Página 1 dos resultados de 3715 itens digitais encontrados em 0.142 segundos

Influência da restrição alimentar de vitamina A sobre o coração de ratas adultas

Gaiolla, Paula Schmidt Azevedo
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 87 f.
POR
Relevância na Pesquisa
65.99%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Fisiopatologia em Clínica Médica - FMB; A deficiência de vitamina A é problema de saúde pública mundial e as principais populações acometidas são crianças e gestantes. Existem 250 milhões de pessoas no mundo com esta deficiência e sua principal causa é a redução da ingestão deste composto. O conceito de deficiência de vitamina A consta da depleção de estoques hepáticos associada à redução do retinol sérico. A deficiência de vitamina A é sabidamente prejudicial à fase embriogênica cardíaca. Após o nascimento, na idade adulta,~ vitamina A exerce papel na manutenção da estrutura e função do coração e su~ suplementação parece ser benéfica como atenuante da remodelação cardíaca. Pouco se sabe, no entanto, sobre a influência da deficiência de vitamina A sobre o coração após o nascimento, já que esta carência não é comum na população adulta, devido ao grande estoque hepático. Existe, entretanto, o transporte de vitamina A, para os tecidos, pela via dos quilomicrons. Esta via é dependente da ingestão vitamínica e não de seus estoques. Sendo assim, é possível que a ingestão inadequada deste composto...

Efeitos da administração da vitamina A sobre o conteudo de colageno no figado de ratos submetidos a obstrução biliar extra-hepatica

Segirson Freitas Junior
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/05/2001 PT
Relevância na Pesquisa
66%
A cirrose hepática está entre as principais causas de morte no mundo todo, podendo ser provocada por diversas condições, tais como o alcoolismo, hepatite crônica, obstrução biliar, hemossiderose e outras doenças mais raras. Em crianças, a atresia de vias biliares constitui importante causa de cirrose hepática, sendo responsável por mais de 50 % dos transplantes hepáticos, nessa faixa etária. Apesar de apresentar toxicidade clinica, quando administrada cronicamente, a vitamina A tem sido implicada como fator de proteção hepática contra o surgjmento de cirrose em modelos experimentais com tetracloreto de carbono, dimetilnitrosamino,e na cirrose induzida por soro heterólogo em ratos. Foi demonstrado também, que a privação da vitamina A resulta em piora da fibrose hepática nesses modelos experimentais. Com o propósito de determinar se a vitamina A pode mterferir no processo de fibrose hepática por colestase, a mesma foi administrada a ratos submetidos à obstrução biliar, e comparados com ratos submetidos ao mesmo procedimento cirúrgico sem vitamina A adicional. O presente estudo tem como objetivo a estimativa da fibrose hepática por meio da quantificação estereológica do colágeno e bioquímica da hidroxiprolina tecidual do figado de ratos...

Carotenoide e vitamina A em colostro de mães de recem nascidos pretermo atendidas no CAISM, Campinas/SP

Paula Andrea Liboni Passos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/1993 PT
Relevância na Pesquisa
65.99%
A vitamina A é essencial ao adequado crescimento e desenvolvimento fetal e infantil atuando na diferenciação e manutenção epitelial, em mecanismos de resposta imune e em várias outras funções sistêmicas. Os carotenóides, além de atuarem como pró-vitamina A, também atuam na resposta imune e são importantes antioxidantes naturais. Apesar da importância desses nutrientes para o neonato, particularmente para o prematuro, há poucos estudos na caracterização do leite materno com relação aos carotenóides, que possam auxiliar na elucidação dos mecanismos de transferência de vitamina A e de carotenóides do sangue para o leite materno, assim como dos fatores intervenientes neste processo. Esse estudo tem como objetivos a avaliação do estado nutricional em vitamina A de mães de recém nascidos pretermo e a composição do colostro destas mães com relação ao conteúdo de vitamina A e de carotenóides. O estado nutricional foi avaliado através de : 1¬- dosagem dó retinol sérico por cromatografia líquida de alta ,eficiência (CLAE), 2- estimativa do consumo de vitamina A através de aplicação de inquérito seletivo de freqüência alimentar, 3- exame citológico pelo teste de impressão cito lógica da conjuntiva ocular (ICCO). O teor sérico médio de retinol das 10 mães estudadas foi de 23 +/- 8 ugfdL. O consumo estimado de vitamina A foi de (781 +/- 247 ERfdia) e não foram registrados exames positivos para o teste de ICCO. Não foi portanto...

Deficiência de vitamina A e níveis de transcrito de transportadores de ferro no intestino de ratos

Moreira, Douglas dos Santos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Nutrição, 2009.; Introdução: As deficiências de vitamina A e de ferro encontram-se entre as deficiências nutricionais de maior impacto sobre a Saúde Pública no Brasil e no mundo, atingindo, nos países em desenvolvimento, entre 140 a 250 milhões de adultos e cerca de 2 bilhões de pessoas no mundo, respectivamente. Estudos têm evidenciado uma relação entre o status de vitamina A e de ferro, havendo um acúmulo de ferro em tecidos de animais deficientes em vitamina A. A ação hormonal da vitamina na regulação da expressão de vários genes tem sido amplamente divulgada, e é possível que o efeito da vitamina A sobre a homeostase do ferro seja mediada por essa ação hormonal. Objetivo: Avaliar o efeito da deficiência de vitamina A sobre a expressão gênica dos transportadores de ferro (DMT-1 e ferroportina) no enterócito e no status de ferro em ratos. Metodologia: Foram utilizados 35 ratos Wistar, separados em dois grupos: Controle e Deficiente em Vitamina A, que foram tratados com dieta padrão e dieta isenta de vitamina A, respectivamente, e sacrificados aos 0, 15, 30 e 45 dias de tratamento. Os parâmetros avaliados foram: ganho de peso...

A deficiência de vitamina A modula o metabolismo de ferro via eritropoiese ineficaz de forma independente da resposta inflamatória

Cunha, Marcela de Sá Barreto da
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Nutrição, Programa de Pós-Graduação em Nutrição Humana, 2013.; Introdução A vitamina A em suas diferentes formas, os retinoides, regulam a expressão de diversos genes, incluindo genes relacionados à diferenciação celular e à resposta anti-inflamatória. Além disso, os metabolismos da vitamina A e do ferro estão relacionados por um mecanismo ainda não esclarecido, mas sugere-se que a vitamina A module os níveis de mRNA de Hamp, que codifica o hormônio hepcidina, peptídeo central na regulação sistêmica de ferro. Considerando que a expressão de hepcidina é regulada por diversos fatores, incluindo o status de ferro, a eritropoiese e a inflamação e que a vitamina A pode modular o estado inflamatório e o metabolismo de ferro, o presente estudo investigou o efeito da deficiência de vitamina A nos biomarcadores moleculares do metabolismo de ferro e da resposta inflamatória e a expressão dos genes envolvidos nestes sistemas. Métodos Trinta ratos Wistar machos foram tratados por 59 dias com uma das seguintes dietas: dieta Controle; dieta deficiente em vitamina A (VAD); dieta deficiente em ferro (FeD); dieta deficiente em vitamina A e ferro (VAFeD) e dieta todo-trans ácido retinoico (atRA). O fígado...

A deficiência de vitamina A induz a deficiência sistêmica de ferro e reduz os níveis de transcrito hepático de Hamp, apesar de aumentar os níveis de transcritos de Hfe2 e Bmp6

Mendes, Juliana Frossard Ribeiro
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
65.99%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Nutrição Humana, 2013.; Introdução: As deficiências de vitamina A e ferro são as carências nutricionais mais prevalentes no mundo. Estudos recentes sugerem que existe uma inter-relação entre a vitamina A e o metabolismo do ferro, porém os mecanismos envolvidos ainda não estão esclarecidos. Os retinoides modulam a expressão de diversos genes por meio da ligação aos receptores nucleares, como os receptores de ácido retinoico e receptores de retinoides X. Considerando que a hepcidina é responsável pela regulação sistêmica da homeostase do ferro e tem a sua expressão regulada em parte através da via de sinalização da hemojuvelina-proteína morfogenética do osso 6 - proteínas SMAD, o presente estudo avaliou o efeito da deficiência de vitamina A nos biomarcadores do status de ferro, nos níveis de transcritos de genes envolvidos na via de sinalização HJV-BMP-SMAD, e o possível envolvimento dos receptores nucleares RAR e RXR na manutenção da homeostase de ferro pela vitamina A. Métodos Trinta ratos Wistar machos foram tratados por 59 dias com uma das seguintes dietas: dieta controle; dieta deficiente em vitamina A (VAD); dieta deficiente em ferro (FeD); dieta deficiente em vitamina A e ferro (VAFeD) e dieta com ácido retinoico todo-trans (atRA). Os parâmetros hematológicos foram determinados utilizando kits comerciais. O fígado...

Vitamina A e agentes modeladores do desenvolvimento pulmonar

Pinto, Maria de Lurdes Ribeiro
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.03%
Tese de Doutoramento em Ciências Veterinárias; A presente dissertação é o corolário de um conjunto de estudos desenvolvidos com o objectivo de contribuir para um melhor conhecimento dos efeitos da administração pré-natal de vitamina A sobre alguns dos mais importantes factores envolvidos na formação da rede vascular do pulmão. O estudo realizado está inserido no âmbito dos trabalhos que têm vindo a ser efectuados há mais de duas décadas no Instituto de Histologia e Embriologia da faculdade de Medicina de Coimbra, visando esclarecer os processos subjacentes à morfogénese, histogénese e histofisiologia pulmonares. O murganho, Mus musculus, estirpe ICR (CD-1®), foi utilizado como modelo experimental, tendo sido analisados os aspectos morfológicos da presença do VEGF, dos seus receptores (VEGFR), do Tie-2, da MMP-1, da MMP-9 e do TIMP-1 no pulmão de fetos e de recém-nascidos cuja gestação decorreu sob o efeito da vitamina. A. Nos mesmos animais, foi ainda realizado um estudo quantitativo da concentração pulmonar do VEGF e do Tie-2, a determinação da concentração plasmática do VEGF, bem como o estudo dos níveis de expressão genética do VEGFR-1 e do VEGFR-2. Em virtude da existência de dimorfismo sexual no pulmão adulto...

Prevalência da carência de ferro e sua associação com a deficiência de vitamina A em pré-escolares

Ferraz,Ivan S.; Daneluzzi,Júlio C.; Vannucchi,Hélio; Jordão Jr.,Alceu A.; Ricco,Rubens G.; Del Ciampo,Luiz A.; Martinelli Jr.,Carlos E.; Engelberg,Alexander A. D’Angio; Bonilha,Luis R. C. M.; Custódio,Viviane I. C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
75.94%
OBJETIVO: Estimar a carência de ferro na população estudada e verificar se isso se associa à falta de vitamina A. MÉTODOS: Foram estudadas 179 crianças com idade > 24 meses e < 72 meses, sem diarréia e/ou febre no momento da coleta. A identificação da deficiência de vitamina A foi realizada através do teste de resposta sérica de 30 dias. Foram obtidas amostras de sangue periférico em jejum para dosagem dos níveis de hemoglobina, ferro sérico e capacidade latente de fixação de ferro, além de informação sobre a presença de diarréia ou febre nos 15 dias precedentes à pesquisa. RESULTADOS: 35,8% (64/179) das crianças apresentaram carência de ferro; 75,4% (135/179), deficiência de vitamina A; e 29,1% (52/179) apresentaram carência de ferro e deficiência de vitamina A, concomitantemente. A carência de ferro não apresentou associação com a deficiência de vitamina A, nem tampouco com cada índice hematimétrico analisado separadamente. As crianças entre 24 e 36 meses de idade apresentaram significativamente maior prevalência da carência de ferro (p = 0,0005), como também as crianças com episódios febris ou diarréicos nos 15 dias precedentes à entrada no estudo (p = 0,003). CONCLUSÕES: Apesar de a carência de ferro não apresentar associação à deficiência de vitamina A...

Concentração de vitamina A no leite humano maduro

Souza,Gisele; Saunders,Cláudia; Dolinsky,Manuela; Queiroz,Juliana; Campos,Aline; Ramalho,Andrea
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66%
OBJETIVO: Quantificar a concentração de vitamina A no leite maduro de nutrizes assistidas em maternidade pública no município do Rio de Janeiro e avaliar a sua relação com variáveis sociodemográficas e grau de conhecimento de nutrição. MÉTODOS: Para a quantificação do retinol, foram coletadas amostras de 10 mL de leite maduro. Os pontos de corte adotados para identificação da deficiência de vitamina A e constituição de reserva hepática foram de < 1,05 µmol/L e > 2,3 µmol/L, respectivamente. Foram avaliadas, ainda, as variáveis: grau de conhecimento de nutrição, sexo, idade, renda familiar, escolaridade, condições de saneamento básico, número de moradores na residência, idade materna e assistência pré-natal. Resultados: Participaram do estudo 196 nutrizes, com concentração média de vitamina A no leite maduro de 1,76±0,85 µmol/L e prevalência de 20,5% de deficiência de vitamina A. Não houve diferença na concentração de vitamina A no leite das nutrizes segundo as variáveis sociodemográficas e conhecimento de nutrição. Apenas 38,9% das nutrizes apresentavam concentração de vitamina A no leite suficiente para constituição de reserva hepática dos lactentes. RESULTADOS: Participaram do estudo 196 nutrizes...

Deficiencia de vitamina A e fatores associados em criancas de areas urbanas

de Queiroz,Daiane; Paiva,Adriana de Azevedo; Pedraza,Dixis Figueroa; Cunha,Maria Auxiliadora Lins da; Esteves,Gustavo Henrique; de Luna,Joao Gil; Diniz,Alcides da Silva
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
65.99%
OBJETIVO: Analisar a prevalência da deficiência de vitamina A em crianças e os fatores associados. MÉTODOS: Estudo de corte transversal de base populacional realizado com 1.211 crianças de seis a 59 meses de idade, de ambos os sexos, procedentes da área urbana de nove cidades do estado da Paraíba, Brasil. O estado nutricional de vitamina A foi avaliado pelas concentrações séricas de retinol e presença de infecção subclínica avaliada pelas concentrações de proteína C-reativa. Foram investigadas as condições socioeconômicas, demográficas, de saneamento, além da suplementação prévia com vitamina A. Foram consideradas com deficiência de vitamina A as crianças com concentrações de retinol sérico < 0,70 µmol/L. Níveis séricos de vitamina A < 0,70 µmol/L com prevalência ≥ 20% foram considerados como grave problema de saúde pública. Análises uni e multivaridas foram conduzidas para testar associações estatísticas (p < 0,05). RESULTADOS: A prevalência de deficiência de vitamina A foi de 21,8% (IC95% 19,6;24,2), mostrando associação com a presença de infecção subclínica e ausência de água no domicílio. A prevalência de deficiência de vitamina A foi de 21...

Vitamina A: nível sérico e ingestão dietética em crianças e adolecentes com déficit estatural de causa não hormonal

SARNI,ROSELI S.; KOCHI,CRISTIANE; RAMALHO,REJANE A.; SCHOEPS,DENISE O.; SATO,KAZUÊ; MATTOSO,LILIAN C.Q.; XIMENES,CRISTIANE F.; SOUZA,FABIOLA I.S.; DAMIANI,FLÁVIA M.
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
75.87%
OBJETIVOS: Determinar a ingestão dietética de vitamina A e os níveis séricos de carotenóides e retinol em crianças e adolescentes com déficit estatural sem causa hormonal, atendidos no Ambulatório de Endocrinopediatria do Núcleo de Nutrição (NUNADI) da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. MÉTODOS: Foram avaliados de maneira prospectiva 47 pacientes pré-púberes, entre 4 e 14 anos, com relação a: antropometria, idade óssea, inquérito alimentar, bioimpedanciometria e nível sérico de retinol e carotenóides. RESULTADOS: A média do escore Z da estatura foi de -2,4; 20% dos pacientes eram desnutridos, 25,5% tinham inadequação da massa gorda e maior atraso da idade óssea. Os níveis séricos de retinol e carotenóides foram inadequados em 21% dos pacientes, sendo que foi maior o percentual de inadequação dos carotenóides nos pacientes que apresentavam déficit estatural mais acentuado. Não houve relação dos níveis séricos de retinol e carotenóides com a velocidade de crescimento. Em 82,9% dos inquéritos alimentares realizados, houve ingestão de vitamina A inferior a 50% do estabelecido na Pirâmide de Alimentos. CONCLUSÃO: Baseados nestes resultados, concluímos que há uma elevada prevalência de desnutrição...

Impacto da suplementação com dupla megadose de vitamina A sobre as concentrações de retinol sérico em puérperas durante os primeiros seis meses pós-parto

Marques Andreto, Luciana; Kruse Grande de Arruda, Ilma (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
65.99%
O estudo teve como objetivos avaliar o impacto da suplementação oral com dupla megadose de vitamina A (400.000 UI) nas concentrações de retinol sérico de puérperas durante os seis primeiros meses pós-parto bem como descrever a freqüência de deficiência de retinol sérico nas mulheres antes da suplementação de vitamina A. Trata-se de um ensaio clínico randomizado, controlado, triplo-cego, de base hospitalar, com 312 mulheres atendidas no período pós-parto imediato e acompanhadas durante os seis primeiros meses, de dois serviços públicos de saúde na cidade do Recife, região nordeste do Brasil, no período de agosto de 2007 a março de 2009. Todas as mulheres receberam uma cápsula contendo 200.000 UI de vitamina A no pós-parto imediato e no 10º dia foram randomizadas em dois grupos de suplementação: um grupo recebeu uma segunda cápsula de vitamina A (200.000UI) e o outro grupo recebeu o placebo de vitamina A. Além dos dados socioeconômicos, demográficos, antropométricos, clínicos e obstétricos foram coletadas amostras de sangue para as análises das concentrações de retinol sérico, PCR e hemoglobina. A pesquisa foi registrada sob o número NCT00742937. 215 mulheres completaram o estudo (111 no grupo de 400.000 UI de vitamina A e 104 no grupo de 200.000 UI de vitamina A). Não foi observado nenhum evento adverso com a administração das cápsulas de vitamina A. Não houve diferença estatisticamente significante nas concentrações de retinol sérico entre os grupos de suplementação aos 2 meses (2...

Percepção de profissionais da saúde sobre o Programa brasileiro de combate a deficiência de vitamina A

Rossana de Sousa Brito, Virgínia; Gorete Lucena de Vasconcelos, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66%
A Deficiência de Vitamina A (DVA) é um importante problema nutricional no Brasil, sendo o Nordeste do país considerado como área de risco. A influência que a DVA possui na morbidade e mortalidade do grupo materno-infantil levou o Ministério da Saúde a instituir o Programa Nacional de Suplementação da Vitamina A com o objetivo de prevenir e combater essa carência. O estado da Paraíba, pioneiro na suplementação da vitamina desde 1983, em crianças menores de cinco anos, apresenta a DVA ainda como um problema de saúde pública, segundo estudos desenvolvidos ao longo das ultimas duas décadas. Nesse contexto, este estudo tem como objetivo investigar a percepção de profissionais da saúde sobre o Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A. Trata-se de um estudo descritivo, exploratório, conduzido pela abordagem qualitativa, com a participação de 15 profissionais da saúde com atuação em Unidades Básicas de Saúde e Maternidades, na cidade de Campina Grande Paraíba, Brasil. A amostragem foi do tipo intencional com profissionais que atuavam no Programa, há pelo menos um ano. O número de participantes foi definido pelo critério de saturação teórica. A coleta de informações ocorreu no período de fevereiro a maio de 2010...

Programa Nacional de Suplementa??o de Vitamina A: representa??es sociais, conhecimentos e pr?ticas em um munic?pio do Vale do Jequitinhonha

Marques, Elis?ngela Christina Siqueira
Fonte: UFVJM Publicador: UFVJM
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
65.99%
?rea de concentra??o: Interdisciplinar.; ABSTRACT The objective of this study was to analyze social representations, knowledge and practices related to the National Vitamin A Supplementation Program (PNSVitA in its Portuguese acronym) in a municipality of the Jequitinhonha Valley. This Program has been established within the framework of the Brazilian Unified Health System in order to prevent / control Vitamin A Deficiency (VAD), which is currently one of the major public health problems associated with food and nutrition. As far as methodology is concerned, a qualitative approach and the Social Representations Theory were adopted. Semi-structured and focused interviews were conducted with twenty mothers of children who benefit from the National Vitamin A Supplementation Program, this number being defined by progressive inclusion, interrupted by the saturation method. The interviews were tape-recorded, transcribed and subjected to thematic content analysis. With regard to the practices relating to the National Vitamin A Supplementation Program, this study reveals that vitamin A supplementation has been a strategy linked to the National Immunization Program. This is an issue that may have both positive and negative repercussions. It shows that the supplementation practice has not been accompanied by a proper communication...

Estudo de carotenoide e pro-vitamina A em alimentos

Helena Teixeira Godoy
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/05/1993 PT
Relevância na Pesquisa
66%
Vários métodos analíticos foram desenvolvidos com a finalidade de se obter procedimentos simples, rápidos e ecônomicos para a determinação de pró-vitamina A em alimentos. Neste trabalho foram avaliados três desses métodos, a saber: COST91, IVACG e RODRIGUEZ-AMAYA et alii simplificado. Os alimentos escolhidos foram couve, cenoura, mamão e tomate, devido as suas características distintas quanto à composição de pró-vitamina A. As principais deficiências apresentadas pelo método recomendado por COST91 foram a extração incompleta e a saponificação drástica. Outra grande falha do método foi a não separação entre α- e β-caroteno, e a não consideração da α- e β-criptoxantina e γ-caroteno. No método apresentado pelo IVACG, a extração foi insuficiente apenas para couve; demonstrou-se mais versátil que COST91, pois permitiu a separação das diferentes pró-vitaminas. Dos procedimentos de saponificação sugeridos pelo IVACG, a saponificação a frio confirmou ser a técnica mais aconselhável. O método de RODRIGUEZ-AMAYA et alii simplificado mostrou-se o mais indicado, principalmente pela sua simplicidade e exatidão. Independente do método cromatográfico empregado, os coeficientes de absorção são utilizados nos cálculos das concentrações dos carotenóides. Sendo assim...

Nível sérico de zinco e sua associação com deficiência de vitamina A em crianças pré-escolares

Ferraz,Ivan S.; Daneluzzi,Júlio C.; Vannucchi,Hélio; Jordão Jr.,Alceu A.; Ricco,Rubens G.; Del Ciampo,Luiz A.; Martinelli Jr.,Carlos E.; Engelberg,Alexander A. D'Angio; Bonilha,Luis R. C. M.; Custódio,Viviane I. C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
75.95%
OBJETIVOS: Identificar a prevalência da deficiência de zinco em uma população com alta prevalência de deficiência de vitamina A; verificar se a deficiência de zinco apresenta associação com deficiência de vitamina A; verificar a influência de alguns fatores de risco (idade, sexo, diarréia e febre) na gênese da deficiência de zinco. MÉTODOS: Estudo transversal com 182 crianças saudáveis com idades > 24 meses e < 72 meses. Obtiveram-se amostras de sangue periférico em jejum para dosagem dos níveis séricos de zinco. Também foram obtidas informações sobre a presença de diarréia e/ou febre nos 15 dias precedentes à pesquisa. A identificação da deficiência de vitamina A foi realizada através do teste de dose-resposta após 30 dias a uma suplementação com vitamina A -+S30DR. RESULTADOS: Das crianças estudadas, 0,5% (1/182) apresentou nível sérico de zinco < 65 µg/dL; entretanto, 74,7% (136/182) apresentavam deficiência de vitamina A. Não houve correlação entre os níveis séricos de zinco e os de retinol. Episódios febris e/ou diarréicos não alteraram os níveis de zinco. Não houve também diferença entre os níveis de zinco entre os sexos. As crianças com idade entre > 48 e < 60 meses de idade tenderam a apresentar menores níveis de zinco do que as demais faixas etárias. CONCLUSÃO: A prevalência de deficiência de zinco foi baixa e não representou fator de risco para deficiência de vitamina A. As crianças com idades entre > 48 e < 60 meses tenderam a apresentar menores médias de nível sérico de zinco do que as demais faixas etárias. Febre e/ou diarréia prévios ao estudo não alteraram os níveis séricos de zinco.

Suplementação com vitamina A no puerpério: revisão sistemática; Suplementación con vitamina A en el puerperio: revisión sistemática; Vitamin A supplementation during puerperium: systematic review

Caminha, Maria de Fátima Costa; Batista Filho, Malaquias; Fernandes, Taciana Fernanda dos Santos; Arruda, Ilma Kruze Grande de; Diniz, Alcides da Silva
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2009 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
66%
Se realizó revisión sistemática de estudios evaluativos de la aplicación de megadosis de vitamina A en las concentraciones de retinol en la sangre y en la leche maternos como medida de corto plazo para la prevención de hipovitaminosis A. Con base en la estratégia del Centro Cochrane de Brasil para ensayos clínicos aleatorios fueron identificadas 115 publicaciones en el PubMed, entre las cuales, por un conjunto de criterios de inclusión/exclusión, fueron seleccionados 14 artículos publicados entre 1993 a 2007. El efecto de las intervenciones con tres esquemas posológicos (200.000. 300.000 y 400.000 UI) de vitamina A fueron analizados. De los 11 experimentos realizados en leche materna, nueve presentaron elevación de los niveles de retinol en comparación con el grupo control; de los nueve que evaluaron sangre materna, cuatro mostraron elevación posterior a tiempos variados de aplicación de megadosis de vitamina A. Se concluye que la administración de vitamina A en elevadas dosis fue positiva en 82% de los ensayos con leche materna, pero menos notables en comparación a la sangre materna. No fueron observadas diferencias significativas con relación a la posología aplicada.; A systematic review on studies evaluating the effect of applying megadoses of vitamin A on the retinol concentrations in maternal milk and blood...

Afectación ocular severa bilateral por déficit de vitamina A

Ruiz-Martín,MM; Boto-de-los-Bueis,A; Romero-Martín,R
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/11/2005 SPA
Relevância na Pesquisa
75.77%
Caso clínico: Se presenta un paciente con pancreatitis crónica alcohólica con una queratitis ulcerativa periférica (QUP) en el ojo derecho (OD) y una úlcera estromal necrotizante e hifema en el ojo izquierdo (OI) asociadas a una malnutrición calórico-proteica con déficit de vitaminas liposolubles. Discusión: Aunque es raro en los países desarrollados, debe considerarse el déficit de vitamina A ante afectación corneal bilateral en pacientes alcohólicos, con patología gastrointestinal, pancreática o de la vía biliar.

Niveles de vitamina A y zinc en pacientes de cirugía gastroenterológica: Relación con la inflamación y la aparición de complicaciones postoperatorias

Zago,L. B.; Danguise,E.; González Infantino,C. A.; Río,M. E.; Callegari,M.
Fonte: Nutrición Hospitalaria Publicador: Nutrición Hospitalaria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/12/2011 SPA
Relevância na Pesquisa
75.82%
Introducción: Se acepta que la depleción aún moderada de algunos nutrientes puede afectar la evolución del paciente quirúrgico. Objetivo: Evaluar la influencia de los niveles plasmáticos de retinol y de zinc preoperatorios sobre la evolución postoperatoria; evaluar la influencia de la inflamación sobre los niveles de ambos marcadores. Métodos: Se determinaron los niveles plasmáticos de retinol y zinc en 50 pacientes previo a ser sometidos a cirugías gastroenterológicas programadas. Para caracterizar el estado nutricional global de los pacientes se incluyeron el IMC y el porcentaje de pérdida de peso (%PP) previo a la cirugía. Se utilizó la Proteína C Reactiva (PCR) como marcador de inflamación. Durante el seguimiento se registraron las complicaciones postoperatorias. El presente análisis se realizó sobre 43 pacientes con información completa. Resultados: Se hallaron valores bajos de retinol (< 20 μg/dl) en 3 pacientes y de zinc (< 85 μg/dl) en 20 pacientes, siendo 9 de estos ultimos compatibles con deficiencia severa (< 70 μg/dl). Se registraron complicaciones postoperatorias en 17 pacientes. Los pacientes con complicaciones presentaron valores inferiores de Zn (78,4± 25,8 vs 87,8 ± 25,7 μ/dl) y de retinol (36...

Evaluación del estado del Hierro y la Vitamina A en niños de la etnia Warao del estado Sucre, Venezuela

Méndez,Josefa L; Ávila A,Ana V; Morón C,Mirla C; Córdova R,Miguel A; Bauce,Gerardo J; Hernández R,Pablo I
Fonte: Instituto Nacional de Higiene Rafael Rangel Publicador: Instituto Nacional de Higiene Rafael Rangel
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 ES
Relevância na Pesquisa
75.9%
El propósito del estudio fue evaluar el estado del hierro y la vitamina A, en niños de la etnia Warao, perteneciente a las comunidades de María López y Los Barrancos, del estado Sucre. Se evaluó el consumo de alimentos,indicadores bioquímicos y antropométricos a 64 niños Warao en edades comprendidas entre los 3 y 10 años. Se encontró una adecuación deficiente del consumo de hierroen 56,8%,la mayoría provino defuentes no hem: cereales (37,8%), harina de maíz precocida fortificada (33,47%), harina de trigo (2,72%) y casabe (32,98%); el hierro hémico provino de pescados (37,49%). Se presentó déficit en la adecuación del consumo de la vitamina A en 97,3%, las fuentes fueron cereales (harina de maíz precocida), huevos y lácteos. El diagnóstico nutricional antropométrico por combinación de indicadores de dimensión corporal, arrojó que el 75,0% se encuentra en normalidad. Para los estudios bioquímicos: el 93,76% tiene deficiencia de retinol; 40,63% deficiencia severa. El 100% y 70,3% presentó niveles normales de hierro y ferritina sérica, respectivamente. La concentración de hemoglobina, reveló 70,3% de anemia. Existe prevalencia de 92,45% de parasitosis intestinal (Trichuristrichura, Ascarislumbricoides y Ancylostomideos). Se observaron diferencias estadísticamente significativas de niveles séricos de ferritina y asociaciones parasitarias. La alta prevalencia de anemia...