occidentale Linn. e Anadenanthera colubrina (Vell.) Brenan são espécies encontradas no Nordeste brasileiro conhecidas por conter altos teores de metabólitos secundários, em especial taninos, utilizados como matéria-prima nas associações de fitoterápicos, sendo de interesse econômico e ecológico. A radiação gama é utilizada em produtos de origem vegetal para o controle microbiológico. Porém, o processo de exposição à radiação pode causar aumento ou diminuição dos conteúdos de compostos fenólicos, como fenóis totais e taninos, em materiais crus ou cozidos. O objetivo deste estudo foi realizar uma avaliação química preliminar, detectando os teores de fenóis totais e taninos de extratos brutos secos de cascas e folhas do cajueiro e do angico, antes e após exposição à radiação com 60Co. O objetivo deste estudo foi realizar uma abordagem fitoquímica dos extratos brutos de cascas e folhas do cajueiro e do angico, antes e após exposição à radiação gama do 60Co. Os extratos brutos obtidos no laboratório foram divididos em controle e expostos à radiação gama, nas doses de 5; 7,5 e 10 kGy. Os fenóis totais foram quantificados pelo método Folin-Ciocalteau e os taninos...

Avaliação da atividade moluscicida do látex de três espécies de Euphorbia (Euphorbiaceae) sobre Leptinaria unilamellata d'Orbigny, 1835 (Gastropoda - Subulinidae)

Afonso-Neto,I.S; Bessa,E.A; Soares,G.L.G
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
57.17%
Gastrópodes pulmonados terrestres podem atuar como hospedeiros intermediários de helmintos. Os primeiros registros do controle químico desses invertebrados datam do início do século XX e as substâncias utilizadas eram toxinas inespecíficas já empregadas no controle de outras pragas. Moluscicidas sintéticos apresentam limitações técnicas que estimularam a busca de substitutos naturais. Dentre as várias espécies vegetais com atividade moluscicida, Euphorbia cotinifolia L., Euphorbia milii des Moul. var. splendens (Bojer ex Hook) Ursch & Leandri e Euphorbia tirucalli L. despertam atenção pelos excelentes resultados obtidos sobre moluscos aquáticos. Contudo, estudos sobre a atividade de plantas moluscicidas em moluscos terrestres são pouco comuns, apesar de sua grande importância parasitológica e agrícola. As semelhanças anatomo-fisiológicas entre espécies de moluscos aquáticos e terrestres sugerem que estratégias de controle químico possam ter eficiência semelhante para os dois grupos de invertebrados. Com base nessa hipótese, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a atividade moluscicida do látex de três espécies do gênero Euphorbia sobre Leptinaria unilamellata d'Orbigny, 1835, gastrópode terrestre descrito como hospedeiro intermediário de helmintos trematódeos digenéticos que parasitam animais domésticos. Destas E. milii var. splendens apresentou efeito moluscicida elevado sobre L. unilamellata...

Ensaios preliminares em laboratório para verificar a ação moluscicida de algumas espécies da flora brasileira; Preliminary laboratory tests of the molluscicide activity of some species of Brazilian flora

Mendes, Nelymar Martineli; Pereira, José Pedro; Souza, Cecília Pereira de; Oliveira, Maria de Lourdes Lima de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/1984 POR
Relevância na Pesquisa
46.78%
Estudou-se em laboratório a atividade moluscicida de 68 extratos de 23 plantas brasileiras. As soluções em água desclorada dos extratos hexânicos e etanólico, nas concentrações de 1, 10 e 100 ppm, foram testadas sobre caramujos adultos e desovas de Biomphalaria glabrata, criados em laboratório. As plantas que demonstraram ação moluscicida na concentração de 100 ppm foram: Arthemisia verlotorum Lamotte, Caesalpinia peltophoroides Benth, Cassia rugosa G.Don., Eclipta alba Hassk, Euphorbia pulcherrima Willd, Euphorbia splendens Bojer, Joannesia princeps Vell, Leonorus sibiricus L.,Macrosiphonia guaranitica Muell,Nerium oleander L., Palicourea nicotianaefolia Cham, e Schlech., Panicum maximum M., Rumex crispus L., Ruta graveolens L., e Stryphnodendron barbatiman M.; The molluscicide activity of sixty-eight extracts from twenty-three Brazilian plants was studied in the laboratory. The solutions, in dechlorinated water, of hexanic and ethylic extracts at 1, 10 and 100 ppm concentrations, were tested on adult snails and egg masses of Biomphalaria glabrata, reared in the laboratory. The plants with molluscicide activity on adult snails and/or egg masses at 100 ppm concentration were: Arthemisia verlotorum Lamotte, Caesalpinia peltophoroides Benth...

Caracterização da atividade moluscicida dos extratos das plantas Bauhinia variegata e Mimusops elengi contra o vetor da Fasciola, Lymnaea acuminata; Characterization of the molluscicidal activity of Bauhinia variegata and Mimusops elengi plant extracts against the fasciola vector lymnaea acuminata

Singh, Kanchan Lata; Singh, D.K.; Singh, Vinay Kumar
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2012 ENG
Relevância na Pesquisa
46.64%
A atividade moluscicida das folhas da Bauhinia variegata e da casca do Mimusops elengi foi testada contra o vetor caracol, Limnaea acuminata. A toxicidade de ambas as plantas é dependente do tempo e da concentração. Entre os extratos orgânicos, os extratos de etanol de ambas as plantas foi mais tóxico. A toxicidade do extrato etanólico da folha da B. variegata (96 h LC50 - 14,4 mg/L) foi mais pronunciada do que o extrato etanólico da casca do M. elengi (96h - LC50 - 15,0 mg/L). As frações purificadas em coluna durante 24 h LC50 do B. variegata e da casca do M. elengi foram 20,3 mg/L e 18,3 mg/L, respectivamente. A saponina e a quercentina foram caracterizadas e identificadas como os componentes ativos moluscicidas. A co-migração da saponina (Rf 0,48) e da quercentina (Rf 0,52) com a casca purificada por coluna do M. elengi e as folhas da B. variegata na cromatografia demonstraram o mesmo valor Rf isto é, 0,48 e 0,52 respectivamente. O presente estudo indica claramente a possibilidade de usar M. elengi e/ou B. variegata como moluscicidas potentes.; The molluscicidal activity of Bauhinia variegata leaf and Mimusops elengi bark was studied against vector snail Lymnaea acuminata. The toxicity of both plants was time and concentration-dependent. Among organic extracts...

Avaliação do potencial moluscicida de extratos hidroalcoólicos do caule, folhas e frutos de Jatropha gossypiifolia Linnaeus, 1753 em Biomphalaria glabrata (Say, 1818); EVALUATION OF THE MOLLUSCICIDAL POTENTIAL OF HYDROALCOHOLIC EXTRACTS OF Jatropha gossypiifolia Linnaeus, 1753 ON Biomphalaria glabrata (Say, 1818)

Pereira Filho, Adalberto Alves; França, Clícia Rosane Costa; Oliveira, Dorlam's da Silva; Mendes, Renato Juvino de Aragão; Gonçalves, José de Ribamar Santos; Rosa, Ivone Garros
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2014 ENG
Relevância na Pesquisa
36.98%
Estudou-se a ação dos extratos do caule, folhas e frutos de Jatropha gossypiifolia (Pinhão-roxo) sobre Biomphalaria glabrata analisando a sobrevivência, capacidade alimentar e de oviposição. Os extratos foram obtidos pela maceração das partes do vegetal em álcool etílico 92%, evaporados até obter-se um resíduo seco e estudados fitoquimicamente. A atividade moluscicida em B. glabrata seguiu os procedimentos recomendados pela WHO (1965). A medida de quantidade de alimento ingerido e a oviposição foi realizada durante cada experimento. O extrato das folhas de J. gossypiifolia mostrou-se um forte agente moluscicida, promovendo 100% de mortalidade de B. glabrata mesmo na menor concentração testada, 25 ppm. Com o extrato dos frutos houve variação na mortalidade, de acordo com a concentração utilizada (100, 75, 50 e 25 ppm). Os caramujos em contato com o extrato dos frutos apresentaram quando comparado ao controle uma diminuição significativa nos comportamentos alimentares e de número de embriões. O extrato do caule não apresentou atividade moluscicida e nenhuma influência sobre a capacidade alimentar e de oviposição de B. glabrata nas concentrações testadas. Em conclusão, os extratos de folhas e frutos de J. gossypiifolia investigados neste trabalho apresentam efeito moluscicida e possivelmente podem ser fontes de compostos no controle da esquistossomose.; The action of extracts from the stem...

Caracterização do componente moluscicida das folhas da Moringa oleifera e das frutas da Momordica charantia e seus modos de ação sobre o caramujo Lymnaea acuminata; CHARACTERIZATION OF MOLLUSCICIDAL COMPONENT OF Moringa oleifera LEAF AND Momordica charantia FRUITS AND THEIR MODES OF ACTION IN SNAIL Lymnaea acuminata

Upadhyay, Aparna; Singh, Vinay K.; Singh, Dinesh K.
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/07/2013 ENG
Relevância na Pesquisa
36.88%
RESUMO A atividade moluscicida do pó das folhas de Moringa oleifera e do pó liofilizado das frutas da Momordica charantia contra o caramujo Lymnaea acuminata é dependente do tempo e da sua concentração. O pó da folha da M. oleifera (96 h LC50: 197.59 ppm) foi mais tóxico do que o pó liofilizado da fruta da M. charantia (96 h LC50: 318.29 ppm). Os extratos etanólicos do pó de folha da M. oleifera e do pó liofilizado da fruta da M. charantia foram mais tóxicos do que outros extratos orgânicos solventes. O 96 h LC50 da fração purificada por coluna do pó das folhas da M. oleifera foi 22.52 ppm enquanto que o pó liofilizado do fruto da M. charantia foi 6.21 ppm. Coluna, camada fina e a alta performance da análise da cromatografia líquida mostram que os componentes ativos moluscicidas do pó da folha da M. oleifera e do liofiliizado da fruta da M. charantia são a benzilamina (96 h LC50: 22.3 ppm) e a momordicina (96 h LC50: 1.2 ppm), respectivamente. A benzilamina e a momordicina inibiram de maneira significante in vivo e in vitro a acetilcolinesterase (AChE), as atividades das fosfatases alcalina e ácida (ACP/ALP) nos tecidos nervosos da L. acuminata. A inibição da atividade da AChE, ACP e ALP nos tecidos nervosos da L. acuminata pela benzilamina e momordicina podem ser responsáveis pela atividade moluscicida da M. oleifera e dos frutos da M. charantia...

Ensaios preliminares em laboratório para verificar a ação moluscicida de algumas espécies da flora brasileira

Mendes,Nelymar Martineli; Pereira,José Pedro; Souza,Cecília Pereira de; Oliveira,Maria de Lourdes Lima de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/1984 PT
Relevância na Pesquisa
46.78%
Estudou-se em laboratório a atividade moluscicida de 68 extratos de 23 plantas brasileiras. As soluções em água desclorada dos extratos hexânicos e etanólico, nas concentrações de 1, 10 e 100 ppm, foram testadas sobre caramujos adultos e desovas de Biomphalaria glabrata, criados em laboratório. As plantas que demonstraram ação moluscicida na concentração de 100 ppm foram: Arthemisia verlotorum Lamotte, Caesalpinia peltophoroides Benth, Cassia rugosa G.Don., Eclipta alba Hassk, Euphorbia pulcherrima Willd, Euphorbia splendens Bojer, Joannesia princeps Vell, Leonorus sibiricus L.,Macrosiphonia guaranitica Muell,Nerium oleander L., Palicourea nicotianaefolia Cham, e Schlech., Panicum maximum M., Rumex crispus L., Ruta graveolens L., e Stryphnodendron barbatiman M.