Página 1 dos resultados de 59 itens digitais encontrados em 0.018 segundos

Pt(II) and Ag(I) complexes with acesulfame: Crystal structure and a study of their antitumoral, antimicrobial and antiviral activities

CAVICCHIOLI, Mauricio; MASSABNI, Antonio C.; HEINRICH, Tassiele A.; COSTA-NETO, Claudio M.; ABRAO, Emiliana P.; FONSECA, Benedito A. L.; CASTELLANO, Eduardo E.; CORBI, Pedro P.; LUSTRI, Wilton R.; LEITE, Clarice Q. F.
Fonte: ELSEVIER SCIENCE INC Publicador: ELSEVIER SCIENCE INC
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
46.71%
Two new complexes of platinum(II) and silver(I) with acesulfame were synthesized. Acesulfame is in the anionic form acesulfamate (ace). The structures of both complexes were determined by X-ray crystallography. For K(2)[PtCl(2)(ace)(2)] the platinum atom is coordinated to two Cl(-) and two N-acesulfamate atoms forming a trans-square planar geometry. Each K(+) ion interacts with two oxygen atoms of the S(=O)(2) group of each acesulfamate. For the polymeric complex [Ag(ace)](n) the water molecule bridges between two crystallographic equivalent Agl atoms which are related each other by a twofold symmetry axis. Two Agl atoms, related to each other by a symmetry centre, make bond contact with two equivalent oxygen atoms. These bonds give rise to infinite chains along the unit cell diagonal in the ac plane. The in vitro cytotoxic analyses for the platinum complex using HeLa (human cervix cancer) cells show its low activity when compared to the vehicle-treated cells. The Ag(I) complex submitted to in vitro antimycobacterial tests, using the Microplate Alamar Blue (MABA) method, showed a good activity against Mycobacterium tuberculosis, responsible for tuberculosis, with a minimal inhibitory concentration (MIC) value of 11.6 mu M. The Ag(I) complex also presented a promising activity against Gram negative (Escherichia colt and Pseudomonas aeruginosa) and Gram positive (Enterococcus faecalis) microorganisms. The complex K(2)[PtCl(2)(ace)(2)] was also evaluated for antiviral properties against dengue virus type 2 (New Guinea C strain) in Vero cells and showed a good inhibition of dengue virus type 2 (New Guinea G strain) replication at 200 mu M...

Estudos termoanalíticos dos edulcorantes acessulfame-K, aspartame, ciclamato, esteviosídeo e sacarina; Thermoanalytical studies of the sweeteners acesulfame-K, aspartame, ciclamate, stevioside and sacharine

Carvalho, Lucinéia Cristina de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.64%
Neste trabalho, estudou-se a decomposição térmica dos edulcorantes não calóricos acessulfame-K, aspartame, ciclamato de sódio, esteviosídeo, sacarina e sacarina sódica de crescente uso na indústria alimentícia. Para tanto, essas amostras foram submetidas à análise por TG, DTG DTA e DSC, após caracterização por análise elementar e por IV. Após recristalização dos compostos comerciais ciclamato de sódio e sacarina sódica, observou-se nas curvas TG a presença de águas de hidratação no aspartame e na sacarina sódica. Nesta última, a primeira água é muito volátil e pode ser eliminada na secagem. O esteviosídeo apresentou umidade. Os intermediários e os resíduos dos mesmos foram caracterizados por IV e quando necessário por difração de raios X. De maneira geral os compostos apresentaram decomposição com formação de resíduo carbonizado e geração de sulfato de potássio, no caso do acessulfame-K e sulfato de sódio na sacarina e ciclamato de sódio. Estudos de cinética de decomposição em fase sólida foram realizados para o aspartame e sacarina, pois estes não apresentavam sobreposição de eventos. Os estudos cinéticos para decomposição térmica usando o método de Flynn-Wall-Ozawa só puderam ser realizados para o aspartame resultando em log A = 23...

Formulação de doces cremosos a base de frutas com baixo teor de sólidos solúveis e diferentes edulcorantes; Formulation of low soluble solids fruit jellies with different sweetners

Martini, Ricardo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
26.94%
O objetivo do presente trabalho foi desenvolver diferentes formulações de doces cremosos com baixo teor de sólidos solúveis, buscando novos produtos que atendam às necessidades das pessoas em dietas de restrição de açúcares, com as mesmas características sensoriais dos doces cremosos com teor elevado de sólidos solúveis. Analisou-se a vida útil destes produtos por monitoramento de componentes físicos, químicos e microbiológicos. As etapas consideradas durante a fase de desenvolvimento do produto foram: formulação; medição e ajuste do pH; medição do teor de sólidos solúveis; concentração; envasamento; resfriamento e armazenamento. Na fase de desenvolvimento de produto foram testados blends dos seguintes edulcorantes: aspartame e acesulfame-K; sacarina, ciclamato e acesulfame-K; sacarina, ciclamato e aspartame; sacarina, ciclamato e esteviosídeo e para as análises sensoriais e testes de vida útil foram utilizados aspartame, acesulfame-K blend de aspartame e acesulfame-K e blend de sacarina e ciclamato. Foram testadas pectinas de baixo teor de metoxilas (BTM) com baixa, média e alta reatividade ao cálcio, utilizando-se dosagem específica de cálcio para cada tipo de pectina. As características sensoriais...

Estudo do polimorfismo dos edulcorantes artificiais sacarina, sacarina sódica, ciclamato de sódio e acesulfame-K; Study of polymorphism in artificial sweeteners saccharin, sodium saccharin, sodium cyclamte and acesulfame-K

Medina, Deyber Arley Vargas
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.86%
O polimorfismo nos edulcorantes artificiais sacarina, sacarina sódica, ciclamato de sódio e acesulfame-K foi estudado a partir da obtenção de cristais mediante evaporação lenta de solvente, em diferentes temperaturas e sistemas solventes. As formas sólidas obtidas foram caracterizadas mediante o emprego de técnicas temoanalíticas e de difração de raios X. Estabeleceu-se a existência de três hábitos cristalinos isomórficos e uma forma semicristalina de sacarina, três formas pseudopolimórficas de sacarina sódica, duas formas pseudopolimórficas de ciclamato de sódio e duas formas polimórficas e uma amorfa de acesulfame-K.; The polymorphism in the artificial sweeteners saccharin, sodium saccharin, sodium cyclamate and acesulfame-K was studied from crystals obtained by slow evaporation of solvent at different temperatures. The solid forms obtained were characterized by thermoanalytical techniques and X-ray diffraction. It was established the existence of three isomorphic crystalline habits and one semicrystalline form of saccharin, three pseudopolymorphic forms of sodium saccharin, two pseudopolymorphic forms of sodium cyclamate and two polymorphic form and one amorphous acesulfame-K.

Utilização de farinhas de linhaça e de batata yacon na elaboração de bolos como alternativa para pacientes com Diabetes mellitus

Almeida, Natália Todeschini
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.76%
A yacon possui propriedades funcionais que auxiliam o funcionamento do trato gastrointestinal, perda de peso e efeitos hipoglicemiantes. A linhaça é rica em fibras e ácidos graxos ômega-3, podendo atuar na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Esses dois alimentos podem apresentar benefícios para pacientes com Diabetes mellitus (DM), contribuindo tanto na prevenção da doença como na melhora de seu prognóstico. O presente estudo teve como objetivo avaliar a composição química, física e as características sensoriais de bolos formulados com farinhas de batata yacon e de linhaça como alternativa para pacientes com DM. Foram elaboradas quatro formulações de bolo: P (yacon+ linhaça + sacarose), A (yacon + linhaça), B (yacon + linhaça + sucralose/acessulfame-K) e C (yacon + linhaça + stévia). Para a determinação das características químicas foi avaliado: umidade, carboidratos, proteínas, lipídeos, fibra alimentar, cinzas e valor energético. Para a análise física determinou-se: peso e altura pré e pós-cocção e fator térmico. A análise sensorial foi avaliada pelos atributos de aparência, cor, textura, sabor, e aceitação global, além de intenção de compra. A análise estatística foi realizada por ANOVA e teste Tukey...

Pt(II) and Ag(I) complexes with acesulfame: Crystal structure and a study of their antitumoral, antimicrobial and antiviral activities

Cavicchioli, Mauricio; Massabni, Antonio C.; Heinrich, Tassiele A.; Costa-Neto, Claudio M.; Abrão, Emiliana Pereira; Fonseca, Benedito A. L.; Castellano, Eduardo E.; Corbi, Pedro P.; Lustri, Wilton R.; Leite, Clarice Q. F.
Fonte: Elsevier B.V. Publicador: Elsevier B.V.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 533-540
ENG
Relevância na Pesquisa
46.71%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Processo FAPESP: 05/00174-2; Two new complexes of platinum(II) and silver(I) with acesulfame were synthesized. Acesulfame is in the anionic form acesulfamate (ace). The structures of both complexes were determined by X-ray crystallography. For K(2)[PtCl(2)(ace)(2)] the platinum atom is coordinated to two Cl(-) and two N-acesulfamate atoms forming a trans-square planar geometry. Each K(+) ion interacts with two oxygen atoms of the S(=O)(2) group of each acesulfamate. For the polymeric complex [Ag(ace)](n) the water molecule bridges between two crystallographic equivalent Agl atoms which are related each other by a twofold symmetry axis. Two Agl atoms, related to each other by a symmetry centre, make bond contact with two equivalent oxygen atoms. These bonds give rise to infinite chains along the unit cell diagonal in the ac plane. The in vitro cytotoxic analyses for the platinum complex using HeLa (human cervix cancer) cells show its low activity when compared to the vehicle-treated cells. The Ag(I) complex submitted to in vitro antimycobacterial tests, using the Microplate Alamar Blue (MABA) method, showed a good activity against Mycobacterium tuberculosis, responsible for tuberculosis...

Bebida de maracuja natural "light" pronta para beber : formulação, produção e estudo de vida-de-prateleira.; Passion fruit juice beverage with different sweetener systems : formaulation, production and shelf life study.

Renata De Marchi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
26.94%
O mercado de bebidas à base de frutas está em constante expansão. Os consumidores querem desfrutar de bebidas que vão além de apenas saciar a sede, e que ofereçam vantagens nutricionais e conveniência. Paralelamente à preferência dos consumidores por bebidas saudáveis, há uma crescente tendência ao consumo de bebidas de baixa caloria. Os consumidores estão cada vez melhor informados sobre a importância de uma dieta saudável, com menor ingestão de açúcar e gordura. Assim, o presente trabalho teve como objetivo formular, produzir, avaliar a aceitação em dois diferentes mercados consumidores ? Brasil e Estados Unidos, determinar o perfil sensorial e estudar a vida-de-prateleira de bebidas de maracujá naturais, prontas para beber, adoçadas com sacarose (referência), aspartame, sucralose, e mistura aspartame/acesulfame-K (4:1) (light), respectivamente, durante 180 dias de estocagem. A bebida de maracujá referência foi formulada utilizando-se metodologia de superfície de resposta e testes de aceitação. O conteúdo de polpa de maracujá e a concentração de sacarose, selecionados para serem usados em tal bebida foram, respectivamente, 2,5°Brix (resultantes da mistura: polpa de maracujá e água) e 10%. Para a formulação das bebidas light...

Direcionadores de preferência e perfil sensorial de pães isentos de glúten e sacarose; Drivers of liking and sensory profiling of gluten and sacarose free breads

Natália Manzatti Machado Alencar
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.64%
Na atualidade a doença celíaca atinge aproximadamente 1% da população do mundo, e cerca de 3,1% dos pacientes com diabetes mellitus tipo I. A doença celíaca é caracterizada pela atrofia da mucosa intestinal na parte proximal e pela permanente intolerância ao glúten. Seu tratamento consiste em uma dieta isenta de glúten. Novas estratégias tem sido utilizadas para a fabricação de produtos de panificação isentos de glúten e sacarose, que se referem à utilização de pseudocereais, tais como amaranto e quinoa e edulcorantes, como por exemplo, sucralose e estévia. Diante disso, o objetivo desse estudo foi analisar a incorporação de farinha de amaranto e quinoa e edulcorantes (sucralose, estévia, acessulfame-k) no estudo do perfil sensorial e físico-químico em 6 amostras de pães isento de glúten e de sacarose. Os pães foram formulados contendo 20% farinha de amaranto e quinoa como substituto parcial da composição de amidos, sucralose, estévia e sucralose/acessulfame-K como edulcorantes substitutos da sacarose. Para compor o estudo de análise sensorial foram realizados Análise Descritiva Quantitativa (ADQ), teste de aceitação e análise tempo-intensidade para os estímulos gosto doce e amargo. O perfil físico-químico foi determinado por meio de volume específico do pão...

Determinação do perfil sensorial descritivo, perfil tempo-intensidade e estudo de consumidor de néctar de pêssego (Prunus persica (L.) Batsch) adoçado com sacarose e diferentes edulcorantes; Determination of descriptive sensory profile, time-intensity profile and study of peach nectar (Prunus persica (L.) Batsch)consumers sweetened with sucrose and different sweeteners

Alessandra Cazelatto de Medeiros Lins da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
26.64%
O estudo teve como objetivo elaborar a formulação do néctar de pêssego, verificar a equivalência de doçura de cada edulcorante em relação à sacarose e traçar o perfil sensorial e o comportamento do consumidor diante desse produto, utilizando a análise sensorial com ferramenta de estudo, para determinar o melhor substituto para a sacarose. Na caracterização físico-química da polpa de pêssego obteve-se 1,26% de ácido cítrico para acidez titulável, 6,25mg de ácido ascórbico para 100g de polpa, 8,00 °Brix para sólidos solúveis; 3,65 para pH; e com relação à cor, 50,87 para L*, 9,67 para a* e 30,85 para b*. A quantidade de sacarose em néctar de pêssego considerada ideal pelos consumidores pelo teste de determinação da doçura ideal foi de 8,6 %. A concentração equivalente de cada edulcorante para substituir a sacarose no néctar de pêssego foi: 0,0169 % de sucralose; 0,0018 % de neotame; 0,1055 % de estévia com 40 % de rebaudiosídeo A; 0,1055 % de estévia com 95 % de rebaudiosídeo A; e 0,0332 % de blend de acessulfame-k, sucralose e neotame (100:50:1). A análise descritiva quantitativa descreveu as amostras de néctar de pêssego utilizando 20 termos descritores com relação a aparência (cor amarela...

Pt(II) and Ag(I) complexes with acesulfame: Crystal structure and a study of their antitumoral, antimicrobial and antiviral activities

CAVICCHIOLI, Mauricio; MASSABNI, Antonio C.; HEINRICH, Tassiele A.; COSTA-NETO, Claudio M.; ABRAO, Emiliana P.; FONSECA, Benedito A. L.; CASTELLANO, Eduardo E.; CORBI, Pedro P.; LUSTRI, Wilton R.; LEITE, Clarice Q. F.
Fonte: ELSEVIER SCIENCE INC Publicador: ELSEVIER SCIENCE INC
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
46.71%
Two new complexes of platinum(II) and silver(I) with acesulfame were synthesized. Acesulfame is in the anionic form acesulfamate (ace). The structures of both complexes were determined by X-ray crystallography. For K(2)[PtCl(2)(ace)(2)] the platinum atom is coordinated to two Cl(-) and two N-acesulfamate atoms forming a trans-square planar geometry. Each K(+) ion interacts with two oxygen atoms of the S(=O)(2) group of each acesulfamate. For the polymeric complex [Ag(ace)](n) the water molecule bridges between two crystallographic equivalent Agl atoms which are related each other by a twofold symmetry axis. Two Agl atoms, related to each other by a symmetry centre, make bond contact with two equivalent oxygen atoms. These bonds give rise to infinite chains along the unit cell diagonal in the ac plane. The in vitro cytotoxic analyses for the platinum complex using HeLa (human cervix cancer) cells show its low activity when compared to the vehicle-treated cells. The Ag(I) complex submitted to in vitro antimycobacterial tests, using the Microplate Alamar Blue (MABA) method, showed a good activity against Mycobacterium tuberculosis, responsible for tuberculosis, with a minimal inhibitory concentration (MIC) value of 11.6 mu M. The Ag(I) complex also presented a promising activity against Gram negative (Escherichia colt and Pseudomonas aeruginosa) and Gram positive (Enterococcus faecalis) microorganisms. The complex K(2)[PtCl(2)(ace)(2)] was also evaluated for antiviral properties against dengue virus type 2 (New Guinea C strain) in Vero cells and showed a good inhibition of dengue virus type 2 (New Guinea G strain) replication at 200 mu M...

Stress oxidativo e genotoxicidade em ratinhos expostos a Acessulfame K

Arteiro, Fátima Raquel Sousa
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
O Acessulfame K é um edulcorante que foi sintetizado pela primeira vez em 1967 e é 150-200 vezes mais doce do que o açúcar. Este composto é altamente estável e encontramo-lo em muitos alimentos, incluindo pastilha elástica, sobremesas, bebidas alcoólicas, refrigerantes, xaropes, doces, molhos e iogurte. Habitualmente utilizado em combinação com o Aspartame ou outros edulcorantes porque apresenta uma acção combinada para aumentar e manter o sabor doce dos alimentos e bebidas, é estável ao calor, podendo ser utilizado em produtos processados a elevadas temperaturas. Assim, oferece aos consumidores um aroma doce com pouca ou nenhuma energia ou resposta glicémica e auxilia no controlo da glicose sanguínea e do peso. A Food and Drug Administration aprovou a utilização do Acessulfame K em 1988. Desde então, a segurança deste composto no que respeita à saúde pública tem sido analisada diversas vezes, tendo sido estabelecida uma DDA (dose diária aceitável) de 15 mg/kg de peso corporal. Este estudo versou a exposição por via oral de ratinhos de laboratório machos a Acessulfame K com doses diferentes (15, 60, 1500 e 2250 mg/kg peso corporal), determinando-se se este edulcorante poderia causar o aparecimento de enzimas de protecção antioxidante (Catalase) em tecidos de fígado e rim...

Características sensoriais de compotas de pêssego light elaboradas com sucralose e acesulfame-K

Mendonça,Carla R. B.; Zambiazi,Rui C.; Gularte,Márcia A.; Granada,Graziele G.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.86%
O trabalho objetivou realizar uma caracterização sensorial de compotas de pêssego com reduzidas calorias. As compotas foram elaboradas pela substituição parcial de açúcar pelos edulcorantes sucralose, acesulfame-K e sucralose+acesulfame-K. Além desta caracterização, investigou-se a vida-de-prateleira destes produtos durante um período de 90 dias. Para isto, foram avaliados os atributos de aparência geral, cor, brilho, maciez, sabor geral e acidez, logo após o processamento, aos 30, 60 e 90 dias de estocagem. Ao término do período de estocagem executou-se, ainda, um teste de preferência. De acordo com a avaliação sensorial dos diferentes atributos, detectou-se diferenças significativas entre as quatro formulações de compota, especialmente em relação aos atributos de sabor e acidez. As formulações com acesulfame-K e sucralose+acesulfame-K mostraram valores inferiores às demais. Durante o período de armazenamento não se constatou expressivas alterações nas características sensorias das compotas. Os resultados do teste de preferência mostraram que não houve distinção na preferência dos consumidores por qualquer das formulações.

Allelic variation of the Tas1r3 taste receptor gene selectively affects taste responses to sweeteners: evidence from 129.B6-Tas1r3 congenic mice

Inoue, Masashi; Glendinning, John I.; Theodorides, Maria L.; Harkness, Sarah; Li, Xia; Bosak, Natalia; Beauchamp, Gary K.; Bachmanov, Alexander A.
Fonte: PubMed Publicador: PubMed
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
36.08%
The Tas1r3 gene encodes the T1R3 receptor protein, which is involved in sweet taste transduction. To characterize ligand specificity of the T1R3 receptor and the genetic architecture of sweet taste responsiveness, we analyzed taste responses of 129.B6-Tas1r3 congenic mice to a variety of chemically diverse sweeteners and glucose polymers with three different measures: consumption in 48-h two-bottle preference tests, initial licking responses, and responses of the chorda tympani nerve. The results were generally consistent across the three measures. Allelic variation of the Tas1r3 gene influenced taste responsiveness to nonnutritive sweeteners (saccharin, acesulfame-K, sucralose, SC-45647), sugars (sucrose, maltose, glucose, fructose), sugar alcohols (erythritol, sorbitol), and some amino acids (d-tryptophan, d-phenylalanine, l-proline). Tas1r3 genotype did not affect taste responses to several sweet-tasting amino acids (l-glutamine, l-threonine, l-alanine, glycine), glucose polymers (Polycose, maltooligosaccharide), and nonsweet NaCl, HCl, quinine, monosodium glutamate, and inosine 5′-monophosphate. Thus Tas1r3 polymorphisms affect taste responses to many nutritive and nonnutritive sweeteners (all of which must interact with a taste receptor involving T1R3)...

Analysis of multiple sweeteners and their degradation products in lassi by HPLC and HPTLC plates

George, V.; Arora, S.; Wadhwa, B. K.; Singh, A. K.
Fonte: Springer-Verlag Publicador: Springer-Verlag
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
36.12%
A solid phase extraction method using C18 cartridges was standardized for the isolation of multiple sweeteners (aspartame, acesulfame-K and saccharin) and their degradation products (diketopiperazine, Lphenylalanine, acetoacetamide and 2-sulfobenzoic acid) from lassi. Analytical conditions for HPLC were standardized over C18 column using UV detector for the simultaneous separation and estimation of multiple sweeteners and their degradation products in lassi sample isolates. A simple cartridge free method was developed for the isolation of sucralose from lassi. Method was also standardized for qualitative detection and quantitative estimation of sucralose over amino and silica gel plates of HPTLC.

Whole-nerve chorda tympani responses to sweeteners in C57BL/6ByJ and 129P3/J mice

Inoue, Masashi; McCaughey, Stuart A.; Bachmanov, Alexander A.; Beauchamp, Gary K.
Fonte: PubMed Publicador: PubMed
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /09/2001 EN
Relevância na Pesquisa
36.08%
The C57BL/6ByJ (B6) strain of mice exhibits higher preferences than does the 129P3/J (129) strain for a variety of sweet-tasting compounds. We measured gustatory afferent responses of the whole chorda tympani nerve in these two strains using a broad array of sweeteners and other taste stimuli. Neural responses were greater in B6 than in 129 mice to the sugars sucrose and maltose, the polyol D-sorbitol, and the non-caloric sweeteners NaSaccharin, acesulfame-K, SC-45647, and sucralose. Lower neural response thresholds were also observed in the B6 strain for most of these stimuli. The strains did not differ on their neural responses to amino acids that are thought to taste sweet to mice, with the exception of L-proline, which evoked larger responses in the B6 strain. Aspartame and thaumatin, which taste sweet to humans but are not strongly preferred by B6 or 129 mice, did not evoke neural responses that exceeded threshold in either strain. The strains generally did not differ in their neural responses to NaCl, quinine, and HCl. Thus, variation between the B6 and 129 strains in the peripheral gustatory system may contribute to differences in their consumption of many sweeteners.

Assessment of stability of binary sweetener blend (aspartame x acesulfame-K) during storage in whey lemon beverage

Arora, Sumit; Shendurse, Ashish M.; Sharma, Vivek; Wadhwa, Balbir K.; Singh, Ashish K.
Fonte: Springer-Verlag Publicador: Springer-Verlag
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
56.82%
In the present study, artificial sweeteners—aspartame, acesulfame-K and binary sweetener blend of aspartame x acesulfame-K were assessed for stability during storage in whey lemon beverage. A solid phase extraction method using C18 cartridges was standardized for the isolation of aspartame, acesulfame-K and their degradation products in whey lemon beverage. HPLC analytical conditions were standardized over C18 column for simultaneous separation of multiple sweeteners and their degradation products in sample isolates. Storage studies revealed that increase in acidity and viscosity and decrease in pH and ascorbic acid content of artificially sweetened whey lemon beverage samples were similar to the changes occurring in control samples during storage. Analysis using HPLC showed that aspartame (added either singly or in a blend) and acesulfame-K (added in a blend) were stable in whey lemon beverage under refrigerated condition for 15 days.

Long-Term Artificial Sweetener Acesulfame Potassium Treatment Alters Neurometabolic Functions in C57BL/6J Mice

Cong, Wei-na; Wang, Rui; Cai, Huan; Daimon, Caitlin M.; Scheibye-Knudsen, Morten; Bohr, Vilhelm A.; Turkin, Rebecca; Wood, William H.; Becker, Kevin G.; Moaddel, Ruin; Maudsley, Stuart; Martin, Bronwen
Fonte: Public Library of Science Publicador: Public Library of Science
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 07/08/2013 EN
Relevância na Pesquisa
36.32%
With the prevalence of obesity, artificial, non-nutritive sweeteners have been widely used as dietary supplements that provide sweet taste without excessive caloric load. In order to better understand the overall actions of artificial sweeteners, especially when they are chronically used, we investigated the peripheral and central nervous system effects of protracted exposure to a widely used artificial sweetener, acesulfame K (ACK). We found that extended ACK exposure (40 weeks) in normal C57BL/6J mice demonstrated a moderate and limited influence on metabolic homeostasis, including altering fasting insulin and leptin levels, pancreatic islet size and lipid levels, without affecting insulin sensitivity and bodyweight. Interestingly, impaired cognitive memory functions (evaluated by Morris Water Maze and Novel Objective Preference tests) were found in ACK-treated C57BL/6J mice, while no differences in motor function and anxiety levels were detected. The generation of an ACK-induced neurological phenotype was associated with metabolic dysregulation (glycolysis inhibition and functional ATP depletion) and neurosynaptic abnormalities (dysregulation of TrkB-mediated BDNF and Akt/Erk-mediated cell growth/survival pathway) in hippocampal neurons. Our data suggest that chronic use of ACK could affect cognitive functions...

Rebaudioside A and Rebaudioside D bitterness do not covary with Acesulfame K bitterness or polymorphisms in TAS2R9 and TAS2R31

Allen, Alissa L.; McGeary, John E.; Hayes, John E.
Fonte: PubMed Publicador: PubMed
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
46.39%
In order to reduce calories in foods and beverages, the food industry routinely uses non-nutritive sweeteners. Unfortunately, many are synthetically derived, and many consumers have a strong preference for natural sweeteners, irrespective of the safety data on synthetic non-nutritive sweeteners. Additionally, many non-nutritive sweeteners elicit aversive side tastes such as bitter and metallic in addition to sweetness. Bitterness thresholds of acesulfame-K (AceK) and saccharin are known to vary across bitter taste receptors polymorphisms in TAS2R31. RebA has shown to activate hTAS2R4 and hTAS2R14 in vitro. Here we examined bitterness and sweetness perception of natural and synthetic non-nutritive sweeteners. In a follow-up to a previous gene-association study, participants (n=122) who had been genotyped previously rated sweet, bitter and metallic sensations from rebaudioside A (RebA), rebaudioside D (RebD), aspartame, sucrose and gentiobiose in duplicate in a single session. For comparison, we also present sweet and bitter ratings of AceK collected in the original experiment for the same participants. At similar sweetness levels, aspartame elicited less bitterness than RebD, which was significantly less bitter than RebA. The bitterness of RebA and RebD showed wide variability across individuals...

Non-nutritive sweeteners: no class effect on the glycemic or appetite responses to ingested glucose

Bryant, Charlotte E.; Wasse, Lucy K.; Astbury, Nerys; Nandra, Gurinder; McLaughlin, John T.
Fonte: PubMed Publicador: PubMed
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
36.61%
There is considerable interest in whether non-nutritive sweeteners are sensed in the gastrointestinal tract to modulate appetitive or absorptive responses to ingested carbohydrate. We determined the effect of a panel of non-nutritive sweeteners, aspartame, saccharin and acesulfame-K, delivered in doses that would be consumed in normal usage. Each was given in combination with glucose, assessing their effect on glycemic responses and appetite in ten healthy human subjects. There was no additional effect of aspartame or saccharin on the blood glucose response to oral glucose at any time point, although acesulfame-K exerted a small effect. However, none had an effect on perceptions of hunger or fullness. We conclude that there is no consistent evidence that non-nutrient sweeteners, when acutely consumed with glucose in dietetically relevant doses, have a class effect in modulating blood glucose in healthy human subjects. However, acesulfame-K may require further exploration.

Analise de diferentes edulcorantes em nectar de pessego : determinação da doçura ideal, equivalencias em doçura, analise de aceitação e determinação do perfil sensorial.; Analysis of different sweeteners in peach nectar : determination of ideal sweetness, equivalent sweetness, acceptance analysis and determination of the sensory profile.

Juliana Maria Porto Cardoso
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 06/07/2007 PT
Relevância na Pesquisa
26.89%
Atualmente, os consumidores esperam cada vez mais obter prazer com o alimento e requerem características sensoriais, como gosto, sabor, cor e textura agradáveis. Por outro lado, desejam que este seja reduzido em gorduras, açúcar e calorias e possibilite a manutenção ou melhoria de sua saúde e bem estar. Com a obesidade tendo se tornado epidêmica e com o aumento cada vez maior do interesse da população por alimentos com benefícios, os edulcorantes têm recebido especial atenção. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento dos edulcorantes aspartame, mistura ciclamato/sacarina 2:1, estévia, sucralose e acessulfame - K em substituição à sacarose em néctar de pêssego, bebida largamente consumida no Brasil. Foram realizadas determinações da doçura ideal e equivalente, análise de aceitação e determinação do perfil sensorial através de análise descritiva quantitativa e análise tempo-intensidade, sendo que a análise de aceitação e a análise tempo-intensidade foram realizadas em duas diferentes temperaturas (6 ± 2°C e 22 ± 2°C). A concentração de sacarose considerada ideal pelo consumidor foi de 10%, sendo que as concentrações dos edulcorantes necessárias para promover doçura equivalente à ideal com sacarose foram de 0...