Página 1 dos resultados de 444 itens digitais encontrados em 0.021 segundos

Morphology and Involution of the Yolk Sac during Early Gestation Bovine (Bos indicus)

Assis Neto, Antonio Chaves de; Oliveira, Franceliusa Delys de; Constantino, Maria Vitoria Piemonte; Miglino, Maria Angelica
Fonte: UNIV FED RIO GRANDE DO SUL; PORTO ALEGRE RS Publicador: UNIV FED RIO GRANDE DO SUL; PORTO ALEGRE RS
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
66.64%
Background: The bovine yolk sac derives from visceral endoderm and its development occurs between days 18-23 of gestation. The study of this membrane is important for comparative data and has already been performed in rodents, sheep and in cattle, especially Bos taunts. In species Bos indicus the yolk sac has not quite been studied and is believed that there are morphological differences between these species. The yolk sac undergoes a process of involution and degeneration during embryonic development and none vestige of it is found in late gestation. The period in which occurs the involution of the yolk sac coincides with the period of increased pregnancy loss in cattle, and changes in the morphology of this membrane may indicate the reasons for such high loss rates. Thus, considering that the yolk sac is important for embryonic circulation and metabolic transmission, besides participating actively in the process of cattle placentation, this study aimed characterize morphologically the involution of the bovine yolk sac. Materials, Methods & Results: The early gestational period was determined between days 20 and 70 post-insemination (p.i), according to the exterior characteristics of embryo/fetus. For macroscopic analyzes the uterus was dissected to expose the fetal membranes and subsequently the embryo/fetus was photographed. The samples were fixed for light microscopy and transmission electron microscopy. The yolk sac that emerges from the ventral part of the embryo was prominent and composed by a central part with two thin peripheral projections of different lengths. The bovine yolk sac with about 9 cm on day 25 p. i. of pregnancy permanently decreased its total length during this study. Histologically...

Análise morfológica da área de transição do intestino primitivo para o saco vitelino em embriões e fetos bovinos (24 a 50 dias de gestação); Morphologycal analysis of the transition site of the primitive intestine to the yolk sac in bovine embryos and fetal (24 to 50 days gestation)

Mançanares, Celina Almeida Furlanetto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.49%
O saco vitelino é a principal fonte de nutrição do embrião durante o período em que a placenta verdadeira ainda não está completamente formada. É responsável pela hematopoiese, pois dele se desenvolvem os primórdios das células sanguíneas, bem como parte do sistema circulatório primitivo do embrião. Tivemos como objetivo caracterizar a área transicional do saco vitelino para o intestino primitivo através de análise macroscópica, microscopia de luz, microscopia eletrônica de transmissão e reação imunohistoquímica para detecção de células germinativas (Oct-4). Foram realizados cortes seqüenciais de todos os embriões para permitir a visualização da estrutura como um todo. Nas amostras obtidas, pudemos observar a presença do saco vitelino com a área de conexão com intestino primitivo composto por inúmeras ilhotas vasculares que correspondem aos vasos envolvidos pelas células vitelínicas e células mesenquimais. No interior dos vasos identificamos hemangioblastos em grande quantidade. A camada correspondente ao mesênquima é delgada e com células alongadas e endoderma da membrana vitelínica é composto por células endodérmicas, grandes, uni ou binucleadas. Tal arranjo celular se assemelha a uma glândula devido a sua arquitetura em ilhas vasculares somado às camadas teciduais. O epitélio do intestino primitivo inicia sua diferenciação com células colunares estratificadas e bordadura em escova seguido de células mesenquimais indiferenciadas. A área transicional entre o saco vitelínico e o intestino primitivo é estreita em relação à luz destas duas estruturas com células de formato irregular...

Análise de células mesenquimais de saco vitelino, figado e medula óssea de fetos caninos; Analysis of mesenchymal cells from yolk sac, liver and bone marrow of the canine fetus

Wenceslau, Cristiane Valverde
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/02/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.61%
Em vista das limitações éticas em torno da obtenção de células-tronco de fetos humanos, o cão é uma alternativa para estes estudos. Além disso, a terapia celular proporciona novas expectativas para o tratamento na espécie. Realizamos o estudo comparativo das células isoladas de saco vitelino, fígado e medula óssea de fetos caninos. As células foram analisadas microscopicamente e ultra estruturalmente. O imunofenótipo das células foi avaliado através de marcadores. Caracterizamos a plasticidade, o cariótipo e o potencial teratogênico destas células. Após expansão as células progenitoras formaram colônias com morfologia fibroblastóide. As células progenitoras do saco vitelino e medula óssea são compostas por: células com alta proporção núcleo-citoplasma e células com citoplasma rico em organelas, enquanto que as células progenitoras do fígado eram semelhantes à célula epitelial e células ricas em organelas. As células-progenitoras dos três tecidos fetais foram positivas para os anticorpos nestina e vimentina, mas negativas para CD45 e CD13. Células progenitoras de medula óssea foram positivas para o marcador CD44. Células progenitoras do fígado e medula óssea expressaram a proteína citoqueratina-18...

Caracterização de células tronco mesenquimais oriundas de líquido amniótico, líquido alantóide e conteúdo vitelino de fetos caninos; Characterization to mesenchymal stem cells from amnioitc fluid, alantois fluid and yolk sac fluid from canine foetus

Fernandes, Renata Avancini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
56.26%
O cão é um excelente modelo pré-clínico para o estudo de doenças, testes farmacológicos e novas terapias para futura aplicação em humanos. Desta forma, estudamos o modelo canino como fonte de células tronco de anexos fetais, o líquido amniótico, alantóide e conteúdo vitelino. Uma vez que hoje, as células tronco apresentam uma esperança na cura de diversas doenças tanto nos cães, como no ser humano. Sendo assim, caracterizamos e estudamos o potencial de diferenciação dessas células, isoladas após a técnica de ovário salpingo histerectomia, de cadelas em campanhas de castração. Após o isolamento e a caracterização, somente foi estabelecida a cultura do líquido amniótico e alantóide. Para caracterizar as células, isoladas no intuito de comprovar que são células tronco verdadeiras, os seguintes Imunomarcadores foram usados, vimentina, nestina, citoqueratina-18 e oct-4, sendo os três primeiros positivos para células do líquido amniótico e alantóide. Induzimos a diferenciação dessas células para osso, cartilagem e gordura, utilizando protocolos previamente estabelecidos. As células tronco do líquido amniótico limitaram-se à diferenciação condrogênica e osteogênica enquanto que as células tronco do alantóide...

Análise da dinâmica da origem e destino das células trofoblásticas na interface materno-fetal do útero gestante do cobaio na elucidação da organização da placenta vitelina invertida; Analysis of the dynamic of origin and fate of trophoblast cells in the maternal-fetal interface of pregnant guinea pig uterus to elucidate inverted yolk sac organization

Kanashiro, Claudia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 18/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.7%
A implantação embrionária e a placentação em cobaios são caracterizadas pela presença trofoblastos que se destacam da placenta principal, semelhantes ao trofoblasto extra-viloso de humanos. Nestes animais ultrapassam os limites, e podem ser encontrados infiltrados no profundamente no endométrio e no em ambiente externo ultrapassando aos limites da parede uterina. A cobaia desenvolve uma importante estrutura fisiológica de troca materno-embrionária, denominada de placenta vitelina invertida, definidas como membrana fetal destituída parcial ou totalmente do revestimento trofoblástico que permite a exposição do endoderma extra-embrionário em contato direto com o tecido materno. Tais características denotam um mecanismo de controle da resposta imune materna distinta dos paradigmas estabelecidos na reprodução humana e de roedores, assim como ratos e camundongos. Sendo a mais intrigante, a destituição do trofoblasto como célula da interface-materno-fetal que controla a tolerância imune-materna.No presente trabalho, procurou-se estabelecer a organização da placenta vitelina de cobaios a partir da identificação das células que compõe esta membrana extra-embrionária e identificar em que momento ocorre à remoção das células trofoblásticas...

Cultura e caracterização das células-tronco provenientes do saco vitelino de cães em diferentes estágios gestacionais; Culture and characterization of stem cells from the yolk sac of dogs at different stages of pregnancy

Lima, Silvia Amélia Ferreira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.52%
O saco vitelino é o único anexo embrionário presente em todas as espécies animais cuja função é manter o desenvolvimento primário do feto até que a placenta assuma esta função. Além disso, ele desempenha funções importantes como: nutrição do embrião, síntese proteica, atividade fagocitária, transferência de materiais e hematopoiese. A utilização de células-tronco embrionárias gera muitas discussões devido às questões éticas associadas à obtenção destas células, além de questões religiosas e também as relações de baixa plasticidade das células-tronco adultas motivam os pesquisadores ao crescente interesse em outras fontes de célulastronco. Com isso, células provenientes de tecidos como as dos anexos embrionários chamam cada vez mais atenção devido à sua facilidade de acesso, crescimento rápido e boa plasticidade. Nosso grupo tem demonstrado que as células do saco vitelino têm boa capacidade de proliferação e são multipotentes. Vários pesquisadores vêm demonstrando que o período no qual as células são obtidas pode ser de fundamental importância para a diferenciação. Sendo assim, neste projeto tivemos como objetivo estabelecer e caracterizar células-tronco de saco vitelino de cães em dois estágios gestacionais...

Caracterização das células-tronco do saco vitelino e análise ultraestrutural da membrana vitelina de embriões ovinos (Ovis aries); Characterization of stem cells from yolk sac and ultrastructural analysis of the viteline membrane from sheep embryos (Ovis aries)

Pessolato, Alícia Greyce Turatti
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/08/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.52%
O saco vitelino é o único anexo embrionário presente em todas as espécies dos embriões vertebrados, répteis, aves e mamíferos. Em mamíferos domésticos o saco vitelino é inicialmente grande, pois nestas espécies ele é transitório. Após a implantação, surge no mesênquima lateral à notocorda agrupamentos de células, denominados ilhotas sanguíneas, que representam os progenitores dos sistemas vascular e hematopoético: os hemangioblastos. Os hemangioblastos centrais das ilhas sanguíneas formam as primeiras células-tronco hematopoéticas, enquanto os hemangioblastos periféricos se diferenciam em angioblastos, os precursores dos vasos sanguíneos. O desenvolvimento inicial da atividade hematopoética no saco vitelino conduz a hipótese de que esse tecido é o local primário de desenvolvimento hematopoético e que as células-tronco derivadas dele semeiam os outros sítios intraembriônicos. Foi possível observar nas análises microscópicas que realmente existe uma relação entre ambas linhagens. Nas análises de expressão gênica, alguns genes expressos pelo hemangioblasto apresentaram alta expressão nas análises D+0 e outros genes também específicos do hemangioblasto, porém em estágios secundários de diferenciação como os encontrados na região aórtica...

Medicina veterinária regenerativa: multipotencialidade das células da membrana amniótica e do saco vitelino no modelo equino (Equus caballus, Linnaeus 1758); Veterinary regenerative medicine: multipotential of the cells amniotic membrane and yolk sac the model horse

Franciolli, André Luis Rezende
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.64%
As amostras foram obtidas de éguas adultas, totalizando 42 animais, sendo 30 destinados à descrição e caracterização da placenta e anexos embrionários/fetais. Os outros 12 animais foram destinados ao cultivo celular das membranas vitelinas e amnióticas. Os embriões foram mensurados obtendo Crow-Rump e fixados para descrição morfológica. Os fragmentos vitelínicos e amnióticos foram cultivados em meio α-MEM, suplementado com 20% de soro fetal bovino, 1% de aminoácidos não essenciais, 1% de glutamina e 1% de antibiótico, incubados a 37º C e 5% de CO2. Quanto ao material obtido, o córion é a membrana mais externa ao embrião, morfologicamente constituído por epitélio colunar e mesênquima ricamente vascularizado e rico em fibras colágenas. O alantóide é bem desenvolvido e vascularizado, constituído por epitélio simples pavimentoso e por microvilosidades. O âmnio é uma membrana avascular e delgada constituída por uma única camada de células pavimentosas, membrana basal e mesênquima. O saco vitelino exibe um aspecto amarelado com vasos na superfície, constituído por duas camadas celulares entremeadas por mesênquima vascularizado. A cinta coriônica aparece como um halo ao redor do concepto no ponto onde as membranas do alantóide e saco vitelino se encontram. Em relação aos embriões em geral...

Caracterização da célula tronco hematopoética do saco vitelino em embriões bovinos; Characterization of hematopoietic stem cells of the yolk sac of bovine embryos

Oliveira, Vanessa Cristina de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.63%
O saco vitelino é uma das membranas extra-embrionárias que desempenha um papel importante para a sobrevivência inicial do embrião, atua como fonte de nutrição durante o período em que a placenta verdadeira ainda não está completamente formada. É uma provável fonte de células tronco, o qual abriga as primeiras células do sangue durante o desenvolvimento em mamíferos, os eritrócitos, os quais expressam fatores de transcrição que especificam estas células a seu destino hematopoiético. O objetivo deste trabalho foi caracterizar as células tronco hematopoéticas provenientes do saco vitelino de embriões bovinos, em diferentes fases gestacionais, sendo estes coletados em abatedouro local. Para descrição da análise macroscópica e cultivo celular das células do saco vitelino, os embriões bovinos foram divididos em grupos de idade gestacional: Grupo I (25 a 29 dias), Grupo II (30 a 34 dias), Grupo III (35 a 39 dias), Grupo IV (40 a 44 dias) e Grupo V (45 a 50 dias) em que permaneceram mais tempo em cultura e apresentaram a formação de aglomerados celulares, diferente dos grupos IV e V (40 a 45 dias) em que permaneceram poucos dias em cultura e não apresentaram aglomerados celulares. Esta divergência relaciona-se à idade gestacional (45 a 50 dias)...

Placentação em Necromys lasiurus (Rodentia, Cricetidae, Sigmodontinae): características da eritrofagocitose, transporte placentário, inversão e versatilidade vitelina; Placentation in Necromys lasiurus (Rodentia, Cricetidae, Sigmodontinae): characteristics of the placental erytrophagocytosis, transport and yolk sac inversion and versatility

Favaron, Phelipe Oliveira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.56%
Os roedores murídeos são melhor conhecidos em relação à placentação, porém descrições para outros grupos como os cricetídeos incluindo os "camundongos do Novo Mundo" ainda são escassos. Recentemente à placenta e as membranas fetais tem sido considerados fontes promissoras para a obtenção de células-tronco. Em particular, o saco vitelino é estruturalmente diverso e desempenha várias e importantes funções. Por essa razão, o objetivo deste trabalho foi descrever a placentação corioalantóidea e vitelina em Necromys lasiurus. Além de avaliar o potencial do saco vitelino como uma fonte de células-tronco mesenquimais. Para tanto, um total de 10 placentas variando de início ao final de gestação foram analisadas através de técnicas de histologia, imunohistoquímica e microscopia eletrônica, bem como através do cultivo e diferenciação celular, citometria de fluxo e imunocitoquímica. A placenta corioalantóidea discoidal era organizada em uma zona labiríntica, zona juncional e decidua. O labirinto era a região mais importante para as trocas materno-fetal. Próximo ao final da gestação ele apresentou uma barreira hemotricorial com espessura média de 2,41 µm. A zona juncional era composta por sincício e citotrofoblasto. Células trofoblásticas gigantes localizavamse entre a zona juncional e a decidua...

Obtenção, cultivo e expansão de células-tronco do saco vitelino de suínos domésticos (Sus scrofa); Obtainment, cultivation and expansion of stem cells from the yolk sac of domestic pigs (Sus scrofa)

Bertassoli, Bruno Machado
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.58%
Anexos fetais como cordão umbilical, membrana amniótica e líquido amniótico foram recentemente sugeridos como fontes ideais de diferentes linhagens de células-tronco, devido à natureza não invasiva do procedimento de isolamento, a grande massa de tecido para colheita de células com alta eficiência e os potenciais de diferenciação. Portanto, o presente estudo teve como objetivo analisar morfologicamente as membranas extraembrionárias através de microscopia de luz e imunohistoquímica e analisar as células oriundas do saco vitelino suíno visando caracterizar qual seu potencial como possível fonte de células-tronco pluripotentes, para futuro uso na terapia regenerativa. Para a imunohistoquímica das membranas, as membranas foram processadas pelas técnicas rotineiras de histologia e em seguida os blocos foram cortados sequencialmente e colocados em laminas previamente silanizadas, o protocolo de imunohistoquímica foi o convencional utilizando os seguintes anti-corpos: Citoqueratina e VEGF. Foram feitos ensaios de concentração e viabilidade celular, avaliação do crescimento celular, caracterização por citometria de fluxo utilizando anticorpos específicos (CD105, NANOG, CD45 e Oct-3/4) e caracterização por imunohistoquímica utilizando os seguintes anti-corpo: CD90...

In vitro and in vivo differentiation into B cells, T cells, and myeloid cells of primitive yolk sac hematopoietic precursor cells expanded >100-fold by coculture with a clonal yolk sac endothelial cell line

Lu, Li-Sheng; Wang, Shur-Jen; Auerbach, Robert
Fonte: The National Academy of Sciences of the USA Publicador: The National Academy of Sciences of the USA
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 10/12/1996 EN
Relevância na Pesquisa
56.64%
The yolk sac, first site of hematopoiesis during mammalian development, contains not only hematopoietic stem cells but also the earliest precursors of endothelial cells. We have previously shown that a nonadherent yolk sac cell population (WGA+, density <1.077, AA4.1+) can give rise to B cells, T cells, and myeloid cells both in vitro and in vivo. We now report on the ability of a yolk sac-derived cloned endothelial cell line (C166) to provide a suitable microenvironment for expansion of these early precursor cells. Single day 10 embryonic mouse yolk sac hematopoietic stem cells were expanded >100 fold within 8 days by coculture with irradiated C166 cells. Colony-forming ability was retained for at least three passages in vitro, with retention of the ability to differentiate into T-cell, B-cell, and myeloid lineages. Stem cell properties were maintained by a significant fraction of nonadherent cells in the third passage, although these stem cells expressed a somewhat more mature cell surface phenotype than the initial yolk sac stem cells. When reintroduced into adult allogeneic immunocompromised (scid) hosts, they were able to give rise to all of the leukocyte lineages, including T cells, B cells, and myeloid cells. We conclude that yolk sac endothelial cells can support the stable proliferation of multipotential hematopoietic stem cells...

Target cells for avian myeloblastosis virus in embryonic yolk sac and relationship of cell differentiation to cell transformation.

Boettiger, D; Durban, E
Fonte: PubMed Publicador: PubMed
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/1984 EN
Relevância na Pesquisa
56.48%
The yolk sac of the 12-day chicken embryo retains the blast stage progenitors to cells of the myeloid lineages with a very low level of contamination by more mature myeloid cells which have begun to express the characteristic myeloid cell markers. Both in vivo and in vitro experiments have supported the hypothesis that target cells for the BAI-A strain of avian myeloblastosis virus are contained within the myeloid lineages. An assay system for avian myeloblastosis virus was developed which utilizes this yolk sac cell system and which appears to be more sensitive than previous published assays. In addition, the kinetics of a liquid culture transformation system is presented in which at least 4% of the yolk sac cell population was transformed in a relatively synchronous fashion at 2 days after infection. The morphological transformation preceded an increased rate of cell proliferation. Cell separation procedures provided a 10- to 20-fold enrichment of target cells and demonstrated that the target cell population copurifies with macrophage colony-forming cells which are the committed progenitors to the macrophage lineage. In combination with earlier work, this work demonstrated that cells committed to the macrophage lineage at all stages of differentiation may serve as target cells for infection by avian myeloblastosis virus.

Immunocytochemical and biochemical characterization of the Heymann nephritis antigenic complex in rat L2 yolk sac cells.

Lundstrom, M.; Orlando, R. A.; Saedi, M. S.; Woodward, L.; Kurihara, H.; Farquhar, M. G.
Fonte: PubMed Publicador: PubMed
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/1993 EN
Relevância na Pesquisa
56.4%
Heymann nephritis in the rat is the most widely used model of human membranous glomerulonephritis. Glycoprotein (gp)330, a large (M(r) > 550,000) membrane-associated glycoprotein, has been identified as the main antigen in this autoimmune disease. Studies of gp330 and receptor-associated protein (RAP), its 44-kd subunit, have been restricted largely to rat kidney, as no stable cultured cell line has been available that expresses gp330. We have recently identified a rat yolk sac carcinoma cell line (L2) that expresses both gp330 and RAP. In this report, we have carried out detailed morphological, immunocytochemical, and biochemical studies characterizing the biosynthesis and localization of gp330 and RAP in the L2 rat yolk sac cell line. At the electron microscope level, the L2 cells are seen to be attached by cell junctions, and their predominant morphological features include extensive networks of rough endoplasmic reticulum (ER) and numerous clathrin-coated pits found on the cell membrane. By immunocytochemistry, gp330 was localized primarily to clathrin-coated pits at the cell surface, whereas RAP was localized predominantly to the lumen of the rough ER. Pulse-chase experiments indicated that gp330 spends a prolonged time maturing in the ER of L2 cells...

The Chicken Yolk Sac IgY Receptor, a Mammalian Mannose Receptor Family Member, Transcytoses IgY across Polarized Epithelial Cells

Tesar, Devin B.; Cheung, Evelyn J.; Bjorkman, Pamela J.
Fonte: The American Society for Cell Biology Publicador: The American Society for Cell Biology
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /04/2008 EN
Relevância na Pesquisa
56.4%
In mammals the transfer of passive immunity from mother to young is mediated by the MHC-related receptor FcRn, which transports maternal IgG across epithelial cell barriers. In birds, maternal IgY in egg yolk is transferred across the yolk sac to passively immunize chicks during gestation and early independent life. The chicken yolk sac IgY receptor (FcRY) is the ortholog of the mammalian phospholipase A2 receptor, a mannose receptor family member, rather than an FcRn or MHC homolog. FcRn and FcRY both exhibit ligand binding at the acidic pH of endosomes and ligand release at the slightly basic pH of blood. Here we show that FcRY expressed in polarized mammalian epithelial cells functioned in endocytosis, bidirectional transcytosis, and recycling of chicken FcY/IgY. Confocal immunofluorescence studies demonstrated that IgY binding and endocytosis occurred at acidic but not basic pH, mimicking pH-dependent uptake of IgG by FcRn. Colocalization studies showed FcRY-mediated internalization via clathrin-coated pits and transport involving early and recycling endosomes. Disruption of microtubules partially inhibited apical-to-basolateral and basolateral-to-apical transcytosis, but not recycling, suggesting the use of different trafficking machinery. Our results represent the first cell biological evidence of functional equivalence between FcRY and FcRn and provide an intriguing example of how evolution can give rise to systems in which similar biological requirements in different species are satisfied utilizing distinct protein folds.

Deficiency of Zonula Occludens-1 Causes Embryonic Lethal Phenotype Associated with Defected Yolk Sac Angiogenesis and Apoptosis of Embryonic Cells

Katsuno, Tatsuya; Umeda, Kazuaki; Matsui, Takeshi; Hata, Masaki; Tamura, Atsushi; Itoh, Masahiko; Takeuchi, Kosei; Fujimori, Toshihiko; Nabeshima, Yo-ichi; Noda, Tetsuo; Tsukita, Shoichiro; Tsukita, Sachiko
Fonte: The American Society for Cell Biology Publicador: The American Society for Cell Biology
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /06/2008 EN
Relevância na Pesquisa
56.42%
Zonula occludens (ZO)-1/2/3 are the members of the TJ-MAGUK family of membrane-associated guanylate kinases associated with tight junctions. To investigate the role of ZO-1 (encoded by Tjp1) in vivo, ZO-1 knockout (Tjp1−/−) mice were generated by gene targeting. Although heterozygous mice showed normal development and fertility, delayed growth and development were evident from E8.5 onward in Tjp1−/− embryos, and no viable Tjp1−/− embryos were observed beyond E11.5. Tjp1−/− embryos exhibited massive apoptosis in the notochord, neural tube area, and allantois at embryonic day (E)9.5. In the yolk sac, the ZO-1 deficiency induced defects in vascular development, with impaired formation of vascular trees, along with defective chorioallantoic fusion. Immunostaining of wild-type embryos at E8.5 for ZO-1/2/3 revealed that ZO-1/2 were expressed in almost all embryonic cells, showing tight junction-localizing patterns, with or without ZO-3, which was confined to the epithelial cells. ZO-1 deficiency depleted ZO-1-expression without influence on ZO-2/3 expression. In Tjp1+/+ yolk sac extraembryonic mesoderm, ZO-1 was dominant without ZO-2/3 expression. Thus, ZO-1 deficiency resulted in mesoderms with no ZO-1/2/3, associated with mislocalization of endothelial junctional adhesion molecules. As a result...

Autotaxin/Lysophospholipase D-mediated Lysophosphatidic Acid Signaling Is Required to Form Distinctive Large Lysosomes in the Visceral Endoderm Cells of the Mouse Yolk Sac*

Koike, Seiichi; Keino-Masu, Kazuko; Ohto, Tatsuyuki; Sugiyama, Fumihiro; Takahashi, Satoru; Masu, Masayuki
Fonte: American Society for Biochemistry and Molecular Biology Publicador: American Society for Biochemistry and Molecular Biology
Tipo: Artigo de Revista Científica
EN
Relevância na Pesquisa
56.33%
Autotaxin, a lysophospholipase D encoded by the Enpp2 gene, is an exoenzyme that produces lysophosphatidic acid in the extracellular space. Lysophosphatidic acid acts on specific G protein-coupled receptors, thereby regulating cell growth, migration, and survival. Previous studies have revealed that Enpp2−/− mouse embryos die at about embryonic day (E) 9.5 because of angiogenic defects in the yolk sac. However, what cellular defects occur in Enpp2−/− embryos and what intracellular signaling pathways are involved in the phenotype manifestation remain unknown. Here, we show that Enpp2 is required to form distinctive large lysosomes in the yolk sac visceral endoderm cells. From E7.5 to E9.5, Enpp2 mRNA is abundantly expressed in the visceral endoderm cells. In Enpp2−/− mouse embryos, lysosomes in the visceral endoderm cells are fragmented. By using a whole embryo culture system combined with specific pharmacological inhibitors for intracellular signaling molecules, we show that lysophosphatidic acid receptors and the Rho-Rho-associated coiled-coil containing protein kinase (ROCK)-LIM kinase pathway are required to form large lysosomes. In addition, electroporation of dominant negative forms of Rho, ROCK, or LIM kinase also leads to the size reduction of lysosomes in wild-type visceral endoderm cells. In Enpp2−/− visceral endoderm cells...

Rat visceral yolk sac cells: viability and expression of cell markers during maternal diabetes

Aires,M.B.; Santos,J.R.A.; Souza,K.S.; Farias,P.S.; Santos,A.C.V.; Fioretto,E.T.; Maria,D.A.
Fonte: Associação Brasileira de Divulgação Científica Publicador: Associação Brasileira de Divulgação Científica
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2015 EN
Relevância na Pesquisa
66.4%
The function of the visceral yolk sac (VYS) is critical for embryo organogenesis until final fetal development in rats, and can be affected by conditions such as diabetes. In view of the importance of diabetes during pregnancy for maternal and neonatal health, the objective of this study was to assess fetal weight, VYS cell markers, and viability in female Wistar rats (200-250 g) with induced diabetes (alloxan, 37 mg/kg) on the 8th gestational day (gd 8). At gd 15, rats from control (n=5) and diabetic (n=5) groups were anesthetized and laparotomized to remove the uterine horns for weighing of fetuses and collecting the VYS. Flow cytometry was used for characterizing VYS cells, and for determining mitochondrial activity, cell proliferation, DNA ploidy, cell cycle phases, and caspase-3 activity. Fetal weight was reduced in the diabetic group. Expression of the cell markers CD34, VEGFR1, CD115, CD117, CD14, CCR2, CD90, CD44, STRO-1, OCT3/4, and Nanog was detected in VYS cells in both groups. In the diabetic group, significantly decreased expression of CD34 (P<0.05), CCR2 (P<0.001), and OCT3/4 (P<0.01), and significantly increased expression of CD90 (P<0.05), CD117 (P<0.01), and CD14 (P<0.05) were observed. VYS cells with inactive mitochondria...

The Chicken Yolk Sac IgY Receptor, a Mammalian Mannose Receptor Family Member, Transcytoses IgY across Polarized Epithelial Cells

Tesar, Devin B.; Cheung, Evelyn J.; Bjorkman, Pamela J.
Fonte: American Society for Cell Biology Publicador: American Society for Cell Biology
Tipo: Article; PeerReviewed Formato: application/pdf
Publicado em /04/2008
Relevância na Pesquisa
56.4%
In mammals the transfer of passive immunity from mother to young is mediated by the MHC-related receptor FcRn, which transports maternal IgG across epithelial cell barriers. In birds, maternal IgY in egg yolk is transferred across the yolk sac to passively immunize chicks during gestation and early independent life. The chicken yolk sac IgY receptor (FcRY) is the ortholog of the mammalian phospholipase A2 receptor, a mannose receptor family member, rather than an FcRn or MHC homolog. FcRn and FcRY both exhibit ligand binding at the acidic pH of endosomes and ligand release at the slightly basic pH of blood. Here we show that FcRY expressed in polarized mammalian epithelial cells functioned in endocytosis, bidirectional transcytosis, and recycling of chicken FcY/IgY. Confocal immunofluorescence studies demonstrated that IgY binding and endocytosis occurred at acidic but not basic pH, mimicking pH-dependent uptake of IgG by FcRn. Colocalization studies showed FcRY-mediated internalization via clathrin-coated pits and transport involving early and recycling endosomes. Disruption of microtubules partially inhibited apical-to-basolateral and basolateral-to-apical transcytosis, but not recycling, suggesting the use of different trafficking machinery. Our results represent the first cell biological evidence of functional equivalence between FcRY and FcRn and provide an intriguing example of how evolution can give rise to systems in which similar biological requirements in different species are satisfied utilizing distinct protein folds.

Avaliação do potencial das células de saco vitelino canino comparadas com as de polpa dentária canina para uso terapêutico em cães com displasia coxofemoral; Potential evaluation of canine yolk sac cells and dental pulp cells for therapeutic use in dogs with dysplasia

Benedetti, Daniel Tonin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/09/2015 PT
Relevância na Pesquisa
76.52%
Atualmente a terapia com células-tronco têm sido uma ferramenta útil na medicina regenerativa com alto potencial terapêutico devido à capacidade de auto renovação e diferenciação destas células. Nos últimos anos a ortopedia vem procurando novos métodos para um tratamento que obtenha como efeito a reparação de defeitos articulares de forma mais efetiva e sem procedimentos invasivos. Por isso, muitos estudos envolvendo terapia celular com objetivo de melhorar a reparação articular estão sendo realizados. O objetivo deste estudo foi avaliar a terapia com células-tronco de saco vitelino e de polpa dentária canina em cães com displasia coxofemoral mediante três aplicações celulares (dia 0, 30 e 60, e um controle dia 90). Para a avaliação dos animais tratados foi instituído um grupo controle para cada tipo celular testado, sendo avaliado o escore de claudicação, escore de atrofia muscular, questionário de qualidade de vida, avaliação radiográfica, análise do líquido sinovial e hemograma. Os resultados obtidos demonstraram não haver uma diferença estatística significante quando comparado os animais dos grupos tratamentos e controle. Quando comparado os animais dos grupos tratamento houve uma diferença estatística significante para os animais tratados com células-tronco de saco vitelino em relação aos animais tratados com células-tronco de polpa dentária. O tratamento com células de saco vitelino mostrou melhores resultados nos testes de Ortolani.; Currently...